SERGIPE:INCLUSÃO SOCIAL EDESENVOLVIMENTOHá um novo Sergipe nascendono coração da gente.
SERGIPE: INCLUSÃO SOCIALE DESENVOLVIMENTOAs ações do Governo do Estado de Sergipe vêm sendo pautadas pelaconstrução de pol...
Sergipe, com 21,9 mil km2, é o estado de menor extensão territorial da federação brasileira.Localizado na região Nordeste,...
Em 2010, o PIB sergipano alcançou 21,4 bilhões de reais. Sergipe tem nos setores deserviços e industrial sua principal fon...
Participação do setor secundário na geração doPIB total de 2010 – Estados do Nordeste e Brasil (Percentualmente)Fonte: IBG...
•	Termoelétricas – A energia gerada por termoelétrica se dá através de umaindústria particular. A Unidade tem capacidade d...
•	Produção de petróleo – O estado é o quinto maior produtor do Brasil,representando2%daproduçãonacional,eosegundodoNordest...
Sergipe possui importantes investimentos industriais, com a presença de algumas das maisimportantes empresas sediadas no p...
A Petrobras estima que Sergipe se tornará, nos próximos quatro anos, o maior produtor depetróleo do Norte e Nordeste. A ba...
A partir de 2007, as políticas públicas do Estado de Sergipe foram norteadas por três linhasde ação:•	 Retomada do planeja...
O PIB per capita de 2010 é R$ 11.572,44, o 1º do Nordeste, frente à média regional de R$9.561,41.PIB per capita dos Estado...
Com mais emprego, maior estabilidade no trabalho, melhores salários, acesso ao créditoe, ao mesmo tempo, sendo beneficiári...
Entre 2001 e 2009, a participação da classe C na população sergipana passou de 23,4%para 38,4% do total da população, torn...
O êxito de Sergipe na redução da miséria pode ser atribuído a três eixos principais deatuação: o avanço nos indicadores ec...
Mais de mil quilômetros de malha viária do Estado foram recuperados. Além disso, oGoverno construiu novas rodovias e ponte...
As políticas públicas empreendidas nos últimos anos pelos governos federal e estadualforam responsáveis diretamente pela d...
A atração de empresas e os investimentos de grupos empresariais locais expandiram oemprego formal na economia sergipana em...
Por conta do desenvolvimento agrícola e da desconcentração dos investimentos industriaispara o interior, houve um desenvol...
Mais lavouras, maioressafras: a agriculturasergipana decolaO apoio à agricultura familiar também concorreu para o crescime...
Desde 2007, o valor da produção do milho superou o da cana-de-açúcar, tornando-o acultura temporária mais importante do es...
Os investimentos em infraestrutura também possuem o objetivo de integrar os territóriossergipanos para articular as ativid...
Com a visita da Presidenta, estão sendo anunciados importantes investimentos que, juntos,alcançarão o valor de 1 bilhão de...
Cimento e vidroA fabricação de produtos minerais não metálicos é uma das principais vocações produtivasde Sergipe, benefic...
operação em dezembro de 2014.ALMAVIVA: A AlmavivA do Brasil é uma sociedade de Telemarketing e Informática doGrupo Almaviv...
Ponte Gilberto Amado:unindo o povo sergipanoao desenvolvimentoEscritor, jornalista e político nascido em Estância, Gilbert...
É esse sergipano ilustre que o Governo do Estado homenageia agora, dando seu nome auma das mais importantes pontes já cons...
Sergipe: Inclusão Social e Desenvolvimento
Sergipe: Inclusão Social e Desenvolvimento
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Sergipe: Inclusão Social e Desenvolvimento

737 visualizações

Publicada em

Caderno de ações do Governo de Sergipe nas áreas de Inclusão Social e Desenvolvimento. Essas ações envolvem a expansão e a melhoria da infraestrutura, o estímulo à retomada dos investimentos estruturadores da economia e a atração de empresas para assegurar oportunidades de emprego aos sergipanos. Confira na publicação.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
737
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sergipe: Inclusão Social e Desenvolvimento

  1. 1. SERGIPE:INCLUSÃO SOCIAL EDESENVOLVIMENTOHá um novo Sergipe nascendono coração da gente.
