Regiões brasileiras 2013

36.808 visualizações

Publicada em

aula sobre as regiões brasileiras

Regiões brasileiras 2013

  1. 1. geocontexto.blogspot.com @tojal7 BRASIL - Regiões
  2. 2. Nosso país é caracterizado por grandes contrastes na paisagem natural e nas formas de ocupação Áreas quentes e úmidas e áreas quentes e secas Densamente urbanizadas e grandes espaços rurais Consideráveis diferenças sociais Altas e baixas densidades demográficas
  3. 3. OIBGEé responsável em coletar e estudar os dados estatísticos, levando em consideração aspectos físicos, humanos, econômicos e sociais Busca uma melhor forma de organizar espacialmente o território brasileiro
  4. 4. EVOLUÇÃODASCLASSIFICAÇÕESREGIONAISDOBRASIL (1913) Considerava apenas aspectos físicos
  5. 5. (1940), considerava mais os critérios de localização do que as características econômicas, físicas e sociais
  6. 6. (1945) elevou de cinco para sete as regiões brasileiras, além de criar seis territórios
  7. 7. (1968) com base na organização da produção, resultado do processo de transformação do espaço nacional em função do desenvolvimento industrial
  8. 8. (1988) criação do estado do Tocantins que deixou de fazer parte da região Centro-Oeste, por suas características naturais
  9. 9. REGIÕESGEOECONÔMICASOUCOMPLEXOS REGIONAIS (1967) Proposta pelo professor Pedro Pinchas Geiger Situação socioeconômica e as relações entre a sociedade e o espaço natural Não se prende aos limites territoriais dos estados Três regiões: Amazônia, Nordeste e Centro-Sul
  10. 10. Núcleo econômico é o Centro-Sul, concentra a melhor estrutura de serviços e a parte mais moderna da indústria e da agricultura do país, mais populosa e urbanizada Nordeste, iniciado nos primeiros momentos da colonização europeia, e também pelo contraste socioeconômico Amazônia, corresponde em grande parte às áreas da Floresta Amazônica, principais atividades da região são ligadas ao setor primário, vazios demográficos
  11. 11. Sul geocontexto.blogspot.com
  12. 12. REGIÃOSUL  Menor área (7%)  População duas vezes maior que o Norte e Centro-Oeste, faz parte do Centro-Sul (27 561 827 hab.)  RS, SC e PR  Clima subtropical  Norte do PR tropical de altitude  Polo turístico, econômico, industrial e cultural  Influência europeia, italiana e germânica  Menores indicadores referentes à mortalidade infantil e os melhores indicadores de educação e saúde  3ª maior renda per capita  Mais altos índices de alfabetização (94,9%)
  13. 13. HISTÓRIA Portugueses e espanhóis lutaram pela posse de terras do Sul Cresceu com a chegada dos primeiros imigrantes europeus Fundaram as primeiras colônias que se tornaram cidades importantes
  14. 14. Menores densidades no extremo sul do RS Região da Campanha Gaúcha, criação de gado e pouca mão de obra
  15. 15. 1960, Modernização do campo levou ao êxodo rural 1. Construção de Brasília 2. Expansão agrícola para o Cerrado em 1970 3. Projetos de colonização daAmazônia
  16. 16. Extrativismo Vegetal na Mata dasAraucárias, utilizadas pelas indústrias moveleiras, construtoras, serraria, papel 25% do pescado Brasileiro Carvão mineral
  17. 17. Agropecuária Produz quase metade da safra nacional de grãos Milho, arroz, feijão, trigo etabaco Mais produz mel, alho, maçã ecebola
  18. 18. Pecuária PR éo maior produtor de suínos 60% dos ovinos Campanha Gaúcha ou Pampa constitui uma excelente pastagem para a criação de gado bovino, extensivo
  19. 19. Indústria Segunda em número de trabalhadores eem valor e volume de produção industrial Industriasse localizam próximas às áreas produtoras de matéria-prima (laticínios e frigoríficos nas áreas de pecuária, indústria madeireira nas zonas de araucárias...)
