SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
Baixar para ler offline
ESTADO DE MATO GROSSO
SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO
INSTITUTO FEDERAL DE MATO GROSSO
UESTERDOUGLAS SOARES ROCHA
A PRÁTICA PROFISSIONAL SUPERVISIONADA COMO
APLICAÇÃO DOS CONHECIMENTOS ADQUIRIDOS NO CURSO
PROFISSIONALIZANTE PROFUNCIONÁRIO
O Projeto “A Prática Profissional
Supervisionada como aplicação dos
conhecimentos adquiridos no curso
profissionalizante Profuncionário” é uma
exigência apresentada pelo programa de
Formação para os Funcionários da
Educação.
Tutor: José Aparecido Vieira
Paranatinga-MT
2013
SUMÁRIO
1 . INTRODUÇÃO -------------------------------------------------------------------------P.03
2. JUSTIFICATIVA ------------------------------------------------------------------------P.04
3. OBJETIVOS -----------------------------------------------------------------------------P.06
3.1. OBJETIVO GERAL -----------------------------------------------------------------P.06
3.2. OBJETIVOS ESPECÍFICOS -----------------------------------------------------P.06
4. METODOLOGIA -----------------------------------------------------------------------P.07
5. CRONOGRAMA -----------------------------------------------------------------------P.08
6. BIBLIOGRAFIA ------------------------------------------------------------------------P.09
1 . INTRODUÇÃO
Este Projeto discorre sobre a importância das atividades
propostas pela disciplina PPS (Prática Profissional Supervisionada), relativa ao
curso técnico Profuncionário, que propõe em sua grade curricular a realização
de atividades e práticas pedagógicas junto a instituição em que o cursista
trabalha.
Esse curso profissionalizante é atualmente oferecido a todos os
profissionais da Educação básica do estado de Mato Grosso pelo IFMT
(Instituto Federal de Mato Grosso), em parceria com o Cefapro (Centro de
Formação e Atualização dos Profissionais da Educação Básica).
Trata-se, aqui, de um Projeto de pesquisa que relata a
importância das atividades práticas, durante a formação dos cursistas para o
crescimento e melhor contextualização dos conhecimentos adquiridos durante
as aulas presenciais, de acordo com a realidade, a peculiaridade e
características de cada profissão e cada funcionário, dentro do contexto da
comunidade em que a instituição se insere, sem esquecer a necessidade de
desenvolver atividades baseadas em incessantes estudos e aplicadas de
acordo com uma metodologia claramente definida para alcançar o efeito
previamente definido.
O eixo temático deste Projeto gira em torno da necessidade de
fazer refletir o cursista e o responsável pela instituição em que ele atua acerca
dos frutos e do ganho qualitativo que esse tipo de atividade pode produzir no
cotidiano deles, bem como na relação comunidade/ funcionários, pais/
funcionários e alunos/ funcionários, sendo a busca incessante por uma
educação de qualidade o triunfo ao qual deve aspirar todo funcionário
comprometido e responsável pela formação de alunos conscientes do seu
papel social e de sua cidadania.
2. JUSTIFICATIVA
O curso técnico Profuncionário, oferecido a todos os
profissionais da Educação Básica não docentes do estado de Mato Grosso,
prevê em sua estrutura, além da formação teórica por meio de estudos de
livros, vídeo- aulas, slides, entre outros, a realização de produções textuais
relacionadas ao que vem sendo estudado.
O objetivo delas é tornar os conhecimentos adquiridos durante
as aulas ferramentas importantes no dia- a- dia dos cursistas, fazendo-lhes
refletir sobre o que vem sendo estudado e o que pode ser útil às necessidades
diárias das instituições educacionais em que eles trabalham.
A disciplina desse curso, denominada PPS, se concretiza então
como eixo desse processo de consolidação dos conhecimentos. Em sua carga
horária, estão previstos estágios e aplicações práticas que vão sendo
realizadas de acordo com as propostas temáticas que vão sendo estudadas.
Daí a necessidade de tratar a PPS neste projeto, dotando-o de
argumentos e prerrogativas que justifiquem a existência dessa disciplina e o
seu papel formativo durante a realização do Profuncionário.
Assim, partindo da premissa de que todo profissional da
Educação é também um educador, contextualizamos a afirmação de Maurice
Tardif (2002):
A pesquisa universitária na área da educação e a prática do ofício de
professor não são regidas pela relação entre teoria e prática, pois
ambas são portadoras e produtoras de práticas e de saberes, de
teorias e de ações, e ambas comprometem os atores, seus
conhecimentos e suas subjetividades. Nessa perspectiva, a relação
entre a pesquisa universitária e o trabalho docente nunca é uma
relação entre uma teoria e uma prática, mas uma relação entre
atores, entre sujeitos cujas práticas são portadoras de saberes.
(TARDIF, 2002).
De acordo com Tardif, as relações dos educadores com as
suas práticas deixaram de se pautar entre a mera transmissão de
conhecimentos, para uma relação mútua onde o que é aprendido em contextos
acadêmicos vai sendo transmitido e também recriado a medida em que esses
profissionais e demais envolvidos no processo de Ensino se considerem como
sujeitos ativos na produção e transformação de saberes.
Com isso, podemos considerar a importância de se concretizar
e reformular constantemente as teorias educacionais, de acordo com o
cotidiano e a realidade de cada ambiente em que o profissional dessa área
está inserido.
A partir da realização de atividades sustentadas por estudos
que as antecipam, deve-se ter o cuidado de avaliar frequentemente os
resultados de acordo com os objetivos previstos.
É importante também seguir uma linha metodológica, a fim de
que as ideias que se considerem significativas e efetivas na conquista de mais
qualidade à determinada atividade, possam ser também facilmente assimiladas
pelos demais profissionais daquele setor, ou função.
Todo profissional atuante e engajado em oferecer um serviço
diário com a maior qualidade possível precisa ter uma alma de cientista, uma
vez que a metodologia científica aproxima cada vez mais os objetivos aos
resultados planejados antecipadamente, conforme ratifica Mariana Araguaia:
O método científico engloba a observação de um fato; elaboração de
uma “pergunta” acerca desse fato, com base em uma teoria que
precisa ser explicada; e formulação de uma hipótese, consistindo em
possíveis respostas testáveis para esta pergunta. (ARAGUAIA, S.D.).
Tendo em conta tudo isso, qualquer atuação que se alicerce
em metodologias cujos resultados sejam constantemente analisados e
avaliados, reforçam a importância da existência da PPS como fator essencial
em uma formação profissionalizante integradora entre conhecimentos
acadêmicos e conhecimentos práticos, adquiridos e/ou reformulados.
3. OBJETIVOS
3.1. Objetivo Geral
Estabelecer uma relação de reciprocidade entre conhecimento
