SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 17
Baixar para ler offline
DOR em sentido geral é a sensação
desagradável e penosa, resultante de
uma lesão, contusão, ferimento ou
funcionamento anômalo de um órgão.
Por extensão o termo se aplica a
sentimentos de tristeza, mágoa, aflição,
pesar, que podem repercutir de
maneira mais ou menos intensa sobre
o organismo, causando mal-estar.
- A doença sempre tem, basicamente, uma origem
espiritual, sendo que a causa poderá ter se dado
na existência atual ou em encarnação anterior.
- Kardec: "As doenças fazem parte das provas e
vicissitudes da vida terrena e são inerentes à
grosseria da nossa natureza material e à
inferioridade do mundo que habitamos.
- As paixões e excessos de toda ordem semeiam
em nós gérmens malsãos, às vezes hereditários.
DOR FÍSICA :Para a medicina da terra a dor física é um
sintoma de alarme, apresentado pelo organismo, dizendo
que algo não vai bem com o seu funcionamento.
Vista desta forma, a dor física deixa de ser uma inimiga e
passa a ser uma grande aliada do nosso organismo ou do
nosso corpo, pois este autêntico alarme revela que
devemos parar e nos cuidar, de forma a atenuar ou aliviar
por completo a sua presença desagradável.
Quando descoberta, a pessoa inicia toda uma vigilância a
fim de não a provocar, agindo de forma a neutralizar a sua
fonte geradora.
DOR MORAL :
É aquela que advém do sofrimento e da emoção e
esta ligada ,as frustrações (expectativas) de não
conseguirmos atingir determinadas metas.
Exemplo:
Agressões Emocionais, vivenciadas dentro das
relações afetivas, que independentemente do
contato físico, ferem moralmente.
 Surge da perda do significado do
sentido de esperança, ela é
reconhecida quando dizemos: QUE
DÓI A ALMA.
As dores espirituais são aquela que
marcam profundamente nosso espírito.
Em geral são originadas por traumas
vividos nessa ou em encarnações
anteriores.
Na maioria das vezes, a doença vem de atos
negligentes, de nós mesmos, direcionados ao
nosso corpo. Hábitos indesejados, excessos, ou
até mesmo vícios. Como já sabemos, o ajuste de
nossas faltas é inexorável.
Mas, também é do nosso conhecimento que as
doenças podem ter causas provenientes de outras
vidas e, assim, pelo princípio da pluralidade das
existências seremos convidados ao ajuste de
contas.
SOMOS O CENTRO E SENHOR DE NOSSO
PRÓPRIO DESTINO !
Ter consciência de que somos os RESPONSAVEIS
pelos acontecimentos de nossa vida, é reconhecer
em si mesmo o referencial manifestador que cria a
realidade, atraindo para si tudo de bom ou ruim que
lhe acontece na vida.
-NOSSOS FATORES INTERNOS DETERMINAM A SAÚDE
DO NOSSO CORPO, BEM COMO , AS DOENÇAS.
-A FORMA MAIS INTELIGENTE DE SUPERARMOS OS
MOMENTOS DE AFLIÇÕES, SERA SEMPRE A
SERENIDADE !
Nosso corpo é o sensor que indica a maneira
como lidamos com os acontecimentos.
 CADA PARTE DELE REFLETE UMA EMOÇÃO.
Todas as alterações metabólicas do nosso
organismo têm sua origem no DESEQUILIBRIO
EMOCIONAL, ocasionados por situações do
ambiente, afetando nossas emoções.
De acordo com nossas ALTERAÇÕES
EMOCIONAIS vamos manter A SAÚDE ou
provocar as DOENÇAS em forma de dor e
sofrimento.
SOMOS OS CAUSADORES DE NOSSAS DOENÇAS !
Problemas
Renais
PRESSÃO
ALTA
TIREÓIDE
PROBLEMAS
CARDÍACOS
PROBLEMAS PARA ESTABELECER VÍNCULOS
AFETIVOS – dependência do outro e necessidade de
apoio.
SOLUÇÃO – A prática do desapego
FUGA ATRAVÉS DE PREOCUPAÇÕES ou
dedicação excessiva aos afazeres.
SOLUÇÃO – Procure realizar suas tarefas da melhor
maneira possível, porem, não se cobre o impossível e
respeite os seus limites.
LIBERDADE DE SERMOS COMO NÓS SOMOS !
SOLUÇÃO: A liberdade é condição natural do ser.
Não significa ter que dominar ou controlar todos
que nos cercam, mas articular a realidade visando
encontrar meios para realizar s/objetivos.
DESÂNIMO E DESMOTIVAÇÃO
SOLUÇÃO: Dê o melhor de si, procurando moldar a
realidade de acordo com seus reais sentimentos.
Sistema Respiratório: A saúde desse sistema é mantida quando a
pessoa interage bem com o meio onde vive, sentindo-se parte integrante
dele. Em geral, problemas respiratórios refletem as dificuldades para se
inteirar com a vida e expressar-se diante das pessoas ao redor.
Sistema Respiratório: A saúde desse sistema é mantida quando a
pessoa interage bem com o meio onde vive, sentindo-se parte integrante
dele. Em geral, problemas respiratórios refletem as dificuldades para se
inteirar com a vida e expressar-se diante das pessoas ao redor.
Sistema Circulatório : capacidade de fluir pela vida, realizar tudo que for
necessário para bem viver, para manifestar as idéias e realizar os
objetivos. As doenças cardiovasculares refletem a maneira indevida
com que as pessoas conduzem sua vida. Elas não preservam aquilo que
brota do seu ser, reprimem-se diante dos obstáculos.
Sistema Urinário: É o referencial da habilidade de se relacionar:
manifestar sentimentos, estabelecer laços afetivos e promover uma
convivência feliz. A pessoa que apresenta complicações renais encontra
muita dificuldade para estabelecer relacionamentos harmoniosos em sua
vida.
A DOR COMO ENSINAMENTO
A DOR COMO ENSINAMENTO
A DOR COMO ENSINAMENTO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A doença da Alzheimer visão espírita
A doença da Alzheimer visão espírita A doença da Alzheimer visão espírita
A doença da Alzheimer visão espírita Felippe Abrao
 
