Palestra seminário de comunicação - use jabaquara

361 visualizações

Publicada em

Palestra da Jornalista e Relações Públicas Camila Andrade
Mídias Sociais

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
361
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Palestra seminário de comunicação - use jabaquara

  1. 1. Seminário de Comunicação da USE Distrital Jabaquara/Ipiranga Comunicação 2012 Ações estratégicas modernas e novas tecnologias a serviço da divulgação do Espiritismo.Por Camila Andrade
  2. 2. “Fazer sentido pode mudar o Mundo.As empresas de sucesso foram criadaspara fazer sentido e não fazer dinheiro.Fazendo sentido, elas consequentementetêm dinheiro”.Guy Kawasaki, foi o evangelista da Apple paraatrair desenvolvedores para trabalhar na novaplataforma e hoje trabalha numa venture capitaldecidindo onde vai colocar ou não dinheiro.
  3. 3. IdentidadeAs empresas não podem se furtar a possuiruma identidade corporativa, pois ela é, na suaprópria essência, parte integrante dacorporação.A imagem corporativa é outra questãoimportante, pois, ao contrário da identidade,que deve traduzir o que aempresa é, a imagem é o que a empresaparece ser.A avaliação da imagem corporativa pode serbastante útil para que a comunicação sejaalinhada de maneira a traduzir a identidadecorretamente e portanto, uma reputaçãopositiva.
  4. 4. Como fazer sentido?REPUTAÇÃO: o ponto de partida para sua Marcaser “Bem Falada”Reputação é uma energia – invisível - de coisasboas que invadi a menti de seus públicos ANTESde você abordá-los fisicamente.Leva anos para ser construída e segundos paradestruída.REPUTAÇÃO nos dias de hoje funciona comouma bolsa de valores (Whuffie). Se você nãoalimentá-la, cai o preço. Se alguém não comprá-la, cai o preço, se alguém não falar bem de vocêpara alguém, cai o preço também.
  5. 5. Critérios e percepções para gerarReputação Positiva na internet• Qualidade dos produtos e serviços (atenção às reclamações e sugestões com transparência, bom relacionamento com os públicos e vínculo emocional);• Valor compartilhado; credibilidade dos porta- vozes, confiança e ética; lembrança da Marca; compromisso social e ambiental; a inovação; agilidade (repostas), multiplicador de informação (fonte), capacidade de adaptação ao perfil local, notabilidade (qualidade das opiniões da internet e em outros locais), notoriedade (permite a marca posicionar-se além de seus serviços);• Práticas de negócio transparentes, o bom tratamento dos funcionários e a comunicação frequente e honesta sobre a situação da organização.Fonte: www.edelman.com/trust/
  6. 6. • O grande erro das empresas é acreditar que basta a participação nos meios digitais para assegurar um engajamento com os consumidores. O levantamento da Razorfish afirma o contrário. Meios como os sites institucionais e o boca a boca seriam os mais procurados quando os públicos pretendem se relacionar com as marcas.• “As redes sociais devem fazer parte de uma estratégia maior, na qual os consumidores são atendidos por todas as ferramentas digitais da empresa, sendo as mídias sociais apenas um apoio ao engajamento com os consumidores”, diz Fernando Tassinari, General Manager da Razorfish no Brasil.Fonte: Razorfish no Brasil
  7. 7. • Sentir-se valorizado é o principal elemento mencionado pelos entrevistados na pesquisa. Os consumidores precisam perceber que as marcas estão cuidando deles, que se importam com suas solicitações e que não são apenas mais um número.• A eficiência é o item seguinte, o que significa que as marcas devem estar prontas para atender às necessidades dos clientes, antes mesmo que eles possam pensar nelas.• Confiança. A relação com o cliente deve ser transparente e honesta.• Relevância, alcançada quando as mensagens enviadas pelas companhias são aplicáveis às necessidades de seus clientes.Fonte: Razorfish no Brasil
