Cartilage lesions in the hip. Arthroscopic Treatment

8.023 visualizações

Publicada em

Cartilage Lesions in the hip. Arthroscopic Treatment. The experience of the Hip Team - Unidade da Anca
#Hip Arthroscopy

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Cartilage lesions in the hip. Arthroscopic Treatment

  1. 1. LESÕES CARTILAGINEAS NA ANCA Lesiones del Cartilago de la Cadera Jorge Cruz de Melo Porto Hip Meeting 2014 Unidade da Anca Centro de Referência Artroscopia da Anca
  2. 2. CARTILAGEM www.unidadedaanca.com A Articulação da anca é uma diartrose em que a cartilagem cobre a cabeça femoral e o acetábulo, permitindo o deslizamento entre ambos, com baixo atrito. • Células (Condrócitos) • Matriz cartilagínea • Colagénio • Proteoglicanos • Hialuronato • Cartilagem hialina • Camada superficial : 10 a 20% • (Fibras orientadas de forma arqueada) • Camada intermedia: 40 a 60% • (Fibras orientadas radialmente) • Camada profunda: 30% • (Fibras orientação laminada) • A zona onde ocorrem a maior parte das lesões.
  3. 3. CFA  Resulta em trauma de repetição • Lesão labral • Lesão condral • Cascata degenerativa não focal LESOES CARTILAGINEAS www.unidadedaanca.com
  4. 4. Artro-RM da articulação coxo-femural direita revelando sinais de conflito femuro-acetabular misto de predomínio "CAM", com ângulo alfa aumentado, onde coexiste patologia quística de herniação sinovial e alterações labrais e condrais importantes www.unidadedaanca.com LESOES CARTILAGINEAS
  5. 5. RM www.unidadedaanca.com LESOES CARTILAGINEAS
  6. 6. Unidade da Anca CENTRAL Cartilagem Acetabular Transição condro- labral Labrum Fovea Acetabular Cabeça femoral DIAGNOSTICO www.unidadedaanca.com LESOES CARTILAGINEAS
  7. 7. ANCA NORMAL Labrum Cabeça Fovea www.unidadedaanca.com Acetabulo
  8. 8.  Cicatriz estrelada  Fossa supra- acetabular  Cicatriz da fise  Sulco condro-labral PARECE ANORMAL www.unidadedaanca.com
  9. 9. PARECE NORMAL MAS… Cartilagem Sulco?? Rot. CL?? www.unidadedaanca.com PARECE NORMAL MAS…
  10. 10. PARECE NORMAL MAS… “”Wave lesion”” www.unidadedaanca.com PARECE NORMAL MAS…
  11. 11. PARECE NORMAL MAS… Cartilagem www.unidadedaanca.com PARECE NORMAL MAS…
  12. 12. Labrum Cartil. Acetab. Fissuração e fragmentação cartilagem www.unidadedaanca.com CLARAMENTE ANORMAL
  13. 13. Fovea Cabeça femoral Labrum Acetabulo Zona 3 Lesão cartilaginea V de Beck Exposição óssea Delaminação www.unidadedaanca.com CLARAMENTE ANORMAL
  14. 14. Fovea Lesao cartilaginea 5 de Beck Fragmentação Exposição ossea www.unidadedaanca.com Acetabulo
  15. 15. Acetábulo Zona 4 Labrum Lesão condral tipo V de Beck Fibrilação Exposição ossea www.unidadedaanca.com
  16. 16. Cabeça Erosão cartilaginea www.unidadedaanca.com
  17. 17. Cabeça Erosão cartilaginea generalizada www.unidadedaanca.com
  18. 18. www.unidadedaanca.com
