Imuno basica

6.342 visualizações

Publicada em

Introdução a imunologia conceitos básicos e revisão de células que fazem parte do sistema imune. Imunidade Inata e adaptativa e a interação das duas....

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.342
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
152
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Imuno basica

  1. 1. ImunologiaEstuda a resposta imune, é uma resposta coletiva e coordenada baseada em ativações einibições, com o objetivo de manter homeostase. Medula óssea Células Tronco Progenitor Mielóide Progenitor Linfóide Leucócito Eritrócitos Linfócito LeucócitoMonócito, Neutrófilo, Basófilo, Eosinófilo T e B, NKMacrófagoSISTEMA IMUNEEste dividido em Inato e adaptativo, também conhechi como:- Imunidade Inata = Responde da mesma maneira para motivos diferentes.EX: monócito, neutrófilo, eosinófilo, neutrófilo e cél. NK.- Imunidade Adaptativa = É o tipo de defesa estimulada pelos microorganismos que invademos tecidos, adaptando-se á presença dos invasores microbianos.EX: Linfócito T e B.Os mecanismos da imunidade natural são responsáveis pela defesa inicial contra a infecção(Imunidade Inata).Alguns destes microorganismo previnem as infecções e outros eliminam osmicroorganismos. A resposta imunológica adquirida desenvolve mais tarde, sendo efetuadapelos linfócitos e seus produtos (anticorpos)
  2. 2. CARACTERÍSTICAS DA RESPOSTA IMUNE: x Autolimitação: é uma característica fundamental do sistema, pois permite que o sistema retorne a estado de repouso e esteja preparado para responder a outra infecção. x Memória: Leva uma resposta rápida e aumentada a exposições repetidas de um mesmo antígeno. x Diversidade: Permite que o sistema imune responda a estímulos diferentes, devido a grande variedade de antígenos. x Especificidade: Garante que antígenos distintos expressem respostas específicas, ou seja, responder de maneira diferente de forma diferente x Tolerância ao próprio: ausência da respostaExperimento: Foi injetado em um camundongo anticorpos X e Y e no 12º dia foi injetado um 3ºestimulo a insulina, e o gráfico é o resultado da resposta imune do camundongo.Antígeno X: Conclui-se que ao injetar o 1º estimulo de antígeno X, o tempo demorado para osanticorpos agir é de 4 dias, ao injetar o 2º estimulo de antígeno X o tempo demorado é de 3dias, pode se concluir que o pico do 2º estimulo é maior devido a memória existente.Antígeno Y: Conclui-se que ao injetar o antígeno Y ele demora 7 dias para agir, isto ocorredevido a diversidade. Só que especificamente quando foi injetado no 12º dia o 3º estimulo ainsulina ele fica ausente de resposta e tolera algo normal.IMUNIDADE INATAComposta por mecanismos mais antigos que a Imunidade adaptativa. Age da mesma maneirasempre pra estímulos diferentes:-Barreiras epiteliais: Pele e a mucosa do trato gastrointestinal, respiratório e urogenitalformam uma obvia barreira de antígenos. Além de barreiras físicas, os epitélios fornecembarreiras fisiológicas á entrada de microorganismos vivos.Nas barreiras há produção defensiva.- Secreção corpórea
  3. 3. -Fagócitos: Neutrófilo e macrófago-Células NK-Sistema complementar-Células dendríticasFunção:Reparo tecidual, Prevenir infecções por si só, ‘Aviso’ para a imunidade adaptativa, Mecanismosefetores para a imunidade adaptativaLINFÓCITO B BAo receber um estimulo se diferencia em Plasmócito, o Plasmócito secreta proteínas.O Linfócito B é a única célula que produz anticorpo, expressa bastante anticorpo na superfície.NEUTRÓFILOSão leucócitos polimorfonucleares (PMN). Possuem núcleo trilobado (segmentado), possuemgrânulos com enzimas microbicidas, colagenase e elastase. A população de leucócitos maisabundante no sangue, são cerca de 10¹¹ neutrófilos produzidos por dia.BASÓFILONúcleo bilobadoEOSINÓFILO
  4. 4. Núcleo bilobado.MONÓCITO Núcleo largo (núcleo maior e mais largo, ocupa uma grande quantidade da célula). Precursordo macrófago, o macrófago deriva no fígado de células de Kupfer, no Sistema nervoso decélulas na micróglia, no osso de osteoclastos.FAGÓCITOSSistema mononuclear fagocítico.Formados por Monócitos que quando deixam o sangue se transformam em Macrófagos .O Pus é derivado de fagócitos, ou seja restos de antígenos, o acúmulo de pus no tecido,formando uma cavidade delimitada por uma membrana é chamado abcesso.Como ocorre o reconhecimento dos antígenos pelos fagócitos .O reconhecimento é feito por receptores específicos, pré formados e com pequenadiversidade.Os receptores da imunidade Inata reconhecem padrões moleculares associados a patógenos.Bactérias possuem muitas seqüência CG não metilada no DNA (Ilhas CPG).Alguns víruspossuem RNA fita dupla.Toll-like receptor = Receptor de manose (receptor de varreduras), reconhece receptores depadrões moleculares. Como estes padrões repetitivos são infreqüentesou ausentes emanimais, a imunidade inata é capaz de distinguir o próprio do não próprio. Já foram descritos10 Toll-like-receptor diferentes em humanos.