  8. 8. OBS: Esse é um dos pontos em que ocorremos maiores erros quando as empresas operamnas redes sociais. Os consumidores precisamde uma razão para visitar as páginasdas marcas. Fora isso, não há interesse maior.SER BOM, DIVULGAR O ESPIRITISMO ELEVAR A PAZ. INFELIZMENTE NÃO ÉSUFICIENTE PARA GERARENGAJAMENTO. É PRECISO ESTRATÉGIA.TODO CENTRO É UMA EMPRESA. ESTUDE.FORMULE ESTRATÉGIAS E CAMPANHASDE CROSS MÍDIA EM MARKETINGBASEADAS NO CONHECIMENTO DE SEUPÚBLICO.• O controle é o último elemento mencionado no estudo, o que desmistifica o conceito de “consumidor no poder”, que tem sido veiculado como um mantra nos últimos anos. Fonte: Razorfish no Brasil
  9. 9. OBS: quando perguntados sobre o que seriaimportante num engajamento a uma marca, osconsumidores listaram, nessa ordem, ossentimentos de valorização, confiança,eficiência, consistência, relevância econtrole.• Telefone e e-mail, por exemplo, podem reforçar o sentimento de valorização, enquanto Facebook e Twitter seriam incapazes disso, aponta o relatório.• Entre os que tem de 25 a 34 anos, a preferência é por se sentirem valorizados e pelas sensações de eficiência e confiança e os canais que utilizam são Twitter, Facebook e celulares. Já entre quem tem 45 anos ou mais prefere e- mail, telefone e correio convencional.
  10. 10. O Surgimento da Internet mudou a relaçãoentre as pessoas. E entender as mudançasé um desafio para as pessoas e empresas quedesejam ter a “Suas Marcas Bem Faladas”.O mundo está cada vez mais rápido, repletode conexões, com uma vasta rede decomunicação que diminui o ciclo de vidada informação.
  11. 11. Como tudo surgiu - Internethttp://www.coffeemidia.com.br/i nternet-no-brasil-e-no-mundo- em-2012/
  12. 12. Como fazer sentido e ter uma Reputação positivana internet?. AGILIDADE E EFICÁCIA DA COMUNICAÇÃO;. EXISTIR E ATUAR NA INTERNET;. SER MULTIPLICADOR QUE FAÇA SENTIDO;. ADAPTAR-SE AO PERFIL LOCAL;. ENTENDER QUE RELACIONAMENTO E REPUTAÇÃO;POSITIVA TAMBÉM É RETORNO;. TER NOTABILIDADE;. TER NOTORIEDADE;. INTEGRAR MÍDIAS – CROSS MÍDIA
  13. 13. TER NOTABILIDADE NA REDE Notabilidade (NTB) é a qualidade das opiniões sobre sua empresa na internet. Esta análise medi também a importância ou autoridade dos autores dos comentários ou publicações, ou seja, análise do TOM das menções das Marcas.Pesquisa da Llorente & Cuenca
  14. 14. TER NOTABILIDADE NA REDE O Google é o principal “gate keepers” (guardiões do portão), ou seja, fonte de percepção para usuários clientes e consumidores. No entanto, as empresas descuidam do seu posicionamento neste buscador: . 55% das empresas teve um tom neutro de comentários; . 45% registraram pelo menos 1 menção negativa; . 2% - 9 menções negativas; . Nas companhias estrangeiras as menções negativas afetam 28%Pesquisa da Llorente & Cuenca
  15. 15. TER NOTORIEDADE NA REDE Notoriedade é o que permite a Marca posicionar- se além de seus serviços ou produtos onde é procurada. Notoriedade (NTR)= presença em palavras- chaves (PPC) + modelo de negócio (MN) + influências dos canais (IC). Neste caso observamos também referências da URL da empresa e o nome da empresa em uma lista de Keywords representativas da sua atividade (tanto em português, quanto em inglês).Pesquisa da Llorente & Cuenca
  16. 16. TER NOTORIEDADE NA REDEAs empresas estrangeiras analisadas sãoaproximadamente 3,4 vezes mais notóriasna Rede que as empresas brasileiras.Métricas para medir Notoriedade:• Presença - volume de artigos e conversaçãono espaço on-line (redes sociais, blogosfera,buscadores, serviços on-line, espaço audiovisual,tempo real – Twitter, MSN) / presença e abrangênciados ativos tangíveis (serviços web) e intangíveis(Marcas, nomes de diretivos, categorias, produtos,URL, etc);• Influência – a capacidade de impacto dasconversações e menções.
