Pq u minho-2010

310 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
310
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pq u minho-2010

  1. 1.     Plano da Qualidade      Junho 2010     
  2. 2. Plano da Qualidade - 2010 - UNIVERSIDADE DO MINHO Plano da Qualidade Junho 2010 Universidade do Minho
  3. 3. Plano da Qualidade - 2010 - Índice UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 3 de 43   Índice  1.  INTRODUÇÃO ............................................................................................................................................... 4  1.1  Estratégia para o desenvolvimento institucional ............................................................................................ 6  1.2  Padrões para a qualidade – O Plano da Qualidade ..................................................................................... 11  2.  PLANO DA QUALIDADE .................................................................................................................................. 12  3.  APÊNDICE ................................................................................................................................................. 33  4.  ANEXO ..................................................................................................................................................... 34    Índice de Quadros  Quadro 1.1 – Vectores estratégicos para o desenvolvimento institucional ................................................................... 7 Quadro 1.2 – Medidas vectoriais ............................................................................................................................ 8 Quadro 1.3 – Medidas transversais ....................................................................................................................... 10 Quadro 2.1 – Vector 1: Consolidar a investigação, respondendo aos desafios do conhecimento. ................................ 13 Quadro 2.2 - Vector 2: Valorizar a oferta formativa e a educação integral. ................................................................. 15 Quadro 2.3 - Vector 3: Aprofundar a interacção com a sociedade. ........................................................................... 16 Quadro 2.4 - Vector 4: Reforçar os sistemas de avaliação e de gestão da qualidade e promover a ética académica. ..... 19 Quadro 2.5 - Vector 5: Promover a descentralização e a gestão descentralizada. ....................................................... 21 Quadro 2.6 - Vector 6: Garantir o equilíbrio financeiro. ............................................................................................ 22 Quadro 2.7 - Vector 7: Assumir opções e práticas sustentáveis. ............................................................................... 23 Quadro 2.8 – Medidas transversais ....................................................................................................................... 25 Quadro 4.1 – Vector 1: Consolidar a investigação, respondendo aos desafios do conhecimento. Acções a implementar e nível de impacto nas respectivas medidas. ............................................................................................................ 35 Quadro 4.2 - Vector 2: Valorizar a oferta formativa e a educação integral. Acções a implementar e nível de impacto nas respectivas medidas. ........................................................................................................................................... 36 Quadro 4.3 - Vector 3: Aprofundar a interacção com a sociedade. Acções a implementar e nível de impacto nas respectivas medidas. ........................................................................................................................................... 37 Quadro 4.4 - Vector 4: Reforçar os sistemas de avaliação e de gestão da qualidade e promover a ética académica. Acções a implementar e nível de impacto nas respectivas medidas. ......................................................................... 38 Quadro 4.5 - Vector 5: Promover a descentralização e a gestão descentralizada. Acções a implementar e nível de impacto nas respectivas medidas. ........................................................................................................................ 39 Quadro 4.6 - Vector 6: Garantir o equilíbrio financeiro. Acções a implementar e nível de impacto nas respectivas medidas. ............................................................................................................................................................ 40 Quadro 4.7 - Vector 7: Assumir opções e práticas sustentáveis. Acções a implementar e nível de impacto nas respectivas medidas. ........................................................................................................................................... 41 Quadro 4.8 – Medidas transversais – Acções a implementar ................................................................................... 42
  4. 4. Plano da Qualidade - 2010 - Introdução UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 4 de 43 Siglas e abreviaturas AAEUM Associação dos Antigos Estudantes da UMinho AAUM Associação Académica da UMinho AFUM Associação de Funcionários da UMinho AUMEA Agência UMinho para a Energia e o Ambiente CC Conselho Científico CCA Conselho Coordenador da Avaliação CG Conselho Geral CI Centro de Investigação CP Conselho Pedagógico DC Director de Curso Dep Departamentos DFP Direcção Financeira e Patrimonial DRH Direcção de Recursos Humanos DTSI Direcção de Tecnologias e Sistemas de Informação DUC Dossier da Unidade Curricular GAC Gabinete de Auditoria e Controlo GAE Gabinete de Apoio ao Ensino GPI Gabinete Para a Inclusão GAP Gabinete de Apoio a Projectos GCII Gabinete de Comunicação, Informação e Imagem GPI Gabinete para a Inclusão ICS Instituto de Ciências Sociais ILCH Instituto de Letras e Ciências Humanas INL International Iberian Nanotechnology Laboratory OOE Observatório da Oferta Educativa PRt-CV Pró Reitora, Professora Cláudia Viana PRt-FL Pró Reitora, Professora Felisbela Lopes
  5. 5. Plano da Qualidade - 2010 - Introdução UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 5 de 43 PRt-PCM Pró Reitora, Professora Paula Cristina Martins PRt-VT Pró Reitor, Professor Vasco Teixeira RAD-UM Regulamento de Avaliação do Desempenho dos Docentes da UMinho Rt Reitor RUM Rádio Universitária do Minho SASUM Serviços de Acção Social da UMinho SAUM Serviços Académicos da UMinho SCOM Serviços de Comunicações SDUM Serviços de Documentação da UMinho SGAQ Serviços para a Garantia da Qualidade SIADAP Sistema Integrado de Gestão e Avaliação do Desempenho na Administração Pública SIGAQ-UM Sistema Interno de Garantia da Qualidade da UMinho SRI Serviços de Relações Internacionais ST Serviços Técnicos UC Unidade Curricular UDif Unidades Diferenciadas UOEI Unidade Orgânica de Ensino e Investigação VRt-GD Vice Reitora, Professora Graciete Dias VRt-JM Vice-Reitor, Professor José Mendes VRt-MP Vice-Reitora, Professora Margarida Proença VRt-RVC Vice-Reitor, Professor Rui Vieira de Castro
  6. 6. Plano da Qualidade - 2010 - Introdução UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 6 de 43 1. Introdução 1.1 Estratégia para o desenvolvimento institucional O Programa de Acção para o quadriénio 2009-2013, aprovado pelo Conselho Geral mediante proposta do Reitor, constitui o documento estratégico de referência para o desenvolvimento da Universidade do Minho, que se pretende seja mobilizador de toda a comunidade interna para a prossecução da missão da Universidade. O Programa de Acção desenvolve-se “num programa operacional hierarquizado, visando dirigir e mobilizar a UMinho em torno de sete vectores estratégicos que congregarão recursos humanos e materiais para o desenvolvimento integrado de acções ou projectos”, vectores esses correspondentes às áreas-chave da missão da Universidade (vectores de missão) e a actividades que apoiam o desenvolvimento harmonioso e sustentado da Universidade (vectores de suporte). Apresenta-se no Quadro 1.1 uma indicação dos principais objectivos que se espera atingir em cada um desses vectores. O programa operacional que concretiza os vectores estratégicos estrutura-se em dois tipos de medidas, que se complementam entre si:  Medidas vectoriais, que visam mobilizar a comunidade académica em torno dos vectores estratégicos definidos face ao conceito de Universidade preconizado;  Medidas transversais, que têm por objectivo melhorar o ambiente organizacional e as condições de trabalho de estudantes, docentes e investigadores e restantes trabalhadores, favorecendo o seu bem-estar e a iniciativa individual e de grupo, e desenvolve-se em planos de acção associados a cada um dos vectores de missão, vectores de suporte e medidas transversais. Os Quadros 1.2 e 1.3 indicam, respectivamente, as medidas vectoriais e as medidas transversais definidas. A listagem concreta das acções a implementar a nível de cada um dos vectores estratégicos e a expectativa do seu nível de impacto nas respectivas medidas vectoriais são devidamente tratadas no Programa de Acção e sintetizadas em Anexo ao presente documento, onde são igualmente listadas as acções a desenvolver no âmbito das medidas transversais. O Programa de Acção apresenta ainda um conjunto de quadros relativos à implementação dos referidos planos de acção1 , onde se indica, para cada uma das acções previstas, a estratégia/metodologia preconizada, os indicadores de desempenho ou produtos a obter e a calendarização para a execução da acção. 1  Programa de Acção para o Quadriénio 2009‐2013, pp. 43‐65. 
  7. 7. Plano da Qualidade - 2010 - Introdução UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 7 de 43 Quadro 1.1 – Vectores estratégicos para o desenvolvimento institucional Vectores de Missão V1 Consolidar a investigação, respondendo aos desafios do conhecimento Promover a geração de conhecimento como forma principal de afirmar internacionalmente a Universidade, de diferenciar projectos de ensino e de ancorar uma cooperação efectiva com a sociedade. O bom desempenho da Universidade na dimensão da investigação é, no contexto actual, decisivo para assegurar novas fontes de financiamento e para atrair alunos de qualidade para os cursos de pós- graduação. V2 Valorizar a oferta educativa e a educação integral Valorizar a oferta educativa através da construção e gestão de um portefólio diversificado de projectos de ensino, académica e socialmente relevante, de práticas educativas adequadas à aquisição de competências específicas e transversais. Este esforço deverá ter em conta que as novas ofertas de ensino deverão possibilitar uma estratégia de crescimento através da atracção de novos públicos e que a educação integral exige o aprofundamento das dimensões ética, criativa e cultural. V3 Aprofundar a interacção com a sociedade Dinamizar a interacção com a sociedade nos domínios cultural, social, económico e tecnológico, como forma de cumprir a missão da Universidade, promover outros modelos de desenvolvimento e potenciar novos mecanismos de captação de recursos. Este vector será perspectivado nacionalmente e assumido num contexto de internacionalização. Será complementado com iniciativas específicas para a envolvente próxima, nomeadamente as que contribuam para a atracção e fixação de talento na Região. Vectores de Suporte V4 Reforçar os sistemas de avaliação e de gestão da qualidade e promover a ética académica Promover e consolidar uma cultura de mérito, apoiada por mecanismos de avaliação transparentes, publicitados e consequentes. Implementar um sistema de gestão de qualidade que assegure a fiabilidade de processos académicos e administrativos e promova a coesão institucional. Desenvolver uma política de salvaguarda de princípios éticos e deontológicos a observar nas actividades da Instituição e na conduta de todos os seus membros. V5 Promover a descentralização e a gestão desconcentrada Desconcentrar e agilizar processos internos, de modo a desenvolver o novo quadro estatutário, simplificar práticas e procedimentos administrativos e fomentar modos de gestão de proximidade, criando condições para a autonomia e a proactividade das unidades orgânicas de ensino e investigação e induzindo a motivação da comunidade académica. V6 Garantir o equilíbrio financeiro Equilibrar o orçamento da Universidade, como condição para o desenvolvimento e consolidação de políticas estratégicas de investimento e de gestão de recursos humanos e de infra-estruturas físicas. A procura de fontes alternativas de financiamento afigura-se como determinante para a Universidade afirmar a sua autonomia. V7 Assumir opções e práticas sustentáveis Adoptar os critérios e as boas práticas de sustentabilidade como referencial de vida nos campi, enquadradores das políticas da Universidade em termos de investimentos, actividade de I&D e formação de estudantes, docentes, investigadores e restantes trabalhadores.
