Letrão março 2010

576 visualizações

Publicada em

Quinta edição do jornal LETRÃO, publicada em 10 de março de 2010.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
576
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
12
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Letrão março 2010

  1. 1. MARÇO/2010 # 5 CHEGUEM MAIS PERTO “todo abismo é navegável a barquinhos de papel.” * Olá, calouros, estamos jogos por brincar, viagens muito honrados em recebê-los. por viver, bares por Não. Não é mesmo bem assim. percorrer, cafés por O Dalvim dispensa pompas e degustar, os cursos firulas; antes disso, presa a inteirinhos de Letras e simplicidade, aquela que pode Tradução por extrapolar – levar o ser humano a caminhos no mais feliz dos efeitos de interessantes por aí. Bom, sentido dessa palavra. considerando esse caráter um tanto peculiar do Dalvim, em Quem ainda não sabe se tratando de ambiente muito ao certo o que é o acadêmico-político, primeiro, Dalvim, chegue parabenizamos a todos vocês pontualmente na hora do NOVÍSSIMOS COLEGAS café, que nós contamos por terem ESCOLHIDO e mais um pouco. Por INGRESSADO nos cursos de enquanto, asseguramos que Letras e Tradução, e estamos ele acontece todo dia na muito felizes em ter vocês sala 243 do bloco G, e, às enquanto colegas de curso. vezes, numa Casa Verde, outras numa esquina Verde, Porém comunicamos que não outras... e outras... queremos vocês apenas enquanto colegas de curso, Sejam bem-vindos mas, sim, recrutamos todos a NOVÍSSIMOS COLEGAS entrarem no convés desse e VETERANOS barquinho de papel. Temos inveterados. muito o que discutir, direitos e deveres, ideias por criar, Abraços do Dalvim! oficinas por fazer, saraus por *Desenredo, de João Guimarães Rosa. declamar, sambas por dançar, Carla E.O.F. “Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.” Fernando Pessoa
  2. 2. LETRÃO – MARÇO/2010 – PÁGINA 2 TRÃO Nós do D.A. preparamos um 5) Correu atrás e não deu certo? O Movimento Estudantil Paciência, aqui não é particular! manual supimpa para quem é Na Universidade, além de ingressante nos cursos de Letras e 6) Não se preocupe se você entrar poder desenvolver atividades Tradução e àqueles que “insistem” na crise do 4º período: você vai de Extensão e de Pesquisa, em permanecer no curso. Confira as você pode participar, durante o achar que o curso não era aquilo seu curso, do Movimento dicas e veja se, algum dia, elas que você queria, pensa até em Estudantil (M.E.). O M.E. é serão (ou são) úteis para você! trancar, mas vai acabar continuando um movimento social que a graduação, podendo até gostar do abrange estudantes e visa im- Manual sobre vivência que vê nos períodos seguintes! plementar transformações na Insistência é a palavra-chave para o sociedade através da educação política e cultural. É a forma sucesso! que nós estudantes temos de 7) Se você passar do 5º período nos organizar com objetivo de considere-se um vencedor! defender nossas ideias diante da sociedade. 8) Prepare-se para enfrentar o final Hoje, o ME organiza-se em de semestre. Se você conseguir entidades representativas sobreviver a um, pode ter certeza de (como o D.A, o DCE, a UNE e a ExNEL) compostas por di- que consegue encarar os outros retorias eleitas pelo voto dos numa boa! estudantes. 9) 80% da prova final será baseada A sua participação nos espaços na única aula a que você não do ME (debates, reuniões, assembleias, congressos, vi- compareceu e os outros 20% será vências e muito mais) é fun- baseada no único livro que você damental para que os repre- não leu. sentantes conheçam suas opi- niões, representando-as de fato 10) Suco de maracujá, café, e para que as decisões sejam músicas relaxantes e pó de guaraná cada vez mais ricas, plurais e muitas vezes serão úteis. As coletivas. músicas relaxantes (como as do Ivo Diretório Central dos Estu- Mamona!) e o café você encontra dantes (DCE) no D.A.! É a entidade representativa dos estudantes da UFU. É respon- 11) Festas? Só se a sua turma for sável por defender nossos 1) Se você quer que os professores animada! Caso contrário, sua rotina interesses, promover a integra- será sempre a mesma... Portanto, ção entre os cursos, realizar sejam bacanas contigo, JAMAIS os recepções de