Jornal Paraná Notícias

8.346 visualizações

Publicada em

Jornal Paraná Notícias

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.346
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7.388
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jornal Paraná Notícias

  1. 1. Comcam, 13 e 14 de junho de 2015 Circulação semanal Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em ti. (Isaías 26:3) Sociedade Notícias www.jornalprn.com.br Qual o poder da oração? Pág. 08 Pág. 03 Pág. 03 Pág. 04 atatatatatendem cerendem cerendem cerendem cerendem cerca de 1ca de 1ca de 1ca de 1ca de 1,3 mil menores por mês,3 mil menores por mês,3 mil menores por mês,3 mil menores por mês,3 mil menores por mês Pág. 03 Dados da Secretaria Municipal de Ação Social de Campo Mourão indicam que mensalmente cerca de 1,3 mil crianças, adolescentes ou jovens dependem do atendimento dos programas sociais oferecidos pelo município. O trabalho é voltado desde a garantir direitos até inserção social, em espaços como Conselho Tutelar, CRAS, CREAS, Centros de Integração e Centro da Juventude. AestudanteuniversitáriaJulianaApa- recida Toríbio Calegher, 19, foi eleita Rainha da 25ª Festa Nacional do Car- neironoBuracoemumconcursoque lotou o Teatro Municipal. GoGoGoGoGovvvvverno do Perno do Perno do Perno do Perno do Paraná já destinou maisaraná já destinou maisaraná já destinou maisaraná já destinou maisaraná já destinou mais de R$ 1 bilhão para saúde em 20de R$ 1 bilhão para saúde em 20de R$ 1 bilhão para saúde em 20de R$ 1 bilhão para saúde em 20de R$ 1 bilhão para saúde em 201111155555 O Governo do Paraná já aplicou nos quatro primeiros meses de 2015 cerca de R$ 1,1 bilhão para custear, fortalecer e ampliar as ações de saúde pública em todo Estado. São pelo menos R$ 720 milhões em recursos próprios do Tesouro Estadual que refletem em melhorias significativas na qualidade do atendimento prestado à população paranaense. Prefeitura de Araruna conclui obras Wilson PiclerWilson PiclerWilson PiclerWilson PiclerWilson Picler visitavisitavisitavisitavisita a prefa prefa prefa prefa prefeitaeitaeitaeitaeita dedededede CamCamCamCamCampo Mourãopo Mourãopo Mourãopo Mourãopo Mourão O empresário ex-deputado federal, Wilson Picler, es- teve na semana passada, visitando a prefeita de Cam- po Mourão, Regina Dubay. Picler é presidente esta- dual do PEN (Partido Ecológico Nacional) e também pré-candidato a prefeito de Curitiba, além de ser pro- fessor e também empresário na área educacional. Pág. 02 AÇÕES SOCIAISAÇÕES SOCIAIS Leitão Maturado em Goioerê Peabiru - Janiópolis e Araruna CÂMARAS MUNICIPAIS Pág. 06Pág. 05 Pág. 06 Pág. 03
  2. 2. & Fatos “ FRASE Política Política é como nuvem. Você olha e ela esta de um jeito. Olha de novo e ela já mudou.” (Magalhães Pinto) PARANÁ NOTÍCIASPágina 02 Comcam, 13 e 14 de junho de 2015 Wilson Picler visita a prefWilson Picler visita a prefWilson Picler visita a prefWilson Picler visita a prefWilson Picler visita a prefeita de Cameita de Cameita de Cameita de Cameita de Campo Mourãopo Mourãopo Mourãopo Mourãopo Mourão O empresário ex- deputado federal, Wilson Picler, esteve na semana passada visitando a prefei- ta de Campo Mourão, Re- gina Dubay. Picler é presi- dente estadual do PEN (Partido Ecológico Nacio- nal) e também pré-candida- to a prefeito de Curitiba, além de ser professor e tam- bém empresário na área educacional. Natural de Guaíra (Oeste do Paraná) mudou- se com a família para Ma- ringá com dois anos de ida- de e aos 16 chegou a Curi- tiba para estudar no Cefet, onde se formou técnico em eletrônica. Em 1996, de- pois de se graduar em Fí- sica pela Universidade Fe- deral do Paraná (UFPR) e interromper uma pós-gra- duação na Unicamp, ousou lançar-se no mundo dos negócios, fundando o Ins- tituto Brasileiro de Pós- Graduação e Extensão (IBPEX), que provocou uma revolução no ensino superior brasileiro, ao lan- çar um inédito e bem-suce- dido programa de qualifi- cação de professores para a educação básica. O empresário traz para a gestão pública a ex- periência de comandar um dos maiores conglomera- dos educacionais do País, a Uninter. Hoje, a Uninter se tornou um dos maiores cen- tros educacionais do Brasil, que reúne oito empresas com mais de 150 mil alunos e está presente em mais de 440 cidades de todos os estados, além de uma edi- tora cujo acervo já chega a 500 títulos impressos e 90 mil obras digitais. Política - O empre- sário que antes era filiado ao PDT, disse que aceitou o convite para assumir e es- truturar o PEN no Estado porque faz parte do seu projeto político. “Era um sonho que eu tinha há mui- to tempo, ser presidente de um partido, ter um nível de decisão maior nos destinos políticos do grupo, ser um líder partidário. E este so- nho se aliou a outro, que é trabalhar pela causa ecoló- gica”, disse Picler. Eleições 2012 - Pi- cler apareceu definitiva- mente no cenário político paranaense, quando se en- gajou na campanha de Gustavo Fruet na capital do estado. “Ninguém acre- ditava na eleição do Fruet, a comitê estava as “mos- cas”, quando resolvemos iniciar algumas estratégias que culminou a vitória de Fruet nas urnas”, relatou Picler. Hoje, se diz decepci- onado com a maneira do prefeito governar, mas evi- tou falar sobre o assunto. “A gente não pode ficar avaliando um prefeito, quando provavelmente se- remos adversários na pró- xima eleição”, explicou PEN na região – Se- gundo o ex-deputado, o Partido Ecológico Nacio- nal está sendo reestrutura- do em todo estado, e sua vi- sita a Campo Mourão, foi à primeira de uma série que ele de- verá fazer na re- gião. Wilson foi recepcionado pelo seu asses- sor político, o m o u r a õ e n s e Eduardo Fausti- no, que irá aju- dá-lo na forma- ção do PEN em mais de 50 cida- des da região. O pastor José Pereira da Assembleia de Deus Madurei- ra do Lar Paraná que é pré- candidato a vereador, tam- bém foi convidado a in- gressar no novo partido e está avaliando a possiblida- de de fazer parte da sigla ecológica. Com Regina – Juntamen- te com assessores, Picler foi recepcionado pela pre- feita Regina Dubay, onde conversaram sobre o futu- ro político e também so- bre o desenvolvimento de Campo Mourão. “A con- versa com ele foi muito proveitosa, me pareceu o pessoa muita integra e muito honesta, além de ser um grande empreen- dedor”, disse a prefeita. “Tenho certeza que iremos fazer uma parceria de sucesso”, ressaltou Re- gina. Na oportunidade, o empresário recebeu da prefeita, um kit personali- zado da festa do Carneiro no Buraco, e também o convite para prestigiar o evento que acontece no próximo mês. Após a visita, Wilson Picler seguiu para Cianor- te onde também tinha um encontro agendado com o prefeito, vice-prefeito, ve- readores e empresários. Bem recepcionado Betinho Lima esteve na festa do Leitão Maturado em Goi- oerê e foi bem recepcionado por onde passou. Betinho já declarou a vontade em disputar a próxima eleição para prefeito, e agora, aproveita para fazer contatos e conver- sar com a população. Bem recepcionado II Betinho não parou um minuto, mostrou disposição de quem realmente esta disposto a encarar uma disputa. Ele ouviu várias palavras de incentivo de pessoas que o cum- primentava. O ex-vereador deverá encabeçar uma chapa composta pelo PSC, PDT, PSDB, PSB, PV e PSL. Junto com o mestre O pré-candidato aproveitou para parabenizar o “criador” do prato típico do município. Em 2003, o ad- vogado Roque Karoleski apresentou o prato a comissão organizadora que, dentre outros, foi o escolhido para ser o prato típico de Goioerê. Com Romanelii OsvereadoresToninhoAmaro(SD)eChiquinho(PSDB),es- tiveramnogabinetedoDeputadoEstadualLuizCláudioRo- manelii (PMDB), os vereadores foram verificar a possibili- dade do recebimento de cobertores para famílias carentes do município. Eles também fizeram pedidos de