SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
INTOLERÂNCIA NA VISÃO
ESPÍRITA
Tânia Paupitz 2019
“Ninguém sendo perfeito,
seguir-se-á que ninguém
tem o direito de reprender
o seu próximo?
- Certamente que não,
pois cada um de vós
deve trabalhar para o
progresso da
coletividade, e sobretudo
do que estão sob a
vossa tutela.
- Mas, por isso mesmo
deveis fazê-lo com
moderação, para colimar
um fim útil, e não, como
as mais das vezes, pelo
prazer de denegrir...”
- (Allan Kardec –ESE -10)
INTOLERÂNCIA
É uma atitude mental
caracterizada pela falta
de habilidade ou vontade
em reconhecer e
respeitar diferenças em
crenças e opiniões.
Ou seja, as pessoas não
respeitam as diferenças
ou as opiniões dos
outros.
TOLERÂNCIA
Do latim tolerantia, do
verbo tolerare que
significa suportar.
 É uma atitude de
respeito aos pontos de
vista dos outros e de
compreensão para com
suas eventuais
fraquezas. Sentimento
de consideração,
gratidão aos pais, aos
mais velhos, aos
sentimentos alheios.
 TOLERAR é RESPEITAR as pessoas em suas diferenças!
TOLERAR não significa ENGOLIR SAPOS, aceitando de forma
indiscriminada tudo o que se apresente para nós, não é conformar-se
com abusos, não é ser permissivo ,ou ainda, confundir TOLERÂNCIA
COM ATITUDES de covarde resignação ou passividade servil.
A TOLERÂNCIA É UMA VIRTUDE QUE RECONHECE NOS
OUTROS, O DIREITO DE TER OPINIÕES DIFERENTES.
Vemos o cisco no olho do vizinho e não enxergamos a
trave no nosso.
Gostamos de comentar só lado desagradável e desairoso
das pessoas, e isso nos dá prazer.
SERÁ QUE NESSAS CRÍTICAS NÃO ESTAMOS
INCONSCIENTEMENTE PROJETANDO NOS OUTROS O
QUE MAIS OCULTAMOS DE NÓS MESMOS?
NÃO ESTARÍAMOS ASSIM SALIENTANDO NAS PESSOAS
O QUE NÃO TEMOS CORAGEM DE ENCARAR DENTRO DE
NÓS?
- Evangelho Segundo o Espiritismo – Capítulo X – Bem Aventurados os
Misericordiosos : O ARGUEIRO E A TRAVE NO OLHO.
“Porque vês tu, pois, o argueiro no olho do teu irmão,
e não vês a trave no teu olho? Ou, como dizes a teu
irmão:
Deixa-me tirar-te do teu olho o argueiro, quando tens
no teu uma trave?
Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então
verás como hás de tirar o argueiro do olho de teu
irmão.”
Incontestavelmente, é o ORGULHO que leva o
homem a dissimular os seus próprios defeitos, tanto
morais quanto físicos.
Mostrando o mal nos outros, ressaltamos supostas
qualidades que acreditamos possuir.
A censura que façamos a outrem deve antes ser
dirigida a nós próprios procurando indagar se não a
mereceríamos.
Analisemos , identifiquemos e lutemos por extirpar a INTOLERÂNCIA dos
nossos hábitos.
CARACTERÍSTICAS DO INTOLERANTE
a) AUSTERIDADE para com o comportamento dos outros, nas
situações familiares, profissionais ou sociais de modo geral.
b) SEVERIDADE exagerada quando nas funções de mando,
perdendo quase sempre o controle emocional e repreendendo
