SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
Baixar para ler offline
Quando acabava a noite
           e começava o dia
Quando vemos um animal à distância e podemos
    distinguir se é uma vaca ou um cavalo.
Quando vemos uma árvore
     à distância e conseguimos distinguir se
             é uma figueira
                     ou uma laranjeira.
Quando vedes o rosto de um homem e reconheceis
                 nele um irmão
Quando vedes o rosto de uma mulher e
    reconheceis nela uma irmã.
o
                                             po muit
                                           m
                                   É um te
                          aresma. te.
                ver a Qu                          piritual.
                             icamen
        os a vi
                   rte liturg nascimento es us e
Estam            fo             e           com De
                       ão, de r
              renovaç e reconciliação           avés da
       po de                                  r
É te m                               icular at us, do
                  versão
        o de con , de forma part         a de De
 Temp
                                a Palavr
                   s
           s irmão                                de mais
                              d
         o
                    editação            à carida
    com
          o e da m ncia associada
    oraçã
              a penitê diligente.
            d
   jejum e
Alguns símbolos da Quaresma podem ajudar-
nos a entronizar neste espírito quaresmal. eis
                   alguns:
A Quaresma começa 4ª feira da Cinzas.
  Cinzas é um resíduo, é pó. Logo na primeira página da Bíblia podemos
associar este símbolo, quando nos conta que quot;Deus modelou o homem com
                           argila do solo (Gn 2,7)
Isto leva-nos a assumir uma atitude de humildade - quot;Vêm do pó e voltam
 para o póquot; (Ecl 3, 20). Por isso, cinza significa também o sofrimento, o
                          luto, o arrependimento.
Deserto
 Deserto é outro símbolo muito importante deste tempo Quaresmal. É um
lugar despovoado, árido, isolado. É lugar onde decorre o jejum de Jesus.
  Deserto é sinónimo de solidão exterior e interior, para levar quem nele
                        penetra à união com Deus.
  Muitas vezes na nossa vida quotidiana, recusamos esses espaços de
   silêncio e solidão porque temos medo de nos encontrar connosco
 próprios e com Deus e de descobrir que estamos longe do seu projecto
 sobre nós. Por isso, o quot;desertoquot; requer coragem dos humildes, dos que
                   não têm medo de voltar a começar.
A Quaresma tem 40 dias
  É um número simbólico que tem raízes no AT e NT. 40 dias de
 Moisés e Elias ou os 40 anos do povo eleito no deserto não são
                    referências secundárias.
    A nossa relação com Deus precisa não só de um quot;espaçoquot;
 adequado mas também de um quot;tempoquot; oportuno, concreto, para
escutar através da nossa consciência, a sua voz de Pai que tanto
             nos ama, pronto a corrigir e a consolar.
Jejum
                 É tempo de jejuar praticando a caridade.
O jejum como abstenção de comida cedeu lugar ao jejum como símbolo e
expressão de uma renúncia a tudo aquilo que nos impede de realizar em
  nós o projecto de Deus, convidando-nos a transformá-lo num gesto de
                          solidariedade efectiva.
    Naturalmente seria mais fácil limitarmo-nos a quot;cumprirquot; o jejum de
   alimentos propostos pela Igreja. Mas precisamos de descobrir esses
   quot;outrosquot; jejuns como meios adequados para mudar o que mais nos
    custa. Um exemplo: perder menos tempo diante da televisão para o
              entregar a quem precisa da nossa companhia.
Assim, o jejum tem de andar a par com a esmola e o gesto caritativo, e é
 também uma acção preferencial na Quaresma segundo a tradição cristã
O Povo de Deus no deserto andava

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Chama do Carmo_219
Chama do Carmo_219Chama do Carmo_219
Chama do Carmo_219Frei João
 
Messaggio della Consigliera per le Missioni - Sr. Alaide Deretti. Roma, 14 ot...
Messaggio della Consigliera per le Missioni - Sr. Alaide Deretti. Roma, 14 ot...Messaggio della Consigliera per le Missioni - Sr. Alaide Deretti. Roma, 14 ot...
Messaggio della Consigliera per le Missioni - Sr. Alaide Deretti. Roma, 14 ot...Maike Loes
 
