SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 79
NEFRECTOMIA PARCIAL SEMPRE QUE POSSÍVEL.Quais os limites? 1o SIMPÓSIO ABC DE UROLOGIA AGOSTO 2010 Lucas  Mendes Nogueira Nogueira CoordenadorGrupoUro-oncologia HC - UFMG
“Primum non nocere”  “First, do no harm”
Epidemiologia Cerca de 3% das neoplasiasmalignas (EUA) Estimativa2009: 57.760  novoscasos 12.980 óbitos Aumentodaincidênciaedamortalidade (1971) Incidência – 5 x Mortalidade – 2 x  7.1 / 105 em 1980		10.9 / 105 em 2002 Jemal A, Siegel R, Ward E, Hao Y, Xu J, Murray T, Thun MJ. Cancer statistics, 2009.  CA Cancer J Clin2009:59:225-49
Alterações Demográficas  	2 ♂ : 1 ♀    	 Inalterado Idade : Diagnóstico – 66 anos Óbito – 70 anos Explicações: Acessosistemasaúde Comorbidadesassociadasgerammaisexames de imagem Parkin CM, Whelan SL, Ferlay J, et alIn: Cancer incidence in fivecontinents, Vol VIII. Lyon (France): International Agency for Research on Cancer; 2002. Ries LAG, Harkins D, Krapcho M, et al. SEER cancer statistics review, 1975–2004. Available at: http://seer.cancer.gov/csr/1975_2004/. AccessedFebruary 1, 2008.
Dectecção IncidentalCâncer Renal
Renal Cortical TumorsTamanhomédio (3.3 cm in 2008)MSKCC
SRM Incidência das lesões entre 3 e 4 cm cresceu de 1 para 3.3/105 ,[object Object]
AML
Oncocitoma
Adenoma metanéfrico
CistoHemorrágico
Biópsia
70% acurácia
90 % com uso de imuno-histoquímica,[object Object]
NefrectomiaParcial / Câncer Renal Técnica de excessão no passado – “essencial”:  Rim único Insuficiência renal Tumoresbilaterais Transiçãonosúltimos 15 anosparasituações “eletivas”
Tendência à Preservação Renal Sucesso no câncer de mama e sarcoma de partes moles Diagnósticosemestágiosmaisprecoces Tumoresbenignos Agressividade Doençametastática Avanços no conhecimento molecular / histológicodaneoplasia. Eficáciaoncológica – T1a/b Função renal empacientesportadores de ca renal / Evidência dos efeitosdeletériosda IRC
Tamanho x Tumores Benignos 2.675 pts 311 (12%) benignos OR 1 cm  1.16  (95% CI 1.11-1.22) p<0.001 Thompson H, Nogueira L, Russo P et al. J Urol, 2009
Tamanho x Agressividade 1523 Conv RCC 311 (12%) benignos OR 1 cm  OR 1.25 –   (95% CI 1.21-1.30; p<0.001).  Thompson H, Nogueira L, Russo P et al. J Urol, 2009
Tamanho x Metástases Thompson H, Russo P et al. Lancet oncology, 2009
1997 Heidelberg ClassificationRenal Cortical Tumors Benign ParenchymalNeoplasms Metanephric Adenoma Metanephricadenofibroma Papillary renal cell adenoma Renal Oncocytoma AML Malignant ParenchymalNeoplasms Conventional renal cell carcinoma (Clear Cell) Papillary renal cell carcinoma Chromophobe renal cell carcinoma  Collecting duct carcinoma Medullary carcinoma of the kidney Unclassified  “Sarcomatoid” or “granular” apply to tumors across subtypes. Kovacs, G., Akhtar, M., and Beckwith, B. J.: The Heidelberg Classification of renal cell tumors.  J Pathol, 183: 131, 1997
Progression Free Probability by Histological Subtype Oncocytoma Chromophobe Papillary Conventional (Clear Cell) p=.0027: Papillary vs. Clear Cell p< 0.001 Chromophobe vs. Clear Cell p< 0.0001 Oncocytoma vs. Clear Cell
Bilateral Sporadic Renal Cortical TumorsMSKCC 1989-2001 Patel et al.: Urology 61: 921-925, 2003 46/1082 patients (4.25%) identified with bilateral renal cortical tumors. Clear cell most common (66%), discordance between tumors 23.8%. DFS rates equivalent to unilateral tumors possible with combinations of PN, RN. Multifocal Renal Cortical TumorsMSKCC 1989-2001Richstone et al. Journal of Urology, 171: 615-620, 2004. ,[object Object]
Evidence of multifocality on preoperative imagining in 19/57 cases (33.3%).
No difference in OS or DFS between multifocal and unifocal groups
Predictors of multifocality: Bilaterality, Nodal Involvement, Gender, and Papillary histologic sub-type,[object Object]
Função Renal / Câncer Conceitoquepacientessubmetidos a Nrad, apesar do aumento de escóriasnãoestariamemrisco de efeitos a longoprazopelopapelcompensador do rim contralateral.  Dados referentes a doadoresrenais – doadoresnãoapresentavamriscoaumentado de IRC requerendodiáliseouóbito. Najaraian JS et al. Lancet, 1992
Função Renal / Câncer Doadoresrenaisnãorepresentam a populaçãoportadora de Ca Renal: Selecionados “Screening”para co-morbidades Idade < 40 anos Najaraian JS et al. Lancet, 1992
Função Renal / Câncer Populaçãoportadora de Ca Renal: Idade  - 60 anos Comorbidades com efeitonafunção renal Hipertensão DM Síndromemetabólica Obesidade DoençasVasculares Bijol V et al. Am J Patho, 2006
“Chronic kidney disease is an independent risk factor for serious cardiovascular comorbidites and death. Go AS et al., N Engl J Med 2004
Go AS et al., N Engl J Med 2004
Evaluation of Nonneoplasic Pathology in Tumor Nephrectomy Specimens. Análise do tecidonãoafetadoporneoplasiaem 110 pacientessubmetidos a nefrectomiaparatratamento de Ca Renal.  Apenas 10% apresentavamausência de alteraçõeshistológicas Demais: Nefropatiadiabética Esclerose vascular Alteracõesmesenquimais Hipertrofiaglomerular Glomeruloesclerosedifusa Bijol V et al. Am J Patho, 2006
Renal Function: NSS versus RNMSKCC Experience (N=290)  Matched comparison of  patients treated for renal tumors <= 4.0 cm with RN (173) and PN(117) for renal insufficiency over time (defined as Creat > 2 mg/dl). Controlled for the following risk factors: diabetes, hypertension, ASA score, age, preoperative creatinine, and history of smoking tobacco. McKiernan et al.  Urology 59:816-820, 2002