  8. 8. Plano da Qualidade - 2010 - Introdução UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 8 de 43 Quadro 1.2 – Medidas vectoriais Vector 1 - Consolidar a investigação, respondendo aos desafios do conhecimento V1-M1 Mapeamento estratégico, diagnóstico e prospectivo dos centros de investigação, visando consolidar ou melhorar o seu desempenho, o seu grau de internacionalização e a maximização do seu potencial humano. V1-M2 Constituição de parcerias estratégicas com instituições internacionais de referência. V1-M3 Consolidação do apoio à internacionalização da investigação. V1-M4 Reforço das estruturas de apoio aos projectos de investigação nas dimensões de informação, de candidaturas e de gestão. V1-M5 Estímulo à constituição de redes e de projectos multidisciplinares, nomeadamente para abordagem de domínios científicos emergentes. Vector 2 - Valorizar a oferta educativa e a educação integral V2-M1 Racionalização e gestão integrada da oferta educativa, com reforço da oferta pós-graduada multidisciplinar. V2-M2 Crescimento do número de estudantes com base: i) em novos públicos, ii) no estabelecimento de parcerias com entidades públicas ou privadas, e iii) no desenvolvimento de projectos orientados para a formação de profissionais em novas áreas de conhecimento e intervenção. V2-M3 Aposta na educação à distância, a partir de diagnósticos específicos das diferentes áreas científicas e experiências-piloto, com base em soluções ao nível de Escola/Instituto e em ferramentas inovadoras de e- learning. V2-M4 Consolidação das estruturas de apoio ao ensino e à aprendizagem, abrangendo todos os ciclos de estudo e diferentes tipos de formação, num quadro de educação integral. V2-M5 Utilização do conceito de educação integral para desenvolver a marca identitária da UMinho, valorizando, além das competências especializadas, as dimensões criativa, ética e de responsabilidade cidadã. Vector 3 - Aprofundar a interacção com a sociedade V3-M1 Reforço do posicionamento e da visibilidade da Universidade em consórcios regionais, nacionais e internacionais que tenham por objectivo aprofundar a interacção com a sociedade. V3-M2 Articulação e racionalização das participações em entidades externas, de modo a maximizar o respectivo contributo líquido para a missão da Universidade e a estabelecer um enquadramento para decisões futuras neste âmbito. V3-M3 Intensificação da acção da Universidade no domínio da incubação de empresas e do empreendedorismo, através da implementação de medidas eficazes de apoio à iniciativa empresarial dos estudantes, especialmente de pós-graduação. V3-M4 Desenvolvimento de iniciativas culturais num quadro de colaboração com as cidades da envolvente próxima e os seus agentes, explorando o potencial das unidades culturais da Universidade e das suas redes de parcerias. V3-M5 Lançamento de projectos mobilizadores no domínio da interacção com a sociedade, que envolvam múltiplos actores da academia e contribuam para uma efectiva projecção da Universidade para o exterior. Vector 4 - Reforçar os sistemas de avaliação e de gestão da qualidade e promover a ética académica V4-M1 Implementação do sistema de gestão de qualidade da Universidade, tendo em conta as orientações dos sistemas nacional e europeu de garantia da qualidade do Ensino Superior e abrangendo as dimensões ensino, investigação e interacção com a sociedade. V4-M2 Promoção da avaliação interna permanente dos projectos e actividades da Universidade e envolvimento em processos de avaliação externa periódica, seu acompanhamento e divulgação. V4-M3 Redefinição do quadro de avaliação do pessoal docente e investigador e da respectiva divulgação, nos termos da legislação de enquadramento, e estabelecimento de recomendações para incentivos ao reconhecimento do mérito científico e do mérito pedagógico. V4-M4 Benchmarking internacional de projectos, unidades e subunidades orgânicas, enquanto instrumento indutor de processos de inovação e de modernização, bem como de referencial de desempenho. V4-M5 Estabelecimento de orientações que visem a promoção e a observância de padrões éticos nas actividades da Instituição e na conduta dos seus membros.
  9. 9. Plano da Qualidade - 2010 - Introdução UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 9 de 43 Quadro1.2 – Medidas vectoriais (cont.) Vector 5 - Promover a descentralização e a gestão desconcentrada V5-M1 Orçamentos globais por unidade orgânica, promovendo a transparência, contribuindo para uma maior autonomia e responsabilização orçamental e explicitando o conceito de fundo de coesão. V5-M2 Promoção da gestão de proximidade, deslocando serviços centrais para os campi, garantindo uma articulação mais rápida e eficaz com todos os seus utilizadores, estimulando práticas de trabalho em parceria e valorizando o espírito de equipa. V5-M3 Desmaterialização de processos como forma de assegurar serviços mais rápidos e eficazes, promovendo e reforçando a utilização intensiva de novas tecnologias que substituam tendencialmente a documentação em papel por uma gestão e comunicação mais efectivas, reduzindo custos e racionalizando espaço. V5-M4 Elaboração e disponibilização de procedimentos e soluções destinados a racionalizar, simplificar e agilizar práticas administrativas, nomeadamente ao nível da contratação pública e da gestão de recursos humanos, garantindo a sua conformidade legal e divulgando as melhores práticas e iniciativas de inovação neste domínio. V5-M5 Reforço da autonomia das Escolas/Institutos no quadro estatutário, incentivando a sua proactividade e visibilidade. Vector 6 - Garantir o equilíbrio financeiro V6-M1 Garantia do equilíbrio e da sustentabilidade financeira da Universidade, mantendo e reforçando a identificação da sua estrutura de custos, e implementação de um sistema de contabilidade de custos e de orçamentos globais por unidade/serviço, num quadro de autonomia, transparência e pública prestação de contas. V6-M2 Aplicação progressiva de um sistema de custos totais que permita explicitar custos reais, directos e indirectos, por actividade, e garantir um controlo mais efectivo e rigoroso. V6-M3 Aumento do número de estudantes e racionalização do portefólio de unidades curriculares. V6-M5 Diversificação das fontes de financiamento e aumento da captação de receitas próprias, tendo como referência que a sustentabilidade financeira a longo prazo das universidades é claramente uma responsabilidade pública. V6-M5 Estabilização do modelo interno de distribuição de recursos. Vector 7 - Assumir opções e práticas sustentáveis V7-M1 Desenvolvimento de uma cultura de sustentabilidade na comunidade académica, através da promoção de boas práticas e de acções específicas fomentadas pela Reitoria e Escolas/Institutos e envolvendo activamente a Associação Académica. V7-M2 Promoção da mobilidade sustentável, criando condições favoráveis à utilização de soluções ou práticas de mobilidade alternativas à utilização de veículos individuais de combustão. V7-M3 Aposta na sustentabilidade energética, através da utilização de energias renováveis e da valorização energética de resíduos, de modo a reduzir custos e a diminuir o impacto ambiental da actividade da Universidade, potenciando ainda projectos de investigação neste domínio e familiarizando a comunidade académica com este tipo de soluções. V7-M4 Aumento do nível e da qualidade da informação ambiental dos campi, para a construção de uma ferramenta de gestão de longo termo e a consolidação da consciência colectiva neste domínio. V7-M5 Adopção de práticas de gestão documental baseadas em tecnologias digitais, que racionalizem e reduzam drasticamente o uso do papel, contribuindo em simultâneo para a redução dos custos (financeiros e ambientais) associados à respectiva circulação dentro da Universidade e desta para o exterior.
  10. 10. Plano da Qualidade - 2010 - Introdução UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 10 de 43 Quadro 1.3 – Medidas transversais MT01 Conclusão da implementação do novo quadro estatutário, nomeadamente no que respeita a unidades e subunidades orgânicas, e sua monitorização em articulação com os vários níveis da estrutura. MT02 Definição de um quadro de coesão sobre o qual deverá assentar o esforço de descentralização da Universidade. MT03 Adopção de um regime de propriedade intelectual em que os direitos associados à exploração de patentes e aos direitos de autor, bem como a respectiva gestão, sejam atribuídos aos seus inventores e autores (estudantes, docentes, investigadores ou restantes trabalhadores), podendo a Universidade promover e apoiar o seu registo. Este regime geral será observado como regra, a menos que a entidade financiadora da investigação que deu origem às patentes e direitos de autor imponha um regime diverso, caso em que se procederá à respectiva contratualização. MT04 Desenvolvimento de mecanismos de comunicação e informação entre a comunidade académica. MT05 Reformulação da comunicação e imagem externas da Universidade do Minho. MT06 Promoção do associativismo estudantil e consolidação do apoio a iniciativas culturais e desportivas resultantes da proactividade das suas organizações. MT07 Consolidação e reforço do apoio à inclusão de estudantes com deficiência. MT08 Reforço da interacção com os antigos estudantes e com as suas estruturas associativas. MT09 Promoção do associativismo na comunidade de trabalhadores da Universidade e da proactividade das respectivas organizações. MT10 Reforço da formação e do desenvolvimento profissional e pessoal dos recursos humanos não-docentes e não-investigadores. MT11 Melhoria do apoio social e médico à comunidade académica. MT12 Aproximação dos serviços aos respectivos utilizadores internos, num quadro de melhoria de desempenho e de racionalização de custos. MT13 Revisão das condições de funcionamento dos campi, garantindo nomeadamente elevados padrões de qualidade de vida e modalidades de acesso e utilização das instalações ajustadas às efectivas necessidades. MT14 Melhoria e alargamento da infra-estrutura, adequando-a às necessidades das diferentes valências da Universidade e explorando as oportunidades resultantes de parcerias público-privadas. MT15 Análise da eventual alteração do regime jurídico da Universidade para fundação pública com regime de direito privado.
  11. 11. Plano da Qualidade - 2010 - Introdução UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 11 de 43 1.2 Padrões para a qualidade – O Plano da Qualidade A Universidade do Minho dispõe, por conseguinte, de um programa operacional hierarquizado para o seu desenvolvimento ao longo do quadriénio 2009-2013, abrangendo todos os sectores de actividade da Universidade e desdobrado até ao nível de acções concretas a desenvolver, que se assume como ponto fundamental de partida para a estratégia institucional para a qualidade. Para o efeito, é desenvolvido o presente Plano da Qualidade, constituído pelo conjunto dos planos de acção inerentes aos diferentes vectores estratégicos e às medidas transversais, associando a cada uma das acções, para além dos elementos de natureza metodológica, de mensurabilidade e de calendarização atrás referidos, metas concretas a atingir e a definição dos responsáveis pela coordenação e execução das acções. O Plano da Qualidade, intrinsecamente ligado ao Programa de Acção para o quadriénio 2009-2013, estabelece assim os padrões de qualidade a prosseguir pela Universidade. A monitorização da implementação do Plano da Qualidade, nos moldes definidos no Manual da Qualidade, assume um papel central na estratégia institucional para a qualidade. Os indicadores identificados no Plano são de dois tipos: indicadores quantitativos, aos quais, em princípio, estão associadas metas a atingir; e produtos a obter, dentro de uma calendarização explicitamente indicada. Neste segundo caso interessa, também, efectuar uma apreciação objectiva do estádio de desenvolvimento dos diferentes “produtos” previstos, por exemplo aquando da preparação de relatórios anuais. Para o efeito, foi adoptada uma escala de medida para indicadores do tipo “grau de desenvolvimento”, que é apresentada em Apêndice.
  12. 12. Plano da Qualidade - 2010 - Plano UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade 2. Plano da Qualidade O Plano da Qualidade, equacionado nos termos anteriormente referidos, desenvolve-se através dos planos de acção indicados nos Quadros 2.1 a 2.8 a seguir apresentadas. A descrição das acções é acompanhada, como se disse, por informações sobre a metodologia que será utilizada em cada caso, pela identificação dos indicadores que permitirão aferir o seu grau de concretização, por metas que fixam as fasquias de qualidade a que a Universidade se auto-impõe e pela identificação dos responsáveis pela coordenação e execução das diferentes acções. A caracterização das acções tem ainda na calendarização que lhes corresponde um elemento relevante para aferir não apenas a sua solidez, mas também a sua exequibilidade. Nos quadros, para cada acção, são indicados os momentos previstos para a sua execução, organizados numa base semestral, sinalizando-se os tempos de concepção, de desenvolvimento e de monitorização. O Plano da Qualidade da UMinho, aqui apresentado, será complementado pelos planos operacionais de cada uma das Unidades Orgânicas de Ensino e Investigação, Unidades Culturais e Serviços, desenvolvidos em moldes semelhantes, nomeadamente no que respeita aos instrumentos para a sua monitorização. A implementação e monitorização do Plano da Qualidade contará com o apoio do sistema de informação da Universidade, privilegiando a gestão documental em suporte digital.