S.brás 2013 (1)
S.brás 2013 (1)S.brás 2013 (1)
S.brás 2013 (1)Nuno Bessa
 
Boletim informativo ano 1, edição 6, 14 de abril de 2013 - igreja que está ...
Boletim informativo   ano 1, edição 6, 14 de abril de 2013 - igreja que está ...Boletim informativo   ano 1, edição 6, 14 de abril de 2013 - igreja que está ...
Boletim informativo ano 1, edição 6, 14 de abril de 2013 - igreja que está ...Daniel Alves Pena
 
Reflexões sobre a morte (3 de 4)
Reflexões sobre a morte (3 de 4)Reflexões sobre a morte (3 de 4)
Reflexões sobre a morte (3 de 4)Pedro Siena
 

Mais procurados (17)

24 02-2013
24 02-201324 02-2013
24 02-2013
 
Modelo
ModeloModelo
Modelo
 
Chama do Carmo_219
Chama do Carmo_219Chama do Carmo_219
Chama do Carmo_219
 
Somos rosa vermelha
Somos rosa vermelhaSomos rosa vermelha
Somos rosa vermelha
 
26 06-2011[1]
26 06-2011[1]26 06-2011[1]
26 06-2011[1]
 
Messaggio della Consigliera per le Missioni - Sr. Alaide Deretti. Roma, 14 ot...
Messaggio della Consigliera per le Missioni - Sr. Alaide Deretti. Roma, 14 ot...Messaggio della Consigliera per le Missioni - Sr. Alaide Deretti. Roma, 14 ot...
Messaggio della Consigliera per le Missioni - Sr. Alaide Deretti. Roma, 14 ot...
 
Deus de-amor
Deus de-amorDeus de-amor
Deus de-amor
 
Campanha da quaresma 2013
Campanha da quaresma 2013Campanha da quaresma 2013
Campanha da quaresma 2013
 
Chama 175
Chama 175Chama 175
Chama 175
 
10 02-2013
10 02-201310 02-2013
10 02-2013
 
Chama 197
Chama 197Chama 197
Chama 197
 
S.brás 2013 (1)
S.brás 2013 (1)S.brás 2013 (1)
S.brás 2013 (1)
 
Boletim informativo ano 1, edição 6, 14 de abril de 2013 - igreja que está ...
Boletim informativo   ano 1, edição 6, 14 de abril de 2013 - igreja que está ...Boletim informativo   ano 1, edição 6, 14 de abril de 2013 - igreja que está ...
Boletim informativo ano 1, edição 6, 14 de abril de 2013 - igreja que está ...
 
Reflexões sobre a morte (3 de 4)
Reflexões sobre a morte (3 de 4)Reflexões sobre a morte (3 de 4)
Reflexões sobre a morte (3 de 4)
 
09 05
09   0509   05
09 05
 
18 09-2011[1]
18 09-2011[1]18 09-2011[1]
18 09-2011[1]
 
Ao Orarmos
Ao OrarmosAo Orarmos
Ao Orarmos
 

Destaque (9)

Quaresma Cristã
Quaresma CristãQuaresma Cristã
Quaresma Cristã
 
Significado da quaresma
Significado da quaresmaSignificado da quaresma
Significado da quaresma
 
A Quaresma
A QuaresmaA Quaresma
A Quaresma
 
Cinzas
CinzasCinzas
Cinzas
 
Tempo de Quaresma
Tempo de QuaresmaTempo de Quaresma
Tempo de Quaresma
 
Ritos da quaresma
Ritos da quaresmaRitos da quaresma
Ritos da quaresma
 
Ano liturgico
Ano liturgicoAno liturgico
Ano liturgico
 
Quaresma
QuaresmaQuaresma
Quaresma
 
Quaresma momento de estender as mãos ao próximo
Quaresma momento de estender as mãos ao próximoQuaresma momento de estender as mãos ao próximo
Quaresma momento de estender as mãos ao próximo
 

Semelhante a Quaresma (20)