Função renal ,[object Object]
 Hipertrofia glomerular
Expansão mesangial
Glomeruloesclerose difusaLancet, 2006
Função renal e nefrectomia radical Lancet, 2006
Nefrectomia Parcial Eficáciada NP emtumoresrenaisaté 4 cm Taxas de curaesobrevidalivremetástases = NR Complicaçõescomparáveis Técnicaematerias (cola, argônio, US, etc) Técnica de escolhanos “guidelines”  – SBU / NCCN/ EAU / AUA
[object Object]
Overall, 1,401 (9.6%) were treated with partial nephrectomy.
Trends till 2001 of increased use of partial nephrectomy
Below Graph: A = ≤ 2 cm; B = 2 to 4 cm; C = 4 to 7 cm
Even though they witnessed increasing use of partial nephrectomy over the past two decades, nationwide, the use of nephron sparing surgery “remains relatively infrequent, even for the smallest renal masses.”Miller et al.: Journal of Urology 175:853-858, 2006
SobrevidaCâncerEspecíficaCa Renal Sobrevida(%) 						5 yr		10 yr 		Stage I		 	 95		   95 		Stage II		 88		   81 		Stage III		 	 59		   43 		Stage IV		 	 20		   14 Javidan, et al 1997	Stricker, et al 1999
MargemRessecção – 1 cm
Sutherland SE et al.Does the size of the surgical margin in partial nephrectomy for renal cell cancer really matter? J Urol 167: 61-64(2002)  44 pts Margens (média) – 2 mm Mneg– ausência de recorrência (RC) Mcomp– 3 (6,8%) 1 RC – local e sistêmica Conclusão: “O tamanho da margem foi irrelevante. Apenas uma margem mínima (menor que 5mm) deve ser mantida  durante nefrectomia parcial para câncer renal localizado.”
Timsit MO et alProspective study of safety margins in partial nephrectomy: intraoperative assessment and contribution of frozen section analysis. Urology 67: 923-926. (2006)  61 pts Todas as margens de ressecção livres Nenhuma recorrência tumoral Margem média – 2 mm (0 – 5) Conclusão: “Nenhuma relação foi observada entre a margem peri-tumoral e o risco de progressão da doença, mesmo em tumores próximos ao hilo.”
Kwon EO et al. Impact of positive surgical margins in patients undergoing partial nephrectomy for renal cortical tumours.BJU Int 99: 286-289 (2007)  770 pts Mcomp– 57 (7%) – todos com congelação negativa Indicação imperativa relacionada com a margem Recorrência: Mcomp– 2 Mneg - 4 Conclusão: “Não houve associação do status da margem de ressecção com a ocorrência de recorrência tumoral.”
A espessura da margem parece não estar associada ao risco de recorrência tumoral, de modo que qualquer margem é aceitável, desde que toda a neoplasia seja removida
Yossepowitch et al.Positive surgical margins at partial nephrectomy: predictors and oncological outcomes.J Urol (2008)  1344 pts Mcomp - 77 (5,5%) Todos em protocolo de vigilância ativa Sobrevida câncer específica e livre de metástases (10 anos) equivalentes.
Minimizando o Risco de Mcomp Apesar das evidências de não relação de margens comprometidas e recorrência tumoral, SEMPRE devemos objetivar a retirada total da neoplasia com margens de ressecção LIVRES.
Tumors 7 cm or lessMSKCC: Disease Free Probability(Journal of Urology 171: 1781A, 2004.) Total Cohort Conventional Clear Cell Subgroup N = 1040 (43 PN > 4cm) N = 644 (17 PN > 4cm)
Conventional Clear Cell Ca 4 to 7cmPN v. RN (Dash et al: BJU International 97:939-945,2006) N=45 PN N=151 RN p = 0.11
Elective Nephron Sparing Surgery for Renal Cell Carcinoma Larger Than 4 cm  618 pacientes  (NSS) 102 (21.5%) – pT1b.  						NSS		NRad 		Soblivrerecorrência 5 anos	 98,3		   98,5 		Sob livrerecorrência 10 anos	 98,3		   93,9 (p = 0.282)  Pahernik S, J Urol. 2007
Tamanho – Qualolimite?
Partial Neprectomy for Selected Renal Cortical Tumors of > 7 cm. MSKCC  34 pts – T2 16% histologiabenígna 17 meses – 71% sobrevidalivredoença Viabilidadedaressecçãorelacionada com a localizaçãodalesão. Real ameçavem de fatoresmoleculares/biológicos: Tipohistológico Sintomatologia Grau / tamanho Nomogramas Karellas ME et al. BJU Int, 2010
R.E.N.A.L NEPHROMETRY SCORE Avaliaçãodacomplexidadeda NP de acordo com parâmetrosanatômicos. Objetivos: Decisãoterapêutica Comparação de resultados entre grupos Parâmetros: Tamanho – (R) Endo/Exofítico – (E) Proximidade do sistemacoletor (N) Anterior / Posterior – (A) Relação com linhaspolares (L) Uzzo R et al. J Urol 2009
R.E.N.A.L NEPHROMETRY SCORE Uzzo R et al. J Urol 2009
R.E.N.A.L NEPHROMETRY SCORE Uzzo R et al. J Urol 2009
CA RENAL  - LOCALIZADO 624. APPLICATION OF R.E.N.A.L. NEPHROMETRY SCORE TO LAPAROSCOPIC PARTIAL NEPHRECTOMY.  	(Matthew Hayn, Thomas Schwaab, et al.) Validação do escore de “Nefrometria”empacientessubmetidos a NPL. Escoreselevadosassociados a maiorsangramento, tempo de isquemiaehospitalização. 983. RELIABILITY OF THE R.E.N.A.L. NEPHROMETRY SCORING SYSTEM. (SurendraKolla, Philippe Spiess, et al.) Observou-se boa concordância  entre observadores com relaçãoaotamanho (R), localizaçãoendo/exofitica (E), anterior/posterior (A). Houveentretantoconsiderávelvariação com relação a proximidade do sistemacoletor (N) erelação com linhaspolares (L), oquepodeacarretardiscrepânciasquandosériesdiferentesforemcomparadas.
Preoperative Aspects and Dimensions Used for an Anatomical (PADUA) Ficarra et al. EurUrol 2009
Preoperative Aspects and Dimensions Used for an Anatomical (PADUA) Ficarra et al. EurUrol 2009
Lesões Centrais Seja Otimista ........ Mas Seja Também Realista.
NP em Lesões Centrais ,[object Object]
Tamanho (média) - 3.0 cm (1-10)
Tempo operatório (média) - 3.1 hrs
Tempo de isquemia (média) - 35 min
PerdaSanguínea (média) – 400 ml