  2. 2. SERGIPE: INCLUSÃO SOCIALE DESENVOLVIMENTOAs ações do Governo do Estado de Sergipe vêm sendo pautadas pelaconstrução de políticas públicas voltadas para a inclusão social e para ainserção de Sergipe nas transformações que o Brasil está realizando.A atuação do Governo do Estado está estruturada em torno de dois eixos: ainserção pela renda e a inserção pelo direito, por meio do acesso às políticaspúblicas. Essas ações envolvem a expansão e a melhoria da infraestrutura,o estímulo à retomada dos investimentos estruturadores de nossa economia— cujos destaques são os projetos da Petrobras e da Vale – e a atração deempresas para assegurar oportunidades de emprego aos sergipanos.Os investimentos em infraestrutura priorizaram a integração de Sergipe aosdemais estados da região e a articulação interna do território estadual comoforma de estimular a produção local e abrir novos vetores de desenvolvimento.A nossa meta-síntese, em sintonia com o Governo Federal, é a erradicação damiséria. Os resultados confirmam o acerto dessas políticas.O presente documento sintetiza os principais indicadores que comprovam osavanços de Sergipe nos campos econômico e social, além de apresentar osnovos investimentos que estão sendo anunciados hoje, com a presença daPresidenta da República.
  3. 3. Sergipe, com 21,9 mil km2, é o estado de menor extensão territorial da federação brasileira.Localizado na região Nordeste, tem como limites os estados da Bahia (ao sul e a oeste) eAlagoas (ao norte, cuja fronteira é demarcada pelo rio São Francisco) e, a leste, o OceanoAtlântico. Possui 75 municípios e uma população estimada em 2,1 milhões de habitantes.Desse total, 1.562.000 pessoas – cerca de 73% – residem nas áreas urbanas e 566mil, equivalentes a 27%, residem em áreas rurais. A população sergipana correspondeaproximadamente a 1,1% da população brasileira e a 3,9% da região Nordeste, segundo aPNAD (Pesquisa Nacional de Amostra Domiciliar) de 2011.Apesar de sua pequena dimensão territorial, Sergipe é um estado diferenciado dentro doNordeste. Possui os melhores indicadores econômicos e sociais da região. Nos últimosanos, tem apresentado desempenho superior à média do Brasil e do Nordeste em váriasdimensões do desenvolvimento devido ao importante processo de transformação por quevem passando.Desde o início dos anos 1980, a economia de Sergipe apresenta, em média, taxas decrescimento do produto interno acima das médias regional e nacional. Em dez dos quinzeanos entre 1996 e 2010, Sergipe cresceu acima da média do Nordeste e, em nove deles,acima da média do Brasil.As especificidades que fazem de Sergipe um estado diferenciado na região Nordeste são:• O padrão de ocupação das terras em Sergipe, menos concentrado do que emoutros estados da região;• Uma parcela relativamente menor do território na região semi-árida;• A exploração de importantes jazidas minerais que conferiram, desde os anos60 do século passado, uma vantagem a Sergipe em relação à maioria dosestados da região (petróleo, gás natural, potássio e calcário); e• Um papel muito particular do Estado e das políticas públicas em seudesenvolvimento.Sergipe: construindo umNordeste diferente
  4. 4. Em 2010, o PIB sergipano alcançou 21,4 bilhões de reais. Sergipe tem nos setores deserviços e industrial sua principal fonte de geração de riqueza. As participações destessetores no Valor Adicionado Bruto – VAB são, respectivamente, de 66,8% e 28,6%. O setoragropecuário participa com 4,6%.Fonte: IBGE (2012)/Contas Regionais 2010.Uma das principais marcas de Sergipe é a extração de riquezas minerais como o petróleoe gás natural, além de outros minérios como a silvinita e a carnalita, matérias-primasfundamentais para a fabricação de fertilizantes. Sergipe dispõe também de importantesjazidas de calcário, que fizeram com que o estado fosse o maior produtor de cimento doNordeste e o sexto maior do Brasil.Ao lado da riqueza mineral, que propiciou a formação de uma importante cadeia produtivamínero-química (com destaque para a produção de petróleo, gás natural e fertilizantes),Sergipe conta com um parque produtivo diversificado, em que se destacam os segmentosde alimentos e bebidas; têxtil, calçados e confecções; produtos metalúrgicos; e materialelétrico. O agronegócio também é importante, com destaque para as lavouras de laranja,milho, cana-de-açúcar e fruticultura irrigada.Em comparação com a média dos estados nordestinos, o peso do setor industrial naformação do PIB é significativamente mais elevado em Sergipe, em grande parte por contada presença da extração de petróleo e da geração de energia hidroelétrica. A participaçãoda indústria em termos de peso no PIB situa-se em segundo lugar, depois da Bahia.
