Escola
            NOSSA
    Informativo da Secretaria da Educação do Estado da Bahia          Ano I       Nº 1   Setembro...
editorial



                                                   - instrumento
                                            ...
espaço itinerante


                       Concurso resgata história do 2 de Julho
Claudionor Jr.




                    ...
destaque


                             Topa faz da Bahia estado campeão
                             em alfabetização de ...
ais             palavra de mestre
                                                                            é ser m s in...
a sec em cada município


     Direc fortalecem relação com as escolas
Itabuna                                          Di...
Fórum promove diálogo entre gestores
                                   Visando promover a discussão entre ges-      lidad...
capa


                              Face classifica mais de 3 mil canções
Claudionor Jr.




                            ...
Claudionor Jr.
              Página no Orkut
              A repercussão do 1º Festival Anual da
              Canção Estu...
minha escola


                                Comunidade leva mosaico ao Santos Dumont
                                  ...
Pau da Lima recebe colégio reformado
                  A Secretaria da Educação do Estado




                            ...
diretor nota 10!


                                Diretor usa a criatividade para motivar freqüência
Geraldo Carvalho - A...
panorama sec

      SEC lança o Sistema de                                                                                ...
Nossa Escola nº 1
Nossa Escola nº 1
Nossa Escola nº 1
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Nossa Escola nº 1

3.107 visualizações

Publicada em

Informativo da Secretaria da Educação do Estado da Bahia

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.107
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Nossa Escola nº 1

