SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 42
Densidade Urológica: Mercado de Trabalho  Prof. Dr. Luiz Carlos A. Rocha Disciplina de Urologia UFPr Bahia 2010 I Encontro Brasileiro dos Serviços de  Residência Médica em Urologia
Quantos somos ?  Onde estamos ?  O que pretendemos ?
Quantos somos ?  SBU Titulares  2.648 Efetivos  906 Aspirantes  527 Remidos  166 Adimplentes  3.773 Inadimplentes  501 Inativos  603 Remidos  166 Ex-sócios  348 Falecidos  89  + 10% não  sócios
Onde estamos ?   ? ? ? ? ?
198 35 37 93 48 41 131 32 28
7 7 7 18 35 22 57
PR Legenda  > 100 Urol  21-100 Urol 6 - 20 Urol  até 05  Urol
BA Legenda  > 100 Urol  21-100 Urol 6 - 20 Urol  até 05  Urol
ES ,[object Object],[object Object]
MG ,[object Object],[object Object]
RJ ,[object Object],[object Object]
RS ,[object Object],[object Object]
SC ,[object Object],[object Object]
SP ,[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object]
Residências  de Urologia no Brasil SBU Não credenciadas pela  SBU - 16 Total  Geral  97   Estado #  Res Resid. Pleno Condic Provis Desc. SP 29 142 21 2 2 1 RJ 14 88 9 2 3 - MG 12 58 10 - 1 - PR 7 39 3 - 4 - PE 6 35 5 - 1 - RS 5 31 4 1 - 1 BA 5 22 2 1 2 - GO 4 11 2 1 1 1 DF 3 18 2 1 - - MS 3 15 2 1 - - CE 2 9 1 1 - - AM 2 5 - 1 1 1 ES 1 9 1 - - - PA 1 6 1 - - - SC 1 4 - - - - MA 1 4 1 - - - PI 1 3 1 - - - Total 81 493 61 19 9 4
Mercado  de  Trabalho
PREÇO DA C0NSULTA (MÉDIA) Capitais  – R$ 180,00 a 680,00 -  Tisbu Porto Alegre – R$ 200,00 a 250,00 Florianópolis – R$ 200,00 Curitiba – R$ 250,00 a 300,00 São Paulo – R$ 300,00 a 680,00 Rio de Janeiro – R$ 300,00 a 450,00 Belo Horizonte – R$ 250,00 a 400,00 Brasília – R$ 200,00 a 350,00  Fortaleza – R$ 200,00 a 250,00 Natal – R$ 180,00 a 200,00 Belém – R$ 180,00  Média: R$ 220,00  R$ 450,00
PREÇO DA C0NSULTA (MÉDIA) Interior   – R$ 90,00 a 350,00 -  Tisbu Rio Grande do Sul – R$ 100,00 a 200,0 Santa Catarina – R$ 200,00 Paraná – R$ 150,00 a 250,00 São Paulo – R$ 200,00 a 350,00 Rio de Janeiro – R$ 90,00 a 350,00 Minas Gerais – R$ 150,00 a 250,00 Ceará – R$ 100,00 a 150,00  Bahia – R$ 100,00 a 200,00 Pernambuco – R$ 120,00 a 200,00 Goiás – R$ 180,00  Média: R$ 120,00  R$ 230,00
VALOR  DA  CONSULTA  DE  CONVÊNIOS Também tem caráter regionalizado Varia de convênio/convênio Varia de região/região Consultas ambulatoriais eletivas: de R$ 12,00  até  R$  75,00 (média R$ 30-40) Consultas emergência: de R$ 30,00  até  R$ 60,00  SUS – R$ 7,00
GASTO MÉDIO CONSULTÓRIO Mensal ALU COND SECR LUZ H 2 O TELEF IMPOS % CONT TOTAL R$ SUL 600 - 1500 1050 350 – 1200 775 1000 150 – 400 275 80 600 13 – 27 19 904 980 4760 SUDESTTE 800 – 2500 1650 630 – 3000 1810 2000 230 – 680 455 200 1300 13 – 27 19 1730 1700 9115 CENTROESTE 600 – 1200 900 280 – 1000 640 1000 200 – 450 325 100 550 13 – 27 19 819 800 4315 NORDESTE 450 – 850 650 230 – 630 430 860 130 – 430 280 60 400 13 – 27 19 604 500 3180 NORTE 400 – 6 500 200 – 550 375 800 130 – 400 265 60 350 13 – 27 19 532 450 2800