  5. 5. Participação do setor secundário na geração doPIB total de 2010 – Estados do Nordeste e Brasil (Percentualmente)Fonte: IBGE (2012)/Contas Regionais 2010.Sergipe: Exportador de EnergiaSergipe conta também com uma matriz elétrica diversificada. Nela se destacam a produçãode energia hidrelétrica e de petróleo e gás. Mas há participação crescente da bioenergia eda energia eólica. Hoje, Sergipe é também exportador de energia para outros estados daregião.Energia elétricaEm 2011, a produção de energia elétrica em Sergipe alcançou 9.670 GWh.• Hidrelétricas – Com capacidade instalada de geração de 1.588 Megawatts,Sergipe está próximo à segunda colocação do Nordeste. Só não ocupamosa segunda colocação devido à divisão da produção da Usina de Xingó como Estado de Alagoas. Em termos de produção, representa a 3ª posição noNordeste (14,44% da produção regional). No Brasil ocupa a 13ª colocação(1,82% da produção nacional).
  6. 6. • Termoelétricas – A energia gerada por termoelétrica se dá através de umaindústria particular. A Unidade tem capacidade de geração de 25 MW deenergia.• Energia Eólica – O primeiro Parque Eólico do estado, localizado no municípioda Barra dos Coqueiros, vai proporcionar um acréscimo de capacidade de35 MW (megawatts de energia) à matriz energética existente. A energiagerada pelo parque eólico é suficiente para abastecer uma cidade com 120 milhabitantes.• Energia Solar - Em outubro de 2012, o engenheiro alemão Johannes Schrüfervisitou o estado e está analisando a possibilidade de instalar em Sergipe umParque de Energia Solar. O projeto apresentado por ele para captação deenergia solar está em pleno funcionamento no sul da Espanha, através deum sistema que representa uma das duas tecnologias dominantes na área, acaptação parabólica ou torre solar.
  7. 7. • Produção de petróleo – O estado é o quinto maior produtor do Brasil,representando2%daproduçãonacional,eosegundodoNordeste,respondendopor 26,7% da região. Em 2011, a produção alcançou 2.438 mil m3.Na produção do gás natural, Sergipe representa 4,6% da produção brasileira e 22,5%da nordestina. Hoje, Sergipe ocupa a 6ª posição na produção de gás do país e a 2ª doNordeste. A produção de gás natural em 2011 alcançou 1.101 milhões de m3.A produção de álcool em Sergipe foi retomada recentemente devido à entrada deempresários de outros segmentos. Atualmente, a produção responde por 0,42% da nacionale 5% da regional. A produção de gás natural em 2011 alcançou 98 mil m3.Economia cada vez mais diversificadaSergipe é o quarto maior produtor de laranja do país, conta com uma pecuária leiteiraexpressiva para os padrões regionais e tem investido, nos últimos anos, em projetos deirrigação de hortaliças, rizicultura e frutas tropicais, além dos cultivos tradicionais, comofeijão, mandioca e milho. Essa última cultura tem apresentado crescimento expressivo nosúltimos anos.A construção civil encontra-se consolidada no estado e responde por um contingente deemprego próximo ao montante da indústria de transformação. Esse segmento desenvolveuexpertise no segmento habitacional, contando com empresas que adquiriram statuscompetitivo no mercado nacional.O setor terciário tem apresentado um papel crucial na geração de postos de trabalho,respondendo em 2010 por 66,8% do PIB estadual e cerca de 60% da população ocupada.O crescimento do setor de serviços tem o seu desenvolvimento associado ao turismo, ensino,saúde e serviços especializados voltados ao atendimento da demanda empresarial.
