Transgênero / Transexual Gilvan Neiva Fonseca HC / FM / UFG Serviço de Urologia [email_address]
TRANSEXUALISMO <ul><li>nº POPULAÇÃO </li></ul><ul><li>Homens  - xy 1  30.000  </li></ul><ul><li>Mulheres - xx 1  100.000 <...
TRANSEXUALISMO <ul><li>HISTÓRICO </li></ul><ul><li>Autores Conceitos  Ano </li></ul><ul><li>Alfred Kinsey  Diferenças sexu...
TRANSEXUALISMO <ul><li>HISTÓRICO </li></ul><ul><li>Autores Conceitos  Ano </li></ul><ul><li>Cohen/Kattenis  Cirurgias repa...
CONCEITOS <ul><li>TRANSEXUALISMO </li></ul><ul><li>Permanente e extrema insatisfação com a sua anatomia genital   </li></u...
CAUSAS <ul><li>Distúrbios genéticos </li></ul><ul><li>Distúrbios hormonais </li></ul><ul><li>Condições psiquiátricas </li>...
TRANSEXUALISMO <ul><li>CONCEITOS DE MORALIDADE </li></ul><ul><li>Verdades Subjetivas </li></ul><ul><li>Questionamentos emo...
TRANSEXUALISMO <ul><li>Liberação costumes </li></ul><ul><li>Respeito às individualidades </li></ul><ul><li>Diminuição prec...
TRANSEXUALISMO <ul><li>QUESTÕES BÁSICAS </li></ul><ul><li>Biológicas </li></ul><ul><li>Psicológicas </li></ul><ul><li>Soci...
TRANSEXUALISMO <ul><li>TRANSTORNOS DE IDENTIDADE GENÉRICA   </li></ul><ul><li>Identificação persistente com genêro oposto ...
CONCEITOS (IMPORTANTES?) <ul><li>Transgênero : </li></ul><ul><li>Pessoa que transcende as definições convencionais de home...
CONCEITOS <ul><li>Identidade sexual :  como o indivíduo se percebe e se sente em relação ao seu  sexo </li></ul><ul><li>Gê...
TRANSEXUALISMO <ul><li>SENTIMENTOS DE INSATISFAÇÃO </li></ul><ul><li>Desconforto persistente com seu sexo </li></ul><ul><l...
TRANSEXUALISMO <ul><li>INDICAÇÕES MÉDICAS </li></ul><ul><li>Elementos biológicos / cromossomos / gônadas  </li></ul><ul><l...
TRANSEXUALISMO <ul><li>Avaliação diagnóstica </li></ul><ul><li>Protocolo de tratamento </li></ul><ul><li>Identidade genéri...
TRANSEXUALISMO <ul><li>AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA </li></ul><ul><li>Avaliação histórica / 2 anos </li></ul><ul><li>Depoimento d...
TRANSEXUALISMO <ul><li>CRITÉRIOS / ANÁLISES </li></ul><ul><li>Compreender as variabilidade / experiências </li></ul><ul><l...
<ul><li>Resolução CFM n° 1482/97 - 19/09/1997  </li></ul><ul><li>modificada pela resolução </li></ul><ul><li>CFM 1652/2002...
DEFINIÇÃO E SELEÇÃO DE PACIENTES (Resolução CFM 1482/97) <ul><li>1 - A definição de transexualismo obedece no mínimo, aos ...
DEFINIÇÃO E SELEÇÃO DE PACIENTES (Resolução CFM 1482/97) <ul><li>2 - A seleção dos pacientes para cirurgia de transgenital...
DOCUMENTOS EXIGIDOS <ul><li>PROTOCOLO </li></ul><ul><li>Declaração do paciente  explicando desejo e razão para requerer ci...
EQUIPE MULTIDISCIPLINAR <ul><li>Psiquiatra  </li></ul><ul><li>Psicóloga </li></ul><ul><li>Geneticista </li></ul><ul><li>Gi...
PROCEDIMENTOS <ul><li>Cadastramento   </li></ul><ul><li>Entrevista inicial  com a coordenadora </li></ul><ul><li>Estudos  ...
ENTREVISTA INICIAL <ul><li>NORMATIZAÇÕES </li></ul><ul><li>Explicar a dinâmica do projeto </li></ul><ul><li>Informar sobre...
DINÂMICA <ul><li>Psicoterapia semanal /  1 a 3 vezes / semana </li></ul><ul><li>Após 6 meses de utilização de roupas do se...
PROPOSTA DO SERVIÇO DA PSICOLOGIA <ul><li>ATENDIMENTO INDIVIDUAL </li></ul><ul><li>Grupo terapêutico / interativo </li></u...
HORMONIOTERAPIA <ul><li>TX masculino: </li></ul><ul><li>Estrogênios conjugados  1,25 a 2,5  mg/dia </li></ul><ul><li>Aceta...
PROPOSTA UROLÓGICA <ul><li>Reconstrução cosmética / funcional </li></ul><ul><li>Amputação peniana </li></ul><ul><li>Orquie...
NEOCLÍTORIS <ul><li>Jamil Rehman, et al. J. Urol. Vol. 151, 200-206, 1999 </li></ul>
1 2 3 Vias de acesso
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
OBRIGADO
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Projeto transexual aula