materiais esportivos para serem destinados aos esportistas de Rancho Alegre. Com Paranhos O presidente do PSC de Rancho Alegre D’Oeste, Claudi- nho Cruz, esteve em Curitiba com o Deputado Estadual Leonaldo Paranhos também do PSC, de quem foi um dos coordenadores de campanha na última eleição. Na con- versa com o deputado mais votado de Rancho Alegre, es- tava a possiblidade de o partido lançar um nome na dis- puta para prefeito ou vice e também uma chapa comple- ta para vereadores. Junto com o PDT Em Rancho Alegre, não está descartada a possibilidade de uma coligação entre PSC e PDT, de Cássio Zanuto, se- gundo integrantes dos dois partidos, as conversas já es- tão bem adiantadas. Pé na estrada O mourãoense Eduardo Faustino será o coordenador do PEN (Partido Ecológico Nacional) em mais de 50 municí- pios. Eduardo não perdeu tempo, na última semana, Wil- son Picler, presidente estadual da sigla e pré-candidato a prefeito de Curitiba, esteve visitando a prefeita de Cam- po Mourão e também o prefeito de Cianorte, reuniões agendadas por ele, no primeiro dia de trabalho. Pastor Pereira vai O pastor José Pereira da Assembleia de Deus Madureira já confirmou sua pré-candidatura a vereador. Pereira re- cebeu o convite para filiação no PEN e nos próximos dias, deverá escolher a sigla na qual deverá disputar a verean- ça. Pastor Pereira agradece Na inauguração da Supercreche no Lar Paraná, o pastor foi convidado para dar uma ben- ção e aprovei- tou para agra- decer a prefeita Regina Dubay e o ex-prefeito Nelson Tureck. Em 2012, a pedido do pastor, Tureck ini- ciou a obra no bairro onde o pastor reside e comanda uma de suas igrejas. “Agradeço ao ex-prefeito e meu amigo Nelson Tureck, por atender meu pedido, e tam- bém, a prefeita Regina Dubay, que concluiu essa obra de grande importância para todos nós”, falou o pastor. Na bronca Em Peabiru, o verea- dor Paulo Avanço can- sou de enviar requeri- mentos solicitando a reforma de pontes. Se- gundo ele, a prefeitu- ra não valoriza os agri- cultores que necessi- tam das estradas rurais para trabalhar e esco- ar a produção. Charge
  3. 3. Página 03PARANÁ NOTÍCIAS Campo Mourão Comcam, 13 e 14 de junho de 2015 Ações sociais atAções sociais atAções sociais atAções sociais atAções sociais atendem cerendem cerendem cerendem cerendem cerca deca deca deca deca de 11111,3 mil menores por mês,3 mil menores por mês,3 mil menores por mês,3 mil menores por mês,3 mil menores por mês Os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) são a porta de entrada para os serviços de proteção social não só dos menores de idade como de famílias que vivem em situação de vulnerabilidade social Dados da Secretaria Municipal de Ação Social indicam que mensalmente cerca de 1,3 mil crianças, adolescentes ou jovens de- pendem do atendimento dos programas sociais ofereci- dos pelo município. O tra- balho é voltado desde a ga- rantir direitos até inserção social, em espaços como Conselho Tutelar, CRAS, CREAS, Centros de Inte- gração e Centro da Juven- tude. O Conselho Tutelar existe para zelar pelos di- reitos, garantindo que o Estatuto da Criança e do Adolescente seja cumprido. Com uma média de atendi- mento de 230 crianças e adolescentes, o órgão rece- be e acompanha o encami- nhamento de denúncias, fis- caliza e toma providências diante de ameaça a direitos. Em Campo Mourão, a maioria dos atendimentos do Conselho é relacionada a abandono de incapaz, se- guido de casos de abusos. Os conselheiros, que traba- lham em escalas de plantão 24 horas, atendem ocorrên- cias a partir de denúncias, fazem operações e também apoiam operações das poli- ciais Militar e Civil, além do Ministério Público. 114 jovens - O município oferece ainda um Serviço de Proteção Social a dolescen- tes em cumprimento de medida socioeducativa de li- berdade assistida e presta- ção de serviço a comunida- de. Hoje a média de atendi- mento é de 114 jovens/mês. A finalidade é dar atenção socioassistencial e acompa- nhamento a adolescentes e jovens em cumprimento de medidas socioeducativas em meio aberto, determinadas judicialmente. “Talvez por fal- ta de melhor informação, muitos acreditam que os adolescentes podem, por exemplo, cometer crimes sem sofrer nenhuma conse- quência. Eles também so- frem as sanções adequadas à idade”, observa a secretá- ria da Ação Social, Anelise Bronzel Dubay. 30 crianças – Cerca de 30 crianças de 0 a 6 anos atu- almente recebem assistên- cia mensal do Serviço de Convivência e Fortaleci- mento de Vínculos. Esse trabalho tem por foco o de- senvolvimento de ativida- des com crianças, familiares e comunidade, prevenindo ocorrência de situações de exclusão social e risco, em especial a violência domés- tica e o trabalho infantil. No município o serviço é reali- zado através do Projeto Crescer, com encontros se- manais, possibilitando a in- teração entre pais e filhos, ampliando trocas culturais e de vivência, despertando o sentimento de pertença e de identidade, incentivando a socialização e a convivên- cia comunitária. O projeto é desenvolvido nas três uni- dades de CRAS. CRAS e CREAS - Os Cen- tros de Referência de Assis- tência Social (CRAS) são a porta de entrada para os serviços de proteção social não só dos menores de ida- de como de famílias que vi- vem em situação de vulne- rabilidade social. O CRAS trabalha na pre- venção a maus tratos físi- cos e psíquicos, abandono, abuso sexual, uso de subs- tâncias psicoativas, situa- ção de rua ou trabalho in- fantil. Semelhante trabalho é realizado no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS). A diferença é que enquanto o CRAS bus- ca prevenir as ocorrências, o CREAS atua com as víti- mas que já tiveram seus direitos violados. Centros de Integração: apoio no contraturno Só nos oito Centros de Integração são atendi- das todo mês cerca de 600 crianças e adolescentes en- tre 6 a 15 anos. “Trata-se de um espaço de convivên- cia e formação para a cida- dania, no contraturno es- colar, com ações pautadas em experiências lúdicas, culturais e esportivas como forma de expressão, intera- ção, aprendizagem, sociabi- lidade e proteção social”, ex- plica o diretor da Secretaria e responsável pelos centros, Sebastião Galdino. As unidades, descen- tralizadas nos bairros de maior vulnerabilidade soci- al, funcionam nos períodos da manhã e tarde, com ali- mentação, apoio às tarefas escolares e oficinas socioe- ducativas. Às famílias são ofertadasoficinasdegeração de trabalho e renda, além do atendimento psicossocial. 65 jovens – Atualmente 65 jovens recebem atendimen- to do Serviço de Convivên- cia para Adolescentes de 15 a 17 anos, visando o forta- lecimento da convivência familiar e comunitária. É voltado a dar assistência a jovens com problemas de frequência na escola. No município, o serviço é ofe- recido através de dois pro- gramas: Pro Jovem Ado- lescente e Formando Cida- dão. Já as atividades no Centro da Juventude, na asa leste, atualmente aten- dem uma média de 320 jo- vens de 12 a 18 anos, com ações socioeducativas, cul- turais e de esporte. AmAmAmAmAmpliada ofpliada ofpliada ofpliada ofpliada oferererererta de conta de conta de conta de conta de convitvitvitvitvites para a 25ªes para a 25ªes para a 25ªes para a 25ªes para a 25ª FFFFFesta do Carneiresta do Carneiresta do Carneiresta do Carneiresta do Carneiro no Buracoo no Buracoo no Buracoo no Buracoo no Buraco Este ano a Comissão Organi- zadora da 25ª Fes- ta Nacional do Carneiro no Bura- co ampliou a ofer- ta de convites para o almoço do prato típico de Campo Mourão que será oferecido dia 12 de julho no Parque de Exposições “Getúlio Ferrari”. Novos 1.980 con- vites serão coloca- dos á venda pelas 14 enti- dades que participam da Festa em 2015. A venda de maior número de convites foi possível com a amplia- ção do numero dos buracos, que passaram de 147 para 