FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS

FORMAÇÃO DE
AUDITORES INTERNOS

MEIRELLES ASSESSORIA & COMÉRCIO

Meirelles Assessoria e Co...
FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS

Conteúdo Programático
-Introdução
-Conceito de qualidade
-Histórico da qualidade
-Origem d...
FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS
O que você entende por qualidade ?
O que você entende por qualidade nos produtos ?
O que vo...
FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS
EVOLUÇÃO DA QUALIDADE NO MUNDO
3000 AC

BABILÔNIA

UNIDADES UNIFORMES DE PESOS E
MEDIDAS

1...
FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS

NORMAS DE REFERÊNCIA – ISO9001 E ISO/TS 16949

- ISO9001 E ISO/TS 16949
- REQUISITOS ESPEC...
FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS
TERMOS COMUNS DA QUALIDADE

SHALL – DEVE
SHOULD – DEVERIA
TYPICAL, EXAMPLES – USO COMO GUIA...
FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS
FATO OU INFERÊNCIA ?
EVIDÊNCIA OBJETIVA OU FATO:
Declaração que pode ser determinada atravé...
FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS
O QUE É UMA AUDITORIA?
Exame sistemático e independente para verificação da
adequação das a...
FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS

TIPOS DE AUDITORIA

De primeira parte

De segunda parte

De terceira parte

VOCE
OLHANDO
P...
FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS
As auditorias podem cobrir o sistema em sua
totalidade ou parcialmente, porém é sempre
impo...
FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS
1ª FASE DE UMA AUDITORIA - PLANEJAMENTO
INICIO

DEFINIR ALCANCE E
OBJETIVOS DA
AUDITORIA

S...
FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS
2ª FASE DE UMA AUDITORIA - EXECUÇÃO
INICIO

REUNIÃO DA EQUIPE
AUDITORA

REUNIÃO DE
ABERTURA...
FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS
EXECUTANDO UMA AUDITORIA

QUEM FAZ ?
O QUE FAZ ?
COMO FAZ ?
QUANDO FAZ ?

PERGUNTAS
BÁSICAS...
FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS
EXECUTANDO UMA AUDITORIA
APRESENTE-SE E ESCLAREÇA OS
OBJETIVOS DA AUDITORIA
COLOQUE O AUDIT...
FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS
CARACTERÍSTICAS BOAS PARA UM AUDITOR

IMPARCIALIDADE

EXPRESSÃO

PROFISSIONALISMO

TREINAME...
FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS
CARACTERÍSTICAS RUINS PARA UM AUDITOR

TEIMOSIA

INSEGURANÇA

MÁ REDAÇÃO

DESORGANIZAÇÃO

A...
FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS
LIDANDO COM SITUAÇÕES DIFÍCEIS
-REMOVA OS FATORES DE AMEAÇA
-REALCE O PROPÓSITO DA AUDITORI...
FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS
LIDANDO COM SITUAÇÕES DIFÍCEIS
-PEÇA-LHE AJUDA PARA ENTENDER A RAIVA
-PEÇA IDEIAS OU SUGEST...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Auditoria interna0

1.102 visualizações

Publicada em

Apostila contendo base para formação de auditores internos.

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.102
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
112
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Auditoria interna0

