UNIODONTO
PORTO ALEGRE
Drª Sandra Delgado Pagnoncelli
Especialista e Mestre em Odontopediatria
Especialista em Pacientes c...
CASE: Projeto de Saúde Bucal para
Pacientes Especiais : uma realidade.
Público alvo: internos da Casa do Excepcional
Santa...
Objetivos Iniciais







Adequação bucal direcionada a cada tipo
de paciente especial.
Motivação dos cuidadores.
Anál...
Efetivação do projeto
Horário




Dentista
THD – função
Limites
Escolha de materiais pertinentes ao
paciente especial x adequação bucal
Material de consumo de alta qualidade
 Arquivamen...
Análise da estrutura odontológica
existente
Equipamento
 Aparelhos ( foto, jato, amalgamador...)
 Biossegurança ; esteri...
Conhecimento da rotina da casa
Horário alimentação, banho, sono
 Horário e forma de higiene bucal

Parceria com profissionais da Casa



Médico
Enfermeiras
Nutricionista
Assistente social



Ajudantes !!!!!!




Determinação do responsável legal
Presidente da instituição
 Área médica ?
 Confecção de ficha clínica específica
 Pree...
Reconhecimento da situação bucal dos
pacientes
Escovação no leito de todos os pacientes p/ reconhecimento geral
 Confecçã...
Características do atendimento de
Pacientes Especiais










Movimentos involuntários
Contenção
Abertura da bo...
Amplitude do Projeto
Noções de biossegurança gerais ( cozinha)
 Mudança de conceitos de participação
 Ajuda efetiva por ...
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Uniodonto porto alegre  apresentação convenção foz do iguaçu 2010
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Uniodonto porto alegre apresentação convenção foz do iguaçu 2010

203 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Uniodonto porto alegre apresentação convenção foz do iguaçu 2010

  1. 1. UNIODONTO PORTO ALEGRE Drª Sandra Delgado Pagnoncelli Especialista e Mestre em Odontopediatria Especialista em Pacientes com Necessidades Especiais Regente da Clínica Integrada Infantil e Adolescente da PUCRS Coordenadora do Projeto de Saúde Bucal na Casa do Excepcional Santa Rita de Cássia
  2. 2. CASE: Projeto de Saúde Bucal para Pacientes Especiais : uma realidade. Público alvo: internos da Casa do Excepcional Santa Rita de Cássia- POA-RS Dados: 42 crianças  De 0 a 5 anos = 4 6 a 12 anos =14 13 a 18 anos = 5 + 18 anos =19  2 caminham  9 usam sonda  Óbitos desde 12/2008 a 07/2010=2
  3. 3. Objetivos Iniciais     Adequação bucal direcionada a cada tipo de paciente especial. Motivação dos cuidadores. Análise e Reformulação da higiene bucal realizada até o projeto ser inserido. Melhora do quadro geral de saúde dos pacientes.
  4. 4. Efetivação do projeto
  5. 5. Horário    Dentista THD – função Limites
  6. 6. Escolha de materiais pertinentes ao paciente especial x adequação bucal Material de consumo de alta qualidade  Arquivamento de notas  Solicitação de pedidos- tempo  Instrumental ( quantidade) 
  7. 7. Análise da estrutura odontológica existente Equipamento  Aparelhos ( foto, jato, amalgamador...)  Biossegurança ; esterilização, uniforme, área de limpeza 
  8. 8. Conhecimento da rotina da casa Horário alimentação, banho, sono  Horário e forma de higiene bucal 
  9. 9. Parceria com profissionais da Casa  Médico Enfermeiras Nutricionista Assistente social  Ajudantes !!!!!!   
  10. 10. Determinação do responsável legal Presidente da instituição  Área médica ?  Confecção de ficha clínica específica  Preenchimento, assinatura do responsável  Organização de armazenamento e fichário 
  11. 11. Reconhecimento da situação bucal dos pacientes Escovação no leito de todos os pacientes p/ reconhecimento geral  Confecção de relação com o nome e idade  Quartos em que ficam  Tipo de alimentação ( bucal ou sonda)  Profilaxia e exame na cadeira odontológica ( reconhecimento dos limites de atendimento do público alvo)  Adequação bucal: limite  Re-consulta para nova profilaxia e determinação dos pacientes de alto risco  Atendimento dos pacientes de alto risco  Retorno à lista geral Controle paralelo: escovação semanal no leito com flúor em grupos de pacientes escovação diária de 2ª à 6ª feira pela THD , no leito, com pasta de dente 
  12. 12. Características do atendimento de Pacientes Especiais          Movimentos involuntários Contenção Abertura da boca, manutenção do acesso. Risco de ferimento com o instrumento e a altarotação Relação com a situação clínica da doença Disponibilidade de funcionários da casa Salivação Língua Pós- operatório
  13. 13. Amplitude do Projeto Noções de biossegurança gerais ( cozinha)  Mudança de conceitos de participação  Ajuda efetiva por campanhas de doação.  Reconhecimento do termo “somar” 

×