violentamente algum subalterno que tenha cometido erro.
c) RIGIDEZ nas determinações ou posições tomadas em relação
a alguma penalidade aplicada a alguém que tenha errado e
sobre quem exerça autoridade.
d) RISPIDEZ e maus tratos para com aqueles com quem
convive, agindo com dureza e radical.
e) NÃO ACEITAÇÃO e INCOMPREENSÃO das infrações que
alguém possa cometer, condenando-as inapelavelmente com
julgamento agressivo e depreciativo.
f) PRAZER em denegrir as pessoas, evidenciando, de
preferência os seus defeitos.
RESPEITO ÀS
DIFERENÇAS !
ONDE EXERCITAR A TOLERÂNCIA ?
TRÂNSITO
CONSIGO
PROVOCAÇÕES
BARULHO
TRABALHO
FAMÍLIA
AMIGOS INIMIGOS
Tânia Paupitz
-TER COMPAIXÃO DE QUEM ERRA, PORQUE SEU JUIZ É SUA
PRÓPRIA CONSCIÊNCIA.
-AJUDAR O QUE TOMBA, POIS SUA FRAQUEZA JÁ LHE
CONSTITUI PUNIÇÃO.
-COMPREENDER AS DIFICULDADES ALHEIAS, NO SEU
PROCESSO EVOLUTIVO, TANTO QUANTO QUEREMOS QUE OS
OUTROS SEJAM TOLERANTES CONOSCO.
-CAPACIDADE DE SE COLOCAR NO LUGAR DO OUTRO ,
SENTIR SUAS DIFICULDADES, É UM BOM COMEÇO PARA O
EXERCÍCIO DA TOLERÂNCIA. (Sábio)
Se não pretendes partilhar do sofrimento alheio,
ao menos minora-o com migalhas do que te excede.
Se não queres conviver com a dor do teu irmão,
ajuda-o a tê-la diminuída com aquilo que te esteja ao alcance.
Se defrontas multidões de necessitados e não sabes como
resolver o problema,auxilia o primeiro que te apareça,
fazendo a tua parte.
Se te irrita a lamentação dos que choram,
silencia-a com o teu contributo de amizade.
Imagina-te no lugar de algum deles e saberás o que fazer,
como efeito natural do que gostarias que alguém fizesse por
ti.
TOLERA ! Joana d’ Angelis
A TOLERÂNCIA é uma
manifestação de SABEDORIA,
Uma ELEVADA CONQUISTA da
SENSIBILIDADE ESPIRITUAL
EFETIVADA ATRAVES da
REFORMA INTIMA.
Fruto da compreensão e do
profundo respeito às diferente
expressões da natureza humana.
Capítulo 17
O Homem de
Bem.
O HOMEM DE BEM é aquele que pratica a LEI
da JUSTIÇA, do AMOR e da CARIDADE.
Ao interrogar sua consciência pergunta a si
mesmo: se não a violou , se fez todo bem que
podia, se ninguém pode reclamar dele, se fez
tudo o que gostaria que fizessem para ele.
- ELE RESPEITA nos outros pensamentos
contrários aos seus,
- INDULGENTE para com as fraquezas alheias,
- NÃO SE COMPRAZ EM PROCURAR
DEFEITOS ALHEIOS, nem os coloca em
evidencia,
- ESTUDA suas próprias imperfeições
trabalhando sem cessar para combatê-las,
- O HOMEM DE BEM, enfim
RESPEITA - TOLERA, em seus
semelhantes todos os direitos
dados pela Lei da Natureza, como
gostaria que respeitassem o seu.
No final das contas todos nós
estamos aqui para nos conectarmos
uns com os outros e construirmos
algo juntos !
Torne-se um bom ouvinte, seja
tolerante, aprecie as diferenças e
aprenda com todos.
Pare por um minuto e PENSE em algum infortúnio
que te deu vontade de “explodir” de raiva, onde
sentiu angústia ou, algum tipo de desconforto...