Mensal Total R$ Consultas/mês  particulares  Consultas/mês convênios SUL R$ 280 Conv  45 4760,00 17 105 SUDESTE R$ 450 9115,00 21 202 CENTROESTE R$ 275 4315,00 15,6 95 NORDESTE R$ 200 3180,00 15,9 70 NORTE R$ 180 2800,00 15,5 62
GANHO MÉDIO DOS RESIDENTES Bolsa (MEC) – R$ 1.600,00  a 1.865,00 Plantões (12 horas) - R$ 400,00  a 1.500,00 Consultas de Emergência – R$ 30,00 – 150,00 Valor total – R$ 3.000,00  a  5.500,00/mês
Distribuição demográfica  pelos mapas, mostra: Capitais e grandes centros urbanos – saturados Ganho reduzido e cada vez mais difícil. Interior e regiões mais distantes tem carência de especialistas. Como agir? Que mudanças se fazem necessárias? Quais alternativas existem? O que pretendemos ?
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],O que pretendemos ?
2 - Tornar a distribuição mais homogênea e abrangente? Interior e regiões mais distantes tem carência de especialistas. Para tal – existe um estímulo do governo para locar médicos em regiões mais distantes. Ganho promissor – Médico de família (generalista) R$ 15.000,00/mês O Urologista quanto ganharia? A formação pode ser a mesma que estamos dando? A urologia não se tornou uma especialidade complexa? O que pretendemos ?
3- Estimular o residente a ir para o interior se fixando nas regiões mais distantes? Para isso se faz necessário mudar em parte o tipo de formação. Para o urologista formado na atualidade possa praticar sua arte: FALTAM  EQUIPAMENTOS (nefroscópio, ressectoscópio, leco, laser (verde, vermelho, azul), ureteroscópio (rigido/flexivel/descartável), torre de laparoscopia (cauterio, insuflador, fonte de  luz), ecografia trans-retal, pinças, cateteres, fios guia, bainhas descartáveis, etc.....  FALTA  (por vezes) UM BOM AUXILIAR DESPREPARO PARA CIRURGICA ABERTA O que pretendemos ?
3- Estimular o residente a ir para o interior se fixando nas regiões mais distantes? Como ele vai resolver o problema do  CUSTO DO PROCEDIMENTO? (o fio guia continua caro) MANUTENÇAO DOS EQUIPAMENTOS?  AMORTIZAÇÃO DOS GASTOS COM A COMPRA? Como ele vai conseguir os credenciamentos, se houver convênios? Vai dar para viver só com o SUS? O que pretendemos ?
A tecnologia tornou a urologia  uma especialidade complexa. O urologista se ilude com laser  de cor variada, single port, retinol,  etc. Mas a tabela da UNIMED continua pagando para o médico R$ 560,00 pela ressecção da próstata, embora ele tenha usado a luz verde, e o paciente tenha pago R$ 7.000,00 pela fibra ótica. As empresas de produtos médicos tem ganho muito dinheiro, os pacientes que podem tem se beneficiado das novas tecnologias, mas o urologista continua ganhando pouco. A inserção  no mercado de trabalho é um processo lento e difícil,  e está cada vez mais seletivo. O que pretendemos ?
Densidade Urológica: Mercado de Trabalho
Densidade Urológica: Mercado de Trabalho