180. O preço dos convites é de R$ 30,00 (Adultos) e R$ 15,00 (crianças até 08 anos) e são válidos para três ho- rários diferentes: 11, 12 ou 13 horas, e parte da renda será revertida para entida- des assistenciais. As 14 en- tidades que vão comerci- alizar os convites são: CTR, APAE-Rotary Gra- lha Azul, Santa Casa-Rota- ry Verdes Campos, Provo- par, Caixa, Sonibram, Clu- be da Justiça, CTG Índio Bandeira, Assercam, Sindi- cato Rural, Rotary Clube Campo Mourão, Centros de Educação Infantil-Ce- meis, Acadêmicos da UTF- PR e da Unespar. A Festa Nacional do Carneiro no Buraco será aberta oficialmente na ter- A obra de revitaliza- ção da Estrada Rural do Bar- reiro das Frutas (correspon- dendo ao trecho da BR 272) foi licitada nesta quarta-fei- ra, 10, pela Prefeitura de Campo Mourão. ça-feira, 07, com show da dupla Munhoz e Mariano e segue até dia 12 no Par- que de Exposição de Cam- po Mourão, com diversas outras atrações. Em seis dias de realização, o prin- cipal evento da cidade deve receber mais de 180 mil vi- sitantes. Rainha - A estudan- te universitária Juliana Aparecida Toríbio Cale- gher, 19, foi eleita Rainha da 25ª Festa Nacional do Car- neiro no Buraco em um concurso que lotou o Tea- tro Municipal, na noite des- ta quarta-feira, 3. Onze can- didatas disputaram a coroa para representar a beleza da mulher mourãoense na fes- ta que acontece juntamen- te com a Exposição Feira Agropecuária, Comercial de Industrial, de 7 a 12 de julho no Parque de Exposi- ções Getúlio Ferrari. O con- curso foi promovido pelo Município de Campo Mou- rão, através da Fundacam (Fundação Cultural). PrefPrefPrefPrefPrefeitura realiza obras de readeqeitura realiza obras de readeqeitura realiza obras de readeqeitura realiza obras de readeqeitura realiza obras de readequação deuação deuação deuação deuação de estradas na comunidade Pingo D´Aestradas na comunidade Pingo D´Aestradas na comunidade Pingo D´Aestradas na comunidade Pingo D´Aestradas na comunidade Pingo D´Aguaguaguaguagua Apoiando moradores e produtores rurais, garantindo o escoamento de safras, bem como o transporte escolar o Município de Campo Mourão, está realizando obras de rea- dequação em estradas da Co- munidade Pingo D´Àgua (re- gião hortifrutigranjeiros saí- da para a Comunidade Barrei- ro das Frutas). Ao todo são cinco quilô- metros de melhorias de estra- das, contando com o levanta- mento, escoamento de águas pluviais e cascalhamento com- Licitada obra de revitalização da Estrada do Barreiro das Frutas OBRAS Quatro empresas partici- param do processo e a vence- dora foi a Liotto e Silva Ltda que executará a obra com 9.727 metros quadrados ao custo de R$ 2.693.733,91. A recuperação da via será executada com recursos própri- os do município de Campo Mourão, sendo que R$ 1.297.000,00 é oriundo de so- bras de recursos da Câmara Municipal. A prefeita Regina Dubay argumenta que a obra atende grande parte de moradores e produtores da zona rural, me- lhorando o deslocamento dos moradores, garantindo o esco- amento das safras, bem como o transporte escolar. PrefPrefPrefPrefPrefeitura adqeitura adqeitura adqeitura adqeitura adquireuireuireuireuire nononononovvvvvos vos vos vos vos veículos paraeículos paraeículos paraeículos paraeículos para SecreSecreSecreSecreSecretaria detaria detaria detaria detaria de AAAAAgricultura e Meiogricultura e Meiogricultura e Meiogricultura e Meiogricultura e Meio AmbientAmbientAmbientAmbientAmbienteeeee Renovando a frota de veículos egarantindoeficiênciaeeconomiados trabalhosvoltadosapopulação,aPre- feitura de Campo Mourão adquiriu mais três utilitários marca Fiat Strada para ações da Secretaria Municipal de AgriculturaeMeioAmbiente(Seama). Ao todo foram investidos R$ 122 mil nas aquisições, recursos oriundos da Fundeflor. A prefeita Regina Dubay partici- pou da entrega das chaves juntamen- te com o diretor da Seama, Ademir Franco de Lima “Pezão”, na tarde des- ta quinta-feira, 11, quando falou dos investimentos no setor de Agricultura e Meio Ambiente. Ela lembrou que a administraçãomunicipalvemadquirin- do veículos para todos os setores ga- rantindoaqualidadedosserviços.“Re- novandoafrotaestamosinvestindono patrimôniodomunicípio,melhorando os serviços de todos os setores”, disse a prefeita, relacionando que a Prefei- tura vem adquirindo automóveis, uti- litários, caminhões e maquinários. pactado, executados através de Secretaria de Obras e Serviços Públicos. Na última semana, o se- cretário de Obras e Serviços Públicos, César Stanziola, es- teve vistoriando os trabalhos. Ele argumenta que as melho- rias atendem aos anseios da co- munidade rural e vêm sendo executados com recursos pró- prios. Também estão sendo rea- lizados trabalhos na região da Usina Mourão, divisa com Lui- ziana e no Distrito de Piquirivaí.
  4. 4. Página 04 Comcam, 13 e 14 de junho de 2015 PARANÁ NOTÍCIAS De segunda a sábado R$ 14,00 - Domingos e feriados R$ 16,00 - Marmitex pequena R$ 7,00 - Média R$ 9,00 - Grande R$ 11,00 Rua Santa Catarina, 2120 - Centro - Campo Mourão PR Fone: (44) 3017-1141 O restaurante do Moacir, localizado na área central de Campo Mourão, vem se tornando ponto de encontro de pessoas de toda região. A passeio ou a trabalho, muitas pessoas tem preferido o restaurante para fazer uma saborosa refeição. Com preços acessíveis e uma ótima qualidade,o restaurante já virou referencia na região da Comcam. O Governo do Para- ná já aplicou nos quatro pri- meiros meses de 2015 cerca de R$ 1,1 bilhão para cus- tear, fortalecer e ampliar as ações de saúde pública em todo Estado. São pelo me- nos R$ 720 milhões em re- cursos próprios do Tesouro Estadual que refletem em melhorias significativas na qualidade do atendimento prestado à população para- naense. Os dados foram divul- gados nesta terça-feira, 09, pelo secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, na apresentação do relatório quadrimestral na Assembleia Legislativa, em Curitiba. De acordo com o secretário, os recursos fa- zem parte do maior orça- mento já reservado na his- tória do Estado para a área da saúde. “Isso mostra que con- tinuamos investindo pesado para proporcionar mais e melhor saúde a todos os pa- ranaenses”, ressaltou Capu- to Neto. “Até o final do ano vamos aplicar R$ 4,4 bi- lhões no setor, garantindo um atendimento digno e de qualidade em todas as regi- ões”, afirmou. Segundo o diretor- geral da Secretaria da Saú- de, Sezifredo Paz, neste pri- meiro quadrimestre o go- verno estadual investiu principalmente na abertura de novos serviços de saúde, na entrega de equipamentos a hospitais e municípios, no reforço à estrutura de trans- porte de pacientes e na ca- pacitação de milhares de profissionais. “Todo esse processo de fortalecimento da rede pública de saúde teve impac- to em áreas prioritárias, como a atenção materno- infantil, o atendimento de urgência e emergência, a oferta de serviços especiali- zados, o transplante de ór- gãos e a doação de sangue”, destacou. PARLAMENTARES - 12 deputados estiveram pre- sentes na audiência e acom- panharam como está o an- damento dos principais pro- jetos da política estadual de saúde. Para o presidente da Comissão de Saúde Pública da Assembleia, deputado estadual Dr. Batista, os en- contros favorecem o diálo- go entre o poder legislativo e o executivo. “Temos o compro- misso de fiscalizar o que o governo está fazendo. Con- tudo, também somos a voz da sociedade e por isso de- sempenhamos o papel de dar sugestões aos gestores visando atender as deman- das da população”, declarou o deputado. BOX - Destaques apresen- tados pelo secretário no pri- meiro quadrimestre: REDES - A Rede Mãe Pa- ranaense vem sendo forta- lecida com o aprimoramen- to dos processos de traba- lho, bem como a incorpora- ção de novos serviços de saúde. Mais dois hospitais foram habilitados para se tornarem refe- rências