SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
Versos e seus
recursos musicais
O Verso: é uma sucessão de sílabas ou
fonemas que formam uma unidade rítmica
e melódica, correspondente em geral a
uma linha do poema.
O Estrofe: agrupamento de versos.
Classificação das estrofes
O Dístico: dois versos;
O Terceto: três versos;
O Quadra ou quarteto;
O Quintilha: cinco versos;
O Sexteto ou sextilha: seis versos;
O Sétima ou septilha: sete versos;
O Oitava: oito versos;
O Nona: nove versos;
O Décima: dez versos;
Poema
Viajante
Eu, sempre que parti, fiquei nas gares
Olhando, triste, para mim...
Mário Quintana.
Formas Fixas
O Soneto: duas quadras (quartetos) e dois
tercetos;
O Balada: três oitavas e uma quadra;
O Vilancete: um terceto e outros tipos de estrofe,
à escolha do poeta;
O Rondó: apenas quadras ou então quadras
combinadas com oitavas;
O Haicai: uma estrofe de três versos;
Haicai
Vem/ cá/ pa/ssa/ri/(nho)*
E /va/mos/ brin/car/nós/do (is)*
Que/ não/ te/mos/ ni/(nho).*
(Millôr Fernandes)
*Sílabas átonas.
Soneto de fidelidade
De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.
Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento
E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama
Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.
(Vinicius de Moraes, "Antologia Poética", Editora do Autor, Rio de Janeiro, 1960,
pág. 96.)
Métrica
O É a medida dos versos, isto é, o número de
sílabas poéticas apresentadas pelos versos.
O Para determinar a medida de um verso, ele é
dividido em sílabas poéticas. (Escansão)
O As vogais átonas são agrupadas numa única
sílaba;
O A contagem da sílaba deve ser feita até a última
sílaba tônica.
Divisão silábica gramatical
Mi│nha │des │gra │ça │ó │cân │di │da │don
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
│ze │la
11 12
O │que │faz │que │o │meu │pei │to │as │sim │
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
blas │fe │ma.
11 12 13
Divisão silábica poética
Mi │nha │des │gra │ça, ó │cân │di │da │don │ze │la
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
O │que │faz │que o │meu │pei │to as │sim │blas
│fe
1 2 3 4 5 6 7 8 9
10
│ ma, *
Obs.: algumas sílabas se uniram devido ao encontro
de duas vogais átonas no final de uma palavra e no
ínício de outra.
Classificação dos versos de acordo
com o número de sílabas
O Monossílabo: uma sílaba;
O Dissílabo: duas sílabas;
O Trissílabo: três sílabas;
O Redondilha menor ou pentassílabo: cinco
sílabas;
O Redondilha maior ou heptassílabo: sete sílabas
O Octassílabo: oito sílabas;
O Decassílabo: dez sílabas;
O Alexandrino: doze sílabas, etc.
Ritmo
É dado pela alternância de sílabas que
apresentam maior ou menor intensidade quando
pronunciadas.
Ex.: 6ª 10ª
A/mor/é/fo/go/que ar/de/sem/se/ver;
É/fe/ri/da/que/dói/e/não/se/sen/te;
É/um/con/ten/ta/men/to/des/con/ten/te;
É/dor/que/de/sa/ti/na/sem/do/er.
(Camões)
Rima: interna e externa
“Quem me vê sempre parado, distante
Garante que eu não sei sambar
Tô me guardando pra quando o carnaval chegar
Eu tô só vendo, sabendo, sentindo,
Escutando, não posso falar
Tô me guardando pra quando o carnaval chegar.”
(Chico Buarque de Hollanda)
Classificação das rimas
externas
O Emparelhadas ou paralelas (A...A...B...B)
"Manuel, tens razão. Venho tarde. Desculpa. (A)
- Mas não foi Anto, não fui eu quem teve a culpa, (A)
- Foi Coimbra. Foi esta paisagem triste, triste, (B)
- A cuja influência a minha alma não resiste. (...) (B)
O Rimas intercaladas : A B B A
"Busque Amor novas artes, novo engenho (A)
para matar-me, e novas esquivanças; (B)
que não pode tirar-me as esperanças, (B)
que mal me tirará o que não tenho.“ (A)
Rimas Alternadas: A B A B
"Senhora, partem tão triste (A)
meus olhos por vós, meu bem, (B)
que nunca tão tristes vistes (A)
outros nenhuns por ninguém.“ (B)
Versos brancos: versos sem rima
O Não quero ser Deus, nem Pai nem Mãe de
Deus,
O Não quero nem lírios nem mundos.
O Sou pobre e superficial como a Rua do Catete.
O Quero a pequena e amada agitação,
O A inquieta esquina, aves e ovos, pensões,
O Os bondes e tinturarias, os postes,
O Os transeuntes, o ônibus de Laranjeiras,
O Único no mundo que tem a honra de pisar na
[Rua do Catete.
(Rubem Braga)
Outros recursos sonoros
O Aliteração: é a repetição constante de um mesmo fonema
consonantal.
Ex.: “Auriverde´pendão de minha terra
Que a brisa do Brasil beija e balança.”
(Castro Alves)
“Foguetes, bombas, chuvinhas, / chios, chuveiros, chiando,
Chiando, chovendo, chuvas de fogo! / Chá-Bum! ”
(Jorge de Lima)
Assonância
O É a repetição constante de um mesmo fonema
vocálico.
O "Sou um mulato nato no sentido lato
mulato democrático do litoral.“ ( Caetano
Veloso)
O “Ó Formas alvas, brancas, Formas claras.”
(Cruz e Souza)
Paronomásia (palavras parônimas)
É o emprego de palavras semelhantes na forma ou no som, mas de
sentidos diferentes, próximas umas das outras.
“Trocando em miúdos, pode guardar
As sobras de tudo que chamam lar
As sombras de tudo que fomos nós.”
“Neologismo”
“Beijo pouco, falo menos ainda.
Mas invento palavras
Que traduzem a ternura mais funda
E mais cotidiana.
Inventei, por exemplo, o verbo teadorar.
Intransitivo:
Teadoro, Teodora”. (Manuel Bandeira)
O
Paralelismo
O É a repetição de palavras ou estruturas sintáticas
maiores (frases, orações,etc.) que se
correspondem quanto ao sentido.
“Vem que eu te quero fraco
Vem que eu te quero tolo
Vem que eu te quero todo meu.”
(Adélia Bezerra de Menezes Bolle)
Poema concreto
Versos e seus recursos musicais (1º ano do Ensino Médio)
Versos e seus recursos musicais (1º ano do Ensino Médio)
Versos e seus recursos musicais (1º ano do Ensino Médio)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Prosa x poema x soneto
Prosa x poema x sonetoProsa x poema x soneto
Prosa x poema x soneto
 