  1. 1. Escola NOSSA Informativo da Secretaria da Educação do Estado da Bahia Ano I Nº 1 Setembro 2008 Topa é campeão em alfabetização - Pág. 4 i R$ 3 milhões investidos p oie a s a de nas Direc - Pág. 6 . M ção ção tru na pira ons ere ins a c a T ares Confira entrevista do consultor -me mã n - Il rico Tav ltou ha ir ica” al Odo em gestão educacional, Mares Guia - Pág. 14 “Fa in mús stadu . 8 m ua gio E Pág Nossa Escola - BolEtim iNformativo da sEcrEtaria da Educação do Estado da Bahia s Colé
  2. 2. editorial - instrumento de integração É comum alguém dizer que esque- No rastro do ineditismo e das trans- tivação para outras comunidades escolares. ceu do celular em casa, quando o verbo formações que vêm caracterizando a atual Para que este intercâmbio seja proveitoso e esquecer, sem o pronome, dispensa gestão da educação na Bahia, surge o Nossa que consigamos atingir nosso propósito, pre- a preposição: “Esqueci o celular em Escola, o mais novo canal de comunicação que cisamos de parceiros. casa”. Entretanto, se usar o verbo com a SEC passa a disponibilizar, como instrumento O Nossa Escola estará presente num o pronome, interponha a preposição: de integração do órgão central com as Direto- universo de 1.753 escolas e suas 33 Direc. Re- “Esqueci-me do celular em casa”. E cui- rias Regionais de Educação (Direc) e toda a sumindo: este jornal já nasce com uma circu- dado com palavras “traiçoeiras” como comunidade escolar. O jornal nasceu imbuído lação para cerca de 2 milhões de leitores, en- sobrance-lhas, e não sombrancelhas; no propósito de ser um espaço democrático, tre alunos, funcionários e professores. O que e disenteria, e não desinteria. Saiba que sirva para dar voz às escolas. Por isso, o pretendemos, agora, é fazer desses 2 milhões também que o plural de aluguel tanto conteúdo será voltado exclusivamente para as atuantes redatores, repórteres, pauteiros, col- pode ser aluguéis quanto alugueres; ações que tenham como protagonistas a Edu- unistas e colaboradores, porque eles serão os que o plural de gravidez é gravidezes, e cação e os seus principais atores: estudantes, elementos essenciais de nossa agenda diária o de arroz é arrozes. Lembre-se que se professores, gestores e funcionários. de matérias. É através dessa parceria que es- a correspondência for entregue pesso- As páginas da publicação serão dedica- peramos poder levar até vocês um jornal de almente ao destinatário estará sendo das a reconhecer o trabalho que vem sendo leitura agradável, que traga a cada edição entregue em mão e nunca em mãos. desenvolvido pelas escolas, pelas Direc, além notícias que despertem interesse e, principal- Não seja traído por uma simples vogal: das ações inovadoras promovidas por dire- mente, motive a comunidade escolar a fazer despensa (com e) é onde se guardam tores, alunos e professores. A idéia é que estas parte deste projeto. mantimentos, objetos; e dispensa (com ações extrapolem as barreiras do espaço onde Contamos com a sua colaboração: i) é a liberação que se tem de algum de- são praticadas e sirvam como exem-plo e mo- nossaescola@sec.ba.gov.br. ver ou obrigação. expediente u... Nossa Escola é uma publicação editada pela Assessoria de Comunicação da Secretaria da Educação do Estado da Bahia nt ece Jaques Wagner Governador aco Adeum Sauer Secretário da Educação Assessoria de Comunicação / Coordenação Editorial Silvia Costa (DRT/BA – 1.769) Com o slogan Todos contra a Dengue: o que eu e a Editor: Antônio Almada escola podemos fazer?, mais de sete mil estudantes Claudionor Jr. da rede estadual ganharam as ruas do centro de Textos: Perla Ribeiro, Davi Lemos, Priscila Figueira, Valana Gualuz e Jouse Cruz Salvador, no dia 30 abril. Portando faixas, cartazes e distribuindo panfletos informativos, eles chamaram Projeto Gráfico e Diagramação: a atenção da população para a necessidade de se Priscila Figueira prevenir contra o mosquito da dengue. A caminhada Revisão: Raimundo de Santana (DRT/BA -1.600) aconteceu simultaneamente em outros bairros da capital e no interior do estado. Em 16 de maio, os Fotos: Ascom/SEC - Claudionor Jr e Geraldo Carvalho alunos promoveram um “faxinaço” nas escolas e em seus entornos. A exposição “O que faço para Impressão: Empresa Gráfica da Bahia - EGBA Tiragem: 500 mil exemplares combater a dengue”, que reuniu trabalhos produzi- dos pelas escolas durante o período de 30 de abril a 30 de maio, encerrou as ações da campanha da SEC, cujo objetivo foi sensibilizar a comunidade para a importância de continuar o combate à dengue. Av Luiz Viana Filho, 6ª Avenida, nº 600, 5º andar – CAB. CEP: 41.750-300 – Salvador – BA Tel.: (71) 3115-9026 / Fax: (71) 3115-9066 Todos contra a Dengue ascom-sec@sec.ba.gov.br / www.sec.ba.gov.br Nossa Escola - BolEtim iNformativo da sEcrEtaria da Educação do Estado da Bahia 02
  3. 3. espaço itinerante Concurso resgata história do 2 de Julho Claudionor Jr. opinião “ O concurso foi uma iniciativa que levantou a auto-estima dos baia- nos, na medida em que ficamos sabendo o sig- nificado de uma data tão importante”. Viviane Nascimento Viviane Nascimento venceu o concurso de redação na categoria nível médio Trazer de volta aos estudantes o sentido do concurso, entendendo que se trata de cas, o Hino ao Dois de Julho, faz parte do Pro- e o valor da data magna baiana, o 2 de Julho, “uma iniciativa que levanta a auto-estima dos jeto Cultural e Educacional Neojibá, que pre- foi um dos objetivos do concurso de redação baianos, na medida em que ficamos sabendo para jovens para a carreira musical. desenvolvido pela Secretaria da Educação, o significado de uma data tão importante”. do qual participaram estudantes de escolas Viviane passou a ser exemplo na escola, prin- Hino “Dois de Julho” públicas do estado e municipais, dos ensinos cipalmente para os colegas de classe e de médio e fundamental. O tema: A Independên- outras séries. (Hino da Bahia) cia da Bahia. A premiação aconteceu no final Terceiro colocado dentre os estudantes do desfile em homenagem ao 2 de Julho, no de nível médio, David Alves Oliveira ressalta Letra: Ladislau dos Santos Titara Terreiro de Jesus. que em muitos locais e cidades baianas sequer Música: José dos Santos Barreto Alunos de escolas dos municípios de são feitas menções ao significado da data. Cachoeira, Brumado, Maragogipe e Salvador “Eu mesmo não me interessava tanto por es- Nasce o sol a 2 de julho receberam como prêmios câmeras fotográfi- tudar o tema, mas com o concurso descobri Brilha mais que no primeiro cas e aparelhos de MP4. As escolas também o quanto é rica a história da Independência É sinal que neste dia foram premiadas com minibi-bliotecas e com- da Bahia. Desejo que mais pessoas estudem e putadores. participem de próximas edições”, comentou Até o sol é brasileiro Veio do município de Guajeru, onde 