MPE indicadores 20.10.2015

871 visualizações

Publicada em

Relatório do SEBRAE sobre micro e pequenas empresas do Brasil.

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
871
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
62
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
55
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • 15
  • 11
  • Neste slide o objetivo é apresentar o conceito envolvido em Encadeamento Produtivo, destacar tanto os objetivos, como os meios pelos quais a estratégia é construída.
    É importante destacar que um projeto só é bem sucedido com a EFETIVA participação das EPP mobilizadas e do engajamento dos representantes da GE.
    Destacar os aspectos Ganha-Ganha da relação.
    Colocar, de forma sutil, que a atuação entre a GE e o Sebrae não é de contratação e sim de cooperação.
  • Importante informar que o modelo de EP é estruturado de forma sistematizada em três objetivos estratégicos, visando gerar inovações (fazer diferente para fazer melhor) para que as EPP tornem-se competitivas e sustentáveis.
    Esses três objetivos estratégicos se desdobram em cinco focos estratégicos, que tem propósitos que se complementam.
    Destacar os focos de inteligência competitiva e políticas corporativas como fatores diferenciais da estratégia.
    Apresentar, de forma resumida, os principais produtos e serviços do Sebrae.
  • Comentário UAIT

    O investimento mínimo de 20% em inovação já vem sendo superado pelo Sebrae. Em 2013 , atingimos o percentual de 35,4% no Sebrae NA e 31,9% para o Sistema Sebrae. O investimento absoluto do Sistema Sebrae (ainda em 2013) em Inovação foi de R$ 548,9 milhões.
  • Comentário UAIT
    Sugerimos atualizar o valor para R$ 2 bilhões pois a nova engenharia financeira dos Programas (100% Sebrae NA) alterou significativamente esta previsão. Apenas para ilustrar temos aprovados apenas no Sebraetec o valor de R$ 560 milhões para o biênio 2014-2015. Portanto, considerando apenas o que foi executado em 2013 pelo Sistema SEBRAE (R$ 548milhões) como parâmetro, teremos ao final do PPA mais de R$ 2 bilhões investidos em inovação.
  • Aqui poderia colocar a logo dos programas e de alguns parceiros estratégicos

    Comentário UAIT
    Meta 2 (Atendimento com soluções de inovação) em 2013: 157 mil
    Meta 2 (Atendimento com soluções de inovação) em 2014: 201 mil (previsão)

    ALI
    Nº de ALI em Campo: 1.023
    Nº de Empresas Atendidas em 2013: 44.252
    Meta 2014: 45.000
    Investimento 2014: R$ 73,9 milhões.

    SEBRAETEC
    Nº de Fornecedores: 1.407
    Nº de Empresas Atendidas em 2013: 78 mil
    Meta 2014: 83 mil
    Investimento 2014: R$ 256 milhões

    INCUBADORAS
    Incubadoras Apoiadas atualmente (possuem convênios com o Sebrae): 116
    Investimento (Edital de implantação do Cerne): R$ 20 milhões
    Nº de empresas incubadas nas incubadoras apoiadas: 2.105

    Parcerias Estratégicas
    Investimento: R$ 351 milhões
    Parceiros: ABDI, FINEP, ABNT, CNPQ, ANPROTEC, ANPEI, INPI, CNI/IEL, SBRT, GS1, MBC, FGV.
  • Comentário UAIT

    O investimento mínimo de 20% em inovação já vem sendo superado pelo Sebrae. Em 2013 , atingimos o percentual de 35,4% no Sebrae NA e 31,9% para o Sistema Sebrae. O investimento absoluto do Sistema Sebrae (ainda em 2013) em Inovação foi de R$ 548,9 milhões.
  • MPE indicadores 20.10.2015