  13. 13. Plano da Qualidade - 2010 - Plano UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 13 de 43 Quadro 2.1 – Vector 1: Consolidar a investigação, respondendo aos desafios do conhecimento. Acção Estratégia/Metodologia Indicadores/Produtos Metas 2009-13 Calendarização* Responsabilidade Coordenação Execução AV1.1 Análise estratégica dos centros de investigação (CI) Tratamento e sistematização de informação recolhida junto dos CI, com vista à preparação e actualização periódica de um relatório de diagnóstico e prospectiva • Relatório “A Investigação Científica na UMinho: Diagnóstico e Prospectiva” – S1/ S2,7/ S3-6,8 VRt-RVC CI, UOEI/CC, PRt-VT AV1.2 Criação do Fórum dos Centros de Investigação Proposta, no âmbito do Senado Académico, de criação do Fórum dos Centros de Investigação e submissão de documentação para análise • Fórum dos CI – S1/ S2-8 VRt-RVC CI, UOEI/CC, PRt-VT • Pareceres do Fórum sobre documentação relevante – S1/ S2-8 AV1.3 Portefólio de competências científicas Elaboração do portefólio de competências da UMinho, em português e inglês, a partir do relatório “A Investigação Científica na UMinho: Diagnóstico e Prospectiva” • Portefólio bilingue de competências científicas da UMinho – S2/ S3,8/ S4-7 PRt-VT CI, UOEI/CC, GAP • Acesso on-line ao portefólio – S2/ S3,8/ S4-7 AV1.4 Parcerias internacionais Identificação, em articulação com os CI, de parceiros internacionais de referência e promoção de interacções com os mesmos - Número de participações em redes de conhecimento de referência internacional + 3/ano S1-2/ S3-6/ S7-8 VRt-RVC CI, UOEI/CC, SRI, PRt-VT AV1.5 Consolidação de parceria estratégica com o INL Identificação e caracterização de projectos desenvolvidos e em curso, e de oportunidades ao nível de novos projectos de investigação e de ensino, nas micro e nanotecnologias • Livro Branco “Competências I&D em Micro e Nanotecnologias na UMinho” – S1/ S2-6/ S7-8 PRt-VT CI, UOEI/CCEstabelecimento de parceria formal com o INL, tendo como objecto conferências, projectos e cursos conjuntos e gestão integrada de recursos humanos - Nº de conferências internacionais, projectos e cursos conjuntos com o INL 1 conf/ano 3 proj/ano 3 curso/ano S1/ S2-6/ S7-8 AV1.6 Mobilidade de investigadores e estudantes de pós-graduação Interacções com as UOEI e iniciativas de difusão de informação, com vista ao estabelecimento de novos protocolos com Instituições de Ensino Superior no Espaço Europeu de Investigação (EEI) e a nível global - Nº de protocolos assinados 4 novos protocolos/ano S1-2/ S3-5/ S6-8 PRt-RVC UOEI/CC, SRI, PRt-VT AV1.7 RepositoriUM Identificação de constrangimentos de auto-arquivo no RepositoriUM • Medidas orientadas para uma difusão mais generalizada da produção científica através do RepositoriUM – S2/ S3-5/ S6-8 VRt-RVC CI, UOEI, SDUM Interacções com os CI, no sentido da exploração das possibilidades de constituição de bases de dados científicos • Alargamento do âmbito do RepositoriUM – S2/ S3-5/ S6-8 - Indicadores; • Produtos * Planeamento/ Implementação/ Acompanhamento (semestres 1 a 8)
  14. 14. Plano da Qualidade - 2010 - Plano UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 14 de 43 Quadro2.1– Vector 1: Consolidar a investigação, respondendo aos desafios do conhecimento (Cont.) Acção Estratégia/Metodologia Indicadores/Produtos Metas 2009-13 Calendarização* Responsabilidade Coordenação Execução AV1.8 Informação sobre os projectos de investigação Recolha de informação junto dos CI e sua sistematização • Base de dados on-line sobre os projectos de investigação da UMinho – S1-2/ S3-8 PRt-VT CI, UOEI/CC, GAP Organização da informação sobre os projectos de investigação em desenvolvimento na Universidade, para consulta on-line interna e externa • Promoção e divulgação em redes europeias de projectos de investigadores da UMinho – S1-2/ S3-8 AV1.9 Apoio a projectos Identificação, em articulação com os CI, dos principais bloqueios nos serviços de apoio ao desenvolvimento da investigação (informação, apoio a candidaturas e formação de técnicos de gestão de investigação), com vista à reorganização da sua missão, estrutura e actuação • Reorganização das estruturas de apoio a projectos de investigação – S1-2/ S3-5/ S6-8 PRt-VT CI, UOEI/CC, GAP • Informatização do GAP – S1-2/ S3-5/ S6-8 AV1.10 Projectos multidisciplinares mobilizadores Identificação de domínios científicos e tecnológicos prioritários para a promoção de projectos mobilizadores multidisciplinares, visando impactos significativos no tecido produtivo, social e cultural - Nº de consórcios temáticos de âmbito nacional e regional 1/ano S2/ S3-4/ S5-8 VRt-RVC, VRt-JM UOEI, Conselho Cultural AV1.11 Monitorização da organização e nível de actividade da investigação na UMinho Monitorização sistemática da organização e nível de actividade da investigação na UMinho - Carteira de indicadores da organização e nível de actividade da investigação cf. carteira S1/ S2-8 SGAQ CI, UOEI/CC, GAP AV1.12 Monitorização da produção científica na UMinho Monitorização sistemática da produção científica nos CI da UMinho, de acordo com os paradigmas próprios de cada área científica - Carteira de indicadores da produção científica cf. carteira S1/ S2-8 SGAQ CI, UOEI/CC, GAP AV1.13 Monitorização da valorização do conhecimento na UMinho Monitorização sistemática das iniciativas e resultados da valorização do conhecimento na UMinho, incluindo as instituições de interface - Carteira de indicadores de valorização do conhecimento cf. carteira S1/ S2-8 SGAQ CI, UOEI/CC, SRI - Indicadores; • Produtos * Planeamento/ Implementação/ Acompanhamento (semestres 1 a 8)
  15. 15. Plano da Qualidade - 2010 - Plano UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 15 de 43 Quadro 2.2 - Vector 2: Valorizar a oferta formativa e a educação integral. Acção Estratégia/Metodologia Indicadores/Produtos Metas 2009-13 Calendarização* Responsabilidade Coordenação Execução AV2.1 Portefólio de unidades curriculares (UC) Definição da informação relevante no âmbito do dossier da unidade curricular (DUC) e geração de informação sistematizada sobre as UC • Portefólio on-line de UC oferecidas pela UMinho – S1/ S2/ S3-8 VRt-RVC, PRt-PCM Dep, UOEI/CP, SAUM AV2.2 Expansão da oferta graduada Auscultação dos CP das UOEI sobre as experiências anteriores e possibilidades futuras - Novos cursos em regime pós- laboral 7 cursos S1-2/ S3-6/ S7-8 VRt-RVC UOEI, PRt-PCM Análise do histórico da formação dos “maiores de 23 anos” e redefinição do seu enquadramento institucional, em articulação com as UOEI • Reenquadramento institucional da oferta educativa para “os maiores de 23 anos” – S1-2/ S3-4/ S5-8 Definição estratégica da UMinho na área dos estudos artísticos e elaboração do portefólio de cursos nesta área - Oferta integrada de cursos na área dos estudos artísticos 2 cursos S1-3/ S4-7/ S8 - Aumento do numerus clausus de cursos existentes 220 vagas S2/ S3-4/ S5-8 AV2.3 Expansão da oferta pós-graduada Auscultação dos CP das UOEI sobre os cursos em funcionamento (procura, relevância da oferta, áreas lacunares,...) e possibilidades futuras (incluindo projectos inter-UOEI), seguida de decisão estratégica após consulta ao Senado - Novos cursos de pós-graduação 25 cursos S2/ S3-6/ S7-8 VRt-RVC UOEI, Senado, PRt-PCM- Aumento do numerus clausus de cursos existentes 1000 vagas S2/ S3-4/ S5-8 AV2.4 Escola(s) Doutoral(is) Análise de experiências desenvolvidas em outras universidades e exploração (ao nível das UOEI e do Senado) das possibilidades existentes na UMinho, com vista ao eventual lançamento de Escola(s) Doutoral(is) • Decisão estratégica sobre o lançamento de Escola(s) Doutoral(is) – S2-3/ S4-5/ S6-8 VRt-RVC UOEI, Senado AV2.5 “Escolas de Verão” Caracterização e avaliação das experiências anteriores e em curso, no quadro de interacções com as UOEI e de consulta ao Senado, seguida de decisão estratégica - Aumento do número de participantes em “Escolas de Verão” aumento de 10%/ano S1/ S2-8 VRt-RVC UOEI, Senado, PRt-PCM - Aumento e diversificação do número de iniciativas 2 novas iniciativas/ano S2-3/ S4-8 AV2.6 Parcerias com os PALOP (ver também AV3.1) Avaliação das experiências anteriores e em curso na UMinho e identificação das possibilidades futuras, em interacção com as UOEI e o Senado • Consolidação das experiências actuais de cooperação – S2/ S3-4/ S5-8 VRt-RVC UOEI, Senado - Indicadores; • Produtos * Planeamento/ Implementação/ Acompanhamento (semestres 1 a 8)
  16. 16. Plano da Qualidade - 2010 - Plano UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 16 de 43 Quadro 2.2 - Vector 2: Valorizar a oferta formativa e a educação integral (Cont.) Acção Estratégia/Metodologia Indicadores/Produtos Metas 2009-13 Calendarização* Responsabilidade Coordenação Execução AV2.7 Plataforma e-learning Identificação de constrangimentos no uso de plataformas e definição de uma estratégia de consolidação da sua utilização, em articulação com as UOEI, SAPIA e Senado - Acções de formação/apoio aos docentes 40 acções S1/ S2-8 PRt-PCM GAE - Grau de utilização da plataforma de e-learning + 10% docentes/ano S1/ S2-4/ S5-8 PRt-PCM UOEI, GAE • Arquivo digital das UC não activas – S1/ S2-8 PRt-PCM GAE AV2.8 Centro de Apoio ao Ensino Análise de projectos semelhantes noutras universidades e definição do modelo de Centro, em articulação com as UOEI e o Senado. Criação e desenvolvimento do GAE (cf. plano da qualidade específico do GAE) S1-2/ S3/ S4-8 VRt-RVC GAE, PRt-PCM AV2.9 Programa de leccionação em Inglês Auscultação das UOEI e lançamento de experiências piloto de leccionação em Inglês - Nº de UC de 1º ciclo e mestrado integrado leccionadas em língua inglesa 5% UC S2/ S3-8 PRt-PCM Dep, UOEI/CP - Nº de UC de mestrado leccionadas em língua inglesa 20% UC S2/ S3-8 - Nº de UC de cursos doutorais leccionadas em língua inglesa 35% UC S2/ S3-8 AV2.10 Competências académicas transversais Criação, em articulação com as UOEI, de programas dirigidos aos alunos de 1º ano - Nº de programas criados 5 S2/ S3-4/ S5-8 GAE UOEI/CP, GAE Definição, em articulação com as UOEI e o Senado, de uma estratégia de médio prazo • Estratégia de introdução de competências transversais nas UC – S2/ S3-4/ S5-8 VRt-RVC UOEI, Senado, PRt-PCM AV2.11 Monitorização da qualificação da procura (ver tambémAV4.2) Monitorização sistemática da qualificação da procura dos cursos da UMinho - Carteira de indicadores de qualificação da procura cf. carteira S1/ S2-8 SGAQ SAUM, OOE AV2.12 Monitorização da organização do ensino Monitorização sistemática dos parâmetros relativos à organização do ensino/ aprendizagem - Carteira de indicadores de organização do ensino cf. carteira S1/ S2-8 SGAQ DC, UOEI/CP AV2.13 Monitorização da eficiência formativa (ver também AV4.2) Monitorização sistemática da eficiência formativa na UMinho - Carteira de indicadores de eficiência formativa cf. carteira S1/ S2-8 SGAQ SAUM, OOE AV2.14 Monitorização da inserção profissional dos graduados (ver também AV4.2) Monitorização sistemática da inserção profissional dos graduados pela UMinho (nos três ciclos de estudos) - Carteira de indicadores de inserção profissional dos graduados cf. carteira S1/ S2-8 SGAQ OOE - Indicadores; • Produtos * Planeamento/ Implementação/ Acompanhamento (semestres 1 a 8)