95% o estudante do Colégio Modelo Luís Eduardo Nunca mais o despotismo dos estudantes são da zona rural, a vencedora Magalhães, em Jacobina. Regerá nossas ações na categoria ensino fundamental. Aparecida A professora de História, Marleide de Com tiranos não combinam Ribeiro de Azevedo, estudante da 7ª série da Oliveira Medeiros, professora de David, disse Brasileiros corações Escola Municipal Geraldo de S. Porto. “Estou que o concurso confirma a importância da muito feliz. Além de aprender sobre a história Independência da Bahia não só para os baia- Salve, oh! Rei das campinas da Independência, a gente é estimulada a nos, mas também para toda a nação. “O 2 de De Cabrito e Pirajá continuar estudando ainda mais”, disse a es- Julho não lembra apenas vultos da história, Nossa pátria hoje livre tudante, que recebeu um computador pela mas relembra a história do povo. E a escola Dos tiranos não será primeira colocação. A escola onde estuda, é o meio principal para realizar essa ação”, que tem apenas um computador, também entende. recebeu outro como prêmio. A população pôde acompanhar ainda, no Cresce, oh! Filho de minha alma A vencedora na categoria ensino médio palco montado no Terreiro de Jesus, a apre- Para a pátria defender, foi a estudante do 3º ano do Colégio Mode- sentação da Orquestra Sinfônica Juvenil Dois O Brasil já tem jurado lo Luís Eduardo Magalhães, Viviane Martins de Julho, sob a regência de Ricardo Castro. A Independência ou morrer. Souza Nascimento. Ela elogiou a realização orquestra, que apresentou, entre outras músi- Nossa Escola - BolEtim iNformativo da sEcrEtaria da Educação do Estado da Bahia 03
  4. 4. destaque Topa faz da Bahia estado campeão em alfabetização de adultos do país Divulgação s ma vo, e a o o én tu do dizad não n s mim o apre iência ra uit r ”, - “Pa e m xpe oor v ti ca d me e preço ta - c atu s C tro te da Co a em p aria To a M ra do Rit ado den A índia, Sônia Cardoso Pataxó, 36 anos, da aldeia Pataxó Hã-hã-hãe de Pau Brasil, mu- nicípio do extremo sul da Bahia, descobriu, rá- pido, a diferença entre ser e não ser alfabeti- Presidente Lula entrega carteira de identidade assinada a alfabetizada Júlia Batista zado. Depois de ser alfabetizada pelo Topa, ela contou que já tem acesso a linhas de crédito do “A Bahia possui o melhor projeto, a mil turmas, 15.183 alfabetizadores, 1.189 coor- Programa Nacional de Fortalecimento da Agri- melhor política de alfabetização do país”, afir- denadores de turma, 89 intérpretes de Libras, cultura Familiar (Pronaf). mou o presidente Lula durante a entrega de 363 municípios envolvidos, 170 entidades da Bernardo Barbosa, um jovem de 20 e pou- certificados a 1,2 mil alunos do Programa Topa sociedade civil, além das quatro universidades cos anos, condenado a cumprir pena de seis – Todos pela Alfabetização, no último dia 29 de estaduais. anos em regime fechado no Conjunto Penal de julho. O presidente disse que nunca uma ação Valença, escreveu a primeira carta de sua vida, governamental foi acolhida com tamanho en- Cidadania - A expressão desse compromisso uma carta de amor. Escreveu à esposa Car- tusiasmo e engajamento de um estado. Criado foi também pontuada pela entrega de novos melita, no Dia dos Namorados, dizendo que ela pelo Governo da Bahia em parceria com Minis- documentos de identidade a dois alfabetiza- era a mulher mais linda, a mulher de sua vida. tério da Educação, o Topa já alfabetizou, só na dos. Crispim Araújo dos Anjos e Júlia dos San- Foram as primeiras letras escritas pelo recém- primeira etapa, iniciada em outubro do ano tos Batista receberam do presidente Lula e do alfabetizado. passado, mais de 171 mil pessoas em 363 mu- governador Jaques Wagner, respectivamente, Claudionor Jr. nicípios. seus novos documentos que, agora, além da O Programa quase dobrou a meta previs- impressão digital, trazem as suas assinaturas. ta para 2007, que era de 100 mil pessoas. Até Um convênio foi assinado entre as Se- 2010, 1 milhão de baianos com 15 anos ou mais, cretarias Estaduais da Educação e Segurança adultos e idosos irá conquistar o direito de ler Pública para a concessão gratuita de novos e escrever. documentos de identidades com assinatura dos Presente à solenidade de certificação, o formados pelo Topa, bem como a emissão da ministro da Educação, Fernando Haddad, disse Carteira de Identidade para quem não a possui. que o Estado da Bahia é o campeão de alfabe- O convênio vai beneficiar os alfabetizandos do tização no país. “A meta do governo federal Topa até 2010. é transformar a Bahia em um paradigma na alfabetização de adultos”. Para o ministro, o Transformação - A história de 171 mil baianos foi estado deu o exemplo ao buscar parceria com transformada com o Topa. Eles agora podem prefeituras, movimentos sociais e sindicais, as- ler a bula de remédio do seu filho, o destino de sociações e entidades não-governamentias. um ônibus, assinar documentos, escrever car- Os números apresentados na primeira tas e ter acesso a financiamentos em bancos Luiz Cerqueira viveu a experiência única de reali- etapa do Topa são extraordinários. Foram, 15 oficiais. zar sua primeira leitura pública, como orador Nossa Escola - BolEtim iNformativo da sEcrEtaria da Educação do Estado da Bahia 04
  5. 5. ais palavra de mestre é ser m s inteli- a ler ai A aprendizagem no ter consciên cia ren der aiano, m na mão “Comecei a o “Ap , mais b iploma ver”, omo cidadã contexto das relações do meu papel c - ileiro um d e escr Topa omeço, pre bras e. E ter er ler e brasileir o. Isto é o c , do As aprendizagens de que temos co- muito mais” gent ifica sab o - aluno ten do alcançar da sign Modest nhecimento são muitas, pois diariamente ira - orador Luiz Cerque José nos deparamos com situações nas quais so- do Topa Turma 2007 mos solicitados a emitir uma opinião. Este saber considerado relevante nos ensina a o- lhar as coisas à nossa volta de um jeito novo. Todavia, tudo isso não terá sentido para o aluno se não tiver um significado e se não A dona-de-casa de Inhambupe, Selma Vie- Alfabetizador-coordenador: Adelane Ma- forem utilizados métodos que proporcio- ira, 30 anos, agora faz compras no supermerca- cedo, de Itabuna, atuou com 16 turmas e 207 nem a interação entre o ato de ensinar e de do sem precisar pedir informação a ninguém. alfabetizandos, inclusive os do Conjunto Pe- aprender. A aprendizagem poderá ser favo- Já o morador do bairro de São Cristóvão, em nal, local onde quase ninguém se propôs a recida ou não pela relação existente entre Salvador, Luiz Cerqueira de Medeiros, viveu a atuar. Segundo Adelane, a vontade de ajudar professor e aluno e, conseqüentemente, a experiência única de realizar sua primeira lei- o próximo a motivou: “Queria contribuir para relação deste com o outro e com o mundo. tura pública, como orador