  1. 1. FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS MEIRELLES ASSESSORIA & COMÉRCIO Meirelles Assessoria e Comércio 011-81752746 011-49900130
  2. 2. FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS Conteúdo Programático -Introdução -Conceito de qualidade -Histórico da qualidade -Origem das normas ISO900X -Auditorias - Tipos de auditoria - Perfil do Auditor - Comportamento - Registro de não conformidades - Relatório de Auditoria
  3. 3. FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS O que você entende por qualidade ? O que você entende por qualidade nos produtos ? O que você entende por qualidade em serviços ? CLIENTE FORNECEDORES PROPRIETÁRIOS COLABORADORES QUALIDADE NO PRODUTO QUALIDADE NOS SERVIÇOS OPORTUNIDADE DE CONTINUIDADE NOS NEGÓCIOS - RETORNO SOBRE INVESTIMENTOS - CONTINUIDADE DOS NEGÓCIOS SATISFAÇÃO NO TRABALHO MANUTENÇÃO DO EMPREGO
  4. 4. FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS EVOLUÇÃO DA QUALIDADE NO MUNDO 3000 AC BABILÔNIA UNIDADES UNIFORMES DE PESOS E MEDIDAS 1450 AC TEBAS PINTURAS EGIPCIAS COM CORTE E MEDIÇÃO DE PEDRAS SÉCULO XI INGLATERRA OFICIAIS REAIS COM PODER PARA EXIGIR UNIFORMIZAÇÃO 1664 INGLATERRA CONSTRUÇÃO NAVAL AVALIANDO QUALIDADE DA MADEIRA E LONAS P/ VELAS IDADE MÉDIA ARTESÃOS COMPRA FABRICAÇÃO CONTROLE E VENDAS SÉCULO XVIII REVOLUÇÃO INDUSTRIAL QUALIDADE DO PRODUTO ATRAVÉS DE INSPEÇÕES ANOS 20 SHEWART CEP PARA CONTROLE DURANTE O PROCESSO DEMING AUTO CONTROLE CEP + PDCA ISHIKAWA CCQ FEIGENBAUN QUALIDADE NO PROCESSO + CONCEITO DE QUALIDADE TOTAL ANOS 80 ISO 9000 PADRONIZAÇÃO DA QUALIDADE EM SISTEMAS ANOS 90 EM DIANTE QS 9000 ANOS 50 ISO/TS 16949 REQUISITOS ESPECÍFICOS P/ AUTOMOBILÍSTICAS + REQUISITOS ESPECÍFICOS DE CADA CLIENTE AUTOMOTIVO
  5. 5. FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS NORMAS DE REFERÊNCIA – ISO9001 E ISO/TS 16949 - ISO9001 E ISO/TS 16949 - REQUISITOS ESPECÍFICOS DOS CLIENTES E DA ORGANIZAÇÃO - CONTROLE FORNECEDORES COMPLEMENTOS DA ISO9001 E ISO/TS 16949 APQP – PLAN. AVANÇ. QUAL. PROD. E PLANOS CONTR. FMEA – ANÁLISE MODO E EFEITO DE FALHAS CEP – CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSO MSA – ANÁLISE DOS SISTEMAS DE MEDIÇÃO PPAP – PROCESSO DE APROVAÇÃO DE PEÇA DE PRODUÇÃO
  6. 6. FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS TERMOS COMUNS DA QUALIDADE SHALL – DEVE SHOULD – DEVERIA TYPICAL, EXAMPLES – USO COMO GUIA NOTE – ESCLARECIMENTOS BENCHMARKING – PADRÕES DE EXCELÊNCIA CUSTOS DA NÃO QUALIDADE – PERDAS ESTUDO INICIAL DE PROCESSO – DESEMPENHO DE PROCESSOS NOVOS OU REVISADOS PPM - PARTES POR MILHÃO REPARO – ADEQUAÇÃO AO USO E NÃO AO REQUISITO RETRABALHO – ADEQUAÇÃO AO USO E REQUISITO