  17. 17. Plano da Qualidade - 2010 - Plano UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 17 de 43 Quadro 2.3 - Vector 3: Aprofundar a interacção com a sociedade. Acção Estratégia/Metodologia Indicadores/Produtos Metas 2009-13 Calendarização* Responsabilidade Coordenação Execução AV3.1 Cooperação Internacional Definição de prioridades para a cooperação internacional, envolvendo nomeadamente os PALOP e Economias Emergentes • Carta Estratégica para a Cooperação Internacional – S1/ S2-5/ S6-8 Rt UOEI, SRI Actividade de diplomacia académica para abrir e estabilizar canais permanentes de contacto internacional - Nº de acordos, protocolos, contratos e acções no exterior 10 iniciativas S1/ S2-5/ S6-8 - Nº de parcerias com entidades de países da CPLP 6 parcerias S1/ S2-5/ S6-8 AV3.2 Quadrilátero Urbano Afirmação da UMinho no Comité de Orientação Estratégica do Quadrilátero (Braga/Guimarães/Barcelos/Famalicão) Participação da UMinho na dinamização das Temáticas e da Rede do Quadrilátero - Nº de projectos com participação activa e contratualização da UMinho 8 projectos S1-2/ S3-8 Rt VRt-JM AV3.3 Guimarães CEC2012 Reforço da interacção com a estrutura CEC2012 • Protocolo com a Fundação Cidade de Guimarães – S1/ S2-7 Rt VRt-MP, VRt-JM, PRt-FL Participação na dinamização das temáticas associadas à preparação e realização do evento - Nº de projectos com participação activa e contratualização da UMinho 12 projectos S1/ S2-7 Rt UOEI, Conselho Cultural AV3.4 UM-Living Lab Identificação de áreas-chave para a diferenciação dos campi - Nº de parcerias celebradas 2 parcerias S2-3/ S4-6/ S7-8 Rt VRt-JM Estabelecimento e implementação de parcerias selectivas com entidades e empresas, promovendo o envolvimento de agentes da UMinho, numa lógica de I&D - Quantidade e qualidade de projectos e acções de demonstração de soluções avançadas 2 iniciativas S2-3/ S4-6/ S7-8 AV3.5 Minho Talento Internacional Definição e mapeamento do talento internacional nas cidades de Braga e Guimarães • Acordos com CM de Braga e Guimarães – S2-3/ S4-6/ S7-8 Rt VRt-JM Parcerias com as Câmaras Municipais de Braga e Guimarães para criação de condições de atracção e retenção do talento internacional • Número de indivíduos em Braga e Guimarães que se enquadram no conceito de talento internacional – S2-3/ S4-6/ S7-8 AV3.6 Entidades participadas Mapeamento das competências e actividades das entidades participadas • Mapa das participadas – S1-2/ S3-8 Rt VRt-JM Actualização do posicionamento da UMinho e introdução de realinhamentos • Novo posicionamento nas participadas – S1-2/ S3-8 Definição do quadro de participação futura da UMinho em novas entidades • (Eventual) entrada em novas participadas – S1-2/ S3-8 - Indicadores; • Produtos * Planeamento/ Implementação/ Acompanhamento (semestres 1 a 8)
  18. 18. Plano da Qualidade - 2010 - Plano UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 18 de 43 Quadro 2.3 - Vector 3: Aprofundar a interacção com a sociedade (Cont.) Acção Estratégia/Metodologia Indicadores/Produtos Metas 2009-13 Calendarização* Responsabilidade Coordenação Execução AV3.7 Incubadora de Indústrias Criativas Análise da potencial participação da UMinho no Cluster das Indústrias Criativas do Norte de Portugal • Conceito e modelo de negócio para uma Incubadora de Indústrias Criativas – S2/ S3-5/ S6-8 Rt VRt-JM Avaliação de experiências de promoção/ incubação de indústrias criativas (p.ex., incubadora da Fundação de Serralves) • Acordos de colaboração (se viável) – S2/ S3-5/ S6-8 Envolvimento das autarquias, nomeadamente Braga e Guimarães, e de outros parceiros • Lançamento da Incubadora (se viável) – S2/ S3-5/ S6-8 AV3.8 Incubação de novas empresas Dinamização da formação em empreendedorismo transversal às diferentes áreas científicas - Nº de acções de promoção do empreendedorismo 20 S2/ S3-5/ S6-8 VRt-JM UOEI, GAE, TecMinho (Re)visitação do processo de geração de spin-offs da Universidade - Nº de estudantes, docentes e investigadores com formação em empreendedorismo 1000 S2/ S3-5/ S6-8 VRt-JM UOEI Reforço das condições de incubação no AvePark - Nº de empresas incubadas 20 S2/ S3-5/ S6-8 VRt-JM SpinPark AV3.9 Meetings & Networking Preparação de agenda anual, envolvendo a comunidade académica e as Unidades Culturais • Agenda de Meetings & Networking – S1/ S2-8 Rt PRt-FL, UOEI, Conselho Cultural Realização dos encontros em locais emblemáticos da região - Nº de encontros realizados e de pessoas/entidades envolvidas 8 encont. 10 entida. S1/ S2-8 AV3.10 Clubes do Conhecimento UMinho Planeamento e implementação de uma rede de Clubes do Conhecimento, com envolvimento das UOEI, a sediar em escolas secundárias da região, com base numa dinâmica de actores que envolva docentes das mesmas • Rede de Clubes do Conhecimento UMinho – S1-2/ S3-4/ S5-8 VRt-RVC PRt-PCM, UOEI - Nº de parceiros e iniciativas 30 parc. 50 iniciat. S1-2/ S3-4/ S5-8 AV3.11 Programa Iniciativas Culturais Parceria com autarquias da região e com agentes culturais nacionais e estrangeiros - Nº de eventos 10 S2-3/ S4-5/ S6-8 Rt UOEI, Conselho Cultural AV3.12 Projecto Centro de Línguas (BabeliUM) Apoio ao projecto emergente no ILCH, com alargamento generalizado à Universidade - Nº de iniciativas e participantes 10 iniciat. 1000 part. S1-2/ S3-5/ S6-8 VRt-RVC ILCH AV3.13 Festival de Outono Envolvimento da comunidade académica, a partir do Conselho Cultural, em estreita parceria com a região, especialmente as cidades de Braga e de Guimarães • Diversidade, qualidade e recepção dos eventos do Festival – S2/ S3,5,7/ S4,6,8 Rt Conselho Cultural - Indicadores; • Produtos * Planeamento/ Implementação/ Acompanhamento (semestres 1 a 8)
  19. 19. Plano da Qualidade - 2010 - Plano UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 19 de 43 Quadro 2.4 - Vector 4: Reforçar os sistemas de avaliação e de gestão da qualidade e promover a ética académica. Acção Estratégia/Metodologia Indicadores/Produtos Metas 2009-13 Calendarização* Responsabilidade Coordenação Execução AV4.1 Sistema Interno de Garantia da Qualidade (SIGAQ-UM) Concepção e consolidação dos principais referenciais e dos instrumentos de suporte, preparada por task force designada pelo Reitor • Plano da Qualidade e Manual da Qualidade validados e aprovados – S1/ S2-3/ S4-8 VRt-GD Task force designada pelo Reitor  Implementação, monitorização e melhoria contínua do sistema, envolvendo toda a academia • SIGAQ-UM implementado. Relatórios de follow-up – S1/ S2-3/ S4-8 VRt-GD, SGAQ UOEI, Serviços, SGAQ, DTSI Preparação e submissão à A3ES do processo de certificação do SIGAQ-UM • SIGAQ-UM certificado – S2-3/ cf. A3ES VRt-GD SGAQ AV4.2 Observatório da Oferta Educativa (OOE) Construção de instrumentos de recolha de dados sobre a relevância e adequação da oferta formativa, a eficiência formativa, a empregabilidade e o percurso profissional e desempenho dos graduados pela UMinho (nos três ciclos de estudos) - Carteira de indicadores sobre a oferta formativa, a eficiência formativa e a inserção profissional dos graduados cf. carteira S1/ S2-3/ S4-8 VRt-GD SGAQ Consolidação do portal AlumniUM • Portal AlumniUM consolidado – S1/ S2-3/ S4-8 AV4.3 Avaliação externa periódica Acreditação e avaliação de cursos - Reconhecimento oficial dos cursos 100% acredit. (cf. entidades avaliadoras) VRt-RVC UOEI Avaliação dos CI • Classificação dos CI – VRt-RVC CI, UOEI Avaliação institucional • Relatório de avaliação externa, recomendações – VRt-GD UOEI, Serviços, SGAQ AV4.4 Avaliação do desempenho dos docentes Elaboração do projecto de regulamento geral (RAD-UM) por Comissão designada pelo Reitor, envolvendo membros da comunidade docente • Projecto de regulamento geral – S1/S2 VRt-GD Comissão designada pelo Reitor Discussão pública, audição de órgãos internos e organizações sindicais e homologação do RAD-UM • Regulamento geral – S1/ S2/ S3-8 Rt VRt-GD; PRt-CV Elaboração de regulamentos específicos pelas UOEI e sua aprovação • Regulamentos específicos por UOEI – S1/ S2/ S3-8 VRt-GD UOEI, PRt-CV Implementação do processo • Classificação do desempenho – S1/ S2/ S3-8 VRt-GD UOEI AV4.5 Avaliação do desempenho dos trabalhadores não docentes e não investigadores Aperfeiçoar as práticas internas de avaliação, tornando mais robusta a definição de objectivos individuais e a atribuição de classificações • Referencial interno para o SIADAP – S1/ S2/ S3-8 VRt-MP CCA - Número de reclamações reduzir 10%/ano S1/ S2,4,6,8 VRt-MP UOEI, Serviços - Indicadores; • Produtos * Planeamento/ Implementação/ Acompanhamento (semestres 1 a 8)