e prática e contribuir para a formação dos cursistas do Profuncionário no
contexto de suas práticas laborais, levando-lhes à reflexão sobre tudo o que
aprendem durante o curso e todo o potencial de mudança e solidificação que
esses conhecimentos lhes podem brindar a medida em que se profissionalizam
e enxergam a sua responsabilidade ante os alunos e demais funcionários dos
espaços educacionais, bem como diante do contexto social em que estão
inseridos e das necessidades de mudança e transformação que as classes
menos favorecidas anseiam.
3.2. Objetivos Específicos
Respaldar e fundamentar a realização de produções textuais
requeridas durante o curso e, principalmente, aquelas da disciplina PPS,
exemplificando com atividades que levam a resultados efetivos no ambiente de
trabalho dos cursistas.
Promover neles a sensibilização de que tudo o que aprendem
precisa ser usado metodicamente na tentativa de melhorar a qualidade de suas
práticas profissionais.
Incentivar a criação e posta em prática de ideias, projetos e
atividades, que sejam significativas e capazes de transformar as instituições e
melhorar o Ensino, bem como contribuir com a melhoria nas condições de vida
da comunidade.
4. METODOLOGIA
A PPS deverá realizar-se a partir, sobretudo, de pesquisas e
estudos que embasem a atividade ou ideia que se pretende colocar em prática
de acordo com a realidade das instituições.
O primeiro passo é delimitar um tema, a partir do qual o aluno
do Profuncionário deve primeiramente ler todo o Caderno que foi
disponibilizado para a temática que já foi proposta antecipadamente.
Após ler o referido caderno e ter acompanhado as aulas
presenciais que tratem e discutam sua temática, o aluno se aprofundará em
mais conhecimentos e conteúdos relacionados com a mesma. Para isso,
buscará textos on line, livros, vídeo- aulas, slides, entre outros.
O próximo passo é criar uma atividade ou teoria metodológica,
baseada em uma pesquisa ampla e fundamentada em intelectuais renomados
na área que se pretende pesquisar.
Após surgida a ideia, o aluno deverá transpô-la ao papel,
organizando seu projeto de acordo com as normas da ABNT e respeitando os
tópicos tais como capa, introdução, justificativa, objetivos, metodologia,
cronograma e bibliografia.
Após confeccionada a produção textual, a próxima etapa é a
posta em prática da atividade ou teoria proposta.
No fim, o aluno redigirá um relatório, avaliando os resultados
obtidos e se os objetivos foram alcançados.
No final do curso, um projeto mais amplo e mais detalhado será
exigido, para o qual serão necessários, sem dúvida, muito mais estudos e uma
pesquisa muito mais criteriosa e detalhada, bem como uma posta em prática
mais efetiva e avaliação mais criteriosa.
5. CRONOGRAMA*
2013 2014
Atividade Agost
o
Setem
bro
Outu
bro
Novem
bro
Dezem
bro
Janei
ro
Fevere
iro
Mar
ço
Abril
Elaboração do
Projeto
19/30
Caderno 01 02/20
Caderno 03 23/30
Caderno 06
Caderno 07
Caderno 08
Caderno 10
Caderno 11
Caderno 12
Caderno 13
Caderno 14
Caderno 15
Caderno 16
*Será disponibilizado, futuramente, um cronograma completo de todas as
atividades da PPS.
6. BIBLIOGRAFIA
MONLEVADE, João Antônio Cabral de. Funcionários de Escolas: cidadãos,
educadores, profissionais e gestores. 4ª ed. Mato Grosso: Universidade
Federal de Mato Grosso, Rede e-Tec Brasil, 2012.
SANDESKI, Adinilra Selma Moreira da Silva. et al. Orientações de Prática
Profissional-I. Paraná: Instituto Federal do Paraná, 2012.
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Secretaria de Educação Profissional e
Tecnológica. Orientações Gerais. 4ª ed. Mato Grosso: Universidade Federal de
Mato Grosso/ Rede e-Tec Brasil, 2012.
TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Ed.
Vozes, 2002.
ARAGUAIA, Mariana. A metodologia científica. Equipe Brasil Escola, 2002-
2013. Disponível em: http://www.brasilescola.com/biologia/a-metodologia-
cientifica.htm. Último acesso em: 05/09/2013.
DE PAULA E SILVA, Antônio Luiz. A profissionalização e o facilitador. Instituto
Fonte. Disponível em: http://institutofonte.org.br/node/156. Último acesso em:
05/09/2013.
Local e Data: ____________________________________________________
Assinaturas: Tutor(a) _____________________________________________
Aluno(a) _____________________________________________
RELATÓRIO
FORMULARIO PARA REGISTRO DAS ATIVIDADES DE PRÁTICA PROFISSIONAL
Nome: Uesterdouglas Soares Rocha
Curso: Técnico em Secretaria Escolar
Polo: Primavera do Leste / MT
Local: Paranatinga / MT
Tutor (a): José Aparecido Vieira
Atividades Elaboração do projeto da Pratica Profissional Supervisionada
Justificativa
Busca – se com esta atividade a comprovação da importância do
Planejamento para nortear a Pratica Profissional Supervisionada.
Portanto a presente atividade irá trazer contribuições positivas e
significativas para a realização deste módulo do Profuncionário.
Objetivos Elaborar o Projeto da Pratica Profissional Supervisionada
Público Alvo Cursista do Profuncionário.
Descrição da Atividade
Orientação da tutora = 02 (duas) horas
Desenvolvimento da atividade = 06 (seis) horas
Levantamento de informações para a elaboração do Projeto (Capa,
Sumario, Introdução, Justificativa, Objetivo Geral, Objetivos Específicos,
Metodologia, Cronograma e Bibliografia.
Relatório da Atividade = 01 (uma) horas
Relato do projeto a tutora = 01 (uma) horas
Data /Carga Horária
Período: 05 de setembro de 2013 a 13 de setembro de 2013
Carga horária: 10 (dez) horas
Assinatura e carimbo
do responsável pela
Unidade Escolar ________________________
A realização deste Projeto implicou a busca por estudos
relacionados ao tema em questão, que é a necessidade de relacionar teoria e
prática no âmbito de formação profissional dos cursistas durante a realização
do Profuncionário.
Durante as aulas da disciplina abordada (PPS) e durante as
pesquisas que possibilitaram fundamentar esta atividade, pude entender
melhor sobre a importância de desenvolver atividades práticas junto ao meu
ambiente de trabalho, sendo essa uma exigência dessa disciplina e também
uma necessidade óbvia de uma formação plena e contextualizada à minha
função dentro da Escola em que eu atuo.
Ao fim, pude entender melhor sobre a importância de
desenvolver atividades mais efetivas e qualitativas no meu cotidiano, que
tragam resultados mais promissores e que cumpram os objetivos propostos,
sendo a minha responsabilidade social enquanto funcionária educadora o fator
estimulante para desenvolver minha função da maneira mais adequada e útil
possível aos interesses da Escola e da sociedade.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Da teoria à prática: o Estágio Curricular Supervisionado no curso de licencia...
Da teoria à prática: o Estágio Curricular Supervisionado no curso de licencia...Da teoria à prática: o Estágio Curricular Supervisionado no curso de licencia...
Da teoria à prática: o Estágio Curricular Supervisionado no curso de licencia...Gustavo Araújo
 
