Manutenção da obra do Senhor
Não se pode ser crente e servo do
Senhor e não ser Dizimista e
ofertante.
Tudo pertence a Deus
As contribuições para sustento da obra faz parte da
doutrina da mordomia. Somos apenas mordomos dos
b...
PRINCÍPIOS DO DAR :
a) Dar-nos primeiramente ao Senhor (II Co 8.5).
b) Dar de boa vontade (II Co 8:3-12).
c) Dar com alegr...
FORMAS DE CONTRIBUIÇÃO
1. Dízimos. O dízimo é a décima parte da renda de uma pessoa. À luz de 1
Co 16.2 é a contribuição f...
PRINCÍPIOS DO DAR :
a) Dar-nos primeiramente ao Senhor (II Co 8.5).
b) Dar de boa vontade (II Co 8:3-12).
c) Dar com alegr...
Dízimo é um dever do Cristão
O dízimo não é nosso , mas pertence ao Senhor .
Lv 27:30.
É ordem do Senhor. Ordem não se dis...
Devemos ser dizimistas porque sua prática é um sinal da vida
espiritual abundante.
Antes de o profeta Malaquias conclamar ...
Manutenção da obra do senhor 4
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Manutenção da obra do senhor 4

303 visualizações

Publicada em

Um desfecho sobre a manutenção da obra de Deus

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
303
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Manutenção da obra do senhor 4

  1. 1. Manutenção da obra do Senhor Não se pode ser crente e servo do Senhor e não ser Dizimista e ofertante.
  2. 2. Tudo pertence a Deus As contribuições para sustento da obra faz parte da doutrina da mordomia. Somos apenas mordomos dos bens que Deus nos assegura.(Mt 25:14,19).
  3. 3. PRINCÍPIOS DO DAR : a) Dar-nos primeiramente ao Senhor (II Co 8.5). b) Dar de boa vontade (II Co 8:3-12). c) Dar com alegria (II Co 9:7). d) Dar com generosidade, com liberalidade (II Co 8.2; 9.13). e) Dar proporcionalmente (II Co 9.6; 8.14-15). f) Dar regularmente (I Co 16.1-2). g) Dar sistematicamente (II Co 9.7). h)Dar com amor (II Co 8.24). i) Dar com gratidão (II Co 9.11-12). j) Dar como ministração ao Senhor e seus santos (II Co 9.12- 13). DESTAQUE: O que dá pela LEI, dá por obrigação. O que dá por AMOR, dá por prazer. Louvado seja DEUS.
  4. 4. FORMAS DE CONTRIBUIÇÃO 1. Dízimos. O dízimo é a décima parte da renda de uma pessoa. À luz de 1 Co 16.2 é a contribuição financeira mínima que o crente deve oferecer para a obra de Deus. Já existia antes da lei (Gn 14.20; 28.22); instituído por Moisés na lei (Lv 27.30; Dt 14.22). O povo devia levar para os levitas e sacerdotes, pois não tiveram possessão da terra (Nm 18.21-24; Hb 7.5), para que haja mantimento na Casa de Deus (Ml 3.10). Eles, por sua vez, pagavam deles os dízimos dos dízimos (Nm 18.26). O Senhor Jesus manteve os dízimos na Nova Aliança (Mt 23.23). 2. Ofertas alçadas. Além dos dízimos havia também as ofertas alçadas para fins específicos, como na construção do tabernáculo, no deserto (Êx 25.2). Convém lembrar que oferta alçada não é o mesmo que dízimo (Ml 3.10). Ambos são bíblicos e atuais, mas são diferentes. As ofertas alçadas são esporádicas, principalmente para construção de templos. Os dízimos são contínuos. O culto ao Deus verdadeiro, conforme encontramos em toda a Bíblia, constitui-se dos elementos: oração, leitura das Escrituras, pregação ou testemunho, cânticos e ofertas.
  5. 5. PRINCÍPIOS DO DAR : a) Dar-nos primeiramente ao Senhor (II Co 8.5). b) Dar de boa vontade (II Co 8:3-12). c) Dar com alegria (II Co 9:7). d) Dar com generosidade, com liberalidade (II Co 8.2; 9.13). e) Dar proporcionalmente (II Co 9.6; 8.14-15). f) Dar regularmente (I Co 16.1-2). g) Dar sistematicamente (II Co 9.7). h)Dar com amor (II Co 8.24). i) Dar com gratidão (II Co 9.11-12). j) Dar como ministração ao Senhor e seus santos (II Co 9.12- 13). DESTAQUE: O que dá pela LEI, dá por obrigação. O que dá por AMOR, dá por prazer. Louvado seja DEUS.
  6. 6. Dízimo é um dever do Cristão O dízimo não é nosso , mas pertence ao Senhor . Lv 27:30. É ordem do Senhor. Ordem não se discute, se obedece . (Ml 3:10) É para causa Santa . A obra de Deus precisa de recursos financeiros e o local da entrega do dízimo é na casa do Senhor. O crente não administra seus dízimos e sim aqueles a quem Deus escolheu para administrar sua obra.
  7. 7. Devemos ser dizimistas porque sua prática é um sinal da vida espiritual abundante. Antes de o profeta Malaquias conclamar o povo a trazer os dízimos para Deus, conclamou-o a trazer o coração. A vida vem antes da oferta. Primeiro entregamos a Deus o nosso coração, depois trazemos nossa oferta. O coração se abre antes do bolso. Devemos ser dizimistas porque essa prática não é uma opção, mas um mandamento. Não o entregamos quando bem entendemos, mas o fazemos porque Deus expressamente o ordena. “Trazei todos os dízimos à casa do tesouro”. Não ser um dizimista é uma desobediência a uma ordem expressa de Deus. Devemos ser dizimistas porque este é caminho da bem-aventurança espiritual. A Palavra de Deus afirma que a retenção do dízimo traz maldição enquanto sua entrega produz bênção sem medida. O dízimo não é uma barganha com Deus. Não devolvemos o dízimo para receber mais; devolvemo-lo porque tudo que somos é de Deus.

×