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

ES Informa Mídia - 06 de dezembro de 2013
ES Informa Mídia - 06 de dezembro de 2013ES Informa Mídia - 06 de dezembro de 2013
ES Informa Mídia - 06 de dezembro de 2013
Governo ES
 
Cronograma XVII CEOD oficial
Cronograma XVII CEOD oficialCronograma XVII CEOD oficial
Cronograma XVII CEOD oficial
Marques Marketing
 
Caminhada ECA 22 Anos
Caminhada ECA 22 AnosCaminhada ECA 22 Anos
Caminhada ECA 22 Anos
ACTEBA
 
ES Informa mídia - 21 de novembro de 2013
ES Informa mídia - 21 de novembro de 2013ES Informa mídia - 21 de novembro de 2013
ES Informa mídia - 21 de novembro de 2013
Governo ES
 

Mais procurados (18)

ES Informa Mídia - 03 de setembro de 2013
ES Informa Mídia - 03 de setembro de 2013ES Informa Mídia - 03 de setembro de 2013
ES Informa Mídia - 03 de setembro de 2013
 
A nova codasp ii b
A nova codasp ii bA nova codasp ii b
A nova codasp ii b
 
ES Informa Mídia - 06 de dezembro de 2013
ES Informa Mídia - 06 de dezembro de 2013ES Informa Mídia - 06 de dezembro de 2013
ES Informa Mídia - 06 de dezembro de 2013
 
Pacto Florianópolis
Pacto FlorianópolisPacto Florianópolis
Pacto Florianópolis
 
ES Informa Mídia - 27 de setembro de 2013
ES Informa Mídia - 27 de setembro de 2013ES Informa Mídia - 27 de setembro de 2013
ES Informa Mídia - 27 de setembro de 2013
 
Conselho tutelar sudoeste
Conselho tutelar sudoesteConselho tutelar sudoeste
Conselho tutelar sudoeste
 
18 julho2016
18 julho201618 julho2016
18 julho2016
 
Clínica de Ortopedista para Cães
Clínica de Ortopedista para CãesClínica de Ortopedista para Cães
Clínica de Ortopedista para Cães
 
Projeto que dá à vaquejada status de patrimônio cultural imaterial vai à sanção
Projeto que dá à vaquejada status de patrimônio cultural imaterial vai à sançãoProjeto que dá à vaquejada status de patrimônio cultural imaterial vai à sanção
Projeto que dá à vaquejada status de patrimônio cultural imaterial vai à sanção
 
Cronograma XVII CEOD oficial
Cronograma XVII CEOD oficialCronograma XVII CEOD oficial
Cronograma XVII CEOD oficial
 
ES Informa Mídia - 09 de abril de 2013
ES Informa Mídia - 09 de abril de 2013ES Informa Mídia - 09 de abril de 2013
ES Informa Mídia - 09 de abril de 2013
 
ES Informa Mídia - 05 de agosto de 2013
ES Informa Mídia - 05 de agosto de 2013ES Informa Mídia - 05 de agosto de 2013
ES Informa Mídia - 05 de agosto de 2013
 
Online parelhas
Online parelhasOnline parelhas
Online parelhas
 
Caminhada ECA 22 Anos
Caminhada ECA 22 AnosCaminhada ECA 22 Anos
Caminhada ECA 22 Anos
 
Mundial Master mtb inscricao
Mundial Master mtb inscricaoMundial Master mtb inscricao
Mundial Master mtb inscricao
 
ES Informa Mídia - 07 de outubro de 2013
ES Informa Mídia - 07 de outubro de 2013ES Informa Mídia - 07 de outubro de 2013
ES Informa Mídia - 07 de outubro de 2013
 
ES Informa mídia - 21 de novembro de 2013
ES Informa mídia - 21 de novembro de 2013ES Informa mídia - 21 de novembro de 2013
ES Informa mídia - 21 de novembro de 2013
 
ES Informa Mídia - 05 de novembro de 2013
ES Informa Mídia - 05 de novembro de 2013ES Informa Mídia - 05 de novembro de 2013
ES Informa Mídia - 05 de novembro de 2013
 

Destaque

FAPE FOLDER_ VERSÃO 17-05-2012
FAPE FOLDER_ VERSÃO 17-05-2012FAPE FOLDER_ VERSÃO 17-05-2012
FAPE FOLDER_ VERSÃO 17-05-2012
CNPq
 
Apresentação de Resultados 2T08
Apresentação de Resultados 2T08Apresentação de Resultados 2T08
Apresentação de Resultados 2T08
CPFL RI
 

Destaque (17)

Monitor
MonitorMonitor
Monitor
 
Web 2.0
Web 2.0Web 2.0
Web 2.0
 
Nefrolitotripsia: decúbito dorsal
Nefrolitotripsia: decúbito dorsalNefrolitotripsia: decúbito dorsal
Nefrolitotripsia: decúbito dorsal
 