de atendi- mento para ges- tação de risco in- termediário nas regiões de Gua- rapuava e Telê- maco Borba. O Estado está desenvolvendo um projeto-pilo- to para a implan- ta-ção da metodologia de “gestão de caso” em diversas regiões. O objetivo é garan- tir um atendimento diferen- ciado a mães e bebês com alto grau de vulnerabilida- de, prevenindo mortes evitá- veis. Na área de urgência e emergência, o destaque fi- cou por conta da aplicação de R$ 8 milhões para o cus- teio das atividades dos Sa- mus Regionais, que auxili- am no atendimento pré-hos- pitalar de 80% da população paranaense. Também foi re- alizada uma série de capaci- tações para atualizar os pro- fissionais que atuam nos di- versos pontos de atenção da Rede Paraná Urgência. UNIDADES DE SAÚDE – De janeiro a abril, inves- timentos no atendimento básico ofertado pelos muni- cípios também estão dando resultado. Unidades de Saú- de foram inauguradas por todo o Estado. Curitiba, Floraí, Santa Cruz do Mon- te Castelo e Fernandes Pi- nheiro foram algumas das cidades que ganharam no- vas unidades construídas, reformadas ou ampliadas com financiamento estadu- al. Neste período, R$ 6,7 milhões foram destinados para dar andamento às obras e 12,6 milhões para o custeio das ações da atenção primária dos municípios. OBRAS - Entre os serviços que receberam re- cursos do Governo do Es- tado e entraram em funcio- namento neste início do ano estão os 20 leitos de UTI adulto do Hospital Regional João de Freitas, em Arapon- gas; o novo prédio de servi- ços de apoio do Hospital São Vicente de Paulo, em Gua- rapuava; os Centros de Es- pecialidades do Paraná, de Toledo e Cornélio Procópio; o Laboratório Municipal de Curitiba; e o Serviço Inte- grado de Saúde Mental – SIMPR, de Cascavel. Ainda estão em fase de projeto, licitação ou exe- cução as obras dos centros de especialidades de Apuca- rana, Londrina, Guarapua- va, Cascavel, Maringá e Ponta Grossa; do prédio anexo ao Hospital Regional do Litoral (Paranaguá); da UTI do Hospital Regional do Norte Pioneiro (Santo Antônio da Platina); da construção do Hospital Re- gional de Guarapuava, do Hospital do Câncer de Umuarama (UOPECCAN), do Hospital Regional de Te- lêmaco Borba e da Unidade Morumbi da Santa Casa de Paranavaí; além de uma sé- rie de reformas e ampliações em serviços públicos ou fi- lantrópicos de todo o Esta- do. EQUIPAMENTOS - Es- truturas já existentes rece- beram atenção especial nes- te início de 2015. Vários equipamentos foram desti- nados a unidades hospitala- res de todo o Estado, como o Hospital Cristo Rei de Astorga, Hospital Santa Clara de Colorado, hospitais municipais de Loanda e Nova Esperança, Hospital da Providência de Apucara- na, Santa Casa de Maringá, Hospital Metropolitano de Sarandi, Hospital João de Freitas de Arapongas, Hos- pitais Universitários, Hos- pitais Regionais, entre ou- tros. Os aparelhos entre- gues vão desde raio-x até monitores fetais e oxíme- tros de pulso, que são utili- zados para realização do teste do coraçãozinho. So- mente na rede própria, o Estado garantiu pelo menos R$ 8 milhões em novos equipamentos. TRANSPORTE SANI- TÁRIO – O Governo do Estado também deu conti- nuidade ao projeto para me- lhorar o transporte de paci- entes que necessitam reali- zar consultas, exames ou tratamento fora de suas ci- dades de origem. As regiões de Guarapuava e Francisco Beltrão, por exemplo, rece- beram nove ônibus adapta- dos para este fim. IMUNIZAÇÃO – Outra ação que beneficiou indiscri- minadamente todos os mu- nicípios foi o processo de in- formatização das salas de vacina das unidades de saú- de. 1.880 computadores fo- ram entregues às secretari- as municipais de saúde, per- mitindo a atualização em tempo real dos dados refe- rentes ao Sistema de Infor- mação do Programa Nacio- nal de Imunização. OPERAÇÃO VERÃO – Destaque no período, a par- ticipação da área da Saúde na Operação Verão 2014/ 2015 também fez parte do relatório. Os serviços loca- lizados no Litoral fizeram 72.458 atendimentos bási- cos ou emergenciais. Para isso, o Estado contratou mais de cinco mil plantões extras de médicos, enfer- meiros e técnicos de enfer- magem, suprindo assim o aumento na demanda da re- gião. Foram enviados ainda lotes de medicamentos, equipamentos e ambulânci- as, entre outros itens para reforçar a retaguarda de hospitais e prontos socorros do litoral. SOLIDARIEDADE – Na área de Transplantes, o de- sempenho do Paraná foi o melhor dos últimos anos. Dados preliminares apon- tam que de janeiro a abril de 2015 foram 78 doações de órgãos que resultaram em 139 transplantes. Para se ter uma ideia, no mesmo perío- do do ano passado, foram 55 doações e 124 transplantes concretizados. No fim de fevereiro, por exemplo, a Central Es- tadual de Transplantes co- ordenou a maior operação já realizada no Estado para a captação, transporte e transplante de órgãos. Em dois dias foram seis capta- ções de múltiplos órgãos em diversas regiões, o que pos- sibilitou o atendimento de pelo menos 27 pacientes na fila de espera por um trans- plante no Paraná, São Pau- lo e Rio Grande do Sul. A solidariedade dos paranaenses também pôde ser verificada no número de doações de sangue realiza- das no primeiro quadrimes- tre. Com as melhorias pro- movidas nas 22 unidades do Hemepar espalhadas pelo Estado e as constantes cam- panhas de conscientização da população, houve um au- mento de cerca de 20% no número de coletas de san- gue. O crescimento garan- tiu o abastecimento normal de hospitais e serviços de saúde vinculados à Hemor- rede estadual, inclusive em datas críticas como o révei- llon, o carnaval e demais fe- riados. DENGUE – Em relação ao enfretamento à doença, o Estado apoiou as ações de controle ao mosquito trans- missor da doença (Aedes aegypti), principalmente nas cidades em epidemia. Foram destinadas 40 cami- onetes de UVB pesado (fu- macê), 35 nebulizadores costais, lote de medicamen- tos e outros insumos, equi- pe técnica de apoio, testes de diagnóstico laboratorial pelo Laboratório Central do Estado e testes rápidos para o diagnóstico precoce da dengue. GoGoGoGoGovvvvverno do Perno do Perno do Perno do Perno do Paraná já destinou maisaraná já destinou maisaraná já destinou maisaraná já destinou maisaraná já destinou mais de R$ 1 bilhão para saúde em 20de R$ 1 bilhão para saúde em 20de R$ 1 bilhão para saúde em 20de R$ 1 bilhão para saúde em 20de R$ 1 bilhão para saúde em 201111155555
  5. 5. PARANÁ NOTÍCIAS Comcam, 13 e 14 de junho de 2015 Página 05 Piada Respostas (1b – 2c– 3a) Por onde andas? Memória Viva Qual o poder da oração?Qual o poder da oração?Qual o poder da oração?Qual o poder da oração?Qual o poder da oração? A oração nada mais é do que a nossa conversa com Deus, digamos que seja um relacionamento mais estreito com o Pai. Na Bíblia, nós temos uma vasta coleção de fatos que marcaram seu tempo, e ainda, nos ajuda até hoje a compreender a obra reden- tora de Jesus em nossas vi- das. No Antigo Testa- mento, homens de Deus nos mostraram que a oração pode muito em seus efeitos, conquistaram por meio da fé, grandes vitórias nas suas vidas e de seu povo. Vamos ver alguns exemplos: “Elias subiu ao cume do Carmelo, e se inclinou por ter- ra, e meteu o seu rosto entre os joelhos. E disse ao seu moço: Sobe agora e olha para a ban- da do mar. E subiu, e olhou, e disse: Não há nada. Então, disse ele: Torna lá sete vezes. E sucedeu que, à sétima vez, disse: Eis aqui uma pequena nuvem, como a mão de um homem, subindo do mar. En- tão, disse ele: Sobe e diz a Aca- be: Aparelha o teu carro e des- ce, para que a chuva não te apanhe. E sucedeu que, entre- tanto, os céus se enegreceram com nuvens e vento, e veio uma grande chuva; e Acabe subiu ao carro e foi para Jezreel.” (1 Reis 42b-45) O apóstolo Tiago es- creve que Elias era homem comum, ou seja, nós tam- bém somos