Catedral de Salisbury

1.408 visualizações

Publicada em

Catedral de Salisbury, Arquitetura e arte

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Catedral de Salisbury

  1. 1. Catedral de Salisbury
  2. 2. Catedral de Salisbury Trabalho solicitado na disciplina de História da Arte e Arqutetura II pela professora Aline Eyng Savi. Douglas Demétrio Júlia Valim
  3. 3. No final do século XII a Inglaterra passava por um grande período de instabilidade política, onde o rei Ricardo foi participar da Terceira Cruzada e foi capturado, Sendo prisioneiro do duque da Áustria. Neste período a nobreza inglesa ganhou grande poder no reino. A arte gótica na Inglaterra surgiu num contexto histórico muito importante, final do sistema feudal e início da criação das cidades, ascensão de novas categorias sociais dedicadas ao artesanato e ao comércio, consolidação do absolutismo e forte influência do clero na vida social e política. É possível dizer que a arte gótica nasceu com as cidades, produto de uma sociedade dinâmica, em evolução. Os habitantes da cidade tiveram grande participação nas construções góticas e eram incentivados por dois motivos: religioso e orgulho cívico, pois a rivalidade entre as cidades era intensa, elas disputavam entre si. Na Inglaterra, a primeira construção gótica foi a Catedral de Cantuária de 1174, logo depois seguiram outras obras como a Catedral de Lincoln e a abadia de Westminster. Acreditava-se chegar a Deus não apenas pela fé, mas também pela razão, por um esforço do pensamento. Tal conceito pode ser aplicado na arquitetura e explica a grandiosidade das construções complexas e requintadas, ricas em pormenores. Caracterização histórica
  4. 4. A Catedral de Salisbury foi arquitetada pelo bispo Richard Poore, construída pouco depois do IV Concílio de Latrão em Roma, expressava na arquitetura um novo pensamento teológico. O bispo Poore até publicou um novo rito litúrgico para a sua nova catedral, o Uso Sarum, que acabou por ser usado em toda a Inglaterra medieval. Elias de Dereham foi um arquiteto intimamente associado com Bishop Jocelin de Wells. Tornou-se um sacerdote de Salisbury, e supervisionou a construção da Catedral. A partir de 1737-1753 Francis Price, o secretário de Obras, restaurou os telhados, fazendo mudanças significativas nas estruturas de telhado na extremidade leste, e publicou o primeiro livro sobre a catedral, um registro detalhado da estrutura do edifício seguinte levantamento de Wren. No fim do século XVIII, as belas capelas Hungerford e Beauchamp no lado leste foram demolidas, quando James Wyatt, um arquiteto inglês com obras de estilo neogótico, encomendou novo interior para a catedral e novo recinto. Retirou túmulos e painéis de separação, e até demoliu o campanário independente e arrasou o cemitério. A catedral voltou a ser restaurada em finais do século XIX por George Gilbert Scott, um arquiteto inglês da Era Vitoriana, associado principalmente ao desenho, construção e restauração de igrejas, catedrais e cárceres, e desde então, os trabalhos de conservação têm sido contínuos.
  5. 5. Salisbury é uma pequena cidade catedral em Wiltshire, Inglaterra, localizada à 145km a sudoeste de Londres/13km ao sul de Stonehenge. Foi fundada em 1220, quando os moradores do antigo povoado normando de Old Sarum deixaram o local e se fixaram nessa área de prados, na qual os rios Nadder, Bourne, Avon, Ebble e Wylye se encontram. A arte gótica é refletida no desenvolvimento das cidades, este ligado à religião. Em Salisbury não foi diferente, a cidade estava crescendo e precisava de uma forte referência religiosa, assim a catedral foi construída, contribuindo para o desenvolvimento racional das ciências. Tendo Deus como elemento supremo, a renovação das formas com a verticalidade e traços fortes, tem o objetivo de expressar a harmonia e grandiosidade divina. Os alicerces da catedral foram lançados em 28 de abril 1220. A primeira parte a ser concluída foram as três capelas orientais nomeadas para St Stephen, Trinity, e São Pedro. Foi concluída no tempo recorde de 38 anos (a agulha, então a estrutura mais alta do mundo – e ainda hoje a mais alta da Inglaterra –, foi acrescentada no final do século XIII). Como muitas grandes catedrais exigiam obras que duravam séculos, essa foi uma notável realização da engenharia da época, comparável aos mais arrojados projetos de arranha-céus na Manhattan do século XX. Graças a sua rápida conclusão, a Catedral de Salisbury é a mais estilisticamente harmoniosa das grandes catedrais européias, marcando o auge do chamado estilo gótico primitivo. Levantamento histórico
  6. 6. Salisbury é uma cidade na zona rural no sul da Inglaterra que possui pouco mais de quarenta mil habitantes. Muito do seu passado histórico está presente em seus prédios, mantendo características medievais. As construções que geram grande impacto na cidade são a catedral gótica, o mercado, a zona de artes, museus e algumas das casas históricas mais finas da Inglaterra. A edificação hoje e a cidade