  20. 20. Região metropolitana de Curitiba é o segundo polo automobilístico daAmérica Latina,Audi, Volkswagen, Renault, Volvo e New Holland  Maior complexo automobilístico fica na região metropolitana de PortoAlegre Vale do Itajaí, em Santa Catarina, indústria têxtil, cujos centros econômicos são Joinville, Blumenau, Itajaí e Brusque, também de softwares em Blumenau  Litoral sul de Santa Catarina desenvolve atividades industriais associadas à exploração do carvão  Caxias do Sul, Garibaldi, Bento Gonçalves e Flores de Cunha, estão instaladas as principais indústrias vinícola do Brasil; nessa região também estão localizadas a Marcopolo (líder mundial na fabricação de carrocerias de ônibus), Tramontina, Eberle (talheres, ferramentas) Randon (implementos rodoviários)
  21. 21. Energia Rica em xisto e carvão mineral Usina termelétrica Jorge Lacerda, SC Energia hidrelétrica em abundância, Itaipu, segunda maior do mundo
  22. 22. Transportes Boa malha rodoviária e ferroviária Duas rodovias federais são as principais vias de transporte de cargas e passageiros: a rodovia BR-101, liga PortoAlegre a Curitiba pelo litoral passando por Florianópolis; ea rodovia BR-116, que liga PortoAlegre a Curitiba pelo interior
  23. 23. Turismo Florianópolis, Foz do Iguaçu, PortoAlegre e Camboriú figuram entre as cidades mais visitadas do país Parque nacional do Iguaçu, onde se localizam as Cataratas do Iguaçu
  24. 24. Nordeste geocontexto.blogspot.com
  25. 25. Maior costa litorânea (3 338 km de praias)
  26. 26. Meio norte Área de transição entre o Maranhão e a porção oeste do Piauí (Amazônia e Sertão) Mata dos cocais Clima equatorial na porção oeste e semiárido a leste
  27. 27. Sertão Semiárido Rio Grande do Norte e Ceará chega ao litoral Chuvas irregulares e escassas Vegetação de Caatinga Rios temporários Rio São Francisco drena parte da região Pecuária extensiva e algodão em grandes propriedades
  28. 28. Agreste Planalto da Borborema Transição Sul da Bahia até o Rio Grande do Norte Obstáculo natural para as chuvas chegarem ao Sertão Minifúndios que abastecem a Zona da Mata
  29. 29. Zona da Mata Área mais urbanizada e povoada Maior número de industrias entre as sub-regiões Rio Grande do Norte até o Sul da Bahia Chuvas abundantes Clima tropical úmido Turismo Solo fértil e vegetação natural de MataAtlântica
  30. 30. Polígono das Secas Criado em 1936 como área prioritária de combate aos efeitos da Seca Quase todo o nordeste (1 510 municípios)
  31. 31. ASPECTOS HUMANOS E ECONÔMICOS
  32. 32. PoloPetroquímicodeCamaçari(1978) maior complexo industrial integrado do Hemisfério Sul e conta com centenas de empresas químicas, petroquímicas e de outros ramos como indústrias automotiva, Ford, celulose, metalurgia de cobre, têxtil, bebidas e serviços
  33. 33. ACRIAÇÃOEA ATUAÇÃO DA SUDENE Criada durante o governo JK  Destinada a promover soluções socioeconômico, atuou nos setores industrial, agropecuário e mineral  Incentivou a isenção fiscal para atrair indústrias produtoras de bens de consumo, como alimentos, calçados e vestuário  Fábricas de bens intermediários que beneficiavam matérias-primas como cloro, potássio e adubos para outras indústrias Durante a ditadura militar se tornou foco de corrupção 2001 foi extinguido e recriado em 2007 com o nome de Agência do Desenvolvimento do Nordeste (Adene)
  34. 34. Os governos estaduais criaram distritos industriais onde os impostos eram reduzidos ou eliminados A região produzia basicamente o que não era fabricado pelo Sudeste, a maior parte da produção da indústria destinava-se ao Sudeste Recife, Fortaleza e Salvador possuíam melhor infraestrutura, como rede de transportes e fontes de energia, os investimentos ficaram concentrados nessas cidades Centro industrial deAratu na Bahia, Distritos de Cabo, Jaboatão e Paulista em Pernambuco, Distrito de Gramame na Paraíba