Espiral 21 22
Espiral 21 22Espiral 21 22
Espiral 21 22
 
Jornal Aliança 01/2014
Jornal Aliança 01/2014Jornal Aliança 01/2014
Jornal Aliança 01/2014
 
Ensantidade ed 10 de2012 finalizado
Ensantidade ed 10 de2012 finalizadoEnsantidade ed 10 de2012 finalizado
Ensantidade ed 10 de2012 finalizado
 
Semeando junho 2011
Semeando junho 2011Semeando junho 2011
Semeando junho 2011
 
Semeando outubro 2012
Semeando outubro 2012Semeando outubro 2012
Semeando outubro 2012
 
Simbolismo da quaresma
Simbolismo da quaresmaSimbolismo da quaresma
Simbolismo da quaresma
 
Carta de elcio noticias senegal
Carta de elcio noticias senegalCarta de elcio noticias senegal
Carta de elcio noticias senegal
 
Chama do Carmo 176
Chama do Carmo  176Chama do Carmo  176
Chama do Carmo 176
 
Rcc informativo abril 2012
Rcc   informativo abril 2012Rcc   informativo abril 2012
Rcc informativo abril 2012
 
Espiral 33
Espiral 33Espiral 33
Espiral 33
 
22 02 12
22 02 1222 02 12
22 02 12
 
Espiral 26
Espiral 26Espiral 26
Espiral 26
 
Quaresma ppt criancas_2010
Quaresma ppt criancas_2010Quaresma ppt criancas_2010
Quaresma ppt criancas_2010
 
Jornal Novos Horizontes - Março 2013
Jornal Novos Horizontes - Março 2013Jornal Novos Horizontes - Março 2013
Jornal Novos Horizontes - Março 2013
 
Chama do Carmo _177
Chama  do Carmo _177Chama  do Carmo _177
Chama do Carmo _177
 
Info Novembro
Info NovembroInfo Novembro
Info Novembro
 
Maré alta março abril
Maré alta março abrilMaré alta março abril
Maré alta março abril
 
Maré alta março abril
Maré alta março abrilMaré alta março abril
Maré alta março abril
 
Boletim informativo jul2014
Boletim informativo jul2014Boletim informativo jul2014
Boletim informativo jul2014
 
Espiral 30
Espiral 30Espiral 30
Espiral 30
 

Mais de Tito Romeu Gomes de Sousa Maia Mendes

Mais de Tito Romeu Gomes de Sousa Maia Mendes (20)

Trabalho de grupo 5ºa
Trabalho de grupo 5ºaTrabalho de grupo 5ºa
Trabalho de grupo 5ºa
 
Silves cristã
Silves cristãSilves cristã
Silves cristã
 
A importancia da água
A importancia da águaA importancia da água
A importancia da água
 
áGua
áGuaáGua
áGua
 
A importancia da água
A importancia da águaA importancia da água
A importancia da água
 
A arte religiosa na cidade de silves
A arte religiosa na cidade de silvesA arte religiosa na cidade de silves
A arte religiosa na cidade de silves
 
Arte cristã em silves 5ºa
Arte cristã em silves 5ºaArte cristã em silves 5ºa
Arte cristã em silves 5ºa
 
Joao arez e pedro
Joao arez e pedroJoao arez e pedro
Joao arez e pedro
 
Historia do rock
Historia do rockHistoria do rock
Historia do rock
 
O nosso planeta
O nosso planetaO nosso planeta
O nosso planeta
 
Apresentação joana...
Apresentação joana...Apresentação joana...
Apresentação joana...
 
Apresentação moral
Apresentação   moralApresentação   moral
Apresentação moral
 
Apresentação joana...
Apresentação joana...Apresentação joana...
Apresentação joana...
 
Religião
ReligiãoReligião
Religião
 
Monoteísmo e politeísmo
Monoteísmo e politeísmoMonoteísmo e politeísmo
Monoteísmo e politeísmo
 
Projecto vida
Projecto vidaProjecto vida
Projecto vida
 
Projecto de voluntariado..
Projecto de voluntariado..Projecto de voluntariado..
Projecto de voluntariado..
 