    1. 1. ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS
    2. 2. MICRO E PEQUENAS NA ECONOMIA BRASILEIRA Mais de 95% do total de empresas no País
    3. 3. O QUE É CONSIDERADO PEQUENO NEGÓCIO NO BRASIL De acordo com a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa (Lei nº 123/2006) MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) MICROEMPRESA PEQUENA EMPRESA Receita bruta anual de até R$ 60 mil Receita bruta anual de até R$ 360 mil Receita bruta anual de R$ 360 mil a R$ 3,6 milhões
    4. 4. ONDE ESSAS de empreendimentos optantes do Supersimples* * Regime especial de tributação para pequenos negócios. Atualizado em: julho/2013 19% 5% 8% 50% EMPRESAS ESTÃO 9,8 MILHÕES CONCENTRAÇÃO POR REGIÃO 18%
    5. 5. Construção Civil 7% Serviços 35% Indústria 13% E O QUE ELAS FAZEM CONCENTRAÇÃO POR SETOR Comércio 44% Fonte: Secretaria da Receita Federal, 2015
    6. 6. PIB DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL Fonte: Sebrae e FGV , a partir de dados do IBGE
    7. 7. MAIS DA METADE DO PIB DO COMÉRCIO É GERADO POR PEQUENOS NEGÓCIOS Fonte: Sebrae e FGV , a partir de dados do IBGE 25,5% 27.9% 8.3% 38,3% COMÉRCIO 24.5% 8.7% 13.8% 53.0% INDÚSTRIA 20.0% 16.3% 6.7% 57.0% SERVIÇOS 36,3% 53,4% 22,5 % Micro e Pequenas Empresas Médias Empresas Grandes Empresas Micro Micro Micro Pequenas Pequenas Pequenas
    8. 8. ELAS GERAM MAIS DA METADE DOS EMPREGOS NO BRASIL 52% dos empregos formais no país 40% da massa salarial Fonte: Anuário do Trabalho Sebrae e Dieese
    9. 9. IMPACTO DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NA GERAÇÃO DE EMPREGOS 1,280,356 900,289 839,855 526,928 274,189 -30,810 -126,422 -380,282 2011 2012 2013 2014 Micro e Pequenas Empresas: 3,5 milhões de empregos gerados entre 2011 e 2014 Médias e Grandes Empresas: 263 mil empregos extintos entre 2011 e 2014 Fonte: Caged, jan. 2015
    10. 10. 33% 22% Pequenos Negócios Médias e Grandes Empresas Salários sobem mais nos pequenos negócios do que nas grandes empresas Em dez anos, média salarial dos trabalhadores dos pequenos negócios subiu 33% acima da inflação Fonte: Anuário do Trabalho Sebrae e Dieese
    11. 11. DIFERENÇA SALARIAL EM QUEDA Entre trabalhadores de pequenos negócios e médias e grandes empresas Fonte: Anuário do Trabalho Sebrae e Dieese
    12. 12. 14 12 10 8 6 4 2 0 Nota: empresas optantes e não optantes do Simples Nacional E AINDA HÁ ESPAÇO PARA O CRESCIMENTO DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO PAÍS 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 20222014 PROJEÇÃO DE CRESCIMENTO POR CATEGORIA DE EMPRESA 2,9 3,3 4,5 5,8 6,9 6,9 9,8 4,2 4,5 43,9 3,7 4,3 5,3 2,9 1,90,81 0,49 0,8 1,7 2,7 3,7 4,7 5,3 5,9 6,5 6,9 7,3 7,7 8,1 8,5 3,3 3,4 3,5 3,6 3,7 3,8 4,0 4,0 4,1 4,2 4,3 4,4 4,4 0,8 0,9 0,9 1,0 1,0 1,1 1,1 1,2 1,2 1,3 1,3 1,3 1,3 4,8 5,9 7,1 8,3 9,4 10,3 11,0 11,7 12,3 12,8 13,3 13,8 14,2 0 2 4 6 8 10 12 14 16 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 2022 Milhões MEI ME EPP MEI+ME+EPP FONTE: Sebrae, a partir das bases de dados da Receita Federal.
    13. 13. POR QUE O EMPREENDEDORISMO CRESCE NO BRASIL?
    14. 14. 3 RAZÕES 1ª MERCADO  Mais de 40 milhões de consumidores da nova classe média  Cerca de 100 milhões de pessoas consumindo no País  Aumento do poder aquisitivo gera demanda para produtos e serviços