  8. 8. Sergipe possui importantes investimentos industriais, com a presença de algumas das maisimportantes empresas sediadas no país em setores diversificados da economia. Além disso,desde o início do Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI), dedicado aincentivar a industrialização do Estado, Sergipe recebeu 550 novas indústrias, dentre asquais se destacam:• Petrobras: investimentos de U$ 1,0 bilhão em 2012;• Vale: produção de potássio a partir da silvinita e da carnalita para a indústriade fertilizantes, com investimentos previstos de até US$ 4 bilhões;• Votorantim: maior fábrica de cimento do Nordeste, em expansão;• Grupo Nassau: em expansão;• Chesf: Usina Hidroelétrica de Xingó, que atende a 25% da demanda doNordeste;• Ambev (AB-Inbev): indústria de bebidas, detentora de marcas como Brahmae Antarctica;• Crown: fabricação de latas de alumínio, especialmente para a indústria debebidas;• Desenvix: exploração de energia eólica;• Fafen: fabricação de fertilizantes (amônia e ureia);• Leite de Rosas: fabricação de cosméticos;• Rio Verde: investimento previsto na exploração de potássio;• Azaleia-Vulcabras: calçados.Nos últimos anos, foram retomados projetos estruturantes, com destaque para a consolidaçãodo Polo de Fertilizantes de Sergipe, por meio da implantação do Projeto Carnalita, da Vale,e para a planta de sulfato de amônio da Fábrica de Fertilizantes do Nordeste (Fafen),pertencente à Petrobras.Os investimentos na exploração petrolífera das novas áreas na bacia de Sergipe e Alagoastambém abrem grandes oportunidades para o desenvolvimento de Sergipe.Em 2012, a Petrobras anunciou quatro descobertas de hidrocarbonetos leves em águasultraprofundas da Bacia de Sergipe-Alagoas, nos poços 1-SES-168 (Moita Bonita), 3-SES-165 (Barra), 1-SES-167 (Farfan) e 1-SES-172, conhecido informalmente como Muriú.
  9. 9. A Petrobras estima que Sergipe se tornará, nos próximos quatro anos, o maior produtor depetróleo do Norte e Nordeste. A bacia Sergipe-Alagoas vive a expectativa de quintuplicarsua produção nos próximos anos, saltando de 40 para 200 mil barris de petróleo/dia. Dessaforma, seguramente o petróleo continuará a ser, pelo menos nos próximos 30 anos, umadas principais âncoras da economia sergipana.O Projeto Carnalita, por sua vez, assegurará a continuidade da produção de potássio porcerca de 30 anos. Os números do projeto são muito expressivos: o investimento devealcançar US$ 4 bilhões, tornando-se o maior investimento privado já realizado em Sergipe.A empresa prevê a geração de até 4 mil empregos durante a implantação e de cerca de milempregos na operação. O Projeto Carnalita deverá se consolidar como o mais importanteempreendimento produtivo já realizado em Sergipe, depois da exploração de petróleo.Segundo estimativa da Associação Nacional para a Difusão de Adubos (ANDA), o grau dedependência da agricultura brasileira de fertilizantes importados alcançou, em média, 70%,em 2011. No caso de um dos três nutrientes básicos para a produção de fertilizantes,o potássio, a dependência atinge 90%. A mina Taquari-Vassoura, em Sergipe, é a únicaunidade produtiva no território nacional.Com o Projeto Carnalita, a produção de potássio do Brasil, inteiramente sediada em Sergipe,deverá saltar para 1,2 milhão de toneladas, reduzindo a dependência do potássio importadopara 75% até 2020.Fonte: Vale
  10. 10. A partir de 2007, as políticas públicas do Estado de Sergipe foram norteadas por três linhasde ação:• Retomada do planejamento;• Criação de condições para a modernização do estado e de um novo horizontede oportunidades para a população sergipana;• Inserção de Sergipe no movimento de transformação econômica e social doBrasil.Sergipe registra os melhores indicadores da região Nordeste, em função do crescimento desua economia e das políticas sociais adotadas, inclusive as de transferência de renda.A melhoria do mercado de trabalho, com a geração de mais postos de trabalho, foi uma dasprincipais forças inclusivas. A PNAD de 2011 revela que o número de pessoas ocupadas emSergipe cresceu 27% na comparação com 2001, contra a média de 23% no Brasil. As duastaxas são superiores ao crescimento da população economicamente ativa. Foi o resultadomais elevado entre os estados do Nordeste. Entre 2001 e 2011, mais 204 mil pessoaspassaram a ter ocupação, formal ou informal, em Sergipe.IDH (2007) 0,770 , considerado de médio desenvolvimento,e o mais elevado da região Nordeste.Fonte: Boletim Regional do Banco Central do Brasil. Janeiro de 2009.Gente: o principalcuidado do Governode Sergipe
  11. 11. O PIB per capita de 2010 é R$ 11.572,44, o 1º do Nordeste, frente à média regional de R$9.561,41.PIB per capita dos Estados do Nordeste – 2010Fonte: IBGE (2012)No período mais recente, entre 2006 e 2011, os indicadores socioeconômicos de Sergiperegistraram avanços significativos. Com o aumento do emprego de qualidade, a renda dosergipano se elevou. A renda média familiar per capita de Sergipe passou a ser a mais altado Nordeste.O rendimento médio da família sergipana, por membro familiar, vem crescendo acima dataxa média do Brasil e do Nordeste, fazendo com que melhore a sua situação relativa.Enquanto, em 2006, esse rendimento representava 67% da média brasileira, em 2011, elehavia subido 9 pontos e alcançado 76%. Na comparação com o Nordeste, Sergipe — que jásuperava o rendimento médio da região em 13%, em 2006, e se situava 22% acima dele,em 2011.
