Voando Sobre 300 Anos De Ensino Em Avintes

1.618 visualizações

Publicada em

"Flying over 300 years of teaching in Avintes" by José Vaz

Publicada em: Negócios, Tecnologia
  • Seja o primeiro a comentar

Voando Sobre 300 Anos De Ensino Em Avintes

  1. 1. Voando sobre 300 anos de ensino em Avintes por: José Vaz
  2. 2. Avintes é um dorso de terra deitado entre dois rios
  3. 3. <ul><li>Desde a Alta Idade Média até ao fim do século XVII, Avintes terá sido uma pequena e insignificante aldeia de características rurais e piscatórias, tutelada e tributária de senhores religiosos e civis . </li></ul><ul><li>Nota: Imagem do documento de 927 onde aparece a “ vila de abientes na margem esquerda do douro ” </li></ul>
  4. 4. <ul><li>No passado longínquo, Avintes tinha o seu território retalhado por terras, campos, quintas, leiras, fazendas, casas, moinhos, azenhas e vendas e via repartidas as suas rendas ( numerário, trigo, centeio e/ou milho painço, galinhas, montados, carneiros e manteiga ) </li></ul><ul><li>por vários senhores, religiosos e civis como o Conde de Avintes, os Fidalgos do Terreiro, a Igreja, a Santa Casa da Misericórdia, o Cabido da Sé do Porto, particulares e desconhecidos </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Mesmo sob o ponto de vista eclesiástico, </li></ul><ul><li>só em 1675 é que Avintes deixou de estar subordinada à tutela eucarística do Arcediagado de Oliveira do Douro. </li></ul>
  6. 6. Avintes, é uma construção do século XVIII e, para o seu desenvolvimento, projecção e notoriedade, foi determinante: <ul><li>– a sua situação geográfica com recursos hídricos e terrenos propícios à introdução de cereais de alta rentabilidade – o milho grosso – maíz; </li></ul><ul><li>– a existência de dois rios: um, para produzir a energia à “indústria” moageira e, outro, para o transporte de pessoas e de mercadorias; </li></ul><ul><li>– e, também, a clarividência dos homens e das mulheres que souberam usar com sucesso os recursos do pé da porta </li></ul>
  7. 7. Avintes é uma filha do milho maíz <ul><li>A introdução do milho maíz e comercialização dos seus produtos panificáveis na Cidade do Porto, transformou radicalmente Avintes em todas as suas dimensões. </li></ul>
  8. 8. Muito p rovavelmente, a economia do milho fez nascer a necessidade do ensino oficial em Avintes <ul><li>… a par do fomento da instrução primária promovida no reinado de D. Maria I. </li></ul><ul><li>Em 1747 era preciso saber fazer muitas contas para calcular as vendas semanais de pão e de farinha na Cidade do Porto de: </li></ul><ul><li>( 500 alqueires (x14kg) de farinha moída=7000kg.e 96 carros (x220kg)=21.120 kg de pão </li></ul>
  9. 9. Foi neste contexto de expansão que: aumentou a demografia e o património construído; enriqueceu a população; construí-se a nossa Domus Iustitia ao ar livre (a Pedra da Audiência) ; ampliou-se a igreja paroquial; … e apareceu a 1ª escola. de Avintes que apareceu a 1ª escola
  10. 10. A 1ª escola de Avintes, data de 1782…
  11. 11. … e situava-se no Lugar do Outeiro, perto do Lugar das Presas
  12. 12. <ul><li>Segundo o historiador Osório Gondim, esta escola funcionou durante 16 anos, de 1782 a 1798. </li></ul><ul><li>Durante este tempo, estiveram matriculados 367 alunos. </li></ul><ul><li>Era uma escola masculina e os alunos eram oriundos de lugares distantes da freguesia como: Azenhas, Campos, Casal, Loureiro ( Ponte da Pedra)… </li></ul><ul><li>e… 10 de Vilar de Andorinho, 5 de Oliveira do Douro, 1 da Alheira, 1 de Arnelas e 2 da Porta Nova (?) </li></ul>