    15. 15. 3 RAZÕES 2ª ESCOLARIDADE Do brasileiro, em geral, e do empreendedor
    16. 16. AUMENTAA ESCOLARIDADE 75% dos empreendedores com nível superior completo iniciam um negócio por oportunidade Fonte: Sebrae, a partir da GEM 2014
    17. 17. 3 RAZÕES 3ª AMBIENTE LEGAL
    18. 18. EVOLUÇÃO DA LEGISLAÇÃO PARA PEQUENOS NEGÓCIOS 2006 2007 2009 2011 2015 Cria a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa Super Simples reduz em 40% os impostos, em média Cria o Micro Empreendedor Individual (MEI) e inclui o setor cultural no Simples Atualiza os limites de faturamento do Simples e reduz a carga tributária do MEI Amplia o Supersimples para todas as categorias, cria proteção ao MEI e disciplina a substituição tributária
    19. 19. QUEM É O MEI? MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL  Categoria criada em julho de 2009. Fruto da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa  Fatura em média R$ 5 mil/mês (no máximo R$ 60 mil/ano).  Paga carga reduzida de impostos: de até R$ 45,40: 5% do salário mínimo (R$ 39,40) de INSS + R$ 1,00 de ICMS (indústria/comércio), e/ou R$ 5,00 de ISS (serviços).  Aposentadoria  Auxílio-doença  Licença-maternidade e outros DIREITOS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL  CNPJ  Emissão de Nota Fiscal  Crédito para Pessoa Jurídica etc. CIDADANIA EMPRESARIAL
    20. 20. CARACTERÍSTICAS DO MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Homens (53%) e mulheres (47%) Maioria menos de 40 anos (58,8%) Ensino médio ou técnico completo (63%) Vivem no Sudeste Trabalham em casa Fonte: Perfil do MEI/Sebrae
    21. 21. Trabalham com serviços e comércio Não possuem outra fonte de renda Se formalizaram para ter empresa formal e INSS Recomendam a formalização Pretendem crescer e faturar mais de R$ 60 mil/ano CARACTERÍSTICAS DO MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Fonte: Perfil do MEI/Sebrae
    22. 22. Conseguir empréstimo Fazer compras mais baratas Facilidade de abrir a empresa Crescer mais como empresa Emitir nota fiscal Benefícios do INSS Ter uma empresa formal 3% 4% 5% 8% 9% 22% 43%Benefícios do INSS Benefícios do registro formal MOTIVOS PARA BUSCAR A FORMALIZAÇÃO 21% 79% Fonte: Perfil do MEI/Sebrae
    23. 23. Fonte: Perfil do MEI/Sebrae Aumentaram as vendas Passaram a vender para outras empresas Melhoraram condições de compra junto aos fornecedores 68% 78% 50% MEI IMPACTO APÓS FORMALIZAÇÃO
    24. 24. Microempreendedor Individual ATENDIMENTO MEI  SEI Formar Preço  SEI Empreender  SEI Planejar  SEI Controlar Meu Dinheiro  SEI Vender  SEI Comprar  SEI Unir Forças para Melhorar  SEI Administrar  SEI Crescer Fonte: Perfil MEI/Sebrae "As soluções SEI estão disponíveis no Portal Sebrae"
    25. 25. NOVA FAVELA BRASILEIRA
    26. 26. Sim, com certeza Sim, provelmente Em até 1 ano Entre 1 ano e 3 anos 4 EM CADA 10 MORADORES DA FAVELA TEM INTENÇÃO DE UM DIA ABRIR O PRÓPRIO NEGÓCIO Em quanto tempo pretende empreender (entre quem pretende abrir o próprio negócio) Intenção de abrir o próprio negócio (em 2013 eram 28%, no brasil são 23%) Fonte: Data Popular/2015 40% 55%
    27. 27. 63% ENTRE OS QUE PRETENDEM ABRIR O PRÓPRIO NEGÓCIO Onde pretende abrir o próprio negócio (entre quem pretende empreender) Fonte: Data Popular/2015 QUER FAZÊ-LO DENTRO DA FAVELA (EM 2013 ERAM 59%)
