Simbolismo Slides

21.945 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
3 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
21.945
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
34
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
732
Comentários
3
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Simbolismo Slides

  1. 1. SIMBOLISMO
  2. 2. <ul><li>Americano do Brasil – 03/12/2008 </li></ul><ul><li>Colégio Estadual Benedito Brás </li></ul><ul><li>Profª. Elaine Maria de Almeida </li></ul><ul><li>Alunos: Michael Moreira Nº. 16 </li></ul><ul><li>Naara Galdino Nº. 20 </li></ul><ul><li>Aryanna Nº. 04 </li></ul>
  3. 3. Dúvidas dos simbolistas em relação às ciências <ul><li>Os simbolistas põem em dúvida a capacidade absoluta da ciência de explicar todos os fenômenos relacionados ao homem. Não crêem no conhecimento “positivo” e no progresso social prometido pela ciência. Pensando que a ciência é limitada. </li></ul>
  4. 4. Época em que surgiu <ul><li>Surgiu na segunda metade do século XIX, na França. </li></ul>
  5. 5. Principais nomes do simbolismo europeu <ul><li>Paul Marie Verlaine </li></ul><ul><li>Poémes satumiens (1866) </li></ul><ul><li>Les Amies (1867) </li></ul><ul><li>Jean-Nicolas Arthur Rimbaud </li></ul><ul><li>Au Cabaret </li></ul><ul><li>Ma Bokéme </li></ul><ul><li>Stéphane Mallarmé </li></ul><ul><li>L’aprés–Midi D’um Faune (1876) </li></ul><ul><li>Herodias (1869) </li></ul>
  6. 6. Linguagem utilizada <ul><li>O simbolismo buscou uma linguagem que fosse capaz de sugerir a realidade, e não retrata - lá objetivamente, então buscou o uso de símbolos, imagens, metáforas, sinestesias, recursos sonoros e cromáticos. </li></ul>
  7. 7. Principais características da linguagem e seus significados <ul><li>      As características da linguagem simbolista podem ser assim esquematizadas: </li></ul><ul><li>     1. Linguagem vaga, fluida, que prefere sugerir a nomear. </li></ul><ul><li>     2. Utilização de substantivos abstratos, efêmeros, vagos e imprecisos; </li></ul><ul><li>     3. Presença abundante de metáforas, comparações, aliterações, assonâncias, paronomásias, sinestesias; </li></ul><ul><li>     4. Subjetivismo e teorias que voltam-se ao mundo interior; </li></ul><ul><li>     5. Antimaterialismo, anti-racionalismo em oposição ao positivismo; </li></ul><ul><li>      </li></ul>
  8. 8. <ul><li>6. Misticismo, religiosidade, valorização do espiritual para se chegar à paz interior; </li></ul><ul><li>7. Pessimismo, dor de existir; </li></ul><ul><li>8. Desejo de transcendência, de integração cósmica, deixando a matéria e libertando o espírito; </li></ul><ul><li>9. Interesse pelo noturno, pelo mistério e pela morte, assim como momentos de transição como o amanhecer e o crepúsculo; Interesse pela exploração das zonas desconhecidas da mente humana (o inconsciente e o subconsciente) e pela loucura. </li></ul>
  9. 9. Contexto histórico Brasil Portugal <ul><li>O Brasil passou por mudanças expressivas dentro de sua estrutura política, econômica e social no fim do século XIX. A abolição da escravatura (1888) não assegurou o direito de igualdade e civilidade aos negros, acentuando o problema da miséria no país. com a política do &quot;café-com-leite preocupavam com o inchaço de suas periferias, onde estava a miséria dos negros livres e das massas de imigrantes. </li></ul>
  10. 10. PRINCIPAL AUTOR BRASILEIRO E SUAS OBRAS <ul><li>1) Cruz e Sousa </li></ul><ul><li>OBRAS : Missal e Broqueis (1893) </li></ul>
  11. 11. PRINCIPAL AUTOR BRASILEIRO E SUAS OBRAS <ul><li>1 ) Eugênio de Castro e Almeida </li></ul><ul><li>OBRAS: Oaristos </li></ul>
  12. 12. AUTOR PORTUGUES E SUAS OBRAS <ul><li>2) Alphonsus de Guimaraens </li></ul><ul><li>OBRAS: </li></ul><ul><li>Ismália (é o mais popular) </li></ul><ul><li>Setenário das Dores de Nossa Senhora (1899) </li></ul><ul><li>Câmara Ardente (1899) </li></ul><ul><li>Dona Mística (1899) </li></ul><ul><li>Kyriale (1902) </li></ul><ul><li>Mendigos (1920) </li></ul>
  13. 13. PRINCIPAL AUTOR PORTUGUES E SUAS OBRAS <ul><li>2) ANTÔNIO NOBRE </li></ul><ul><li>OBRAS: SÓ (1892) </li></ul>

×