  35. 35. Agricultura Investimentos em irrigação em áreas do Sertão  Plantações de frutas, como melão, melancia, laranja, manga, uva e cana-de-açúcar (Alagoas responde por mais da metade da produção do NE)  Algodão (Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte)  Tabaco (Bahia)  Caju (Paraíba, Ceará) ComplexoAgroindustrial (frutas e hortaliças)de Petrolina e Juazeiro estende-se por mais de 50 mil hectares semiáridos, atraiu indústrias de embalagens, fertilizantes e rações, equipamentos de irrigação
  36. 36. Pecuária Principalmente rebanho bovino para corte, ou seja, destinado ao aproveitamento da carne, principalmente Bahia, Pernambuco e Ceará No Sertão o rebanho que mais se adapta é o Caprino
  37. 37. Recursos minerais e energéticos Ricoemrecursosminerais,petróleoegásnaturalnaBahia,SergipeeRioGrande doNorte Gásnaturalpodeserexploradoporaté120anos 95%dosalmarinho 95%dogesso(gipsitaemPE) Sal-gema(sodacáustica,xelitaqueseestraiotungstêniousadonafabricaçãode lâmpadas,amianto,cobre,chumbo,cromo)
  38. 38. Turismo Está entre as grandes rotas de turismo no mundo, devido a grande diversidade de praias, paisagens e cultura nordestina Aspectos negativos: Especulação imobiliária que representa risco aos ambientes naturais Turismo sexual Parque Nacional Serra da Capivara
  39. 39. Transporte Piauí e Bahia possuem as vias de pior qualidade PI-140 a segunda pior estrada brasileira (BR-452 a primeira) Quanto a ferrovias, a malha ferroviária nordestina é privatizada 6 capitais nordestinas conta com a presença de trens urbanos, Maceió a primeira capital a ter um VLT
  40. 40. Maioria dos portos são subaproveitados em razão de deficiências infraestruturas Portos de Suape (PE) e Pecém (CE) Itaqui (MA) e Salvador (BA) tem recebido investimentos para se modernizar e se tornarem mais produtivos
  41. 41. Aeroportos de Recife, Fortaleza, Natal, Salvador (sediarão a Copa de 2014) e Maceió estão hoje entre os melhores e mais modernos de toda a rede dos 66 aeroportos da Infraero
  42. 42. População 2ª mais populosa Mal distribuída MAIOR DENSIDADE DO PAÍS 13.024,56 hab./km² é o número registrado em São João do Meriti (RJ), conhecida como "formigueiro das Américas" MENOR DENSIDADE DO PAÍS 0,13 hab./km² é o índice apurado em Japurá (AM)
  43. 43. Fluxos migratórios Seca do Sertão, concentração fundiária Grande oferta de empregos nas décadas de 1960 a 1980 na região Sudeste
  44. 44. DESENVOLVIMENTO HUMANO • Mortalidade infantil, reduziu de 166 para 35 mil • Expectativa de vida, de 41 para 67 anos • População alfabetizada, de 34 para 80% • Abastecimento urbano atinge 66,4% dos domicílios, esgoto chega a apenas 30% deles • 6% possuem computador com acesso à Internet • Apresentam os menores Índices de Desenvolvimento Humano
  45. 45. 19° Bahia: 0,742 (Nordeste) 20° Sergipe: 0,742 (Nordeste) 21° Rio Grande do Norte: 0,738 (Nordeste) 22° Ceará: 0,723 (Nordeste) 23° Pernambuco: 0,718 (Nordeste) 24° Paraíba: 0,718 (Nordeste) 25° Piauí: 0,703 (Nordeste) 26° Maranhão – 0,683 (Nordeste) 27° Alagoas – 0,677 (Nordeste)
  46. 46. Centro-Oeste geocontexto.blogspot.com
  47. 47. Faz limite com as 4 regiões e também com a Bolívia e Paraguai Pouco povoada, população total menor que a de estados como o Rio de Janeiro, Minas Gerais ou Bahia Goiás é o estado mais populoso
  48. 48. Aspectoshumanoseeconômicos
  49. 49. Povoamento Economia integrada ao restante do país somente a partir da expansão da fronteira agrícola (Século XX) Inicialmente, para abastecer o Sudeste e hoje ao mercado externo Construção de Brasília (1960), abertura de estradas, rodovia Belém- Brasília, atraíram contingentes de todo o Brasil Atualmente principal movimento migratório origina-se do Nordeste e Norte, é a região que mais recebe imigrantes
  50. 50. Brasília possui mais habitantes que o Mato Grosso
  51. 51. Economia Ouro e diamantes em Goiás (XVIII) Substituída gradualmente pela agropecuária 9,1% do PIB brasileiro