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Locally advanced Prostate Cancer
Locally advanced Prostate CancerLocally advanced Prostate Cancer
Locally advanced Prostate CancerGAURAV NAHAR
 
Breast Cancer Treatment: Where we are, Where we're going - April 24th, 2018
Breast Cancer Treatment: Where we are, Where we're going - April 24th, 2018Breast Cancer Treatment: Where we are, Where we're going - April 24th, 2018
Breast Cancer Treatment: Where we are, Where we're going - April 24th, 2018Summit Health
 
Nephron sparing surgery in wilms
Nephron sparing surgery in wilmsNephron sparing surgery in wilms
Nephron sparing surgery in wilmsDrArka
 
Função renal após nefrectomia
Função renal após nefrectomiaFunção renal após nefrectomia
Função renal após nefrectomiaUrovideo.org
 
Metastatic Castration Resistant Prostate Cancer(mCRPC)
Metastatic Castration Resistant Prostate Cancer(mCRPC)Metastatic Castration Resistant Prostate Cancer(mCRPC)
Metastatic Castration Resistant Prostate Cancer(mCRPC)Ashfaq9697931281
 
Hormone therapy in prostate cancer 1
Hormone therapy in prostate cancer 1Hormone therapy in prostate cancer 1
Hormone therapy in prostate cancer 1Deepika Malik
 
Enzalutamide in prostate cancer
Enzalutamide in prostate cancerEnzalutamide in prostate cancer
Enzalutamide in prostate cancerAlok Gupta
 
Prostate carcinoma- locally advanced
Prostate  carcinoma- locally advancedProstate  carcinoma- locally advanced
Prostate carcinoma- locally advancedGovtRoyapettahHospit
 
MIBC & Metastatic Urinary Bladder carcinoma
MIBC & Metastatic Urinary Bladder carcinomaMIBC & Metastatic Urinary Bladder carcinoma
MIBC & Metastatic Urinary Bladder carcinomaGovtRoyapettahHospit
 
Patologias da Bexiga
Patologias da BexigaPatologias da Bexiga
Patologias da Bexigaalleyrand
 
Role of Prostate Health Index in the changing landscape of prostate cancer di...
Role of Prostate Health Index in the changing landscape of prostate cancer di...Role of Prostate Health Index in the changing landscape of prostate cancer di...
Role of Prostate Health Index in the changing landscape of prostate cancer di...Lincoln Tan
 
diagnosis and outline of management of localized prostate cancer for non-urol...
diagnosis and outline of management of localized prostate cancer for non-urol...diagnosis and outline of management of localized prostate cancer for non-urol...
diagnosis and outline of management of localized prostate cancer for non-urol...Dr Mayank Mohan Agarwal
 
Castrate Resistant Prostate Cancer
Castrate Resistant Prostate Cancer Castrate Resistant Prostate Cancer
Castrate Resistant Prostate Cancer Rohan Sharma
 
Rastreamento e diagnóstico precoce do câncer de mama 19 set2012
Rastreamento e diagnóstico precoce  do câncer de mama 19 set2012Rastreamento e diagnóstico precoce  do câncer de mama 19 set2012
Rastreamento e diagnóstico precoce do câncer de mama 19 set2012Graciela Luongo
 
Aula abdome agudo na criança e adolescente , e escroto agudo
Aula abdome agudo na criança e adolescente , e escroto agudoAula abdome agudo na criança e adolescente , e escroto agudo
Aula abdome agudo na criança e adolescente , e escroto agudoFACULDADE DE MEDICINA DA UFMG
 
Prostate carcinoma- clinical trial
Prostate  carcinoma- clinical trialProstate  carcinoma- clinical trial
Prostate carcinoma- clinical trialGovtRoyapettahHospit
 

Mais procurados (20)

Locally advanced Prostate Cancer
Locally advanced Prostate CancerLocally advanced Prostate Cancer
Locally advanced Prostate Cancer
 
Breast Cancer Treatment: Where we are, Where we're going - April 24th, 2018
Breast Cancer Treatment: Where we are, Where we're going - April 24th, 2018Breast Cancer Treatment: Where we are, Where we're going - April 24th, 2018
Breast Cancer Treatment: Where we are, Where we're going - April 24th, 2018
 
Nephron sparing surgery in wilms
Nephron sparing surgery in wilmsNephron sparing surgery in wilms
Nephron sparing surgery in wilms
 
Função renal após nefrectomia
Função renal após nefrectomiaFunção renal após nefrectomia
Função renal após nefrectomia
 
Metastatic Castration Resistant Prostate Cancer(mCRPC)
Metastatic Castration Resistant Prostate Cancer(mCRPC)Metastatic Castration Resistant Prostate Cancer(mCRPC)
Metastatic Castration Resistant Prostate Cancer(mCRPC)
 
GETUG-AFU 15
GETUG-AFU 15GETUG-AFU 15
GETUG-AFU 15
 
Cancer de Prostata
Cancer de ProstataCancer de Prostata
Cancer de Prostata
 
Hormone therapy in prostate cancer 1
Hormone therapy in prostate cancer 1Hormone therapy in prostate cancer 1
Hormone therapy in prostate cancer 1
 
Enzalutamide in prostate cancer
Enzalutamide in prostate cancerEnzalutamide in prostate cancer
Enzalutamide in prostate cancer
 
Prostate carcinoma- locally advanced
Prostate  carcinoma- locally advancedProstate  carcinoma- locally advanced
Prostate carcinoma- locally advanced
 
Cancer prostate
Cancer prostateCancer prostate
Cancer prostate
 
MIBC & Metastatic Urinary Bladder carcinoma
MIBC & Metastatic Urinary Bladder carcinomaMIBC & Metastatic Urinary Bladder carcinoma
MIBC & Metastatic Urinary Bladder carcinoma
 
Patologias da Bexiga
Patologias da BexigaPatologias da Bexiga
Patologias da Bexiga
 
Role of Prostate Health Index in the changing landscape of prostate cancer di...
Role of Prostate Health Index in the changing landscape of prostate cancer di...Role of Prostate Health Index in the changing landscape of prostate cancer di...
Role of Prostate Health Index in the changing landscape of prostate cancer di...
 
Câncer de rim localizado
Câncer de rim localizadoCâncer de rim localizado
Câncer de rim localizado
 
diagnosis and outline of management of localized prostate cancer for non-urol...
diagnosis and outline of management of localized prostate cancer for non-urol...diagnosis and outline of management of localized prostate cancer for non-urol...
diagnosis and outline of management of localized prostate cancer for non-urol...
 