5.033 visualizações

Publicada em

Transgênero / Transexual


Gilvan Neiva Fonseca
HC / FM / UFG
Serviço de Urologia

Publicada em: Saúde e medicina

Projeto transexual aula

  1. 1. Transgênero / Transexual Gilvan Neiva Fonseca HC / FM / UFG Serviço de Urologia [email_address]
  2. 2. TRANSEXUALISMO <ul><li>nº POPULAÇÃO </li></ul><ul><li>Homens - xy 1 30.000 </li></ul><ul><li>Mulheres - xx 1 100.000 </li></ul><ul><li>DESEJO DE MUDANÇA DE SEXO </li></ul>
  3. 3. TRANSEXUALISMO <ul><li>HISTÓRICO </li></ul><ul><li>Autores Conceitos Ano </li></ul><ul><li>Alfred Kinsey Diferenças sexuais 1940 </li></ul><ul><li>John Money Conceito identidade de gênero 1950 </li></ul><ul><li>Pauly / Edgerton Identidade genérica 1965 </li></ul><ul><li>Mate-Kole / Freschi Psicopatologia pacientes 1988 </li></ul><ul><li>Hepp Buddeberg Equipes / legislações 1999 </li></ul>
  4. 4. TRANSEXUALISMO <ul><li>HISTÓRICO </li></ul><ul><li>Autores Conceitos Ano </li></ul><ul><li>Cohen/Kattenis Cirurgias reparadoras 2000 </li></ul><ul><li>Descamps/Herve Cirurgias modificação sexo 2000 </li></ul><ul><li>Bosinski Tratamento psicoterápico 2003 </li></ul><ul><li>Sosa e col Efeitos estrógenos / complicações 2003 </li></ul>
  5. 5. CONCEITOS <ul><li>TRANSEXUALISMO </li></ul><ul><li>Permanente e extrema insatisfação com a sua anatomia genital </li></ul><ul><li>condição de desacordo entre sexo anatômico e psicológico </li></ul><ul><li>Caudwell, D.: Psychopatia transsexualis. Sexology, 16: 274, 1949 </li></ul>
  6. 6. CAUSAS <ul><li>Distúrbios genéticos </li></ul><ul><li>Distúrbios hormonais </li></ul><ul><li>Condições psiquiátricas </li></ul><ul><li>Estados paranóicos </li></ul><ul><li>Diferentes sociedades e culturas </li></ul><ul><li>Zhou, J.N., et al. Nature, 378: 68, 1995 </li></ul><ul><li>van Kesteren, P.J., et al. Arch. Sex. Behav., 25: 589, 1996 </li></ul>
  7. 7. TRANSEXUALISMO <ul><li>CONCEITOS DE MORALIDADE </li></ul><ul><li>Verdades Subjetivas </li></ul><ul><li>Questionamentos emocionais </li></ul><ul><li>Importância da simbologia </li></ul><ul><li>Questionamentos sociológicos </li></ul><ul><li>Benedict, R. The Chrysanthemun and the Sword, Perspectiva, São Paulo. 1972 </li></ul><ul><li>Beauvoir, S. Le Deuxième Sexe, Nova Fronteira, Rio de Janeiro. 1980 </li></ul><ul><li>Fadiman, A. Farrar, Straus and Giroux, New York. 1997 </li></ul>
  8. 8. TRANSEXUALISMO <ul><li>Liberação costumes </li></ul><ul><li>Respeito às individualidades </li></ul><ul><li>Diminuição preconceitos </li></ul><ul><li>Atendimento contextualizado </li></ul><ul><li>Necessidades personalizadas </li></ul><ul><li>Valorização de qualidade de vida </li></ul>
  9. 9. TRANSEXUALISMO <ul><li>QUESTÕES BÁSICAS </li></ul><ul><li>Biológicas </li></ul><ul><li>Psicológicas </li></ul><ul><li>Sociológicas </li></ul><ul><li>Culturais </li></ul><ul><li>Éticas </li></ul><ul><li>Jurídicas </li></ul>
  10. 10. TRANSEXUALISMO <ul><li>TRANSTORNOS DE IDENTIDADE GENÉRICA </li></ul><ul><li>Identificação persistente com genêro oposto </li></ul><ul><li>Preferências / fantasias / comp. do sexo oposto </li></ul><ul><li>Estereotípos do sexo oposto </li></ul><ul><li>Preferência companheiro sexo oposto </li></ul><ul><li>Brown, G.: J. Clin. Psych., 51: 57, 1990 Doorn, C.D. et al. Arch. Sex. Behav., 23: 185, 1994 </li></ul><ul><li>Landen, M., et al. Acta Psych. Scand., 93: 221, 1996 </li></ul>
