Hospital das Clínicas de Uberlândia
Moléstias infecciosas
Acadêmicos: Paulo Fernando SilvaGomes
TúlioTeixeira de Araújo
Pr...
 Identificação: O.J.M. , sexo masculino, 49 anos, feoderma,
solteiro, natural de Lagoa Formosa, procedente de
Uberlândia,...
HMA: Paciente encaminhado do UAI Luizote com febre vespertina a
4meses de até 39 graus celsius normalmente por volta das 1...
Revisão dos sistemas:
 Cabeça:Cefaléia intermitente, duração de cerca de 30 minutos, frontal, fraca
intensidade, sem irra...
Antecedentes Pessoais Patológicos:
 Paciente HIV+
 Onicodistrofia há cerca de 1 ano,
 HAS em tratamento com Ramipril 5m...
Antecedentes Pessoais não Patológicos:
 Relata boas condições de habitação com água encananada e esgoto tratado
 Boa ali...
Antecedentes familiares:Pai cometeu suicídio, Mãe faleceu por doença cardíaca, não sabe
informar sobre outras doenças na f...
1 HIV + com CD4 de 124
2 FebreVespertina diária de até 39ºC há meses
3 Esplenomegalia verificada no exame físico
4 Lesões ...
 Sistema Retículo-endotelial
 Pele e anexos
 Esplenomegalia febril
 Síndrome de imunodeficiência adquirida
 Síndrome consuptiva
 Lesões de pele a esclarecer
Causas não infecciosas Causas Infecciosas
• Neoplasias:
Leucemia
Linfoma de Hodgkin
Linfangioma
Sarcoma de Kaposi
• Bactér...
 Leucemia
Positivos Negativos
Astenia Ausência de equimoses
Esplenomegalia Ausência de sangramentos
Hiporexia Ausência de...
 Linfoma Hodgkin
Positivos Negativos
Associação ao HIV Ausência de adenomegalia ao
exame físico
Esplenomegalia Lesões de ...
 Sarcoma de Kaposi
Positivos Negativos
Lesões nodulares vinhosas
não pruriginosas
Lesões descamativas e que
regridem espo...
 Tuberculose (Mycobacterium tuberculosis)
Positivos Negativos
Epidemiologia Febre normalmente não
ultrapassa 6 a 8 semana...
 Endocardite (Staphylococcus epidermidis)
Positivos Negativos
Febre > 38ºC Sopro cardíaco (80%)
Staphylococcus coagulase ...
 Brucelose ou febre de malta (Brucela sp.)
Positivos Negativos
Febre de vários padrões (70%) Epidemiologia (nega na histó...
 FebreTifóide (Salmonelaa typhi)
Positivos Negativos
Febre alta Febre escalonada
Cefaleia Acometimento gastro-intestinal
...
 Angiomatose Bacilar (Bartonela sp.)
Positivos Negativos
Comum em imunossuprimidos Epidemiologia
Febre Linfoadenomegalia
...
 Criptococose(Cryptococcus neoformans)
Positivos Negativos
Febre Rigidez de nuca (30%)
Astenia Alterações em SN (Meningit...
 Pb Micose(Paracoccidioimicose brasiliensis)
Positivos Negativos
Esplenomegalia (20%) Quadro pulmonar anterior
Febre Acom...
 Histoplasmose(Histoplasma capsulatum)
Positivos Negativos
Febre Sudorese noturna
Astenia Infiltração pulmonar
Emagrecime...
 Doença de Chagas(Trypanossoma Cruzi)
Positivos Negativos
Febre prolongada Hipertrofia de linfonodos
Cefaleia Meningoence...
 Leishmaniose visceral (Leishmania infantum)
Positivos Negativos
Emagrecimento Piora progressiva do estado geral
Astenia ...
 Hemograma
 Bioquímica e Exames Função Hepática (TAP,
TGO eTGP)
 Raio X de tórax
 USG abdominal
 Sorologias (HIV, Cha...