da turma, diante a reinserção deles à sociedade através do A qualidade do relacionamento que o de um auditório repleto de pessoas. “Gostei e Topa”, disse a professora. aluno estabelece com o professor e o clima comecei a ter consciência do meu papel como existente em sala de aula são elementos cidadão brasileiro, adquiri novos conhecimen- que possibilitam a melhoria do processo en- tos e pretendo continuar com os meus estudos sino-aprendizagem. Mesmo sendo o aluno e novos objetivos. Isto é o começo. Pretendo Assistência sujeito no processo de construção do co- alcançar muito mais”. nhecimento, essa relação é importante para oftalmológica o desenvolvimento da aprendizagem, que Cosme de Farias – O empenho de cada um, à será maior tanto quanto for o bom relacio- pessoa física ou jurídica, que não mediram es- O Governo da Bahia lançou no final namento entre os sujeitos. forços para aprender, para ensinar, para aju- de junho o Programa Estadual de Atenção Sabemos que o reconhecimento e a dar, foi reconhecido com o Prêmio Cosme de Oftalmológica para os alfabetizandos do valorização dos fatores emocionais e afeti- Farias, no valor total de R$ 80 mil, divididos em Topa. O objetivo é propiciar condições de vos na aprendizagem são um grande passo cinco categorias. A premiação leva o nome de saúde ocular favoráveis ao aprendizado em direção à construção do conhecimento, um baiano que, mesmo não sendo rico, trans- e, conseqüentemente, melhoria do rendi- haja vista que a inteligência e a afetividade formou a vida de milhares de pessoas por seus mento dos alfabetizandos e redução das contribuem no processo de adaptação do esforços contra o analfabetismo. Premiados: taxas de evasão. conhecimento, permitindo ao indivíduo a Um levantamento realizado na construção de conceitos e noções, confe- Município: Mascote, no litoral sul, que encami- primeira etapa do Programa apontou que rindo-lhe atributos, qualidades e valores. Da nhou para as turmas de Educação de Jovens e grande parte dos participantes tem mais mesma forma dá-se a construção do próprio Adultos (EJA) mais de 50% dos alunos egressos de 40 anos de idade, faixa etária em que sujeito, sua identidade e visão de mundo. do Topa. as pessoas passam a apresentar necessi- As pessoas só se aproximam do que dade de óculos para ler. Também consta- gostam. Só gostam do que é receptível. Tradutor-intérprete de Libras: Marizete do Nascimento, de Simões Filho, alfabetizou três tou que a média de rendimento familiar Aprende-se aquilo que tem significado, é surdos do município. per capita dos alfabetizandos é baixa, o próximo e há disposição para conhecer — que impede o atendimento oftalmológi- interação entre sujeito e objeto do conhe- Alfabetizador: Lêda da Rocha Silva, de Santo co fora do SUS e a aquisição dos óculos. cimento aliado a interação entre os sujeitos Antônio de Jesus, conseguiu alfabetizar 19 dos O Programa vai fornecer a consulta, do processo ensino-aprendizagem. 21 alunos matriculados. Todos freqüentaram as os óculos e encaminhamento para inter- No processo educativo, quando há aulas e três foram aprovados em concurso pú- venções de maior complexidade. Apesar amor e cuidado com o que se faz, há uma blico do município. de ter sido lançado este ano, o Programa qualidade no fazer que supera quaisquer Entidade: Movimento de Mulheres Trabalha- de Atenção Oftalmológica vai atender metodologias já testadas. doras Rurais Sem Medo de Ser Feliz (MMTR), também aos alfabetizandos certificados de Inhambupe, que tinha como meta alfabeti- na etapa 2007. A vigência do Programa é MIRIAN OLIVEIRA MACHADO zar 562 pessoas e cadastrou 1.513, sendo que até 2010. Diretora da Escola Estadual Santa Rita 513 já estão matriculadas em turmas do EJA; de Cássia Nossa Escola - BolEtim iNformativo da sEcrEtaria da Educação do Estado da Bahia 05
  6. 6. a sec em cada município Direc fortalecem relação com as escolas Itabuna Divulgação Juazeiro Uma Diretoria Regional de Educa- A Direc-15 também constatou a eficácia ção (Direc) mais próxima da comunidade do trabalho in loco e mensalmente, através do produz melhores resultados. É apostando Projeto A Direc é a Escola, percorre municípios nesta filosofia que a Direc-7, em Itabuna, de sua jurisdição, além da sede da diretoria. criou o Projeto Fale com a Direc, uma es- Participam das visitas funcionários das áreas pécie de órgão itinerante que vai até a uni- pedagógica e administrativa. “Os municípios dade escolar ouvir professores, estudantes, têm sido bastante receptivos e estão muito gestores e pessoal administrativo, além de satisfeitos por terem a Direc mais próxima autoridades locais e representantes de enti- deles”, conta o diretor regional, Flamber Pi- dades civis organizadas. nheiro. O Projeto foi a forma que a diretoria O trabalho itinerante aproxima a equipe encontrou para estabelecer um momento da Direc da realidade da educação nos mu- de prestação de contas à sociedade, além de nicípios, e assim diagnostica as necessidades da cumprir com uma de suas metas, que é di- escola e ajuda a planejar as ações. minuir as distâncias e garantir uma aproxima- As Direc de Itabuna e A 350 km de Juazeiro, os gestores de ção maior com as unidades escolares. Juazeiro criaram um canal Campo Alegre de Lourdes tinham de enfrentar O Fale com a Direc se caracteriza como de comunicação para se 6 horas de estrada para levar suas demandas uma audiência pública, pois é apresentado à diretoria. As dificuldades eram ainda maio- um diagnóstico da situação encontrada nas aproximar da comunidade res pelo fato de eles só contarem com trans- 63 unidades da circunscrição da Regional, escolar e de representações porte para Juazeiro uma vez por semana. Com bem como das intervenções e dos trabalhos municipais. o Projeto A Direc é a Escola a dificuldade está desenvolvidos. superada. As Direc são equipadas para Formação de melhorar atuação nas escolas educadores ambientais Mantendo o compromisso de dar A facilidade para a movimentação das A formação continuada de educa- maior autonomia e condições de trabalho equipes das Direc e a conseqüente maior dores para multiplicação de informações em aos profissionais das 33 Direc, a Secretaria rapidez no cumprimento das tarefas foram defesa do meio ambiente é uma das preocu- entregou, no final no mês de abril, veículos e dois pontos ressaltados por Clóvis Santos, pações da Direc-6, em Ilhéus. Como este foco, equipamentos a cada uma. Foram investidos diretor regional em Santo Antônio de Jesus a diretoria promoveu, em parceria com a ONG R$ 3,617 milhões, visando garantir trabalho (Direc-4). “Além disso, os novos veículos Care Brasil, a 1ª Oficina para Formação de Edu- mais constante e qualificado das administra- permitem o transporte de materiais para as cadores Ambientais. A atividade foi voltada ções