Telemedicina diapo
Telemedicina diapoTelemedicina diapo
Telemedicina diapo
 
FAPE FOLDER_ VERSÃO 17-05-2012
FAPE FOLDER_ VERSÃO 17-05-2012FAPE FOLDER_ VERSÃO 17-05-2012
FAPE FOLDER_ VERSÃO 17-05-2012
 
F:\Presentacion
F:\PresentacionF:\Presentacion
F:\Presentacion
 
Apresentação de Resultados 2T08
Apresentação de Resultados 2T08Apresentação de Resultados 2T08
Apresentação de Resultados 2T08
 
cargas elétricas
cargas elétricascargas elétricas
cargas elétricas
 
Viii material huacho lunes 22 de junio
Viii material huacho lunes 22 de junioViii material huacho lunes 22 de junio
Viii material huacho lunes 22 de junio
 
NEFRECTOMIA PARCIAL SEMPRE QUE POSSÍVE
NEFRECTOMIA PARCIAL SEMPRE QUE POSSÍVENEFRECTOMIA PARCIAL SEMPRE QUE POSSÍVE
NEFRECTOMIA PARCIAL SEMPRE QUE POSSÍVE
 
Nefrectomia Parcial
Nefrectomia Parcial Nefrectomia Parcial
Nefrectomia Parcial
 
Months pronunciation in english
Months pronunciation in englishMonths pronunciation in english
Months pronunciation in english
 
Bexiga neurogênica
Bexiga neurogênicaBexiga neurogênica
Bexiga neurogênica
 
Dial Mundial de la Alimentación
Dial Mundial de la AlimentaciónDial Mundial de la Alimentación
Dial Mundial de la Alimentación
 
Oligospermias e azoospermias - aula ministrada no instituto de medicina repro...
Oligospermias e azoospermias - aula ministrada no instituto de medicina repro...Oligospermias e azoospermias - aula ministrada no instituto de medicina repro...
Oligospermias e azoospermias - aula ministrada no instituto de medicina repro...
 
Espermograma - dicas, truques, importância do espermograma bem feito.
Espermograma - dicas, truques, importância do espermograma bem feito. Espermograma - dicas, truques, importância do espermograma bem feito.
Espermograma - dicas, truques, importância do espermograma bem feito.
 
Prolapso Genital
Prolapso GenitalProlapso Genital
Prolapso Genital
 

Semelhante a Densidade Urológica: Mercado de Trabalho (20)

Boletim (1)
Boletim (1)Boletim (1)
Boletim (1)
 
Boletim (2)
Boletim (2)Boletim (2)
Boletim (2)
 
Boletim
BoletimBoletim
Boletim
 
Boletim (12)
Boletim (12)Boletim (12)
Boletim (12)
 
12.04
12.0412.04
12.04
 
12.04
12.0412.04
12.04
 
Boletim (3)
Boletim (3)Boletim (3)
Boletim (3)
 
Boletim (21)
Boletim (21)Boletim (21)
Boletim (21)
 
Boletim (15)
Boletim (15)Boletim (15)
Boletim (15)
 
Boletim (20)
Boletim (20)Boletim (20)
Boletim (20)
 
Boletim (22)
Boletim (22)Boletim (22)
Boletim (22)
 
Boletim (17)
Boletim (17)Boletim (17)
Boletim (17)
 
Boletim (25)
Boletim (25)Boletim (25)
Boletim (25)
 
Boletim (2)
Boletim (2)Boletim (2)
Boletim (2)
 
Boletim (21)
Boletim (21)Boletim (21)
Boletim (21)
 
01 rodrigo-albuquerque-a arte da guerra
01 rodrigo-albuquerque-a arte da guerra01 rodrigo-albuquerque-a arte da guerra
01 rodrigo-albuquerque-a arte da guerra
 
Boletim (18)
Boletim (18)Boletim (18)
Boletim (18)
 
Boletim (3)
Boletim (3)Boletim (3)
Boletim (3)
 
Boletim (13)
Boletim (13)Boletim (13)
Boletim (13)
 