comuns, esta- mos sujeitos a todo tipo de provação, a diferença está no nosso relacionamento com Deus. Elias era um ho- mem de profunda comu- nhão, então, podemos en- tender que o SENHOR está disposto a nos ouvir tam- bém. Só depende de nós! “Elias era homem sujei- to às mesmas paixões que nós e, orando, pediu que não cho- vesse, e, por três anos e seis meses, não choveu sobre a ter- ra. E orou outra vez, e o céu deu chuva e produziu o seu fruto.” (Tiago 5 :16-18) “Naqueles dias, adoe- ceu Ezequias de morte; e o profeta Isaías, filho de Amós, veio a ele e disse: Assim diz o SENHOR: Or- dena a tua casa, porque morrerás e não viverás. Então, virou o rosto a pa- rede e orou ao SENHOR, dizendo: Ah! SENHOR! Sê servido de te lembrar de que andei diante de ti em verdade e com o coração perfeito e fiz o que era reto aos teus olhos. E chorou Ezequias muitíssimo. Sucedeu, pois, que, não havendo Isaías ainda saído do meio do pátio, veio a ele a pa- lavra do SENHOR, dizendo; Volta e dize a Ezequias, chefe do meu povo: Assim diz o SE- NHOR, Deus de Davi, teu pai; Ouvi a tua oração e vi as tuas lágrimas; eis que eu te sararei; ao terceiro dia subi- rás à Casa do SENHOR. E acrescentarei aos teus dias 15 anos e das mãos do rei da As- síria te livrarei, a ti e a esta cidade; e ampararei esta cida- de por amor de mim e por amor a Davi, meu servo.” (2 Reis 20: 1-6) Naquele tempo o pro- feta Elias e o rei Ezequias não tinham Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, as orações, eram feitas diretas a Jeová, o SENHOR dos Exércitos, o nosso Deus Criador. O homem pelo seu pecado era separado de Deus, mas com a morte e ressurreição de Jesus, o ini- migo foi derrotado e enver- gonhado, e nossos pecados levados com Jesus na cruz do calvário deixando conos- co um novo concerto, uma nova aliança. Oquepodemosenten- der é que o plano de Deus na nossa vida depende mui- to de como nos comporta- mos. Existe uma conexão entre nossas orações e o pla- no de Deus para conosco, muitas vezes, o plano do SE- NHOR pode mudar em nos- sas vidas mediante a uma oração, como foi no caso do rei Ezequias. E hoje o Novo Testa- mento nos ensina que as nossas orações devem ser feitas em nome de Nosso Se- nhor Jesus Cristo, a quem devemos toda honra e toda glória! “E, quando vós estáveis mortos nos pecados e na incir- cunsiçãodavossacarne,vosvi- vificoujuntamentecomele,per- doando todas vossas ofensas, havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas orde- nanças, a qual de alguma ma- neira nos era contraria, e a ti- rou do meio de nós, cravando- a na cruz. E, despojando os principados e potestade, os ex- pôs publicamente e deles triun- fou em si mesmo.” (Colossenses 2: 12-15) Cristo nos ensinou a pedir em seu nome. “Até agora, nada pediste em meu nome; pedis e recebereis, para que a vossa alegria se cumpra.” (João 16: 24) “Disse-lhes Jesus: Por isso, vos digo que tudo o que pedirdes, orando, crede que o recebereis e te-lô-eis.” (Marcos 11: 24) Mas nós temos que pedir com fé, justificar o nome de Jesus, não é sim- plesmente orar como se ti- vesse murmurando, a ora- ção tem que ter ênfase, ou seja, NO NOME DE JE- SUS! O NOME DE JESUS nos purifica de todo mal, de toda opressão, nos livra da seta do diabo. Pedro e João subiam juntos ao templo para orar, e era trazido um varão que desde o ventre de sua mãe era coxo, o qual todos os dias punham a porta do templo para pedir esmolas aos que entravam. Quando ele viu os ho- mens de Deus entrando no templo pediu que lhe des- sem esmolas. “E Pedro, com João, fi- tando os olhos nele, disse: Olha para nós. E olhou para eles, es- perando receber alguma coisa. E disse Pedro: Não tenho pra- ta nem ouro, mas o que tenho, isso te dou. EM NOME DE JESUS CRISTO,o Nazareno,levan- ta-te e anda. E, tomando-o pela mão direi- ta, o levantou, e logo os seus pés etornozelossefirmaram.E,sal- tando ele, pôs-se em pé, e andou, e entrou com eles no templo, an- dando, e saltando, e louvando a Deus. E todopovooviuandar e louvar a Deus.” (Atos 3: 4-9) O poder de Jesus Cristo foi operado por meio dos após- tolos, o próprio Je- sus disse a todos aqueles que crêem iriam fazer as mesmas obras que Ele. “E estes sinais seguirão ao que crerem: em meu nome, expul- sarão demônios; falarão novas línguas; pegarão nas serpentes; e se beberem alguma coisa mor- tífera, não lhes fará dano al- gum; e imporão as mãos sobre os enfermos e os curarão.” (Marcos 18: 17-18) Por que algumas pessoas gostam de orar no monte? Jesus orou no monte algumas vezes (Mateus 14: 2, 26: 36, Marcos 6: 46, Lu- cas 5: 16, 9: 28). A oração no monte não deve substituir a oração da igreja, a oração em nossa casa, em fim, nós devemos orar sempre quando sentir- mos vontade e em qualquer lugar. A oração pode ser em pé, sentadas, ajoelhadas, aca- madas, de mãos levantadas ao céu.“Quero, pois, que os ho- mens orem em todo lugar, le- vantando as mãos santas, sem ira nem contenda.” (1Timóteo 2: 8) Pode ser em silêncio ou em voz alta, o importan- te que a oração seja sincera, muitas pessoas gostam de orar no monte por se sentir mais a vontade, colocam al- gum propósito nas mãos de Deus, ali ele pode orar em voz um pouco mais alta, já que algumas igrejas não são de costume tal prática. É im- portante lembrar que Deus não é Deus de confusão, se não de paz, e tudo aquilo que nós fazermos que seja em nome de Jesus. “Em tudo daí graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convos- co.” (1 Tessalonicenses 5: 18) Conclusão: A Bíblia diz para nós orarmos sem ces- sar(1Tessalonicenses5:17), pois, somente assim, tere- mos a confiança de que se- remos alcançados pela gra- ça de Deus. Não quer dizer que não virão provações e dias difíceis, mas a certeza que nós teremos é que Jesus passará essas lutas junto de nós. (Texto extraído do li- vro “Os Primeiros Passos no Evangelho – Ed Cláudio Ma- chado Cruz) 1- Qual a capital dos Emirados Árabes Unidos? a)Dubai b) Abu Dhabi c) Mossul 2- Em que pais nasceu Arnold Schwarzenegger a) Estados Unidos b) Austrália c) Áustria 3- A palavra Zafimeiro significa: a) Esperto b) Maluco c) Nascido em Zafi Conversa entre Raimundos Em uma roda de jogo detruconumacidadedoin- terior do Ceará, chega um cacheiro viajante. Ele puxa conversa com os ceraren- ses, e resolve perguntar o nome deles. O primeiro res- ponde; Raimundo Nonato. Resolveu perguntar o nome do segundo, e a resposta foi; Raimundo Nonato. In- trigado, o viajante meio sem acreditar, pergunta o nome do terceiro integran- te da mesa de jogo. A res- postafoi na bucha: Raimun- do Nonato. Então olhou para o quarto cearense e pergun- toucomardeironia.Evocê, como se chama? Antes de responder, um dos cearen- ses interrompe a conversa fala para o outro: Respon- de não “Mundinho”, cê num ta vendo que ele ta querendo manga de nóis. (Piada contada por Raimun- do Nonato, assessor do ex- deputado Wilson Picler, em visita a Campo Mourão) PIADA Peabiru nos anos 60 se destacava na produção de café Quem viveu o auge da adolescência no ano de 1990 cer- tamente teve algum romance embalado pela música Quatro Semanas de Amor (versão de Se- aled with a Kiss, escrita por Peter Udell e Gary Geld), interpretada por Luan e Vanessa. A canção, to- cada repetidamente nas rádios, era obrigatória no setlist dos bai- linhos com amigos do colégio. Após o grande sucesso, por onde eles andam mais de 20 anos de- pois? Inicialmenteunidospeloladopro- fissional, os cantores se apaixona- ram e moram nos Estados Unidos há 11 anos com os filhos, Gabriel, de nove anos, e Clara, quatro. Hoje, Vanessa de Carvalho, que começou a carreira no grupo Trem da Alegria ao lado de Patrícia Marx, Juninho Bill e Luciano Nassyn, entre 1986 e 1988, aos 40 anos, se dedica à mú- sica gospel com o marido, Luciano Chaves de Carvalho, o Luan, 42. Eles são donos da produtora Gospa Music, no Texas.