  20. 20. Plano da Qualidade - 2010 - Plano UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 20 de 43 Quadro 2.4 - Vector 4: Reforçar os sistemas de avaliação e de gestão da qualidade e promover a ética académica (Cont.) Acção Estratégia/Metodologia Indicadores/Produtos Metas 2009-13 Calendarização* Responsabilidade Coordenação Execução AV4.6 Prémios de mérito Criação de incentivos à atribuição anual de prémios de mérito (institucionais e por UOEI) - Prémios de mérito científico 12/ano S1,3,5,7/ S2,4,6,8 Rt, UOEI VRt-RVC, VRt-MP, UOEI - Prémios de mérito pedagógico 11/ano - Outros prémios de natureza não académica 13/ano AV4.7 Flexibilização do serviço docente Elaboração de projecto de regulamento de prestação de serviço dos docentes • Projecto de regulamento – S1/ S2 VRt-GD Comissão designada pelo Reitor Auscultação das UOEI, consulta ao Senado, aprovação • Regulamento de prestação de serviço dos docentes – S1/ S2-3/ S4-8 VRt-GD UOEI, Senado, PRt-CV AV4.8 Divulgação de práticas de mérito Identificação e recolha de práticas de mérito e sua divulgação alargada • Publicitação de práticas de mérito – S1/ S2-8 VRt-GD, SGAQ UOEI, Serviços, GCII Organização de Jornadas de Inovação Pedagógica - Número de Jornadas 1/ano S1/ S2-8 VRt-RVC GAE, PRt-PCM AV4.9 Exercícios de benchmarking Desenvolvimento de actividades de benchmarking, com base em padrões e indicadores internacionais • Posicionamento de unidades e subunidades orgânicas face a congéneres no País e Europa – S1/ S2-8 VRt-GD, UOEI Dep, CI, UOEI AV4.10 Valores éticos: Comissão de Ética Criação da Comissão de Ética Académica, em articulação com o Senado • Comissão de Ética Académica – S1/ S2-3/ S4-8 VRt-GD AV4.11 Valores éticos: Código de Conduta Académica Elaboração do Código de Conduta Académica como prática de referência da academia, tendo em conta experiências em outras universidades • Código de Conduta Académica – S1/ S2-3/ S4-8 VRt-GD Comissão de Ética Académica, Senado AV4.12 Valores éticos: Programa de combate à fraude académica Programa desenvolvido em associação com o Senado, AAUM e outras estruturas de estudantes • Iniciativas de combate à fraude académica – S1/ S2-3/ S4-8 VRt-GD Comissão de Ética Académica, Senado, representantes dos estudantes - Indicadores; • Produtos * Planeamento/ Implementação/ Acompanhamento (semestres 1 a 8)
  21. 21. Plano da Qualidade - 2010 - Plano UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 21 de 43 Quadro 2.5 - Vector 5: Promover a descentralização e a gestão descentralizada Acção Estratégia/Metodologia Indicadores/Produtos Metas 2009-13 Calendarização* Responsabilidade Coordenação Execução AV5.1 Reorganizar serviços Reorganização dos serviços centrais, com descrição dos conteúdos funcionais, definição de responsabilidades e delegações de competências, bem como reforço de recursos humanos com competência técnica - Grau de proximidade dos serviços aos seus utilizadores, numa lógica de gestão de proximidade 100% dos serviços reorganizados S1/ S2/ S3-8 Rt, VRt-MP Administrador, Serviços Reformular o Regulamento Orgânico em vigor, identificando áreas de convergência/divergência de funções, analisando e discutindo eventuais alterações com todos os intervenientes • Regulamento Orgânico da UMinho reformulado – S1/ S2/ S3-8 Rt VRt-MP, Administrador, Serviços AV5.2 Racionalizar e simplificar práticas administrativas Identificação de práticas administrativas que promovam a racionalização dos serviços, à luz da missão da UMinho, e uma maior eficácia, de acordo com o princípio da subsidiariedade • Racionalização dos serviços – S1,4,7/ S2,5,8/ S3,6 VRt-MP Administrador, UOEI, Serviços, PRt-CV • Melhoria contínua na prestação dos serviços e aumento da eficiência interna – S1,4,7/ S2,5,8/ S3,6 Revisão dos circuitos de informação entre os serviços centrais e as UOEI • Práticas de trabalho inovadoras e em parceria – S1,4,7/ S2,5,8/ S3,6 Revisão de funções e circuitos na gestão financeira da UMinho, envolvendo no processo UOEI e subunidades - Documentos de despesa e aquisições de serviços processados via Intranet 90% / S1-2/ S3-8 Elaboração e divulgação de manuais de procedimentos administrativos e financeiros • Manual de procedimentos do sistema contabilístico – S1,5/ S2-3,6/ S4,7-8 • Manual de controlo interno – S1,5/ S2-3,6/ S4,7-8 • Manual de procedimentos sobre aquisição e abate dos bens – S1,5/ S2-3,6/ S4,7-8 • Regulamento de compras – S1,5/ S2-3,6/ S4,7-8 • Ficheiro de imobilizado informatizado – S1,5/ S2-3,6/ S4,7-8 AV5.3 Divulgar as melhores práticas Rede entre os serviços centrais e os Secretários de UOEI, implementando práticas inovadoras de cooperação, com responsabilização directa do Administrador, com vista a aumentar a rapidez na identificação e solução de problemas - Divulgação de melhores práticas e processos inovadores 12 iniciativas/ano / S1-2/ S3-8 Administrador UOEI, Serviços • Cooperação efectiva entre serviços centrais e unidades orgânicas – / S1-2/ S3-8 - Indicadores; • Produtos * Planeamento/ Implementação/ Acompanhamento (semestres 1 a 8)
  22. 22. Plano da Qualidade - 2010 - Plano UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 22 de 43 Quadro 2.5 - Vector 5: Promover a descentralização e a gestão descentralizada(Cont.) Acção Estratégia/Metodologia Indicadores/Produtos Metas 2009-13 Calendarização* Responsabilidade Coordenação Execução AV5.4 Elaborar e divulgar o Balanço Social Anual e o Mapa de Pessoal Elaboração do Mapa de Pessoal, como instrumento de planeamento e gestão de recursos humanos, e sua divulgação na Internet. • Mapa de Pessoal divulgado – S1/ S2/ S3-8 VRt-MP DRH, Administrador Elaboração do Balanço Social Anual e sua divulgação na Internet • Balanço Social Anual divulgado – S1/ S2/ S3-8 VRt-MP Administrador Publicitação dos concursos e procedimentos associados (abertura e resultados) - Nº de concursos publicitados 100% S1/ S2/ S3-8 Administrador DRH Desenvolvimento de estratégias de formação, em colaboração com unidades e serviços, e elaboração de planos anuais de formação dos trabalhadores não docentes - Nº de acções de formação no plano anual 10/ano S1/ S2/ S3-8 VRt-MP, Administrador UOEI, Serviços AV5.5 Definir objectivos e monitorar indicadores para o SIADAP Criação de um grupo de trabalho, envolvendo unidades e subunidades orgânicas e serviços, tendo em vista a avaliação de desempenho dos trabalhadores não docentes e não investigadores • Definição de objectivos comuns, passíveis de revisão e ajustamentos anuais – S1,5,7/ S2-4,6,8 VRt-MP Grupo de trabalho, UOEI, Serviços AV5.6 Definir o quadro de estabelecimento de contratos -programa com as UOEI Definição de enquadramento no âmbito do Conselho Geral - Nº de contratos-programa celebrados 6 / S4/ S1-3,5-8 Rt VRt-MP, UOEIEnvolvimento das unidades orgânicas na discussão e definição de um quadro de objectivos monitorizáveis AV5.7 Elaborar orçamentos globais por unidade Envolvimento das unidades orgânicas, culturais e diferenciadas, bem como dos serviços, na identificação de estratégias de utilização dos recursos e de racionalização das funções, à luz da missão da UMinho e da coesão interna • Política de gestão orçamental, com base em orçamentos globais por unidade orgânica – S1/ S2-3/ S4-8 Rt VRt-MP, UOEI, unidades culturais e diferenciadas- Nº de unidades com orçamento global 100% UOEI 100% UDif AV5.8 Cerimónia de entrega de cartas de curso Definição do modelo de cerimónia com cada UOEI, no quadro do protocolo institucional - Participação de estudantes e famílias em cada cerimónia 90% dos diplomados S1/ S2-8 PRt-FL UOEI AV5.9 Dia da Escola/Instituto Institucionalizar a celebração do Dia da Escola/Instituto, como mecanismo de divulgação de actividade e de reforço da ligação externa das unidades orgânicas - Nº eventos Dia da UOEI 11/ano S1/ S2-8 Rt, UOEI UOEI- Impacto nos media 5 not./evento AV5.10 Sistema de Informação integrado Integração de aplicações informáticas associadas a vários serviços numa Intranet única - Número de serviços presentes na intranet 100% S1-2/ S3-5/ S6-8 VRt-JM VRt-MP, Administrador, DTSI Implementação de suporte informático para a gestão do património - Indicadores; • Produtos * Planeamento/ Implementação/ Acompanhamento (semestres 1 a 8)
  23. 23. Plano da Qualidade - 2010 - Plano UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 23 de 43 Quadro 2.6 - Vector 6: Garantir o equilíbrio financeiro Acção Estratégia/Metodologia Indicadores/Produtos Metas 2009-13 Calendarização* Responsabilidade Coordenação Execução AV6.1 Contabilidade de custos e funcionamento em custos totais Preparação de um sistema de custos totais que permita explicitar custos reais, directos e indirectos, por actividade • Ventilação de custos por subunidade, serviço e projecto – S1-2/ S3-4/ S5-8 VRt-MP Administrador, DFP AV6.2 Valorizar os activos intangíveis Criação de um grupo de trabalho que permita criar indicadores de valorização dos activos intangíveis • Carteira de indicadores de activos intangíveis – S1-4/ S5-7/ S8 VRt-MP Administrador, Grupo de trabalho AV6.3 Indicadores de retorno e de orientação Identificação dos indicadores necessários e preparação de rotinas para a sua elaboração e divulgação • Sensibilização da academia para a utilização eficiente e transparente dos recursos – S1/ S2/ S3-8 VRt-MP Administrador, UOEI, Outras Unidades, Serviços Preparação de mecanismos de controlo regular e auditoria interna, no quadro do novo Regulamento Orgânico da UMinho • Aumento do grau de controlo interno – Verificação periódica, por amostragem, dos procedimentos nas unidades orgânicas AV6.4 Consolidação interna das contas e divulgação do Relatório de Contas Grupo de trabalho para a consolidação de contas • Contas consolidadas, certificadas e publicitadas – S2-3/ S4-5/ S6-8 VRt-MP Administrador, DFP Publicitação regular dos planos de actividades e dos relatórios anuais de actividades e contas • Planos de actividades e relatórios anuais publicitados – S2-3/ S4-5/ S6-8 AV6.5 Plano de sustentabilidade financeira a médio prazo Elaboração de um plano estratégico que defina objectivos e prioridades para a gestão financeira de forma a garantir a sustentabilidade financeira a médio prazo • Plano estratégico de sustentabilidade financeira a médio prazo – S1/ S2-3/ S4-8 Rt VRt-MP Profissionalização da captação de receitas - Volume de receitas próprias + 10%/ano S1/ S2-3/ S4-8 VRt-MP Administrador, DFP Análise, com as UOEI, de programa de incentivos à diversificação das fontes de financiamento • Relação de fontes de financiamento – S1/ S2-3/ S4-8 VRt-MP Administrador, UOEI AV.6.6 Políticas alternativas de prémios, propinas e de retenção de overheads Elaboração de um estudo que permita a estimação de políticas alternativas de propinas • Divulgação de estudos especializados – S1-2/ S3-4/ S5-8 VRt-MP Grupo de trabalho, Senado Análise do mecanismo de retenção de overheads institucionais VRt-MP Grupo de trabalho Avaliação do impacto socioeconómico da UMinho VRt-MP Grupo de trabalho, Administrador AV6.7 Modelo de distribuição de recursos humanos e financeiros Análise e discussão com as unidades orgânicas de valores padrão e indicadores de desempenho • Novo modelo interno de distribuição de recursos – S1-2/ S3-4/ S5-8 Rt VRt-MP - Indicadores; • Produtos * Planeamento/ Implementação/ Acompanhamento (semestres 1 a 8)