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Obreiros do senhor!
Obreiros do senhor!Obreiros do senhor!
Obreiros do senhor!
Dalila Melo
 
Reconhece se o cristãos pelas suas obras
Reconhece se o cristãos pelas suas obrasReconhece se o cristãos pelas suas obras
Reconhece se o cristãos pelas suas obras
Izabel Cristina Fonseca
 
Capítulo XVI - Evangelho Segundo o Espiritismo
Capítulo XVI - Evangelho Segundo o EspiritismoCapítulo XVI - Evangelho Segundo o Espiritismo
Capítulo XVI - Evangelho Segundo o Espiritismo
grupodepaisceb
 

Mais procurados (20)

Caridade na ótica espirita
Caridade na ótica espiritaCaridade na ótica espirita
Caridade na ótica espirita
 
Obreiros do senhor!
Obreiros do senhor!Obreiros do senhor!
Obreiros do senhor!
 
Dores da Alma, a psicologia das dores humanas
Dores da Alma, a psicologia das dores humanasDores da Alma, a psicologia das dores humanas
Dores da Alma, a psicologia das dores humanas
 
AMAR AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO
AMAR AO PRÓXIMO COMO A SI MESMOAMAR AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO
AMAR AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO
 
O Livre Arbitrio
O Livre ArbitrioO Livre Arbitrio
O Livre Arbitrio
 
Indulgencia
IndulgenciaIndulgencia
Indulgencia
 
Dia De Finados
Dia De FinadosDia De Finados
Dia De Finados
 
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direitaCap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita
 
O Dever e a virtude
O Dever e a virtudeO Dever e a virtude
O Dever e a virtude
 
Reconhece se o cristãos pelas suas obras
Reconhece se o cristãos pelas suas obrasReconhece se o cristãos pelas suas obras
Reconhece se o cristãos pelas suas obras
 
A verdadeira Pureza mãos não lavadas .
A verdadeira Pureza mãos não lavadas . A verdadeira Pureza mãos não lavadas .
A verdadeira Pureza mãos não lavadas .
 
Capítulo XVI - Evangelho Segundo o Espiritismo
Capítulo XVI - Evangelho Segundo o EspiritismoCapítulo XVI - Evangelho Segundo o Espiritismo
Capítulo XVI - Evangelho Segundo o Espiritismo
 
Palestra Espírita - Lei de amor
Palestra Espírita - Lei de amorPalestra Espírita - Lei de amor
Palestra Espírita - Lei de amor
 
Reconhece cristao l.ppt
Reconhece cristao l.pptReconhece cristao l.ppt
Reconhece cristao l.ppt
 
A Beneficência - Palestra Espírita
A Beneficência - Palestra EspíritaA Beneficência - Palestra Espírita
A Beneficência - Palestra Espírita
 
Bem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiososBem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiosos
 
Palestra 29 o homem de bem
Palestra 29 o homem de bemPalestra 29 o homem de bem
Palestra 29 o homem de bem
 
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvaçãoCap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
 
Objetivo da encarnação
Objetivo da encarnaçãoObjetivo da encarnação
Objetivo da encarnação
 
VIVÊNCIA ESPÍRITA
VIVÊNCIA ESPÍRITAVIVÊNCIA ESPÍRITA
VIVÊNCIA ESPÍRITA
 

Semelhante a A INTOLERÂNCIA NA VISÃO ESPÍRITA

Minutos desabedoria
Minutos desabedoriaMinutos desabedoria
Minutos desabedoria
jmpcard
 

Semelhante a A INTOLERÂNCIA NA VISÃO ESPÍRITA (20)

Críticos impiedosos
Críticos impiedososCríticos impiedosos
Críticos impiedosos
 
A intolerancia em nossas vidas
A intolerancia em nossas vidasA intolerancia em nossas vidas
A intolerancia em nossas vidas
 
Minutos desabedoria
Minutos desabedoriaMinutos desabedoria
Minutos desabedoria
 
Estudos do evangelho19
Estudos do evangelho19Estudos do evangelho19
Estudos do evangelho19
 
JAMAIS DEVEMOS NOS DESCULPAR ... nestes casos!!!
JAMAIS DEVEMOS NOS DESCULPAR ... nestes casos!!!JAMAIS DEVEMOS NOS DESCULPAR ... nestes casos!!!
JAMAIS DEVEMOS NOS DESCULPAR ... nestes casos!!!
 
Técnicas de poder1
Técnicas de poder1Técnicas de poder1
Técnicas de poder1
 
Nessahan alita aprofundamento
Nessahan alita   aprofundamentoNessahan alita   aprofundamento
Nessahan alita aprofundamento
 
Abordagem de bioética 08.pptx
Abordagem de bioética 08.pptxAbordagem de bioética 08.pptx
Abordagem de bioética 08.pptx
 
apresentação sobre Abordagem de bioética 08.pptx
apresentação sobre Abordagem de bioética 08.pptxapresentação sobre Abordagem de bioética 08.pptx
apresentação sobre Abordagem de bioética 08.pptx
 