  6. 6. contato: 44-3523-7969 9804-5912 Vendo 1000 peças de roupas seminovas. Lote fechado. Valor R$ 1.50 peça. Valor R$ 480.000,00 (Escriturado) Fone: (44) 9808-2786 AÇÕES DOS VEREADORES DE PEABIRU Página 06 Comcam, 13 e 14 de junho de 2015 PARANÁ NOTÍCIASRegião O vereador Cícero Souza da Silva enviou um ofício ao proprietário da Casa Lotérica do município de Peabiru e a Caixa Eco- nômica Federal, solicitando providências urgentes quanto às melhorias neces- sárias para o atendimento dos munícipes na Lotérica de Peabiru, tais como: espa- ço adequado, bancos para espera, senhas para agilizar o atendimento, climatização do ambiente, manutenção no serviço de limpeza, en- tre outras melhorias para prestar um bom atendimen- to aos clientes. “São inúmeras as re- clamações que recebemos diariamente, nos solicitan- do que seja cobrado provi- dências quanto ao local e atendimento da Lotérica de nosso Município. As recla- mações vão desde o local pequeno e inadequado, filas intermináveis, demora no atendimento, falta de ban- cos para espera, falta de lim- peza, entre outras reclama- ções”, explicou o vereador. O vereador Paulo Sérgio Avanço também enviou um ofício ao Execu- tivo Municipal, solicitando o conserto da calçada que foi danificada quando da extração de uma árvores ao lado da Capela Mortuária, assim como tampe os bura- cos do asfalto na rua em frente a Capela Mortuária. “Com a extração de uma árvore da espécie manguei- ra ao lado da Capela Mor- tuária a calçada foi danifi- cada, o que pode causar al- gum acidente. Como pode- mos observar nas fotos em anexos os buracos no asfal- to em frente à capela estão grandes, o que causa vergo- nha a todos os munícipes, pois nossa capela já não é adequada e os arredores com a calçada quebrada e asfalto cheio de buracos dei- xa o local ainda pior”, aler- tou Paulinho Avanço. Paulo ainda enviou um ofício ao Executivo Mu- nicipal, reiterando pedido já realizado por esta Casa de Leis por diversas vezes na forma escrita e verbal, para que o Executivo Municipal providencie urgentemente que os munícipes que aguardam o agendamento de consultas, esperem na parte interna da Unidade Básica de Saúde – 24 horas. “Nossa solicitação é sim- ples, basta deixar os muní- cipes aguardarem o agenda- mento na parte interna da UBS, esta medida não tra- rá custos ao município e evitará que a população pe- abiruense sofra exposta ao tempo”, argumentou. Ângelo Prudêncio de Brito por meio de indi- cação, solicitou que seja encaminhado ao Executivo Municipal, objetivando in- dicar ao mesmo que: O município reative junto à ASSOCIAÇÃO REGIONAL DE ENGE- NHEIROS E ARQUITE- TOS DE CAMPO MOU- RÃO, o Termo de Coope- ração denominado “CASA FÁCIL”, que tem por fina- lidade estabelecer compro- missos, objetivando facili- tar o acesso da população de baixa renda às condições necessárias para a constru- ção ou reforma de moradia popular, com atendimento a legislação municipal, em especial a Lei de Respon- sabilidade Fiscal. O Casa-Fácil parte do princípio de atender a população de baixa renda com projetos de moradias de até 70m² de forma a re- gularizar sua situação pe- rante as disposições legais instituídas pelas leis vigen- tes, evitando assim, uma série de problemas decor- rentes da má utilização do espaço urbano, fornecendo projetos arquitetônicos adequados à comunidade, de acordo com os parâme- tros legais, e que visem a garantia das condições de salubridade, habitabilidade e conforto à população atendida pelo programa.O Termo de Cooperação a ser firmado prevê que: O CREA isenta da taxa de A.R.T., entre outros bene- fícios, os projetos de arqui- tetura e execução de obras até o limite de 70m2, às fa- mílias que participam do programa, limitado à ren- da máxima de 3(três) salá- rios mínimos e que não possua nenhuma outra propriedade urbana alem do terreno destinado ao projeto. Por requerimento, o vereador Ângelo Prudên- cio de Brito e Felício Pal- ma Junior, requereram ao Executivo Municipal que seja verificado junto a Se- cretaria de Saúde, e enca- minhado a este o Poder Le- gislativo, no prazo regula- mentar, o número de aten- dimentos realizados pelo SAMU 192 – Noroeste do Paraná, no Município de Peabiru, desde o início do Consórcio Intermunicipal de Urgência e Emergência do Noroeste do Paraná – CIUENP. “Nossa solicita- ção fundamenta-se no exercício da função fiscali- zadora, atribuída pela Constituição Federal, e na Lei orgânica Municipal, ao Poder Legislativo, que pode ser exercida sobre qualquer ato ou fato rela- cionados com a administra- ção pública, neste caso con- creto, trata-se de números de atendimentos executa- dos pelo SAMU 192, No- roeste do Paraná, no Mu- nicípio de Peabiru”, disse- ram eles. Já o vereador Os- mar Pereira - Botinha, so- licitou o envio ofício ao Executivo Municipal, a vi- abilização do recolhimento de entulhos, localizado na Rua Luiz Miguel 38, no Conjunto Dozolina Bassi Zagato. “Trata-se de um pedido dos moradores da localidade, que reclamam que faz tempo que tem en- tulhos na rua e que não é recolhido, causando muitos transtornos”, falou Botinha. Pediu também eu seja enca- minhado ao requerimento ao Diretor do Serviço Autô- nomo de Água e Esgoto de Peabiru, Sr. Luiz Carlos Ber- tipalha, solicitando o encaminhamento a este Poder Le- gislativo, no prazo regulamentar, o que abaixo segue: 1. Relatório de Empenhos Emitidos-Transparência; 2. Cópia do Anexo 10 - Receita; e 3. Cópia do Balanço Financeiro (Anexo 13). 4. Balanço Patrimonial referentes aos seguintes perí- odos: a) Exercício de 2013; c) Janeiro a Abril de 2015. 4. Cópia de Relatório de Empenhos Emitidos-Trans- parência; referente ao seguinte período: Setembro a de- zembro de 2014. Todos emitidos pelo sistema de conta- bilidade do SAAE. Em sua justificativa, o vereador argumenta que a solicitação fundamenta-se no exercício da função fiscali- zadora, atribuída pela Constituição Federal, e na Lei or- gânica Municipal, ao Poder Legislativo, que pode ser exer- cida sobre qualquer ato ou fato relacionados com a admi- nistração pública, neste caso concreto, trata-se de proce- dimentos de análise de despesas executadas pelo SAAE, de Peabiru, a ser exercida pela Câmara Municipal, por meio dos documentos acima solicitados. Por indicação, o ve- reador Claudino de Olivei- ra Lino, solicitou ao Exe- cutivo Municipal, para que o mesmo viabilize a implan- tação do Projeto “Escolinha do Skate” no município de Peabiru, para incentivar a prática do esporte, confor- me projeto em anexo. “O Projeto “ESCOLINHA DE SKATE” é uma iniciativa cidadã cujo objetivo princi- pal é fortalecer a linguagem cultural e a prática esporti- va do skate, através de au- las. Essas aulas serão vol- tadas para todos os jovens, praticantes assíduos, adep- tos, interessados em espor- tes radicais e principalmen- te alunos de escolas públi- cas, mostrando a importân- cia da prática esportiva e o seu benefício para uma vida melhor”, disse Claudinho. Em requerimento, Claudino solicita que seja informado ao Poder Legis- lativo o que esta sendo fei- to com o material retirado do Ginásio de Esportes Ary da Silva para a realização de sua reforma. “Dentre as funções básicas do Poder Legislativo, destaca o exer- cício da fiscalização sobre qualquer ato ou fato rela- cionados com a administra- ção pública local, visando o exercício do controle ex- terno, desempenhando nossa função exigida e ga- rantida constitucionalmen- te”, justificou. AÇÕES DOS VEREADORES DE ARARUNA A Mesa Executiva da Câmara Municipal de Peabiru, representadas pelos vereadores Wilson JarWilson JarWilson JarWilson JarWilson Jardim dedim dedim dedim dedim de CarCarCarCarCarvvvvvalhoalhoalhoalhoalho - Presidente; Antônio PAntônio PAntônio PAntônio PAntônio Pedredredredredro da Silvo da Silvo da Silvo da Silvo da Silvaaaaa Vice-Presidente; Ângelo Prudêncio de BrittÂngelo Prudêncio de BrittÂngelo Prudêncio de BrittÂngelo Prudêncio de BrittÂngelo Prudêncio de Brittooooo - 1º Secretário; OsmarOsmarOsmarOsmarOsmar PPPPPereiraereiraereiraereiraereira - 2º Secretário, requereram ao Executivo Municipal, para que o mesmo encaminhe ao Poder Legislativo, no prazo regulamentar, o que abaixo segue: - Informações acerca dos procedimentos que estão sendo toma- dos, visando a extinção da Empresa Companhia de Desenvolvimento de Peabiru - CODEPE, junto aos Órgãos Federal e Estadual, conforme determina o Tribunal de Contas do Paraná-Processo nº 475774/14. “Nossa solicitação fundamenta-se no exercício da função fiscalizadora, atribuída pela Constituição Fede- ral, e na Lei Orgânica Municipal, ao Poder Legislativo, que pode ser exercida sobre qualquer ato ou fato relacio- nados com a administração pública, neste caso concreto, trata-se de fiscalização acerca dos procedimentos, que tem objetivo extinguir a CODEPE, de Peabiru junto a Órgão Públicos”, pontuaram. O vereador Wagner Malaco solicitou ao Execu- tivo Municipal, para que informe ao Poder Legislativo os seguintes itens: 1º - QUAIS OS VALORES PAGOS MENSALMENTE PARA O CISCOM- CAM- Consórcio Intermunicipal de Saúde da Comunidade ? 