  24. 24. Plano da Qualidade - 2010 - Plano UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 24 de 43 Quadro 2.7 - Vector 7: Assumir opções e práticas sustentáveis. Acção Estratégia/Metodologia Indicadores/Produtos Metas 2009-13 Calendarização* Responsabilidade Coordenação Execução AV7.1 Práticas ambientalmente sustentáveis Identificação de áreas ambientalmente críticas na vida da Academia e desenvolvimento de um quadro de actuação ambientalmente sustentável, envolvendo os serviços e as UOEI • Plano de promoção de práticas ambientalmente sustentáveis – S1-2/ S3-6/ S7-8 Rt VRt-JM, UOEI, Serviços AV7.2 Mobilidade sustentável Criação de condições para o desenvolvimento da mobilidade sustentável (modos suaves e veículos menos poluentes) nos campi e nas viagens de e para os mesmos, envolvendo os serviços, os SASUM, a AAUM e a AFUM • Plano de mobilidade nos campi de Gualtar e Azurém – S1-2/ S3-6/ S7-8 VRt-JM VRt-JM, Serviços, SASUM, AAUM, AFUM AV7.3 Veículos eléctricos Criação de condições para o desenvolvimento da mobilidade eléctrica nos campi, em parceria com operadores externos. • Plano de mobilidade eléctrica nos campi de Gualtar e Azurém – S1-2/ S3-6/ S7-8 VRt-JM VRt-JM, ST AV7.4 Rede eléctrica inteligente Estudo e implementação faseada de uma rede eléctrica inteligente, que inclua, quando possível, soluções de microgeração, mobilizando a Agência de Energia e Ambiente da UMinho • Plano da rede eléctrica inteligente dos campi de Gualtar e Azurém – S1-3/ S4-6/ S7-8 VRt-JM VRt-JM, AUMEA, ST - % de redução da factura energética 5%/ano AV7.5 Sistema de Informação Ambiental Desenvolvimento do Sistema de Informação Ambiental da UMinho, que disponibilizará informação de indicadores ambientais dos campi • Sistema de Informação Ambiental da UMinho – S1-3/ S4-6/ S7-8 Rt VRt-JM, AUMEA AV7.6 Programa Universidade sem papel Desenvolvimento de procedimentos de gestão documental no sentido de progressivamente substituir o suporte papel pelo suporte digital, envolvendo designadamente o DTSI - Nº de circuitos de tramitação documental exclusivamente digitais 3/ano S1-2/ S3-6/ S7-8 VRt-JM DTSI, Unidades, Serviços - Redução do consumo de papel 15%/ano S1-2/ S3-6/ S7-8 - Indicadores; • Produtos * Planeamento/ Implementação/ Acompanhamento (semestres 1 a 8)
  25. 25. Plano da Qualidade - 2010 - Plano UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 25 de 43 Quadro 2.8 – Medidas transversais Acção Estratégia/Metodologia Indicadores/Produtos Metas 2009-13 Calendarização* Responsabilidade Coordenação Execução MT01 – Quadro Estatutário AT1.1 Conclusão do quadro regulamentar Acompanhamento do processo de elaboração de regulamentos de subunidades orgânicas - Data de entrada em funcio- namento dos novos órgãos Março/ Abril 2010 / S1/ S2-8 Rt Subunidades orgânicas, UOEI, PRt-CV AT1.2 Activação dos órgãos Desencadear o funcionamento dos órgãos previstos nos Estatutos da Universidade e das UOEI - Data de entrada em funcio- namento dos novos órgãos Março/ Abril 2010 / S1/ S2-8 Rt UOEI, PRt-CV MT02 – Quadro de Coesão AT2.1 Mecanismos de coesão Promover, em sede de Senado, a divulgação e a apropriação pelas UOEI de elementos de coesão institucional, nomeadamente: princípios e valores estatutários, sistema de gestão da qualidade, calendário académico único, gestão orçamental integrada, partilha de instalações, projectos multidisciplinares e prémios institucionais. • Memorando anual de apreciação de progresso – S2/ S3-6/ S7-8 Rt Equipa reitoral, Senado, UOEI AT2.2 Projectos e mobilidade Promover projectos entre alunos, investigadores e docentes de diferentes UOEI e entidades participadas e criar mecanismos para facilitar a sua mobilidade entre locais onde estão sediadas infra-estruturas da Universidade - Nº de projectos inter-UOEI 2/ano S2/ S3-4/ S5-8 Rt UOEI MT03 – Propriedade Intelectual AT3.1 Regime livre Alterar o quadro de referência interno em termos de propriedade intelectual, instituindo um Regime Livre, em colaboração com a TecMinho • Regulamento da Propriedade Intelectual da Universidade do Minho – S1-2/ S3/ S4-8 VRt-JM PRt-CV, TecMinho - Indicadores; • Produtos * Planeamento/ Implementação/ Acompanhamento (semestres 1 a 8)
  26. 26. Plano da Qualidade - 2010 - Plano UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 26 de 43 Quadro2.8 – Medidas transversais (Cont.) Acção Estratégia/Metodologia Indicadores/Produtos Metas 2009-13 Calendarização* Responsabilidade Coordenação Execução MT04 – Comunicação e informação internas AT 4.1 Portal de Entrada na UMinho Definir nova linha editorial e novas linguagens no Portal de Entrada • Portal de Entrada renovado – S1,5/ S2,6/ S3- 4,7-8 PRt-FL GCII, DTSI AT4.2 Portal dos Alunos Segmentar o Portal dos Alunos por diferentes Ciclos e manter em permanência a sua actualização • Portal dos Alunos renovado e sempre actualizado – S1,5/ S2,6/ S3- 4,7-8 PRt-FL SAUM, DTSI, GCII Seleccionar e difundir regularmente informação pertinente para os estudantes AT4.3 Portal de Informação Renovar o portal informativo • Portal de Informação com conteúdos actuais, difundidos em diferentes registos – S1,5/ S2,6/ S3- 4,7-8 PRt-FL GCII Constituir uma agenda de eventos, posteriormente seleccionados para tratamento informativo AT 4.4 Acervo de imagens da UMinho Reconstituir o percurso da UMinho através de imagens disponíveis para a academia: de edifícios, de eventos, de pessoas … • Acervo diversificado de imagens – S1/ S2-8 PRt-FL GCII AT4.5 Difundir informação académica noutras plataformas Estabelecer parcerias com empresas de comunicações ou outras empresas, de modo a agilizar a difusão de informação noutras plataformas • Informação académica em diferentes plataformas – S3-4/ S5-6/ S7-8 PRt-FL DTSI, GCII AT4.6 Desenvolver um projecto para criar uma TV interna Elaborar um projecto para a criação de um canal televisivo de circuito interno • Emissões experimentais do canal de TV UMinho – S3-5/ S6-8 PRt-FL ICS, RUM Procura de parcerias Produzir emissões experimentais AT4.7 Criar o Fórum UMinho Criar o Fórum, como estrutura de diálogo entre o Reitor e os diferentes corpos da Universidade, com base em reuniões periódicas com agenda predeterminada - Nº anual de reuniões 4/ano S1/ S2/ S3-8 Rt Equipa reitoral, docentes e investigadores, estudantes, restantes trabalhadores Definição da agenda em colaboração com representantes eleitos de cada corpo no Conselho Geral ou no Senado - Indicadores; • Produtos * Planeamento/ Implementação/ Acompanhamento (semestres 1 a 8)
  27. 27. Plano da Qualidade - 2010 - Plano UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 27 de 43 Quadro2.8 – Medidas transversais (Cont.) Acção Estratégia/Metodologia Indicadores/Produtos Metas 2009-13 Calendarização* Responsabilidade Coordenação Execução MT05 – Comunicação e informação externas AT 5.1 Canais de comunicação com os media Procurar, de diferentes formas, estabelecer contactos permanentes com os jornalistas, nomeadamente por mail e telefone - Comunicados de imprensa diários 1/dia S1/ S2-8 PRt-FL PRt-FL, GCII • Contactos regulares com as redacções dos media – AT5.2 Base de dados da investigação na UMinho Em ligação com os centros de investigação, far-se-á no início de cada semestre uma listagem actualizada da investigação desenvolvida na UMinho, a ser colocada à disposição dos jornalistas - Bases de dados sobre a investigação em curso, disponibilizada aos media 2/ano S1,3,5,7/ S2,4,6,8 PRt-FL CI, UOEI, CGII AT5.3 Reuniões entre docentes/investiga-dores e jornalistas Em contacto com as UOEI, serão preparadas reuniões entre investigadores e jornalistas • Identificação de pontos críticos ao nível da comunicação da ciência – S1,3,5,7/ S2,4,6,8 PRt-FL CI, UOEI, CGII • Edição de textos sobre a comunicação da ciência, enfatizando a relação entre académicos e jornalistas – AT 5.4 Dias Abertos Estabelecer um calendário de Dias Abertos nas UOEI, promovendo actividades nessas datas - Actividades de divulgação do trabalho das UOEI 11/ano S1-2/ S3-8 PRt-FL UOEI, GCII • Eventos protocolares – AT5.5 UMinho nas redes sociais Estabelecer o perfil de contas a abrir nas redes sociais • Abertura de Contas/Registos da Uminho em diferentes redes sociais – S2-3/ S4-8 PRt-FL DTSI, GCII Criar estratégias para a produção de informação nessas redes, garantindo uma actualização permanente de conteúdos AT5.6 Promover a imagem da UMinho Criar estratégias de marketing para promover a UMinho - Campanhas de marketing 1/ano S2/ S3-8 PRt-FL GCII • Monitorização da divulgação da imagem da UMinho – AT5.7 Divulgar o trabalho da UMinho junto de públicos diferenciados Identificar públicos diferenciados para divulgar a Universidade do Minho, nomeadamente junto de escolas, empresas e outras instituições, consideradas de relevância estratégica para a Universidade - Acções de divulgação da UMinho junto a públicos estratégicos diferenciados 6/ano S1/ S2-8 PRt-FL Unidades, GCII Criar um calendário e uma estratégia de divulgação do trabalho da UMinho • Estratégia e calendário de divulgação – - Indicadores; • Produtos * Planeamento/ Implementação/ Acompanhamento (semestres 1 a 8)
  28. 28. Plano da Qualidade - 2010 - Plano UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 28 de 43 Quadro2.8 – Medidas transversais (Cont.) Acção Estratégia/Metodologia Indicadores/Produtos Metas 2009-13 Calendarização* Responsabilidade Coordenação Execução MT06 – Associativismo estudantil e práticas desportivas e culturais AT6.1 Apoiar manifestações culturais e desportivas Consolidar a relação com a AAUM e outras estruturas de estudantes e trabalhadores, com vista à promoção de eventos culturais e desportivos - Nº de eventos culturais e desportivos 12/ano S1/ S2-8 Rt SASUM AT6.2 Sede AAUM Apoiar politicamente a AAUM na viabilização do processo de construção da nova sede em Gualtar • Protocolo institucional de enquadramento – S1-2/ S3-6 Rt VRt-JM • Projecto de arquitectura e especialidades – • Quadro de financiamento – • Construção – AT6.3 Fundação AAUM Estudar com a AAUM a redefinição da missão da fundação e a sua activação • Activação da Fundação AAUM – S2-3/ S4/ S5-8 Rt PRt-CV AT6.4 RUM Apoiar a AAUM na procura de instalações adequadas para a RUM e promover uma maior interacção da rádio com as UOEI • Instalações adequadas para a RUM – S2-3/ S4-5/ S6-8 Rt VRt-JM, ST - Iniciativas conjuntas RUM - UOEI 5/ano Rt RUM, UOEI MT07 – Inclusão AT7.1 Acessibilidades Envolver e motivar as UOEI e os serviços para a necessidade de reforçar o acesso à informação e aos diferentes espaços e funcionalidades, pelos diferentes grupos de estudantes com necessidades especiais • Quantificação de situações de falta de acessibilidade para os estudantes com necessidades especiais – S1/ S2-8 VRt-GD GPI, UOEI, Serviços AT7.2 GPI Consolidar a estrutura e capacidade de intervenção do Gabinete para a Inclusão • Melhoria dos indicadores do GPI – S2/ S3/ S4-8 VRt-GD GPI - Indicadores; • Produtos * Planeamento/ Implementação/ Acompanhamento (semestres 1 a 8)
