O medo de decepcionar By Lia Luft
O receio de decepcionar as outras pessoas pode tornar-se um empecilho em nossa vida.    Este medo faz com que cobremos de ...
Porém, o que geralmente não pensamos é que, nossa primeira preocupação deveria ser  em não decepcionar a nós mesmos.
Quantas vezes acabamos não cumprindo os objetivos que nos havíamos imposto    Nesse caso, passamos por cima de nossos próp...
Abrir mão de si e daquilo que deseja em função do marido, dos filhos, do namorado é uma postura bastante comum para muitas...
Ao fazerem isso, desvalorizam-se e agem como se os sonhos e objetivos que cultivam valessem menos ou pudessem esperar para...
Visto que o futuro é apenas uma hipótese e que somente o momento presente existe, devemos refletir seriamente sobre o hábi...
Essa não é, em absoluto, uma postura egoísta ou individualista diante da vida.    Trata-se isso sim, de não nos anularmos ...
Manter sempre presente em nossa mente quais as metas que desejamos alcançar ou o que necessitamos para sermos felizes, é u...
É importante encontrar o ponto de equilíbrio entre nossas necessidades  e as daqueles com os quais convivemos, sem termos ...
Não me lembro em que momento, percebi que viver deveria ser uma permanente reinvenção de nós mesmos – para não morrermos s...
...Para reinventar-se é preciso pensar: isso aprendi muito cedo.
Apalpar, no nevoeiro de quem somos, algo que pareça uma essência, isso, mais ou menos, sou eu.    Isso é o que eu queria s...
Mais cômodo seria ficar com o travesseiro sobre a cabeça e adotar o lema reconfortante:    “ Parar para pensar, nem pensar”!
...Pensar pede audácia, pois refletir é transgredir a ordem do superficial que nos pressiona tanto.   ...Mas pensar não é ...
Compreender: somos inquilinos de algo bem maior do que o nosso pequeno segredo individual.    É o poderoso ciclo da existê...
Se nos escondermos num canto escuro abafando nossos questionamentos, não escutaremos o rumor do vento nas árvores do mundo...
Os ganhos ou os danos dependem da perspectiva e possibilidades de quem vai tecendo a sua história.     O mundo em si não t...
Viver, como talvez morrer, é recriar-se: a vida não está aí apenas para ser suportada nem vivida, mas elaborada.    Eventu...
...Questionar o que nos é imposto, sem rebeldias insensatas, mas sem demasiada sensatez. Saborear o bom, mas aqui e ali en...
Sonhar, porque se desistimos disso, apaga-se a última claridade e nada mais valerá a pena.  Escapar, na liberdade do pensa...
E que o mínimo que a gente faça seja, a cada momento, o melhor que afinal se conseguiu fazer.
CRÉDITOS Formatação: Prado Slides E-mail:  [email_address] Autora do texto: Lia Luft (Extraído do livro “Pensar é transgre...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O Medo De Decepcionar

759 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
759
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Medo De Decepcionar