regionais nas escolas. escolas, o que era mais complicado realizar para professores das redes estadual e munici- O kit foi composto por uma caminho- com os carros menores”, enfatizou. pal, educadores do Topa - Todos pela Alfabe- nete Ford Ranger, condicionadores de ar, tização e integrantes do MST na região. Para o diretor da Direc-6, Ednei Men- Claudionor Jr. fornos microondas, impressoras, aparelhos de fax, máquinas digitais e computadores. A donça, a perspectiva da multiplicação de co- ação integra a política da SEC de reestrutura- nhecimentos ambientais consolida o trabalho ção das diretorias regionais no intuito de que coletivo de defesa da educação e da vida. Já elas percam o papel meramente burocrático o coordenador regional da Care Brasil, Marco para atuarem de forma mais incisiva nas es- Rodrigues, destacou que a intervenção da Di- colas. rec-6 facilitou o estreitamento de laços entre A nova política inclui ainda a descen- a entidade e as secretarias municipais de Edu- tralização dos recursos financeiros, visando, cação, no sul da Bahia. assim, proporcionar maior autonomia às di- Realizada em todo o país, a oficina con- retorias regionais. Para isso, elas deverão ta com uma equipe de 51 especialistas da Uni- elaborar um planejamento financeiro trimes- versidade Estadual da Campinas (Unicamp) tral. A idéia é promover uma gestão descen- kits com equipamentos e carros que trabalham com projetos aplicados ou in- tralizada, em rede, e com efetividade social. entregues às 33 Direc terdisciplinares na área. Nossa Escola - BolEtim iNformativo da sEcrEtaria da Educação do Estado da Bahia 06
  7. 7. Fórum promove diálogo entre gestores Visando promover a discussão entre ges- lidades necessárias ao fortalecimento de sua Divulgação tores sobre temas cotidianos das unidades de ação nas dimensões pedagógica, administra- ensino, a Direc-17, em Piritiba, está realizando tiva, financeira e política, com o foco no aluno bimestralmente o Fórum de Discussão Perma- e na aprendizagem. nente de Gestores. O último encontro aconte- A idéia do Fórum é contribuir para supe- ceu no dia 31 de julho, no Pólo da Universidade ração da cultura de centralização, passando Aberta do Brasil, no mesmo município. As ati- para a construção da gestão democrática, em vidades tiveram início em maio e contaram rede, com efetividade social. As deliberações com a participação das equipes gestoras de resultarão em um plano de trabalho com as todas as unidades escolares pertencentes à estratégias e ações que serão adotadas nas Direc. unidades escolares. No dia 31 de julho, foram discutidas as eleições diretas para dirigente escolar, a di- Fórum de Gestores - Está organizado em duas mensão legislativa educacional, os documen- etapas distintas - presencial e a distância - que se complementam, garantindo a continuidade A Direc-17, em Piritiba, está tos legais que afetam o cotidiano da escola, os índices educacionais e os recursos financeiros. do diálogo e das ações. A fase não-presencial realizando bimestralmente o A diretora da Direc-17, Juscimeire Pam- acontece através do fórum on-line, que serve Fórum de Discussão Perma- ponet, destaca que o projeto tem a intenção para trocar informações e experiências, reali- nente de Gestores, visando de proporcionar ao gestor participante o zar consultas e orientações e disseminar inicia- desenvolvimento de competências e habi- tivas bem-sucedidas das unidades escolares. discutir temas do cotidiano Biblioteca visita escolas da região de Irecê Para incentivar a leitura entre os de Irecê, Lagoa do Tió, Lapão e Aguada Nova. da Fundação Pedro Calmon, que visa levar estudantes das escolas da rede pública e a A diretora da Direc-21, Maria da Conceição informação e cultura às comunidades, além comunidade da região de Irecê, a Direc-21 le- Araújo, revela que a falta de biblioteca públi- de estimular a criação de uma biblioteca ou, vou, no mês de junho, a Biblioteca Móvel da ca nos locais foi o que a motivou a buscar o mesmo, de uma sala de leitura, em comu- Fundação Pedro Calmon (FPC) para expor seu projeto. nidades periféricas onde todos possam ter trabalho nas unidades de ensino da periferia. “A idéia foi despertar nos nossos es- acesso. O projeto atende aos leitores de duas Entre livros, jornais, brincadeiras, oficinas, tudantes o prazer da leitura, fazer com que maneiras: através dos carros-bibliotecas e das vídeos e revistas, os estudantes puderam ter tivessem contato com as obras literárias”, caixas-estantes. As caixas-estantes são “mini- um dia diferente, regado a cultura. A comu- conta a diretora. A empolgação dos estu- bibliotecas” instaladas em escolas, creches, nidade em torno das escolas também pode dantes foi tanta que a diretora já solicitou à presídios, abrigos de idosos e associações conhecer a biblioteca e participar de ativi- Fundação a implantação de uma biblioteca na de bairro, sem custo para as instituições. São dades literárias e dinâmicas, acompanhada região. caixambulantes, que levam até 800 exem- por professores. plares a cada comunidade e podem atender a A Biblioteca Móvel visitou os municípios Biblioteca Móvel - Trata-se de um projeto 25 locais diferentes ao mesmo tempo. Jamile Menezes - Ascom/FPC A Direc-21 levou, no mês de junho, a Biblioteca Móvel da Fundação Pedro Calmon (FPC) para expor seu traba- lho nas unidades de ensino da periferia. Biblioteca Móvel inspira leitura na população baiana Nossa Escola - BolEtim iNformativo da sEcrEtaria da Educação do Estado da Bahia 07
  8. 8. capa Face classifica mais de 3 mil canções Claudionor Jr. “Pedi que ela olhasse minha música, ver se ficou boa, fazer sugestões, ajus- tes”, Aissa Couto de Educação (Direc). Dedicação, ensaios exaustivos e orga- nização de torcidas são algumas das ações que os estudantes estão realizando nas es- colas. Das mais de 3 mil canções, que partici- pam dos festivais regionais, apenas 15 foram classificadas para a etapa final, que acontece em 26 de setembro, em Salvador. “Vimos, na prática, como um Festival igual ao Face pode motivar e estimular nossos alunos. Este é mais um projeto de sucesso”, afirmou a dire- tora do Colégio Estadual Sete de Setembro, em Paripe, Marta da Silva. Após a primeira fase, foi observada uma mudança substancial no relacionamento en- tre as escolas, os alunos e as unidades esco- lares com as Direc e a Secretaria da Educação. “Esta é a primeira vez que ouvimos falar que alunos estão ligando para os técnicos da se- cretaria que estão envolvidos no Festival para tirar dúvidas e trabalhar em conjunto”, obser- va a coordenadora de Projetos Intersetoriais da SEC, Maria Ivanilde. As relações entre professor e aluno também foram estreitadas. O estímulo dos colegas e dos professores levou a estudante Jéssica Gomes, aluna da 8ª série do Colégio Germano Machado Neto, em Marechal Ron- don, a acreditar em seu potencial e participar do Festival. Classificada para a segunda etapa com a música romântica “O Tempo se Esgota”, ela elogiou o projeto. “Achei a iniciativa legal, porque muitos alunos se interessaram e pas- Aissa Couto (E) participou da 1a etapa do Face. Ila Terana (D) apoiou a irmã na composição da música samos a gostar de música. Os que ficavam vagando pelos corredores passaram a trazer violão e houve alguns os que não sabiam apre- O 1º Festival Anual da Canção Es- fizeram seus minifestivais e cada uma elegeu nderam a tocar”. Ela explicou que a participa- tudantil (Face) vem causando uma verdadei- três canções, que as representarão nos festi- ção nas oficinas preparatórias para o Face foi ra revolução de ritmos e sons nas escolas da vais regionais, realizados de 8 a 22 de agosto importante, “pois foi a partir daí que fluíram rede estadual. Mil e três unidades escolares nas 33 cidades-sede das Diretorias Regionais as idéias”. 