    28. 28. Na maioria dos casos, a oportunidade é o que impulsiona os moradores das favelas a abrirem o seu próprio negócio (em 2013 era a necessidade) Fonte: Data Popular/2015  Para aproveitar uma oportunidade de negócio 48% 35% Principal motivo para abrir o seu próprio negócio 16%  Ambos  Por necessidade
    29. 29. POTENCIAL DE CONSUMO DAS FAMÍLIAS DO INTERIOR
    30. 30. 38% 62% Interior Capital R$ 827 Bilhões R$ 1,3 Trilhões AS FAMÍLIAS DO INTERIOR Movimentam 4 de cada 10 reais gastos no país SÃO R$ 827 BILHÕES ANUAIS Fonte: Data Popular/Sebrae, 2014
    31. 31. Pequenos negócios empregam 38% dos trabalhadores formais do Interior Fonte: Data Popular/Sebrae, 2014  38% Interior  32% Capitais % percentual de empregados formais em MPE
    32. 32. RESULTADO DO BOM CENÁRIO PARA O EMPREENDEDORISMO
    33. 33. SOBREVIVÊNCIA Fonte: Censo Sebrae sobre dados da Receita Federal SOBREVIVÊNCIA EM 2 ANOS 2007 2008 2009 73,6% 75,1% 75,6% 2007 2008 2009 MORTALIDADE EM 2 ANOS 26,4% 24,9% 24,4% 76 A CADA 100 EMPRESAS MANTÊM ATIVIDADE
    34. 34. Fonte: Censo Sebrae sobre dados da Receita Federal TAXA DE SOBREVIVÊNCIA (%) POR SETOR INDÚSTRIA 76,7 79,9 CONSTRUÇÃO CIVIL 63,4 72,5 COMÉRCIO 74,1 77,7 SERVIÇOS 72,8 72,2 2007 2009
    35. 35. TAXA DE SOBREVIVÊNCIA (%) POR REGIÃO MAIS ALTA NO SUDESTE Fonte: Censo Sebrae sobre dados da Receita Federal 76,2 78,2 SUDESTEBRASIL 73,6 75,6 SUL 71,8 75,3 CENTRO OESTE 69,6 74,0 NORDESTE 71,971,3 NORTE 67,9 68,9 2007 2009
    36. 36. Fonte: Sebrae Nacional e OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) Nota: Empresas constituídas em 2007 REFERÊNCIAS INTERNACIONAIS (%) TAXA DE SOBREVIVÊNCIA 2 ANOS PAÍSES MONITORADOS PELA OECD ESLOVÊNIA LUXEMBURGO ESTÔNIA CANADÁ ROMÊNIA LETÔNIA ÁUSTRIA ESPANHA ITÁLIA FINLÂNDIA ESLOVÁQUIA NOVAZELANDIA HUNGRIA PORTUGAL HOLANDA 78 76 75 74 72 71 71 69 68 63 62 56 56 51 50
    37. 37. QUEM É O EMPREENDEDOR BRASILEIRO?
    38. 38. EMPREENDEDORISMO ATRAI 3 EM CADA 10 BRASILEIROS 23% 34,5% 2004 2014 Fonte: Sebrae, a partir da GEM 2014
    39. 39. OS EMPREENDEDORES DO BRASIL Praticamente 1 em cada 3 pessoas da população tem um negócio ou está envolvido na criação de um Fonte: Sebrae, a partir da GEM 2014
    40. 40. TAXA TOTAL Fonte: Sebrae, a partir da GEM 2014 DE EMPREENDEDORISMO ENTRE OS BRICS 34.5 26.7 10.2 9.6 8.6 Brasil China Índia África do Sul Rússia
    41. 41. OPORTUNIDADE É A PRINCIPAL MOTIVAÇÃO PARA EMPREENDER Fonte: Sebrae, a partir da GEM 2014 70,6% dos brasileiros iniciam um negócio por oportunidade 42.4 53.3 52.3 52.3 50.9 56.1 66.7 60.0 67.3 67.5 69.2 71.3 70.6 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014
    42. 42. 1º Comprar a casa própria 2º Viajar pelo Brasil 3º Ter seu próprio negócio 4º Comprar um automóvel 5º Ter um diploma de ensino superior 6º Viajar para o exterior 7º Ter plano de saúde 8º Fazer carreira numa empresa 9º Casar ou formar uma família 10º Comprar um computador TER UMA EMPRESA É UM DOS PRINCIPAIS SONHOS DOS BRASILEIROS Fonte: Sebrae, a partir da GEM 2014
    43. 43. EMPREENDEDORISMO É OPÇÃO DE CARREIRA EM TODAS AS REGIÕES Fonte: Sebrae, a partir da GEM 2013 88% Norte 87% Nordeste 84% Centro-Oeste 81% Sudeste 83% Sul
    44. 44. FAIXA ETÁRIA DOS NOVOS EMPREENDEDORES CRESCE A PARTICIPAÇÃO DOS JOVENS Até 34 anos 35 a 44 anos 45 a 54 anos 23,6% 16,2% Fonte: Sebrae, a partir da GEM 2014 52,7%