  19. 19. “…. perante a lesão cartilagínea focal, o tratamento visa evitar a progressão, minimizar a lesão e reparar/regenerar a cartilagem articular…” J. Cruz de Melo TRATAMENTO LESOES CARTILAGINEAS www.unidadedaanca.com
  20. 20. LESÃO CARTILAGINEA SHAVING SHAVING M # SHAVING M # COLA DE FIBRINA ENXERTO CARTILAGEM Tratamento depende :1) tipo e extensão da lesão 2) alterações morfologicas associadas e 3) do labrum www.unidadedaanca.com TRATAMENTO LESOES CARTILAGINEAS
  21. 21. Classificação de OUTERBRIDGE (Acetabulo e femur) - 1961 • Normal0 • Amolecimento da CartilagemI • Fissuração ou fragmentação num diâmetro inferior a 1,25 cmII • Fissuração ou fragmentação num diâmetro superior a 1,25 cmIII • Erosão cartilagínea, com exposição ósseaIV CLASSIFICAÇÃO LESÃO CARTILAGÍNEA Fibrilação Fragmentaçao Delaminação Erosão cartilaginea www.unidadedaanca.com
  22. 22. •Normal 0 •Amolecimento: rugosidade da superfície; fibrilação I •Rugosidade, Diminuição de espessura, com defeitos e fissuras profundasII •Perda da fixação ao osso sub-condral, macroscópicamente a cartilagem parece normal, fenómeno “Carpet Lesion”III •Perda parcial de cartilagem, bordas desgastadas IV •Perda total da cartilagem V Classificação de BECK (Acetábulo) - 2005 CLASSIFICAÇÃO LESÃO CARTILAGÍNEA DelaminaçãoErosão cartilaginea Fibrilação “Wave sign” Normal Fragmentação www.unidadedaanca.com
  23. 23. Classificação de SAMPSON (Acetábulo) - 2011 • NormalAC 0 • AmolecimentoAC 1 • Amolecimento + “wave sign”AC 1w • Amolecimento + “wave sign” + rotura CLAC 1wTj • Amolecimento + “wave sign” + rotura CL + delaminaçãoAC 1wTjD • FibrilaçãoAC 2 • Fibrilação + rotura CLAC 2Tj • Exposição ósseo pequena < 1cm2AC 3 • Exposição óssea >1cm2AC 4 Abreviaturas: A, Acetabulum; C, Cartilage defects; D, Delamination; Tj, Torn labrocartilage junctionI; W, Wave sign CLASSIFICAÇÃO LESÃO CARTILAGÍNEA Exposição ossea “Wave sign” Eibrilação Normal Rotura CL Delaminação amolecimento www.unidadedaanca.com
  24. 24. Classificação de SAMPSON (Femur) – 2011 • NormalHC 0 • Fina uniformementeHC 0T • AmolecimentoHC 1 • FibrilaçãoHC 2 • DelaminaçãoHC 3 • Exposição ÓsseaHC 4 • Defeito TraumaticoHTC • Zona de demarcaçãoHDZ Abreviaturas: H, femoral Head; T, Thinning; TD, Traumatic Defect; DZ Demarcation zone from FAI CLASSIFICAÇÃO LESÃO CARTILAGÍNEA amolecimento normal Zona de demarcação exposição ossea Fina uniforme Labrum Cabeça Labrum Cabeça www.unidadedaanca.com
  25. 25. “Relógio” “Zonas” Ilizaliturri VM Jr, Byrd JW, Sampson TG, et al. - 2008 Como na cabeça avaliamos A extensão da lesão, • Periférica < 10% • Lateral 1/3 periférico • Mediana 1/3 intermédio • Central 1/3 central MAPEAMENTO CIRURGICO DAS LESÕES CONDRAIS www.unidadedaanca.com