  29. 29. Plano da Qualidade - 2010 - Plano UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 29 de 43 Quadro2.8 – Medidas transversais (Cont.) Acção Estratégia/Metodologia Indicadores/Produtos Metas 2009-13 Calendarização* Responsabilidade Coordenação Execução MT08 – Antigos estudantes AT8.1 Percursos de antigos estudantes e Networking Cooperação com a Associação de Antigos Estudantes da Universidade do Minho, com os Pioneiros da UMinho e com outras estruturas, de modo a recuperar percursos de ex-alunos e fomentar uma ligação mais estreita entre eles e a Universidade Procurar percursos relevantes de ex-alunos - Protocolos de cooperação com associações de ex-alunos 1/ano S2-3/ S4-8 Rt PRt-FL, associações de ex- alunos • Divulgação no Portal da Universidade do Minho de informação relevante sobre os ex- alunos – PRt-FL UOEI, associações de ex-alunos, GCII AT8.2 Articulação com a AAEUM e outras estruturas Integrar os ex-alunos da Universidade em iniciativas promovidas pela UMinho - Co-organização de eventos com os ex-alunos da UMinho 3/ano S2/ S3-8 Rt, PRt-FL PRt-FL, associações de ex- alunos • Iniciativas de divulgação da UMinho com a participação de ex- alunos – MT09 – Associativismo na comunidade de trabalhadores AT9.1 Associativismo de trabalhadores da Universidade Colaboração activa com a AFUM e outras associações de trabalhadores da UMinho, com vista nomeadamente ao estabelecimento de acordos por objectivos e à divulgação das actividades associativas no portal da UMinho - Acordos com as organizações dos trabalhadores da UMinho 1/ano S1-2/ S3-8 Rt • Colaboração na implantação de uma creche na UMinho – Rt VRt-JM • Divulgação das actividades associativas no portal da UMinho – PRt-FL Associações de trabalhadores, GCII - Indicadores; • Produtos * Planeamento/ Implementação/ Acompanhamento (semestres 1 a 8)
  30. 30. Plano da Qualidade - 2010 - Plano UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 30 de 43 Quadro2.8 – Medidas transversais (Cont.) Acção Estratégia/Metodologia Indicadores/Produtos Metas 2009-13 Calendarização* Responsabilidade Coordenação Execução MT10 – Formação AT10.1 Programas de formação para trabalhadores não- docentes e não- investigadores Criação de um grupo de trabalho que permita a discussão e definição de um quadro de necessidades de formação na UMinho • Plano de Formação, anual, para os trabalhadores não docentes e não-investigadores – S1,4,7/ S2,5,8/ S3,6 VRt-MP Grupo de trabalho AT10.2 Formação pelos serviços centrais Reforço de iniciativas de formação ao pessoal das UOEI, por parte dos serviços centrais, como forma de aumentar o conhecimento dos processos e de melhorar o entrosamento entre serviços - Nº de acções de formação promovidas pelos serviços centrais 20/ano S1/ S2-8 VRt-MP Serviços, UOEI MT11 – Apoio social e médico AT11.1 Apoio médico à comunidade académica Reforçar o apoio médico a diferentes grupos da comunidade académica, com base em iniciativas do SASUM - Nº de pessoas envolvidas 500/ano S1/ S2-3/ S4-8 Rt SASUM AT11.2 Medicina, higiene e segurança no trabalho Desenvolvimento de um plano de acção para assegurar o cumprimento da lei no domínio da medicina, higiene e segurança no trabalho - Nº de acções e de trabalhadores envolvidos 1 acção/ano 2000 trab./ano S2/ S3-4/ S5-8 Rt Administrador, SASUM AT11.3 Alojamento social para alunos de pós-graduação Aumento da oferta de alojamento social para alunos de pós-graduação, com base em parcerias com as autarquias de Braga e de Guimarães - Nº de quartos / apartamentos 20/ano S2-3/ S4-6/ S7-8 Rt VRt-JM, SASUM AT11.4 Iniciativas da comunidade académica Abertura para apoiar política e tecnicamente iniciativas relevantes resultantes da proactividade da comunidade académica - Nº de acções apoiadas 6/ano / S1-8 Rt VRt-JM, SASUM - Indicadores; • Produtos * Planeamento/ Implementação/ Acompanhamento (semestres 1 a 8)
  31. 31. Plano da Qualidade - 2010 - Plano UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 31 de 43 Quadro2.8 – Medidas transversais (Cont.) Acção Estratégia/Metodologia Indicadores/Produtos Metas 2009-13 Calendarização* Responsabilidade Coordenação Execução MT12 – Aproximação dos serviços AT12.1 Transição de serviços para os campi Transição gradual de serviços para os campi Avaliar a possibilidade de criação de uma Loja do Utilizador em Azurém Elaboração de plano que preveja o alojamento em Gualtar dos serviços com maiores exigências infra-estruturais - Nº de serviços e de funções transferidos 2/ano S2-3/ S1, 4-8 Rt VRts, Serviços MT13 – Funcionamento dos campi AT13.1 Abertura à sociedade Promover a abertura progressiva dos campi às cidades de Braga e Guimarães, nomeadamente viabilizando a realização de iniciativas culturais e desportivas - Nº de eventos nos campi abertos à sociedade 80/ano S1/ S2-8 Rt UOEI, Conselho Cultural, SASUM AT13.2 Alargamento de horários de utilização Criar condições para o alargamento do horário de abertura dos campi, envolvendo os ST - Nº de horas de abertura de instalações para além dos horários habituais 12 horas – semana/ano S1/ S2-8 Rt VRt-JM, ST, SASUM - Indicadores; • Produtos * Planeamento/ Implementação/ Acompanhamento (semestres 1 a 8)
  32. 32. Plano da Qualidade - 2010 - Plano UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 32 de 43 Quadro2.8 – Medidas transversais (Cont.) Acção Estratégia/Metodologia Indicadores/Produtos Metas 2009-13 Calendarização* Responsabilidade Coordenação Execução MT14 – Infra-estruturas AT14.1 Plano de investimentos Consolidação do Plano de Investimentos e elaboração das candidaturas a financiamento, envolvendo o GAC e os ST e, quando possível, exploração das possibilidades das Parcerias Público-Privadas • Plano de Investimentos da UMinho – S1-2/ S3-8 Rt VRt-JM, GAC, ST • Edifícios construídos (dependente de financiamento) – AT14.2 Infra-estruturas desportivas Projectar e encontrar soluções de financiamento para infra-estruturas desportivas e de lazer • Infra-estruturas desportivas construídas (dependente de financiamento) – S1-2/ S3-8 VRt-JM SASUM, ST AT14.3 Arranjos exteriores Concluir os arranjos exteriores dos campi de Azurém e de Gualtar, em articulação com as Autarquias • Arranjo do Parque Central e acessos ao campus de Gualtar – S1-2/ S3-8 VRt-JM ST • Conclusão do arranjo do Parque das Escolas e da zona Este do campus de Azurém – AT14.4 Espaços Bolonha Reformular espaços pedagógicos e bibliotecas e alargar os respectivos horários • Espaços pedagógicos e bibliotecas reformulados (dependente de financiamento) – S1-2/ S3-8 VRt-JM ST AT14.5 Edifícios no centro de Braga Recuperar, após redefinição do respectivo enquadramento, o parque de edifícios da Universidade na cidade de Braga, em articulação com a autarquia - Nº de edifícios intervencionados na cidade de Braga 2 S1-2/ S3-8 VRt-JM ST AT14.6 Comunicações Reforçar a infra-estrutura de comunicações de dados e voz, explorando as oportunidades do Braga Digital. - Nº médio anual de incidentes com indisponibilidade total do serviço 5 S1-2/ S3-8 VRt-JM SCOM MT15 – Regime Jurídico AT15.1 Regime fundacional Propor ao Conselho Geral a criação de um grupo de trabalho para analisar as vantagens e as desvantagens do modelo fundacional, face à realidade da UMinho • Decisão sobre o eventual avanço para o modelo fundacional – S1/ S2-3 CG, Rt - Indicadores; • Produtos * Planeamento/ Implementação/ Acompanhamento (semestres 1 a 8)
  33. 33. Plano da Qualidade - 2010 - Apêndice UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 33 de 43 3. Apêndice 3.1 Escala de medida para indicadores do tipo “grau de desenvolvimento” Com este tipo de indicadores pretende-se apreciar o estádio de desenvolvimento de um “produto”, que pode ser por exemplo a implementação de uma infra-estrutura, o desenvolvimento de um processo ou regulamento, ou a preparação de um documento (portefólio, manual, relatório, parecer, ...). A escala adoptada desenvolve-se em quatro níveis, com a caracterização genérica a seguir especificada.  Grau 1 – Inexistente: Existe a ideia de desenvolver o produto, mas não se efectuou ainda o respectivo planeamento, em termos da especificação do produto, das acções concretas a desenvolver e da identificação das pessoas responsáveis, e/ou não se iniciou ainda o seu desenvolvimento.  Grau 2 – Emergente: Existem especificações suficientes para o produto, foi efectuado o planeamento das acções necessárias para a sua prossecução, incluindo a identificação nominal dos actores a envolver, e iniciou-se o seu desenvolvimento, mas ainda de forma incipiente e mal documentada.  Grau 3 – Em desenvolvimento: Os aspectos fundamentais do produto já estão desenvolvidos e minimamente documentados, mas o produto encontra-se ainda em fase de experimentação, validação ou documentação.  Grau 4 – Desenvolvido: O produto está completamente desenvolvido e devidamente documentado.
  34. 34. Plano da Qualidade - 2010 - Anexo UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 34 de 43 4. Anexo 4.1 Medidas vectoriais, medidas transversais e planos de acção As medidas vectoriais são postas em prática através de acções específicas ou integradas em projectos mobilizadores. Nos Quadros 4.1 a 4.7, a seguir apresentadas, são especificadas as acções a desenvolver, indicando-se o impacto esperado e as interacções relevantes de cada acção, seja no vector a que directamente dizem respeito, seja em outros vectores. Por sua vez, no Quadro 4.8, são listadas as acções através das quais se pretende concretizar as medidas transversais, com vista a responder aos desafios estruturais identificados no Programa de Acção para o quadriénio 2009-2013 2 . 2  Programa de Acção para o quadriénio 2009‐2013, p. 8. 