02_Fevereiro/17
02_Fevereiro/1702_Fevereiro/17
02_Fevereiro/17
 
Raiva
RaivaRaiva
Raiva
 
AUTOCONHECIMENTO X AUTOESTIMA
AUTOCONHECIMENTO X AUTOESTIMAAUTOCONHECIMENTO X AUTOESTIMA
AUTOCONHECIMENTO X AUTOESTIMA
 
Familia Que Faz Mal
Familia Que Faz MalFamilia Que Faz Mal
Familia Que Faz Mal
 
Viver Bem
Viver BemViver Bem
Viver Bem
 
Ohomemdebemgrandedesafio 120918080952-phpapp01 (1)
Ohomemdebemgrandedesafio 120918080952-phpapp01 (1)Ohomemdebemgrandedesafio 120918080952-phpapp01 (1)
Ohomemdebemgrandedesafio 120918080952-phpapp01 (1)
 
Decepções
DecepçõesDecepções
Decepções
 
Palestra29ohomemdebem 140705123117-phpapp01
Palestra29ohomemdebem 140705123117-phpapp01Palestra29ohomemdebem 140705123117-phpapp01
Palestra29ohomemdebem 140705123117-phpapp01
 
O Caminho do Homem Superior - David Deida (Tradução Completa).pdf
O Caminho do Homem Superior - David Deida (Tradução Completa).pdfO Caminho do Homem Superior - David Deida (Tradução Completa).pdf
O Caminho do Homem Superior - David Deida (Tradução Completa).pdf
 
Seja feliz , encontre-se
Seja feliz , encontre-seSeja feliz , encontre-se
Seja feliz , encontre-se
 
Os dez mandamentos
Os dez mandamentosOs dez mandamentos
Os dez mandamentos
 

Mais de ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ

Mais de ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ (20)

VICIOS MORAIS E COMPORTAMENTAIS NA VISÃO ESPÍRITA
VICIOS MORAIS E COMPORTAMENTAIS  NA VISÃO ESPÍRITAVICIOS MORAIS E COMPORTAMENTAIS  NA VISÃO ESPÍRITA
VICIOS MORAIS E COMPORTAMENTAIS NA VISÃO ESPÍRITA
 
ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.
ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.
ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.
 
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICASDOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
 
AS DOENÇAS DA ALMA
AS DOENÇAS DA ALMAAS DOENÇAS DA ALMA
AS DOENÇAS DA ALMA
 
AUTOCONHECIMENTO - O CORPO FALA.pdf
AUTOCONHECIMENTO  - O CORPO FALA.pdfAUTOCONHECIMENTO  - O CORPO FALA.pdf
AUTOCONHECIMENTO - O CORPO FALA.pdf
 
A PAZ QUE VEM DE DENTRO.docx
A PAZ QUE VEM DE DENTRO.docxA PAZ QUE VEM DE DENTRO.docx
A PAZ QUE VEM DE DENTRO.docx
 
SONO E SONHOS VISÃO ESPIRITA
SONO E SONHOS VISÃO ESPIRITASONO E SONHOS VISÃO ESPIRITA
SONO E SONHOS VISÃO ESPIRITA
 
IMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docx
IMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docxIMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docx
IMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docx
 
DROGAS VISÃO ESPIRITA
DROGAS VISÃO ESPIRITADROGAS VISÃO ESPIRITA
DROGAS VISÃO ESPIRITA
 
BUDA - HERMANN HESSE.pptx
 BUDA  - HERMANN HESSE.pptx BUDA  - HERMANN HESSE.pptx
BUDA - HERMANN HESSE.pptx
 
O FENOMENO DA PROJEÇÃO
O FENOMENO DA PROJEÇÃOO FENOMENO DA PROJEÇÃO
O FENOMENO DA PROJEÇÃO
 
NOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docx
NOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docxNOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docx
NOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docx
 
PROJEÇÕES e a LEI DO ESPELHO .
PROJEÇÕES e a  LEI DO ESPELHO . PROJEÇÕES e a  LEI DO ESPELHO .
PROJEÇÕES e a LEI DO ESPELHO .
 