  12. 12. Com mais emprego, maior estabilidade no trabalho, melhores salários, acesso ao créditoe, ao mesmo tempo, sendo beneficiários de programas sociais, mais domicílios brasileiros,principalmente aqueles situados nos estados mais pobres, passaram a contar com serviçospúblicos e ter acesso a bens de consumo duráveis, dados que sintetizam as novas condiçõesproporcionadas pelo ciclo de crescimento inclusivo.O número de famílias sergipanas com computadores em casa e acesso à internet pulou de71 mil para 176 mil, entre 2006 e 2011, crescendo 149%. Eram apenas 8,5% dos domicíliosem 2006 e são 26,9% em 2011. O número de domicílios com televisor saltou de 524 milpara 637 mil.Mais 147 mil famílias passaram a ter acesso a geladeiras. Eram 81,6% dos domicílios em2006, e são 93,4% em 2011. O número de famílias com máquina de lavar se restringia a 75mil, em 2006; passou para 178 mil em 2011, com um crescimento de 137%.Fonte: IBGE, Pesquisa Nacional de Amostra Domiciliar (PNAD).Acesso a bens: agora,os sergipanos vivemcom mais conforto
  13. 13. Entre 2001 e 2009, a participação da classe C na população sergipana passou de 23,4%para 38,4% do total da população, tornando-se o estrato de renda com maior contingentepopulacional.Em termos absolutos, o número de pessoas pertencentes a esse segmento saltou de 431mil para 788 mil, um incremento de 83%. Nesse período, mais 357 mil pessoas passarama fazer parte da classe C, o maior incremento entre os segmentos considerados, tanto emtermos relativos quanto em termos absolutos. O estrato referente às classes A e B, que, em2001, contava com 75 mil pessoas, registrou, em 2009, 132 mil pessoas, 56 mil pessoas amais, enquanto a classe D foi ampliada em 54 mil pessoas.Fonte: CPS/FGV, com base em dados da PNAD do IBGE.
  14. 14. O êxito de Sergipe na redução da miséria pode ser atribuído a três eixos principais deatuação: o avanço nos indicadores econômicos, a retomada do investimento público e aspolíticas de transferência de renda.Os indicadores econômicos de Sergipe avançaram bastante nos últimos anos, apresentandotaxas de crescimento superiores ao Nordeste e à média brasileira. A renda per capitasergipana aumentou 41% entre 2000 e 2010, bem acima dos 20% registrados para osdemais estados nordestinos. O emprego formal expandiu-se 48% entre 2007 e 2011, oque significa um incremento médio de 8,1% ao ano. Outro indicador muito positivo foi odesempenho do PIB. Houve uma ampliação de 58% do Produto Interno Bruto entre os anosde 2003 e 2011, contra apenas 42% registrados nos outros estados da Região Nordeste.Outro fator que impulsionou a queda da extrema pobreza foi o grande aumento doinvestimento público ocorrido no Governo de Sergipe a partir de 2007.Fonte: IBGE/PNAD. Cálculo do IPECE.Erradicação da miséria:um Sergipe mais rico paracada vez mais pessoas
  15. 15. Mais de mil quilômetros de malha viária do Estado foram recuperados. Além disso, oGoverno construiu novas rodovias e pontes. Está em curso também o maior volume deinvestimentos da história em saneamento ambiental, principalmente no abastecimento deágua e em esgotamento sanitário. Na área de habitação, foram construídas mais de 15mil casas dotadas de infraestrutura. Destacam-se também investimentos expressivos nareforma e ampliação de escolas, assim como a reestruturação da rede de atenção à saúde,nos níveis básico e hospitalar.As políticas de transferência de renda, especialmente o Programa Bolsa Família, tambémforam fundamentais para diminuição da miséria. Mais de 125 mil famílias inscritas noCadastro Único passaram a ter renda superior a R$ 70,00, graças à atuação do Programaem Sergipe, reduzindo em 58,8% o número de famílias nessa condição.