  52. 52. Agricultura Agricultura de subsistência, Milho, mand ioca, abóbora, feijão e arroz
  53. 53. Áreasagrícolasdemaiorexpressão  Sudeste de Goiás, arroz, algodão, café, milho esoja  Vale do Paranaíba, sul de Goiás, algodão, amendoim e arroz  Sul do Mato Grosso do Sul, soja, arroz, café, algodão, milho e trigo  Campo Grande e Dourados (MS), soja, milho, amendoim etrigo  Cerrado, pecuária extensiva de bovinos, Goiás eMato Grosso, juntos 15% do rebanho nacional  Pantanal (MS), pecuária extensiva
  54. 54. Desafio de aliar o crescimento econômico com a preservação ambiental, grande parte da vegetação local foi devastada devido à adaptação da soja ao solo do Cerrado, e a cultura do grão avança perigosamente para o norte do Mato Grosso, rumo à FlorestaAmazônica
  55. 55. Indústria Setoresdealimentos,deprodutos como adubos,fertilizantes,rações,frigorífico seabatedouros Área mais industrializada estende-se de Goiânia e Brasília, englobandoacidadede Anápolis(alimentícia,têxtil,de produtosmineraisebebidas) MatoGrosso,Cuiabá(alimentose borracha) Goiás,Catalão(Hyundai),RioVerdee Luzilândia(automobilística,alimentose frigoríficos),éoestadomaisindustrializado MatoGrossodoSul,CampoGrande (alimentos),Corumbá(mineração,maciço doUrucum)eTrêsLagoas
  56. 56. Extrativismo mineral Concentração de minério de ferro é muito grande, se destacam o extrativismo do ouro e diamante Maciço de Urucum no Pantanal estão as maiores reservas de manganês do país
  57. 57. Extrativismovegetaleanimal Madeira é o principal produto, principalmente em Mato Grosso, presença da floresta equatorial Extração do Látex, mogno, cedro, imbuia, etc. Exploração da Castanha-do-pará, erva-mate, palmito, quebracho, urucum, piaçaba, usada para fabricar vassouras
  58. 58. Caça e pesca indiscriminada Matança indiscriminada de jacarés (pele), pesca predatória Entre os animais mais dizimados, estão as garças (penas), lontras e ariranhas (peles)
  59. 59. Urbanização Intenso processo de urbanização Cidades-satélitesde Brasília abrigam muitos aglomerados e sérios problemas urbanos “Candangos”, operários que trabalharam na construção da capital Distrito Federal apresenta as melhores taxas de escolaridade emaior renda per capita do país
  60. 60. Turismo Turismo cresceu muito rápido, o que acarretou desequilíbrios ambientais na região Bonito (MS) Pantanal é uma das áreas mais conhecidas, maior bacia inundável do mundo Chapadas, como ados Guimarães eados Veadeiros eo Parque Nacional das Emas (GO) Brasília, pela moderna arquitetura
  61. 61. Transporte Rede pouco desenvolvida, vive uma rápida expansão Rodovias atendem ao agronegócio eàintegração com orestante do país Rios de planície facilitam a navegação, Corumbá (MS) tem o principal porto fluvial
  62. 62. Sudeste geocontexto.blogspot.com
  63. 63. Porção mais dinâmica e desenvolvida do país Situado na parte mais elevada do PlanaltoAtlântico, serras do Espinhaço, da Mantiqueira e do Mar Constituída por formações de relevo arredondados como os mares de morros e pães de açúcar Clima predominante é o tropical de altitude Relevo planáltico, potencial hidrelétrico
  64. 64. Maior população, maior densidade e mais alto índice de urbanização (92%) Duas maiores regiões metropolitanas
  65. 65. Aspectos humanos e econômicos
  66. 66. Agricultura Desenvolvido e diversificado Solos férteis São Paulo possui a agricultura mais moderna, Cana-de-açúcar (50% do total nacional), Laranja (80%), algodão, soja, amendoim ecafé Poucas áreas de subsistência Sul de Minas Gerais, Cana-de- açúcar, Café (51%) Baixada fluminense cana-de- açúcar
  67. 67. Pecuária Pecuária intensiva, bovinos e suínos, raças selecionadas, gado vacinado, produtividade elevada Rebanho bovino 2º maior que favoreceu o surgimento de diversas indústrias leiteiras e de carne Maior produtor nacional de leite