26 de junho 2015 desobsessão preciso passar
26 de junho 2015 desobsessão   preciso passar26 de junho 2015 desobsessão   preciso passar
26 de junho 2015 desobsessão preciso passarLar Irmã Zarabatana
 
Vazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos Existenciais
Vazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos ExistenciaisVazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos Existenciais
Vazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos ExistenciaisFatima Carvalho
 
Série Evangelho no Lar - Cap. 41 - Paciência e Vida
Série Evangelho no Lar - Cap. 41 - Paciência e VidaSérie Evangelho no Lar - Cap. 41 - Paciência e Vida
Série Evangelho no Lar - Cap. 41 - Paciência e VidaRicardo Azevedo
 
Exposicao 28 junho 2011 auto-obsessao
Exposicao 28 junho 2011   auto-obsessaoExposicao 28 junho 2011   auto-obsessao
Exposicao 28 junho 2011 auto-obsessaocaminhodaluz41
 
Seminário: As Terapias Desobsessivas
Seminário: As Terapias DesobsessivasSeminário: As Terapias Desobsessivas
Seminário: As Terapias Desobsessivascostaunicastelo
 
A relação emoção corpo
A relação emoção corpoA relação emoção corpo
A relação emoção corpoDalila Melo
 
A lâmpada do corpo - Saúde Física e Psíquica
A lâmpada do corpo - Saúde Física e PsíquicaA lâmpada do corpo - Saúde Física e Psíquica
A lâmpada do corpo - Saúde Física e PsíquicaAngela Moraes
 
refletindo sobre a obsess�o
refletindo sobre a obsess�orefletindo sobre a obsess�o
refletindo sobre a obsess�oAri Carrasco
 
7ª Oficina dos sentimentos
7ª Oficina dos sentimentos 7ª Oficina dos sentimentos
7ª Oficina dos sentimentos Leonardo Pereira
 

Mais procurados (20)

Saude integral aula 4
Saude integral aula 4Saude integral aula 4
Saude integral aula 4
 
A doença da Alzheimer visão espírita
A doença da Alzheimer visão espírita A doença da Alzheimer visão espírita
A doença da Alzheimer visão espírita
 
Afinas com o que sintonizas grupo
Afinas com o que sintonizas   grupoAfinas com o que sintonizas   grupo
Afinas com o que sintonizas grupo
 
26 de junho 2015 desobsessão preciso passar
26 de junho 2015 desobsessão   preciso passar26 de junho 2015 desobsessão   preciso passar
26 de junho 2015 desobsessão preciso passar
 
Vazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos Existenciais
Vazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos ExistenciaisVazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos Existenciais
Vazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos Existenciais
 
Toc Espiritismo
Toc EspiritismoToc Espiritismo
Toc Espiritismo
 
25/10/1013 OBSESSÃO E DESOBSESSÃO
25/10/1013 OBSESSÃO E DESOBSESSÃO25/10/1013 OBSESSÃO E DESOBSESSÃO
25/10/1013 OBSESSÃO E DESOBSESSÃO
 
Série Evangelho no Lar - Cap. 41 - Paciência e Vida
Série Evangelho no Lar - Cap. 41 - Paciência e VidaSérie Evangelho no Lar - Cap. 41 - Paciência e Vida
Série Evangelho no Lar - Cap. 41 - Paciência e Vida
 
Doenças da alma
Doenças da alma Doenças da alma
Doenças da alma
 
Exposicao 28 junho 2011 auto-obsessao
Exposicao 28 junho 2011   auto-obsessaoExposicao 28 junho 2011   auto-obsessao
Exposicao 28 junho 2011 auto-obsessao
 
Obsessão
ObsessãoObsessão
Obsessão
 
Obsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessãoObsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessão
 
Seminário: As Terapias Desobsessivas
Seminário: As Terapias DesobsessivasSeminário: As Terapias Desobsessivas
Seminário: As Terapias Desobsessivas
 
A relação emoção corpo
A relação emoção corpoA relação emoção corpo
A relação emoção corpo
 
Transtornos mentais na visao espirita
Transtornos mentais na visao espiritaTranstornos mentais na visao espirita
Transtornos mentais na visao espirita
 
A lâmpada do corpo - Saúde Física e Psíquica
A lâmpada do corpo - Saúde Física e PsíquicaA lâmpada do corpo - Saúde Física e Psíquica
A lâmpada do corpo - Saúde Física e Psíquica
 
refletindo sobre a obsess�o
refletindo sobre a obsess�orefletindo sobre a obsess�o
refletindo sobre a obsess�o
 
A cura e auto cura 2
A cura e auto cura 2A cura e auto cura 2
A cura e auto cura 2
 
7ª Oficina dos sentimentos
7ª Oficina dos sentimentos 7ª Oficina dos sentimentos
7ª Oficina dos sentimentos
 
Doenças: Uma Visão Espírita
Doenças: Uma Visão EspíritaDoenças: Uma Visão Espírita
Doenças: Uma Visão Espírita
 

Semelhante a A DOR COMO ENSINAMENTO

A_MEDICINA_E_O_ESPIRITISMO.ppt
A_MEDICINA_E_O_ESPIRITISMO.pptA_MEDICINA_E_O_ESPIRITISMO.ppt
A_MEDICINA_E_O_ESPIRITISMO.pptlincolncvieira
 
Medicina e o espiritismo
Medicina e o espiritismoMedicina e o espiritismo
Medicina e o espiritismosiaromjo
 
Medicinaeoespiritismo 091220141822-phpapp02
Medicinaeoespiritismo 091220141822-phpapp02Medicinaeoespiritismo 091220141822-phpapp02
Medicinaeoespiritismo 091220141822-phpapp02Alberto Barth
 
ELIZETH CORONA - MEDICINA E O ESPIRITISMO
ELIZETH CORONA - MEDICINA E O ESPIRITISMOELIZETH CORONA - MEDICINA E O ESPIRITISMO
ELIZETH CORONA - MEDICINA E O ESPIRITISMOguest9002b0
 
Medicina E O Espiritismo
Medicina E O EspiritismoMedicina E O Espiritismo
Medicina E O EspiritismoAndySans 2008
 
07 perispírito e doenças
07   perispírito e doenças07   perispírito e doenças
07 perispírito e doençasjcevadro
 
Espiritualidade e saúde (fatima)
Espiritualidade e saúde (fatima)Espiritualidade e saúde (fatima)
Espiritualidade e saúde (fatima)Fatima Carvalho
 

Semelhante a A DOR COMO ENSINAMENTO (20)

A doena como caminho
A doena como caminhoA doena como caminho
A doena como caminho
 
A doena como caminho
A doena como caminhoA doena como caminho
A doena como caminho
 