    45. 45. MAIORIA DOS NOVOS EMPREENDIMENTOS* SÃO COMANDADOS POR MULHERES 51% 49% Mulheres Homens * Com até 3 anos e meio de atividade Fonte: Sebrae, a partir da GEM 2014
    46. 46. 37.5% 55.2% 7.3% AB C DE Classes EMPREENDEDOR BRASILEIRO É DA CLASSE C Fonte: Sebrae/Data Popular
    47. 47. Negros Brancos E OS NEGROS GANHAM ESPAÇO NO EMPREENDEDORISMO Fonte: Sebrae, 2014 (a partir de IBGE/PNAD, 2012) DISTRIBUIÇÃO DOS DONOS DE NEGÓCIO NO BRASIL (EM %) 44% 50% 55% 49% 2002 2011
    48. 48. Fonte: Sebrae, 2014 (a partir de IBGE/PNAD, 2012) Negros Brancos 15% 4% 16% 41% 8% 7% 31% 46% 5% 26% Norte Nordeste Centro-Oeste Sudeste Sul DISTRIBUIÇÃO POR REGIÕES DO PAÍS (EM %)
    49. 49. QUEM GANHA COM O EMPREENDEDORISMO FORTE NO BRASIL?
    50. 50. GANHA A ECONOMIA FORMAL 9,8 milhões de empresas no Simples Mais de 16,2 milhões de empregos com carteira assinada Desenvolvimento nas economias locais de todo o País
    51. 51. ARRECADAÇÃO DO SUPERSIMPLES Fonte: Receita Federal Total União Estado s Município s 2013 (jan-dez) R$ 54,4 bilhões R$ 41,4 bilhões R$ 8,6 bilhões R$ 4,4 bilhões 2014 (jan-dez) R$ 62 bilhões R$ 47,3 bilhões R$ 9,5 bilhões R$ 5,2 bilhões Acumulad o Total União Estado s Município s Agosto 2007 a Maio 2015 R$ 328,5 bilhões R$ 248 bilhões R$ 54,7 bilhões R$ 25,8 bilhões
    52. 52. ARRECADAÇÃO DO SUPERSIMPLES 14% Crescimento nominal Jan a Dez/2014 7,23% Crescimento real (descontada a inflação – IPCA) Fonte: Receita Federal
    53. 53. PEDIDOS DE OPÇÃO DO SUPERSIMPLES Fonte: SMPE, com dados da Receita Federal 234,838 244,500 242,664 223,076 502,692 Jan/11 Jan/12 Jan/13 Jan/14 Jan/15
    54. 54. GANHAM AS GRANDES EMPRESAS ENCADEAMENTO PRODUTIVO Portfólio com 116 projetos nacionais e regionais 20 mil empresas beneficiadas Investimento de R$ 123 milhões Estimativa de negócios de R$ 6,6 bilhões Fonte: Sebrae: Encadeamento Produtivo, 2015
    55. 55. ENCADEAMENTO PRODUTIVO RESULTADOS PARA AS GRANDES EMPRESAS MAIS PARCEIROS 70% das âncoras aumentaram a participação de pequenas empresas no seu volume de compras e 60% no volume de vendas FLEXIBILIDADE Para 60% das âncoras melhorou a presteza e flexibilidade dos pequenos fornecedores ao atender necessidades emergenciais INOVAÇÃO 50% percebem atualização tecnológica de produtos e/ou processos de seus fornecedores e 60% de seus pequenos distribuidores QUALIDADE 90% das âncoras constatam maior qualidade dos produtos e/ou serviços de fornecedores; tempo dedicado a resolver problemas caiu 30% RELACIONAMENTO 80% das âncoras registram melhor aproximação com o consumidor final após parceria com distribuidores Fonte: Sebrae: Pesquisa Impacto Encadeamento Produtivo, 2014
    56. 56. ENCADEAMENTO PRODUTIVO RESULTADOS PARA AS PEQUENAS EMPRESAS FATURAMENTO Para 66% dos pequenos negócios, aumento médio de 34% LUCRATIVIDADE Para 48% das pequenas empresas, cresceu em média 26% QUALIDADE 71% dos pequenos negócios aumentaram a qualidade de seus produtos e serviços; reclamações caíram 28% PRODUTIVIDADE Para 58% dos pequenos negócios, aumento médio de 31% EMPREGOS 47% das pequenas empresas aumentaram o número de pessoas ocupadas Fonte: Sebrae: Pesquisa Impacto Encadeamento Produtivo, 2014