Me pedagogia (in) (rf)
Me pedagogia (in) (rf)Me pedagogia (in) (rf)
Me pedagogia (in) (rf)Juliana Fae
 
CONSTRUÇÃO DE SABERES DIDÁTICOS EM SERVIÇO POR DOCENTES DO CURSO DE FOTOGRAFIA
CONSTRUÇÃO DE SABERES DIDÁTICOS EM SERVIÇO POR DOCENTES DO CURSO DE FOTOGRAFIACONSTRUÇÃO DE SABERES DIDÁTICOS EM SERVIÇO POR DOCENTES DO CURSO DE FOTOGRAFIA
CONSTRUÇÃO DE SABERES DIDÁTICOS EM SERVIÇO POR DOCENTES DO CURSO DE FOTOGRAFIAProfessorPrincipiante
 
ORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO IORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA ...
ORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO IORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA ...ORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO IORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA ...
ORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO IORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA ...MALVINA EUFRAZIO DA SILVA
 
Manual de estágio_supervisionado
Manual de estágio_supervisionadoManual de estágio_supervisionado
Manual de estágio_supervisionadoADRIANA BECKER
 
Prática docente mediada pelo estágio
Prática docente mediada pelo estágioPrática docente mediada pelo estágio
Prática docente mediada pelo estágioMarcelle Pires
 
Projeto Sala de Educador
Projeto Sala de EducadorProjeto Sala de Educador
Projeto Sala de Educadorcefaprodematupa
 
Plano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãOPlano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãOclaudinapires
 
201312010588203orientacoes para elaboracao_do_plano_do_ensino (1)
201312010588203orientacoes para elaboracao_do_plano_do_ensino (1)201312010588203orientacoes para elaboracao_do_plano_do_ensino (1)
201312010588203orientacoes para elaboracao_do_plano_do_ensino (1)Rodrigo Diniz
 
C:\Fakepath\Forumdir 2006
C:\Fakepath\Forumdir 2006C:\Fakepath\Forumdir 2006
C:\Fakepath\Forumdir 2006Solange Soares
 
Plano De Estagio Neidejorge
Plano De Estagio NeidejorgePlano De Estagio Neidejorge
Plano De Estagio NeidejorgeNeide Jorge
 
