História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses
1
A RUA DE PASSOS MANUEL
E O COLISEU DO PORTO
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses
2
Professor Doutor Artur Filipe...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 3
A Rua de Passos Manuel é
uma das artérias
emblemáticas da Baixa do
Porto ...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 4
O seu nome é uma
homenagem a Manuel da
Silva Passos (1801-1862), que
fico...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 5
Manuel da Silva Passos
Manuel da Silva Passos (São Martinho de
Guifões, B...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 6
Manuel da Silva Passos
Encarnou a esquerda do movimento
vintista na fase ...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 7
VINTISMO
Vintismo é a designação genérica dada à
situação política que do...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 8
VINTISMO
O vintismo iniciou-se com o pronunciamento
militar do Porto de 2...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 9
Setembrismo
Setembrismo é a designação dada à
corrente mais à esquerda do...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 10
Passos Manuel
Foi seu irmão mais velho, e inseparável
aliado na vida pol...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 11
Passos Manuel
Este herói liberal, ligado à fação mais
radical da Revoluç...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 12
Rua de Passos Manuel
Pontos de interesse
• Ateneu Comercial do Porto.
• ...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 13
Rua de Passos Manuel
Pontos de interesse
A rua também é conhecida pela s...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 14
Coliseu do Porto
O Coliseu do Porto é uma das principais
salas de espect...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 15
Coliseu do Porto
O Nascimento do Coliseu.
Os primeiros esboços encontrad...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses
16
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses
17
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses
18
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses
19
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 20
Coliseu do Porto
O Nascimento do Coliseu.
Ao primeiro impulsionador do p...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses
21
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 22
Coliseu do Porto
O Nascimento do Coliseu.
Inesperadamente, é numa época ...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 23
Coliseu do Porto
O Nascimento do Coliseu.
Em 1937, surgem os primeiros e...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 24
Coliseu do Porto
O Nascimento do Coliseu.
Em 1939, Cassiano Branco assum...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 25
Coliseu do Porto
O Nascimento do Coliseu.
Em 1939, Cassiano Branco assum...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 26
Coliseu do Porto
História
A construção iniciou-se em 1937 com as
propost...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 27
Coliseu do Porto
História
Em 1939 Cassiano Branco é convidado a
resolver...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 28
Cassiano Branco
Arquiteto modernista português nascido
em 1898 e falecid...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 29
Cassiano Branco
Formou-se na Escola Nacional de Belas-
Artes de Lisboa e...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 30
Cassiano Branco
Foi responsável pelo Eden Teatro e pelas
Avenidas Novas,...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 31
Cassiano Branco
Em colaboração com Trigo de Morais, foi
ainda autor dos ...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 32
Coliseu do Porto
Obra síntese que encerra o percurso
moderno de Cassiano...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 33
Coliseu do Porto
Em 1939 Cassiano Branco é convidado a
resolver o projec...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 34
Coliseu do Porto
Visando a expressão permanente de um
espectáculo de for...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 35
Coliseu do Porto
O design de interiores não tem uma autoria
muito clara....
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 36
Coliseu do Porto
História
Com projecto, em estilo Arte Deco, dos
arquite...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 37
Coliseu do Porto
História
No ano de 1995 a Companhia de Seguros
AXA, ent...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 38
Coliseu do Porto
História
Uma vez vetada pela autarquia, a
transacção nã...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 39
Coliseu do Porto
História
Em Novembro de 1995, em escritura
notarial out...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 40
Coliseu do Porto
História
Foi criada para o efeito a Associação do
Amigo...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 41
Coliseu do Porto
História
Em 28 de Setembro de 1996 após um
desfile de m...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 42
Coliseu do Porto
História
O Coliseu do Porto voltou a abrir as portas
no...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 43
Coliseu do Porto
História
A recuperação completa da sala só estaria
conc...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 44
Coliseu do Porto
Características
A sala principal do Coliseu do Porto te...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 45
Coliseu do Porto
Características
O Coliseu do Porto dispõe ainda de um
s...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 46
Coliseu do Porto
Talentos de todo o mundo no palco do
Porto.