DEPRESSÃO - A DOENÇA DA ALMA
DEPRESSÃO -  A DOENÇA DA ALMADEPRESSÃO -  A DOENÇA DA ALMA
DEPRESSÃO - A DOENÇA DA ALMA
 
PP ESTUDA-TE A TI MESMO!
PP ESTUDA-TE A TI MESMO!PP ESTUDA-TE A TI MESMO!
PP ESTUDA-TE A TI MESMO!
 
NIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptx
NIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptxNIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptx
NIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptx
 
REFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptx
REFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptxREFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptx
REFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptx
 
AUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADE
AUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADEAUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADE
AUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADE
 
Somos como um uma pedra preciosa adormecida.
Somos como um  uma pedra preciosa adormecida. Somos como um  uma pedra preciosa adormecida.
Somos como um uma pedra preciosa adormecida.
 
REFORMA INTERIOR
REFORMA INTERIORREFORMA INTERIOR
REFORMA INTERIOR
 

Último

Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
MilyFonceca
 

Último (8)

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
pregacao romanos 12 9-21 honrar uns aos outros.pptx
pregacao romanos    12 9-21  honrar   uns aos outros.pptxpregacao romanos    12 9-21  honrar   uns aos outros.pptx
pregacao romanos 12 9-21 honrar uns aos outros.pptx
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
 