Regulamento dos Portfolios Pessoais do DEI/IST - versão de 2009/10
Regulamento dos Portfolios Pessoais do DEI/IST - versão de 2009/10Regulamento dos Portfolios Pessoais do DEI/IST - versão de 2009/10
Regulamento dos Portfolios Pessoais do DEI/IST - versão de 2009/10IST - Instituto Superior Técnico
 
Competencias e habilidades_doprofesso
Competencias e habilidades_doprofessoCompetencias e habilidades_doprofesso
Competencias e habilidades_doprofessoangelafreire
 
Cefapro orientativo para a elaboração do projeto sala de educador (passo a ...
Cefapro   orientativo para a elaboração do projeto sala de educador (passo a ...Cefapro   orientativo para a elaboração do projeto sala de educador (passo a ...
Cefapro orientativo para a elaboração do projeto sala de educador (passo a ...joelson10
 

Mais procurados (20)

Da teoria à prática: o Estágio Curricular Supervisionado no curso de licencia...
Da teoria à prática: o Estágio Curricular Supervisionado no curso de licencia...Da teoria à prática: o Estágio Curricular Supervisionado no curso de licencia...
Da teoria à prática: o Estágio Curricular Supervisionado no curso de licencia...
 
Me pedagogia (in) (rf)
Me pedagogia (in) (rf)Me pedagogia (in) (rf)
Me pedagogia (in) (rf)
 
Regulamento 2008[1]
Regulamento 2008[1]Regulamento 2008[1]
Regulamento 2008[1]
 
Sala de educador_02_03_2015 (2)
Sala de educador_02_03_2015 (2)Sala de educador_02_03_2015 (2)
Sala de educador_02_03_2015 (2)
 
Manual do-estagio-
Manual do-estagio-Manual do-estagio-
Manual do-estagio-
 
CONSTRUÇÃO DE SABERES DIDÁTICOS EM SERVIÇO POR DOCENTES DO CURSO DE FOTOGRAFIA
CONSTRUÇÃO DE SABERES DIDÁTICOS EM SERVIÇO POR DOCENTES DO CURSO DE FOTOGRAFIACONSTRUÇÃO DE SABERES DIDÁTICOS EM SERVIÇO POR DOCENTES DO CURSO DE FOTOGRAFIA
CONSTRUÇÃO DE SABERES DIDÁTICOS EM SERVIÇO POR DOCENTES DO CURSO DE FOTOGRAFIA
 
ORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO IORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA ...
ORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO IORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA ...ORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO IORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA ...
ORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO IORIENTAÇÕES PARA PRÁTICA ...
 
Ped normas ecs
Ped normas ecsPed normas ecs
Ped normas ecs
 
Manual de estágio_supervisionado
Manual de estágio_supervisionadoManual de estágio_supervisionado
Manual de estágio_supervisionado
 
Prática docente mediada pelo estágio
Prática docente mediada pelo estágioPrática docente mediada pelo estágio
Prática docente mediada pelo estágio
 
Projeto Sala de Educador
Projeto Sala de EducadorProjeto Sala de Educador
Projeto Sala de Educador
 
Estagio supervisionado
Estagio supervisionado Estagio supervisionado
Estagio supervisionado
 
Plano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãOPlano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãO
 
201312010588203orientacoes para elaboracao_do_plano_do_ensino (1)
201312010588203orientacoes para elaboracao_do_plano_do_ensino (1)201312010588203orientacoes para elaboracao_do_plano_do_ensino (1)
201312010588203orientacoes para elaboracao_do_plano_do_ensino (1)
 
Programa sht
Programa sht Programa sht
Programa sht
 
C:\Fakepath\Forumdir 2006
C:\Fakepath\Forumdir 2006C:\Fakepath\Forumdir 2006
C:\Fakepath\Forumdir 2006
 
Plano De Estagio Neidejorge
Plano De Estagio NeidejorgePlano De Estagio Neidejorge
Plano De Estagio Neidejorge
 
Regulamento dos Portfolios Pessoais do DEI/IST - versão de 2009/10
Regulamento dos Portfolios Pessoais do DEI/IST - versão de 2009/10Regulamento dos Portfolios Pessoais do DEI/IST - versão de 2009/10
Regulamento dos Portfolios Pessoais do DEI/IST - versão de 2009/10
 
Competencias e habilidades_doprofesso
Competencias e habilidades_doprofessoCompetencias e habilidades_doprofesso
Competencias e habilidades_doprofesso
 
Cefapro orientativo para a elaboração do projeto sala de educador (passo a ...
Cefapro   orientativo para a elaboração do projeto sala de educador (passo a ...Cefapro   orientativo para a elaboração do projeto sala de educador (passo a ...
Cefapro orientativo para a elaboração do projeto sala de educador (passo a ...
 