A_MEDICINA_E_O_ESPIRITISMO.ppt
A_MEDICINA_E_O_ESPIRITISMO.pptA_MEDICINA_E_O_ESPIRITISMO.ppt
A_MEDICINA_E_O_ESPIRITISMO.ppt
 
Medicina e o Espiritismo
Medicina e o EspiritismoMedicina e o Espiritismo
Medicina e o Espiritismo
 
A medicina e o espiritismo
A medicina e o espiritismoA medicina e o espiritismo
A medicina e o espiritismo
 
Medicina e o espiritismo
Medicina e o espiritismoMedicina e o espiritismo
Medicina e o espiritismo
 
Medicinaeoespiritismo 091220141822-phpapp02
Medicinaeoespiritismo 091220141822-phpapp02Medicinaeoespiritismo 091220141822-phpapp02
Medicinaeoespiritismo 091220141822-phpapp02
 
Medicina e o_espiritismo
Medicina e o_espiritismoMedicina e o_espiritismo
Medicina e o_espiritismo
 
Medicina e o_espiritismo
Medicina e o_espiritismoMedicina e o_espiritismo
Medicina e o_espiritismo
 
ELIZETH CORONA - MEDICINA E O ESPIRITISMO
ELIZETH CORONA - MEDICINA E O ESPIRITISMOELIZETH CORONA - MEDICINA E O ESPIRITISMO
ELIZETH CORONA - MEDICINA E O ESPIRITISMO
 
Medicina e o_espiritismo
Medicina e o_espiritismoMedicina e o_espiritismo
Medicina e o_espiritismo
 
Medicina e o espiritismo
Medicina e o espiritismoMedicina e o espiritismo
Medicina e o espiritismo
 
Medicina E O Espiritismo
Medicina E O EspiritismoMedicina E O Espiritismo
Medicina E O Espiritismo
 
M E D I C I N A E E S P I R I T I S M O
M E D I C I N A  E  E S P I R I T I S M OM E D I C I N A  E  E S P I R I T I S M O
M E D I C I N A E E S P I R I T I S M O
 
Medicina E O Espiritismo
Medicina E O EspiritismoMedicina E O Espiritismo
Medicina E O Espiritismo
 
Medicina E O Espiritismo
Medicina E O EspiritismoMedicina E O Espiritismo
Medicina E O Espiritismo
 
07 perispírito e doenças
07   perispírito e doenças07   perispírito e doenças
07 perispírito e doenças
 
Espiritualidade e saúde (fatima)
Espiritualidade e saúde (fatima)Espiritualidade e saúde (fatima)
Espiritualidade e saúde (fatima)
 
Cuidado e cura espiritual 25jun2011
Cuidado e cura espiritual 25jun2011Cuidado e cura espiritual 25jun2011
Cuidado e cura espiritual 25jun2011
 
AUTOCONHECER-SE ATRAVÉS DA DOR
AUTOCONHECER-SE ATRAVÉS DA DORAUTOCONHECER-SE ATRAVÉS DA DOR
AUTOCONHECER-SE ATRAVÉS DA DOR
 

Mais de ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ

Mais de ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ (20)

ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.
ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.
ESTUDAR A SI MESMO - A ARTE MAIS DIFICIL.
 
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICASDOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS
 
AS DOENÇAS DA ALMA
AS DOENÇAS DA ALMAAS DOENÇAS DA ALMA
AS DOENÇAS DA ALMA
 
AUTOCONHECIMENTO - O CORPO FALA.pdf
AUTOCONHECIMENTO  - O CORPO FALA.pdfAUTOCONHECIMENTO  - O CORPO FALA.pdf
AUTOCONHECIMENTO - O CORPO FALA.pdf
 
A PAZ QUE VEM DE DENTRO.docx
A PAZ QUE VEM DE DENTRO.docxA PAZ QUE VEM DE DENTRO.docx
A PAZ QUE VEM DE DENTRO.docx
 
SONO E SONHOS VISÃO ESPIRITA
SONO E SONHOS VISÃO ESPIRITASONO E SONHOS VISÃO ESPIRITA
SONO E SONHOS VISÃO ESPIRITA
 
IMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docx
IMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docxIMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docx
IMPORTANCIA DO SILENCIO JOANA DE ANGELIS.docx
 