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Arcadismo
 
Coerência e coesão textual
Coerência e coesão textualCoerência e coesão textual
Coerência e coesão textual
 
Slide Genero Textual Poesia
Slide Genero Textual PoesiaSlide Genero Textual Poesia
Slide Genero Textual Poesia
 
Figuras de linguagem para aula 1 ano
Figuras de linguagem para aula 1 anoFiguras de linguagem para aula 1 ano
Figuras de linguagem para aula 1 ano
 
Oficina de texto - Intertextualidades
Oficina de texto - IntertextualidadesOficina de texto - Intertextualidades
Oficina de texto - Intertextualidades
 
Substantivo
SubstantivoSubstantivo
Substantivo
 
Formação das palavras
Formação das palavrasFormação das palavras
Formação das palavras
 
Texto dissertativo argumentativo
Texto dissertativo argumentativoTexto dissertativo argumentativo
Texto dissertativo argumentativo
 
Aula intertextualidade
Aula intertextualidadeAula intertextualidade
Aula intertextualidade
 
Coesão e coerencia
Coesão e coerenciaCoesão e coerencia
Coesão e coerencia
 
G. Literários
G. LiteráriosG. Literários
G. Literários
 
Metrificação
MetrificaçãoMetrificação
Metrificação
 
Poesia e poema
Poesia e poemaPoesia e poema
Poesia e poema
 
Gênero dramático
Gênero dramáticoGênero dramático
Gênero dramático
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
AULA 02 - FATORES DE TEXTUALIDADE - PRONTO
AULA 02 -  FATORES DE TEXTUALIDADE  - PRONTOAULA 02 -  FATORES DE TEXTUALIDADE  - PRONTO
AULA 02 - FATORES DE TEXTUALIDADE - PRONTO
 