2º - QUAIS OS VALORES PAGOS MENSALMENTE PARA SANTA CASA DE MISERICORDIA DE CAMPO MOURÃO? 3º- RELATORIO DETALHADO DOS ATENDIMENTOS FEITOS FORA DO MU- NICIPIO INCLUINDO TODAS AS CIRUR- GIAS ORTOPEDÍCAS? 4º - QUAIS O ENCAMINHAMENTOS FEITOS PELA SECRETARIA MUNICI- PAL? Wagner também requereu que seja envi- ado ao Executivo Municipal, para que por meio do departamento de obras seja realiza casca- lhamento na estrada CASEMIRO DE ABREU que liga a chácara do Carlão e a rod. Bento Fer- nandes Dias. AÇÕES DOS VEREADORES DE JANIÓPOLIS O vereador José Aparecido dos Santos in- dicou ao Executivo Muni- cipal, a possibilidade de sub- sidiar a vacinação contra a gripe Influeza A, para todos os munícipes. “Atendendo aos pro- pósitos desta municipalida- de e buscando acolher rei- vindicações de diversos munícipes, solicito a Vossa Excelência, que realize es- tudos objetivando a possi- bilidade de subsidiar a va- cinação contra a gripe para todos os munícipes”, disse o vereador. “A presente solicita- ção é necessária, haja vista que todas as faixas etárias correm o risco de contrair o vírus da gripe Influenza A, e com a vacinação de to- dos, poderemos evitar o contágio de muitas pesso- as”, concluiu. A prefeitura de Ara- runa concluiu mais uma rua de asfalto CBUQ no Jardim Batista Pintro e Santa Ana. Etambémforamretomadoos trabalhos de solo cimento no jardim sorriso, Santa Ana e Batista Pintro. Segundo o prefeito Fabiano Antoniassi, esses recursos fazem parte um financiamento do SEDU – Secretária de Estado e Desenvolvimento Urbano na ordem de um milhão e 500 mil reais. “Estamos trabalhando e honrando nosso com- promisso com a população de Araruna”, disse o prefeito. PrefPrefPrefPrefPrefeitura de Ararunaeitura de Ararunaeitura de Ararunaeitura de Ararunaeitura de Araruna conclui obrasconclui obrasconclui obrasconclui obrasconclui obras Antes Depois LEGISLATIVO EM DESTAQUE
  7. 7. Comcam, 13 e 14 de junho de 2015 Página 07PARANÁ NOTÍCIAS Geral AROL Chegou ao fim, depois de 44 dias, uma das gre- ves mais absurdas de que se teve notícia nos últimos tempos: a de parte dos professores do Paraná. Não só absurda: também abusiva, violenta e politicamente orientada. O detonador do movimento foi a decisão do governo de proceder a alterações técnicas no paga- mento de um grupo de professores aposentados, o que não acarretaria prejuízo a ninguém. A pauta propriamente salarial só veio depois. A greve foi conduzida pela APP-Sindicato (Associação dos Professores do Paraná), mera franja da CUT e do PT. O partido resolveu se opor ao ajuste fiscal condu- zido no Estado pelo governador tucano Beto Richa — como se sabe, Dilma, quando corta despesas, é uma poeta; se um tucano faz a mesma coisa, é um crimino- so. Não tenho mais paciência para essas práticas mo- ralmente dolosas do petismo. A palavra de ordem do partido no Estado é inviabilizar as medidas de con- tenção de despesas. A greve ganhou repercussão nacional no dia 29 de abril, quando, apelando ao vandalismo, supostos professores — nego-me a crer que fossem, embora, infelizmente, tudo indique que sim — tentaram inva- dir a Assembleia Legislativa, o que já haviam feito antes. Não estavam armados de canetas. Não estavam armados de livros. Não estavam armados de bom sen- so. A coisa era mesmo no pau, na pedra e na porrada. A Justiça tinha determinado que a Polícia Militar pro- tegesse o prédio do Legislativo de uma nova invasão. O confronto entre manifestantes e polícia foi feio. Houve dezenas de feridos — incluindo policiais. Era tudo o que queriam alguns trogloditas, para que pu- dessem, então, posar de vítimas, expondo suas chagas a cinegrafistas e fotógrafos. Fascistoides violentos, que pretendem impedir o funcionamento do Parlamento estadual no muque, na pancada, foram retratados como alvos passivos de uma polícia perversa. Mentira! A imprensa nacional está em Curitiba por causa da Operação Lava Jato. Muitos veículos viram a chan- ce de provar para o PT que não alimentam preconcei- to nenhum em relação ao partido. Tentaram transfor- mar o tucano Richa em vilão, como se o governo do Paraná estivesse à beira do colapso. As televisões — muito especialmente as emissoras locais — fartavam- se em mostrar os policiais em ação (e isso nunca é bo- nito), mas omitiram a violência a que recorreram os ditos manifestantes. O caso é especialmente absurdo porque o Para- ná paga um dos melhores salários do país para os pro- fessores. Aliás, o governo tomou uma providência cor- reta em nome da transparência: publicou na Internet os ganhos de todos eles. Se você clicar aqui, poderá ter acesso aos dados. O sindicato não gostou na inciativa, claro! Pre- feria que prosperasse a falácia de que a categoria vive na penúria. Atenção: o piso para 40 horas no Estado para um professor iniciante é de R$ 3.194,71. Quem recebe abaixo disso não cumpre 40 horas. Ah, sim: dessas 40, 14 são hora-atividade — 35%. Se não for a maior proporção, é uma das maiores. Desdobramentos - A governo do Paraná ofe- receu 1% de ganho real aos servidores em 2017 e se comprometeu a cobrir a inflação de 2015 e 2016. Os dias parados não serão descontados. Hermes Leão, presidente do sindicato, comemora e afirma que a greve foi “amplamente vitoriosa”. E não teme o ridículo: “Foi um orgulho, uma inspiração para o mundo em termos de resistência. E, ao primeiro si- nal de descompromisso do governo, entraremos em greve novamente”. Pelo visto, Leão e seu sindicato ganham quando o povo do Paraná perde. Quem recebe por dias que não trabalhou merece outro nome, que não trabalha- dor ou professor. Nesse caso, a profissão é outra. Noto que o rapaz não dá muita bola para aqueles que foram realmente prejudicados com isso tudo: os alunos — na sua maioria, pobres. O dinheiro que paga os salários do funcionalis- mo não pertence ao governo, não pertence ao gover- nador, não pertence a um partido político. É dinheiro do povo. É espantoso que essa gente se sinta à vonta- de e feliz por, vênia máxima, bater a carteira de pobre. Os petistas do sindicato do Paraná deveriam ouvir o que já disse seu líder espiritual, Luiz Inácio Lula da Silva: greve com pagamento de salário é o mesmo que férias. Nos tempos em que Lula liderava paralisações no ABC paulista, fazia-se um fundo de greve em vez de avançar no bolso do povo. A campanha eleitoral no Paraná começou cedo. E a turma não vai parar. O governo que se prepare para dizer quem é quem e para evidenciar as arma- ções políticas. E a imprensa, especialmente a local (com raras exceções), tenha mais compostura. (Por Reinal- do Azevedo via veja.com) Chega ao fChega ao fChega ao fChega ao fChega ao fim a absurim a absurim a absurim a absurim a absurda eda eda eda eda e violenta greviolenta greviolenta greviolenta greviolenta grevvvvve de pre de pre de pre de pre de profofofofofessores