Castrate Resistant Prostate Cancer
Castrate Resistant Prostate Cancer Castrate Resistant Prostate Cancer
Castrate Resistant Prostate Cancer
 
Rastreamento e diagnóstico precoce do câncer de mama 19 set2012
Rastreamento e diagnóstico precoce  do câncer de mama 19 set2012Rastreamento e diagnóstico precoce  do câncer de mama 19 set2012
Rastreamento e diagnóstico precoce do câncer de mama 19 set2012
 
Aula abdome agudo na criança e adolescente , e escroto agudo
Aula abdome agudo na criança e adolescente , e escroto agudoAula abdome agudo na criança e adolescente , e escroto agudo
Aula abdome agudo na criança e adolescente , e escroto agudo
 
Prostate carcinoma- clinical trial
Prostate  carcinoma- clinical trialProstate  carcinoma- clinical trial
Prostate carcinoma- clinical trial
 

Semelhante a R.E.N.A.L. NEPHROMETRY SCORE IN LAPAROSCOPIC PARTIAL NEPHRECTOMY

Buzios nefrecparcial
Buzios nefrecparcialBuzios nefrecparcial
Buzios nefrecparcialUrovideo.org
 
NEFRECTOMIA PARCIAL
NEFRECTOMIA PARCIALNEFRECTOMIA PARCIAL
NEFRECTOMIA PARCIALUrovideo.org
 
Aplicações da Medicina Nuclear em Mastologia
Aplicações da Medicina Nuclear em MastologiaAplicações da Medicina Nuclear em Mastologia
Aplicações da Medicina Nuclear em Mastologiacaduanselmi
 
Qual a extensão da linfadenectomia no adenocarcinoma do pâncreas
Qual a extensão da linfadenectomia no adenocarcinoma do pâncreasQual a extensão da linfadenectomia no adenocarcinoma do pâncreas
Qual a extensão da linfadenectomia no adenocarcinoma do pâncreasCirurgia Online
 
TRATAMENTO DO CÂNCER DE PRÓSTATA DE ALTO RISCO
TRATAMENTO DO CÂNCER DE PRÓSTATA DE ALTO RISCOTRATAMENTO DO CÂNCER DE PRÓSTATA DE ALTO RISCO
TRATAMENTO DO CÂNCER DE PRÓSTATA DE ALTO RISCOUrovideo.org
 
Carcinoma de Células Renais: conceitos contemporâneos do manejo cirúrgico
Carcinoma de Células Renais: conceitos contemporâneos do manejo cirúrgicoCarcinoma de Células Renais: conceitos contemporâneos do manejo cirúrgico
Carcinoma de Células Renais: conceitos contemporâneos do manejo cirúrgicoGuilherme Behrend Silva Ribeiro
 
Condutas para tornar a metastase hepatica colorretal ressecavel sanofi sp
Condutas para tornar a metastase hepatica colorretal ressecavel sanofi spCondutas para tornar a metastase hepatica colorretal ressecavel sanofi sp
Condutas para tornar a metastase hepatica colorretal ressecavel sanofi spCirurgia Online
 
Condutas para tornar a metastase hepatica colorretal ressecavel sanofi sp
Condutas para tornar a metastase hepatica colorretal ressecavel sanofi spCondutas para tornar a metastase hepatica colorretal ressecavel sanofi sp
Condutas para tornar a metastase hepatica colorretal ressecavel sanofi spCirurgia Online
 
Condutas cirúrgicas para tornar a metastase hepatica colorretal ressecavel
Condutas cirúrgicas para tornar a metastase hepatica colorretal ressecavelCondutas cirúrgicas para tornar a metastase hepatica colorretal ressecavel
Condutas cirúrgicas para tornar a metastase hepatica colorretal ressecavelCirurgia Online
 
34 tratamento adjuvante do câncer de testículo fatores prognósticos, esquem...
34   tratamento adjuvante do câncer de testículo fatores prognósticos, esquem...34   tratamento adjuvante do câncer de testículo fatores prognósticos, esquem...
34 tratamento adjuvante do câncer de testículo fatores prognósticos, esquem...ONCOcare
 
Metástases hepáticas tratamento atual
Metástases hepáticas tratamento atualMetástases hepáticas tratamento atual
Metástases hepáticas tratamento atualCirurgia Online
 
Hepatocarcinoma fibrolamelar abordagem terapêutica
Hepatocarcinoma fibrolamelar abordagem terapêuticaHepatocarcinoma fibrolamelar abordagem terapêutica
Hepatocarcinoma fibrolamelar abordagem terapêuticaCirurgia Online
 
Câncer de Rim: Terapias Termoablativas
Câncer de Rim: Terapias TermoablativasCâncer de Rim: Terapias Termoablativas
Câncer de Rim: Terapias TermoablativasUrovideo.org
 
Nefrectomia Parcial Laparoscópica - Hospital do Câncer de Barretos
Nefrectomia Parcial Laparoscópica - Hospital do Câncer de BarretosNefrectomia Parcial Laparoscópica - Hospital do Câncer de Barretos
Nefrectomia Parcial Laparoscópica - Hospital do Câncer de BarretosUrovideo.org
 
Crioterapia no Tratamento do Câncer Renal
Crioterapia no Tratamento do Câncer RenalCrioterapia no Tratamento do Câncer Renal
Crioterapia no Tratamento do Câncer RenalUrovideo.org
 
BIÓPSIA RENAL: QUANDO INDICAR?
BIÓPSIA RENAL: QUANDO INDICAR?BIÓPSIA RENAL: QUANDO INDICAR?
BIÓPSIA RENAL: QUANDO INDICAR?Urovideo.org
 
Nefrectomia parcial laparoscópica
Nefrectomia parcial laparoscópica Nefrectomia parcial laparoscópica
Nefrectomia parcial laparoscópica Urovideo.org
 

Semelhante a R.E.N.A.L. NEPHROMETRY SCORE IN LAPAROSCOPIC PARTIAL NEPHRECTOMY (20)

Câncer Renal
Câncer Renal Câncer Renal
Câncer Renal
 
Buzios nefrecparcial
Buzios nefrecparcialBuzios nefrecparcial
Buzios nefrecparcial
 
NEFRECTOMIA PARCIAL
NEFRECTOMIA PARCIALNEFRECTOMIA PARCIAL
NEFRECTOMIA PARCIAL
 
Aplicações da Medicina Nuclear em Mastologia
Aplicações da Medicina Nuclear em MastologiaAplicações da Medicina Nuclear em Mastologia
Aplicações da Medicina Nuclear em Mastologia
 
