Nome

361 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
361
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Nome

  1. 1. NOME: BIBIANE G., DIONES,GABRIEL, VINICIUS K.TURMA:2312 Nº: 7, 14, 19,39.DISCIPLINA: LITERATURADATA: 10/05/13Poesia Moderna
  2. 2. Entre 1930 e o começo dos anos 60, vem a luz omais importante poeta gaucho de todos ostempo, Mário Quintana.
  3. 3. Más alem dele, é preciso lembrar de outrospoetas de interesse, assim como um grupo depoetas que tentou fazer mudança a seumodo: o grupo Quixote.Antes de Quintana aparecer em livro, LilaRipoll, uma das primeiras vozes femininas ase fazer ouvir na época. Musicista eprofessora lançou seu primeiro livro em 1938.
  4. 4. “Sou triste de nascença, è mal sem cura.A vida não desfez meu nascimento.Sou a menina triste e sem ventura,Que em agosto nasceu, com chuva e vento”.
  5. 5. Mário Quintana só alcançaria Notoriedadedos anos 60 em diante. Durante muito tempo,foi visto como um sujeito desregrado, massua poesia sem foi muito mais que isso.Em seu livro de estréia, já estão expressas oque seriam as temáticas dominantes de todaa sua vida: a busca de um compensação peladegradação da vida como a infância, opassado, a cidade pequena.
  6. 6. Quando se pôs a pensar por escrito revelou-seum coração romântico.Em seus mais altos acertos, conseguiu escrevercerto sentimento, próprio daquele quepertencem a um mundo acanhado como em“O Mapa”.
  7. 7. “Olho o mapa da cidadeComo quem examinasseA anatomia de um corpo...( e nem que fosse o meu corpo!)Sinto uma dor infinitaDas ruas de porto alegreOnde jamais passarei...Há tanta esquina esquisita,Tanta nuança de paredes,Há tanta moça bonitaNas ruas que não andei( É há uma rua encantadaQue nem em sonho sonhei...)”
  8. 8. Por essas percepções tão sutis é que dá umacerta tristeza ver como Quintana seautolimitou tanto. Mario Quintana rendeu-sea visão provinciana e simplista, que reduz acomplexidades da vida, especialmente davida moderna, a oposições. Em um famosode seus pequeno poemas-piada. “ Poeminhode contra”, que fez e faz um enorme sucesso,lemos:
  9. 9. Por essas percepções tão sutis é que dá umacerta tristeza ver como Quintana seautolimitou tanto. Mario Quintana rendeu-sea visão provinciana e simplista, que reduz acomplexidades da vida, especialmente davida moderna, a oposições. Em um famosode seus pequeno poemas-piada. “ Poeminhode contra”, que fez e faz um enorme sucesso,lemos:
  10. 10. “Todos esses que ai estãoAtravancando o meu caminho,Eles passarão...Eu passarinho!”
  11. 11. A equação não deixa duvidas: “Eles” sãoabomináveis e truculentos; “eu”, delicado efrágil; “ Eles” estragam a felicidade do “eu”, quesó queria caminhar.Na chave deste poema está, o coração maisgaucho da poesia de Quintana – Que nuncaescreveu sobre o universo imediando dosgaúchos, e por isso mesmo, a razão de seusucesso junto ao publico gaucho, que tende apensar exatamente nestes termos, “eles” nãonos deixam fazer o que “nós” queremos.
  12. 12. Não é que Quintana tenha tematizado issodiretamente, nem que ele se restrinja a isso; eleé um dos grandes poetas brasileiros pelalinguagem e pela singeleza, mas deixou talvez derepresentar mais ainda seu tempo por recusaruma reflexão mais matizada sobre as coisas quenos cabem.Enquanto Mario Quintana experimentava osprimeiros anos de sua carreira, organizou-se umaturma de colegas da Faculdade de Direito daUFRS.
  13. 13. O Grupo Quixote. Seus protagonistas foramRaymundo Faoro (1923-2003), Silviu Duncan(1922-1999) eWilson Chagas (1921-2002),logo acompanhados por Paulo Hecker Filho(1926-2005),Vicente (1919- 1958), o já citadoHeitor Saldanha, João- Francisco Ferreira(1925), José Paulo Bisol (1928), entre outros.
  14. 14. O grupo se apresentava com este simbóliconome, a evocar o cavaleiro da triste figura, ecom uma frase. “Vamos Fazer umaBarbaridade”. Quer dizer, estamos falando deuma vanguarda, que se agrupa, reunindoforças, e se dispõe a luta, que quer trazer anovidade, o futuro.
  15. 15. Grupo Quixote e seus protagonistas foram;Raymundo Faoro, Silvio Duncan eWilsonChagas, logo acompanhados por PauloHecker Filho,Vicente Moliterno, Jose PauloBiso, entre outros.
  16. 16. O grupo se apresentava com este simboliconome, Quixote era modesta e contava com acolaboração de jovens, e apresentou oprimeiro numero “enquanto a literatura puraentra em falência, em toda, parte o RioGrande intelectual".
  17. 17. Conquistaram ao longo do tempo e publicaramlivros de poesia, mas no geral deixaramadesejar no sentido da critica.
  18. 18. No final da década de 1950, a cena culturalporto alegrense e gauchja era absolutamentenotável em 1958 ocorre o I FestivalBrasileirode Poesia, organizado pelo grupoQuixote.
  19. 19. O POEMA"Um poema como um gole dágua bebido no escuro.Como um pobre animal palpitando ferido.Como uma pequena moeda de prata perdida para sempre numa florestaescura.Um poema sem outra angústia que a sua misteriosa condições de poemas.TRISTE.SOLITÁRIO.ÚNICO.FERIDO DE MORTAL BELEZA".Mario Quintana.

×