    57. 57. ENCADEAMENTOS PRODUTIVOS O QUE SÃO? Estratégia para aumentar a competitividade, a cooperação, a competência tecnológica e de gestão das empresas Através de relacionamentos cooperativos, de longo prazo e mutuamente atraentes, que se estabelecem em Grandes Companhias e Pequenas Empresas de sua Cadeia de valor Fonte: Sebrae: Pesquisa Impacto Encadeamento Produtivo, 2014
    58. 58. ENCADEAMENTO PRODUTIVO COMO TRABALHAMOS Identificação de gargalos e oportunidades atuais e futuras Indicação de fornecedores atuais Definição de segmentos prioritários para as pequenas empresas Diretoria de Compras / Suprimentos Sebrae Fonte: Sebrae: Pesquisa Impacto Encadeamento Produtivo, 2014
    59. 59. ATUAÇÃO DO
    60. 60. Gestão Processos de trabalho Certificações Acesso à Inovação Resultados Cursos, consultorias e troca de experiências Mapear e desenvolver ISO e outras específicas Subsídio de até 80% pelo SebraeTec Atendimento das necessidades da empresa âncora e acesso a novos mercados COMO O SEBRAE ATUA com os fornecedores ou clientes
    61. 61. ATENDIMENTO
    62. 62. DESAFIOS DO ATENDIMENTO Foco da segmentação pelo porte da empresa Capacitação, consultoria, tecnologia e inovação; acesso a mercados; serviços financeiros Orientação; informação Capacitação Produtor Rural Potencial Empresário Potencial Empreendedor Emp. Pequeno Porte Microempresa Microempreendedor individual
    63. 63. PROGRAMAS NACIONAIS DO SEBRAE Sebrae Mais Sebraetec ALI (Agentes Locais de Inovação) Negócio a Negócio Encadeamento Produtivo Educação Empreendedora INOVAÇÃO, GESTÃO, ACESSO A MERCADOS
    64. 64. COMO CONTINUAR CRESCENDO? INOVAÇÃO É O DIFERENCIAL É A NOVA AGENDA DO SÉCULO 21 É UMA META NO SEBRAE INVESTIMOS 20% DO ORÇAMENTO
    65. 65. De 2015 a 2018, O Sebrae investirá R$ 2 bilhões em projetos e programas INVESTIMENTO EM INOVAÇÃO
    66. 66. ATUAÇÃO DO SEBRAE EM INOVAÇÃO Programa SEBRAETEC Programa ALI Incubadoras Centro Sebrae de Sustentabilidade Parcerias Estratégicas
    67. 67. EMPRESAS ATENDIDAS COM SOLUÇÕES DE INOVAÇÃO 2010 2014 Realizado: 40.1402010 2014 Realizado: 273.256 140.000 120.000 100.000 80.000 60.000 40.000 20.000 273.256
    68. 68. SEBRAE Criado em Outubro de 1972 Fomenta o empreendedorismo, promove a competitividade e inovação, dissemina conhecimento sobre gestão Estrutura  Está em todos os Estados brasileiros  Diretoria enxuta (com 3 integrantes) eleita para mandato de 4 anos (renovável uma vez) por um conselho deliberativo  Conselho formado por 13 entidades: associações do comércio, indústria e agricultura; bancos de fomento; governo; instituições de inovação  Estados não são subordinados ao Nacional
    69. 69. REDE DE ATENDIMENTO DO SEBRAE facebook.com/sebrae @sebrae youtube.com/tvsebrae 0800 570 0800 www.sebrae.com.br Mais de 700 pontos de atendimento presencial no Brasil, em todos os Estados SERVIÇOS ONLINE O que você precisa saber para iniciar bem: informações importantes para a abertura da sua empresa. COMO O SEBRAE PODE ME ATENDER O que você precisa saber para iniciar bem: informações importantes para a abertura da sua empresa. QUERO ABRIR UM NEGÓCIO O que você precisa saber para iniciar bem: informações importantes para a abertura da sua empresa. QUERO MELHORAR MINHA EMPRESA Precisa planejar melhor o futuro da sua empresa? Está com dificuldades para traçar e cumprir suas metas?
    70. 70. ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS

    ×