  16. 16. As políticas públicas empreendidas nos últimos anos pelos governos federal e estadualforam responsáveis diretamente pela diminuição da miséria em Sergipe. A boa notícia éque as perspectivas para o biênio 2013 e 2014 são melhores ainda. Os dados divulgadospela PNAD/IBGE não tiveram tempo hábil de captar os efeitos produzidos pelos programaslançados posteriormente, visto que foram coletados em setembro de 2011.Esse é o caso do Plano Brasil Sem Miséria, do Programa Brasil Carinhoso e do Plano SergipeMais Justo. O impacto dessas políticas só será medido na PNAD 2013. Entretanto, pormeio do CadÚnico, já é possível verificar uma redução de 52,5% no número de famílias aperceber renda de até R$ 70,00, o que torna cada vez mais próxima a meta mobilizadora daatual administração de erradicar a pobreza absoluta no nosso estado.Estudo realizado pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE) revelouque a proporção de pessoas em situação extrema pobreza no estado de Sergipe (aquelascujo rendimento domiciliar mensal não ultrapassa R$ 70,00 per capita), caiu de 9,89% para5,5% no período entre 2006 e 2011.A pesquisa mostra ainda que a quantidade de indivíduos nessa condição foi reduzidade 195.563 para 113.766, o que significa uma diminuição de 41,8%. 81.797 sergipanosdeixaram a pobreza extrema em cinco anos.Políticas públicas:o principal instrumentode transformação socialem Sergipe
  17. 17. A atração de empresas e os investimentos de grupos empresariais locais expandiram oemprego formal na economia sergipana em velocidade maior do que na média do Brasil edo Nordeste.Segundo dados do MTE-CAGED, o emprego formal em Sergipe aumentou 53% entre janeirode 2007 e dezembro de 2012, frente aos 46% de crescimento do Nordeste e 39% da médiado Brasil.O emprego formal em Sergipe cresceu 7,4% ao ano entre 2007 e 2012, um resultadoextraordinário. Para efeito de comparação, a média anual brasileira no mesmo período foide 5,6%, e a do Nordeste, 6,5%.Batendo recordes nageração de empregos
  18. 18. Por conta do desenvolvimento agrícola e da desconcentração dos investimentos industriaispara o interior, houve um desenvolvimento mais equilibrado territorialmente, ampliando ageração de empregos.• A criação de empregos formais saltou de 10.785, em 2006, para 19.213 em2011;• Entre 2007 e 2010, 51% dos empregos com carteira foram criados no interiordo estado, contra apenas 37% no período 2003-2006;• Ainda assim, foram criados 33.736 empregos na capital entre 2007 e 2010,frente a 26.132 entre 2003 e 2006.• No período de janeiro de 2007 a novembro de 2012, já são 103.232 empregoscom carteira assinada, distribuídos de forma equilibrada entre a capital (52.003)e o interior (51.232).Fonte: MTE-CAGED.
  19. 19. Mais lavouras, maioressafras: a agriculturasergipana decolaO apoio à agricultura familiar também concorreu para o crescimento do interior, com destaquepara a plantação do milho e a pecuária do leite.Em 2000, a produção de leite em Sergipe equivalia a 52% da produção do estado de Alagoas.Desde então, novas empresas de beneficiamento de leite foram instaladas, houve umaexpansão das pequenas queijarias (são mais de 150 no estado) e uma melhoria genética dogado. Em 2011, Sergipe já superava a produção do estado vizinho.Fonte: IBGE- Pesquisa Pecuária Municipal.A produção de milho deu um enorme salto, crescendo 217% entre 2006 e 2010, tornandoSergipe o segundo maior produtor do Nordeste naquele ano.
  20. 20. Desde 2007, o valor da produção do milho superou o da cana-de-açúcar, tornando-o acultura temporária mais importante do estado. Em 2011, a seca abalou profundamente alavoura, mas medidas fortes estão sendo adotadas e a produção deverá retomar seu vigornos próximos anos.Fonte: IBGE- Pesquisa Agrícola Municipal.Infraestrutura: o Governo dá as condições para o Estado crescerO acelerado crescimento da economia brasileira tem gerado notórios gargalos na estruturaprodutiva e urbana do país. Os investimentos em estradas, portos e aeroportos e aquelesvoltados para a melhoria da mobilidade urbana são cada vez mais necessários para evitaro estrangulamento físico do desenvolvimento industrial, rural e do turismo, assim como adeterioração da qualidade de vida nos centros urbanos.O planejamento do setor de transporte e logística tem como objetivo central integrar Sergipeaos demais estados da região, visando a potencializar seu desenvolvimento econômico. Sãoprioritários os seguintes investimentos em transporte:• BR-101: principal rodovia federal, abrange seis estados nordestinos. Estaráduplicada até 2014;• Rodovias estaduais: malha inteiramente restaurada, integrada ao litoral;• Turismo: rodovias estaduais litorâneas unem 700 km de praias entre Bahia aPernambuco;• Terminal Portuário a 18 km de Aracaju;• Aeroporto internacional em ampliação.