  7. 7. FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS FATO OU INFERÊNCIA ? EVIDÊNCIA OBJETIVA OU FATO: Declaração que pode ser determinada através de observações, medições, ensaios ou outros meios, permitindo ao auditor uma síntese indubitável sobre o fato ocorrido, ou seja, temos evidências que comprovam a afirmação. INFERÊNCIA Declaração feita sobre algo desconhecido ou de pouco domínio, baseado no que se conhece ou acredita. “Teoria do achismo”.
  8. 8. FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS O QUE É UMA AUDITORIA? Exame sistemático e independente para verificação da adequação das atividades aos requisitos especificados O que auditar? SISTEMAS PRODUTOS PROCESSOS SERVIÇOS Quem audita? AUDITORES INTERNOS INDEPENDENTES DA ATIVIDADE AUDITADA AUDITORES SUBCONTRATADOS QUALIFICADOS AUDITORES TÉCNICOS CONVIDADOS PARA APOIO Por que auditar? AVALIAR A CONFORMIDADE DO SISTEMA OU ATIVIDADE AUDITADA IDENTIFICAR OPORTUNIDADES DE MELHORIA
  9. 9. FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS TIPOS DE AUDITORIA De primeira parte De segunda parte De terceira parte VOCE OLHANDO PARA VOCE MESMO O CLIENTE OLHANDO PARA VOCE OU VOCE PARA SEU FORNECEDOR A CERTIFICADORA OLHANDO PARA VOCE E O CLIENTE ACEITANDO
  10. 10. FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS As auditorias podem cobrir o sistema em sua totalidade ou parcialmente, porém é sempre importante frisar que esta tenha sido realizada por amostragem. A existência de não-conformidades não implica na falência do sistema, assim como a ausência delas não implica na adequação total do sistema auditado. As auditorias internas são as mais importantes, pois requerem que olhemos para nosso próprio sistema, procedimentos, produtos e atividades, em busca de sua adequação. As auditorias internas fornecem a alta administração as informações sobre o sistema da qualidade e seus indicadores, sobre os produtos e processos e sobre a necessidade ou não de adequações. As auditorias internas podem ser realizadas pelo pessoal da empresa ou por auditores terceirizados.
  11. 11. FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS 1ª FASE DE UMA AUDITORIA - PLANEJAMENTO INICIO DEFINIR ALCANCE E OBJETIVOS DA AUDITORIA SELECIONAR EQUIPE AUDITORA - DOCUMENTOS DE AUDITORIAS ANTERIORES - REGISTROS DE NÃO CONFORMIDADE IDENTIFICAR E COLETAR DADOS ELABORAR LISTAS DE VERIFICAÇÃO DESENVOLVER O PLANO DE AUDITORIA CONFIRMAR PLANO COM OS AUDITADOS FINAL - PROCEDIMENTOS - MANUAL QUALIDADE - NORMAS
  12. 12. FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS 2ª FASE DE UMA AUDITORIA - EXECUÇÃO INICIO REUNIÃO DA EQUIPE AUDITORA REUNIÃO DE ABERTURA COM AUDITADOS EXECUÇÃO DA AUDITORIA (CONCENSAR NÃO CONFORMIDADES) REUNIÃO DA EQUIPE AUDITORA N AUDITORIA COMPLETA? PROCEDIMENTO DA EMPRESA S REUNIÃO DE ENCERRAMENTO COM AUDITADOS FINAL PREPARAR RELATÓRIOS