  35. 35. Plano da Qualidade - 2010 - Anexo UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 35 de 43 Quadro 4.1 – Vector 1: Consolidar a investigação, respondendo aos desafios do conhecimento. Acções a implementar e nível de impacto nas respectivas medidas. Acções V1-M1Mapeamentodos centros V1-M2Parceriasestratégicas V1-M3Internacionalização V1-M4Apoioaprojectos V1-M5Redeseprojectos multidisciplinares Outrosvectores AV1.1 Proceder à análise estratégica das actividades dos centros, identificando constrangimentos e oportunidades para perspectivar estratégias de desenvolvimento, consolidar infra-estruturas de investigação e melhorar a integração dos investigadores nas actividades da Universidade. V2 V4 AV1.2 Criar e dinamizar um Fórum dos Centros de Investigação, no âmbito do Senado Académico. V4 AV1.3 Elaborar o portefólio de competências científicas da Universidade, destacando grupos e centros onde se desenvolve investigação de reconhecida qualidade segundo parâmetros internacionais. V2 V3 V4 AV1.4 Identificar necessidades de parcerias institucionais e seleccionar parceiros adequados, nomeadamente em domínios de alargamento das actividades de investigação e de ensino. V2 V3 AV1.5 Desencadear processos tendentes à constituição de uma parceria estratégica com o Laboratório Ibérico de Nanotecnologia (INL). V2 AV1.6 Intensificar a mobilidade de investigadores e de estudantes de pós- graduação no Espaço Europeu de Investigação. V2 AV1.7 Consolidar o projecto Repositorium e lançar iniciativa similar relativa a dados de investigação. AV1.8 Disponibilizar on-line informação sobre os projectos de investigação em desenvolvimento na Universidade, para consulta interna e externa. V3 V7 AV1.9 Reformular as estruturas de apoio a projectos, em termos de informação, apoio a candidaturas, acompanhamento e gestão, bem como promover a formação de técnicos de gestão de investigação. V3 AV1.10 Promover projectos multidisciplinares mobilizadores com impactos multi- sectoriais, apoiando a sua concepção e desenvolvimento. V3 V7 impacto elevado impacto moderado
  36. 36. Plano da Qualidade - 2010 - Anexo UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 36 de 43 Quadro 4.2 - Vector 2: Valorizar a oferta formativa e a educação integral. Acções a implementar e nível de impacto nas respectivas medidas. Acções V2-M1Gestãointegrada V2-M2Crescimento V2-M3Educaçãoàdistância V2-M4Ensino/Aprendizagem V2-M5Marcaidentitária Outrosvectores AV2.1 Criar um portefólio de unidades curriculares, visando a divulgação e a gestão da oferta educativa. V1 V4 AV2.2 Expandir a oferta educativa ao nível dos cursos de graduação, em regime pós-laboral e para novos públicos. V3 AV2.3 Expandir a oferta de formação pós-graduada, explorando as oportunidades de públicos específicos, no âmbito de protocolos com entidades públicas ou privadas, e a cooperação com universidades estrangeiras, incluindo as galegas. V1 V3 V6 AV2.4 Definir o quadro de criação de Escolas Doutorais da Universidade ou por ela participadas, nomeadamente ao nível de parcerias internacionais. V1 AV2.5 Incentivar a realização de Escolas de Verão, como estratégia de captação de alunos de pós-graduação e de internacionalização. V1 AV2.6 Consolidar as parcerias com os Países de Língua Oficial Portuguesa no quadro da extensão da oferta educativa. V3 AV2.7 Generalizar o uso de plataformas e-learning, como ferramentas de ensino à distância e de gestão pedagógica. AV2.8 Criar o Centro de Apoio ao Ensino, vocacionado para a promoção de práticas pedagógicas adequadas. V4 AV2.9 Lançar um programa piloto de leccionação em língua inglesa. V3 AV2.10 Promover a integração de competências académicas transversais nos currículos dos diferentes ciclos de estudos. V4 impacto elevado impacto moderado
  37. 37. Plano da Qualidade - 2010 - Anexo UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 37 de 43 Quadro 4.3 - Vector 3: Aprofundar a interacção com a sociedade. Acções a implementar e nível de impacto nas respectivas medidas. Acções V3-M1Consórcios V3-M2Participações V3-M3Incubaçãoe empreendedorismo V3-M4Iniciativas culturais V3-M5Projectos mobilizadores Outrosvectores AV3.1 Desenvolver e consolidar um Programa de Cooperação Internacional, envolvendo nomeadamente as economias emergentes e os Países de Língua Oficial Portuguesa. V1 V2 AV3.2 Aprofundar a participação no projecto Quadrilátero Urbano para a Competitividade, a Inovação e a Internacionalização, que integra as cidades de Braga, Guimarães, Barcelos e Famalicão. V1 AV3.3 Participar activamente na iniciativa Guimarães CEC2012. V1 AV3.4 Programa UM-Living Lab - transformar os campi em espaços avançados de demonstração de soluções tecnológicas e modelos comportamentais, através de parcerias selectivas. V1 V2 AV3.5 Programa Minho Talento Internacional – colocar Braga e Guimarães como Região de referência na atracção e retenção de talento internacional, em parceria com as respectivas autarquias e o INL. V1 V2 AV3.6 Consolidar e integrar as actividades das entidades participadas, incluindo: - mapeamento das actividades das entidades participadas pela Universidade e introdução de eventuais realinhamentos; - definição do quadro de participação da Universidade em entidades de natureza fundacional, associativa ou societária. V1 V2 V6 AV3.7 Estudar a viabilidade da Incubadora das Indústrias Criativas, no âmbito do cluster das Indústrias Criativas no Norte de Portugal. V1 V2 AV3.8 Reforçar a incubação de novas empresas, designadamente através do respectivo acolhimento na Incubadora do AvePark. V1 V2 AV3.9 Programa Meetings & Networking - animar espaços de encontro regular para contacto informal entre a comunidade académica e os agentes dos sectores empresarial, cultural, educacional, governamental e associativo. V1 V2 V6 AV3.10 Criar os Clubes do Conhecimento UMinho em escolas secundárias, estruturando parcerias para a divulgação da cultura científica. V1 V2 AV3.11 Programa Iniciativas Culturais - desenvolver uma agenda cultural, em parceria com autarquias e outras entidades públicas e privadas, mobilizando as unidades culturais e outros grupos da Universidade. V2 AV3.12 Projecto Centro de Línguas – estrutura de interface para apoiar a construção de uma Universidade bilingue e prestar serviços à comunidade. V1 V2 V6 AV3.13 Promover o Festival de Outono - iniciativa que visa integrar diversos eventos culturais, a realizar por ocasião do início de cada ano lectivo. V2 impacto elevado impacto moderado
  38. 38. Plano da Qualidade - 2010 - Anexo UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 38 de 43 Quadro 4.4 - Vector 4: Reforçar os sistemas de avaliação e de gestão da qualidade e promover a ética académica. Acções a implementar e nível de impacto nas respectivas medidas. Acções V4-M1Sistemaqualidade V4-M2Avaliação interna/externa V4-M3Avaliaçãopessoal docente V4-M4Benchmarking V4-M5Ética Outrosvectores AV4.1 Validar o referencial do sistema de qualidade e definir a sua estratégia de implementação e monitorização, nomeadamente ao nível dos mecanismos de avaliação interna previstos. V1 V2 V3 AV4.2 Criar o Observatório da Oferta Educativa, visando aferir a relevância e adequação desta oferta, bem como os percursos escolares e profissionais dos alunos. V2 V3 AV4.3 Envolver a Universidade em práticas de avaliação externa periódica e consequente seguimento. V1 V2 V3 AV4.4 Regulamentar e implementar o sistema de avaliação de pessoal docente e investigador. V1 V2 V3 AV4.5 Aperfeiçoar as práticas internas de avaliação de pessoal não-docente e não-investigador, tornando mais objectiva e robusta a definição de objectivos individuais e a atribuição das respectivas classificações. V5 AV4.6 Atribuir prémios de mérito científico, de mérito pedagógico e outros, nomeadamente no âmbito de actividades não-académicas. V1 V2 AV4.7 Criar mecanismos de flexibilização na atribuição de serviço docente. V1 V2 V3 AV4.8 Divulgar práticas de mérito. V1 V2 V3 V5 V7 AV4.9 Desenvolver exercícios de benchmarking, com base em padrões e indicadores internacionais. V1 V2 V3 V5 V7 AV4.10 Propor a criação de uma Comissão de Ética Académica, a funcionar no âmbito do Senado Académico. V1 V2 AV4.11 Elaborar um Código de Conduta Académica. V1 V2 AV4.12 Lançar um programa de combate à fraude académica. V2 impacto elevado impacto moderado
  39. 39. Plano da Qualidade - 2010 - Anexo UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 39 de 43 Quadro 4.5 - Vector 5: Promover a descentralização e a gestão descentralizada. Acções a implementar e nível de impacto nas respectivas medidas. Acções V5-M1Orçamentosglobais V5-M2Gestãodeproximidade V5-M3Desmaterialização V5-M4Procedimentos V5-M5AutonomiadasEscolas/ Institutos Outrosvectores AV5.1 Reorganizar os serviços da UMinho numa lógica de gestão desconcentrada e de melhoria contínua dos processos, no quadro das novas exigências estatutárias. V1 V2 V3 V4 AV5.2 Racionalizar e simplificar práticas administrativas, evitando a duplicação de processos nas unidades orgânicas e nos serviços, garantindo o estabelecimento, divulgação e controlo de procedimentos e normas adequados, no quadro do programa Universidade sem papel (AV7.6). V1 V2 V3 V4 V7 AV5.3 Divulgar as melhores práticas de interacção entre processos e unidades orgânicas, no âmbito da coordenação de actividades entre o Administrador e os Secretários das Escolas/Institutos. V1 V2 V3 V4 AV5.4 Elaborar e divulgar o Balanço Social Anual e o Mapa de Pessoal, enquanto instrumentos de planeamento e gestão, indutores de transparência e visibilidade, nomeadamente nos processos de decisão sobre promoção e progressão de recursos humanos não-docentes e não- investigadores. V1 V4 AV5.5 Definir objectivos e monitorar indicadores ao nível de unidade e subunidade orgânica, bem como de unidade de serviços. V2 V3 V4 AV5.6 Definir o quadro de estabelecimento de contratos-programa com as unidades orgânicas, com base em objectivos acordados e monitorizáveis. V1 V2 AV5.7 Elaborar orçamentos globais por unidade orgânica, de forma a reforçar o seu envolvimento na prossecução de objectivos comuns à Universidade, a participação no fundo de coesão, a co-responsabilização na gestão financeira e a captação de recursos. V2 V3 AV5.8 Realizar a cerimónia de entrega das cartas de curso de licenciatura e mestrados integrados ao nível de Escola/Instituto, em eventos protocolares de geometria variável tendo em conta a dimensão das unidades orgânicas. V2 AV5.9 Institucionalizar a celebração do Dia da Escola/Instituto, como mecanismo de divulgação de actividade e de reforço da ligação externa das unidades orgânicas. V3 AV5.10 Melhorar o sistema de informação, concretizando a integração de todos os serviços numa intranet única e fomentando um clima organizacional que garanta uma melhor interface entre serviços. V1 V2 V3 V4 V7 impacto elevado impacto moderado
  40. 40. Plano da Qualidade - 2010 - Anexo UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 40 de 43 Quadro 4.6 - Vector 6: Garantir o equilíbrio financeiro. Acções a implementar e nível de impacto nas respectivas medidas. Acções V6-M1Contabilidadedecustos V6-M2Custostotais V6-M3Aumentonúmerode estudantesoferta V6-M4Captaçãodereceita V6-M5Distribuiçãoderecursos Outrosvectores AV6.1 Promover a contabilidade de custos e o funcionamento em custos totais. V1 V2 V3 V5 V7 AV6.2 Valorizar os activos intangíveis, como a formação e a investigação, e avaliar o seu impacto no sistema de informação financeira. V1 V2 V4 V5 V7 AV6.3 Identificar e elaborar indicadores de retorno e de orientação, considerados importantes para a análise sistemática da eficácia dos processos, controlo e auditoria interna, e para a elaboração do Plano Estratégico de Médio Prazo e do Plano de Acção para o Quadriénio. V1 V2 V3 V4 V5 AV6.4 Promover a consolidação interna das contas da Universidade e a pública divulgação do Relatório de Contas, nos termos da legislação em vigor. V1 V2 V3 V5 AV6.5 Elaborar o Plano de Sustentabilidade Financeira a médio prazo, prevendo, nomeadamente, a diversificação das fontes de financiamento, incentivos à captação de receitas adicionais e reduções de custos. V1 V2 V3 V4 V5 V7 AV6.6 Avaliar e estimar o efeito de políticas alternativas de prémios, propinas e de retenção de overheads. V1 V2 V3 V5 AV6.7 Garantir a estabilização e a divulgação de um modelo de distribuição de recursos humanos e financeiros, com base em critérios objectivos baseados em valores-padrão e indicadores de desempenho. V1 V2 V4 V5 impacto elevado impacto moderado
  41. 41. Plano da Qualidade - 2010 - Anexo UNIVERSIDADE DO MINHO Editado em: 29-06-2010 Emissor: Serviços para a Garantia da Qualidade Página 41 de 43 Quadro 4.7 - Vector 7: Assumir opções e práticas sustentáveis. Acções a implementar e nível de impacto nas respectivas medidas. Acções V7-M1Culturadesustentabilidade V7-M2Mobilidadesustentável V7-M3Sustentabilidadeenergética V7-M4Informaçãoambiental V7-M5Gestãodocumental Outrosvectores AV7.1 Implementar o Plano de Promoção de Práticas Ambientalmente Sustentáveis, adoptando a abordagem metodológica das Agendas 21 Locais, adaptada à escala dos campi. V2 AV7.2 Criar condições favoráveis ao desenvolvimento dos modos suaves (deslocações em bicicleta e a pé), à utilização de transportes colectivos, veículos eléctricos ou híbridos, bem como à adopção de práticas de mobilidade mais sustentáveis como car-sharing, car-pooling ou outras. V1 V2 AV7.3 Promover a utilização de veículos eléctricos ou híbridos, nomeadamente através da instalação de infra-estruturas de carregamento. V1 AV7.4 Estudar e implementar faseadamente nos campi uma rede eléctrica inteligente, que inclua soluções avançadas de microgeração de energia eléctrica distribuída e respectiva gestão eficiente, recorrendo a fontes renováveis. V1 V6 AV7.5 Criar o Sistema de Informação Ambiental dos campi, a disponibilizar através da Internet, que incluirá informação de longo termo relativamente à monitorização do ruído, qualidade do ar, tráfego e estacionamento, bem como às emissões de carbono. V1 V2 AV7.6 Programa Universidade sem papel - generalização do procedimento de digitalização de documentos à entrada e de distribuição electrónica, adoptando progressivamente tecnologias que permitam adicionar informação por via electrónica, incluindo assinaturas digitais. V5 V6 impacto elevado impacto moderado

×