Literatura Contemporânea
Literatura  ContemporâneaLiteratura  Contemporânea
Literatura Contemporânea
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Quinhentismo
Quinhentismo Quinhentismo
Quinhentismo
 

Destaque

Noções de versificação
Noções de versificaçãoNoções de versificação
Noções de versificaçãoMaria Oliveira
 
NoçõEs De VersificaçãO
NoçõEs De VersificaçãONoçõEs De VersificaçãO
NoçõEs De VersificaçãOguestacbec3
 
Versificação - Noções básicas
Versificação - Noções básicasVersificação - Noções básicas
Versificação - Noções básicasCynthia Funchal
 
Poema verso, estrofe, rima, ritmo
Poema verso, estrofe, rima, ritmoPoema verso, estrofe, rima, ritmo
Poema verso, estrofe, rima, ritmoFSBA
 
Para Estudar Metro Ritmo E Rima
Para Estudar Metro Ritmo E RimaPara Estudar Metro Ritmo E Rima
Para Estudar Metro Ritmo E RimaBrenda Tacchelli
 
Exercícios de metrificação
Exercícios de metrificaçãoExercícios de metrificação
Exercícios de metrificaçãoma.no.el.ne.ves
 
Olimpiada de lingua_portuguesa
Olimpiada de lingua_portuguesaOlimpiada de lingua_portuguesa
Olimpiada de lingua_portuguesaangelacolinas
 
Poesia na sala de aula
Poesia na sala de aulaPoesia na sala de aula
Poesia na sala de aulaShirley Lauria
 
Slide introdução à literatura
Slide introdução à literaturaSlide introdução à literatura
Slide introdução à literaturafabrinnem
 

Destaque (20)

Poesias rima e metrica
Poesias rima e metricaPoesias rima e metrica
Poesias rima e metrica
 
Noções de versificação
Noções de versificaçãoNoções de versificação
Noções de versificação
 
NoçõEs De VersificaçãO
NoçõEs De VersificaçãONoçõEs De VersificaçãO
NoçõEs De VersificaçãO
 
Versos de luz
Versos de luzVersos de luz
Versos de luz
 
A métrica e a rima
A métrica e a rimaA métrica e a rima
A métrica e a rima
 
Análise de poemas
Análise de poemasAnálise de poemas
Análise de poemas
 
Versificação - Noções básicas
Versificação - Noções básicasVersificação - Noções básicas
Versificação - Noções básicas
 
Plano de aula
Plano de aulaPlano de aula
Plano de aula
 
Pro Ana E Mia
Pro Ana E MiaPro Ana E Mia
Pro Ana E Mia
 
Atividade avaliativa sobre versificação
Atividade avaliativa sobre versificaçãoAtividade avaliativa sobre versificação
Atividade avaliativa sobre versificação
 
Poema verso, estrofe, rima, ritmo
Poema verso, estrofe, rima, ritmoPoema verso, estrofe, rima, ritmo
Poema verso, estrofe, rima, ritmo
 
Nota iii escansão poemas
Nota iii escansão poemasNota iii escansão poemas
Nota iii escansão poemas
 
Para Estudar Metro Ritmo E Rima
Para Estudar Metro Ritmo E RimaPara Estudar Metro Ritmo E Rima
Para Estudar Metro Ritmo E Rima
 
Exercícios de metrificação
Exercícios de metrificaçãoExercícios de metrificação
Exercícios de metrificação
 
Aula vanguardas europeias
Aula vanguardas europeiasAula vanguardas europeias
Aula vanguardas europeias
 
Olimpiada de lingua_portuguesa
Olimpiada de lingua_portuguesaOlimpiada de lingua_portuguesa
Olimpiada de lingua_portuguesa
 
Clementina deusdete
Clementina deusdeteClementina deusdete
Clementina deusdete
 
Poesia na sala de aula
Poesia na sala de aulaPoesia na sala de aula
Poesia na sala de aula
 
Vanguardas europeias
Vanguardas europeias Vanguardas europeias
Vanguardas europeias
 