  26. 26. •CFA68 •LESÃO LABRUM8 • CONFLITO ILIOPSOAS7 •REVISÃO CFA (4 ART.+2 RIBAS)6 •OS ACETABULI2 •SINOVITE2 •TUMOR3 •SEQUELA PERTHES1 •CONDROMATOSE SINOVIAL1 •CONDROCALCINOSE1 •PTA DOLOROSA1 JULHO 2012 – MAIO 2014 22 Meses PRIMEIRAS 100 ARTROSCOPIAS ANCA TÉCNICA OUT-INSIDE TOTAL ARTROSCOPIAS ANCA: 140www.unidadedaanca.com
  27. 27. LESÃO CARTILAGINEA Anca Esq Medial Lat 49 - Acetabular (49/68 CFA – 72%) 0 10 20 30 40 50 Zona 1 Zona 2 Zona 3 Zona 4 Zona 5 1 34 40 14 3 Periferica Lateral Mediana Central Peri f Lat Med Cen t www.unidadedaanca.com
  28. 28. 49 - Acetabular 0 5 10 15 20 I II III IV V I II III IV V 3 6 10 14 16 “…lesões/roturas de labrum, que hoje sao consideradas como lesoes da periferia da cartilagem ou roturas da junção labro-cartilaginea” Sampson TG. Classificação de Beck Rotura condro-labral Zona 3 Labrum Cabeça Fovea www.unidadedaanca.com LESÃO CARTILAGINEA
  29. 29. 16 - Femoral (16/68 CFA – 24%) 0 2 4 6 8 10 Z 1 Z 2 Z3 Z4 Z5 Z6 Zonas Z 1 Z 2 Z 3 Z4 Z5 Z6 0 7 8 8 5 0 Lateral Superior Medial Lateral Superio r Medial 12 11 0 Não anotamos sempre as lesões “laterais”, de impacto, no CFA www.unidadedaanca.com LESÃO CARTILAGINEA
  30. 30. 16 - Femoral 0 5 10 15 Grau I Grau II Grau III Grau IV Outerbridge G I G II G III G IV 2 2 3 10 Não anotamos sempre as lesões “laterais”, de impacto, no CFA www.unidadedaanca.com LESÃO CARTILAGINEA
  31. 31. Lesão cartilaginea Pincer “Nada” Acetabuloplastia CAM “Nada” Femoroplastia www.unidadedaanca.com LESÕES CARTILAGINEAS ACETABULARES FOCAIS, grau I e II (BECK) TRATAMENTO
  32. 32. Lesão cartilaginea Estavel, tipo III (“Wave Lesion” Delaminação) Pincer Tectoplastia. M#. COLA DE FIBRINA Reinserção labrum PRESERVAÇÃO C- L CAM “Nada” (periférico) Femopropla stia Desinseção Labrum. M# . COLA FIBRINA Reinserção L PRESERVAÇÃO C- L Instavel (Tipo IV) (Delaminação, Flap) Periférica (Tipo III ou IV) Labrum integro Desbridamento +/- m# Labrum desinserido e/ou PINCER Tectoplastia e reinserção de labrum +/- sahving e m# >> Lateral (Tipo IV) Flap < 1 cm2: desbridam ento +/- m# Flap > 1 cm2: Exerese, m# +/- tectoplasti a e labrum Flap > 1 cm2: m# e COLA DE FIBRINA+ /- tectoplasti a e labrum www.unidadedaanca.com LESÕES CARTILAGINEAS ACETABULARES FOCAIS, grau III e IV (BECK) TRATAMENTO
  33. 33. Lesão cartilaginea Pincer shaving e m# Tectoplastia Reinserção de labrum CAM Labrum integro shaving e m# Femoroplastia Labrum desinserido shaving e m# Reinserção de labrum Femoroplastia Shaving e M # CAM www.unidadedaanca.com LESÕES CARTILAGINEAS ACETABULARES FOCAIS, grau I e II (BECK) TRATAMENTO