09/05 17/05 VR
Hemácias 2,18 milhões/mm³ 3,09 milhões/mm³ 390 – 5,03 mi/mm³
Hemoglobina 7,5 g/dL 9,9 g/dL 12 – 15,5 g/dL
H...
09/05 17/05 VR
PCR 11,8 7,7 < 1 mg/dL
Na+ 125 131 130 - 146
Ca++ 8,0 7,5 8,8 -10,0
Mg++ 1,3 1,5 1,45 – 2,66
FA 972 U/L 40 ...
13/10/12
Sorologias:
VDRL: negativo
T. cruzi: 0,35
HBsAg: negativo
Anti HCV: negativo
Sífilis: negativo
10/05/13
 Urina –...
 TC de abdome
 EDA
 Teste rápido de LeishmanioseVisceral
 Mielograma
 Biópsia
 Resultado deTC (14/05): hepatoesplenomegalia
com linfonodomegalias periaórtica retroperitoneal
+ derrame pleural pequeno...
Causas não infecciosas Causas Infecciosas
• Neoplasias:
Leucemia X
Linfoma de Hodgkin
Lifangioma X
Sarcoma de Kaposi
• Bac...
 Síndrome consuptiva
 Esplenomegalia
 Pancitopenia Febril
 Lesões de pele
Principais Hipóteses
1 -Tuberculose
2 – Hist...
 Doença endêmica na América, África e Ásia
 Fungo:Histoplasma capsulatum, com duas variedades
Var capsulatumVar duboisii...
Na maioria dos casos de AIDS é um a reativação da infecção crônica,
gerando a forma disseminada.
 Prevalência 2% - 5%.
 ...
 Tuberculose é doença endêmica
 Micobactéria adquirida por contato íntimo
por via inalatória. Mycobacterium tuberculosis...
Micobactérias do ComplexoAvium Intracellulares:
M. avium
Mycobacterium intracellulare
Mycobacterium scrofulaceum
Mycobacte...
 Neoplasia maligna originada de mutação de
linfócitos B;
 Está associada a imunodepressão
 Trata-se de uma neoploasia associada à
infecção pelo Herpes vírus tipo 8 (HVV-8 ou
KSHV) que normalmente curso com lesõe...
 Veronesi; Roberto focaccia -Tratado de
infetologia -3ª edição - Atheneu-Volume 1e
Volume 2, 2006
 Material Didático SJT...
Apresentação mi   definitivo
Apresentação mi   definitivo
Apresentação mi   definitivo
Apresentação mi   definitivo
Apresentação mi   definitivo
Apresentação mi   definitivo
Apresentação mi   definitivo
Apresentação mi   definitivo
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação mi definitivo

516 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
516
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação mi definitivo

  1. 1. Hospital das Clínicas de Uberlândia Moléstias infecciosas Acadêmicos: Paulo Fernando SilvaGomes TúlioTeixeira de Araújo Prof. Ms.Aércio Sebastião Borges
  2. 2.  Identificação: O.J.M. , sexo masculino, 49 anos, feoderma, solteiro, natural de Lagoa Formosa, procedente de Uberlândia, auxiliar técnico de vigilância, escolaridade até 0 3º ano do ensino médio completo, religião católica. Adimitido no HC – UFU em 09/05/2013 Informante: o próprio paciente, boa confiabilidade. QP: “Febre no fim da tarde há 4 meses”.
  3. 3. HMA: Paciente encaminhado do UAI Luizote com febre vespertina a 4meses de até 39 graus celsius normalmente por volta das 16h, seguida de mal estar geral e sudorese profusa após medicação com anti térmico, concomitantemente apresenta perda ponderal de 6kg no mesmo período com hiporexia, astenia, prostração e mal estar geral. Refere náuseas, vômitos quase que diários, com restos alimentares sem sangue, pus ou muco, os quais limitavam a ingesta. Durante a investigação, diagnosticado HIV + com CD4 de 124 (sic), em uso de TARV regular há 2 meses (Efavirenz + Lamivudina + Zidovudina). Paciente queixa-se de pirose retroesternal, além de náuseas principalmente após uso de efavirenz. Relata aparecimento de lesões, máculas vinhosa em face anterior da coxa a cerca de 4 meses, descamativas, não pruriginosas, bilateralmente. Nega alterações intestinais, urinárias, tosse, dispnéia e sintomas neurológicos.