Semelhante a Projeto pps-luciene

Cecília machado henriques
Cecília machado henriquesCecília machado henriques
Cecília machado henriquesequipetics
 
#ppel7 by Jo@na Aprendizagem
#ppel7 by Jo@na Aprendizagem#ppel7 by Jo@na Aprendizagem
#ppel7 by Jo@na AprendizagemJosi Baioto
 
Orientacao educacional
Orientacao educacionalOrientacao educacional
Orientacao educacionalKualo Kala
 
Pedagogia 2 e 3
Pedagogia 2 e 3Pedagogia 2 e 3
Pedagogia 2 e 3Arleno
 
Artigo_Ensino_Fundamental II.pdf
Artigo_Ensino_Fundamental II.pdfArtigo_Ensino_Fundamental II.pdf
Artigo_Ensino_Fundamental II.pdfZoraideMenezes1
 
A importância do estágio supervisionado na formação do profissional de educac...
A importância do estágio supervisionado na formação do profissional de educac...A importância do estágio supervisionado na formação do profissional de educac...
A importância do estágio supervisionado na formação do profissional de educac...diagoprof
 
Portefolio reflexivo de_aprendizagem
Portefolio reflexivo de_aprendizagemPortefolio reflexivo de_aprendizagem
Portefolio reflexivo de_aprendizagemElisa Dias
 
Planejamento 2014
Planejamento 2014Planejamento 2014
Planejamento 2014Pet Esef
 
PERCURSOS FORMATIVOS DE ESTUDANTES PARTICIPANTES DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE...
PERCURSOS FORMATIVOS DE ESTUDANTES PARTICIPANTES DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE...PERCURSOS FORMATIVOS DE ESTUDANTES PARTICIPANTES DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE...
PERCURSOS FORMATIVOS DE ESTUDANTES PARTICIPANTES DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE...ProfessorPrincipiante
 
Aprendendo a ser professor contribuições de um programa de iniciação à docênc...
Aprendendo a ser professor contribuições de um programa de iniciação à docênc...Aprendendo a ser professor contribuições de um programa de iniciação à docênc...
Aprendendo a ser professor contribuições de um programa de iniciação à docênc...curujao
 
APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA POR MEIO DE EXPERIÊNCIAS DE ENSINO E APRENDIZAGEM – ...
APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA POR MEIO DE EXPERIÊNCIAS DE ENSINO E APRENDIZAGEM – ...APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA POR MEIO DE EXPERIÊNCIAS DE ENSINO E APRENDIZAGEM – ...
APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA POR MEIO DE EXPERIÊNCIAS DE ENSINO E APRENDIZAGEM – ...ProfessorPrincipiante
 
A FORMAÇÃO DO LICENCIADO EM PEDAGOGIA E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO...
A FORMAÇÃO DO LICENCIADO EM PEDAGOGIA E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO...A FORMAÇÃO DO LICENCIADO EM PEDAGOGIA E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO...
A FORMAÇÃO DO LICENCIADO EM PEDAGOGIA E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO...ProfessorPrincipiante
 
Caderno do professor geografia vol 02 2as séries 2014
Caderno do professor geografia vol 02 2as séries 2014Caderno do professor geografia vol 02 2as séries 2014
Caderno do professor geografia vol 02 2as séries 2014professora de geografia
 
Caderno do professor 2014_2017_vol2_baixa_ch_geografia_em_2s-
Caderno do professor 2014_2017_vol2_baixa_ch_geografia_em_2s-Caderno do professor 2014_2017_vol2_baixa_ch_geografia_em_2s-
Caderno do professor 2014_2017_vol2_baixa_ch_geografia_em_2s-professora de geografia
 

Semelhante a Projeto pps-luciene (20)

Trabalho aprendizagem por projetos
Trabalho aprendizagem por projetosTrabalho aprendizagem por projetos
Trabalho aprendizagem por projetos
 
Peid
PeidPeid
Peid
 
Cecília machado henriques
Cecília machado henriquesCecília machado henriques
Cecília machado henriques
 
#ppel7 by Jo@na Aprendizagem
#ppel7 by Jo@na Aprendizagem#ppel7 by Jo@na Aprendizagem
#ppel7 by Jo@na Aprendizagem
 
Orientacao educacional
Orientacao educacionalOrientacao educacional
Orientacao educacional
 
Pedagogia 2 e 3
Pedagogia 2 e 3Pedagogia 2 e 3
Pedagogia 2 e 3
 
Artigo_Ensino_Fundamental II.pdf
Artigo_Ensino_Fundamental II.pdfArtigo_Ensino_Fundamental II.pdf
Artigo_Ensino_Fundamental II.pdf
 
A importância do estágio supervisionado na formação do profissional de educac...
A importância do estágio supervisionado na formação do profissional de educac...A importância do estágio supervisionado na formação do profissional de educac...
A importância do estágio supervisionado na formação do profissional de educac...
 
Portefolio reflexivo de_aprendizagem
Portefolio reflexivo de_aprendizagemPortefolio reflexivo de_aprendizagem
Portefolio reflexivo de_aprendizagem
 
Planejamento 2014
Planejamento 2014Planejamento 2014
Planejamento 2014
 
Masetto docencia universitaria
Masetto   docencia universitariaMasetto   docencia universitaria
Masetto docencia universitaria
 
Orientaço..[1] pro 2012 2013
Orientaço..[1] pro 2012 2013Orientaço..[1] pro 2012 2013
Orientaço..[1] pro 2012 2013
 
Artigo gilberto 06
Artigo gilberto 06Artigo gilberto 06
Artigo gilberto 06
 
PERCURSOS FORMATIVOS DE ESTUDANTES PARTICIPANTES DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE...
PERCURSOS FORMATIVOS DE ESTUDANTES PARTICIPANTES DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE...PERCURSOS FORMATIVOS DE ESTUDANTES PARTICIPANTES DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE...
PERCURSOS FORMATIVOS DE ESTUDANTES PARTICIPANTES DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE...
 
Aprendendo a ser professor contribuições de um programa de iniciação à docênc...
Aprendendo a ser professor contribuições de um programa de iniciação à docênc...Aprendendo a ser professor contribuições de um programa de iniciação à docênc...
Aprendendo a ser professor contribuições de um programa de iniciação à docênc...
 