Slide introdução à literatura
Slide introdução à literaturaSlide introdução à literatura
Slide introdução à literatura
 

Semelhante a Versos e seus recursos musicais (1º ano do Ensino Médio)

Gênero lírico - Profª Vivian Trombini
Gênero lírico - Profª Vivian TrombiniGênero lírico - Profª Vivian Trombini
Gênero lírico - Profª Vivian TrombiniVIVIAN TROMBINI
 
LITERATURA - 1º ANO - VERSIFICAÇÃO E ESCANSÃO.pptx
LITERATURA - 1º ANO - VERSIFICAÇÃO E ESCANSÃO.pptxLITERATURA - 1º ANO - VERSIFICAÇÃO E ESCANSÃO.pptx
LITERATURA - 1º ANO - VERSIFICAÇÃO E ESCANSÃO.pptxLeidimarabatista
 
Explicação sobre texto poético para Fundamental
Explicação sobre texto poético para FundamentalExplicação sobre texto poético para Fundamental
Explicação sobre texto poético para FundamentalAline França Russo
 
Redação: Versificação
Redação: VersificaçãoRedação: Versificação
Redação: Versificação7 de Setembro
 
Nota teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
Nota  teoria i escansão poemas cecília meire s gabaNota  teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
Nota teoria i escansão poemas cecília meire s gabaPéricles Penuel
 
Nota teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
Nota  teoria i escansão poemas cecília meire s gabaNota  teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
Nota teoria i escansão poemas cecília meire s gabaPéricles Penuel
 
Poema _ aula sobre poema.docx
Poema _ aula sobre poema.docxPoema _ aula sobre poema.docx
Poema _ aula sobre poema.docxssusere47050
 
Poesia e Poemas.pptx
Poesia e Poemas.pptxPoesia e Poemas.pptx
Poesia e Poemas.pptxgeroboaosouza
 
Tipos De Poesias
Tipos De PoesiasTipos De Poesias
Tipos De Poesiasklauddia
 
Normas de versificação
Normas de versificaçãoNormas de versificação
Normas de versificaçãoDeia1975
 
Linguagem poética e versificação
Linguagem poética e versificaçãoLinguagem poética e versificação
Linguagem poética e versificaçãoRoberta Savana
 
Poesia e poema
Poesia e poemaPoesia e poema
Poesia e poemaionasilva
 
Genero Textual Poesia
Genero Textual PoesiaGenero Textual Poesia
Genero Textual PoesiaJomari
 

Semelhante a Versos e seus recursos musicais (1º ano do Ensino Médio) (20)

Construção de poemas
Construção de poemasConstrução de poemas
Construção de poemas
 
Gênero lírico - Profª Vivian Trombini
Gênero lírico - Profª Vivian TrombiniGênero lírico - Profª Vivian Trombini
Gênero lírico - Profª Vivian Trombini
 
Versificação
VersificaçãoVersificação
Versificação
 
LITERATURA - 1º ANO - VERSIFICAÇÃO E ESCANSÃO.pptx
LITERATURA - 1º ANO - VERSIFICAÇÃO E ESCANSÃO.pptxLITERATURA - 1º ANO - VERSIFICAÇÃO E ESCANSÃO.pptx
LITERATURA - 1º ANO - VERSIFICAÇÃO E ESCANSÃO.pptx
 
Explicação sobre texto poético para Fundamental
Explicação sobre texto poético para FundamentalExplicação sobre texto poético para Fundamental
Explicação sobre texto poético para Fundamental
 
Redação: Versificação
Redação: VersificaçãoRedação: Versificação
Redação: Versificação
 
Nota teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
Nota  teoria i escansão poemas cecília meire s gabaNota  teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
Nota teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
 
Nota teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
Nota  teoria i escansão poemas cecília meire s gabaNota  teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
Nota teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
 
Poema _ aula sobre poema.docx
Poema _ aula sobre poema.docxPoema _ aula sobre poema.docx
Poema _ aula sobre poema.docx
 
Poesia e Poemas.pptx
Poesia e Poemas.pptxPoesia e Poemas.pptx
Poesia e Poemas.pptx
 