  4. 4. Revisão dos sistemas:  Cabeça:Cefaléia intermitente, duração de cerca de 30 minutos, frontal, fraca intensidade, sem irradiação, de surgimento e desaparecimento espontâneos há cerca de 4 meses.  Sistema respiratório: Nega dispnéia, tosse ou secreção  Sistema cardiovascular: Nega dor torácica , palpitações ou quaisquer outra alterações  Sistema linfático e hematopoiético: realizada uma hemotransfusão visando corrigir o o quadro de anemia persistente.  Sistema Gastro-intestinal: Relata náuseas e vômitos, nega diarréia;  Sistema Músculo- esquelético: Nega déficit de movimentos, relata mialgias durante os episódios febris e astenia;  Pele e anexos: Há cerca de 1 ano iniciou com quadro de onicodistrofia, sendo investigado psoríase (sic), porém sem confirmação diagnóstica. Refere unhas de consistência amolecida, além de descamação ungueal associada a coloração amarelada
  5. 5. Antecedentes Pessoais Patológicos:  Paciente HIV+  Onicodistrofia há cerca de 1 ano,  HAS em tratamento com Ramipril 5mg + Anlodipina 5mg,  Cirurgia para correção de hérnia inguinal,hemocultura realizada em 04/05 na UAI foi evidenciado crescimento de staphylococcus coagulase negativo sensível a oxacilina 500mg de 4/4h, gentamicina, eritromicina, sulfametoxazol, iniciando uso de Oxacilina 500mg 4/4h em 09/05. O paciente refere permanência dos sintomas até o momento.  Nega quaisquer doenças infecciosas ou tratamentos anteriores.
  6. 6. Antecedentes Pessoais não Patológicos:  Relata boas condições de habitação com água encananada e esgoto tratado  Boa alimentação e variada e boa higiene pessoal  Ex-tabagista em interrupção a 1 ano e 4 meses (1maço/dia por 20 anos)  Ex-etilista (em interrupção há 4 meses, cerca de 1 cerveja por dia por 20 anos)  Nega uso de drogas e realização de tatuagens, hemotransfusões (prévias ao início dos sintomas)  Nega acidentes  Nega consumo de carne crua ou mal passada  Relata contato com animal doméstico (cachorro)  Refere ter vivido em zona rural há cerca de 20 anos, porém nega contato com barbeiro ou casas de pau a pique  Relata relacionamento homossexual atual e prévios, com relações sexuais sem uso de preservativo, refere parceiro fixo atual, também diagnosticado com HIV+ há 2 meses Medicamentos em uso: Ramipril e Anlodipina
  7. 7. Antecedentes familiares:Pai cometeu suicídio, Mãe faleceu por doença cardíaca, não sabe informar sobre outras doenças na família Exame físico:  Ectoscopia: BEG, anictérico, acianótico, febril, consciente e orientado no tempo e espaço, discretamente emagrecido, bpp, com edema em MMII (+/++++), mucosas úmidas e hipocoradas (+/++++). PA: 125x84 mmHg FC: 112 bpm FR: 19 irpmTºC: 38,4ºC Pulso: cheio, rítmico e simétrico Peso: 58 Kg Altura: 1,65 IMC: 21,30  AR:Tórax simétrico, de conformação normal, expansibilidade preservada, som claro pulmonar à percussão, murmúrio vesicular fisiológico, preservado bilateralmente  ACV: Bulhas regulares normofonéticos em 2T;  Abdome: Semi-globoso, simétrico, ruídos hidroaéreos presentes, normotenso, normotimpânico, indolor à palpação, espaço de traube ocupado com baço palpável a cerca de 5cm do rebordo costal esquerdo, não palpo outras vísceromegalias ou massas.Descompressão Brusca e Giordano negativa.  Pele: Presença de lesão crostosa (sero-hemática) em fronte, à direita, de cerca de 1cm, presença de lesões cutâneas planas, amarronzadas em faces ântero-laterais de ambas as coxas, presença de lesões arroxeadas em pé D (dorso e planta) e perna E, descamativas, sem sinais inflamatórios, onicodistrofia (mãos e pés)  SN: ECG = 15, Pupilas isocóricas e fotorreagentes, ausência de sinais focais