DIRETRIZ DE FORMAÇÃO 2023.docx
DIRETRIZ  DE FORMAÇÃO 2023.docxDIRETRIZ  DE FORMAÇÃO 2023.docx
DIRETRIZ DE FORMAÇÃO 2023.docx
 
APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA POR MEIO DE EXPERIÊNCIAS DE ENSINO E APRENDIZAGEM – ...
APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA POR MEIO DE EXPERIÊNCIAS DE ENSINO E APRENDIZAGEM – ...APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA POR MEIO DE EXPERIÊNCIAS DE ENSINO E APRENDIZAGEM – ...
APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA POR MEIO DE EXPERIÊNCIAS DE ENSINO E APRENDIZAGEM – ...
 
A FORMAÇÃO DO LICENCIADO EM PEDAGOGIA E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO...
A FORMAÇÃO DO LICENCIADO EM PEDAGOGIA E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO...A FORMAÇÃO DO LICENCIADO EM PEDAGOGIA E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO...
A FORMAÇÃO DO LICENCIADO EM PEDAGOGIA E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO...
 
Caderno do professor geografia vol 02 2as séries 2014
Caderno do professor geografia vol 02 2as séries 2014Caderno do professor geografia vol 02 2as séries 2014
Caderno do professor geografia vol 02 2as séries 2014
 
Caderno do professor 2014_2017_vol2_baixa_ch_geografia_em_2s-
Caderno do professor 2014_2017_vol2_baixa_ch_geografia_em_2s-Caderno do professor 2014_2017_vol2_baixa_ch_geografia_em_2s-
Caderno do professor 2014_2017_vol2_baixa_ch_geografia_em_2s-
 

Mais de Ðouglas Rocha

Mais de Ðouglas Rocha (10)

Decreto copa
Decreto copaDecreto copa
Decreto copa
 
Calendário urbano 2014
Calendário urbano 2014Calendário urbano 2014
Calendário urbano 2014
 
Projeto bonde gogó douglas
Projeto bonde gogó  douglasProjeto bonde gogó  douglas
Projeto bonde gogó douglas
 
Proj. 2 josi
Proj. 2 josiProj. 2 josi
Proj. 2 josi
 
PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012
PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012
PROJETO LEITURA E ESCRITA 2012
 
PROJETO TRÂNSITO 2012
PROJETO TRÂNSITO 2012PROJETO TRÂNSITO 2012
PROJETO TRÂNSITO 2012
 
PROJETO LIXO 2012
PROJETO LIXO 2012PROJETO LIXO 2012
PROJETO LIXO 2012
 
PROJETO FESTA JUNINA 2012
PROJETO FESTA JUNINA 2012PROJETO FESTA JUNINA 2012
PROJETO FESTA JUNINA 2012
 
PROJETO OBA 2012
PROJETO OBA 2012PROJETO OBA 2012
PROJETO OBA 2012
 
PROJETO ÁGUA (abril)2012
PROJETO ÁGUA  (abril)2012PROJETO ÁGUA  (abril)2012
PROJETO ÁGUA (abril)2012
 

