GÊNEROS TEXTUAIS E TIPOS TEXTUAIS
UNIDADE 5
Função
Gêneros textuais para organização do trabalho pedagógico, para que os alunos possam ampliar os
conhecimentos sobre ...
OS GÊNEROS TEXTUAIS EM FOCO: PENSANDO NA
SELEÇÃO E NA PROGRESSÃO DOS ALUNOS



Parte Histórica
* Gênero textual introduzi...
GÊNEROS TEXTUAIS E TIPOS TEXTUAIS

Tipos Textuais
Sequências teoricamente definidas pela natureza linguística da
sua compo...
GÊNEROS TEXTUAIS E TIPOS TEXTUAIS

Gêneros Textuais
Os gêneros textuais, segundo Schneuwly e Dolz (2004), são instrumentos...
* Distribuição dos gêneros num contínuo: dos mais informais aos
mais formais em todos os contextos e situações da vida cot...
* Sala de aula: levar os alunos a produzirem ou analisarem eventos
linguísticos os mais diversos, tanto escritos quanto or...
Cuidados ao criar situações de ensino para alfabetizar
letrando
1ª Escolher os textos a serem lidos;
2ª Propor situações d...
* Cada área de conhecimento há o predomínio de
determinados gêneros.
* Sugestão de trabalhar com determinados agrupamentos...
Gêneros textuais e tipos textuais
•Notícia: podemos perfeitamente identificar características narrativas,
o fato ocorrido ...
•Propaganda: é um gênero textual dissertativo-expositivo onde há o
intuito de propagar informações sobre algo, buscando se...
Tutorial: é um gênero injuntivo que consiste num guia que tem por
finalidade explicar ao leitor, passo a passo e de maneir...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Pnaic unidade 5 gêneros e tipos textuais

65.911 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Pnaic unidade 5 gêneros e tipos textuais