08 Nossa Escola - BolEtim iNformativo da sEcrEtaria da Educação do Estado da Bahia
  9. 9. Claudionor Jr. Página no Orkut A repercussão do 1º Festival Anual da Canção Estudantil (Face) motivou a comunidade escolar da Direc-32 de Amargosa a criar uma página no Or- kut para divulgar e trocar informa- ções. Na página do site Orkut já estão disponíveis vídeos, slides e referên- cias de sites sobre festivais. Alunos se preparam para a etapa final do Face Aproximação @ escola-comunidade Com os minifestivais houve ainda, princi- palmente nas cidades do interior, a aproxima- ção entre a escola e a população. Em muitas escolas, a escolha das músicas era realizada depois das apresentações nas praças da ci- o çã dade. Foi com esse clima de integração com lga vu Di a comunidade que o Colégio Estadual Normal de Pintadas apresentou 12 músicas candidatas no Centro de Cultura Popular Tacho de Arte, com a participação de professores e pais de alunos. Em Ribeira do Pombal, a mobilização foi Capacitação tão motivadora que os shows de calouros res- Para que tudo funcionasse bem, foram capacitados surgiram e passaram a fazer parte do crono- três professores e um coordenador pedagógico em grama de festas da cidade. A idéia do Face é cada uma das 33 Direc. A capacitação inclui desde introduzir mais ênfase à ludicidade nas esco- discussões sobre estilo, gosto, letra, melodia e rit- las, para que elas traduzam e incorporem as mos musicais, à produção textual e à diversidade características juvenis. O Festival é, também, poética. Por meio da realização do Festival nas es- uma oportunidade para promover a integra- colas busca-se caracterizar a música como um es- ção social dentro e entre as escolas da rede, paço do saber. além de contribuir para o regaste da auto-es- tima de pais e alunos. Claudionor Jr. A realização do Festival representou tam- bém um aprendizado para a equipe da Supe- rintendência da Educação de Básica (Sudeb) envolvida no projeto. “Não havia essa cultura de realizar projetos desse tipo que integras- sem tantas escolas. Estamos falando de mais mil escolas representadas, quando antes os projetos costumavam abranger cerca de 60 unidades, comparou Ivanilde. A final do Face será no dia 26 de setem- bro, na Concha Acústica do Teatro Castro Alves, na capital baiana. Professores são capa- citados para o Face Nossa Escola - BolEtim iNformativo da sEcrEtaria da Educação do Estado da Bahia 09
  10. 10. minha escola Comunidade leva mosaico ao Santos Dumont muito melhor. Os estudantes têm respeitado Geraldo Carvalho - Ascom /SEC mais os professores e se interessado mais pelos estudos”, destaca a professora de Geo- grafia, Maria Lúcia. Técnica - O mosaico é desenvolvido pelo ar- tista plástico Adalto José, voluntário no pro- jeto. O professor, como é chamado pelos alunos, percebeu o interesse dos estudantes e resolveu repassar a arte. “Estou aqui para ensinar o que aprendi a vida toda”, diz. Os alunos fizeram, primeiro, o trabalho em paredes menores. Agora, estão traba- lhando num grande painel. Toda a escola deve ficar pronta até o final do ano, quando também deverão ser decorados as mesas do Estudantes ajudam a deixar escola mais bonita com painel de mosaico pátio e o muro da entrada, com a foto de Al- berto Santos Dumont. Estudantes do Colégio Estadual Al- afirma a diretora do colégio, Alzerina Maria. Para definir os desenhos que serão apli- berto Santos Dumont estão decorando as Na primeira fase da revitalização, a esco- cados, os alunos cursistas se reúnem com o paredes da escola com imagens em mosaico la fez um mutirão de limpeza com a participa- professor e apresentam a proposta à direção (embutido de pequenas pedras de vidro, már- ção da comunidade, estudantes, professores e da escola. As gravuras são desenhadas pelo more ou cerâmica, em formato de desenho). funcionários, que ajudaram a pintar as pare- estudante do 1º ano, Manoel Pereira. “Com O trabalho é uma ação da escola, em parceria des do colégio. Também foram reformadas o mosaico estou aperfeiçoando o desenho, com a comunidade, impulsionado pelo pro- duas salas de aula, que estavam desativadas, além de aprender uma nova arte”, afirma. jeto Revitalização das Escolas. e banheiros. O Projeto pedagógico-interdisciplinar, “A escola estava totalmente destruída, Revitalização das escolas - O objetivo do Pro- intitulado Minha Escola, Meu Espaço, Meu agora o ambiente está mais bonito”, comemo- jeto é assegurar às escolas condições estru- Ambiente, leva às salas de aula a problemática ra a estudante do 1º ano Adrielle Ferreira. “An- turais e pedagógicas para a permanência dos do espaço físico escolar, estimulando os es- tes, a gente não se sentia muito animada para alunos, possibilitando-lhes uma aprendiza- tudantes a criarem opções de melhoria para vir à escola, agora é diferente”, diz o estudante gem efetivamente significativa. Além disso, a infra-estrutura do ambiente. O projeto já Manoel Pereira. a ação pretende articular escola, família e co- apresenta resultados visíveis. “Os estudantes “Eu tenho 34 anos na escola e posso munidade, tornando os gestores, professores já não picham mais os muros da escola. Eles afirmar que o projeto deu uma guinada. Após e representantes comunitários protagonistas estão preservando mais o ambiente escolar”, a implantação desse iniciativa a escola está no processo educacional. Divulgação Experiências científicas premiadas As experiências de duas escolas O Colégio Petronílio da Silva conquis- da rede estadual baiana na área de ciências tou um dos dois prêmios concedidos à região foram premiadas no III Prêmio Ciências no Nordeste, com o Projeto Experimentos de Ensino Médio, que reconheceu seu sucesso Ciências por Meio de Materiais de Baixo Custo nas categorias nacional, regional e estadual. com Melhorias de Ensino, desenvolvido