  21. 21. Os investimentos em infraestrutura também possuem o objetivo de integrar os territóriossergipanos para articular as atividades agrícolas e industriais dos municípios. O amplo conjunto de investimentos foi realizado seguindo essas diretrizes. O mapa a seguirsintetiza as ações executadas na melhoria da malha rodoviária.
  22. 22. Com a visita da Presidenta, estão sendo anunciados importantes investimentos que, juntos,alcançarão o valor de 1 bilhão de reais, e deverão gerar mais de 8.300 empregos diretos.Esses investimentos são a resposta de Sergipe aos estímulos do Governo Federal para aretomada do crescimento econômico no Brasil.Inauguração do Parque EólicoSergipe, que já contava com uma matriz energética diversificada (petróleo, gás natural,hidroeleletricidade e biomassa) dá início à produção de energia de fonte eólica.Em setembro de 2012, entrou em funcionamento o primeiro parque eólico implantado emsolo sergipano, diversificando ainda mais a matriz energética do Estado.O Parque Eólico Barra dos Coqueiros é composto por 23 torres aerogeradoras comcapacidade instalada de 34,5 MW, energia suficiente para abastecer uma cidade com 120mil habitantes. A Unidade de Energia Eólica (UEE) Barra dos Coqueiros comercializou suaenergia no primeiro leilão exclusivo de energia eólica do Brasil. A energia é contratada pelaCâmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) como energia de reserva por umprazo de 20 anos. O investimento total da obra é de R$ 125 milhões.Por meio do PSDI, o Governo do Estado de Sergipe concedeu incentivo locacional,disponibilizando uma área de 300 hectares vizinha ao Porto de Sergipe para a instalaçãodo parque eólico. Conjugado à disponibilidade de ventos e à facilidade de logística, esse foium dos fatores que fizeram com que a Desenvix, controladora do parque, optasse por suainstalação em Sergipe.Mais investimentos:o futuro de Sergipe agente constrói agora
  23. 23. Cimento e vidroA fabricação de produtos minerais não metálicos é uma das principais vocações produtivasde Sergipe, beneficiado por seus recursos naturais. Sergipe é o maior produtor de cimentoda região Nordeste, respondendo por mais de 20% do total produzido. A expansão dosinvestimentos na construção residencial e em infraestrutura rodoviária e urbana fez com quea demanda pelo produto crescesse exponencialmente no país.As duas maiores cimenteiras implantadas em Sergipe, vinculadas aos grupos Votorantime Nassau, anunciaram a expansão de suas capacidades produtivas. Além disso, o grupoBrennand, originário de Pernambuco, anunciou a implantação de uma nova unidade.Além disso, a Saint-Gobain, uma das maiores fabricantes de vidros do mundo, confirmou aimplantação de uma unidade no município de Estância para atender à demanda da indústriade alimentos e bebidas da região Nordeste, que cresce a passos rápidos com a inserção denovos consumidores oriundos da classe C.Três das empresas que realizarão investimentos no estado estão situadas no município deLaranjeiras.A VOTORANTIM investirá R$ 72,2 milhões na ampliação da sua capacidade de moagem. Oinício das obras aconteceu em outubro de 2012 e a previsão para a operação plena é junhode 2013. A unidade atenderá os mercados de Sergipe, Bahia, Alagoas e Pernambuco, comcapacidade de produção de 850 mil toneladas de cimento por ano. Com a intervenção, aunidade gerará 371 novos empregos e 279 indiretos, ou seja, 650 novas vagas.O GRUPO NASSAU modernizará sua produção, com investimento total de R$ 68 milhões,destinados ao aumento da capacidade de produção e de geração de energia (usinatermoelétrica) da planta. Com a modernização, prevista para estar concluída em junho de2013, a fábrica passará a gerar 267 empregos diretos e 3.068 postos indiretos, incluindo osatuais.Uma nova fábrica de cimento será construída no município pelo GRUPO BRENNAND. Paratanto, serão investidos R$ 366 milhões. A unidade deverá iniciar a produção em dezembrode 2014, gerando 246 empregos diretos e 900 indiretos.Total do Investimento das cimenteiras: R$ 506,2 milhões.SAINT-GOBAIN: o grupo empresarial internacional produzirá embalagens de vidro nomunicípio de Estância. A fábrica destina-se a atender às demandas dos setores de alimentose bebidas de todo Nordeste.Investimento: R$ 228 milhões.As obras têm início previsto para o primeiro trimestre de 2013 e a fábrica deve entrar em