  17. 17. INTEGRAR MÍDIAS – CROSS MÍDIAA presença de canais próprios não garantenotabilidade forte ou positiva, se esse canalnão vier acompanhado de uma estratégia depercepção positiva da Marca, que abranja todosos públicos de interesse.Embora 79% invistam no Twitter, apenas 24%tem menções positivas, as outras: 20% são ruinse 56% neutras.Isso mostra que não há estratégias integradasque ajudem a traduzir a presença numaNOTABILIDADE eficiente ou rentável, se forcaso.
  18. 18. Neoconsumidor (Fator Chave) Feira livre/Consumidor 1.0 Antes da década de 80 Consumidor Isolado Boca a boca MídiaConsumidor 2.0 Década de 80 até 1995 Consumidor Analógico impressa/ Via lojas Internet/Consumidor 3.0 1995 até 2005 Consumidor Conectado Via Web Uso do celular/Consumidor 4.0 2006 até 2010 Consumidor Móvel Via mobile commerceConsumidor 5.0 Atual, começa a surgir Redes sociais/ Consumidor Onipresente na virada da década Via TV digital
  19. 19. Número de usuários Fatores de impacto Segundo o Ibope NetRatings, somos 83,4 milhões de internautas tupiniquins (setembro de 2012). Sendo o Brasil o 5º país mais conectado. De acordo com a Fecomércio-RJ/Ipsos, o percentual de brasileiros conectados à internet aumentou de 27% para 48%, entre 2007 e 2011. O principal local de acesso é a lan house (31%), seguido da própria casa (27%) e da casa de parente de amigos, com 25% (abril/2010). O Brasil é o 5º país com o maior número de conexões à Internet. Ibope//NetRatings 2012
  20. 20. Fatores de impactoInternautas ativos50,7 milhões de usuários acessam regularmente a Internet. 38% daspessoas acessam à web diariamente; 10% de quatro a seis vezes porsemana; 21% de duas a três vezes por semana; 18% uma vez porsemana. Somando, 87% dos internautas brasileiros entram nainternet semanalmente. Segundo Alexandre Sanches Magalhães, gerente de análise doIbope//NetRatings, o ritmo de crescimento da internet brasileira éintenso. A entrada da classe C para o clube dos internautas devecontinuar a manter esse mesmo compasso forte de aumento nonúmero de usuários residenciais.Ibope//NetRatings 2012
  21. 21. Fatores de impacto Tempo médio de navegação Desde que esta métrica foi criada, o Brasil sempre obteve excelentes marcas, estando constantemente na liderança mundial. Em julho de 2009, o tempo foi de 48 horas e 26 minutos, considerando apenas a navegação em sites. O tempo sobe para 71h30m se considerar o uso de aplicativos on-line (MSN, Emule, Torrent, Skype etc). A última marca aferida foi de 69 horas por pessoa em julho de 2011. Comércio eletrônico Em 2008 foram gastos R$ 8,2 bilhões em compras on-line. Em 2009, mesmo com crise, foram gastos R$ 10,6 bilhões. 2010 fechou com R$ 14,8 bilhões, atingindo 1/3 de todas as vendas de varejo feitas no Brasil e em 2011 foram gastos R$ 18,7 bilhões. Ainda assim, apenas 20% dos internautas brasileiros fazem compras na internet; aqueles que ainda não compram, não o fazem por não considerar a operação segura (69%) ou porque não confiam na qualidade do produto (26%).Ibope//NetRatings 2012
  22. 22. Fatores de impactoPublicidade on-lineA internet se tornou o terceiro veículo de maior alcance no Brasil,atrás apenas de rádio e TV.87% dos internautas utilizam a rede para pesquisar produtos eserviços. Antes de comprar, 90% dos consumidores ouvem sugestõesde pessoas conhecidas, enquanto 70% confiam em opiniõesexpressas online.Ibope//NetRatings 2012