Projeto pps-luciene

  • 1. ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE MATO GROSSO UESTERDOUGLAS SOARES ROCHA A PRÁTICA PROFISSIONAL SUPERVISIONADA COMO APLICAÇÃO DOS CONHECIMENTOS ADQUIRIDOS NO CURSO PROFISSIONALIZANTE PROFUNCIONÁRIO O Projeto “A Prática Profissional Supervisionada como aplicação dos conhecimentos adquiridos no curso profissionalizante Profuncionário” é uma exigência apresentada pelo programa de Formação para os Funcionários da Educação. Tutor: José Aparecido Vieira Paranatinga-MT 2013
  • 2. SUMÁRIO 1 . INTRODUÇÃO -------------------------------------------------------------------------P.03 2. JUSTIFICATIVA ------------------------------------------------------------------------P.04 3. OBJETIVOS -----------------------------------------------------------------------------P.06 3.1. OBJETIVO GERAL -----------------------------------------------------------------P.06 3.2. OBJETIVOS ESPECÍFICOS -----------------------------------------------------P.06 4. METODOLOGIA -----------------------------------------------------------------------P.07 5. CRONOGRAMA -----------------------------------------------------------------------P.08 6. BIBLIOGRAFIA ------------------------------------------------------------------------P.09
  • 3. 1 . INTRODUÇÃO Este Projeto discorre sobre a importância das atividades propostas pela disciplina PPS (Prática Profissional Supervisionada), relativa ao curso técnico Profuncionário, que propõe em sua grade curricular a realização de atividades e práticas pedagógicas junto a instituição em que o cursista trabalha. Esse curso profissionalizante é atualmente oferecido a todos os profissionais da Educação básica do estado de Mato Grosso pelo IFMT (Instituto Federal de Mato Grosso), em parceria com o Cefapro (Centro de Formação e Atualização dos Profissionais da Educação Básica). Trata-se, aqui, de um Projeto de pesquisa que relata a importância das atividades práticas, durante a formação dos cursistas para o crescimento e melhor contextualização dos conhecimentos adquiridos durante as aulas presenciais, de acordo com a realidade, a peculiaridade e características de cada profissão e cada funcionário, dentro do contexto da comunidade em que a instituição se insere, sem esquecer a necessidade de desenvolver atividades baseadas em incessantes estudos e aplicadas de acordo com uma metodologia claramente definida para alcançar o efeito previamente definido. O eixo temático deste Projeto gira em torno da necessidade de fazer refletir o cursista e o responsável pela instituição em que ele atua acerca dos frutos e do ganho qualitativo que esse tipo de atividade pode produzir no cotidiano deles, bem como na relação comunidade/ funcionários, pais/ funcionários e alunos/ funcionários, sendo a busca incessante por uma educação de qualidade o triunfo ao qual deve aspirar todo funcionário comprometido e responsável pela formação de alunos conscientes do seu papel social e de sua cidadania. 2. JUSTIFICATIVA
  • 4. O curso técnico Profuncionário, oferecido a todos os profissionais da Educação Básica não docentes do estado de Mato Grosso, prevê em sua estrutura, além da formação teórica por meio de estudos de livros, vídeo- aulas, slides, entre outros, a realização de produções textuais relacionadas ao que vem sendo estudado. O objetivo delas é tornar os conhecimentos adquiridos durante as aulas ferramentas importantes no dia- a- dia dos cursistas, fazendo-lhes refletir sobre o que vem sendo estudado e o que pode ser útil às necessidades diárias das instituições educacionais em que eles trabalham. A disciplina desse curso, denominada PPS, se concretiza então como eixo desse processo de consolidação dos conhecimentos. Em sua carga horária, estão previstos estágios e aplicações práticas que vão sendo realizadas de acordo com as propostas temáticas que vão sendo estudadas. Daí a necessidade de tratar a PPS neste projeto, dotando-o de argumentos e prerrogativas que justifiquem a existência dessa disciplina e o seu papel formativo durante a realização do Profuncionário. Assim, partindo da premissa de que todo profissional da Educação é também um educador, contextualizamos a afirmação de Maurice Tardif (2002): A pesquisa universitária na área da educação e a prática do ofício de professor não são regidas pela relação entre teoria e prática, pois ambas são portadoras e produtoras de práticas e de saberes, de teorias e de ações, e ambas comprometem os atores, seus conhecimentos e suas subjetividades. Nessa perspectiva, a relação entre a pesquisa universitária e o trabalho docente nunca é uma relação entre uma teoria e uma prática, mas uma relação entre atores, entre sujeitos cujas práticas são portadoras de saberes. (TARDIF, 2002). De acordo com Tardif, as relações dos educadores com as suas práticas deixaram de se pautar entre a mera transmissão de conhecimentos, para uma relação mútua onde o que é aprendido em contextos acadêmicos vai sendo transmitido e também recriado a medida em que esses
  • 5. profissionais e demais envolvidos no processo de Ensino se considerem como sujeitos ativos na produção e transformação de saberes. Com isso, podemos considerar a importância de se concretizar e reformular constantemente as teorias educacionais, de acordo com o cotidiano e a realidade de cada ambiente em que o profissional dessa área está inserido. A partir da realização de atividades sustentadas por estudos que as antecipam, deve-se ter o cuidado de avaliar frequentemente os resultados de acordo com os objetivos previstos. É importante também seguir uma linha metodológica, a fim de que as ideias que se considerem significativas e efetivas na conquista de mais qualidade à determinada atividade, possam ser também facilmente assimiladas pelos demais profissionais daquele setor, ou função. Todo profissional atuante e engajado em oferecer um serviço diário com a maior qualidade possível precisa ter uma alma de cientista, uma vez que a metodologia científica aproxima cada vez mais os objetivos aos resultados planejados antecipadamente, conforme ratifica Mariana Araguaia: O método científico engloba a observação de um fato; elaboração de uma “pergunta” acerca desse fato, com base em uma teoria que precisa ser explicada; e formulação de uma hipótese, consistindo em possíveis respostas testáveis para esta pergunta. (ARAGUAIA, S.D.). Tendo em conta tudo isso, qualquer atuação que se alicerce em metodologias cujos resultados sejam constantemente analisados e avaliados, reforçam a importância da existência da PPS como fator essencial em uma formação profissionalizante integradora entre conhecimentos acadêmicos e conhecimentos práticos, adquiridos e/ou reformulados. 3. OBJETIVOS