  24. 24. operação em dezembro de 2014.ALMAVIVA: A AlmavivA do Brasil é uma sociedade de Telemarketing e Informática doGrupo AlmavivA, empresa líder na Itália na oferta de soluções de tecnologia de informaçãoe comunicação.A Companhia chegou ao país em agosto de 2006. Possui 12.000 funcionários atualmente,com mais de 6.200 posições de atendimento. Entre 2006 e 2011, 30.000 pessoas foramtreinadas, com a geração de aproximadamente 30.000 primeiros empregos.Para Aracaju, o projeto de implantação de Call Center prevê a geração de 3.500 e 500empregos indiretos. O investimento é de R$ 30 milhões.GRUPO MARATÁ: O Grupo Maratá investirá no Estado de Sergipe, em 2013, mais R$ 140milhões da seguinte forma:• Implantação de um frigorífico no município de Estância: investimento de R$40 milhões;• Aquisição de máquinas e equipamentos industriais para ampliação dacapacidade instalada: investimento de R$ 100 milhões.Geração de empregos no frigorífico: 1.300 empregos;Geração de empregos nas fábricas: 200 empregos.A implantação do novo frigorífico, com capacidade para abater 500 bois/dia, atenderá àdemanda da Região Sul de Sergipe. O Grupo prepara-se para iniciar a construção em julhode 2013.Em 2012, o Grupo Maratá já havia investido em suas empresas (5 unidades) aproximadamenteR$ 100 milhões. Portanto, considerando-se o período de 2012 e 2013, serão investidos R$240 milhões na economia sergipana.Informações complementares• O Grupo Maratá é sergipano e fatura atualmente em torno de R$ 1,11 bilhãoanualmente;• Além disso, possui uma fundação que atende 958 crianças, em escolas deEstância e Lagarto, e 1.401 estudantes no ensino superior.
  25. 25. Ponte Gilberto Amado:unindo o povo sergipanoao desenvolvimentoEscritor, jornalista e político nascido em Estância, Gilberto Amado se destacou no cenáriointelectual brasileiro como um dos mais importantes homens de letras de seu tempo.Nascido em Estância, em 1887, Gilberto Amado se formou em Direito pela Faculdade deDireito do Recife, onde também ensinou Direito Penal. Ao se transferir para o Rio de Janeiro,logo se destacou nos salões literários da época, não só por conta do jornalismo, mas tambémdevido a seus romances, memórias, crônicas, poemas e ensaios.Político influente, eleito deputado federal por Sergipe em 1915, chegando a senador, GilbertoAmado também foi embaixador do Brasil em países como Itália, Finlândia, Suíça e Chile.Além disso, alcançou a presidência da Comissão de Direito Internacional da ONU.
  26. 26. É esse sergipano ilustre que o Governo do Estado homenageia agora, dando seu nome auma das mais importantes pontes já construídas em Sergipe.O investimento da obra é superior a R$ 124 milhões (R$ 124.253.126,29), resultado deparceria entre Governo Federal, por meio do Ministério do Turismo e BNDES, e Estado deSergipe, por meio da Seinfra e do DER.Localizada sobre o rio Piauí, é a maior ponte sobre rio do Nordeste, com 1.712 metros deextensão, 14,20 metros de largura (duas pistas de 3,50m cada, acostamentos e passeios),vão central de 25 metros de altura e 205 postes de iluminação. A estrutura liga os municípiosde Estância e Indiaroba por meio dos povoados de Porto do Cavalo e Terra Caída.A ponte Gilberto Amado faz parte do projeto do Governo do Estado de promover a integraçãode todo o litoral sergipano e, em um futuro próximo, do litoral nordestino, por via costeira,de Recife a Salvador. A construção da ponte permite a ligação integral Aracaju–Salvador porvia costeira, reduzindo a distância entre as capitais, criando um importante eixo rodoviárioentre Sergipe e Bahia, e retirando da BR-101 um expressivo número de veículos.A interligação plena do litoral sul sergipano aumentará as alternativas para investimentos edinamizará o turismo na região. Ela será fundamental para que a Copa do Mundo de 2014 seestenda a Sergipe, que possui a intenção de receber uma das seleções participantes duranteo período de treinamento.

×