  11. 11. CONCEITOS (IMPORTANTES?) <ul><li>Transgênero : </li></ul><ul><li>Pessoa que transcende as definições convencionais de homem e mulher; </li></ul><ul><li>Difere do seu gênero de nascer; </li></ul><ul><li>Não pode ou não quer conformar-se com as normas sociais associadas a seu sexo biológico. </li></ul>
  12. 12. CONCEITOS <ul><li>Identidade sexual : como o indivíduo se percebe e se sente em relação ao seu sexo </li></ul><ul><li>Gênero : é um elemento constitutivo das relações sociais baseadas nas diferenças percebidas entre os sexos e é uma forma primária de dar significado às relações de poder </li></ul><ul><li>Identidade de gênero : processo que localiza o sujeito no mundo a partir das diferenças de sexo </li></ul>
  13. 13. TRANSEXUALISMO <ul><li>SENTIMENTOS DE INSATISFAÇÃO </li></ul><ul><li>Desconforto persistente com seu sexo </li></ul><ul><li>Repulsa ao pênis e testículos </li></ul><ul><li>Desejo de desenvolver os seios </li></ul><ul><li>Desejo de menstruar </li></ul><ul><li>Sofrimento clínico significativo </li></ul><ul><ul><li>prejuízo social / familiar / ocupacional </li></ul></ul>
  14. 14. TRANSEXUALISMO <ul><li>INDICAÇÕES MÉDICAS </li></ul><ul><li>Elementos biológicos / cromossomos / gônadas </li></ul><ul><li>Predominância do gênero / experiência / comportamento </li></ul><ul><li>Transformações corporais / avaliação criteriosa </li></ul><ul><li>Variabilidade de experiências / critérios </li></ul><ul><li>Qualificação científica / demanda </li></ul>
  15. 15. TRANSEXUALISMO <ul><li>Avaliação diagnóstica </li></ul><ul><li>Protocolo de tratamento </li></ul><ul><li>Identidade genérica </li></ul><ul><li>Alteração jurídica </li></ul>
  16. 16. TRANSEXUALISMO <ul><li>AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA </li></ul><ul><li>Avaliação histórica / 2 anos </li></ul><ul><li>Depoimento de familiares </li></ul><ul><li>Graus de sofrimento psíquico </li></ul><ul><li>Prejuízos vida afetiva / ocupacional / social </li></ul><ul><li>Análise psiquiátrica </li></ul><ul><li>Análises laboratoriais / imagens </li></ul><ul><li>Desejos e perspectivas futuras </li></ul>
  17. 17. TRANSEXUALISMO <ul><li>CRITÉRIOS / ANÁLISES </li></ul><ul><li>Compreender as variabilidade / experiências </li></ul><ul><li>Aprimorar critérios técnicos / científicos </li></ul><ul><li>Demanda de centros universitários </li></ul><ul><li>Jurisprudência / judiciário brasileiro </li></ul><ul><li>Adoção de conceitos e critérios bem delineados </li></ul>
  18. 18. <ul><li>Resolução CFM n° 1482/97 - 19/09/1997 </li></ul><ul><li>modificada pela resolução </li></ul><ul><li>CFM 1652/2002 - 06/11/2002 </li></ul><ul><li>Maio de 1999 - HC </li></ul>PROJETO TRANSEXUALISMO HC - FM - UFG
  19. 19. DEFINIÇÃO E SELEÇÃO DE PACIENTES (Resolução CFM 1482/97) <ul><li>1 - A definição de transexualismo obedece no mínimo, aos critérios abaixo enumerados: </li></ul><ul><li>Desconforto com o sexo anatômico natural </li></ul><ul><li>Desejo expresso de eliminar os genitais, perder as características primárias e secundárias do próprio sexo e ganhar as do sexo oposto </li></ul><ul><li>Permanência desse distúrbio de forma contínua consistente por, no mínimo dois anos </li></ul><ul><li>Ausência de outros transtornos mentais </li></ul>
  20. 20. DEFINIÇÃO E SELEÇÃO DE PACIENTES (Resolução CFM 1482/97) <ul><li>2 - A seleção dos pacientes para cirurgia de transgenitalismo obedecerá a avaliação de equipe multidisciplinar: </li></ul><ul><li>Diagnóstico médico de transexualismo </li></ul><ul><li>Maiores de 21 anos </li></ul><ul><li>Ausência de características físicas inapropriados para a cirurgia </li></ul><ul><li>Ausência de transtorno(s) mentais impeditivos da realização das cirurgias </li></ul>