noessores noessores noessores noessores no PPPPParaná. Quem saiu peraraná. Quem saiu peraraná. Quem saiu peraraná. Quem saiu peraraná. Quem saiu perdendo?dendo?dendo?dendo?dendo? Os paranaenses!Os paranaenses!Os paranaenses!Os paranaenses!Os paranaenses!Entre as alte- rações está o fim da reeleição e mandato de cinco anos. Câmara tam- bém reduziu idade mínima de candi- dato a deputado e senador Em 15 dias de votação da pro- posta de reforma política, a Câmara dos Deputados aprovou seis modi- ficações na legisla- ção atual: - fim da reeleição; - mandato de cin- co anos para todos os car- gos eletivos; - redução da idade mínima para candida- tos a senador, deputado e governador; - restrições de acesso de pequenos partidos ao fundo partidário; - alte- ração na data da posse de presidente e governador; - permissão de doações de empresas a partidos. Além dos itens aprovados, os parlamentares também rejeitaram algumas mu- danças estruturais no modelo político brasilei- ro - instituir o voto fa- cultativo nas eleições do país; - alterar o atual siste- ma proporcional com lista aberta para escolha de de- putados; - proposta de elei- ções simultâneas para todos os cargos eletivos; - propos- ta que previa o fim das coli- gações entre partidos nas eleições para a Câmara. Na próxima terça-fei- ra, 16, a Câmara retomará a votação da PEC da refor- ma política, com a análise dos demais itens, entre os quais propostas de mudar a data de posse de prefeitos e de criar uma cota mínima para mulheres parlamenta- res no Congresso Nacional. Por decisão dos líde- res partidários, cada ponto da proposta de emenda à Constituição será votado individualmente, com ne- cessidade de 308 votos para a aprovação de cada item. Ao final, todo o teor da proposta de reforma po- lítica será votado em segun- do turno. Se aprovada, a PEC seguirá para análise do Senado. A intenção do presi- dente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), é fina- lizar o primeiro turno da votação até o final da pró- xima semana e concluir o segundo turno até o térmi- no da primeira semana de julho. Idade mínima - Na sessão desta quinta-feira, 11, o plenário da Câmara aprovou a redução da idade mínima para candidatos a senador (de 35 para 29 anos), para deputado fede- ral ou estadual (de 21 para 18 anos) e para governador (de 30 para 29 anos). Os deputados manti- veram em 21 anos a idade mínima para candidatos a prefeito e em 18 anos a exi- gência para alguém se can- didatar a vereador. Data de posse - Tam- bém nesta quinta, o plená- rio decidiu mudar a data de posse de presidente da Re- pública de 1º para 5 de ja- neiro. Os deputados altera- ram ainda a data de posse dos governadores, atual- mente também no primeiro dia do ano, para 4 de janei- ro, a fim de facilitar a pre- sença deles na cerimônia de posse do presidente. A posse em 1º de ja- neiro dificulta a participa- ção de chefes de Estado es- trangeiros e é objeto de crí- tica recorrente de políticos. Pela proposta aprovada, a nova data já valerá para 2018. Os parlamentares vão avaliar, porém, se instituem uma regra para que o pre- sidente da Câmara ou o pre- sidente do Supremo Tribu- nal Federal (STF) assuma, do dia 1º ao dia 5 de janei- ro, o cargo de chefe de Es- tado até que seja empossa- do o novo presidente da República. Doação de empresas O primeiro tópico aprovado pelos deputados desde o início da discussão da reforma política foi a in- clusão na Constituição Fe- deral da possibilidade de doações de empresas a par- tidos políticos. Pelo texto, pessoa jurídica não poderá financiar candidatos indivi- dualmente. Doações a candidatos terão que ser feitas por pes- soas físicas, que também po- derão doar para os partidos. O tópico da doação de em- presas foi um dos que mais geraram discussões entre os deputados. Isso porque, em 27 de maio, o plenário havia rejeitado emenda de autoria do PMDB que pre- via doação de pessoas jurí- dicas tanto para partidos quanto para campanhas de candidatos. O partido, então, se empenhou para aprovar, pelo menos, a garantia de doação de empresas aos partidos políticos. Contrá- rio à proposta, o PT ques- tionou a continuidade das votações sobre financia- mento de campanha, ale- gando que a derrubada da primeira emenda impedida a continuidade da discussão sobre o tema. No entanto, o presi- dente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), decidiu manter a análise de outros modelos de financiamento, sob o argumento de que, pelo regimento, essas vota- ções eram necessárias, já que o teor das propostas não era idêntico. Reeleição - O fim da reeleição foi aprovado em plenário logo depois da vo- tação sobre financiamento. A proposta foi defendida pelos líderes de todos os partidos da Câmara. A regra só não vai valer para prefeitos eleitos em 2012 e governadores eleitos em 2014, que terão direito a uma última tenta- tiva de recondução. O obje- tivo dessa medida foi garan- tir o apoio de partidos com integrantes atualmente no poder. Mandato de cinco anos - Com a finalidade de “compensar” o fim da ree- leição, o plenário da Câma- ra aprovou fixar em cinco anos o mandato para todos os cargos eletivos. Atual- mente o mandato de sena- dor é de oito anos, e, para os demais cargos eletivos, o mandato é de quatro anos. Para viabilizar a aprovação do texto, PSDB e PT entraram em acordo a fim de estabelecer uma “regra de transição”, segun- do a qual presidente, gover- nadores, deputados federais e estaduais eleitos em 2018 ainda terão mandato de quatro anos, enquanto sena- dores eleitos naquele ano terão mandato de nove anos. Os prefeitos eleitos em 2016 também terão mandato de quatro anos. Assim, o mandato de cinco anos passará a valer a par- tir das eleições municipais de 2020 e presidenciais de 2022. Cláusula de barreira - No dia 28 de maio, os depu- tados aprovaram instituir uma cláusula de barreira para limitar o acesso de par- tidos pequenos a recursos do fundo partidário e ao horário gratuito em cadeia nacional de rá- dio e televisão. Pelo texto, te- rão direito a ver- ba pública e tempo de propa- ganda os parti- dos que tenham concorrido, com candidatos pró- prios, à Câmara e eleito pelo me- nos um repre- sentante para qualquer das duas Casas do Congresso Na- cional. A intenção ao instituir uma cláusula de barreira ou desempenho é evitar a pro- liferação de partidos que só tenham interesse em rece- ber os recursos do fundo partidário ou negociar ali- anças em troca de tempo a mais de televisão. O fundo partidário é formado por dinheiro de multas a partidos políticos, doações privadas feitas por depósito bancário direta- mente à conta do fundo e verbas previstas no Orça- mento anual. Pela legislação atual, 5% do montante total são entregues, em partes iguais, a todos os partidos com es- tatutos registrados no Tri- bunal Superior Eleitoral (TSE). Os outros 95% são distribuídos às siglas na proporção dos votos obti- dos na última eleição para a Câmara. Quanto à propaganda política na TV e no rádio, a legislação prevê a distribui- ção igualitária de um terço do total de tempo disponí- vel a todos os partidos que tenham candidato próprio a cargo eletivo. O restante é reparti- do de forma proporcional ao número de representantes na Câmara dos Deputados filiados ao partido. No caso de haver coligação, é consi- derado o resultado da soma do número de representan- tes de todas as legendas que a integram. (G1) Câmara aprCâmara aprCâmara aprCâmara aprCâmara aprooooovvvvva seis mudanças desde oa seis mudanças desde oa seis mudanças desde oa seis mudanças desde oa seis mudanças desde o início da vinício da vinício da vinício da vinício da voooootação da reftação da reftação da reftação da reftação da reforma políticaorma políticaorma políticaorma políticaorma política
  8. 8. PARANÁ NOTÍCIASPágina 08 Comcam, 13 e 14 de junho de 2015 Especial SociedadeNotícias Aproximadamente 10 mil pessoas participaram da Festa do Leitão Maturado em Goioerê

×