  23. 23. Fatores de impacto- dadosBanda LargaAtingimos 10,04 milhões de conexões em junho de 2008: um ano e meio antesdo previsto, já que essa era a projeção para 2010. Quanto ao volume de dados,o incremento foi de 56 vezes de 2002 até 2007. E a projeção é de um aumentode 8 vezes até 2012; o número de conexões móveis cresceu de 233 mil para1,31 milhão em um ano; Sistemas gratuitos de banda larga sem fio (Wi-Fi)13% dos internautas brasileiros tem uma velocidade de banda larga de 128 a512 Kbps; 45% tem 512 Kbps a 2 Mbps; 27% usa 2 Mbps a 8 Mbps.Em março de 2012 foram criadas mais 3,2 milhões de novas linhas de celulares,em SP agora os números de celular passam a ter 9 dígitos pra atender ademanda de novas linhas. Em 2011, 76% da população tinha celular.Ibope//NetRatings 2012
  24. 24. Redes Sociais
  25. 25. Plataformas de Compartilhamento
  26. 26. Bloggs e Microbloggings
  27. 27. Social Games
  28. 28. Técnicas (agregadores e linkabilidade)
  29. 29. Conjectura Atual do Tema em nosso País • Custos • Recursos Humanos • Tecnologia • Regulamentação (CGI)
  30. 30. Manual de Boas Maneiras
  31. 31. O Bom Uso das Mídias Sociais• Relevância• Engajamento• Mobilidade• Monitoramento (e não controle)• Seja multicanal e observe o melhor uso de cada um deles
  32. 32. O Bom Uso das Mídias Sociais • Cadastrar-se nas redes sociais em nome próprio se for pessoal ou com o nome da instituição – com dados e objetivos completamente desvinculados. • Publicar opiniões baseadas nos princípios da boa-fé e em conformidade legal apenas em nome próprio, evitando associar qualquer tipo de opinião pessoal à marca da empresa em que trabalha; • Evitar exposição excessiva de vida íntima, evitar comentar rotinas do seu dia a dia que podem gerar algum risco de segurança, tais como horários, trajetos, agendas, local de residência;
  33. 33. O Bom Uso das Mídias Sociais • Somente publicar informações corporativas classificadas como públicas, que tenha certeza de que podem ser expostas de forma aberta na internet, evitar falar de rotina de trabalho e zelar pelo sigilo profissional; • Somente associar a marca da empresa quando estiver participando do canal oficial dela estabelecido nas redes sociais e evitar publicação de conteúdos ou opiniões não condizentes com seu cargo ou função. As respostas a terceiros, como consumidores, devem ser dadas apenas pela área competente; • Somente utilizar conteúdos que tenham legitimidade ou dos quais seja autor ou que tenha recebido autorização das demais partes envolvidas previamente;
  34. 34. O Bom Uso das Mídias Sociais • Realizar backups preventivos para evitar a perda de todo o seu conteúdo em situação de apagão digital; • Orientar a todos os envolvidos sobre o uso ético, seguro e legal das redes sociais, inclusive sobre a necessidade de cautela e proteção das informações da família, para evitar vazamento de informações financeiras, relacionadas a conta bancária, cartão de crédito, senhas, remuneração, etc. • Zelar pela proteção da sua reputação e da empresa e informar à área competente qualquer situação ou informação que identificar como relacionada à empresa.