  5. 5. Ex: Duas bactérias diferentes GRAM + FIGURA DE BACTÉRIA COM PEPTIDIOGLICANOS GRAM + Imu. Inata – recoenhece algo diferente, mas não algo específico da bactéria. A imunidade inata pode reconhecer peptidioglicanos, mas não diferencia 2 bactérias diferentes.Percebem que são padrões que se repetem em organismos não vivos. Toda doença auto imune tem falha na imunidade adaptativa, a falha está no reconhecimento do aviso. A diversidade de interações antígeno receptores é muito menor na imunidade inata (-10³) do que na adaptativa (-10 3 – 10 4). Reconhecimento = prevenir infecções por si só. Mecanismos efetores para a imunidade adaptativa: Reconhecimento Fagocitose Interação com imunidade adaptativa Mais fagocitose LINFÓCITOS T e B São gerados e precisam ser maturado, caso contrario não posuirão função. A maturação do Linfócito B ocorre na Bone Marrow (medula óssea), por isso o nome Linfócito B, gerado e maturado na Medula óssea. A maturação do Linfócito T ocorre no Timo, gerado na Medula óssea e maturado no Timo. ORGÃOS LINFÓIDES PRIMARIOS Timo e Medula óssea. ORGÃOS LINFÓIDES SECUNDÁRIOS Linfonodos e Baço. INICIAÇÃO DA RESPOSTA IMUNE ADAPTATIVA3 2 A 1 4 5 B C
  6. 6. 1. Célula dendrítica vai ao tecido danificado 2. Ao encontrar o tecido danificado faz fagocitose dos antígenos ali presentes 3. Após a fagocitose ocorrera o mecanismo de drenagem, ou seja a célula dendritica será drenada. 4. O linfonodo detecta a célula dendrítica que fagocitou 5. Esta célula dendrítica para no linfonodo e após fará suas funções e morrerá. A. A célula dendrítica passa pelo tecido danificado sem fagocitar antígenos ali presentes. B. Está célula será drenada para o vaso linfático. C. Como esta célula não fagocitou migrará mais rápido pelo vaso linfático, sem parar no linfonodo.PROTEÍNAS – EXPRESSÃO GÊNICA 1 3 2 4 1. O receptor entra em contato com um antígeno 2. Este receptor de antígeno manda uma mensagem para o núcleo da célula que ativa o RNA a fazer transcrição e a sintetizar proteínas. 3. A célula responde a mensagem fagocitando o antígeno 4. E também responde a mensagem gerando proteínasO mesmo receptor pode expressar diversas respostas diferentes.
