ABESCO - Associação Brasileira
das Empresas de Serviços de Conservação de
Energia
Marco Antonio Donatelli
ABESCO - Vice-Pr...
•  Federações Nacionais e Regionais de Indústria e Comércio / Eletrobrás
- Procel / Petrobrás - Conpet / IPT / Finep / Seb...
10 Encontros de Negócios de Energia regionais :
• Mobilização da industria
• Divulgação das vantagens da Eficiência Energé...
ESCO – EMPRESA DE SERVIÇOS
DE CONSERVAÇÃO DE ENERGIA
ESCO
A diferença entre uma ESCO e
uma Empresa de Consultoria é
que a ...
Oportunidades
Levantamento e análise da situação existente
Análise da viabilidade técnico-econômica
Recursos
Autofinanciad...
FLUXOGRAMA PEE
“PROGRAMA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA”
•  PRÉ-VIABILIDADE – Identificação preliminar do potencial de
economias...
Anos
Economias Garantidas no Período Contratual
Implementação
das Medidas de
Eficientização
$ Custo Atual
Custo Final
Econ...
BENEFÍCIOS DO CONTRATO DE
PERFORMANCE e das ESCO’s
VANTAGENS E RESULTADOS
Setor Industrial
Subsetor % de economia
Químico 10%
Alimentos e Bebidas 10%
Ferro Gusa e Aço 8 a 30%
Não Ferrosos/Outros
M...
  Financia obras (incluídos estudos) e equipamentos;
  Financiados podem ser as ESCOs ou seus Clientes;
  Prazo de até ...
Financiado
Custo
Financeiro
Anual
Participação Prazo Garantias
ESCO TJLP
+
1%
+
Spread (até 4%)
Até 90%
do
investimento
To...
  Condomínios Empresariais
  Hoteis
  Hospitais
  Shopping Centers
  Supermercados
  Telecomunicações
  Climatização
  Iluminação
  Elevadores e escadas rolantes
  Bombas de recalque e esgotamento
  Aquecimento de água
...
  Substituição de chillers
Um chiller com 20 anos de utilização tem um rendimento médio entre 1 e
1,4 kW / TR. Chillers n...
  Utilização de luz natural sempre que possível
  Instalação de lâmpadas com potência adequada a cada ambiente
  Uso se...
  Reforma das cabines, com redução de peso
  Automação
  Uso de inversores de frequência
  Sistema de recuperação de e...
  Uso de aquecimento solar sempre que possível
  Em hotéis e hospitais: uso de bombas de calor, como complemento ao
sola...
Contem sempre conosco !
OBRIGADO
Marco Antonio Donatelli
ABESCO - Vice-Presidente
Fone: (11) 3549-4525
atendimento@abesco....
Debate Uso Eficiente da Energia no Comércio, 14/04/2009 - Apresentação de Marco Antonio Donatelli
Debate Uso Eficiente da Energia no Comércio, 14/04/2009 - Apresentação de Marco Antonio Donatelli
Debate Uso Eficiente da Energia no Comércio, 14/04/2009 - Apresentação de Marco Antonio Donatelli
Debate Uso Eficiente da Energia no Comércio, 14/04/2009 - Apresentação de Marco Antonio Donatelli
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Debate Uso Eficiente da Energia no Comércio, 14/04/2009 - Apresentação de Marco Antonio Donatelli

180 visualizações

Publicada em

Marco Antonio Donatelli, vice-presidente da Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Conservação de Energia (Abesco) - Como identificar o potencial de desperdício e o custo-benefício da implantação de um projeto de eficiência energética no comércio

Publicada em: Meio ambiente
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
180
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Debate Uso Eficiente da Energia no Comércio, 14/04/2009 - Apresentação de Marco Antonio Donatelli