Exercicio s ecomposto
Exercicio s ecompostoExercicio s ecomposto
Exercicio s ecomposto
 

Mais de Urovideo.org

Ureteroscopia flexivel
 Ureteroscopia flexivel Ureteroscopia flexivel
Ureteroscopia flexivel
Urovideo.org
 
Sistema de Atualização do Cadastro dos Programas de Residência em Urologia
Sistema de Atualização do Cadastro dos Programas de Residência em UrologiaSistema de Atualização do Cadastro dos Programas de Residência em Urologia
Sistema de Atualização do Cadastro dos Programas de Residência em Urologia
Urovideo.org
 

Mais de Urovideo.org (20)

Nefrectomia Parcial Laparoscópica
Nefrectomia Parcial Laparoscópica Nefrectomia Parcial Laparoscópica
Nefrectomia Parcial Laparoscópica
 
Nefrectomia radical videolaparoscópica transperitoneal
Nefrectomia radical videolaparoscópica transperitonealNefrectomia radical videolaparoscópica transperitoneal
Nefrectomia radical videolaparoscópica transperitoneal
 
Complicações e prevenções em Videolaparoscopia: Energia
Complicações e prevenções em Videolaparoscopia: Energia  Complicações e prevenções em Videolaparoscopia: Energia
Complicações e prevenções em Videolaparoscopia: Energia
 
DEFESA PROFISSIONAL HONORÁRIOS MÉDICOS
DEFESA PROFISSIONAL HONORÁRIOS MÉDICOSDEFESA PROFISSIONAL HONORÁRIOS MÉDICOS
DEFESA PROFISSIONAL HONORÁRIOS MÉDICOS
 
Tratamento de Varicocele no Adolescente
Tratamento de Varicocele no AdolescenteTratamento de Varicocele no Adolescente
Tratamento de Varicocele no Adolescente
 
Válvula de uretra posterior
Válvula de uretra posteriorVálvula de uretra posterior
Válvula de uretra posterior
 
Disfunção miccional Bexiga Neurogênica
Disfunção miccional Bexiga NeurogênicaDisfunção miccional Bexiga Neurogênica
Disfunção miccional Bexiga Neurogênica
 
O Imprescindível da Urodinâmica
O Imprescindível da UrodinâmicaO Imprescindível da Urodinâmica
O Imprescindível da Urodinâmica
 
Uretroplastia
UretroplastiaUretroplastia
Uretroplastia
 
Ureteroscopia flexivel
 Ureteroscopia flexivel Ureteroscopia flexivel
Ureteroscopia flexivel
 
Ureter Ectópico e Ureterocele
Ureter Ectópico e UreteroceleUreter Ectópico e Ureterocele
Ureter Ectópico e Ureterocele
 
Mercado de Trabalho de Urologia
Mercado de Trabalho de UrologiaMercado de Trabalho de Urologia
Mercado de Trabalho de Urologia
 
Uso de Testosterona Tópica antes da Cirurgias de Hipospádia – Avaliação Histo...
Uso de Testosterona Tópica antes da Cirurgias de Hipospádia – Avaliação Histo...Uso de Testosterona Tópica antes da Cirurgias de Hipospádia – Avaliação Histo...
Uso de Testosterona Tópica antes da Cirurgias de Hipospádia – Avaliação Histo...
 
NEFRECTOMIA PARCIAL
NEFRECTOMIA PARCIALNEFRECTOMIA PARCIAL
NEFRECTOMIA PARCIAL
 
Câncer de Testículo
Câncer de Testículo Câncer de Testículo
Câncer de Testículo
 
Sistema de Atualização do Cadastro dos Programas de Residência em Urologia
Sistema de Atualização do Cadastro dos Programas de Residência em UrologiaSistema de Atualização do Cadastro dos Programas de Residência em Urologia
Sistema de Atualização do Cadastro dos Programas de Residência em Urologia
 
RTU - Bexiga - Como eu faço
RTU - Bexiga - Como eu façoRTU - Bexiga - Como eu faço
RTU - Bexiga - Como eu faço
 
Reversão de vasectomia
Reversão de vasectomiaReversão de vasectomia
Reversão de vasectomia
 