  34. 34. LESÕES CARTILAGINEAS ACETABULARES FOCAIS, grau III e IV (BECK) Lesão cartilaginea Estavel, tipo III (“Wave Lesion” Delaminação)) Pincer Tectoplastia. M#. COLA FIBRINA PRESERVAÇÃO C-L CAM “Nada” (periférico ) Femopro plastia Desinseç ão Labrum. M# . COLA FIBRINA Reinserç ão com PRESER VAÇÃO C-L Instavel (Tipo IV) (Delaminação, Flap) Periférica (Tipo III ou IV) Labrum integro Desbridam ento +/- m# Labrum desinserido e/ou PINCER Tectoplasti a e reinserção de labrum +/- sahving e m# >> Lateral, Mediana e/ou Central (Tipo IV) Flap < 1 cm2: desbridame nto +/- m# Flap > 1 cm2: Exerese, m# +/- tectoplastia e labrum Flap > 1 cm2: m# e COLA DE FIBRINA+/- tectoplastia e labrum Labrum Labrum Fovea “wave lesion” www.unidadedaanca.com
  35. 35. LESÕES CARTILAGINEAS ACETABULARES FOCAIS, grau III e IV (BECK) Labrum Cabeça Labrum Acetabulo “Wave Lesion” Femoroplastias Cabeça Labrum Capsula www.unidadedaanca.com Lesão cartilaginea Estavel, tipo III (“Wave Lesion” Delaminação)) Pincer Tectoplastia. M#. COLA FIBRINA PRESERVAÇÃO C- L CAM “Nada” (periférico) Femoproplastia Desinseç ão Labrum. M# . COLA FIBRINA Reinserç ão com PRESER VAÇÃO C-L Instavel (Tipo IV) (Delaminação, Flap) Periférica (Tipo III ou IV) Labrum integro Desbridam ento +/- m# Labrum desinserido e/ou PINCER Tectoplasti a e reinserção de labrum +/- sahving e m# >> Lateral, Mediana e/ou Central (Tipo IV) Flap < 1 cm2: desbridam ento +/- m# Flap > 1 cm2: Exerese, m# +/- tectoplastia e labrum Flap > 1 cm2: m# e COLA DE FIBRINA+/- tectoplastia e labrum
  36. 36. LESÕES CARTILAGINEAS ACETABULARES FOCAIS, III e IV (BECK) Lesão cartilaginea Estavel, tipo III (“Wave Lesion” Delaminação)) Pincer Tectoplastia. M#. COLA DE FIBRINA e Reinserção de labrum com PRESERVAÇ ÃO C-L CAM “Nada” (periférico) Femopropl astia Desinseção Labrum. M# +/- COLA FIBRINA Reinserção Labrum PRESERVAÇÃO C-L Instavel (Tipo IV) (Delaminação, Flap) Periférica (Tipo III ou IV) Labrum integro Desbrida mento +/- m# Labrum desinserid o e/ou PINCER Tectoplast ia e reinserção de labrum +/- sahving e m# >> Lateral, Mediana e/ou Central (Tipo IV) Flap < 1 cm2: desbridam ento +/- m# Flap > 1 cm2: Exerese, m# +/- tectoplasti a e labrum Flap > 1 cm2: m# e COLA DE FIBRINA+ /- tectoplasti a e labrum A c E G B D F H Cabeça Rotura longitudinal labrum Delaminação periferica Delaminação periferica labrum Shaving M # labrum labrum Acetabulo Acetabulo Cabeça Labrum Reinerido Acetabulo Ancora Femoroplastia 4 3 8 1 6 5 A 7 www.unidadedaanca.com
  37. 37. LESÕES CARTILAGINEAS ACETABULARES FOCAIS, grau III e IV (BECK) Lesão cartilaginea Estavel, tipo III (“Wave Lesion” Delaminação)) Pincer Tectoplastia. M#. COLA DE FIBRINA e Reinserção de labrum com PRESERVAÇÃ O C-L CAM “Nada” (periférico) Femopropla stia Desinseção Labrum. M# . COLA FIBRINA Reinserção com PRESERVAÇ ÃO C-L Instavel (Tipo IV) (Delaminação, Flap) Periférica Labrum integro Shaving +/- m# Labrum desinserido e/ou PINCER Tectoplasti a e reinserção de labrum +/- sahving e m# >> Lateral, Mediana e/ou Central (Tipo IV) Flap < 1 cm2: desbridam ento +/- m# Flap > 1 cm2: Exerese, m# +/- tectoplastia e labrum Flap > 1 cm2: m# e COLA DE FIBRINA+/ - tectoplasti a e labrum Cabeça Labrum contundido Rotura condrolabral RF Cartilagem acetabular Labrum www.unidadedaanca.com RF