calouros, ativida- contrarie. sugerimos que você vá às festas des políticas, culturais, cientí- organizadas por nós! ficas e sociais, e, ainda publi- 2) Quando precisar de um car jornais, confeccionar as documento para comprovar alguma 12) Não pense que só as aulas te carteirinhas e fazer-se repre- coisa, peça com uma semana de preparam para as provas. Leia o sentar junto a Comissões, As- antecedência! Aliás, um mês pra máximo que puder sobre o que sembleias Universitárias e aos garantir! pode cair nelas. A dedicação Conselhos Superiores da UFU. também faz parte! Você também pode participar 3) Entenda que algumas pessoas do DCE, montando uma chapa nem sempre estão de bom humor e 13) O D.A. representa os estudantes com estudantes de qualquer que algumas delas SEMPRE estão de Letras e de Tradução. Portanto, curso e vencendo as eleições de mau humor! sinta-se à vontade em participar das anuais, em que todos votam, reuniões e saber tudo o q acontece ou participando das atividades 4) Agora tudo é por sua conta! em relação ao seu curso! Nós promovidas pela atual diretoria do DCE. Precisa de alguma coisa? Corra também somos legais! atrás! Saiba mais sobre a entidade no site: http://www.dce.ufu.br/. Ariane Silveira Rafael Ibrahim Frávio Carbonário EXPEDIENTE Jornal LETRÃO: Editado pelo Diretório Acadêmico de Letras Vinícius de Moraes – Gestão Dom Quixote. Editor: Rafael Ibrahim. Colaboração: Abraão Borges, Ariane Silveira, Carla Érica, Danilo Corrêa, Flávio Al., Manuel Veronez. Apoio: Instituto de Letras e Linguística (Ileel/UFU). Diretório Acadêmico Vinícius de Moraes: Bloco 1G, sala 1G243 – Campus Santa Mônica. E-mail: dalvim_ufu@yahoo.com.br
  3. 3. LETRÃO – MARÇO/2010 – PÁGINA 3 O menino amarelo Dalvim divulga O menino amarelo sorriu e dormiu. O quê: Festa dos animais da Letras! Dormiu e sorriu e sonhou em voar. Onde: Ant. 5, n°. 1.29, bairro Santa Mônica (Casa Verde!) Experimentou as árvores e os ares, Quando: 06/03, às 21h57 as ruas e os becos. Descansou e voou de novo! Porque: Open Bar! (Cerveja – Refri – Pinga) Preço antecipado: R$10,00 R$15,00 O menino amarelo voou e sorriu. Sorriu e voou contando as nuvens do céu. No dia: R$15,00 R$20,00 Olhou um rio, olhou um mar, olhou um mundo. Desceu, descansou e voou de novo! MICRONOTAS - Intercâmbio UFU abre inscrições para a Mobilidade Internacional. O menino amarelo dormiu e voou. Voou e dormiu feito um passarinho, - Pibid ciente das novas descobertas e feliz Programa de Iniciação à Docência oferece vagas para alunos da área de Humanas. por ter asas para alcançá-las. Para mais informações sobre a festa, a bolsa e o intercâmbio, O menino amarelo, que já foi azul, verde e vermelho, visite o blog do Dalvim (http://dalvimufu.blogspot.com) ou agora mostra suas cores; suas asas intermináveis... a nossa sala (Bloco 1G, sala 1G243, Campus Santa Mônica). Voou tão longe como uma borboleta e suas cores deixaram saudades. Assista! O menino amarelo, sorriu, dormiu e voou. Pois bem, leitores do LE- Voou, dormiu e sorriu de novo! TRÃO. O Assista! dessa edição é um filme emocionante e, ao Poema dedicado ao eterno morador da Casa Verde, mesmo tempo, de muita ação: Jonas Mussa da Silva. Chocolate. Este filme, de ori- gem tailandesa, que tem o Danilo Corrêa mesmo diretor dos filmes Ong- bak e O protetor (Prachya Pin- Em Conserva kaew), traz uma bela reflexão e uma homenagem a todas as Na sombra do pequizeiro Título: Chocolate pessoas especiais do mundo, o sol alaranjado Gênero: Ação/Aventura principalmente os autistas, pois Ano: 2008 a protagonista Zen assim o é, e repleto de espinhos. Duração: 92 minutos vivendo dentro de seu mundo e As palavras tortas observando alguns vídeos de luta, ela aprende, de caules espessos e, misteriosamente, a linda arte do Muay Thai. Porém, ao raízes profundas descobrir que sua mãe tem câncer e que uma gangue de criminosos deve dinheiro para ela, Zen começa uma denunciam no jornal que: aventura de emoções e ações do início ao fim para ajudá- la. Vale a pena assistir! meninos esquartejados Manuel Veronez pelos pais tornaram-se Leia mais... “É preciso estar sempre Frutos comestíveis. embriagado. Isso é tudo: é a única questão. Para não sentir o horrível A.J.B. fardo do tempo que lhe quebra os ombros e o curva para o Mademoiselle chão, é preciso embriagar-se sem perdão. Mas de quê? De vinho, de poesia ou de Natureza bela, virtude, como quiser. Encantos da vida tanta... Mas embriague-se.” Vaga ideia dela. Charles Baudelaire Dom Veronez (Continua na página seguinte)