Projecto ines costa 9 a
Projecto  ines costa 9 aProjecto  ines costa 9 a
Projecto ines costa 9 a
 
Projecto de voluntariado..
Projecto de voluntariado..Projecto de voluntariado..
Projecto de voluntariado..
 
Projecto vida
Projecto vidaProjecto vida
Projecto vida
 

Último

Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresEvangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresAntonino Silva
 
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdfRoteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdfLehonanSouza
 
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxCelso Napoleon
 
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024RaniereSilva14
 
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptxPIB Penha
 
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaWillemarSousa1
 
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalLIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalAmaroJunior21
 
slide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaslide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaFranklinOliveira30
 

Último (9)

Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresEvangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
 
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdfRoteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
 
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
 
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
 
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
 
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdfO Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
 
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
 
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalLIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
 
slide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaslide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarística
 

Quaresma

  • 1.
  • 2. Quando acabava a noite e começava o dia
  • 3.
  • 4. Quando vemos um animal à distância e podemos distinguir se é uma vaca ou um cavalo.
  • 5.
  • 6. Quando vemos uma árvore à distância e conseguimos distinguir se é uma figueira ou uma laranjeira.
  • 7.
  • 8. Quando vedes o rosto de um homem e reconheceis nele um irmão
  • 9. Quando vedes o rosto de uma mulher e reconheceis nela uma irmã.
  • 10.
  • 11.
  • 12. o po muit m É um te aresma. te. ver a Qu piritual. icamen os a vi rte liturg nascimento es us e Estam fo e com De ão, de r renovaç e reconciliação avés da po de r É te m icular at us, do versão o de con , de forma part a de De Temp a Palavr s s irmão de mais d o editação à carida com o e da m ncia associada oraçã a penitê diligente. d jejum e
  • 13. Alguns símbolos da Quaresma podem ajudar- nos a entronizar neste espírito quaresmal. eis alguns:
  • 14. A Quaresma começa 4ª feira da Cinzas. Cinzas é um resíduo, é pó. Logo na primeira página da Bíblia podemos associar este símbolo, quando nos conta que quot;Deus modelou o homem com argila do solo (Gn 2,7) Isto leva-nos a assumir uma atitude de humildade - quot;Vêm do pó e voltam para o póquot; (Ecl 3, 20). Por isso, cinza significa também o sofrimento, o luto, o arrependimento.
  • 15. Deserto Deserto é outro símbolo muito importante deste tempo Quaresmal. É um lugar despovoado, árido, isolado. É lugar onde decorre o jejum de Jesus. Deserto é sinónimo de solidão exterior e interior, para levar quem nele penetra à união com Deus. Muitas vezes na nossa vida quotidiana, recusamos esses espaços de silêncio e solidão porque temos medo de nos encontrar connosco próprios e com Deus e de descobrir que estamos longe do seu projecto sobre nós. Por isso, o quot;desertoquot; requer coragem dos humildes, dos que não têm medo de voltar a começar.
  • 16. A Quaresma tem 40 dias É um número simbólico que tem raízes no AT e NT. 40 dias de Moisés e Elias ou os 40 anos do povo eleito no deserto não são referências secundárias. A nossa relação com Deus precisa não só de um quot;espaçoquot; adequado mas também de um quot;tempoquot; oportuno, concreto, para escutar através da nossa consciência, a sua voz de Pai que tanto nos ama, pronto a corrigir e a consolar.
  • 17. Jejum É tempo de jejuar praticando a caridade. O jejum como abstenção de comida cedeu lugar ao jejum como símbolo e expressão de uma renúncia a tudo aquilo que nos impede de realizar em nós o projecto de Deus, convidando-nos a transformá-lo num gesto de solidariedade efectiva. Naturalmente seria mais fácil limitarmo-nos a quot;cumprirquot; o jejum de alimentos propostos pela Igreja. Mas precisamos de descobrir esses quot;outrosquot; jejuns como meios adequados para mudar o que mais nos custa. Um exemplo: perder menos tempo diante da televisão para o entregar a quem precisa da nossa companhia. Assim, o jejum tem de andar a par com a esmola e o gesto caritativo, e é também uma acção preferencial na Quaresma segundo a tradição cristã
  • 18. O Povo de Deus no deserto andava