  38. 38. LESÕES CARTILAGINEAS ACETABULARES FOCAIS, grau III e IV (BECK) LESÕES CARTILAGINEAS ACETABULARES FOCAIS, V (BECK) Lesão cartilaginea Estavel, tipo III (“Wave Lesion” Delaminação)) Pincer Tectoplastia. M#. COLA DE FIBRINA e Reinserção de labrum com PRESERVAÇ ÃO C-L CAM “Nada” (periférico) Femopropl astia Desinseção Labrum. M# . COLA FIBRINA Reinserção com PRESERVA ÇÃO C-L Instavel (Tipo IV) (Delaminação, Flap) Periférica ) Labrum integro Desbrida mento +/- m# Labrum desinserido e/ou PINCER Tectoplastia reinserção labrum +/- sahving e m# >> Lateral, Mediana e/ou Central (Tipo IV) Flap < 1 cm2: desbridam ento +/- m# Flap > 1 cm2: Exerese, m# +/- tectoplasti a e labrum Flap > 1 cm2: m# e COLA DE FIBRINA+ /- tectoplasti a e labrum A c E G B D F H Cabeça Rotura longitudinal labrum Delaminação condral periferica Delaminação condral periferica labrum Shaving M # labrum labrum Acetabulo Acetabulo Cabeça Labrum Reinerido Acetabulo Ancora Femoroplastia 4 3 8 1 6 5 7 www.unidadedaanca.com
  39. 39. Lesão cartilaginea Estavel, tipo III (“Wave Lesion” Delaminação)) Pincer Tectoplastia. M#. COLA DE FIBRINA e Reinserção de labrum com PRESERVAÇÃ O C-L CAM “Nada” (periférico) Femopropla stia Desinseção Labrum. M# . COLA FIBRINA Reinserção com PRESERVAÇ ÃO C-L Instavel (Tipo IV) (Delaminação, Flap) Periférica (Tipo III ou IV) Labrum integro Desbridam ento +/- m# Labrum desinserid o e/ou PINCER Tectoplasti a e reinserção de labrum +/- sahving e m# >> Lateral, …(Tipo IV) Flap < 1 cm2: desbridament o +/- m# Flap > 1 cm2: Exerese, m# +/- tectoplastia e labrum Flap > 1 cm2: m# e COLA DE FIBRINA+/ - tectoplasti a e labrum LESÕES CARTILAGINEAS ACETABULARES FOCAIS, grau III e IV (BECK) A Cabeça Labrum Cabeça Labrum Lesao cartil. grau IV Desbridamento M # Cabeça Labrum 4 31 6 5 www.unidadedaanca.com
  40. 40. LESÕES CARTILAGINEAS ACETABULARES FOCAIS, grau III e IV (BECK) Lesão cartilaginea Estavel, tipo III (“Wave Lesion” Delaminação)) Pincer Tectoplastia. M#. COLA DE FIBRINA e Reinserção de labrum com PRESERVAÇÃ O C-L CAM “Nada” (periférico) Femopropla stia Desinseção Labrum. M# . COLA FIBRINA Reinserção com PRESERVAÇ ÃO C-L Instavel (Tipo IV) (Delaminação, Flap) Periférica (Tipo III ou IV) Labrum integro Desbridam ento +/- m# Labrum desinserid o e/ou PINCER Tectoplasti a e reinserção de labrum +/- sahving e m# >> Lateral, (Tipo IV) Flap < 1 cm2: desbridam ento +/- m# Flap > 1 cm2: Exerese, m# Shaving labrum Flap > 1 cm2: m# e COLA DE FIBRINA+/ - tectoplasti a e labrum Acetabulo Z 2 e 3 Labrum Lesao cartilagem Flap Flap Shaving e M # Labrum Cabeça Cabeça 4 31 6 5 www.unidadedaanca.com
