Cultura e Sistemas de Saúde

3.996 visualizações

Publicada em

Disciplina ‘Cultura, Saúde e Doença’;
Programa de Pós em Saúde da Família;
UFC-Sobral, CE

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.996
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
96
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cultura e Sistemas de Saúde

  1. 1. Cultura e os Sistemas de Saúde Luís Fernando Tófoli Programa de Pós-Graduação em Saúde da Família UFC-Sobral
  2. 2. Sistemas de Saúde: uma Visão Antropológica Os sistemas de saúde não podem ser estudados isoladamente da sociedade da qual fazem parte O sistema de saúde tem dois aspectos inter-relacionados:  Cultural (conceitual, prático)  Social (organizacional, normativo)
  3. 3. Hegemonia e Pluralismo A maioria das sociedades têm um sistema de saúde hegemônico Porém, ele nunca é único Quanto mais complexa for a sociedade, maior a chance de apresentar visões plurais nos cuidados à saúde
  4. 4. Kleinman e os três setores dos cuidados em saúde Informal (‘Popular’) Popular (‘Folk’) Profissional (‘Professional’)
  5. 5. FONTE: Adaptado de Kleinman (1981, p. 50)
  6. 6. Setor Informal Autotratamento/automedicação Conselhos de conhecidos/parentes Atividades de auxílio mútuo e auto- ajuda Consulta com leigo que tenha padecido do mesmo problema
  7. 7. Setor Informal As mulheres se destacam como cuidadoras Crenças populares sobre saúde e doença são importantes Envolve também a “promoção da saúde” Incompreensões entre paciente e cuidador são relativamente raras
  8. 8. Setor Informal Fontes de Informação  Doentes experientes  Pessoas com experiência de vida  Paramédicos consultados informalmente  Cônjuges de médicos  Pessoas que interagem com o público  Facilitadores de grupos de auto-ajuda  Membros de igrejas/cultos
  9. 9. Setor Popular (“folk”) Particularmente importante em contextos não industrializados Envolve curas seculares ou sagradas “Intermediário” entre o setor informal e profissional Grande variabilidade de cenários e abordagens.
  10. 10. Setor Popular Rezadeira (quase informal) Curandeiros Raizeiros Pais de santo que façam atendimentos Curiosas
  11. 11. Setor PopularNo mundo Xamãs Injecionistas Feiticeiros Parteiras
  12. 12. Setor Popular Abordagem holística: corpo-mente-ambiente-moral-espiritual O diagnóstico muitas vezes envolve facetas espirituais A maioria dos curandeiros compartilha os valores culturais de suas comunidades
  13. 13. O Xamã Curador cuja cura envolve o contato com o mundo espiritual A consulta envolve o transe, que pode ser mediado por psicoativos O “ser doente” pode ser comunitário Neoxamanismo
  14. 14. Setor Popular - Formação Herança Sinais ou presságios Revelação ou ‘Dom’ Aprendizagem Auto-aprendizagem
  15. 15. Setor PopularPrós Envolvimento da família Envolvimento da sociedade Visão holística Não necessariamente se opõem à biomedicina
  16. 16. Setor PopularContras Impedir diagnóstico de patologia que pode ser tratada biomedicamente Evitar o tratamento de transtornos mentais severos Risco de lesões Risco de exploração
  17. 17. Curandeiros e o Sistema de Saúde OMS encoraja a harmonização Há experiências positivas na incorporação no Sistema de Saúde  SIDA, parteiras, planejamento familiar, reidratação oral, rezadeiras, doença mental etc. Associações podem ser recursos interessantes (África)
  18. 18. Medicina Tradicional Sistemas médicos originais não- ocidentais:  Medicina chinesa  Medicina ayurvédica Seu países de origem as reconhecem como profissionais Em outros países...
  19. 19. Medicina Alternativa e/ou Complementar Medicinas tradicionais exportadas para outros países Não são hegemônicas, mas são extremamente comuns, inclusive nos países industrializados
  20. 20. Medicina Alternativa e/ou Complementar Homeopatia Medicina Antroposófica Massoterapia, Osteopatia, Quiropraxia Acupuntura Reflexologia Fitoterapia Naturopatia
  21. 21. Medicina Alternativa e/ou Complementar Conjuntos profissionalizados Alternativas de dieta e estilo de vida Curas ‘Nova Era’ (Reiki, Qi-Dong) Intervenções ‘mentais’ Bases científicas não convencionais  (ortomolecular, ozonioterapia, auto-hemoterapia, urinoterapia, iridologia) Medicinas regionalizadas
  22. 22. Setor Profissional (‘Formal’) Etnomedicina do mundo industrializado Reconhecido formalmente (lei) Nunca dão conta de todas as necessidades da população Grandes poderes de intervenção e rotulação
  23. 23. Sistema Médico A estrutura de um Sistema Médico de reproduz a estrutura de sua sociedade Saúde é direito universal? É direito particular? É um produto a ser comprado?
  24. 24. Sistema Médico As desigualdades sociais costumam estar expostas dentro dos sistemas médicos Há diferenças dentro da biomedicina nas diversas sociedades  Ex. Maior intervencionismo nos EUA
  25. 25. Profissão da Saúde Profissão: grupo organizado, legalmente constituído, que controla a entrada em seu meio, identifica a certificação de um membro, os protege e, se for o caso, aplica sanções éticas
  26. 26. Profissão da Saúde Hierarquização na Saúde: em geral, categoria com maior autonomia e poder (inclusive sua remuneração) Subculturas médicas: maior destaque para especialidades que ‘curam’ do que as que ‘cuidam’
  27. 27. O Hospital Segregação por categorias de doentes Perda da individualidade Relações pessoais insatisfatórias Há também variações culturais
  28. 28. Medicina e Tecnologia Fascinação dos clientes Encarecimento dos tratamentos Novas questões do nascer ao morrer A aproximação aos exames e o distanciamento do paciente
  29. 29. Redes Terapêuticas Crise na Medicina Ocidental Redes complexas e não autoexcludentes de cuidados A compreensão e integração destas redes deve ser buscada nos sistemas e serviços de saúde

×