Construções no século XVIII

460 visualizações

Publicada em

Pequeno PowerPoint sobre as construções que marcaram o século XVIII.
Bom para estudar....

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
460
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Construções no século XVIII

  1. 1. Grandes construções  Uma parte considerável do ouro do brasil foi utilizada em grandes construções.  As construções de maior investimento realizadas durante o reinado de D. João V pretendiam ser um reflexo da riqueza do reino.  Nas grandes construções, deve realçar-se a talha dourada (usada sobretudo nas igrejas),azulejos e mármores.  D. João V mandou fazer muitas construções para mostrar a sua riqueza e o seu poder. Talha dourada azulejos mármores
  2. 2. Convento de Mafra  O convento de Mafra foi mandado construir por D. João V para comemorar o nascimento do seu primeiro filho.  Foi iniciada em 1717 e ainda estava em curso aquando da morte do rei D.João V, em 1750,e só ficou concluída em 1770, já no reinado de D.José.  O projeto foi de João Frederico Ludovice, um arquiteto alemão residente em Portugal.  O conjunto é composto por um enorme convento, um palácio real e uma basílica.  Tem 40 000 m2 de área e a fachada mede 220 metros  Mobilizou 45 000 trabalhadores e 7 000 soldados.  São famosos a sua biblioteca e os seus carrilhões.  É considerado o maior exemplo do barroco português.
  3. 3. Aqueduto das águas livres  Desde que as populações se começaram a instalar na região de Lisboa, que a escassez de água potável foi muita pois a água do rio tejo era impropria para consumo.  A única área de Lisboa com nascentes de água era o bairro de Alfama. Com o crescimento da cidade cada vez havia menos abastecimento.  Foi ganhando então força a ideia de aproveitar as águas do vale da ribeira de Carenque, na região de Belas.  O aqueduto das águas livres foi uma das mais importantes construções da época.  Como era uma obra de interesse da população de Lisboa, foi decidido que seria pelos seus habitantes, mediante a cobrança de um imposto sobre o preço da carne, do vinho e do azeite vendidos na cidade.  As obras iniciaram-se em 1731 e prolongou-se até 1799.
  4. 4. Palácio do Marquês de Pombal  A sua construção deu-se na segunda metade do século XVIII e foi um projeto de Carlos Mardel, arquiteto húngaro que teve grande importância na reconstrução de Lisboa.  O interior do palácio apresenta um dos melhores conjuntos decorativos do período pombalino, em especial os azulejos.  Nas costas do palácio desenvolvem-se espaços, decorados com estátuas e bustos de mármore e escadarias revestidas de azulejos, no qual se chamam jardins do palácio.
  5. 5. Igreja de S. Francisco - Porto  Os frades Franciscanos estabeleceram-se no Porto no início do século XIII e deram-lhes um terreno para a construção da sua Igreja.  Durante o reinado de D. João I foi realizada uma pintura referente à Senhora da Rosa, atribuída a António Florentim, uma das mais antigas pinturas intactas no país.  A principal campanha artística foi levada a cabo na primeira metade do século XVIII onde a igreja foi revestida com talha dourada barroca.  Em 1833, as instalações conventuais anexas à igreja são destruídas por um incêndio.
  6. 6. Solar de Mateus  O solar de Mateus foi mandado construir na primeira metade do século XVIII por António José Botelho Mourão.  Substitui-se à casa da família já existente no local em inícios do século XVII.  Além do barroco da fachada principal e da riqueza da decoração, composta por cimalhas curvas, frontões, pináculos e estatuária, impressiona o rigor da planta da casa.  Completam o conjunto da casa, a Capela, a biblioteca e a adega.  Em 1911 é classificada como Monumento Nacional.
  7. 7. Palácio das Necessidades  Foi iniciado no século XVIII por D. João V, na sequência de um voto feito a Nossa Senhora das Necessidades, cuja ermida se erguia nesse local.  O palácio tornou-se residência dos reis da Dinastia de Bragança a partir de D. Maria II, exceção feita ao seu filho D. Luís I, que preferiu o Palácio Nacional da Ajuda.  Após a proclamação da república, em 5 de outubro de 1910, tornou-se a sede do Ministério dos Negócios Estrangeiros.
  8. 8. Capela de S. João Batista  Esta capela, foi encomendada por D. João V aos arquitetos romanos Luigi Vanvitelli e Nicola Salvi, em 1740.  É construída entre 1742 e 1747. A 15 de Dezembro de 1744, foi sagrada pelo Papa Bento XIV. Em Setembro desse mesmo ano, foi transportada para Lisboa, em três naus, e assente na Igreja de São Roque.  A Capela de S. João Baptista é uma obra de arte única no seu estilo, pois tem um conjunto de peças de culto riquíssimos.  Além do mármore foram utilizados o mosaico e o bronze dourado. O quadro central e os dois laterais, bem como o pavimento, são em mosaico, trabalho artístico de grande perfeição.

×