  8. 8. 1 HIV + com CD4 de 124 2 FebreVespertina diária de até 39ºC há meses 3 Esplenomegalia verificada no exame físico 4 Lesões maculo-vinhosas descamativas em coxa e outras 5 Perda ponderal (6Kg) 6 Astenia 7 Hiporexia 8 Mucosas hipocoradas 9 Cefaléia frontal intermitente há 4 meses 10 Staphylococcus coagulase negativo 11 Pirose, náusea e vômitos associadas ao uso deTARV 12 Onicodistrofia 13 HAS em tratamento 14 Etilista Moderado (1 cerveja por dia durante 20 anos)
  9. 9.  Sistema Retículo-endotelial  Pele e anexos
  10. 10.  Esplenomegalia febril  Síndrome de imunodeficiência adquirida  Síndrome consuptiva  Lesões de pele a esclarecer
  11. 11. Causas não infecciosas Causas Infecciosas • Neoplasias: Leucemia Linfoma de Hodgkin Linfangioma Sarcoma de Kaposi • Bactérias: Febre tifóide Endocardite bacteriana Tuberculose Angiomatose bacilar • Disturbios hematológicos: Hemofagocitose, Hematopoiese extramedular Anemia hemolítica • Fungos: Histoplasmose Pbmicose, Criptococose • Protozoários: Leishmaniose visceral Doença de Chagas (aguda)
  12. 12.  Leucemia Positivos Negativos Astenia Ausência de equimoses Esplenomegalia Ausência de sangramentos Hiporexia Ausência de ?? Febre
  13. 13.  Linfoma Hodgkin Positivos Negativos Associação ao HIV Ausência de adenomegalia ao exame físico Esplenomegalia Lesões de pele Hiporexia Febre
  14. 14.  Sarcoma de Kaposi Positivos Negativos Lesões nodulares vinhosas não pruriginosas Lesões descamativas e que regridem espontâneamente Idade (<60 anos) HIV + Febre
  15. 15.  Tuberculose (Mycobacterium tuberculosis) Positivos Negativos Epidemiologia Febre normalmente não ultrapassa 6 a 8 semanas Esplenomegalia Ausência de sintomas respiratórios Febre (90%) e sudorese (76%) Ausência de Adenopatia Lesões de pele Hiporexia/emagrecimento
  16. 16.  Endocardite (Staphylococcus epidermidis) Positivos Negativos Febre > 38ºC Sopro cardíaco (80%) Staphylococcus coagulase negativo Fenômenos vasculares Esplenomegalia (Quadro subagudo) Fenômenos imunológicos Emagrecimento Palidez
  17. 17.  Brucelose ou febre de malta (Brucela sp.) Positivos Negativos Febre de vários padrões (70%) Epidemiologia (nega na história) Astenia e mal estar geral Sudorese intensa Cefaléia Quadro mais agudo Esplenomegalia Emagrecimento
  18. 18.  FebreTifóide (Salmonelaa typhi) Positivos Negativos Febre alta Febre escalonada Cefaleia Acometimento gastro-intestinal Mal estar geral Quadro mais agudo Esplenomegalia Epidemiologia Incidência maior em aidéticos
  19. 19.  Angiomatose Bacilar (Bartonela sp.) Positivos Negativos Comum em imunossuprimidos Epidemiologia Febre Linfoadenomegalia Perda de peso Doença rara Cefaléia Lesões cutâneas