Qual a extensão da linfadenectomia no adenocarcinoma do pâncreas
Qual a extensão da linfadenectomia no adenocarcinoma do pâncreasQual a extensão da linfadenectomia no adenocarcinoma do pâncreas
Qual a extensão da linfadenectomia no adenocarcinoma do pâncreas
 
TRATAMENTO DO CÂNCER DE PRÓSTATA DE ALTO RISCO
TRATAMENTO DO CÂNCER DE PRÓSTATA DE ALTO RISCOTRATAMENTO DO CÂNCER DE PRÓSTATA DE ALTO RISCO
TRATAMENTO DO CÂNCER DE PRÓSTATA DE ALTO RISCO
 
Carcinoma de Células Renais: conceitos contemporâneos do manejo cirúrgico
Carcinoma de Células Renais: conceitos contemporâneos do manejo cirúrgicoCarcinoma de Células Renais: conceitos contemporâneos do manejo cirúrgico
Carcinoma de Células Renais: conceitos contemporâneos do manejo cirúrgico
 
Condutas para tornar a metastase hepatica colorretal ressecavel sanofi sp
Condutas para tornar a metastase hepatica colorretal ressecavel sanofi spCondutas para tornar a metastase hepatica colorretal ressecavel sanofi sp
Condutas para tornar a metastase hepatica colorretal ressecavel sanofi sp
 
Condutas para tornar a metastase hepatica colorretal ressecavel sanofi sp
Condutas para tornar a metastase hepatica colorretal ressecavel sanofi spCondutas para tornar a metastase hepatica colorretal ressecavel sanofi sp
Condutas para tornar a metastase hepatica colorretal ressecavel sanofi sp
 
Condutas cirúrgicas para tornar a metastase hepatica colorretal ressecavel
Condutas cirúrgicas para tornar a metastase hepatica colorretal ressecavelCondutas cirúrgicas para tornar a metastase hepatica colorretal ressecavel
Condutas cirúrgicas para tornar a metastase hepatica colorretal ressecavel
 
34 tratamento adjuvante do câncer de testículo fatores prognósticos, esquem...
34   tratamento adjuvante do câncer de testículo fatores prognósticos, esquem...34   tratamento adjuvante do câncer de testículo fatores prognósticos, esquem...
34 tratamento adjuvante do câncer de testículo fatores prognósticos, esquem...
 
HCC ressecção X tx
HCC ressecção X txHCC ressecção X tx
HCC ressecção X tx
 
Tu colon metástases hepáticas
Tu colon   metástases hepáticasTu colon   metástases hepáticas
Tu colon metástases hepáticas
 
Metástases hepáticas tratamento atual
Metástases hepáticas tratamento atualMetástases hepáticas tratamento atual
Metástases hepáticas tratamento atual
 
Hepatocarcinoma fibrolamelar abordagem terapêutica
Hepatocarcinoma fibrolamelar abordagem terapêuticaHepatocarcinoma fibrolamelar abordagem terapêutica
Hepatocarcinoma fibrolamelar abordagem terapêutica
 
Câncer de Rim: Terapias Termoablativas
Câncer de Rim: Terapias TermoablativasCâncer de Rim: Terapias Termoablativas
Câncer de Rim: Terapias Termoablativas
 
Nefrectomia Parcial Laparoscópica - Hospital do Câncer de Barretos
Nefrectomia Parcial Laparoscópica - Hospital do Câncer de BarretosNefrectomia Parcial Laparoscópica - Hospital do Câncer de Barretos
Nefrectomia Parcial Laparoscópica - Hospital do Câncer de Barretos
 
Crioterapia no Tratamento do Câncer Renal
Crioterapia no Tratamento do Câncer RenalCrioterapia no Tratamento do Câncer Renal
Crioterapia no Tratamento do Câncer Renal
 
BIÓPSIA RENAL: QUANDO INDICAR?
BIÓPSIA RENAL: QUANDO INDICAR?BIÓPSIA RENAL: QUANDO INDICAR?
BIÓPSIA RENAL: QUANDO INDICAR?
 
Nefrectomia parcial laparoscópica
Nefrectomia parcial laparoscópica Nefrectomia parcial laparoscópica
Nefrectomia parcial laparoscópica
 

Mais de Urovideo.org

Nefrectomia Parcial Laparoscópica
Nefrectomia Parcial Laparoscópica Nefrectomia Parcial Laparoscópica
Nefrectomia Parcial Laparoscópica Urovideo.org
 
Nefrectomia radical videolaparoscópica transperitoneal
Nefrectomia radical videolaparoscópica transperitonealNefrectomia radical videolaparoscópica transperitoneal
Nefrectomia radical videolaparoscópica transperitonealUrovideo.org
 
Complicações e prevenções em Videolaparoscopia: Energia
Complicações e prevenções em Videolaparoscopia: Energia  Complicações e prevenções em Videolaparoscopia: Energia
Complicações e prevenções em Videolaparoscopia: Energia Urovideo.org
 
DEFESA PROFISSIONAL HONORÁRIOS MÉDICOS
DEFESA PROFISSIONAL HONORÁRIOS MÉDICOSDEFESA PROFISSIONAL HONORÁRIOS MÉDICOS
DEFESA PROFISSIONAL HONORÁRIOS MÉDICOSUrovideo.org
 
Tratamento de Varicocele no Adolescente
Tratamento de Varicocele no AdolescenteTratamento de Varicocele no Adolescente
Tratamento de Varicocele no AdolescenteUrovideo.org
 
Válvula de uretra posterior
Válvula de uretra posteriorVálvula de uretra posterior
Válvula de uretra posteriorUrovideo.org
 
Disfunção miccional Bexiga Neurogênica
Disfunção miccional Bexiga NeurogênicaDisfunção miccional Bexiga Neurogênica
Disfunção miccional Bexiga NeurogênicaUrovideo.org
 
O Imprescindível da Urodinâmica
O Imprescindível da UrodinâmicaO Imprescindível da Urodinâmica
O Imprescindível da UrodinâmicaUrovideo.org
 
Ureteroscopia flexivel
 Ureteroscopia flexivel Ureteroscopia flexivel
Ureteroscopia flexivelUrovideo.org
 
Ureter Ectópico e Ureterocele
Ureter Ectópico e UreteroceleUreter Ectópico e Ureterocele
Ureter Ectópico e UreteroceleUrovideo.org
 
Mercado de Trabalho de Urologia
Mercado de Trabalho de UrologiaMercado de Trabalho de Urologia
Mercado de Trabalho de UrologiaUrovideo.org
 
