Aula de desenho

568 visualizações

Publicada em

Aula de desenho

Publicada em: Arte e fotografia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
568
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula de desenho

  1. 1. A Ilustração na publicidade
  2. 2. Introdução à ilustração
  3. 3. Ilustração é uma imagem produzida por qualquer meio artístico e técnicos - tinta, programas, modelagem, colagem, foto etc. - utilizada para acompanhar, explicar, acrescentar informação a algum outro meio de comunicação. A ilustração serve como meio de comunicação desde a pré-história com as pinturas rupestres, o hieróglifos egípcios e as iluminuras do século XV. Apesar de ter características artísticas há de se deixar bem claro que o ilustrador não deve ser confundido com "artista plástico", já que ele trabalha sempre por encomenda e o "artista plástico" não.
  4. 4. A ilustração pode ser usada em qualquer suporte físico ou digital. Geralmente ela se encontra na combinação entre imagem e texto como livros, artigos, fatos jornalísticos, matérias de revista entre outros. Pode ser encontrada também como ilustração livre, anúncios publicitários, logotipos, ícones, storyboards e moda.
  5. 5. A imagem é comumente utilizada na publicidade como argumento persuasivo, em virtude de sua fácil assimilação e múltiplas possibilidades de interpretação. A união da fotografia com a liberdade de criação e o estilo único de cada ilustrador proporciona um diferencial para o cliente, o que é interessante para pequenas e grandes empresas. A ilustração pode levar ao irreal, libertar ideias, expressões e sentimentos, é dessa forma que trabalhos incríveis surgem de uma folha em branco. Cabe aos publicitários, saber como utilizar esta incrível ferramenta a seu favor.
  6. 6. Ziraldo
  7. 7. Todo objeto é uma figura geométrica. Seja um círculo, quadrado ou triângulo. Destas figuras se constroem a base do desenho.
  8. 8. Vamos aprender a determinar medidas desenhando um quadrado da seguinte forma: Use um pedaço do lápis como referência. Marque a distância escolhida. Faça a linha desta distância. Use a mesma medida para marcar na horizontal e na vertical.
  9. 9. Utilize a mesma medida e terá um quadrado. Agora vamos fazer um círculo utilizando a área demarcada pelo quadrado. Divida o quadrado na horizontal, vertical e nas duas diagonais. Divida as diagonais em três partes do centro até o vértice. Trace o círculo passando pelas primeiras divisões.
  10. 10. Dando profundidade às formas geométricas. Vejam os exemplos a seguir:
  11. 11. A Ilustração na publicidade
  12. 12. Desenho de Observação
  13. 13. Para um desenho de observação chegar a um nível considerável, temos que aprender as diretrizes básicas do processo como: Enquadramento do desenho no papel Primeiramente verifique se o objeto a ser desenhado se enquadra melhor no formato “retrato” ou “paisagem”. Assim definido, busque centralizar seu desenho. Proporção Ao desenhar lembre-se que A proporção de um objeto é fundamental. deve-se prestar bem a atenção para obter um bom resultado final. Um exemplo é desenhar um cubo e fazer com que ele pareça ter as partes iguais.
  14. 14. Composição Para conseguirmos uma melhor composição, usamos a regra dos terços. Trace um retângulo a olho nu e divida-o com duas linhas na horizontal e na vertical. Os pontos onde as linhas se cruzam são ideais para se colocar o “foco de atenção” do seu desenho. No desenho ao lado, o ponto esquerdo superior foi escolhido como principal e a garrafa térmica a figura mais forte da imagem. Nesta mesma imagem da cena o pão a esquerda e o queijo estão em pontos de interseção. Por isso juntamente com a garrafa tornam– se figuras de interesse para quem olha o desenho.
  15. 15. Podemos partir de imagens geométricas para construir os objetos. Na primeira figura foi feito um retângulo e duas ovais. Há Um outro retângulo na parte de baixo para “sustentar” a composição. Na segunda figura usamos o triângulo para chegar o mais próximo do formato real. Assim na terceira figura o objeto tomou forma e acabamento. profundidade O desenho deve apresentar profundidade de campo na perspectiva. Pontos de fuga, textura, luz e sombra são formas de se obter profundidade no desenho.