  20. 20.  Criptococose(Cryptococcus neoformans) Positivos Negativos Febre Rigidez de nuca (30%) Astenia Alterações em SN (Meningite) Maior prevalência na AIDS Acometimento pulmonar anterior Acometimento SRE Epidemiologia Lesões cutâneas Lesões de pele moluscóides/ulceradas
  21. 21.  Pb Micose(Paracoccidioimicose brasiliensis) Positivos Negativos Esplenomegalia (20%) Quadro pulmonar anterior Febre Acometimento de linfonodos Emagrecimento Forma disseminada Predisposição pela imunossupressão Lesões cutâneas não características Sexo masculino Epidemiologia
  22. 22.  Histoplasmose(Histoplasma capsulatum) Positivos Negativos Febre Sudorese noturna Astenia Infiltração pulmonar Emagrecimento Adenopatias (35%) Esplenomegalia (70%) Tosse Lesões de pele (17%) Meningoencefalite
  23. 23.  Doença de Chagas(Trypanossoma Cruzi) Positivos Negativos Febre prolongada Hipertrofia de linfonodos Cefaleia Meningoencefalite na AIDS (75%) Astenia Epidemiologia Esplenomegalia Nega sintomasTGI
  24. 24.  Leishmaniose visceral (Leishmania infantum) Positivos Negativos Emagrecimento Piora progressiva do estado geral Astenia Doenças crônica sistêmica Palidez cutâneo mucosa Epidemiologia Esplenomegalia Febre até 4 semanas Náuseas e vômitos
  25. 25.  Hemograma  Bioquímica e Exames Função Hepática (TAP, TGO eTGP)  Raio X de tórax  USG abdominal  Sorologias (HIV, Chagas; Hepatites B e C).  Cultura (bacteriológica) sangue e cultura (bacterias e fungos) pele. • Dosagem ferritina
  26. 26. 09/05 17/05 VR Hemácias 2,18 milhões/mm³ 3,09 milhões/mm³ 390 – 5,03 mi/mm³ Hemoglobina 7,5 g/dL 9,9 g/dL 12 – 15,5 g/dL Hematócrito 23,1 % 31,0% 34,9 – 44,5% VCM 105 102,1 81,6 – 98,3 VHCM 34,8 32,2 26 a 34 Plaquetas 176 mil 129mil 140 – 450 mil Leucócitos 1000 2000 3500-10500 Segmentados 380 1540 1700-8000 Bastonetes 0 0 Até 840 Linfócitos 540 200 900-2900 Monócitos 8% 6% 300-900 TAP 58% 41% 70 -100%
  27. 27. 09/05 17/05 VR PCR 11,8 7,7 < 1 mg/dL Na+ 125 131 130 - 146 Ca++ 8,0 7,5 8,8 -10,0 Mg++ 1,3 1,5 1,45 – 2,66 FA 972 U/L 40 – 150U/L TGO 125 U/L 82 U/L até 34 U/L TGP 43 U/L 28 U/L Até 55 U/L GGT 1069 U/L 905 U/L 5 – 64 U/L Uréia 31 36 Creatinina 0,8 1,0 Albumina 1,52 3,5 – 5,2 g/dL Bilirrubina total, direta e indireta: sem alterações
  28. 28. 13/10/12 Sorologias: VDRL: negativo T. cruzi: 0,35 HBsAg: negativo Anti HCV: negativo Sífilis: negativo 10/05/13  Urina – Eas: Hemácias/hemoglobina ++  Cultura Urina: bacteriologia negativa  Hemocultura: bacteriologia negativa  USG abdome: esplenomegalia inespecífica, ascite leve  Pesquisa direta de fungos em fragmento de pele: negativa  Pesquisa direta de fungos em raspado de lesão: negativa 13/05/13 Ferritina: 684 mg/ml(VR: 30-400 mg/ml)
  29. 29.  TC de abdome  EDA  Teste rápido de LeishmanioseVisceral  Mielograma  Biópsia
  30. 30.  Resultado deTC (14/05): hepatoesplenomegalia com linfonodomegalias periaórtica retroperitoneal + derrame pleural pequeno à direita + líquido livre na cavidade em pequena quantidade  Teste rápido de LV (15/05): negativo  Mielograma:Cultura direta de fungos negativa. Cultura de bactérias negativa.Pesquisa de Baar negativa.  Biópsia – A ser realizada