  1. 1. ABESCO - Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Conservação de Energia Marco Antonio Donatelli ABESCO - Vice-Presidente Como Identificar o Potencial de Desperdício e o Custo-benefício da Implantação de um Projeto de Eficiência Energética no Comércio
  2. 2. •  Federações Nacionais e Regionais de Indústria e Comércio / Eletrobrás - Procel / Petrobrás - Conpet / IPT / Finep / Sebrae / Governo Canadense / CIDA / World Bank (UNF&UNEP) / Sindicatos •  Outras associações relacionadas com a ABESCO •  Outras associações de outros paises – expansão de fronteiras e troca de experiências •  Contatos com círculos acadêmicos – desenvolvimento de inovação tecnológica •  Aspectos Legais •  Desenvolvimento de modelos financeiros que viabilizem os Contratos de Performance •  Qualificação em técnicas específicas e inovativas
  3. 3. 10 Encontros de Negócios de Energia regionais : • Mobilização da industria • Divulgação das vantagens da Eficiência Energética • Identificação de projetos para o PROESCO
  4. 4. ESCO – EMPRESA DE SERVIÇOS DE CONSERVAÇÃO DE ENERGIA ESCO A diferença entre uma ESCO e uma Empresa de Consultoria é que a ESCO divide os riscos com o Cliente final. Não apenas em termos de investimentos (algumas vezes compartilhados), mas também em termos de não remuneração por um decorrente não atingimento dos resultados.
  5. 5. Oportunidades Levantamento e análise da situação existente Análise da viabilidade técnico-econômica Recursos Autofinanciados Concessionárias Fundos de investimento Fornecedores Parceiros Implementação Execução dos projetos aprovados ESCO - Abordagem Comercial
  6. 6. FLUXOGRAMA PEE “PROGRAMA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA” •  PRÉ-VIABILIDADE – Identificação preliminar do potencial de economias e investimentos; • FINANCIAMENTO DO PROJETO – Contrato de Performance; •  VIABILIDADE – Detalhamento das iniciativas a serem implementadas caso confirmada a viabilidade; • PROJETO E IMPLEMENTAÇÃO; • MONITORAMENTO E VERIFICAÇÃO;
  7. 7. Anos Economias Garantidas no Período Contratual Implementação das Medidas de Eficientização $ Custo Atual Custo Final Economias Compartilhadas com a ESCO Pagamento do Financiamento Custos Reduzidos
  8. 8. BENEFÍCIOS DO CONTRATO DE PERFORMANCE e das ESCO’s
  9. 9. VANTAGENS E RESULTADOS
  10. 10. Setor Industrial Subsetor % de economia Químico 10% Alimentos e Bebidas 10% Ferro Gusa e Aço 8 a 30% Não Ferrosos/Outros Metálicos 3% Papel e Celulose 6% Têxtil 6% Ferro Ligas 5% Cimento 7 a 19% Fonte: PROCEL/COPPE/UFRJ Subsetor % de economia Supermercados 23% Hotéis 9% Shopping Centers 28% Hospitais 7% Bancos 8% Prédios Comerciais 11% Telefonia 10% Outros 10% Setor Comercial Potenciais de Economia
  11. 11.   Financia obras (incluídos estudos) e equipamentos;   Financiados podem ser as ESCOs ou seus Clientes;   Prazo de até 6 anos, incluída a carência de até 2 anos;   Custo de TJLP + 5% ao ano;   Contrato de Performance pode ser a garantia em financiamento à ESCO. MODALIDADES:   OPERAÇÃO INDIRETA: PROJETOS COM RISCO TOTAL DO AGENTE FINANCEIRO   RISCO COMPARTILHADO: BNDES E O AGENTE FINANCEIRO MANDATÁRIO ASSUMEM O RISCO DO PROJETO; PARTICIPAÇÃO DO BNDES LIMITADA A 80%.
  12. 12. Financiado Custo Financeiro Anual Participação Prazo Garantias ESCO TJLP + 1% + Spread (até 4%) Até 90% do investimento Total: Até 6 anos Carência: Até 2 anos A critério do Agente FinanceiroConsumidor OPERAÇÃO INDIRETA ESCO TJLP + 1% BNDES + 1% Banco + 3% Risco Até 90% do investimento Total: Até 6 anos Carência: Até 2 anos Direitos creditórios BNDES assume Até 80% RISCO COMPARTILHADO
  13. 13.   Condomínios Empresariais   Hoteis   Hospitais   Shopping Centers   Supermercados   Telecomunicações
  14. 14.   Climatização   Iluminação   Elevadores e escadas rolantes   Bombas de recalque e esgotamento   Aquecimento de água   Sistemas de refrigeração e congelamento
  15. 15.   Substituição de chillers Um chiller com 20 anos de utilização tem um rendimento médio entre 1 e 1,4 kW / TR. Chillers novos podem ter rendimento de até 0,45 kW / TR   Substituição de bombas de água gelada e condensação   Uso de inversores de frequência   Anel secundário   Automação   Reforma de torres de resfriamento   Reforma de fan-coils / limpeza de serpentinas
  16. 16.   Utilização de luz natural sempre que possível   Instalação de lâmpadas com potência adequada a cada ambiente   Uso sempre que possível de reatores eletrônicos, com fator de potência corrigido   Utilização de luminárias com refletores de alta eficiência   Emprego de fotocélulas em lâmpadas externas e sensores de proximidade para evitar o funcionamento desnecessário   Substituição de lâmpadas por tipos mais modernos e eficientes - lâmpadas de 28 ou 32 W substituem as de 40 W, mas cuidado, os reatores devem ser adequados   Uso de lâmpadas e equipamentos com o selo do PROCEL - é sua garantia de qualidade
  17. 17.   Reforma das cabines, com redução de peso   Automação   Uso de inversores de frequência   Sistema de recuperação de energia na frenagem dos elevadores   Uso de sensores de proximidade para escadas rolantes   Menor gasto de água implica em menos utilização de bomba, com redução nos gastos de energia   Uso de motores eficientes   Possibilidade de desligamento das bombas durante o horário de ponta
  18. 18.   Uso de aquecimento solar sempre que possível   Em hotéis e hospitais: uso de bombas de calor, como complemento ao solar ou não (podem ser usadas de forma conjugada ao sistema de água gelada, potencializando a economia)   Em hospitais: substituição de autoclaves por modelos mais eficientes   Em supermercados:   Automação   Instalação de sensores de temperatura   Uso de motores eficientes   Melhorias no isolamento térmico
  19. 19. Contem sempre conosco ! OBRIGADO Marco Antonio Donatelli ABESCO - Vice-Presidente Fone: (11) 3549-4525 atendimento@abesco.com.br madonatelli@lightesco.com.br

×