  13. 13. Nas Listas das Companhias de Ordenanças de Avintes ( recrutamento militar ) de 1794 aparece a existência de um Professor do lugar de Areias e um Mestre de Meninos do lugar Rio da Azenha
  14. 14. De 1800 a 1870 a escola muda-se para o lugar de Cabanões <ul><li>De 1800 a 1837 foi ♂ </li></ul><ul><li>e, a partir daquela data até 1870, tornou-se </li></ul><ul><li>♂♀ </li></ul>
  15. 15. Em 1806 e 1815 registou-se: <ul><li>um insulto feito a um Professor Régio por um carpinteiro de Avintes; </li></ul><ul><li>uma queixa feita à (junta?), por um mestre particular. Causa: o Professor Régio aceitou os alunos daquele sem passe (diploma?) </li></ul>
  16. 16. <ul><li>De 1871 a 1874 a escola “oficial” mudou para o lugar de Aldeia Nova </li></ul>
  17. 17. Em 2 de Janeiro de 1882, uma escola ♀ ocupou o antigo “ Teatro Minerva de Curiosos”- o 1º teatro de Avintes
  18. 18. Entre 1874-1885 A escola oficial funcionou no antigo edifício da Escola Gratuita de Avintes
  19. 19. Em 1883, era publicado o projecto da nova escola na revista ilustrada de Portugal e do estrangeiro “ Ocidente ”
  20. 20. Planta do 1º e 2º pisos da Escola Primária de Avintes - 1883
  21. 21. Aos 12 dias do mês de Julho de 1885, foi inaugurada a nova escola de Cabanões na presença de 65 personalidades (incluindo crianças)
  22. 22. Entre 1870 e 1919, no lugar de Cabanões foi i nstituída, por legado de Manuel Lopes da Costa Soares, uma escola para meninas órfãs
  23. 23. <ul><li>O ensino particular muito cedo esteve presente em Avintes e a escola do benemérito Manuel Lopes da Costa Soares destinava-se, a ensinar: </li></ul><ul><li>a religião, a ler, a escrever, a contar, a lavar, a coser, a engomar e a cozinhar </li></ul><ul><li>Era uma escola interna que recolhia 4 ou 5 alunas, órfãs, dos 6 aos 16 anos; </li></ul><ul><li>Até 1919 passaram 90 alunas pela Escola Costa Soares </li></ul>
  24. 24. De 1868 a 1874 , criou-se, perto do Clube Recreativo Avintense, outra escola particular chamada Aula Gratuita de Avintes .
  25. 25. <ul><li>A “Aula Gratuita de Avintes era ♂ , com uma sala espaçosa, bem iluminada, com capacidade para cem alunos e patrocinada e financiada pelo grande benemérito avintense Francisco Marques Rodrigues Júnior , que a mobilou, adquiriu mapas e pagou a um professor de francês de nome José Mateus Fuchini . </li></ul>
  26. 26. Escolas Particulares séc. XIX <ul><li>Em 1891: </li></ul><ul><li>Escola de Manuel Lopes da Costa Soares, </li></ul><ul><li>Escola da “Cadinha”; </li></ul><ul><li>Escola da “Pega” </li></ul><ul><li>Escola José Rodrigues; </li></ul><ul><li>1893: </li></ul><ul><li>Prof Moreira Lopes (Escola Primaria e Secundária) </li></ul>
  27. 27. Em 1897, inaugurou-se a Escola do Palheirinho
  28. 28. A Escola Oficial do Palheirinho, foi mais uma dádiva do benemérito avintense Francisco Marques Rodrigues Júnior <ul><li>A sua primeira professora foi a avintense Quitéria Júlia de Sousa, produto do ensino feminino em Avintes; </li></ul><ul><li>Em 1907, a EOP teve como professor, o celebre Augusto Ladeiro, que organizou o primeiro curso de instrução primária, de 1º grau, para adultos; </li></ul><ul><li>Crentes nos ideais de iluminação do ensino republicano, a EOP benzeu o seu estandarte em 1907, e deu-lhe o nome de “ O Democrata ”; </li></ul>
  29. 29. O estandarte “ O Democrata ”