  4. 4. LETRÃO – MARÇO/2010 – PÁGINA 4 Escreva o que pensa... de livros – com bons tradutores, por Continuação do Leia mais... sinal – no mundo todo), possui um Ce ne sont pas mes gestes que j’escris; aspecto interessante: a liberdade Para Baudelaire, o vinho e o c’est moi, c’est mon essence” haxixe são tratados como para expressar suas ideias. A partir desse ponto, sugiro que meios de multiplicação das Michel de Montaigne individualidades humanas. O preste atenção no que tenho a dizer. vinho é visto pelo escritor Ao dar início às publicações do Vejo a escrita como uma forma de como se fosse um homem, uma LETRÃO, em setembro de 2009, mostrar o que você pensa, fugindo mistura do bem e do mal, das normas dos artigos científicos sendo que não é possível sepa- tinha dúvidas a respeito da rar os dois lados, nem como que te obrigam a citar esse ou aceitação do público... Mas percebi desprezá-los, nem mesmo ao aquele autor. Creio que falta criar que estava enganado, haja vista que ponto que se deve amar ou esse hábito, não apenas em nosso o jornal recebeu elogios de odiar tanto a bebida quanto o curso, mas em toda a universidade; ser humano. Não hesita em professores e alunos do curso de afinal, este é um espaço para taxar aqueles que não bebem Letras da Universidade Federal de discutirmos sobre o que pode ser vinho de imbecis ou hipócritas. Uberlândia, o que fez o jornal feito para a sociedade, e não apenas adquirir credibilidade. Apesar Charles afirma que “existem um lugar onde se adquire bêbados ruins, trata-se de pes- disso, notei que o alunado não certificados para incrementar o soas ruins por natureza. O participava ativamente das edições currículo. homem mau (que bebe) torna- do jornal, mesmo com o convite se execrável, assim como o para a publicação de textos, sendo Pense nisso! bom torna-se ótimo.” Para o enviados, apenas, escritos literários Enfim, é preciso criar a autor, o haxixe não se soma à (poesias, crônicas, entre outros). consciência de que a graduação não ação, não consola, como faz o Pois bem, quero levantar aqui a é apenas uma passagem que você vinho, apenas acentua os traços seguinte questão: os alunos de faz pela universidade. São cursos da personalidade humana nas circunstâncias do momento. Letras possuem senso crítico para que, a exemplo da Letras (e de escrever sobre o que pensam? outras licenciaturas), tem como O homem que procura atra- objetivo principal habilitar vés do haxixe pressupostos Uma possível resposta: a falta de capazes de elevá-lo sobre si professores a ministrarem aulas interesse mesmo, o gosto pelo infinito, para alunos, em sua maioria, uma verdadeira graça paradisí- Desde quando comecei o curso de desinteressados. Se a falta de aca. Baudelaire conclui que Letras, em maio de 2006, minha interesse parte dos cidadãos que são “esses infortunados que não intenção era a de me tornar formados em cursos superiores, jejuaram nem rezaram e que professor de língua inglesa. Com o recusaram a rendição pelo qual será o futuro do país? Comece passar dos anos, vi que a graduação trabalho, pedem a magia negra a refletir sobre isso, pois se deve oferecia outras possibilidades de (leia-se haxixe) os meios de criar discussões e questionamentos atuação, como professor de elevar-se, de uma vez, à exis- acerca do que acontece na tência sobrenatural. A magia os literatura, de português, de redação, sociedade a partir de seu engana e acena para eles uma assessor de imprensa, redator, posicionamento. E aí, vai ficar falsa felicidade.” webwriter, revisor de textos, parado? tradutor, consultor... e escritor. Esta Livro: O Poema do Haxixe Para enviar um texto expressando Autor: Charles Baudelaire última, apesar de haver poucos suas reflexões: N°. de páginas: 93 casos em que se remunera bem dalvim_ufu@yahoo.com.br. (como é o caso do grande (sic) Paulo Coelho, que vende milhões Rafael Ibrahim Abraão Borges Desconto de 10% para alunos do curso de Letras da UFU (válido para os cursos regulares de inglês e de espanhol)

×