  1. 1. GÊNEROS TEXTUAIS E TIPOS TEXTUAIS UNIDADE 5
  2. 2. Função Gêneros textuais para organização do trabalho pedagógico, para que os alunos possam ampliar os conhecimentos sobre a organização textual, recursos linguísticos, apresentação gráfica e função social. Estão elencados, no quadro a seguir, alguns gêneros textuais de diferentes esferas sociais para estudos sistematizados ao longo dos anos iniciais. Isto não significa que esses mesmos gêneros não possam ser apreciados ou lidos em outros anos dos ciclos, já que, a cada nova interação com um certo gênero, surgem novas explorações e descobertas. Além disso, os gêneros que não foram elencados como objeto de estudo sistematizado também devem circular na escola para busca de informação, apreciação, comunicação, entretenimento entre outros propósitos sociais. 1º Ano Tradição Oral (cantiga, trava-língua,parlenda, adivinha). Cotidiana (aviso, bilhete, convite, legenda de foto, lista). Literária (poema, conto de fada, conto de assombramento, conto acumulativo). 2º Ano Cotidiana (lista, carta e textos instrucionais: receita, regra de jogo). Divulgação científica (ficha técnica, verbetes: de curiosidade, de dicionário, de enciclopédia infantil). Literária (poema, fábula e contos: populares, de fada, de assombramento,). 3º Ano Jornalística (manchete, notícia). Cotidiana (diário e textos de entretenimento: história em quadrinhos, tirinhas). Literária (poema, narrativas de aventura, contos, canção). 4º Ano Jornalística (manchete, notícia, reportagem, charge, cartum, telejornal). Divulgação científica (verbete de enciclopédia infantil, artigo de divulgação científica para crianças, notícia de popularização da ciência, relato de pesquisa). Literária ( “hai-kai”, poema concreto, literatura de cordel, canção). 5º Ano Publicitária (propaganda institucional e comercial, anúncio, panfleto, outdoor e slogan). Cidadania (Estatuto e leis, debate, carta do leitor, carta de reclamação e de solicitação). Literária (texto teatral, narrativa fantástica, lenda, conto maravilhoso e de terror).
  3. 3. OS GÊNEROS TEXTUAIS EM FOCO: PENSANDO NA SELEÇÃO E NA PROGRESSÃO DOS ALUNOS  Parte Histórica * Gênero textual introduzido na 2ª metade do séc. XX; * Necessidade de entender a língua como ação entre os sujeitos; * Autores defendem que assim a escola facilitará a apropriação do uso da língua; O QUE FAZER: - A escola não tem condições de ensinar todos; - Professores tem dúvidas; - Aprendizagem em espiral. AÇÕES: - Diagnosticar; - Garantir exploração da diversidade.
  4. 4. GÊNEROS TEXTUAIS E TIPOS TEXTUAIS Tipos Textuais Sequências teoricamente definidas pela natureza linguística da sua composição: - narração, - exposição, - argumentação, - descrição, - Injunção (Texto procedimental). Não são textos com funções sociais definidas. São categorias teóricas determinadas pela organização dos elementos lexicais, sintáticos e relações lógicas presentes nos conteúdos a serem falados ou escritos, distinguindo-se capacidades de linguagem requeridas para a produção de diferentes gêneros textuais. (MARCUSCHI, 2005; MENDONÇA 2005; SANTOS, MENDONÇA E CAVALCANTE 2006).
  5. 5. GÊNEROS TEXTUAIS E TIPOS TEXTUAIS Gêneros Textuais Os gêneros textuais, segundo Schneuwly e Dolz (2004), são instrumentos culturais disponíveis nas interações sociais. São historicamente mutáveis e, consequentemente, relativamente estáveis. Emergem em diferentes domínios discursivos e se concretizam em textos, que são singulares.
  6. 6. * Distribuição dos gêneros num contínuo: dos mais informais aos mais formais em todos os contextos e situações da vida cotidiana. * Existência da relação entre alguns aspectos para a produção de um gênero textual. Natureza da informação ou do conteúdo vinculado. Nível da linguagem (formal, informal, dialetal, culta, etc.) Tipos de situação em que o gênero se situa (pública, privada, corriqueira, solene, etc.)    * Relação entre os participantes (conhecidos, desconhecidos, nível social, formação, etc.) * Natureza dos objetivos das atividades desenvolvidas.
  7. 7. * Sala de aula: levar os alunos a produzirem ou analisarem eventos linguísticos os mais diversos, tanto escritos quanto orais e identificarem as características de gênero em cada um. * Oportunidade de se lidar com a língua em seus usos.
  8. 8. Cuidados ao criar situações de ensino para alfabetizar letrando 1ª Escolher os textos a serem lidos; 2ª Propor situações de leitura e produção de textos com finalidades claras e diversificadas; 3ª Escolher os gêneros considerando os conhecimentos e habilidades a serem ensinados. 4º Considerar tanto os aspectos composicionais e estilísticos como sócio-discursivos.
  9. 9. * Cada área de conhecimento há o predomínio de determinados gêneros. * Sugestão de trabalhar com determinados agrupamentos: - Diferentes finalidades sociais de leitura e escrita; - Proporcionar determinadas operações de linguagem; - Oportunizar o trabalho com as diferenças.
  10. 10. Gêneros textuais e tipos textuais •Notícia: podemos perfeitamente identificar características narrativas, o fato ocorrido que se deu em um determinado momento e em um determinado lugar, envolvendo determinadas personagens. Características do lugar, bem como dos personagens envolvidos são, muitas vezes, minuciosamente descritos. •Reportagem: é um gênero textual jornalístico de caráter dissertativoexpositivo. A reportagem tem, por objetivo, informar e levar os fatos ao leitor de uma maneira clara, com linguagem direta. •Carta ao leitor: é um gênero do tipo dissertativo-argumentativo que possui uma linguagem mais pessoal e leve, em que se escreve aos leitores.
  11. 11. •Propaganda: é um gênero textual dissertativo-expositivo onde há o intuito de propagar informações sobre algo, buscando sempre atingir e influenciar o leitor apresentando, na maioria das vezes, mensagens que despertam as emoções e a sensibilidade do mesmo. •Bula de remédio: é um gênero textual descritivo, dissertativoexpositivo e injuntivo que tem por obrigação fornecer as informações necessárias para o correto uso do medicamento. •Receita: é um gênero textual descritivo e injuntivo que tem por objetivo informar a fórmula para preparar tal comida, descrevendo os ingredientes e o preparo destes, além disso, com verbos no imperativo, dando o sentido de ordem, para que o leitor siga corretamente as instruções. •Editorial: é um gênero textual dissertativo-argumentativo que expressa o posicionamento da empresa sobre determinado assunto, sem a obrigação da presença da objetividade.
  12. 12. Tutorial: é um gênero injuntivo que consiste num guia que tem por finalidade explicar ao leitor, passo a passo e de maneira simplificada, como fazer algo. Entrevista: é um gênero textual dialogal e dissertativo-expositivo que é representado pela conversação de duas ou mais pessoas, o entrevistador e o(s) entrevistado(s), para obter informações sobre ou do entrevistado ou de algum outro assunto. História em quadrinhos: é um gênero narrativo que consiste em enredos contados em pequenos quadros através de diálogos diretos entre seus personagens, gerando uma espécie de conversação. Charge: é um gênero textual narrativo onde se faz uma espécie de ilustração cômica, através de caricaturas, com o objetivo de realizar uma sátira, crítica ou comentário sobre algum acontecimento atual, em sua grande maioria.

×