Doença brônquica difusa

13.205 visualizações

Publicada em

1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
13.205
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
63
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
56
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Doença brônquica difusa

  1. 1. Doenças brônquicas difusas 10/05/2012 MR3 ROBERTO CORRÊA
  2. 2. BronquiectasiaRepresenta dilatação brônquica irreversível; Os 3 fatores mais importantes são: a)Infecção; b)Obstrução de vias aéreas; c)Fibrose peribrônquica (bronquiectasia de tração)
  3. 3. Bronquiectasia As causas mais comuns são:Infecções respiratórias (pneumonia, bronquiolite) na infância; Infecção crônica (principalmente tuberculose); Condições que propiciam infecção crônica: Fibrose cística Discinesia ciliar
  4. 4. Bronquiectasia Anomalias congênitas da via aérea: Traqueobroncomegalia Síndrome de Williams-Campbell: Forma rara de bronquiectasia primária com colapso expiratório importante causado pordeficiência congênita na cartilagem dos brônquios, sobretudo os de quarta a sexta ordem);
  5. 5. BronquiectasiaA bronquiectasia pode ser focal ou difusa e ocorre bilateralmente em cerca de 50% dos casos;Há predomínio de acometimento nos segmentos basais dos lobos inferiores, seguidos pelo lobo médio e língula;A TCAR é o método de escolha no diagnóstico da presença, extensão e distribuição das bronquiectasias. Papel pobre na definição da etilogia.
  6. 6. Tipos de bronquiectasiasa) Cilíndrica : padrão morfológico mais comum;b) Varicosa: aparência serpeginosa e contornos internos irregulares;c) Cística: presença de imagens císticas contínuas com os brônquios principais.
  7. 7. Normal Bronquiectasia
  8. 8. Bronquiectasia varicosa Bronquiectasia cística
  9. 9. Achados de imagem Radiografia de tórax: Normal ou; Achados não específicos: Sinal do trilho de tremImagens anelares de paredes finas ou espessas com nível hidroaéreo ou não Perda de volume na região acometida Aprisionamento aéreo
  10. 10. Achados de imagem TCAR de tórax: Diâmetro interno do brônquio maior que da artéria (sinal do anel de sinete); Perda do afilamento gradual do brônquio;Identificar via aérea a menos de 1cm da pleura; Espessamento da parede brônquica; Impactação mucoide; Padrão de árvore em brotamento.
  11. 11. Bronquiectasia focal
  12. 12. Tumor endobrônquico com bronquiectasias
  13. 13. Broncolitíase
  14. 14. Estenose congênita BPE
  15. 15. Fibrose cística
  16. 16. Sarcoidose: fibrose e bronquiectasiasde tração.
  17. 17. Pós irradiação: fibrose e bronquiectasias de tração
  18. 18. PIU: pneumonia intersticial usual
  19. 19. Síndrome de Kartagener
  20. 20. Bronquiectasia Bronquiectasias com distribuição bilateral e predomínio nos lobos superiores são maisfrequentemente encontradas em pacientes com ABPA, fibrose cística e fibrose relacionada com sarcoidose e silicose.
  21. 21. Aspergilose broncopulmonar alérgica
  22. 22. Traqueobroncomegalia
  23. 23. Síndrome de Williams-Campbell
  24. 24. Fibrose cística Mucoviscidose Doença hereditária autossômica recessiva Curso progressivo e letal Produção anormal de secreções por glândulas exócrinas Defeito genético: mutação no gene CFTRMais de mil mutações e variações do gene já foram descritas
  25. 25. Fibrose cística A incidência varia em diferentes populações: Caucasianos: 1:2000 Negros: 1:17000 Asiáticos: 1:70000 Brasil: 1:7000O acometimento pulmonar é a principal causa de morbidade e mortalidade.
  26. 26. Fibrose cística: imagem Radiografia de tórax: Normal; Achados não específicos: Aumento da trama broncovascular nos lobos superiores; Hiperinsuflação pulmonar; Espessamento brônquicoPneumotórax é complicação comum: até 20% dos pacientes adultos
  27. 27. Fibrose cística: imagem TACR de tórax: Bronquiectasias (principal achado): Pode ser dos 3 tipos; geralmente bilaterais; Predomina nos lobos superiores; Espessamento brônquico; Impactação mucoide pode ocorrer; Nódulos centrolobulares; Árvore em brotamento; Consolidações; Lesões císticas ou bolhosas nos ápices; Linfonodomegalias hilar e mediastinalAnormalidades pleurais (derrame e/ou espessamento)
  28. 28. Fibrose CísticaHomem de 37 anos com tosse crônica e dispneia progressiva
  29. 29. Bronquiectasia A bronquiectasia relacionada com tuberculose tende a ser unilateral ou bilateral e assimétrica,geralmente afetando os lobos superiores em maior extensão. Maior acometimento dos lobos inferiores é encontrado na maioria dos casos de bronquiectasias relacionadas com infecção respiratória da infância, hipogamaglobulinemia e discinesia ciliar primária.
  30. 30. Discinesia ciliar primária Doença autossômica recessivaCaracterizada por anormalidades ultraestruturais ciliares; Prevalência de 1:20.000 a 1:60.000 Sem predileção por sexo ou grupos raciais;
  31. 31. Discinesia ciliar primária Sintomas mais comuns: Tosse produtiva crônica; Pneumonias de repetição; Sinusite e otite média crônicas. Metade dos casos é associdas a situs inversus (síndrome de Kartagener):Combinação de situs inversus, sinusite crônica e bronquiectasias.
  32. 32. Discinesia ciliar primária Radiografia de tórax: Normal ou achados não específicos como espessamento brônquico e aumento da trama broncovascular;Dextrocardia e situs inversus em 50% dos casos; Sinais de bronquiectasias.
  33. 33. Discinesia ciliar primária TCAR de tórax:Bronquiectasias (achado principal) geralmente do tipo cilíndrico;Nódulos centrolobulares e opacidades lineares ou ramificadas; Áreas de diminuição da atenuação e perfusão e aprisionamento aéreo à expiração.
  34. 34. Síndrome de Kartagener
  35. 35. Bronquite crônica Critério clínico para o diagnóstico DPOC: bronquite crônica e enfisema pulmonar;Prevalência de DPOC no Brasil de 12% em adultos maiores de 40 anos: 5.500.000Obstrução ao fluxo aéreo é geralmente progressiva e está associada a uma resposta inflamatória dospulmões à inalação de partículas ou gases tóxicos, causada principalmente pelo tabagismo.
  36. 36. Bronquite crônica: imagem Radiografia de tórax: Geralmente normal; Achados não específicos: Aumento da trama broncovascular e espessamento de brônquios.Hiperinsuflação: vista em pacientes com enfisema grave associado.
  37. 37. Bronquite crônica: imagem TCAR de tórax: Espessamento de paredes brônquicas; Pequenos pseudodivertículos traqueais ebrônquicos secundários à hipertrofia das glândulas submucosas; Secreção em traqueia e brônquios; Enfisema associado é achado frequente; TC: limitado a pacientes com suspeita de bronquiectasias ou carcinoma pulmonar.
  38. 38. Bronquite crônica
  39. 39. Mulher de 20 anos, não tabagista com dispneia progressiva.
  40. 40. Linfangioleiomiomatose: mulher de 20 anos não tabagista.
  41. 41. JPR 2012

×