Uso de Testosterona Tópica antes da Cirurgias de Hipospádia – Avaliação Histo...
Uso de Testosterona Tópica antes da Cirurgias de Hipospádia – Avaliação Histo...Uso de Testosterona Tópica antes da Cirurgias de Hipospádia – Avaliação Histo...
Uso de Testosterona Tópica antes da Cirurgias de Hipospádia – Avaliação Histo...Urovideo.org
 
Sistema de Atualização do Cadastro dos Programas de Residência em Urologia
Sistema de Atualização do Cadastro dos Programas de Residência em UrologiaSistema de Atualização do Cadastro dos Programas de Residência em Urologia
Sistema de Atualização do Cadastro dos Programas de Residência em UrologiaUrovideo.org
 
RTU - Bexiga - Como eu faço
RTU - Bexiga - Como eu façoRTU - Bexiga - Como eu faço
RTU - Bexiga - Como eu façoUrovideo.org
 
Reversão de vasectomia
Reversão de vasectomiaReversão de vasectomia
Reversão de vasectomiaUrovideo.org
 
Refluxo vesicoureteral
Refluxo vesicoureteralRefluxo vesicoureteral
Refluxo vesicoureteralUrovideo.org
 
A Revista Eletrônica
A Revista EletrônicaA Revista Eletrônica
A Revista EletrônicaUrovideo.org
 
Ureterolitotripsia flexível
Ureterolitotripsia flexívelUreterolitotripsia flexível
Ureterolitotripsia flexívelUrovideo.org
 
Prostatectomia Radical
Prostatectomia RadicalProstatectomia Radical
Prostatectomia RadicalUrovideo.org
 

Mais de Urovideo.org (20)

Nefrectomia Parcial Laparoscópica
Nefrectomia Parcial Laparoscópica Nefrectomia Parcial Laparoscópica
Nefrectomia Parcial Laparoscópica
 
Nefrectomia radical videolaparoscópica transperitoneal
Nefrectomia radical videolaparoscópica transperitonealNefrectomia radical videolaparoscópica transperitoneal
Nefrectomia radical videolaparoscópica transperitoneal
 
Complicações e prevenções em Videolaparoscopia: Energia
Complicações e prevenções em Videolaparoscopia: Energia  Complicações e prevenções em Videolaparoscopia: Energia
Complicações e prevenções em Videolaparoscopia: Energia
 
DEFESA PROFISSIONAL HONORÁRIOS MÉDICOS
DEFESA PROFISSIONAL HONORÁRIOS MÉDICOSDEFESA PROFISSIONAL HONORÁRIOS MÉDICOS
DEFESA PROFISSIONAL HONORÁRIOS MÉDICOS
 
Tratamento de Varicocele no Adolescente
Tratamento de Varicocele no AdolescenteTratamento de Varicocele no Adolescente
Tratamento de Varicocele no Adolescente
 
Válvula de uretra posterior
Válvula de uretra posteriorVálvula de uretra posterior
Válvula de uretra posterior
 
Disfunção miccional Bexiga Neurogênica
Disfunção miccional Bexiga NeurogênicaDisfunção miccional Bexiga Neurogênica
Disfunção miccional Bexiga Neurogênica
 
O Imprescindível da Urodinâmica
O Imprescindível da UrodinâmicaO Imprescindível da Urodinâmica
O Imprescindível da Urodinâmica
 
Uretroplastia
UretroplastiaUretroplastia
Uretroplastia
 
Ureteroscopia flexivel
 Ureteroscopia flexivel Ureteroscopia flexivel
Ureteroscopia flexivel
 
Ureter Ectópico e Ureterocele
Ureter Ectópico e UreteroceleUreter Ectópico e Ureterocele
Ureter Ectópico e Ureterocele
 
Mercado de Trabalho de Urologia
Mercado de Trabalho de UrologiaMercado de Trabalho de Urologia
Mercado de Trabalho de Urologia
 
Uso de Testosterona Tópica antes da Cirurgias de Hipospádia – Avaliação Histo...
Uso de Testosterona Tópica antes da Cirurgias de Hipospádia – Avaliação Histo...Uso de Testosterona Tópica antes da Cirurgias de Hipospádia – Avaliação Histo...
Uso de Testosterona Tópica antes da Cirurgias de Hipospádia – Avaliação Histo...
 
Sistema de Atualização do Cadastro dos Programas de Residência em Urologia
Sistema de Atualização do Cadastro dos Programas de Residência em UrologiaSistema de Atualização do Cadastro dos Programas de Residência em Urologia
Sistema de Atualização do Cadastro dos Programas de Residência em Urologia
 
RTU - Bexiga - Como eu faço
RTU - Bexiga - Como eu façoRTU - Bexiga - Como eu faço
RTU - Bexiga - Como eu faço
 
Reversão de vasectomia
Reversão de vasectomiaReversão de vasectomia
Reversão de vasectomia
 
Refluxo vesicoureteral
Refluxo vesicoureteralRefluxo vesicoureteral
Refluxo vesicoureteral
 
A Revista Eletrônica
A Revista EletrônicaA Revista Eletrônica
A Revista Eletrônica
 
Ureterolitotripsia flexível
Ureterolitotripsia flexívelUreterolitotripsia flexível
Ureterolitotripsia flexível
 
Prostatectomia Radical
Prostatectomia RadicalProstatectomia Radical
Prostatectomia Radical
 