com Trata-se do Colégio Maria Dagmar Miranda, as turmas de 2º e 3º ano. O Projeto consta da Exposição do Colégio Estadual Maria Dagmar de Riachão do Jacuípe, e do Colégio Petroní- fabricação de um termômetro de água, onde Miranda, do município de Riachão do Jacuípe lio da Silva, de Pindaí. Eles receberão, respec- os estudantes puderam aplicar a teoria da di- tivamente, R$ 40 mil e R$ 25 mil. latação de gases e líquido. de uma proposta mais ampla da escola, de O concurso visa estimular as práticas de Já o Colégio Maria Dagmar ficou com a incluir a educação ambiental no currículo es- investigação científica nas escolas que ofertam premiação estadual, com o Projeto Interdis- colar. Com o prêmio, eles pretendem investir o ensino médio. Ao todo, foram premiadas 39 ciplinar Água, Preservar para Viver, que foi em um laboratório de ciências, no intuito de escolas, sendo 27 na categoria estadual, dez trabalhado com estudantes do 1º ano o mi- tornar as aulas ainda mais dinâmicas e atrair o na regional e duas no âmbito nacional. crogotejamento em horta. O Projeto nasceu interesse do alunado. 10 Nossa Escola - BolEtim iNformativo da sEcrEtaria da Educação do Estado da Bahia
  11. 11. Pau da Lima recebe colégio reformado A Secretaria da Educação do Estado Fotos: Claudionor Jr. escola trabalha para os filhos de vocês, mas da Bahia (SEC) entregou, no dia 11 de julho, antes precisamos que eles sejam mais exigentes e o Colégio Estadual de Pau da Lima reforma- cobrem de nós para fazermos da escola um do à comunidade. Reivindicação antiga dos lugar, realmente, de aprendizado”, declarou moradores, estudantes e corpo docente, a Iracema aos pais presentes. entrega foi marcada pela apresentação da Os pais dos alunos destacaram que a cantora e professora de artes da unidade, reforma não só foi proveitosa do ponto de Maristela Vidal. vista da estrutura, mas também para estimu- Pais, alunos e professores demons- lar o estudo de seus filhos. traram satisfação e puderam ver de perto A reforma já resultou em estímulo. Pro- as melhorias. A escola passou a contar com va disso foi o novo fardamento dos alunos, sala de informática e área de lazer, além da apresentado pela diretora, para que a reto- aquisição de dez computadores e ar condi- depois mada nas aulas representem mudanças na cionado para todas as salas. própria escola. As alunas Juliana Gomes e Gabriela Para encerrar, a solenidade contou com Milena, ambas da 6ª série, recitaram poemas a leitura de uma carta de agradecimento à que abordaram a importância da escola, en- secretaria em nome dos alunos, representa- quanto construtora do futuro e do valor em dos pela estudante Letícia Dias. se fazer as coisas com amor para que tudo dê O colégio hoje conta com 14 salas, 1.538 certo. Já a professora de Língua Portuguesa, alunos dos ensinos fundamental e médio, Iracema Rosa, fez um apelo para que a co- nos três turnos, além de cerca de 60 profes- munidade ajude na formação dos alunos. “A sores. Educação sexual no Duque de Caxias O Ministério da Educação, em par- O tema tem tanto destaque que o colé- Matemática, Lícia Maria dos Santos Rosa. ceria com o Ministério da Saúde, irá fornecer gio dedicou uma sala a ele, o cantinho da As camisinhas são doadas ao colégio pelo 400 máquinas de distribuição de camisinha sexualidade. As ações integram o Projeto 3º Centro de Saúde da Liberdade e também nas escolas do país, até o início de 2009. Sexualidade Humana, que já distribui preser- pelo Grupo Gay da Bahia (GGB). A proposta é, Para o Colégio Estadual Duque de Ca- vativos aos alunos nas segundas, quartas e através da educação sexual, reduzir a vulnera- xias, onde o tema educação sexual já é traba- sextas-feiras. bilidade às Doenças Se-xualmente Transmis- lhado há 10 anos, a medida só vem contribuir Na sala, cartazes informativos e qua- síveis (DST), gravidez indesejada e a Aids. com o trabalho realizado na unidade. Lá, a dros pintados pelos próprios alunos evocam No início do ano, é aplicado um ques- conversa sobre sexualidade há muito tempo a temática. “Aqui é o cantinho onde eles tionário para levantar as principais dúvidas já deixou de ser segredada entre amigos para buscam informações, tiram dúvidas e tam- dos cerca de 3.600 alunos da unidade e, a virar assunto do currículo pedagógico e ser bém onde pegam o preservativo”, informa partir daí, elas são trabalhadas ao longo do trabalhada interdisciplinarmente. a coordenadora do projeto, a professora de ano letivo. Claudionor Jr. Sexo com responsabilidade Os estudantes fazem trab- envolver nesse projeto, ajudan- alhos artísticos, revista em qua- do pais e alunos a se prevenirem drinho e vídeos sobre sexualida- contra as doenças e até mesmo de e, agora, preparam-se para contra uma gravidez indesejada. montar um grupo de teatro com “Tem muitos pais que não foco na temática. têm condições de ensinar e ficam Mãe de alunos e também com vergonha. O projeto ajuda estudante do 3º ano do colégio, a prevenir a gravidez precoce e Raquel Lima diz que é extrema- também as doenças venéreas”, mente importante a escola se considera. Professora explica a utilização de métodos contraceptivos 11 Nossa Escola - BolEtim iNformativo da sEcrEtaria da Educação do Estado da Bahia
  12. 12. diretor nota 10! Diretor usa a criatividade para motivar freqüência Geraldo Carvalho - Ascom /SEC presa, muito felizes”, contou Paulo Cezar, já de volta à cidade de Curaçá, após os três dias de passeios pela capital baiana no mês de fe- vereiro. A realização de toda essa jornada não foi nada fácil, e o sucesso se deu pela capaci- dade de congregar do diretor. Havia o desafio de como bancar toda a despesa da viagem: hospedagem, alimentação e deslocamento. Criatividade – Para a alimentação, o diretor recorreu ao famoso e sempre indispensável “patrocínio”. Os pais custearam a alimen- tação da turma. Resolvido o problema da comida, ele foi aos comerciantes da cidade e conseguiu angariar fundos para o desloca- mento até Salvador, em seus percursos de ida e volta. O local para ficar em Salvador foi o Paulo Cezar, diretor do Colégio Estadual Manoel Novaes, em Curaçá, e seus alunos em visita a Salvador apartamento da irmã de Paulo Cezar. E o resultado disso na escola? Desde que O diretor do Colégio Estadual Manoel Secretaria Estadual da Educação (SEC). foi estabelecido esse prêmio aos que se des- Novaes, do município de Curaçá, Paulo Cezar Em Salvador, os estudantes, que aguar- tacassem por desempenho de notas e por Torres, é um desses exemplos que mostram davam apenas ficar deslumbrados com as freqüência, foi notória a melhora do desem- valer a pena investir no sonho de uma educa- belezas naturais e históricas da capital baiana, penho e do interesse dos estudantes pelas ção melhor. O mais recente feito do diretor ganharam mais um prêmio pelos esforços