Durante vár...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 47
Coliseu do Porto
Todos aqueles que aqui acorriam ficavam espantados com ...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 48
Coliseu do Porto
Alguns destaques:
Ópera:
- Maio de 1945 – La Bohème, de...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 49
Coliseu do Porto
Alguns destaques:
- Fevereiro de 1946 - Elixir do Amor,...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 50
Coliseu do Porto
Alguns destaques:
Zarzuela:
-Anos 40 e 50 – estilo musi...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 51
Coliseu do Porto
Alguns destaques:
O Circo e o Teatro:
- O palhaço Oleg ...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 52
Coliseu do Porto
Alguns destaques:
A música clássica e as grandes orques...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 53
Coliseu do Porto
Alguns destaques:
Da Música Ligeira e popular à alterna...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 54
Cinquentenário
Meio século após ter sido inaugurado, o Coliseu do
Porto ...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 55
Coliseu do Porto
1991 – Cinquentenário
Este concerto trouxe de novo à
sa...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 56
Coliseu do Porto
1991 – Cinquentenário
Para partilhar com o público a hi...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 57
Coliseu do Porto
1996 – Incêndio
Um sonho reduzido a cinzas.
Em 28 de Se...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 58
Coliseu do Porto
1996 – Incêndio
Um sonho reduzido a cinzas.
Horas depoi...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 59
Coliseu do Porto
1996 – Incêndio
A sua origem continua indeterminada, ma...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 60
Coliseu do Porto
1996 – Incêndio
Novamente, gerou-se uma cadeia de
solid...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 61
Coliseu do Porto
1996 – Incêndio
O Coliseu do Porto, numa recuperação su...
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses
62
História da Cidade e dos Monumentos
Portuenses 63
Coliseu do Porto
1996 – Incêndio
Entretanto, a recuperação completa da s...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

História da cidade e dos monumentos portuenses rua passos manuel e coliseu do porto

510 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
510
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

História da cidade e dos monumentos portuenses rua passos manuel e coliseu do porto

  1. 1. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 1
  2. 2. A RUA DE PASSOS MANUEL E O COLISEU DO PORTO História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 2 Professor Doutor Artur Filipe dos Santos
  3. 3. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 3 A Rua de Passos Manuel é uma das artérias emblemáticas da Baixa do Porto e localiza-se na freguesia de Santo Ildefonso. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  4. 4. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 4 O seu nome é uma homenagem a Manuel da Silva Passos (1801-1862), que ficou para a história como Passos Manuel. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  5. 5. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 5 Manuel da Silva Passos Manuel da Silva Passos (São Martinho de Guifões, Bouças [designação dada ao Concelho de Matosinhos até 1909], 5 de Janeiro de 18011 — Santarém, 18 de Janeiro de 1862), mais conhecido por Passos Manuel, bacharel formado em Direito, advogado, parlamentar brilhante, ministro em vários ministérios e um dos vultos mais proeminentes das primeiras décadas do liberalismo. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  6. 6. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 6 Manuel da Silva Passos Encarnou a esquerda do movimento vintista na fase inicial da monarquia constitucional, tendo depois assumido o papel de líder incontestado dos setembristas. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  7. 7. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 7 VINTISMO Vintismo é a designação genérica dada à situação política que dominou Portugal entre Agosto de 1820 e Abril de 1823, caracterizada pelo radicalismo das soluções liberais e pelo predomínio político das Cortes Constituintes, fortemente influenciadas pela Constituição Espanhola de Cádis de 1812. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  8. 8. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 8 VINTISMO O vintismo iniciou-se com o pronunciamento militar do Porto de 24 de Agosto de 1820, que conduziu à formação da Junta Provisional do Governo Supremo do Reino presidida pelo brigadeiro António da Silveira Pinto da Fonseca, e terminou com a Vilafrancada, quando a 27 de Maio de 1823 o infante D. Miguel encabeça, em Vila Franca de Xira, uma sublevação militar que leva à abolição da Constituição Política da Monarquia Portuguesa de 1822 e ao restabelecimento, ainda que mitigado, do absolutismo. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  9. 9. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 9 Setembrismo Setembrismo é a designação dada à corrente mais à esquerda do movimento liberal. O setembrismo derivou directamente do vintismo, recebendo a sua designação do apoio prestado por esta facção à Revolução de Setembro de 1836 que levou à promulgação da Constituição de 1838, jurada por D. Maria II. Efémera, pois em 1842 Costa Cabral leva a cabo um golpe de Estado e repõe a Constituição de 1826. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  10. 10. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 10 Passos Manuel Foi seu irmão mais velho, e inseparável aliado na vida política, José da Silva Passos, um também proeminente político da esquerda liberal. Ficou célebre a sua declaração de princípios: “A Rainha é o chefe da nação toda. E antes de eu ser de esquerda já era da Pátria. A Pátria é a minha política”. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  11. 11. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 11 Passos Manuel Este herói liberal, ligado à fação mais radical da Revolução liberal do Porto que mudou Portugal no século XIX, esteve no poder durante nove meses. A ele se deve a reforma do ensino, com a criação, entre outras, da Academia Portuense de Belas- Artes e da Academia Politécnica do Porto. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  12. 12. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 12 Rua de Passos Manuel Pontos de interesse • Ateneu Comercial do Porto. • Edifício do antigo Cinema Olímpia, projetado por João Queiroz • Coliseu do Porto da autoria de Cassiano Branco. • Garagem Passos Manuel, desenhada pelo arquiteto Mário Abreu. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  13. 13. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 13 Rua de Passos Manuel Pontos de interesse A rua também é conhecida pela sua excelência na restauração portuense, nomeadamente com a Casa das Tortas, instalada no n.º 181 há mais de 100 anos, e com os restaurantes Escondidinho e Tripeiro. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos Escondidinho
  14. 14. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 14 Coliseu do Porto O Coliseu do Porto é uma das principais salas de espectáculos localizada na cidade do Porto. O edifício foi classificado como monumento de interesse público pela Portaria n.º 637/2012, de 2 de Novembro de 2012, publicada em Diário da República A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  15. 15. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 15 Coliseu do Porto O Nascimento do Coliseu. Os primeiros esboços encontrados, que sugeriam a construção de uma grande Casa de Espectáculos, datam do ano de 1911. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  16. 16. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 16
  17. 17. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 17
  18. 18. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 18
  19. 19. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 19
  20. 20. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 20 Coliseu do Porto O Nascimento do Coliseu. Ao primeiro impulsionador do projecto, João José da Silva, juntaram-se outros notáveis da cidade: Raúl Marques, Adélio Vaz, Conde da Covilhã e Joaquim José de Carvalho. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  21. 21. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 21
  22. 22. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 22 Coliseu do Porto O Nascimento do Coliseu. Inesperadamente, é numa época em que existe uma conjuntura mundial de extrema insegurança que o projecto avança. O Coliseu do Porto demorou apenas 22 meses a ser construído e custou 11 mil contos, um elevado custo para a época. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  23. 23. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 23 Coliseu do Porto O Nascimento do Coliseu. Em 1937, surgem os primeiros esquissos do edifício pelo arquitecto José Porto, que rapidamente abandona o projecto. Seguem-se vários outros nomes. Yan Wills, arquitecto holandês, fez esboços que ficaram sem efeito. E Júlio de Brito viu os seus estudos serem recusados pela Comissão de Estética da Câmara Municipal do Porto. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  24. 24. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 24 Coliseu do Porto O Nascimento do Coliseu. Em 1939, Cassiano Branco assume o cargo de arquitecto dirigente e conta com a colaboração de Júlio de Brito, com quem mais tarde viria a entrar em conflito. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  25. 25. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 25 Coliseu do Porto O Nascimento do Coliseu. Em 1939, Cassiano Branco assume o cargo de arquitecto dirigente e conta com a colaboração de Júlio de Brito, com quem mais tarde viria a entrar em conflito. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  26. 26. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 26 Coliseu do Porto História A construção iniciou-se em 1937 com as propostas apresentadas por José Porto, Jan Wils (arquitecto holandês responsável, entre outros, pelo estádio Olímpico de Amsterdão) e a reprovada proposta de Júlio José de Brito. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  27. 27. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 27 Coliseu do Porto História Em 1939 Cassiano Branco é convidado a resolver o projecto e, reutilizando a caixa muraria já construída que delimita a sala de espectáculos, palco e corredores, reorganiza a articulação vertical do edifício, da mesma forma que investe na sucessão dos espaços de entrada. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  28. 28. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 28 Cassiano Branco Arquiteto modernista português nascido em 1898 e falecido em 1969. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  29. 29. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 29 Cassiano Branco Formou-se na Escola Nacional de Belas- Artes de Lisboa em 1926 e tornou-se um dos nomes mais marcantes da arquitetura nacional das décadas de 30 e 40. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  30. 30. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 30 Cassiano Branco Foi responsável pelo Eden Teatro e pelas Avenidas Novas, em Lisboa, pelo Coliseu do Porto, pelo Portugal dos Pequeninos, em Coimbra, e pela estação ferroviária de Benguela, em Angola. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  31. 31. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 31 Cassiano Branco Em colaboração com Trigo de Morais, foi ainda autor dos projetos de várias barragens. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  32. 32. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 32 Coliseu do Porto Obra síntese que encerra o percurso moderno de Cassiano Branco, o edifício denuncia o interesse do arquitecto pelo movimento e ideia cinematográfica de espaço, na forma como cumpre um programa festivo e no modo como se encaixa na rua e na cidade, adquirindo o estatuto de referência urbana. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  33. 33. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 33 Coliseu do Porto Em 1939 Cassiano Branco é convidado a resolver o projecto e reutilizando a caixa murária já construída que delimita a sala de espectáculos, palco e corredores, reorganiza a articulação vertical do edifício, da mesma forma que investe na sucessão dos espaços de entrada, elementos bem patentes na valorização do alçado do Coliseu. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  34. 34. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 34 Coliseu do Porto Visando a expressão permanente de um espectáculo de formas arquitectónicas, o arquitecto articula um desenho assimétrico de fachada, que joga com a torre sobrepujada e a pala sobre a entrada. Interiormente, a sala de espectáculos, articulada em ferradura, reforça a ideia conceptual de dinâmica espacial, patente na concepção do edifício. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  35. 35. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 35 Coliseu do Porto O design de interiores não tem uma autoria muito clara. Charles Cicles, autor de diversos teatros de Paris, terá entrado no projecto e elaborou desenhos para o Coliseu mas, aparentemente, só os candeeiros e as portas foram aproveitados e o arquitecto nunca foi remunerado. Seguiu-se Mário Abreu que projectou o interior e fez alterações na sala principal, nas escadarias, na torre da fachada, que deveria ser envidraçada, e eliminou o néon verde, vermelho e branco que acompanharia todo o edifício. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  36. 36. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 36 Coliseu do Porto História Com projecto, em estilo Arte Deco, dos arquitectos Cassiano Branco e Júlio de Brito pertencendo à Companhia de Seguros Garantia, o coliseu foi inaugurado a 19 de Dezembro de 1941, com um concerto da Sinfónica Nacional, dirigida pelo maestro Pedro de Freitas Branco. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  37. 37. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 37 Coliseu do Porto História No ano de 1995 a Companhia de Seguros AXA, então proprietária do imóvel, inicia negociações com a Igreja Universal do Reino de Deus, propondo-se esta última a comprar e a Aliança UAP a vender. Porém, várias personalidades ligadas à cultura, às artes e à autarquia local, promovem uma manifestação de repúdio à eventual transacção. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  38. 38. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 38 Coliseu do Porto História Uma vez vetada pela autarquia, a transacção não se concretiza. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  39. 39. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 39 Coliseu do Porto História Em Novembro de 1995, em escritura notarial outorgada entre a Câmara, a Área Metropolitana do Porto, a Secretaria de Estado da Cultura e a Aliança UAP, constitui-se uma associação sem fins lucrativos com a finalidade de adquirir o Coliseu e geri-lo como espaço de interesse cultural. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  40. 40. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 40 Coliseu do Porto História Foi criada para o efeito a Associação do Amigos do Coliseu. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  41. 41. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 41 Coliseu do Porto História Em 28 de Setembro de 1996 após um desfile de moda com Claudia Schiffer, um incêndio de origem indeterminada, destrói completamente a caixa do palco e provocando graves estragos na sala principal e nos camarins. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  42. 42. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 42 Coliseu do Porto História O Coliseu do Porto voltou a abrir as portas no dia 12 de Dezembro, com o tradicional espectáculo do Circo de Natal. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  43. 43. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 43 Coliseu do Porto História A recuperação completa da sala só estaria concluída dois anos mais tarde reabrindo ao público no dia 24 de Novembro de 1998, com a ópera Carmen, de Bizet. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  44. 44. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 44 Coliseu do Porto Características A sala principal do Coliseu do Porto tem 3.000 lugares sentados, entre plateia, tribunas, camarotes, frisas, galeria reservada e geral, e permite que nela sejam realizados todo o tipo de espectáculos: música, bailado, teatro, ópera, circo, cinema, etc. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  45. 45. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 45 Coliseu do Porto Características O Coliseu do Porto dispõe ainda de um salão Ático com capacidade para cerca de 300 pessoas, vocacionado para pequenos bailes ou espectáculos, conferências, congressos ou assembleias enquadradas na capacidade da sala. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  46. 46. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 46 Coliseu do Porto Talentos de todo o mundo no palco do Porto. Durante várias décadas, o Coliseu do Porto viveu sob as luzes da ribalta, proporcionando aos portuenses todo o tipo de espectáculos: ópera, dança, música clássica, música ligeira e popular, espectáculos de variedades, musicais, circo, festas de carnaval, reveillons, cinema, saraus e congressos. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos Herbert von Karajan
  47. 47. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 47 Coliseu do Porto Todos aqueles que aqui acorriam ficavam espantados com a qualidade artística dos espectáculos que enchiam o nosso palco. Foram os momentos de glamour do Coliseu do Porto. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  48. 48. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 48 Coliseu do Porto Alguns destaques: Ópera: - Maio de 1945 – La Bohème, de Bizet, e Rigoletto, de Verdi, pela Orquestra Sinfónica Nacional e pela Escola do Corpo Coral do Teatro São Carlos; A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  49. 49. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 49 Coliseu do Porto Alguns destaques: - Fevereiro de 1946 - Elixir do Amor, de Donizettti e o Trovador, de Verdi, pela Grande Companhia de Ópera Italiana; - Anos 50 – Tosca, de Puccini e Rigoletto, de Verdi, pela Companhia Lírica Italiana, dirigida por Ino Savini; - Dezembro de 1959 – Rosas de Todo o Ano e O Cavaleiro das Mãos Irresistíveis, pela Companhia de Ópera Portuguesa; - 1990 – Ópera de Pequim. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  50. 50. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 50 Coliseu do Porto Alguns destaques: Zarzuela: -Anos 40 e 50 – estilo musical e teatral tipicamente espanhol e que criou os seus fãs também em Portugal. A primeira temporada começou em Novembro de 1945, pela Grande Companhia Sagi-Vela. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  51. 51. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 51 Coliseu do Porto Alguns destaques: O Circo e o Teatro: - O palhaço Oleg Popov e o mimo Marcel Marceau Dança: - Anos 60 – Ballet do Marquis de Cuevas (1961), London´s Royal Ballet (1962), com Margot Fonteyn e Rudolf Nureyev, Ballet de Câmara de Paris (1962); Ballet Nacional da Holanda (1967); - Anos 70 – predomínio do Ballet Soviético. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  52. 52. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 52 Coliseu do Porto Alguns destaques: A música clássica e as grandes orquestras: - 1947 – France Ellegard; - 1950 – dois meninos prodígio: Pierino Gamba, com a Orquestra Sinfónica Nacional, e Roberto Benzi que, com 11 anos, dirigiu a Orquestra Sinfónica do Porto; - Novembro de 1954 – Ino Savini apresenta Maria João Pires, uma menina especialmente dotada para o piano; - 1961 – V Festival Gulbenkian de Música.. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  53. 53. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 53 Coliseu do Porto Alguns destaques: Da Música Ligeira e popular à alternativa e intimista: - 1951 – Amália Rodrigues; - Fevereiro de 1959 – I Festival da Canção Portuguesa; - 1966 – I Festival Musical do Porto, dividido em quatro tipos de música: moderna, dançada, folclórica e diversa; - 1989 - 4 Pianos de António Vitorino de Almeida, integrado na Queima das Fitas, leva ao palco pianistas de craveira internacional;. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  54. 54. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 54 Cinquentenário Meio século após ter sido inaugurado, o Coliseu do Porto celebrou esta data de forma grandiosa, com uma série de iniciativas. O ponto alto das comemorações do cinquentenário foi o Concerto Inaugural, que recriou o que tinha sido apresentado 50 anos antes, aquando da Gala de Abertura do Coliseu do Porto, desta vez interpretado pela Orquestra do Porto - Régie Cooperativa Sinfonia, dirigida pelo maestro Jan Lathan-Koenig. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  55. 55. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 55 Coliseu do Porto 1991 – Cinquentenário Este concerto trouxe de novo à sala do Coliseu a pianista Helena Moreira Sá e Costa, agora acompanhada pelo seu aluno, e também já pianista consagrado, Pedro Burmester. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  56. 56. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 56 Coliseu do Porto 1991 – Cinquentenário Para partilhar com o público a história e o património cultural e emocional do Coliseu do Porto, foi ainda exposta, no Salão Ático, uma mostra retrospectiva, composta por fotos, postais ilustrados, programas de espectáculos, moedas, objectos, incluindo a primeira máquina de cinema portuguesa, pertencente a Alves dos Reis, e o precioso espólio de partituras musicais do Arquivo do Salão Jardim Passos Manuel. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  57. 57. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 57 Coliseu do Porto 1996 – Incêndio Um sonho reduzido a cinzas. Em 28 de Setembro de 1996 todas as atenções estavam viradas para a modelo Claudia Schiffer, principal atracção do desfile de moda Portugal Fashion 96, que teve lugar no Coliseu do Porto. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  58. 58. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 58 Coliseu do Porto 1996 – Incêndio Um sonho reduzido a cinzas. Horas depois, um incêndio deflagra, destruindo completamente a caixa do palco e provocando graves estragos na sala principal e nos camarins.. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  59. 59. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 59 Coliseu do Porto 1996 – Incêndio A sua origem continua indeterminada, mas as suas consequências foram dramáticas. Viveram- se horas de choque e consternação. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  60. 60. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 60 Coliseu do Porto 1996 – Incêndio Novamente, gerou-se uma cadeia de solidariedade, quer por parte das instituições – Presidente da República, Governo, Câmara Municipal do Porto, – quer por parte de empresas e particulares que contribuíram com apoio financeiro e materiais para a reconstrução. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  61. 61. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 61 Coliseu do Porto 1996 – Incêndio O Coliseu do Porto, numa recuperação surpreendente, voltou a abrir as portas no dia 12 de Dezembro, com o tradicional espectáculo do Circo de Natal. O Coliseu tornava assim a renascer das cinzas para agrado de todos.. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos
  62. 62. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 62
  63. 63. História da Cidade e dos Monumentos Portuenses 63 Coliseu do Porto 1996 – Incêndio Entretanto, a recuperação completa da sala só estaria concluida dois anos mais tarde, em 1998, reabrindo triunfalmente ao público no dia 24 de Novembro, com a ópera CARMEN, de Bizet, numa co-produção entre a Associação Amigos do Coliseu do Porto, o Círculo Portuense de Ópera e a Orquestra Nacional do Porto. A Rua de Passos Manuel e o Coliseu do Porto Artur Filipe dos Santos

×