  7. 7. CLUSTER OF DIFERENCIATION (CD)São proteínas de superfície que servem para diferenciar células. (São encontradas namembrana da célula).Como diferenciá-los (parâmetros):A forma de diferencia-los é analisando as protéinas que são expressadas, e geralmenteexistem proteínas específicas que podemos observar e distinguir qual é do Linfócito B, e qualé do Linfócito T.O Linfócito T, expressa especificamente o CD3, e o linfócito B, expressa especificamente o CD19. Os CD’s são diferenciados a partir da organização dos aminoácidos. Ao diferenciarmosconseguimos separa o linfócito T em mais dois subgrupos o Helper TCD4+ (que possui expressoo CD3 e CD4), e o Citotóxico TCD8+(que possui expresso o CD8 e CD3).INTERAÇÃO POR CONTATOA célula expressando a mensagem encontra um ligante que se funde com aquela proteína, quetransmite uma nova mensagem que dará origem a um novo receptor, caso uma 3º célulasecrete uma proteina a distancia, e o ligante se conecta ao receptor, gerara uma novamensagem.
  8. 8. Interleucina = Proteínas secretadas e usadas para comunicação a distância entre doisleucócitos. Hoje em dia a mensagem não necessariamente é entre 2 leucócitos, podendo serentre uma célula endotelial e o macrófago, sendo chamado de interleucina ou citosina.IMUNIDADE INATA E ADAPTATIVA AvisoMecanismo Efetor INATA ADAPTATIVA Estimula e RegulaInata: Será a 1º a encontrar um estimulo (antígeno).Adaptativa: Aumenta ou diminui os mecanismos que já existem.Experimento:O mecanismo do estimulo inata + adaptativa é maior e age melhor. A inata resolve sozinha,com a adaptaiva resolve melhor, e só a aaptativa não faz nada.MIGRAÇÃO CELULARINFLAMAÇÃO
  9. 9. Moléculas de adesão-Selectinas = Se ligam a resíduos de açucares (ligação fraca)- Integrinas = Se ligam a proteínas, outras integrinas (ligação forte)Os neutrófilos podem expressar pouca integrina, porém recebe uma comunicação da citocina(quimiocina), que aumenta a aderência das integrinas, este aumento gera a movimentação e orolamento, sempre onde houver mais quimiocina o neutrófilo estará lá. Esta quimiocina vemdas mesmas células de defesa que secretam as citocinas anteriores. Os leucócitos seguem umgradiente de quimiocinas, onde houver mais quimiocina haverá mais leucócito.As quimiocinas não se ligaram mas mandaram mensagem para a célula endotelial, mandarama mensagem direto pro leucócito do vaso. Este processo gera o rolamento, pausa e saída doleucócito.TNF-ᴦ e IL-1, passa um recado para a célula endotelial se parar (não ficar tão junta),aumentando a permeabilidade vascular, aumentando este espaço ele dará passagemDIAPDESE para o leucócito de dentro do vaso para fora do vaso (tecido).ROLAMENTO ADESÃO DIAPDESE
  10. 10. ORGANIZAÇÃO DOS RECEPTORES DE ANTÍGENOSCélula muscularImunidade InataMacrófagoImunidade adaptativaLinfócito B e Linfócito TLinfócito BReconhece uma coisa diferente de outra.Linfócito T
  11. 11. Reconhece uma coisa diferente de outraAcaso é a teoria mais indicada para explicar porque cada linfócito tem expresso em sua célulauma proteína diferente.CURSO GERAL DA RESPOSTA IMUNE-Naive: Linfócitos ingênuo-BM e TM: são linfócitos que não sofrem apoptose e se tornarão linfócito de memória (quepode viver até 20 anos) e morre muito menos, comparado com o linfócito comum (que podeviver 6 meses) ele vive mais e age com maior precisão.O s receptores da imunidade adaptativa estão organizados da idéia clonal.