  35. 35. O Bom Uso das Mídias Sociais • Utilizar linguagem e vocabulários adequados, de modo a evitar qualquer tipo de opinião que possa ser considerada ambígua, subjetiva, agressiva, hostil, discriminatória, vexatória, ridicularizante ou que de algum modo possa ferir a imagem da empresa de seus colaboradores, parceiros, fornecedores e clientes, evitar o uso de apelidos para fazer menção a demais colaboradores;
  36. 36. ConclusãoA importância que a rede on-line possui hoje abreas postas para a gestão de possíveis ameaças aReputação de uma Marca ou pessoa, e criaoportunidades de minimizar possíveis efeitosdanosos.Instituições e pessoas devem investir na Rede,mas acima de tudo de forma coerente, integradacom outras mídias off-line e sempre de acordocom a sua missão e valores.Isso porque as mídias sociais sozinhas nãooferecem vantagem competitiva.
  37. 37. ConclusãoCanais como o Twitter, Facebook ou Youtube,são verdadeiros fóruns, nos quais a Reputaçãodas Marcas está nas mãos de usuários e líderesde opinião.Por isso, a grande maioria das empresas estápensando seriamente na importância de ter umaidentidade digital oficial nestes canais, quepermite gerar uma comunicação de igual paraigual.
  38. 38. Quais as tendências para web em 20131 - Crescimento das plataformas móveis.2 - Websites responsivos. Websites que rodamem qualquer plataforma e resolução de tela.3 - Projetos já saem prontos para seremnavegados em iPhones, Ipads e outros.4 - Regionalização de conteúdo.5 - Preparar-se em 2013 para a Copa de 2014.
  39. 39. Dicas interessantes• A nova ferramenta externa SubFree, é um sistema de curtir e ser curtido, ou seja quanto maisvocê curte, mais você ganha pontos e fãs. O diferencial dessa ferramenta, é que não atende somente os usuários do facebook e Twitter (há milhares só para Twitter) mas do Youtube, Google + e sites. O site é seguro e não há risco de dar senhas de suas contas. Só é exigido um rápido cadastro econfirmação de email. 1° - Nas configurações, basta colocar o endereço do site ou rede social (Ex: Facebook.com/DicasFaceBR). 2° - Após clicar em enviar, configure quantos pontos deixará disponível para quem curtir sua página de fãs.
  40. 40. • Agora ter um Blog dentro do Facebook ficou muito fácil. Você pode usar esse APP, https://apps.facebook.com/blogerapp/ para criar posts com maior visibilidade dentro do Facebook. Agora vai ficar fácil compartilhar dicas e textos maiores com fotos, videos, embed• O MyFBCovers. Site e aplicativo voltado para criação de capas(covers) para sua linha do tempo no facebook. Neste site é possivel:Escolher as capas disponiveis em várias categorias e colocar nofacebook.Fazer o upload de sua própria imagem, com ferramentas para ajustartamanho.Você pode disponibilizar sua imagem para que outros usem.Gerar uma capa com as fotos de 24 amigos escolhido por você (videimagem abaixo)
  41. 41. Assinaturas• Para tornar disponível a ferramenta de Assinaturas, visite http://www.facebook.com/about/subscriptions. Você só poderá assinar os perfis de quem der essa permissão. É um serviço novo, acredito que em breve poderemos assinar perfis de famosos, jornalistas, blogueiros, etc. Se desejar voltar atrás e não aceitar que assinem seu perfil, basta configurar, vá no menu "Assinantes" (www.facebook.com/Seuusuário/subscribers) e selecione "Editar configurações" no canto direito.
  42. 42. Camila AndradeDiretora Executivacamila@porthia.com.brVice-Presidente da USEJabaquaraDiretora de Comunicação da USEJabaquaraJornalista e Relações PúblicasDiretora Executiva da Pórthia Assessoria de Comunicação- especialista em Reputação

×