  13. 13. FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS EXECUTANDO UMA AUDITORIA QUEM FAZ ? O QUE FAZ ? COMO FAZ ? QUANDO FAZ ? PERGUNTAS BÁSICAS EM UMA AUDITORIA PORQUE FAZ ? ONDE ESTÃO : OS PROCEDIMENTOS ? AS INSTRUÇÕES ? CRITÉRIOS DE ACEITAÇÃO ? DEFINIDAS RESPONSABILIDADES? REGISTROS E EVIDÊNCIAS ?
  14. 14. FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS EXECUTANDO UMA AUDITORIA APRESENTE-SE E ESCLAREÇA OS OBJETIVOS DA AUDITORIA COLOQUE O AUDITADO A VONTADE ESCLAREÇA QUE É O SISTEMA QUE ESTÁ EM AUDITORIA, NÃO A PESSOA COMO AGIR ? EVITE PALAVRAS DE CARÁTER EMOCIONAL FAÇA PERGUNTAS CLARAS E OBJETIVAS COMPARTILHE AS OBSERVAÇÕES COM O AUDITADO E ESCLAREÇA TODAS AS NÃOCONFORMIDADES : “EVITAR SURPRESAS” DE IMPORTÂNCIA AS AÇÕES CORRETIVAS E NÃO AS NÃO-CONFORMIDADES
  15. 15. FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS CARACTERÍSTICAS BOAS PARA UM AUDITOR IMPARCIALIDADE EXPRESSÃO PROFISSIONALISMO TREINAMENTO DISCIPLINA HONESTIDADE PERSISTÊNCIA PREPARAÇÃO DIPLOMACIA INTERESSE CAPACIDADE DE JULGAMENTO CAPACIDADE INQUISITIVA CAPACIDADE PARA OUVIR CAPACIDADE DE COMUNICAÇÃO CAPACIDADE DE ANÁLISE
  16. 16. FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS CARACTERÍSTICAS RUINS PARA UM AUDITOR TEIMOSIA INSEGURANÇA MÁ REDAÇÃO DESORGANIZAÇÃO ANSIEDADE MÁ COMUNICAÇÃO PRECONCEITUAÇÃO DISTRAÇÃO MÁ OBSERVAÇÃO FALTA DE TREINAMENTO DESONESTIDADE PARCIALIDADE IMPACIÊNCIA PREGUIÇA INGENUIDADE DESATENÇÃO
  17. 17. FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS LIDANDO COM SITUAÇÕES DIFÍCEIS -REMOVA OS FATORES DE AMEAÇA -REALCE O PROPÓSITO DA AUDITORIA AUDITADO NERVOSO : -FALE E MOVA-SE DEVAGAR -MANTENHA DISTÂNCIA E POSIÇÕES ADEQUADAS -FAÇA PERGUNTAS ABERTAS E AUDITADO FECHADO : CONDUTORAS -EXIJA RESPOSTAS ESCLARECEDORAS -FAÇA PERGUNTAS FECHADAS AUDITADO PERDEDOR DE TEMPO : (DETALHISTA) : -MOSTRE A LISTA DE VERIFICAÇÃO AUDITADO PERDEDOR DE TEMPO : (INTERRUPÇÕES CONSTANTES) -MUDE O LOCAL DA AUDITORIA ACOMPANHANTE QUE FALA DEMAIS -FOCALIZE ATENÇÃO NA AUDITORIA -PEÇA SUBSTITUTOS PARA ATENDER TELEFONEMAS -PEÇA SILÊNCIO PROFISSIONAL -EXPLIQUE QUE VOCE NECESSITA VERIFICAR O QUE OS OUTROS SABEM
  18. 18. FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS LIDANDO COM SITUAÇÕES DIFÍCEIS -PEÇA-LHE AJUDA PARA ENTENDER A RAIVA -PEÇA IDEIAS OU SUGESTÕES PARA AUDITADO HOSTIL : CONTINUAR A AUDITORIA -EXPLIQUE OS MOTIVOS DA AUDITORIA -PRATIQUE CONTROLE EMOCIONAL -RESPONDA AOS COMENTÁRIOS LITERAIS AUDITADO ARGUMENTADOR : DELE E NÃO AOS EMOCIONAIS - SOLICITE EVIDENCIAS QUE SUSTENTEM OS ARGUMENTOS -CHAME ATENÇÃO DELE AOS PROPÓSITOS AUDITADO QUE REVERTE A AUDITORIA : DA AUDITORIA -SOLICITE AUXILIO DE OUTRO AUDITOR DA SUA EQUIPE -ESCLAREÇA OS OBJETIVOS DA AUDITORIA AUDITADO DESINTERESSADO -REALCE A IMPORTÂNCIA DE MELHORIAS -EXPLIQUE QUE AS INFORMAÇÕES SERÃO PASSADAS A DIREÇÃO

×