  12. 12. Reconhecimento de antígenos depende da ligação (antígeno -> receptor), a mensageminformada pode ser “célula prolifere” e ocorrerá o aumento de linfócito. Expansão clonal,encontra-se diversos receptores iguais.ANTICORPOSÉ um receptor de antígeno do linfócito B. O anticorpo é uma proteína. Anticorpos sãosinônimos de Imunoglobulina (Ig), ou Gamaglobulina.Estrutura:Possuem em sua estrutura duas cadeias pesadas e duas cadeias leves. Tem a forma solúvel eforma de membrana. Além disso, temos na molécula de anticorpo sítios constantes (C) eregiões variáveis (V), esta variação de um clone pro outro ocorre no seqüenciamento doaminoácido daquela região, com aminoácidos em organização aleatória, esta variação é o quefará diferença no reconhecimento, estes formatos diferentes faz com que se liguem diversosantígenos diferentes. Na parte C, encontramos moldes fixos.Ao colocar anticorpos em contato com a enzima papaína, ocorrerá a digestão e separação domesmo em duas frações.FC = A primeira parte que será cristalizada é conhecida como FC que é a região constante, e écompartilhada por diversos clones.FAB = A segunda fração recebe o nome de FAB (Fração antigen binding), esta parte auxilia apassagem da mensagem intra-celular.Os anticorpos têm como função: 1. Ser um receptor de antígeno
  13. 13. 2. Neutralização 3. OpsonizaçãoReceptor de antígeno:A interação das duas cadeias terá um relevo molde, encaixe diferente. Na vista por cimaobserva-se relevos e o antígeno deve ser complementar a este relevo. Estas regiões sãopequenas e isso quer dizer que cada anticorpo reconhece apenas uma fração do antígeno ( enão ele por completo). Estas pequenas partes são chamadas de epítopo (partezinha de umantígeno que é reconhecido por um receptor de linfócito). Cada epítopo é reconhecido por umanticorpo diferente.Normalmente a resposta imune e uma resposta policlonal. Porque um antígeno obtémdiversas partes diferentes.Neutralização:Um vírus pode ser impedido de entrar na célula, pois pode ocorrer uma neutralização, que seliga por contato no anticorpo, inibindo a passagem para célula.Opsonização:Os receptores de FC se ligam a parte FC do anticorpo. O macrófago além de reconhecer opadrão molecular, possui também um receptor de FC. Este receptores facilitam a fagocitose.Então podemos dizer que os anticorpos facilitam a fagocitose e podemos dar o nome deopsonização (quando um antígeno está recoberto por anticorpos). Esta parte constante fazcom que o macrófago se comunique com o resto do sistema. AvisoMecanismo Efetor INATA OPSONIZAÇÃO ADAPTATIVA Estimula e Regula
  14. 14. Experimento in vitro:Bactérias em um recipiente jogamos anticorpos e eles se ligaram a bactéria. O anticorposozinho não presta pra nada no experimento in vitro. Se houvese a presença de fagócitos, elefacilitaria a fagocitose.
  15. 15. IMUNIZAÇÃO ATIVA E IMUNIZAÇÃO PASSIVAImunidade ativa = Pode ser induzida em um individuo pela infecção ou pela vacinação.Imunidade Passiva = Conferida a um individuo pela transferência de anticorpos ou linfócitosA diferença da I. ativa e da I. passiva é a presença de memória na I. ativa e ausência na I.passiva. Se eu quiser uma reação imediata devo optar pela I. passiva, e se quiser uma reaçãoduradoura opto pela I. ativa.Switch de classeApós a ativação do Linfóctio B ele pode receber uma mensagem para parar de codificar umaparte FC e trocar codificando um nova parte FC. Trocar esta parte não quer dizer quetrocaremos o reconhecimento mas quer dizer que teremos o IgM e o IgG, sendo que teremosvariação do isotipo do anticorpo. Trocar o isotipo é dizer que trocamos as funções.O primeiro isótipo que todo linfócito terá será o IgM. O IgG será o que se ligará ao macrófago.Ao fazer um teste podemos ter: IgM IgG Resultado - - Não teve contato + - Está na 1º fase da doença - + Está na fase crônicaA IgE não encaixa no fagócito. x IgA é produzida em grande quantidade no intestino e está ligado a imunidade de mucosas que terá como função a neutralização. x IgM é um receptor de antígeno de células B naive, Na fase solúvel ela faz pouquíssima opsonização. x IgG é o anticorpo mai prevalente no sangue, faz neutralização e opsonização. x IgE, participa de respostas alérgicas e respostas contra vermes. Não faz opsonizaçao (pois não interage com o macrófago). Porém interage com um eosinófilo, mastócitos e basófilos. x IgD, não se sabe muito sobre ela, mas sabemos que está presente também no linfóctio Naive, junto ao IgM. Após sofrer o switch de classes o IgD some.

×