R.E.N.A.L. NEPHROMETRY SCORE IN LAPAROSCOPIC PARTIAL NEPHRECTOMY

  • 1. NEFRECTOMIA PARCIAL SEMPRE QUE POSSÍVEL.Quais os limites? 1o SIMPÓSIO ABC DE UROLOGIA AGOSTO 2010 Lucas Mendes Nogueira Nogueira CoordenadorGrupoUro-oncologia HC - UFMG
  • 2. “Primum non nocere” “First, do no harm”
  • 3. Epidemiologia Cerca de 3% das neoplasiasmalignas (EUA) Estimativa2009: 57.760 novoscasos 12.980 óbitos Aumentodaincidênciaedamortalidade (1971) Incidência – 5 x Mortalidade – 2 x 7.1 / 105 em 1980 10.9 / 105 em 2002 Jemal A, Siegel R, Ward E, Hao Y, Xu J, Murray T, Thun MJ. Cancer statistics, 2009. CA Cancer J Clin2009:59:225-49
  • 4. Alterações Demográficas 2 ♂ : 1 ♀ Inalterado Idade : Diagnóstico – 66 anos Óbito – 70 anos Explicações: Acessosistemasaúde Comorbidadesassociadasgerammaisexames de imagem Parkin CM, Whelan SL, Ferlay J, et alIn: Cancer incidence in fivecontinents, Vol VIII. Lyon (France): International Agency for Research on Cancer; 2002. Ries LAG, Harkins D, Krapcho M, et al. SEER cancer statistics review, 1975–2004. Available at: http://seer.cancer.gov/csr/1975_2004/. AccessedFebruary 1, 2008.
  • 6. Renal Cortical TumorsTamanhomédio (3.3 cm in 2008)MSKCC
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11. AML
  • 17.
  • 18.
  • 19. NefrectomiaParcial / Câncer Renal Técnica de excessão no passado – “essencial”: Rim único Insuficiência renal Tumoresbilaterais Transiçãonosúltimos 15 anosparasituações “eletivas”
  • 20. Tendência à Preservação Renal Sucesso no câncer de mama e sarcoma de partes moles Diagnósticosemestágiosmaisprecoces Tumoresbenignos Agressividade Doençametastática Avanços no conhecimento molecular / histológicodaneoplasia. Eficáciaoncológica – T1a/b Função renal empacientesportadores de ca renal / Evidência dos efeitosdeletériosda IRC
  • 21. Tamanho x Tumores Benignos 2.675 pts 311 (12%) benignos OR 1 cm 1.16 (95% CI 1.11-1.22) p<0.001 Thompson H, Nogueira L, Russo P et al. J Urol, 2009
  • 22. Tamanho x Agressividade 1523 Conv RCC 311 (12%) benignos OR 1 cm OR 1.25 – (95% CI 1.21-1.30; p<0.001). Thompson H, Nogueira L, Russo P et al. J Urol, 2009
  • 23. Tamanho x Metástases Thompson H, Russo P et al. Lancet oncology, 2009
  • 24. 1997 Heidelberg ClassificationRenal Cortical Tumors Benign ParenchymalNeoplasms Metanephric Adenoma Metanephricadenofibroma Papillary renal cell adenoma Renal Oncocytoma AML Malignant ParenchymalNeoplasms Conventional renal cell carcinoma (Clear Cell) Papillary renal cell carcinoma Chromophobe renal cell carcinoma Collecting duct carcinoma Medullary carcinoma of the kidney Unclassified “Sarcomatoid” or “granular” apply to tumors across subtypes. Kovacs, G., Akhtar, M., and Beckwith, B. J.: The Heidelberg Classification of renal cell tumors. J Pathol, 183: 131, 1997
  • 25. Progression Free Probability by Histological Subtype Oncocytoma Chromophobe Papillary Conventional (Clear Cell) p=.0027: Papillary vs. Clear Cell p< 0.001 Chromophobe vs. Clear Cell p< 0.0001 Oncocytoma vs. Clear Cell
  • 26.
  • 27. Evidence of multifocality on preoperative imagining in 19/57 cases (33.3%).
  • 28. No difference in OS or DFS between multifocal and unifocal groups
  • 29.
  • 30. Função Renal / Câncer Conceitoquepacientessubmetidos a Nrad, apesar do aumento de escóriasnãoestariamemrisco de efeitos a longoprazopelopapelcompensador do rim contralateral. Dados referentes a doadoresrenais – doadoresnãoapresentavamriscoaumentado de IRC requerendodiáliseouóbito. Najaraian JS et al. Lancet, 1992
  • 31. Função Renal / Câncer Doadoresrenaisnãorepresentam a populaçãoportadora de Ca Renal: Selecionados “Screening”para co-morbidades Idade < 40 anos Najaraian JS et al. Lancet, 1992
  • 32. Função Renal / Câncer Populaçãoportadora de Ca Renal: Idade - 60 anos Comorbidades com efeitonafunção renal Hipertensão DM Síndromemetabólica Obesidade DoençasVasculares Bijol V et al. Am J Patho, 2006
  • 33. “Chronic kidney disease is an independent risk factor for serious cardiovascular comorbidites and death. Go AS et al., N Engl J Med 2004
  • 34. Go AS et al., N Engl J Med 2004
  • 35. Evaluation of Nonneoplasic Pathology in Tumor Nephrectomy Specimens. Análise do tecidonãoafetadoporneoplasiaem 110 pacientessubmetidos a nefrectomiaparatratamento de Ca Renal. Apenas 10% apresentavamausência de alteraçõeshistológicas Demais: Nefropatiadiabética Esclerose vascular Alteracõesmesenquimais Hipertrofiaglomerular Glomeruloesclerosedifusa Bijol V et al. Am J Patho, 2006
  • 36. Renal Function: NSS versus RNMSKCC Experience (N=290) Matched comparison of patients treated for renal tumors <= 4.0 cm with RN (173) and PN(117) for renal insufficiency over time (defined as Creat > 2 mg/dl). Controlled for the following risk factors: diabetes, hypertension, ASA score, age, preoperative creatinine, and history of smoking tobacco. McKiernan et al. Urology 59:816-820, 2002
  • 37.
  • 41. Função renal e nefrectomia radical Lancet, 2006
  • 42.
  • 43. Nefrectomia Parcial Eficáciada NP emtumoresrenaisaté 4 cm Taxas de curaesobrevidalivremetástases = NR Complicaçõescomparáveis Técnicaematerias (cola, argônio, US, etc) Técnica de escolhanos “guidelines” – SBU / NCCN/ EAU / AUA
  • 44.
  • 45.
  • 46. Overall, 1,401 (9.6%) were treated with partial nephrectomy.
  • 47. Trends till 2001 of increased use of partial nephrectomy
  • 48. Below Graph: A = ≤ 2 cm; B = 2 to 4 cm; C = 4 to 7 cm
  • 49. Even though they witnessed increasing use of partial nephrectomy over the past two decades, nationwide, the use of nephron sparing surgery “remains relatively infrequent, even for the smallest renal masses.”Miller et al.: Journal of Urology 175:853-858, 2006
  • 50. SobrevidaCâncerEspecíficaCa Renal Sobrevida(%) 5 yr 10 yr Stage I 95 95 Stage II 88 81 Stage III 59 43 Stage IV 20 14 Javidan, et al 1997 Stricker, et al 1999