  1. 1. O medo de decepcionar By Lia Luft
  2. 2. O receio de decepcionar as outras pessoas pode tornar-se um empecilho em nossa vida.   Este medo faz com que cobremos de nós mesmos uma perfeição impossível de ser alcançada.
  3. 3. Porém, o que geralmente não pensamos é que, nossa primeira preocupação deveria ser  em não decepcionar a nós mesmos.
  4. 4. Quantas vezes acabamos não cumprindo os objetivos que nos havíamos imposto   Nesse caso, passamos por cima de nossos próprios sentimentos e deixamos de lado nossos sonhos, como se eles não tivessem importância.
  5. 5. Abrir mão de si e daquilo que deseja em função do marido, dos filhos, do namorado é uma postura bastante comum para muitas pessoas.
  6. 6. Ao fazerem isso, desvalorizam-se e agem como se os sonhos e objetivos que cultivam valessem menos ou pudessem esperar para um dia, quem sabe, serem concretizados.
  7. 7. Visto que o futuro é apenas uma hipótese e que somente o momento presente existe, devemos refletir seriamente sobre o hábito de protelar a conquista de nossos anseios mais profundos. Muitas vezes a vida poderá não nos dar uma segunda chance.
  8. 8. Essa não é, em absoluto, uma postura egoísta ou individualista diante da vida.   Trata-se isso sim, de não nos anularmos em função seja de quem for, para que um dia não cobremos dos demais a não realização de nossos sonhos e nossa conseqüente frustração.
  9. 9. Manter sempre presente em nossa mente quais as metas que desejamos alcançar ou o que necessitamos para sermos felizes, é uma forma eficaz de não abdicarmos de nossa vida para satisfação dos demais.
  10. 10. É importante encontrar o ponto de equilíbrio entre nossas necessidades e as daqueles com os quais convivemos, sem termos que sempre abrir mão ou fazer concessões quanto a nossas próprias escolhas.
  11. 11. Não me lembro em que momento, percebi que viver deveria ser uma permanente reinvenção de nós mesmos – para não morrermos soterrados na poeira da banalidade embora pareça que ainda estamos vivos.
  12. 12. ...Para reinventar-se é preciso pensar: isso aprendi muito cedo.
  13. 13. Apalpar, no nevoeiro de quem somos, algo que pareça uma essência, isso, mais ou menos, sou eu.   Isso é o que eu queria ser, acredito ser, quero me tornar ou já fui.   Muita inquietação por baixo das águas do cotidiano.
  14. 14. Mais cômodo seria ficar com o travesseiro sobre a cabeça e adotar o lema reconfortante:   “ Parar para pensar, nem pensar”!
  15. 15. ...Pensar pede audácia, pois refletir é transgredir a ordem do superficial que nos pressiona tanto.   ...Mas pensar não é apenas a ameaça de enfrentar a alma no espelho: é sair para as varandas de si mesmo e olhar em torno, e quem sabe finalmente respirar.
  16. 16. Compreender: somos inquilinos de algo bem maior do que o nosso pequeno segredo individual.   É o poderoso ciclo da existência.   Nele todos os desastres e toda a beleza têm significado como fases de um processo.
  17. 17. Se nos escondermos num canto escuro abafando nossos questionamentos, não escutaremos o rumor do vento nas árvores do mundo.   Nem compreenderemos que o prato das inevitáveis perdas pode pesar menos do que o dos possíveis ganhos.
  18. 18. Os ganhos ou os danos dependem da perspectiva e possibilidades de quem vai tecendo a sua história.     O mundo em si não tem sentido sem o nosso olhar que lhe atribui identidade, sem o nosso pensamento que lhe confere alguma ordem.
  19. 19. Viver, como talvez morrer, é recriar-se: a vida não está aí apenas para ser suportada nem vivida, mas elaborada.   Eventualmente re-programada. Conscientemente executada. Muitas vezes, ousada.
  20. 20. ...Questionar o que nos é imposto, sem rebeldias insensatas, mas sem demasiada sensatez. Saborear o bom, mas aqui e ali enfrentar o ruim. Suportar sem se submeter, aceitar sem se humilhar, entregar-se sem renunciar a si mesmo e à possível dignidade.
  21. 21. Sonhar, porque se desistimos disso, apaga-se a última claridade e nada mais valerá a pena. Escapar, na liberdade do pensamento, desse espírito de manada que trabalha obstinadamente para nos enquadrar, seja lá no que for. 
  22. 22. E que o mínimo que a gente faça seja, a cada momento, o melhor que afinal se conseguiu fazer.
  23. 23. CRÉDITOS Formatação: Prado Slides E-mail: [email_address] Autora do texto: Lia Luft (Extraído do livro “Pensar é transgredir”) Imagens: Net Música: Elvis Presley And I Love You So

×