  16. 16. Caráter de Croquis O resultado final do seu desenho deve ter caráter de croquis. Ou seja, rabiscado, nervoso e solto. Nada de passar a limpo e evite o uso da borracha ao Maximo. Não se trata de desenho arquitetônico ou desenho técnico. Desenho artístico deve ter linhas auxiliares, erros, borrões, manchas, que o tornam naturais. Luz e Sombra Podemos perceber que sempre que há luz e sombra em tudo que vemos. A luz e sombra (ou claro-escuro) é fundamental para a beleza e volumetria desejada no desenho
  17. 17. Textura O mundo real é feito de texturas. O desenho a lápis exige um tratamento gráfico de superfície e planos. A textura deve ser trabalhada para tornar o desenho mais elegante e pode enfatizar a perspectiva. Traço (mão livre) Desenho de observação deve ser sempre a mão livre. Para fins de aprendizagem, permite-se nas semanas iniciais o suporte de régua para você aprender a achar os pontos de fuga. Mas o traço deve ser necessariamente artesanal. A qualidade do seu traço a mão livre só irá melhorar com a prática. Portanto, praticar é essencial.
  18. 18. Para desenhar ao natural, utiliza-se o lápis da mesma maneira que fizemos com o quadrado. Feche um dos olhos e estenda o braço. Coloque o lápis no nível dos olhos e na horizontal. Para manter o desenho simétrico, sempre determine uma linha que divida todas as partes ao meio. Faça isso também com a metade dessas partes. Isso facilita o trabalho. Para ver se o desenho não está muito torto, vire-o de cabeça para baixo.
  19. 19. A Ilustração na publicidade
  20. 20. Criação de personagens
  21. 21. Personagem é qualquer ser vivo de uma história ou obra. Pode ser um humano, um animal, um ser fictício, um objeto ou qualquer coisa que o autor inventar. Geralmente é criado o perfil do personagem, o que é um fator enorme para representá-lo através de desenhos. O primeiro passo é fazer o rough (esboço) do desenho. Como nasce um personagem Depois de decidido o perfil do personagem, partimos para a construção do mesmo. PROPORÇÃO É UM DOS MAIS IMPORTANTES FATORES PARA SE LEVAR EM CONTA QUANDO FOR CONSTRUIR UM PERSONAGEM.
  22. 22. A estrutura de um personagem Para dar movimento e estipular para onde o personagem está olhando, basta fazer as marcações no círculo que é a cabeça como na figura ao lado.
  23. 23. Vamos construir uma cabeça de uma maneira bem simples. Veja abaixo o passo-a-passo. Desenhando cabeças
  24. 24. Desenhando cabeças Começaremos a criar com figuras ovais. Faça o nariz, os olhos e as orelhas Marque as pupilas Dentro do olho Faça as sobrancelhas E a boca Prepare-se para fazer a marcação do cabelo Pronto, você tem o seu primeiro personagem
  25. 25. Desenhando cabeças
  26. 26. Desenhando cabeças
  27. 27. Desenhando cabeças
  28. 28. Tipos de cabelo Existem inúmeros tipos de cabelo. Vamos abordar aqui os mais simples e de fácil execução.
  29. 29. Expressões faciais
  30. 30. Expressão facial
  31. 31. Expressão facial
  32. 32. Expressão facial
  33. 33. A Ilustração na publicidade
  34. 34. Criação de personagens
  35. 35. A estrutura do corpo com suas junções Na forma humana, a altura média do personagem é de 8 cabeças. Já no cartum faz-se 4. dentro desse formato, podemos desenvolver qualquer tipo físico. Ao lado tem a estrutura de um personagem homem e mulher. O tamanho deles varia de acordo com cada perfil.
  36. 36. Desenhando o corpo Vamos fazer uma base de movimento. Faça a estrutura do corpo completo e suas marcações. Essas marcações definirão a pose do personagem. Veja alguns exemplos.
  37. 37. Desenhando o corpo
  38. 38. mãos
  39. 39. andando
  40. 40. andando
  41. 41. A Ilustração na publicidade
  42. 42. Tipos e técnicas de ilustração
  43. 43. São variados os tipos de ilustração passando pelo humor, jornalístico, publicitário, editorial, científico e história em quadrinhos. Abordaremos aqui alguns mais usados. • Charge • Cartum • Caricatura • Tirinha • Infantil • Infanto-juvenil • Adulto • Didático • Infográfico • Vinheta • Rodapé • Científica • Mancha policial • Ilustração de matéria • História em quadrinhos • Mancha de anúncio • Storyboard • Layout • Logotipo • Personagem • Animação • Arte final • Vetorial • Realística • Hiper-realística • Cômica • Estilizada • Autoral • 3D • Mecânica • Botânica • Biológica • Astronômica • Paleontológica • Tecnológica