  21. 21. DOCUMENTOS EXIGIDOS <ul><li>PROTOCOLO </li></ul><ul><li>Declaração do paciente explicando desejo e razão para requerer cirurgia transexual; </li></ul><ul><li>Consentimento livre e informado por escrito da cirurgia com o detalhamento, da proposta cirúrgica e os resultados esperados; </li></ul><ul><li>Parecer psiquiátrico com indicação para realização da programação cirúrgica; </li></ul><ul><li>Parecer psicológico com indicação de realização da programação cirúrgica; </li></ul><ul><li>Parecer de sexólogo com a mesma indicação dos profissionais citados acima; </li></ul><ul><li>Nome do responsável técnico pelo ato cirúrgico, inscrito no CRM-GO; </li></ul>
  22. 22. EQUIPE MULTIDISCIPLINAR <ul><li>Psiquiatra </li></ul><ul><li>Psicóloga </li></ul><ul><li>Geneticista </li></ul><ul><li>Ginecologista </li></ul><ul><li>Urologista </li></ul><ul><li>Cirurgia plástica </li></ul><ul><li>Otorrinolaringologista </li></ul><ul><li>Endocrinologista </li></ul>
  23. 23. PROCEDIMENTOS <ul><li>Cadastramento </li></ul><ul><li>Entrevista inicial com a coordenadora </li></ul><ul><li>Estudos genéticos </li></ul><ul><li>Estudos endocrinológicos (endocrinologia) </li></ul><ul><li>Encaminhamento psiquiatria / psicologia / sexólogo </li></ul><ul><li>Consulta com ginecologista / urologista </li></ul><ul><li>Após no mínimo 2 anos / emissão de laudos e pareceres pela Psicologia e Psiquiatria, com indicação da cirurgia; </li></ul><ul><li>Cirurgia de redesignação de sexo; </li></ul><ul><li>Acompanhamento clínico pela Psicologia e coordenação. </li></ul>
  24. 24. ENTREVISTA INICIAL <ul><li>NORMATIZAÇÕES </li></ul><ul><li>Explicar a dinâmica do projeto </li></ul><ul><li>Informar sobre critérios inclusão / exclusão </li></ul><ul><li>Esclarecer sobre os direitos e deveres do paciente </li></ul><ul><li>Solicitar a utilização de roupas do sexo oposto </li></ul><ul><li>Realizar exame físico detalhado </li></ul><ul><li>Realizar rotina de exames complementares </li></ul>
  25. 25. DINÂMICA <ul><li>Psicoterapia semanal / 1 a 3 vezes / semana </li></ul><ul><li>Após 6 meses de utilização de roupas do sexo oposto / iniciar hormonioterapia </li></ul><ul><li>Após no mínimo 2 anos de inserção no projeto / indicação documentada / opera-se </li></ul>
  26. 26. PROPOSTA DO SERVIÇO DA PSICOLOGIA <ul><li>ATENDIMENTO INDIVIDUAL </li></ul><ul><li>Grupo terapêutico / interativo </li></ul><ul><li>Apoio psicológico e orientação aos familiares </li></ul><ul><li>Emissão de laudo psicológico para liberação de cirurgias </li></ul>
  27. 27. HORMONIOTERAPIA <ul><li>TX masculino: </li></ul><ul><li>Estrogênios conjugados 1,25 a 2,5 mg/dia </li></ul><ul><li>Acetato de ciproterona 10 a 50 mg/dia </li></ul><ul><li>Acetato de medroxiprogesterona 5 mg </li></ul><ul><li>TX feminino: </li></ul><ul><li>Metiltestosterona 10 a 20 mg/dia </li></ul>
  28. 28. PROPOSTA UROLÓGICA <ul><li>Reconstrução cosmética / funcional </li></ul><ul><li>Amputação peniana </li></ul><ul><li>Orquiectomia bilateral </li></ul><ul><li>Construção da neovagina </li></ul><ul><li>Neoclítoris / preservação feixe neurovascular </li></ul><ul><li>Atividade sexual / prazer / orgasmo </li></ul><ul><li>Neouretroplastia </li></ul>
  29. 29. NEOCLÍTORIS <ul><li>Jamil Rehman, et al. J. Urol. Vol. 151, 200-206, 1999 </li></ul>
  30. 30. 1 2 3 Vias de acesso
  31. 89. OBRIGADO

×