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
 

A INTOLERÂNCIA NA VISÃO ESPÍRITA

  • 2. “Ninguém sendo perfeito, seguir-se-á que ninguém tem o direito de reprender o seu próximo? - Certamente que não, pois cada um de vós deve trabalhar para o progresso da coletividade, e sobretudo do que estão sob a vossa tutela. - Mas, por isso mesmo deveis fazê-lo com moderação, para colimar um fim útil, e não, como as mais das vezes, pelo prazer de denegrir...” - (Allan Kardec –ESE -10)
  • 3. INTOLERÂNCIA É uma atitude mental caracterizada pela falta de habilidade ou vontade em reconhecer e respeitar diferenças em crenças e opiniões. Ou seja, as pessoas não respeitam as diferenças ou as opiniões dos outros. TOLERÂNCIA Do latim tolerantia, do verbo tolerare que significa suportar.  É uma atitude de respeito aos pontos de vista dos outros e de compreensão para com suas eventuais fraquezas. Sentimento de consideração, gratidão aos pais, aos mais velhos, aos sentimentos alheios.  TOLERAR é RESPEITAR as pessoas em suas diferenças!
  • 4. TOLERAR não significa ENGOLIR SAPOS, aceitando de forma indiscriminada tudo o que se apresente para nós, não é conformar-se com abusos, não é ser permissivo ,ou ainda, confundir TOLERÂNCIA COM ATITUDES de covarde resignação ou passividade servil. A TOLERÂNCIA É UMA VIRTUDE QUE RECONHECE NOS OUTROS, O DIREITO DE TER OPINIÕES DIFERENTES.
  • 5. Vemos o cisco no olho do vizinho e não enxergamos a trave no nosso. Gostamos de comentar só lado desagradável e desairoso das pessoas, e isso nos dá prazer. SERÁ QUE NESSAS CRÍTICAS NÃO ESTAMOS INCONSCIENTEMENTE PROJETANDO NOS OUTROS O QUE MAIS OCULTAMOS DE NÓS MESMOS? NÃO ESTARÍAMOS ASSIM SALIENTANDO NAS PESSOAS O QUE NÃO TEMOS CORAGEM DE ENCARAR DENTRO DE NÓS?
  • 6. - Evangelho Segundo o Espiritismo – Capítulo X – Bem Aventurados os Misericordiosos : O ARGUEIRO E A TRAVE NO OLHO. “Porque vês tu, pois, o argueiro no olho do teu irmão, e não vês a trave no teu olho? Ou, como dizes a teu irmão: Deixa-me tirar-te do teu olho o argueiro, quando tens no teu uma trave? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então verás como hás de tirar o argueiro do olho de teu irmão.” Incontestavelmente, é o ORGULHO que leva o homem a dissimular os seus próprios defeitos, tanto morais quanto físicos. Mostrando o mal nos outros, ressaltamos supostas qualidades que acreditamos possuir. A censura que façamos a outrem deve antes ser dirigida a nós próprios procurando indagar se não a mereceríamos. Analisemos , identifiquemos e lutemos por extirpar a INTOLERÂNCIA dos nossos hábitos.
  • 7. CARACTERÍSTICAS DO INTOLERANTE a) AUSTERIDADE para com o comportamento dos outros, nas situações familiares, profissionais ou sociais de modo geral. b) SEVERIDADE exagerada quando nas funções de mando, perdendo quase sempre o controle emocional e repreendendo violentamente algum subalterno que tenha cometido erro. c) RIGIDEZ nas determinações ou posições tomadas em relação a alguma penalidade aplicada a alguém que tenha errado e sobre quem exerça autoridade. d) RISPIDEZ e maus tratos para com aqueles com quem convive, agindo com dureza e radical. e) NÃO ACEITAÇÃO e INCOMPREENSÃO das infrações que alguém possa cometer, condenando-as inapelavelmente com julgamento agressivo e depreciativo. f) PRAZER em denegrir as pessoas, evidenciando, de preferência os seus defeitos.
  • 8. RESPEITO ÀS DIFERENÇAS ! ONDE EXERCITAR A TOLERÂNCIA ? TRÂNSITO CONSIGO PROVOCAÇÕES BARULHO TRABALHO FAMÍLIA AMIGOS INIMIGOS Tânia Paupitz
  • 9. -TER COMPAIXÃO DE QUEM ERRA, PORQUE SEU JUIZ É SUA PRÓPRIA CONSCIÊNCIA. -AJUDAR O QUE TOMBA, POIS SUA FRAQUEZA JÁ LHE CONSTITUI PUNIÇÃO. -COMPREENDER AS DIFICULDADES ALHEIAS, NO SEU PROCESSO EVOLUTIVO, TANTO QUANTO QUEREMOS QUE OS OUTROS SEJAM TOLERANTES CONOSCO. -CAPACIDADE DE SE COLOCAR NO LUGAR DO OUTRO , SENTIR SUAS DIFICULDADES, É UM BOM COMEÇO PARA O EXERCÍCIO DA TOLERÂNCIA. (Sábio)
  • 10.
  • 11. Se não pretendes partilhar do sofrimento alheio, ao menos minora-o com migalhas do que te excede. Se não queres conviver com a dor do teu irmão, ajuda-o a tê-la diminuída com aquilo que te esteja ao alcance. Se defrontas multidões de necessitados e não sabes como resolver o problema,auxilia o primeiro que te apareça, fazendo a tua parte. Se te irrita a lamentação dos que choram, silencia-a com o teu contributo de amizade. Imagina-te no lugar de algum deles e saberás o que fazer, como efeito natural do que gostarias que alguém fizesse por ti. TOLERA ! Joana d’ Angelis
  • 12. A TOLERÂNCIA é uma manifestação de SABEDORIA, Uma ELEVADA CONQUISTA da SENSIBILIDADE ESPIRITUAL EFETIVADA ATRAVES da REFORMA INTIMA. Fruto da compreensão e do profundo respeito às diferente expressões da natureza humana.
  • 13. Capítulo 17 O Homem de Bem. O HOMEM DE BEM é aquele que pratica a LEI da JUSTIÇA, do AMOR e da CARIDADE. Ao interrogar sua consciência pergunta a si mesmo: se não a violou , se fez todo bem que podia, se ninguém pode reclamar dele, se fez tudo o que gostaria que fizessem para ele. - ELE RESPEITA nos outros pensamentos contrários aos seus, - INDULGENTE para com as fraquezas alheias, - NÃO SE COMPRAZ EM PROCURAR DEFEITOS ALHEIOS, nem os coloca em evidencia, - ESTUDA suas próprias imperfeições trabalhando sem cessar para combatê-las, - O HOMEM DE BEM, enfim RESPEITA - TOLERA, em seus semelhantes todos os direitos dados pela Lei da Natureza, como gostaria que respeitassem o seu.
  • 14. No final das contas todos nós estamos aqui para nos conectarmos uns com os outros e construirmos algo juntos ! Torne-se um bom ouvinte, seja tolerante, aprecie as diferenças e aprenda com todos.
  • 15. Pare por um minuto e PENSE em algum infortúnio que te deu vontade de “explodir” de raiva, onde sentiu angústia ou, algum tipo de desconforto...