  7. 7. A catedral fica próxima ao centro, mas em um local isolado de edifícios e com muitos campos e árvores, sendo um local calmo onde tudo o que se vê é o verde das árvores e a majestosa catedral, situação esta que se diferencia das catedrais góticas do continente que muitas vezes são cercados por casas e lojas, coladas às igrejas ou ao seu redor, gerando uma hierarquia. Apesar do ambiente calmo, a Catedral de Salisbury é um ponto turístico muito grande que oferece uma recepção calorosa a todos que a visitam, oferecendo um ambiente agradável e permitindo livremente a entrada ao seu interior e à sua torre, que é a maior torre gótica da Inglaterra, e assim possibilita ver a magnifica visão de toda a extensão da pequena cidade.
  8. 8. A catedral de Salisbury é formada pela junção de elementos primários, onde de pontos surgem a reta, de retas surgem um plano e de planos surgem o volume. Apresenta-se desta maneira por conter profundidade em um plano bidimensional. Na sua forma total houve a junção de prismas retangulares como base, prismas triangulares para formar o teto e cones que formam as torres. Elementos geradores da forma
  9. 9. As fachadas da Catedral de Salisbury apresentam-se em maioria cheias por motivos de terem poucos acessos, sendo esses pequenos se comparados à grandiosidade da arquitetura. A iluminação do local se faz através de vitrais, que mesmo sendo de vidro e parecerem aberturas são totalmente fechados, o que contribui para que a catedral mostre-se cheia. Cheios e vazios
  10. 10. Verticalidade Efeitos de luz e sombra na arquitetura por causa da escultura de suas paredes Arco de ogiva Arcobotantes e contrafortes Torres da fachada coroadas com flechas Elementos da arquitetura gótica na fachada
  11. 11. Pilares Arco de ogiva Gárgulas Vitrais Galeria dos Reis
  12. 12. O volume sobressai à estrutura, escondendo-a nos planos muito bem preenchidos por adereços que dão forma à catedral. Em toda a catedral são encontradas as abóbadas e os arcos ogivais, os pináculos e as principais características do período gótico. Estrutura x Volume
  13. 13. A Catedral de Salisbury consiste em uma série de adições que são desenvolvidos em torno da nave principal na qual se adicionam as naves secundarias e por sua vez os transeptos, que formam a planta de cruz latina, e acima do cruzeiro esta a torre. Adição ou Subtração
  14. 14. Materialidade A catedral foi projetada num local virgem e toda a estrutura assentada em alicerces de apenas 1,2 metros de profundidade. Tem 365 vitrais decorados com motivos religiosos (número de dias num ano) e 8.760 pilares de mármore (o número de horas num ano). Construída com 60 mil toneladas de pedra de Chilmark e dez mil toneladas de mármore de Purbeck, mais de 420 toneladas de chumbo laminado cobrem os 16.000 metros quadrados do telhado. A torre e o pináculo foram construídos entre 1310 e 1333, e acrescentaram 6.500 toneladas ao edifício, causando abaixamento, problema de que a catedral sofre desde então. Após erguer a torre e o pináculo a catedral ficou praticamente completa, as únicas adições foram as capelas Hungerford e Beauchamp no lado leste, mas foram demolidas no fim do séc. XVIII.
  15. 15. Planta Baixa A planta tem uma cruz patriarcal com dois cruzadores bem marcadas. O salão principal tem um comprimento de 142m, e o maior é de 61,5 m transecto. O mesmo comprimento que o corpo ocidental nave. O corpo ocidental é dividido em três naves: uma força que é maior do que os lados 12m de largura e dois de cada 6m. A parte mais importante é o cabeça chata, muito característico dos edifícios ingleses. Após o cabeçalho é o presbitério. Entre os dois transeptos há um pequeno coro. Toda a catedral é construída com abóbadas quadripartite. No ano de 1284 foi anexado um corpo docente de grande dimensão. O mesmo é dominado por uma planta centralizada poligonal edifício construído em 1263 chamado a sala do capítulo, cuja cúpula repousa sobre um único pilar. No cruzamento da nave e transepto foram reforçadas maior lanterna (torre coroada com uma agulha que ultrapassa 120m de altura). A entrada principal dá-se da parte frontal onde existem pórticos de abrigo.
  16. 16. Fluxo A entrada principal da catedral fica em frente à nave, onde ao seu lado existem as naves secundarias onde existe o maior fluxo em direção aos transseptos, altar e capelas.
  17. 17. Usos do local Na catedral de Salisbury são realizados frequentemente concertos, exibições de arte e eventos literários, assim como a exposição da Magna Carta*, e celebrações e eventos religiosos. *Magna Carta é um dos documentos mais importantes da história inglesa, na época foi a solução para a crise politica na Inglaterra medieval. Há apenas 4 exemplares originais, e das mesmas a exposta na catedral é a mais bem conservada.
  18. 18. Referências http://www.salisburycathedral.org.uk/ http://www.ducsamsterdam.net/salisbury-historia-balada-reino-unido/ http://www.soturismo.com.br/continentes/europa/gra_bretanha/Salisb ury/ http://querosaber.sapo.pt/historia/catedral-de-salisbury-a-catedral- inglesa-perfeita http://www.historianet.com.br/conteudo/default.aspx?codigo=163

×