  30. 30. Em 1909, o parque escolar de Avintes era assim constituído: <ul><li>Cabanões 1 ♂ , 1 ♀ ; </li></ul><ul><li>Palheirinho ♂ ; </li></ul><ul><li>Cabanões ♀ ( (Esta Escola Feminina foi fundada por Manuel Lopes da Costa Soares e era administrado pela Câmara de Gaia. Tinha apenas duas alunas internas…”); </li></ul><ul><li>Eram Profs. das Escola de Avintes: António de Oliveira Reis (tem prof. ajudante), Augusto Ladeiro (tem prof. ajudante) e Elisa Augusta Lopes Ribeiro </li></ul>
  31. 31. Professores de Avintes, em 1915 <ul><li>Nesta data, eram professores em Avintes: </li></ul><ul><li>Viriato de Almeida; </li></ul><ul><li>Abel Ribeiro da Silva; </li></ul><ul><li>D. Carlota Magalhães; </li></ul><ul><li>D. Quitéria de Sá; </li></ul><ul><li>D. Adriana Pinto Brandão </li></ul>
  32. 32. <ul><li>Em Abril de 1916, inaugurou-se a Cantina Escolar de Avintes. O seu objectivo era socorrer as crianças pobres com roupas e alimentos. </li></ul>
  33. 33. Em 1927, inaugurou-se a Escola do Magarão. Esta Escola foi construída e doada pelo médico avintense Dr. Adelino Gonçalves Gomes. A sua primeira professora foi a filha do doador, a D. Dália Gomes dos Santos. <ul><li>. </li></ul>
  34. 34. Nos anos trinta do séc. XX <ul><li>Foi inaugurada, em 1934, a Escola de Aldeia Nova cujo terrena foi oferecido pelo Dr. Laurentino Oliveira Reis. </li></ul><ul><li>Durante muitos anos, foi professora desta escola a D. Maria Adelina. </li></ul><ul><li>Em 1936 , iniciam-se as aulas na Escola da Mata , em edifício cedido pelo benemérito Joaquim Santos Guimarães. </li></ul><ul><li>e, </li></ul><ul><li>finalmente, seguiram-se os novos edifícios das escolas de Espinhaço, Fontiela, Magarão, Cabanões e Aldeia Nova. </li></ul>
  35. 35. Nas décadas de 60 e 70, arrancou a Tele-Escola em Avintes <ul><li>O seu objectivo foi facultar aos mais carenciados a continuidade dos seus estudos. </li></ul><ul><li>Entre outros, não podemos deixar de nomear um dos seus principais animadores: o Prof. Américo Augusto Esteves. </li></ul>
  36. 36. A partir de 1979, novo impulso foi dado ao pré- ensino com a criação da Rede Pública dos Jardins de Infância , em Avintes. <ul><li>Magarão; </li></ul><ul><li>Fontiela; </li></ul><ul><li>Cabanões; </li></ul><ul><li>Aldeia Nova; </li></ul><ul><li>Espinhaço. </li></ul>
  37. 37. De 1935 a 1996, ensinaram em Avintes cerca de 170 professores e professoras…
  38. 38. … e muitos milhares de alunos
  39. 39. E, em 15 de Setembro de 1997…inaugurou-se a Escola EB-2/3 de Avintes <ul><li>Dez anos são passados na caminhada, na experiência, nos ajustamentos e na resolução dos problemas nossos de cada dia mas, hoje, nesta cerimónia de profissão de fé no poder que o saber dá às futuras gerações, através do ensino, pensamos que o território educativo da Escola EB-2/3 de Avintes poderá afirmar: </li></ul><ul><li>– jurei que havia de crescer mas, dez anos, é pouco tempo para que a árvore cresça em todo o seu esplendor. </li></ul>
  40. 40. Bibliografia e Fontes <ul><li>O Ensino em Avintes . Avintes: Edição da Comissão da Festa da Broa,1996 </li></ul><ul><li>GONDIM, Inocêncio Osório Lopes – “ Avintes e as suas Antiguidades ”. Junta de Freguesia de Avintes: Avintes, 1985; </li></ul><ul><li>Grilo de Gaia. 31 Dezembro 1891 </li></ul><ul><li>Apontamentos Estatísticos : Instrução Primária. Câmara Municipal de Gaia, 1909 , 76 </li></ul><ul><li>Terra Portuguesa - Órgão do Partido Republicano Português - Gondomar, 1915 </li></ul><ul><li>COSTA, Barbosa da – Subsídios para a história do ensino em Avintes. Abientes..Avintes: União Académica de Avintes, 1998, p4 </li></ul><ul><li>PEREIRA, João Alves Pereira – A Cantina Escolar e o Sentimento da Pátria. Porto: Edição de Autor, 1916 </li></ul>

×