Eficiência Na Aprendizagem

1.875 visualizações

Publicada em

Apresentação do capítulo 4 do livro Efficiency in Learning: evidence-based guidelines to manage cognitive load.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.875
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Eficiência Na Aprendizagem

  1. 1. Eficiência na Aprendizagem Cap. 4 – Chamar a atenção e evitar que ela fique dividida Concepção de Interfaces Interativas para Softwares Educativos Prof. Eliseo Reategui Valéria Machado
  2. 2. Do que trata o capítulo? <ul><li>Segundo Clark, Nguyen e Sweller (2006), quando os alunos estão diante de um conteúdo e uma forma de apresentação que impõem uma alta carga cognitiva, deve-se usar métodos instrucionais que tanto chamem a atenção quanto evitem a a mesma fique dividida . </li></ul>
  3. 3. Do que trata o capítulo? <ul><li>Os autores sugerem 3 guidelines: </li></ul><ul><ul><li>Ofereça orientações (pistas) e sinais que chamem a atenção para o conteúdo visual e textual mais importante. </li></ul></ul><ul><ul><li>Integre textos explicativos , colocando-os próximos aos elementos visuais aos quais fazem referência, seja em telas ou em páginas. </li></ul></ul><ul><ul><li>Integre palavras e elementos visuais usados para ensinar aplicações informáticas em um único suporte . </li></ul></ul>
  4. 4. Definição de Atenção <ul><li>Segundo Steinberg (1996, p. 69), atenção é “o fenômeno pelo qual nós processamos uma certa quantidade de informação mediante as várias informações disponíveis por meio de nossos sentidos, nossa memória e outros processos cognitivos”. </li></ul><ul><li>É ela que ajuda os alunos a filtrar dados irrelevantes e focar nos elementos importantes . </li></ul>
  5. 5. Em que situações usar as orientações? <ul><li>Para alunos novatos </li></ul><ul><li>Para conteúdos complexos </li></ul><ul><li>Para material apresentado dinamicamente </li></ul>
  6. 6. 1 - Ofereça orientações e sinais que chamem a atenção para o conteúdo visual e textual mais importante
  7. 9. Quando usar os sinais? <ul><li>Em textos complexos </li></ul><ul><ul><li>Material </li></ul></ul><ul><ul><li>Conhecimento do aluno </li></ul></ul><ul><li>Para ajudar no acesso a informações técnicas (ex. abstracts estruturados) </li></ul>
  8. 10. 2 - Integre textos explicativos, colocando-os próximos aos elementos visuais aos quais faz referência, seja em telas ou em páginas informações dependentes dispostas em locais diferentes aumenta a carga cognitiva irrelevante aprendizagem de informação complexa é reduzida Esforço mental adicional Atenção fica dividida
  9. 15. Possíveis motivos: o experimento mostrado na figura 4.10 era dinâmico enquanto que o da imagem 4.8 era estático. Como conteúdos dinâmicos têm uma carga cognitiva maior, há uma maior influência do princípio da modalidade.
  10. 16. Aplicando o princípio do split attention (atenção dividida)
  11. 17. O que não deve ser feito
  12. 18. 3 - Integre palavras e elementos visuais usados para ensinar aplicações informáticas em um único suporte <ul><li>Erro comum: apresentar o conteúdo em dois suportes diferentes. Ex.: manual + exercícios no computador. </li></ul>
  13. 20. *CBT – treinamento baseado em computador
  14. 21. Dicas para chamar a atenção <ul><li>Use setas, linhas ou círculos para dirigir a atenção para as partes relevantes de conteúdos visualmente complexos, especialmente quando a instrução é apresentada num formato dinâmico. </li></ul><ul><li>Use negrito, itálico, títulos, marcadores e “frases indicativas” ( pointer phrases ) em textos longos e complexos. </li></ul>
  15. 22. Dicas para promover a atenção <ul><li>Convide os pesquisadores a escreverem abstracts para capítulos e artigos num formato padrão. </li></ul><ul><li>Minimize a atividade de tomar notas durante aulas dinâmicas, como palestras, oferecendo aos alunos um sumário dos conteúdos. </li></ul>
  16. 23. Dicas para promover a atenção <ul><li>Mantenha o texto e a parte visual a ele relacionada juntos na tela ou na página impressa. </li></ul><ul><li>Evite ter de rolar a tela para ver texto e imagens relacionados. </li></ul><ul><li>Evite separar textos e imagens relacionadas em telas ou páginas diferentes. </li></ul>
  17. 24. Dicas para promover a atenção <ul><li>Use linhas para ligar o texto ao elemento visual ao qual faz referência. </li></ul><ul><li>Considere os parâmetros físicos dos meios escolhidos para apresentar o conteúdo quando planejar o layout de textos e imagens. </li></ul><ul><li>Para maximizar a eficiência na aprendizagem de informática, coloque o texto instrucional nas simulações das telas dos aplicativos de modo que a instrução esteja integrada no computador. </li></ul>
  18. 25. E se estivermos falando de um produto educacional na internet? <ul><li>Hipermídia em CD-ROM </li></ul><ul><li>Hipermídia na rede </li></ul><ul><li>A questão da navegação </li></ul><ul><ul><li>A capacidade de navegar não se assemelha às habilidades de ler e escrever. Implica uma alfabetização semiótica, pois o alfabeto das interfaces é semioticamente complexo. (SANTAELLA, 2004). </li></ul></ul>
  19. 26. Três perfis cognitivos ou estilos de navegação <ul><ul><li>Internauta errante </li></ul></ul><ul><ul><li>Internauta detetive </li></ul></ul><ul><ul><li>Internauta previdente </li></ul></ul>
  20. 27. Internauta Errante <ul><li>Movimenta-se orientado primordialmente pelas advinhações . </li></ul><ul><li>Exploração aleatória de territórios desconhecidos. </li></ul><ul><li>Não há utilização da memória de longo prazo e de regras predeterminadas. </li></ul>
  21. 28. Internauta Detetive <ul><li>Orientado por inferências indutivas segue as trilhas dos índices presentes nos ambientes hipermidiáticos. </li></ul><ul><li>Sua estratégia de busca baseia-se em avanços, erros e autocorreções . </li></ul><ul><li>Aprende com a experiência. </li></ul>
  22. 29. Internauta Previdente <ul><li>Hábil no desenvolvimento das inferências dedutivas . </li></ul><ul><li>Já passou pelo processo de aprendizagem. </li></ul><ul><li>Tem familiaridade com ambientes informáticos. </li></ul><ul><li>É capaz de antecipar as conseqüências de cada uma de suas escolhas. </li></ul><ul><li>Internalizou os esquemas gerais que estão subjacentes aos processos de navegação. </li></ul><ul><li>Navegação por um percurso ordenado, norteado pela MLP . </li></ul>
  23. 30. Referências <ul><li>SANTAELLA, Lucia. Navegar no ciberespaço: o perfil cognitivo do leitor imersivo. São Paulo: Paulus, 2004. </li></ul><ul><li>CLARK, Ruth; NGUYEN, Frank; SWELLER, John. Efficiency in learning: evidence-based guidelines to manage cognitive load. San Francisco: Pfeiffer, 2006. </li></ul>

×