DROGAS VISÃO ESPIRITA
DROGAS VISÃO ESPIRITADROGAS VISÃO ESPIRITA
DROGAS VISÃO ESPIRITA
 
BUDA - HERMANN HESSE.pptx
 BUDA  - HERMANN HESSE.pptx BUDA  - HERMANN HESSE.pptx
BUDA - HERMANN HESSE.pptx
 
O FENOMENO DA PROJEÇÃO
O FENOMENO DA PROJEÇÃOO FENOMENO DA PROJEÇÃO
O FENOMENO DA PROJEÇÃO
 
NOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docx
NOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docxNOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docx
NOSSO DIAMANTE ADORMECIDO.docx
 
PROJEÇÕES e a LEI DO ESPELHO .
PROJEÇÕES e a  LEI DO ESPELHO . PROJEÇÕES e a  LEI DO ESPELHO .
PROJEÇÕES e a LEI DO ESPELHO .
 
DEPRESSÃO - A DOENÇA DA ALMA
DEPRESSÃO -  A DOENÇA DA ALMADEPRESSÃO -  A DOENÇA DA ALMA
DEPRESSÃO - A DOENÇA DA ALMA
 
PP ESTUDA-TE A TI MESMO!
PP ESTUDA-TE A TI MESMO!PP ESTUDA-TE A TI MESMO!
PP ESTUDA-TE A TI MESMO!
 
NIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptx
NIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptxNIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptx
NIVEIS DE CONSCIENCIA HUMANA pptx
 
REFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptx
REFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptxREFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptx
REFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptx
 
AUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADE
AUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADEAUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADE
AUTOCONSCIENCIA E AUTORRESPONSABILIDADE
 
Somos como um uma pedra preciosa adormecida.
Somos como um  uma pedra preciosa adormecida. Somos como um  uma pedra preciosa adormecida.
Somos como um uma pedra preciosa adormecida.
 
REFORMA INTERIOR
REFORMA INTERIORREFORMA INTERIOR
REFORMA INTERIOR
 
DEPRESSAO X ATUALIDADE VISÃO ESPIRITUALISTA
DEPRESSAO X ATUALIDADE VISÃO ESPIRITUALISTADEPRESSAO X ATUALIDADE VISÃO ESPIRITUALISTA
DEPRESSAO X ATUALIDADE VISÃO ESPIRITUALISTA
 

Último

Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxCelso Napoleon
 
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familiaRESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familiamaysa997520
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - IntroduçãoEbook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - IntroduçãoInsituto Propósitos de Ensino
 
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxLição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxCelso Napoleon
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivoEbook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivoInsituto Propósitos de Ensino
 
slide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaslide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaFranklinOliveira30
 
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptxPIB Penha
 

Último (11)

Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 02
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 02Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 02
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 02
 
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
 
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familiaRESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
 
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdfO Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 03
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 03Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 03
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 03
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - IntroduçãoEbook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 01
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 01Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 01
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 01
 
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxLição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivoEbook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
 
slide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaslide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarística
 