Crioterapia no Tratamento do Câncer Renal
Crioterapia no Tratamento do Câncer RenalCrioterapia no Tratamento do Câncer Renal
Crioterapia no Tratamento do Câncer Renal
 
Refluxo vesicoureteral
Refluxo vesicoureteralRefluxo vesicoureteral
Refluxo vesicoureteral
 

Último

relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
HELLEN CRISTINA
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
DanieldaSade
 
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades PúblicasAlimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
DanieldaSade
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
HELLEN CRISTINA
 

Último (9)

relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
 
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclosCaracterísticas gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
 
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino FelisbertoAltas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
 
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades PúblicasAlimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
 
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
 

Densidade Urológica: Mercado de Trabalho

  • 1. Densidade Urológica: Mercado de Trabalho Prof. Dr. Luiz Carlos A. Rocha Disciplina de Urologia UFPr Bahia 2010 I Encontro Brasileiro dos Serviços de Residência Médica em Urologia
  • 2. Quantos somos ? Onde estamos ? O que pretendemos ?
  • 3. Quantos somos ? SBU Titulares 2.648 Efetivos 906 Aspirantes 527 Remidos 166 Adimplentes 3.773 Inadimplentes 501 Inativos 603 Remidos 166 Ex-sócios 348 Falecidos 89 + 10% não sócios
  • 4. Onde estamos ? ? ? ? ? ?
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10. 198 35 37 93 48 41 131 32 28
  • 11.
  • 12. 7 7 7 18 35 22 57
  • 13.
  • 14.
  • 15. PR Legenda > 100 Urol 21-100 Urol 6 - 20 Urol até 05 Urol
  • 16. BA Legenda > 100 Urol 21-100 Urol 6 - 20 Urol até 05 Urol
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26.
  • 27. Residências de Urologia no Brasil SBU Não credenciadas pela SBU - 16 Total Geral 97 Estado # Res Resid. Pleno Condic Provis Desc. SP 29 142 21 2 2 1 RJ 14 88 9 2 3 - MG 12 58 10 - 1 - PR 7 39 3 - 4 - PE 6 35 5 - 1 - RS 5 31 4 1 - 1 BA 5 22 2 1 2 - GO 4 11 2 1 1 1 DF 3 18 2 1 - - MS 3 15 2 1 - - CE 2 9 1 1 - - AM 2 5 - 1 1 1 ES 1 9 1 - - - PA 1 6 1 - - - SC 1 4 - - - - MA 1 4 1 - - - PI 1 3 1 - - - Total 81 493 61 19 9 4
  • 28. Mercado de Trabalho
  • 29. PREÇO DA C0NSULTA (MÉDIA) Capitais – R$ 180,00 a 680,00 - Tisbu Porto Alegre – R$ 200,00 a 250,00 Florianópolis – R$ 200,00 Curitiba – R$ 250,00 a 300,00 São Paulo – R$ 300,00 a 680,00 Rio de Janeiro – R$ 300,00 a 450,00 Belo Horizonte – R$ 250,00 a 400,00 Brasília – R$ 200,00 a 350,00 Fortaleza – R$ 200,00 a 250,00 Natal – R$ 180,00 a 200,00 Belém – R$ 180,00 Média: R$ 220,00 R$ 450,00
  • 30. PREÇO DA C0NSULTA (MÉDIA) Interior – R$ 90,00 a 350,00 - Tisbu Rio Grande do Sul – R$ 100,00 a 200,0 Santa Catarina – R$ 200,00 Paraná – R$ 150,00 a 250,00 São Paulo – R$ 200,00 a 350,00 Rio de Janeiro – R$ 90,00 a 350,00 Minas Gerais – R$ 150,00 a 250,00 Ceará – R$ 100,00 a 150,00 Bahia – R$ 100,00 a 200,00 Pernambuco – R$ 120,00 a 200,00 Goiás – R$ 180,00 Média: R$ 120,00 R$ 230,00
  • 31. VALOR DA CONSULTA DE CONVÊNIOS Também tem caráter regionalizado Varia de convênio/convênio Varia de região/região Consultas ambulatoriais eletivas: de R$ 12,00 até R$ 75,00 (média R$ 30-40) Consultas emergência: de R$ 30,00 até R$ 60,00 SUS – R$ 7,00