  31. 31. Causas não infecciosas Causas Infecciosas • Neoplasias: Leucemia X Linfoma de Hodgkin Lifangioma X Sarcoma de Kaposi • Bactérias: Febre tifóide X Endocardite bacteriana X Tuberculose Angiomatose bacilar X • Disturbios hematológicos: Hemofagocitose, - Anemia hemolítica X • Fungos: Histoplasmose Pbmicose X Criptococose X • Protozoários: Leishmaniose visceral X Doença de Chagas (aguda) X
  32. 32.  Síndrome consuptiva  Esplenomegalia  Pancitopenia Febril  Lesões de pele Principais Hipóteses 1 -Tuberculose 2 – Histoplasmose 3 – Linfoma 4 - Micobacterias oportunistas atípicas
  33. 33.  Doença endêmica na América, África e Ásia  Fungo:Histoplasma capsulatum, com duas variedades Var capsulatumVar duboisii (África)  Adquirida por inalação de conídeos  Infecção primária Forma assintomática – maioria dos casos Forma primária pulmonar aguda Mediastinite e pericardite / pleurite  Infecção latente nos indivíduos por formação de complexo pulmonar primário (Cicatrizes pulmonares)
  34. 34. Na maioria dos casos de AIDS é um a reativação da infecção crônica, gerando a forma disseminada.  Prevalência 2% - 5%.  10 a 20 % desenvolvem doenças grave e rapidamente progressiva  80 a 90% manifestações crônicas com envolvimento do SER, cutâneo, pulmonar, TGI, SNC, adrenais, olhos, coração  Primeira manifestação da SIDA em 50% a 70% dos casos  Sintomas e achados mais comuns na Histoplasmose na AIDS Febre Astenia Emagrecimento Hepatoesplenomegalia Pneumopatia (50%) Adenopatia Lesões de Pele nódulo-ulceradas LINF.TCD4 PANCITOPENIA AST/ALT-AST>ALT aumentado FA/GGT aumentado
  35. 35.  Tuberculose é doença endêmica  Micobactéria adquirida por contato íntimo por via inalatória. Mycobacterium tuberculosis  Segunda infecção oportunista mais comum em imunossuprimidos.  A infecção disseminada ocorre por via hematogênica
  36. 36. Micobactérias do ComplexoAvium Intracellulares: M. avium Mycobacterium intracellulare Mycobacterium scrofulaceum Mycobacterium kansasii Mycobacterium xenopi Mycobacterium szulgai Mvcobacterium malmoense Mycobacterium haemophilum Mycobacterium marinum Mycobacterium ulcerans Mycobacterium leprae Micobactérias do Complexo Fortuitum: M. fortuitum Mycobacterium chelonae Espécies usualmente saprófitas: Mycobacterium gordonae Mycobacterium terrae complex Mvcobacterium fiavescens Mycobacterium smegmatis
  37. 37.  Neoplasia maligna originada de mutação de linfócitos B;  Está associada a imunodepressão
  38. 38.  Trata-se de uma neoploasia associada à infecção pelo Herpes vírus tipo 8 (HVV-8 ou KSHV) que normalmente curso com lesões de pele e mucosa, mas que podem estender-se para linfonodos e vísceras  Quadro típico: Lesões de pele multifocais, assimétricas, de tamanhos variados e não pruriginosas; sexo masculino e próximo aos 50 anos; o próprio fato de ser soropositivo; e menos comumente a febre
  39. 39.  Veronesi; Roberto focaccia -Tratado de infetologia -3ª edição - Atheneu-Volume 1e Volume 2, 2006  Material Didático SJT – Preparatório para Residência Médica –Volume 5 – Infectologia  Brasil. Ministério da Saúde. Doenças infecciosas e parasitarias: guia de bolso. 8ª ed. – 2010  Brasil. Ministério da Saúde - Guia daVigilância epidemiológia. 3ªed. -2005

×