  68. 68. Indústria Apartirde1950,começaramaseinstalarnoBrasilgrandesindústrias automobilísticas,químicas,deMáquinaseequipamentosedeoutrossetores,emgeral multinacionais Asprincipais multinacionais estão sediadas nas duas maiores regiões metropolitanas do país, principalmente na capital paulista eà região do ABCD, além de Osasco e Guarulhos
  69. 69. Transporte Maiores redes rodoviárias e ferroviárias e portos de maior movimento do Brasil Um dos principais corredores de movimentação de cargas e de passageiros do país, a Rodovia Presidente Dutra
  70. 70. Duas ferrovias mais importantes são a E.F. Central do Brasil, ligando Belo Horizonte a Santos, e a E.F. Vitória-Minas, único trem de passageiros que liga duas capitais Navegação Fluvial pouco explorada, hidrovia Tiête-Paraná, que liga São Paulo ao Paraná e ao Mato Grosso
  71. 71. Energiaematériaprima Necessita bastante energia por concentrar quase metade da população nacional 40% da energia nacional produzidas pelas usinas de Furnas, Ilha Solteira, Três Marias, Maribondo, Jupiá,etc. Parte pequena da energia vem das usinas termonucleares Angra I e Angra II Petróleo, principalmente no Rio de Janeiro e Espírito Santos, offshore
  72. 72. Minas Gerais, matérias-primas minerais, destacam-se: ferro, manganês, alumínio (bauxita), níquel, zinco, chumbo, fósforo (fabricação de fertilizantes), ouro, diamantes e pedras preciosas Cabo Frio (RJ), é o segundo maior produtor de sal marinho do Brasil, superado apenas pelo RN
  73. 73. Turismo Rio de Janeiro conhecidopeloconjuntodesuaspaisagens,pelocarnaval São Paulo éoestadoquemaisarrecadacomoturismo,alémdoscentros culturaisedeentretenimento,possuinoturismodenegóciosumaimportantefonte derenda Minas Gerais, comsuascidadeshistóricas,erguidasduranteociclodoouro,no séculoXVIII,principalmenteOuroPreto,Tiradentese Diamantina
  74. 74. População Agrande concentração regional de pessoas morando em cidades pode ser explicada pelos seguintes fatores Industrialização e concentração econômica, que atraíram migrantes de todas as partes do país Modernização do campo e concentração fundiária, que expulsaram grandes contingentes de trabalhadores rurais para as cidades
  75. 75. Norte geocontexto.blogspot.com
  76. 76. Maior bacia hidrográfica do mundo Mais densa eextensa área florestal Região do Brasil onde a paisagem natural mais interfere na ocupação do espaço Pará possui economia mais dinâmica e diversificada No estado doAmazonas, destaca-se a Zona Franca de Manaus
  77. 77. Localizados os dois maiores estados do Brasil Maior munícipio do mundo,Altamira (PA), maior que Alagoas, Sergipe, Rio de Janeiro e Espirito Santo juntos
  78. 78. Povoamento XVII instalação de uma fortificação portuguesa na foz do RioAmazonas, o Forte Presépio, deu origem a cidade de Belém Século XVIII, chegaram as missões religiosas e várias expedições militares organizadas para defender o território
  79. 79. Exploração da borracha começou no fim do século XIX Século XX, imigrantes japoneses introduziram a agricultura da pimenta-do-reino no Pará (1930) Com a decadência do ciclo da borracha, a população se estabilizou
  80. 80. Apartir de 1960, a integração com o restante do país começou a se intensificar por meio de medidas governamentais de caráter econômico e infraestrutura. Dentre elas:  Criação de órgãos com Sudam e Suframa  Incentivo à concretização de projetos agropecuários, para expandir a agricultura e migração para a região  Construção de grandes rodovias,Transamazônica (BR- 230), Cuiabá-Porto Velho (BR-364), Cuiabá-Santarém (BR- 163), Porto Velho-Manaus (BR-319) e Belém-Brasília  Instalação de projetos de exploração mineral, como o Grande Carajás
  81. 81. Agricultura Crescimento da agricultura comercial monocultora e pecuária extensiva Baixa produtividade se comparada com outras regiões