  • 32. GASTO MÉDIO CONSULTÓRIO Mensal ALU COND SECR LUZ H 2 O TELEF IMPOS % CONT TOTAL R$ SUL 600 - 1500 1050 350 – 1200 775 1000 150 – 400 275 80 600 13 – 27 19 904 980 4760 SUDESTTE 800 – 2500 1650 630 – 3000 1810 2000 230 – 680 455 200 1300 13 – 27 19 1730 1700 9115 CENTROESTE 600 – 1200 900 280 – 1000 640 1000 200 – 450 325 100 550 13 – 27 19 819 800 4315 NORDESTE 450 – 850 650 230 – 630 430 860 130 – 430 280 60 400 13 – 27 19 604 500 3180 NORTE 400 – 6 500 200 – 550 375 800 130 – 400 265 60 350 13 – 27 19 532 450 2800
  • 33. Mensal Total R$ Consultas/mês particulares Consultas/mês convênios SUL R$ 280 Conv 45 4760,00 17 105 SUDESTE R$ 450 9115,00 21 202 CENTROESTE R$ 275 4315,00 15,6 95 NORDESTE R$ 200 3180,00 15,9 70 NORTE R$ 180 2800,00 15,5 62
  • 34. GANHO MÉDIO DOS RESIDENTES Bolsa (MEC) – R$ 1.600,00 a 1.865,00 Plantões (12 horas) - R$ 400,00 a 1.500,00 Consultas de Emergência – R$ 30,00 – 150,00 Valor total – R$ 3.000,00 a 5.500,00/mês
  • 35. Distribuição demográfica pelos mapas, mostra: Capitais e grandes centros urbanos – saturados Ganho reduzido e cada vez mais difícil. Interior e regiões mais distantes tem carência de especialistas. Como agir? Que mudanças se fazem necessárias? Quais alternativas existem? O que pretendemos ?
  • 36.
  • 37. 2 - Tornar a distribuição mais homogênea e abrangente? Interior e regiões mais distantes tem carência de especialistas. Para tal – existe um estímulo do governo para locar médicos em regiões mais distantes. Ganho promissor – Médico de família (generalista) R$ 15.000,00/mês O Urologista quanto ganharia? A formação pode ser a mesma que estamos dando? A urologia não se tornou uma especialidade complexa? O que pretendemos ?
  • 38. 3- Estimular o residente a ir para o interior se fixando nas regiões mais distantes? Para isso se faz necessário mudar em parte o tipo de formação. Para o urologista formado na atualidade possa praticar sua arte: FALTAM EQUIPAMENTOS (nefroscópio, ressectoscópio, leco, laser (verde, vermelho, azul), ureteroscópio (rigido/flexivel/descartável), torre de laparoscopia (cauterio, insuflador, fonte de luz), ecografia trans-retal, pinças, cateteres, fios guia, bainhas descartáveis, etc..... FALTA (por vezes) UM BOM AUXILIAR DESPREPARO PARA CIRURGICA ABERTA O que pretendemos ?
  • 39. 3- Estimular o residente a ir para o interior se fixando nas regiões mais distantes? Como ele vai resolver o problema do CUSTO DO PROCEDIMENTO? (o fio guia continua caro) MANUTENÇAO DOS EQUIPAMENTOS? AMORTIZAÇÃO DOS GASTOS COM A COMPRA? Como ele vai conseguir os credenciamentos, se houver convênios? Vai dar para viver só com o SUS? O que pretendemos ?
  • 40. A tecnologia tornou a urologia uma especialidade complexa. O urologista se ilude com laser de cor variada, single port, retinol, etc. Mas a tabela da UNIMED continua pagando para o médico R$ 560,00 pela ressecção da próstata, embora ele tenha usado a luz verde, e o paciente tenha pago R$ 7.000,00 pela fibra ótica. As empresas de produtos médicos tem ganho muito dinheiro, os pacientes que podem tem se beneficiado das novas tecnologias, mas o urologista continua ganhando pouco. A inserção no mercado de trabalho é um processo lento e difícil, e está cada vez mais seletivo. O que pretendemos ?