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
 

A DOR COMO ENSINAMENTO

  • 1.
  • 2. DOR em sentido geral é a sensação desagradável e penosa, resultante de uma lesão, contusão, ferimento ou funcionamento anômalo de um órgão. Por extensão o termo se aplica a sentimentos de tristeza, mágoa, aflição, pesar, que podem repercutir de maneira mais ou menos intensa sobre o organismo, causando mal-estar.
  • 3. - A doença sempre tem, basicamente, uma origem espiritual, sendo que a causa poderá ter se dado na existência atual ou em encarnação anterior. - Kardec: "As doenças fazem parte das provas e vicissitudes da vida terrena e são inerentes à grosseria da nossa natureza material e à inferioridade do mundo que habitamos. - As paixões e excessos de toda ordem semeiam em nós gérmens malsãos, às vezes hereditários.
  • 4. DOR FÍSICA :Para a medicina da terra a dor física é um sintoma de alarme, apresentado pelo organismo, dizendo que algo não vai bem com o seu funcionamento. Vista desta forma, a dor física deixa de ser uma inimiga e passa a ser uma grande aliada do nosso organismo ou do nosso corpo, pois este autêntico alarme revela que devemos parar e nos cuidar, de forma a atenuar ou aliviar por completo a sua presença desagradável. Quando descoberta, a pessoa inicia toda uma vigilância a fim de não a provocar, agindo de forma a neutralizar a sua fonte geradora.
  • 5. DOR MORAL : É aquela que advém do sofrimento e da emoção e esta ligada ,as frustrações (expectativas) de não conseguirmos atingir determinadas metas. Exemplo: Agressões Emocionais, vivenciadas dentro das relações afetivas, que independentemente do contato físico, ferem moralmente.
  • 6.  Surge da perda do significado do sentido de esperança, ela é reconhecida quando dizemos: QUE DÓI A ALMA. As dores espirituais são aquela que marcam profundamente nosso espírito. Em geral são originadas por traumas vividos nessa ou em encarnações anteriores.
  • 7.
  • 8. Na maioria das vezes, a doença vem de atos negligentes, de nós mesmos, direcionados ao nosso corpo. Hábitos indesejados, excessos, ou até mesmo vícios. Como já sabemos, o ajuste de nossas faltas é inexorável. Mas, também é do nosso conhecimento que as doenças podem ter causas provenientes de outras vidas e, assim, pelo princípio da pluralidade das existências seremos convidados ao ajuste de contas.
  • 9.
  • 10. SOMOS O CENTRO E SENHOR DE NOSSO PRÓPRIO DESTINO ! Ter consciência de que somos os RESPONSAVEIS pelos acontecimentos de nossa vida, é reconhecer em si mesmo o referencial manifestador que cria a realidade, atraindo para si tudo de bom ou ruim que lhe acontece na vida. -NOSSOS FATORES INTERNOS DETERMINAM A SAÚDE DO NOSSO CORPO, BEM COMO , AS DOENÇAS. -A FORMA MAIS INTELIGENTE DE SUPERARMOS OS MOMENTOS DE AFLIÇÕES, SERA SEMPRE A SERENIDADE !
  • 11. Nosso corpo é o sensor que indica a maneira como lidamos com os acontecimentos.  CADA PARTE DELE REFLETE UMA EMOÇÃO. Todas as alterações metabólicas do nosso organismo têm sua origem no DESEQUILIBRIO EMOCIONAL, ocasionados por situações do ambiente, afetando nossas emoções. De acordo com nossas ALTERAÇÕES EMOCIONAIS vamos manter A SAÚDE ou provocar as DOENÇAS em forma de dor e sofrimento.
  • 12.
  • 13. SOMOS OS CAUSADORES DE NOSSAS DOENÇAS ! Problemas Renais PRESSÃO ALTA TIREÓIDE PROBLEMAS CARDÍACOS PROBLEMAS PARA ESTABELECER VÍNCULOS AFETIVOS – dependência do outro e necessidade de apoio. SOLUÇÃO – A prática do desapego FUGA ATRAVÉS DE PREOCUPAÇÕES ou dedicação excessiva aos afazeres. SOLUÇÃO – Procure realizar suas tarefas da melhor maneira possível, porem, não se cobre o impossível e respeite os seus limites. LIBERDADE DE SERMOS COMO NÓS SOMOS ! SOLUÇÃO: A liberdade é condição natural do ser. Não significa ter que dominar ou controlar todos que nos cercam, mas articular a realidade visando encontrar meios para realizar s/objetivos. DESÂNIMO E DESMOTIVAÇÃO SOLUÇÃO: Dê o melhor de si, procurando moldar a realidade de acordo com seus reais sentimentos.
  • 14. Sistema Respiratório: A saúde desse sistema é mantida quando a pessoa interage bem com o meio onde vive, sentindo-se parte integrante dele. Em geral, problemas respiratórios refletem as dificuldades para se inteirar com a vida e expressar-se diante das pessoas ao redor. Sistema Respiratório: A saúde desse sistema é mantida quando a pessoa interage bem com o meio onde vive, sentindo-se parte integrante dele. Em geral, problemas respiratórios refletem as dificuldades para se inteirar com a vida e expressar-se diante das pessoas ao redor. Sistema Circulatório : capacidade de fluir pela vida, realizar tudo que for necessário para bem viver, para manifestar as idéias e realizar os objetivos. As doenças cardiovasculares refletem a maneira indevida com que as pessoas conduzem sua vida. Elas não preservam aquilo que brota do seu ser, reprimem-se diante dos obstáculos. Sistema Urinário: É o referencial da habilidade de se relacionar: manifestar sentimentos, estabelecer laços afetivos e promover uma convivência feliz. A pessoa que apresenta complicações renais encontra muita dificuldade para estabelecer relacionamentos harmoniosos em sua vida.