  82. 82.  Apimenta-do-reino voltada para os mercados nacional e internacional  Fibras como a Juta e Malva  Cultivo deArroz nos estados de Tocantins e em Rondônia  Avanço de soja em direção a Tocantins, Pará e Rondônia, que é responsável pela concentração de terra que pode agravar ainda mais alguns problemas sociais
  83. 83. Pecuária Começou a se desenvolver apartir de 1970, a criação de rebanhos bovinos voltado para oabastecimento regional Extensiva Pecuarista responsáveis por cerca de 75% da derrubada de árvores Destaque também para a criação de bufalinos
  84. 84. Extrativismo mineral Duas principais áreas produtoras a Serra dos Carajás ea Serra do Navio 1979 lançado o Projeto Grande Carajás, que visava ao desenvolvimento de infraestruturas que facilitassem a exploração ea exportação dos minérios da região como a Usina deTucuruí, estrada de ferro Carajás e porto de Ponta Madeira
  85. 85. Extrativismo vegetal Século XVIII abusca pelas drogas do sertão (cacau, cravo, guaraná, urucum, baunilha) Segunda metade do século XIX iniciou o ciclo da Borracha até aproximadamente 1920 Atividade madeireira fornece cerca de 85% da madeira consumida no país Destaque também acastanha eo palmito-açaí
  86. 86. Indústria Menos industrializada do país Para atrair investimentos de outras partes do país o governo passou a fornecer uma série de incentivos fiscais, isenção de impostos, doação de terrenos Zona Franca de Manaus (1967), isenção de impostos de importação para os componentes dos produtos que fossem montados em Manaus Mais de 500 empresas, maioria industrias maquiladoras
  87. 87. Energia Pequeno consumo, 7% de todo o país Comprometida por apresentar topografia plana, baixa densidade e elevada taxa de população rural 6usinas hidrelétricas: Balbina (AM), Samuel (RO), Coaracy Nunes (AP), Curuá-Uma (PA),Tucuruí (PA) maior hidrelétrica 100% nacional e Lajedo (TO)
  88. 88. UsinadeBalbina, considerada um erro devido à baixa geração em relação à área alagada, o lago formado libera gás metano Dificilmente haverá no planeta um monumento à estupidez como a Usina Hidrelétrica de Balbina. http://migre.me/aSHoq
  89. 89. Transportes Transporte fluvial é um dos principais meios de circulação de pessoas e de cargas (rioAmazonas e rio Madeira) Péssima conservação das vias terrestres Principais rodovias são as de Bélem-Brasília e Cuiabá-Porto Velho-Rio Branco
  90. 90. Transoceânica ligará o Brasil e o Oceano Pacífico, Rio Branco aos portos peruanos de Ilo, Matarani e San Juan de Marcona Voos internacionais são recebidos pelos aeroportos Val-de-Cans (Belém) e Eduardo Gomes (Manaus)
  91. 91. Turismo Ecoturismo e o turismo de aventura são as modalidades que atraem grande número de turistas para a região Parque nacional do Jaú Construções que remontam ao ciclo da borracha
  92. 92. Programas que visam o controle do espaço amazônico Aproteção das fronteiras do Brasil, naAmazônia sempre foram uma preocupação do governo
  93. 93. Projeto calha norte Idealizado por Sarney Previa ocupação militar de uma faixa do território nacional ao norte da calha do rio Solimões e do rioAmazonas Criação de unidades militares (aeroportos, quartéis) “fortalecer a presença nacional”
  94. 94. Hoje Iniciativas militar e social Instalação e manutenção de vários serviços para as comunidades fronteiriças, abastecimento de água, assistência hospitalar, construção de rodovias
  95. 95. Sistema de Vigilância daAmazônia (SIVAM) Rede de coleta e de processamento de informações Monitorar uma área de 5,2 milhões de km² (60% do território nacional) Satélites, radares, aviões, estações de recepção de imagens
  96. 96. Permite o controle do espaço aéreo amazônico, possibilita uma fiscalização mais eficiente de atividades predatórias (desmatamento, queimada, garimpo) Prospecção de jazidas minerais, combate o narcotráfico O sistema é alimentado com informações de outros órgãos governamentais (Ibama, Funai, etc.)

×