  44. 44. A Charge é uma ilustração que tem como objetivo principal dar opinião e, na maioria das vezes, criticar certo assunto. A palavra CHARGE vem do francês e significa “atacar” ou “carregar”. Esta é a maior característica da charge, contextualizar certa situação em seus desenhos, fora isso ela perde sua funcionalidade como termômetro crítico. Charge
  45. 45. O Cartum, de certa forma, é um desenho descompromissado de humor ou carga política e social. A palavra vem do inglês “cartoon” que significa “cartão”, ele relata um assunto universal sem depender de contexto nenhum, apenas um tema a ser explorado, sendo assim, atemporal. Cartum
  46. 46. A Caricatura, por sua vez, tem um ar de exagero. No caso de caricatura pessoal, o desenhista escolhe as partes mais salientes do indivíduo para exagerá-las, podemos ver, em grande parte dos trabalhos, que eles preferem explorar o rosto do personagem. A palavra caricatura vem do italiano “caricare” que significa “carregar” ou “exagerar”, assim, os ilustradores adoram usar para satirizar personagens públicos. Caricatura
  47. 47. A ilustração geralmente é uma imagem figurativa podendo ser abstrata ou não, porém ela acompanha um caráter explicativo, com o objetivo de acrescentar informações, sintetizar, decorar ou representar visualmente um texto. A ilustração funciona como um material ligado a um objeto, no caso o texto. A ilustração é em sua maioria uma atividade profissional, pode ser encomendada por um cliente, seja ele quem for, gerando recursos financeiros ou não. Este é um trabalho conceitual que visa ilustrar qualquer assunto em qualquer método ou técnica. ilustração O desenho é uma ilustração descompromissada, é um suporte artístico para qualquer assunto ou ideia. O trabalho é feito da mesma forma que a ilustração, porém, sem nenhum objetivo ou texto, é apenas um desenho, sendo bonito ou feio, com detalhes ou sem, com acabamento ou não. As formas que surgem do ponto linha ou plano divagam no suporte escolhido para o trabalho. O termo desenho pode ser confundido, pois há muitas modalidades como desenho gráfico, arquitetônico, mecânico, artístico, projetivo, geométrico, modelo vivo entre outros. Por isso é complexo definirmos qual é o modelo certo para a palavra. Desenho
  48. 48. A tira é uma sequência de imagens independente do número de quadros. tiras e história em quadrinhos tem um potencial enorme no âmbito da comunicação, unificando a linguagem verbal e não verbal. Elas foram popularizadas através da publicações em jornais. Tirinha E qUADRINHOS É a moldura de uma história. Dentro dela se desenha a cena da narrativa. Quadro ou requadro
  49. 49. Não necessariamente precisamos seguir esta fórmula. Há roteiros que permitem a “desconstrução” dessa formalidade. Veja a seguir, a narrativa visual que encaixa perfeitamente nesse aspecto ousado e que mesmo assim o entendimento fica claro. Quadro ou requadro Páginas da web comic “terapia” ilustrada por Mario Cau e com roteiro de Rob Gordon e Marina Kurcis. Leia mais em: http://petisco.org /terapia
  50. 50. As onomatopeias são muito usadas em quadrinhos. É de extrema importância na hora da narrativa em que representa uma ação seguida de qualquer tipo de som. Ela emite exatamente o que as Hqs não fazem, o som, completando assim o seu objetivo. Abaixo apresentamos alguns exemplos. Onomatopéia
  51. 51. São representações de sentimento ou acontecimento. Temos como exemplo corações representando paixão, notas musicais representando música ou assovio, entre outros. Metáforas visuais Tem a ver com o conteúdo da narrativa. Eles são inseridos em representações como: sol, chuva, árvore, nuvem, pássaros entre outros. Desenhos iconográficos
  52. 52. Há vários tipos de balões para as mais diversas situações ao decorrer da narrativa. Temos: Balões de pensamento Balões de sussurro Balões de grito Balões de choro ou lamento Balões de diálogo ou fala balões

×