  • 6. 3.1. Objetivo Geral Estabelecer uma relação de reciprocidade entre conhecimento e prática e contribuir para a formação dos cursistas do Profuncionário no contexto de suas práticas laborais, levando-lhes à reflexão sobre tudo o que aprendem durante o curso e todo o potencial de mudança e solidificação que esses conhecimentos lhes podem brindar a medida em que se profissionalizam e enxergam a sua responsabilidade ante os alunos e demais funcionários dos espaços educacionais, bem como diante do contexto social em que estão inseridos e das necessidades de mudança e transformação que as classes menos favorecidas anseiam. 3.2. Objetivos Específicos Respaldar e fundamentar a realização de produções textuais requeridas durante o curso e, principalmente, aquelas da disciplina PPS, exemplificando com atividades que levam a resultados efetivos no ambiente de trabalho dos cursistas. Promover neles a sensibilização de que tudo o que aprendem precisa ser usado metodicamente na tentativa de melhorar a qualidade de suas práticas profissionais. Incentivar a criação e posta em prática de ideias, projetos e atividades, que sejam significativas e capazes de transformar as instituições e melhorar o Ensino, bem como contribuir com a melhoria nas condições de vida da comunidade. 4. METODOLOGIA
  • 7. A PPS deverá realizar-se a partir, sobretudo, de pesquisas e estudos que embasem a atividade ou ideia que se pretende colocar em prática de acordo com a realidade das instituições. O primeiro passo é delimitar um tema, a partir do qual o aluno do Profuncionário deve primeiramente ler todo o Caderno que foi disponibilizado para a temática que já foi proposta antecipadamente. Após ler o referido caderno e ter acompanhado as aulas presenciais que tratem e discutam sua temática, o aluno se aprofundará em mais conhecimentos e conteúdos relacionados com a mesma. Para isso, buscará textos on line, livros, vídeo- aulas, slides, entre outros. O próximo passo é criar uma atividade ou teoria metodológica, baseada em uma pesquisa ampla e fundamentada em intelectuais renomados na área que se pretende pesquisar. Após surgida a ideia, o aluno deverá transpô-la ao papel, organizando seu projeto de acordo com as normas da ABNT e respeitando os tópicos tais como capa, introdução, justificativa, objetivos, metodologia, cronograma e bibliografia. Após confeccionada a produção textual, a próxima etapa é a posta em prática da atividade ou teoria proposta. No fim, o aluno redigirá um relatório, avaliando os resultados obtidos e se os objetivos foram alcançados. No final do curso, um projeto mais amplo e mais detalhado será exigido, para o qual serão necessários, sem dúvida, muito mais estudos e uma pesquisa muito mais criteriosa e detalhada, bem como uma posta em prática mais efetiva e avaliação mais criteriosa. 5. CRONOGRAMA*
  • 8. 2013 2014 Atividade Agost o Setem bro Outu bro Novem bro Dezem bro Janei ro Fevere iro Mar ço Abril Elaboração do Projeto 19/30 Caderno 01 02/20 Caderno 03 23/30 Caderno 06 Caderno 07 Caderno 08 Caderno 10 Caderno 11 Caderno 12 Caderno 13 Caderno 14 Caderno 15 Caderno 16 *Será disponibilizado, futuramente, um cronograma completo de todas as atividades da PPS. 6. BIBLIOGRAFIA
  • 9. MONLEVADE, João Antônio Cabral de. Funcionários de Escolas: cidadãos, educadores, profissionais e gestores. 4ª ed. Mato Grosso: Universidade Federal de Mato Grosso, Rede e-Tec Brasil, 2012. SANDESKI, Adinilra Selma Moreira da Silva. et al. Orientações de Prática Profissional-I. Paraná: Instituto Federal do Paraná, 2012. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Orientações Gerais. 4ª ed. Mato Grosso: Universidade Federal de Mato Grosso/ Rede e-Tec Brasil, 2012. TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Ed. Vozes, 2002. ARAGUAIA, Mariana. A metodologia científica. Equipe Brasil Escola, 2002- 2013. Disponível em: http://www.brasilescola.com/biologia/a-metodologia- cientifica.htm. Último acesso em: 05/09/2013. DE PAULA E SILVA, Antônio Luiz. A profissionalização e o facilitador. Instituto Fonte. Disponível em: http://institutofonte.org.br/node/156. Último acesso em: 05/09/2013.
  • 10. Local e Data: ____________________________________________________ Assinaturas: Tutor(a) _____________________________________________ Aluno(a) _____________________________________________ RELATÓRIO FORMULARIO PARA REGISTRO DAS ATIVIDADES DE PRÁTICA PROFISSIONAL Nome: Uesterdouglas Soares Rocha Curso: Técnico em Secretaria Escolar Polo: Primavera do Leste / MT Local: Paranatinga / MT Tutor (a): José Aparecido Vieira Atividades Elaboração do projeto da Pratica Profissional Supervisionada Justificativa Busca – se com esta atividade a comprovação da importância do Planejamento para nortear a Pratica Profissional Supervisionada. Portanto a presente atividade irá trazer contribuições positivas e significativas para a realização deste módulo do Profuncionário. Objetivos Elaborar o Projeto da Pratica Profissional Supervisionada Público Alvo Cursista do Profuncionário. Descrição da Atividade Orientação da tutora = 02 (duas) horas Desenvolvimento da atividade = 06 (seis) horas Levantamento de informações para a elaboração do Projeto (Capa, Sumario, Introdução, Justificativa, Objetivo Geral, Objetivos Específicos, Metodologia, Cronograma e Bibliografia. Relatório da Atividade = 01 (uma) horas Relato do projeto a tutora = 01 (uma) horas Data /Carga Horária Período: 05 de setembro de 2013 a 13 de setembro de 2013 Carga horária: 10 (dez) horas Assinatura e carimbo do responsável pela Unidade Escolar ________________________
  • 11. A realização deste Projeto implicou a busca por estudos relacionados ao tema em questão, que é a necessidade de relacionar teoria e prática no âmbito de formação profissional dos cursistas durante a realização do Profuncionário. Durante as aulas da disciplina abordada (PPS) e durante as pesquisas que possibilitaram fundamentar esta atividade, pude entender melhor sobre a importância de desenvolver atividades práticas junto ao meu ambiente de trabalho, sendo essa uma exigência dessa disciplina e também uma necessidade óbvia de uma formação plena e contextualizada à minha função dentro da Escola em que eu atuo. Ao fim, pude entender melhor sobre a importância de desenvolver atividades mais efetivas e qualitativas no meu cotidiano, que tragam resultados mais promissores e que cumpram os objetivos propostos, sendo a minha responsabilidade social enquanto funcionária educadora o fator estimulante para desenvolver minha função da maneira mais adequada e útil possível aos interesses da Escola e da sociedade.