Versificação.ppt
Versificação.pptVersificação.ppt
Versificação.ppt
 
Versificação.pptx
Versificação.pptxVersificação.pptx
Versificação.pptx
 
Gênero Lírico
Gênero LíricoGênero Lírico
Gênero Lírico
 
Elementos da versificação
Elementos da versificaçãoElementos da versificação
Elementos da versificação
 
Tipos De Poesias
Tipos De PoesiasTipos De Poesias
Tipos De Poesias
 
Normas de versificação
Normas de versificaçãoNormas de versificação
Normas de versificação
 
Linguagem poética e versificação
Linguagem poética e versificaçãoLinguagem poética e versificação
Linguagem poética e versificação
 
Poesia e poema
Poesia e poemaPoesia e poema
Poesia e poema
 
Texto poético (3).pptx
Texto poético (3).pptxTexto poético (3).pptx
Texto poético (3).pptx
 
Genero Textual Poesia
Genero Textual PoesiaGenero Textual Poesia
Genero Textual Poesia
 

Último

Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfAnaAugustaLagesZuqui
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................mariagrave
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxprofbrunogeo95
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASricardo644666
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfKelly Mendes
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024azulassessoria9
 
O que é literatura - Marisa Lajolo com.pdf
O que é literatura - Marisa Lajolo com.pdfO que é literatura - Marisa Lajolo com.pdf
O que é literatura - Marisa Lajolo com.pdfGisellySobral
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...WelitaDiaz1
 

Último (20)

Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
O que é literatura - Marisa Lajolo com.pdf
O que é literatura - Marisa Lajolo com.pdfO que é literatura - Marisa Lajolo com.pdf
O que é literatura - Marisa Lajolo com.pdf
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 

Versos e seus recursos musicais (1º ano do Ensino Médio)