  41. 41. LESÕES CARTILAGINEAS ACETABULARES FOCAIS, grau III e IV (BECK) Lesão cartilaginea Estavel, tipo III (“Wave Lesion” Delaminação)) Pincer Tectoplastia. M#. COLA DE FIBRINA e Reinserção de labrum com PRESERVAÇÃ O C-L CAM “Nada” (periférico) Femopropla stia Desinseção Labrum. M# . COLA FIBRINA Reinserção com PRESERVAÇ ÃO C-L Instavel (Tipo IV) (Delaminação, Flap) Periférica (Tipo III ou IV) Labrum integro Desbridam ento +/- m# Labrum desinserid o e/ou PINCER Tectoplasti a e reinserção de labrum +/- sahving e m# >> Lateral, … (Tipo IV) Flap < 1 cm2: desbridam ento +/- m# Flap > 1 cm2: Exerese, m# tectoplastia Sutura labrum Flap > 1 cm2: m# e COLA DE FIBRINA+/ - tectoplasti a e labrum Fovea Zona III Flap cartilagem Cabeça Zona IV Expoisão ossea Zona III Flap cartilagem Labrum Drill Rebordo Ac Labrum Tectoplastia Fovea Shaving M # Labrum Reinserido Demarcação femoroplastia 4 3 6 1 6 5 7 www.unidadedaanca.com
  42. 42. LESÕES CARTILAGINEAS ACETABULARES FOCAIS, grau III e IV (BECK) Lesão cartilaginea Estavel, tipo III (“Wave Lesion” Delaminação)) Pincer Tectoplastia. M#. COLA DE FIBRINA e Reinserção de labrum com PRESERVAÇ ÃO C-L CAM “Nada” (periférico) Femopropl astia Desinseção Labrum. M# . COLA FIBRINA Reinserção com PRESERVAÇ ÃO C-L Instavel (Tipo IV) (Delaminação, Flap) Periférica (Tipo III ou IV) Labrum integro Desbrida mento +/- m# Labrum desinserid o e/ou PINCER Tectoplast ia e reinserção de labrum +/- sahving e m# >> Lateral …..l (Tipo IV) Flap < 1 cm2: desbridam ento +/- m# Flap > 1 cm2: Exerese, m# +/- tectoplasti a e labrum Flap > 1 cm2: M # COLA FIBRINA +/- tectoplastia e labrum Labrum Rotura e contundido Cabeça Acetabulo Exposição ossea Cartilagem: Flap Cabeça Acetabulo “Redução do Flap” Ancora de sutura COLA DE FIBRINA “Tempo de Secagem” “Confirmação” Femoroplastia A B D E G HH Acetabulo Exposição ossea M # C 4 3 8 1 6 5 7 www.unidadedaanca.com
  43. 43. Lesão cartilaginea Pincer shaving e m# Tectoplastia, reinserção labrum CAM Labrum integro shaving e m# Femoroplastia Labrum desinserido shaving e m# Reinserção labrum Femoroplastia LESÕES CARTILAGINEAS ACETABULARES FOCAIS, grau V (BECK) Fovea Acetabulo Z 3 Cabeça Z 4 Lesao G V Labrum Labrum Cabeça Tectoplastia Reinserção de labrum Shaving e M # CAM Femoroplastia Cabeça Cabeça Labrum 4 3 8 1 6 5 7 www.unidadedaanca.com
  44. 44. A lesão cartilagínea é de difícil caracterização na avaliação imagiológica, sendo a sua caraterização essencialmente per-operatória. Tratamento continua a ser um grande desafio. Tratar sempre o fator causal (CFA, DDA, Corpos livres, etc ) e as lesões associadas Objectivo é minimizar a lesão, evitar a progressão,, tentar “restabelecer” a cartilagem ou fibrocartilagem cicatricial. O DIAGNOSTICO PRECOCE E O TRATAMENTO ADEQUADO É O MELHOR FATOR PROGNOSTICO www.unidadedaanca.com
  45. 45. OBRIGADOwww.unidadedaanca.com

×