  • 52. Sutherland SE et al.Does the size of the surgical margin in partial nephrectomy for renal cell cancer really matter? J Urol 167: 61-64(2002) 44 pts Margens (média) – 2 mm Mneg– ausência de recorrência (RC) Mcomp– 3 (6,8%) 1 RC – local e sistêmica Conclusão: “O tamanho da margem foi irrelevante. Apenas uma margem mínima (menor que 5mm) deve ser mantida durante nefrectomia parcial para câncer renal localizado.”
  • 53. Timsit MO et alProspective study of safety margins in partial nephrectomy: intraoperative assessment and contribution of frozen section analysis. Urology 67: 923-926. (2006) 61 pts Todas as margens de ressecção livres Nenhuma recorrência tumoral Margem média – 2 mm (0 – 5) Conclusão: “Nenhuma relação foi observada entre a margem peri-tumoral e o risco de progressão da doença, mesmo em tumores próximos ao hilo.”
  • 54. Kwon EO et al. Impact of positive surgical margins in patients undergoing partial nephrectomy for renal cortical tumours.BJU Int 99: 286-289 (2007) 770 pts Mcomp– 57 (7%) – todos com congelação negativa Indicação imperativa relacionada com a margem Recorrência: Mcomp– 2 Mneg - 4 Conclusão: “Não houve associação do status da margem de ressecção com a ocorrência de recorrência tumoral.”
  • 55. A espessura da margem parece não estar associada ao risco de recorrência tumoral, de modo que qualquer margem é aceitável, desde que toda a neoplasia seja removida
  • 56. Yossepowitch et al.Positive surgical margins at partial nephrectomy: predictors and oncological outcomes.J Urol (2008) 1344 pts Mcomp - 77 (5,5%) Todos em protocolo de vigilância ativa Sobrevida câncer específica e livre de metástases (10 anos) equivalentes.
  • 57.
  • 58. Minimizando o Risco de Mcomp Apesar das evidências de não relação de margens comprometidas e recorrência tumoral, SEMPRE devemos objetivar a retirada total da neoplasia com margens de ressecção LIVRES.
  • 59. Tumors 7 cm or lessMSKCC: Disease Free Probability(Journal of Urology 171: 1781A, 2004.) Total Cohort Conventional Clear Cell Subgroup N = 1040 (43 PN > 4cm) N = 644 (17 PN > 4cm)
  • 60. Conventional Clear Cell Ca 4 to 7cmPN v. RN (Dash et al: BJU International 97:939-945,2006) N=45 PN N=151 RN p = 0.11
  • 61. Elective Nephron Sparing Surgery for Renal Cell Carcinoma Larger Than 4 cm 618 pacientes (NSS) 102 (21.5%) – pT1b. NSS NRad Soblivrerecorrência 5 anos 98,3 98,5 Sob livrerecorrência 10 anos 98,3 93,9 (p = 0.282) Pahernik S, J Urol. 2007
  • 62.
  • 63.
  • 64.
  • 66. Partial Neprectomy for Selected Renal Cortical Tumors of > 7 cm. MSKCC 34 pts – T2 16% histologiabenígna 17 meses – 71% sobrevidalivredoença Viabilidadedaressecçãorelacionada com a localizaçãodalesão. Real ameçavem de fatoresmoleculares/biológicos: Tipohistológico Sintomatologia Grau / tamanho Nomogramas Karellas ME et al. BJU Int, 2010
  • 67. R.E.N.A.L NEPHROMETRY SCORE Avaliaçãodacomplexidadeda NP de acordo com parâmetrosanatômicos. Objetivos: Decisãoterapêutica Comparação de resultados entre grupos Parâmetros: Tamanho – (R) Endo/Exofítico – (E) Proximidade do sistemacoletor (N) Anterior / Posterior – (A) Relação com linhaspolares (L) Uzzo R et al. J Urol 2009
  • 68. R.E.N.A.L NEPHROMETRY SCORE Uzzo R et al. J Urol 2009
  • 69. R.E.N.A.L NEPHROMETRY SCORE Uzzo R et al. J Urol 2009
  • 70.
  • 71. CA RENAL - LOCALIZADO 624. APPLICATION OF R.E.N.A.L. NEPHROMETRY SCORE TO LAPAROSCOPIC PARTIAL NEPHRECTOMY. (Matthew Hayn, Thomas Schwaab, et al.) Validação do escore de “Nefrometria”empacientessubmetidos a NPL. Escoreselevadosassociados a maiorsangramento, tempo de isquemiaehospitalização. 983. RELIABILITY OF THE R.E.N.A.L. NEPHROMETRY SCORING SYSTEM. (SurendraKolla, Philippe Spiess, et al.) Observou-se boa concordância entre observadores com relaçãoaotamanho (R), localizaçãoendo/exofitica (E), anterior/posterior (A). Houveentretantoconsiderávelvariação com relação a proximidade do sistemacoletor (N) erelação com linhaspolares (L), oquepodeacarretardiscrepânciasquandosériesdiferentesforemcomparadas.
  • 72. Preoperative Aspects and Dimensions Used for an Anatomical (PADUA) Ficarra et al. EurUrol 2009
  • 73. Preoperative Aspects and Dimensions Used for an Anatomical (PADUA) Ficarra et al. EurUrol 2009
  • 74. Lesões Centrais Seja Otimista ........ Mas Seja Também Realista.
  • 75.
  • 76. Tamanho (média) - 3.0 cm (1-10)
  • 78. Tempo de isquemia (média) - 35 min
  • 81. Fistula: 15 pts (16%)  2 JJ
  • 83. Localização central das lesõesnão contra-indicarealização de NP ouestáassociada a riscomaior de complicaçõesStephenson et al. J Urol 2004
  • 84.
  • 85.
  • 86.
  • 87.
  • 88.
  • 89.
  • 90.
  • 91.
  • 92.
  • 93.
  • 94.
  • 95.
  • 96.
  • 97.
  • 98.
  • 99. CONCLUSÕES NP, anteriormenteindicadaemsituações de excessão, éatualmente a modalidade de preferência no tratamento do Câncer Renal T1. Demonstraemestudosrecenteseficáciaoncológicacomparadaànefrectomia radical nesteestágio. Nefrectomia radical estáassociada a diminuiçãoimportantedafunção renal emortalidade a longoprazo. Avançosrecentestêmdemonstradoque a ocorrência de doençametastáticarelaciona-se mais com parâmetrosmoleculares / bioquímicos do que a técnicaempregada.
  • 100. CONCLUSÕES A indicaçãoda NP estámaisrelacionada com parâmetrostécnicoseanatômicos do queemcritériosrígidos de tamanho. O limitepara a realizaçãoda NP develevaremconsideração a experiênciadaequipecirúrgica, bemcomoosrecursostécnicosdisponíveis. O tamanhodalesãonãodeve ser empregadoisoladamentecomodeterminantedatécnicacirúrgica a ser utilizada, sendooplanejamentopré-operatórioessencial. O procedimentonãodeve ser realizadoquandonão se podegarantirmargens de segurançaadequadas.
  • 101. “Primum non nocere” “First, do no harm”