re- aulas. “Ainda não temos dados comparativos, foi trazer os 14 melhores alunos, dos ensinos alizados durante o ano letivo de 2007. “Nós mas posso afirmar que os alunos tiveram no- médio e fundamental, nos quesitos freqüên- jamais poderíamos imaginar que seríamos tas muito melhores, a partir do momento em cia e desempenho, para conhecer Salvador, recebidos pelo secretário da Educação. Os que fizemos entre eles esta disputa sadia”, visitar seus pontos turísticos e conhecer a alunos ficaram muito encantados com a sur- comentou o diretor Paulo Cezar. eu, aluno! Estudante classificada para a semifinal do Soletrando Vanessa Teixeira, 13 anos, estudante ção Anísio Teixeira, Fabiano Cotrim, o exem- a parte dele e nós devemos fazer a nossa”, da 7ª série do Instituto de Educação Anísio plo de Vanessa é um incentivo para os dois mil avalia a estudante. Teixeira, em Caetité, é um exemplo de deter- alunos do colégio. minação. Com uma rotina de sete horas de Filha de uma dona-de-casa e um retifica- estudos, a jovem representou a Bahia no Pro- dor de motores, que não chegaram a concluir grama Soletrando, da Rede Globo, chegando o segundo grau, a estudante revela que o Foto à semifinal. Ela venceu a representante do Rio aprendizado com a disputa vai ajudar a con- s: Div Grande do Sul e travou uma grande disputa quistar um outro sonho: cursar Medicina ou ulga com a representante de Pernambuco. Antes, Odontologia. Vanessa aconselha os colegas ção participou de uma disputa interna no colégio e a terem força de vontade para continuarem outra estadual. lutando pelos sonhos. “Os professores fazem A proposta de participar do Programa partiu do diretor Fabiano Cotrim, que fez a inscrição do colégio. Convocada, a estudante, que sempre apresentou bons desempenhos, aceitou na hora o desafio. “Foi muito interes- sante, além de incentivar os estudos, aprendi novas palavras e regras gramaticais”, conta Vanessa. Para o diretor do Instituto de Educa- s o l e t r a n do Vanessa Teixeira participou do Soletrando 12 Nossa Escola - BolEtim iNformativo da sEcrEtaria da Educação do Estado da Bahia
  13. 13. panorama sec SEC lança o Sistema de CURTAS - CURTAS - CURTAS Avaliação Baiano da Educação Canal da Cidadania Médio (2008 – 1ª série; 2009 – 2ª série; 2010 A Ouvidoria representa mais um instru- – 3ª série). O projeto avaliará o rendimento mento importante para o exercício do dos alunos para a construção de ações que controle social e também um veículo para garantam a permanência e a aprendizagem que o cidadão possa efetivamente partici- dos estudantes numa escola de qualidade. A par da fiscalização da gestão, através de primeira avaliação está prevista para novem- elogios, solicitações, reclamações, denún- bro e, em sua fase inicial, atingirá 226 escolas cias, agradecimentos, entre outros. É mais da rede estadual de 187 municípios baianos, um canal de comunicação entre a SEC e o alcançando o universo de 70 mil alunos. cidadão. Você pode acionar a Ouvidoria pelo e-mail: ouvidoria@sec.ba.gov.br ou O Sistema de Avaliação Baiano da Círculos de Avaliação – uma parceria entre pelos telefones: 0800 028 400 11 ou (71) Educação (SABE) busca o desenvolvimento Estado e municípios, que objetiva fortalecer 3115- 8928 / 9067 / 8909 / 9068. de uma cultura de avaliação nas unidades os processos educativos, desenvolvendo escolares, com vistas ao planejamento de uma cultura de avaliação, como fundamento políticas públicas, tomando com referência o para o planejamento do trabalho pedagógico, Repasse de transporte resultado das avaliações externas do desem- aprendizagem e gestão escolar. Desde abril, escolar dobra em 2008 penho dos estudantes e a auto-avaliação das estão sendo formadas equipes para atender unidades escolares. Nesse contexto estão os a 72 escolas estaduais na área das DIREC de O Governo do Estado assegurou R$ 27 mi- projetos AVALIE, Círculos de Avaliação e Aval- lhões em seu orçamento para o transporte Paulo Afonso, Ribeira do Pombal e Itapet- iação Institucional. escolar, o que representa um investimen- inga. Até 2010, o projeto deve chegar aos de- to de quase R$ 10 mi-lhões a mais do que mais municípios baianos. AVALIE - ação pioneira que se constitui da o valor gasto ano passado, e três vezes aplicação em séries de três anos consecuti- maior que a quantia destinada em 2006. Avaliação Institucional - será implementada a Outra novidade foi a criação de uma por- vos avaliando, em cada ano, estudantes de partir de 2009, quando já estarão em exercí- taria que fixa condições e critérios de dis- uma série das escolas estaduais de Ensino cio os dirigentes escolares eleitos. tribuição dos recursos de acordo com a extensão territorial dos municípios. Os Educação no Semi-árido valores variam de R$ 0,80 a R$ 1,20/dia, por aluno do ensino médio. Antes, a distri- Nos dias 23 e 25 de julho, foi rea- ção de uma proposta político-pedagógica de buição era baseada na tabela do Programa lizado o Seminário Educação e Convivên- educação para o Semi-árido. Nacional de Transporte Escolar (Pnate) e Claudionor Jr. cia no Campo: Avanços e Desafios para o o repasse variava de R$ 0,42 a R$ 0,50/dia Semi-árido Baiano. O evento é resultante por aluno do ensino médio. do convênio de cooperação firmado entre o Ano passado, foram destinados R$ 17 Governo do Estado e o UNICEF que dentre milhões do orçamento a 256 municípios outros pontos, busca universalizar o acesso conveniados. de meninos e meninas de 6 a 14 anos ao en- sino fundamental. O Seminário promovido em parceria com Fórum Indígena a Rede de Educação do Semi-árido Brasileiro (RESAB) e o UNICEF foi mais um espaço de Nos dias 3 e 4 de junho foi realizado, no debate e troca de saberes rumo à consolida- Estudante encanta público recitando poesia município de Banzaê, o Fórum Estadual de Educação Indígena, instância priori- tária de interlocução entre os povos in- Implantação da lei 11.645 dígenas e SEC, na construção coletiva da política pública para as 12 etnias que exis- O Governo do Estado oficializou a da política governamental da Bahia. tem na Bahia. implementação da Lei Federal 11.645/08, Também foi institucionalizada, pela O fórum deliberou sobre assuntos como que determina o ensino da História e Cul- Secretaria da Educação, a Coordenação de formação continuada de professores, tura Afro-brasileira e Indígena nas escolas Políticas Educacionais de Diversidade, Étni- sistema de cotas, criação da categoria da rede estadual. Sancionada este ano pelo co-racial de Gênero e Sexualidade, que, jun- professor indígena, entre outros. presidente Luís Inácio Lula da Silva, a Lei, a tamente com a Coordenação Indígena, vai partir de agora, passa a fazer parte também fortalecer a implementação da Lei. Nossa Escola - BolEtim iNformativo da sEcrEtaria da Educação do Estado da Bahia 13

×