  • 2. O Verso: é uma sucessão de sílabas ou fonemas que formam uma unidade rítmica e melódica, correspondente em geral a uma linha do poema. O Estrofe: agrupamento de versos.
  • 3. Classificação das estrofes O Dístico: dois versos; O Terceto: três versos; O Quadra ou quarteto; O Quintilha: cinco versos; O Sexteto ou sextilha: seis versos; O Sétima ou septilha: sete versos; O Oitava: oito versos; O Nona: nove versos; O Décima: dez versos;
  • 4. Poema Viajante Eu, sempre que parti, fiquei nas gares Olhando, triste, para mim... Mário Quintana.
  • 5. Formas Fixas O Soneto: duas quadras (quartetos) e dois tercetos; O Balada: três oitavas e uma quadra; O Vilancete: um terceto e outros tipos de estrofe, à escolha do poeta; O Rondó: apenas quadras ou então quadras combinadas com oitavas; O Haicai: uma estrofe de três versos;
  • 6. Haicai Vem/ cá/ pa/ssa/ri/(nho)* E /va/mos/ brin/car/nós/do (is)* Que/ não/ te/mos/ ni/(nho).* (Millôr Fernandes) *Sílabas átonas.
  • 7. Soneto de fidelidade De tudo ao meu amor serei atento Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto Que mesmo em face do maior encanto Dele se encante mais meu pensamento. Quero vivê-lo em cada vão momento E em seu louvor hei de espalhar meu canto E rir meu riso e derramar meu pranto Ao seu pesar ou seu contentamento E assim, quando mais tarde me procure Quem sabe a morte, angústia de quem vive Quem sabe a solidão, fim de quem ama Eu possa me dizer do amor (que tive): Que não seja imortal, posto que é chama Mas que seja infinito enquanto dure. (Vinicius de Moraes, "Antologia Poética", Editora do Autor, Rio de Janeiro, 1960, pág. 96.)
  • 8. Métrica O É a medida dos versos, isto é, o número de sílabas poéticas apresentadas pelos versos. O Para determinar a medida de um verso, ele é dividido em sílabas poéticas. (Escansão) O As vogais átonas são agrupadas numa única sílaba; O A contagem da sílaba deve ser feita até a última sílaba tônica.
  • 9. Divisão silábica gramatical Mi│nha │des │gra │ça │ó │cân │di │da │don 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 │ze │la 11 12 O │que │faz │que │o │meu │pei │to │as │sim │ 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 blas │fe │ma. 11 12 13
  • 10. Divisão silábica poética Mi │nha │des │gra │ça, ó │cân │di │da │don │ze │la 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 O │que │faz │que o │meu │pei │to as │sim │blas │fe 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 │ ma, * Obs.: algumas sílabas se uniram devido ao encontro de duas vogais átonas no final de uma palavra e no ínício de outra.
  • 11. Classificação dos versos de acordo com o número de sílabas O Monossílabo: uma sílaba; O Dissílabo: duas sílabas; O Trissílabo: três sílabas; O Redondilha menor ou pentassílabo: cinco sílabas; O Redondilha maior ou heptassílabo: sete sílabas O Octassílabo: oito sílabas; O Decassílabo: dez sílabas; O Alexandrino: doze sílabas, etc.
  • 12. Ritmo É dado pela alternância de sílabas que apresentam maior ou menor intensidade quando pronunciadas. Ex.: 6ª 10ª A/mor/é/fo/go/que ar/de/sem/se/ver; É/fe/ri/da/que/dói/e/não/se/sen/te; É/um/con/ten/ta/men/to/des/con/ten/te; É/dor/que/de/sa/ti/na/sem/do/er. (Camões)
  • 13. Rima: interna e externa “Quem me vê sempre parado, distante Garante que eu não sei sambar Tô me guardando pra quando o carnaval chegar Eu tô só vendo, sabendo, sentindo, Escutando, não posso falar Tô me guardando pra quando o carnaval chegar.” (Chico Buarque de Hollanda)
  • 14. Classificação das rimas externas O Emparelhadas ou paralelas (A...A...B...B) "Manuel, tens razão. Venho tarde. Desculpa. (A) - Mas não foi Anto, não fui eu quem teve a culpa, (A) - Foi Coimbra. Foi esta paisagem triste, triste, (B) - A cuja influência a minha alma não resiste. (...) (B)
  • 15. O Rimas intercaladas : A B B A "Busque Amor novas artes, novo engenho (A) para matar-me, e novas esquivanças; (B) que não pode tirar-me as esperanças, (B) que mal me tirará o que não tenho.“ (A) Rimas Alternadas: A B A B "Senhora, partem tão triste (A) meus olhos por vós, meu bem, (B) que nunca tão tristes vistes (A) outros nenhuns por ninguém.“ (B)
  • 16. Versos brancos: versos sem rima O Não quero ser Deus, nem Pai nem Mãe de Deus, O Não quero nem lírios nem mundos. O Sou pobre e superficial como a Rua do Catete. O Quero a pequena e amada agitação, O A inquieta esquina, aves e ovos, pensões, O Os bondes e tinturarias, os postes, O Os transeuntes, o ônibus de Laranjeiras, O Único no mundo que tem a honra de pisar na [Rua do Catete. (Rubem Braga)
  • 17. Outros recursos sonoros O Aliteração: é a repetição constante de um mesmo fonema consonantal. Ex.: “Auriverde´pendão de minha terra Que a brisa do Brasil beija e balança.” (Castro Alves) “Foguetes, bombas, chuvinhas, / chios, chuveiros, chiando, Chiando, chovendo, chuvas de fogo! / Chá-Bum! ” (Jorge de Lima)
  • 18. Assonância O É a repetição constante de um mesmo fonema vocálico. O "Sou um mulato nato no sentido lato mulato democrático do litoral.“ ( Caetano Veloso) O “Ó Formas alvas, brancas, Formas claras.” (Cruz e Souza)
  • 19. Paronomásia (palavras parônimas) É o emprego de palavras semelhantes na forma ou no som, mas de sentidos diferentes, próximas umas das outras. “Trocando em miúdos, pode guardar As sobras de tudo que chamam lar As sombras de tudo que fomos nós.” “Neologismo” “Beijo pouco, falo menos ainda. Mas invento palavras Que traduzem a ternura mais funda E mais cotidiana. Inventei, por exemplo, o verbo teadorar. Intransitivo: Teadoro, Teodora”. (Manuel Bandeira) O
  • 20. Paralelismo O É a repetição de palavras ou estruturas sintáticas maiores (frases, orações,etc.) que se correspondem quanto ao sentido. “Vem que eu te quero fraco Vem que eu te quero tolo Vem que eu te quero todo meu.” (Adélia Bezerra de Menezes Bolle)