SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 45
Baixar para ler offline
TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Panorama atual de segurança das
redes de automação brasileiras
Marcelo Branquinho
Maio de 2016
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Sejam bem vindos ao CLASS 2016
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Vejam o relatório na sacola do evento.
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Nova metodologia do RelatórioNova metodologia do Relatório
• Nesta nova versão do relatório o método de coleta de dados de
incidentes em nossos clientes foi aprimorado.
• Passamos a utilizar um NGFW (Next Generation Firewall ou Firewall de
Próxima Geração) operando em camada 7 (camada de aplicação) para
a coleta não somente dos dados dos incidentes de segurança como
também detalhes técnicos sobre Malware, aplicativos de alto risco
sendo executados nas redes de automação e as principais
vulnerabilidades exploradas.
• Com isto houve um aumento relevante no número de incidentes de
segurança detectados e foi gerado um relatório com uma maior
visibilidade das ameaças às redes de automação críticas das
infraestruturas de nossos clientes.
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Vamos aosVamos aos
resultados...resultados...
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
2015 – Explosão de incidentes SCADA no Brasil2015 – Explosão de incidentes SCADA no Brasil
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Infecções por Malware em IC Brasileiras
• Fonte: 2o
Relatório Anual TI Safe sobre incidentes de segurança em redes de
automação brasileiras (2016)
• Incidentes computados de Setembro de 2008 a Dezembro de 2015
• Dados obtidos somente de clientes da TI Safe no Brasil
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Tipos de Malware descobertosTipos de Malware descobertos
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Aplicativos de alto risco em execuçãoAplicativos de alto risco em execução
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Vulnerabilidades em protocolos SCADAVulnerabilidades em protocolos SCADA
As vulnerabilidades dos aplicativos SCADA encontradas nas redes de nossos
clientes foram classificadas por protocolo e quantidade e apresentadas na tabela
abaixo:
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
• Nenhuma das organizações pesquisadas afirmou ter um processo de gestão de incidentes de
segurança cibernética industrial desenvolvido e em produção.
• Em 24% das empresas este processo não existe, e 27% atuam de forma reativa quando
ocorrem incidentes de segurança.
• No entanto, 45% das empresas pesquisadas afirmaram estar definindo este processo.
Gestão de incidentes de segurança cibernética no Brasil
Fonte: Pesquisa realizada pela TI Safe no ano de 2014
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
O cenário é ruim, mas dá pra piorar??O cenário é ruim, mas dá pra piorar??
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Infelizmente SIM.....Infelizmente SIM.....
Referência: Symantec
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Os atacantes descobriramOs atacantes descobriram
como ganhar MUITOcomo ganhar MUITO
dinheiro com ataques adinheiro com ataques a
infraestruturas críticas!infraestruturas críticas!
2016 – O Ano do
Ransomware SCADA
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Ransomware – A próxima ameaça às ICs
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Hospital infectado por Ransomware
• Nesse caso, o departamento
tinha backups de seus
sistemas e se recusaram a
pagar o resgate aos
criminosos.
• Por volta de 05 de fevereiro de 2016 , os sistemas pertencente ao
Hospital Central Presbiteriano de Hollywood foram infectados com o
Locky ransomware.
• Depois de dez dias, o governo pagou aos atacantes 40 Bitcoins ($
17.000) para libertar os sistemas.
• Naquela mesma semana, cinco computadores pertencentes ao
Departamento Regional de saúde de Los Angeles foram infectados
com uma variante ransomware.
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
O que é Ransomware?
• Ransom = Resgate
• Ransomware é um tipo de
Malware que impede o
acesso do usuário aos seus
dados.
• O usuário só recuperará o
acesso aos dados mediante
o pagamento de um resgate
(Ransom)
• Afetam diretamente a
disponibilidade de sistemas
ao bloquear o acesso a
informações vitais para seu
funcionamento.
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
A Evolução do Ransomware
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Tipos de Ransomware
• Ransomware de Bloqueio
Transmitido através de Engenharia Social e campanhas de phising,
principalmente.
 Restringe o acesso do usuário aos sistemas infectados.
 Certas vezes, o Ransomware de bloqueio pode ser removido facilmente,
restaurando o sistema para um ponto de restauração pré-definido ou
implementando uma ferramenta de remoção comercial.
 2016 promete ser o ano em que o Ransomware de bloqueio
ressurgirá, porque ele pode infectar tecnologias emergentes, como
telefones celulares, sistemas de controle (SCADA) e sistemas
conectados à "internet das coisas“.
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Smartphone com Ransomware de bloqueio
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Tipos de Ransomware
• Ransomware de Criptografia
 Mais robusto, o Ransomware de Criptografia restringe a ação do usuário,
negando o acesso à interface do usuário
Segmenta os dados e sistemas de arquivos do dispositivo.
Permite que os usuários acessem a internet para comprar moedas
criptografadas no mercado virtual (algumas variantes de Ransomware de
Criptografia fornecem aos usuários um site para comprar Bitcoins e artigos
explicando a moeda).
Determinam uma chave assimétrica única para cada sistema infectado e
limpam a chave de sessão da memória quando tiverem terminado a infecção.
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Exemplos de Ransomware de Criptografia
• Locky:
 Em 5 de Fevereiro, 2016, sistemas médicos pertencentes a Hollywood
Presbyterian Medical Center foram infectados com o ransomware Locky. Dados de
saúde permaneceram inalterados, mas,computadores essenciais para o trabalho de
laboratório, tomografia computadorizada, sistemas de sala de emergência, e
farmácia foram infectados.
Os cibercriminosos exigiram um resgate de 9000 Bitcoins ($ 3,6 milhões).
 Porém, depois de quase duas semanas negociando, o presidente do Centro
Médico pagou um resgate de 40 Bitcoins ($ 17.000) para desbloquear suas
máquinas.
• A Forbes afirma que o Locky ransomware infecta aproximadamente 90.000
sistemas por dia e que normalmente pede aos usuários de 0,5-1 Bitcoin (~ $ 420)
para desbloquear seus sistemas.
• O Locky criptografa arquivos com chaves RSA-2048 e AES 128 cifras.
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Tela de bloqueio - Locky
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Exemplos de Ransomware de Criptografia
• CryptoLocker:
Cryptolocker é um trojan que começou infectando sistemas Windows
através da botnet Gameover Zeus, criptografando os dados do host com
chave publica de criptografia RSA .
Cryptolocker instala no perfil do usuário uma pasta e adiciona uma chave
no registro do sistema para que seja executada na inicialização.
Em seguida, ele se conecta a um dos seus servidores C2 e gera um par de
chaves RSA de 2048 bits , armazenando a chave privada nesse servidor.
Daí, ele envia a chave pública de volta para a máquina da vítima .
O trojan criptografa documentos, imagens e arquivos nos discos rígidos
locais e unidades de rede mapeadas com a chave pública.
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Tela de bloqueio - CryptoLocker
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Exemplos de Ransomware de Criptografia
• CryptoWall / CryptoDefense/ CryptoBit:
Esse Ransomware é responsavel por excluir cópias de sombra de arquivos
para, em seguida ganhar privilégios de usuário para tentar se conectar aos
proxies I2P a fim de encontrar um servidor de comando e controle ao vivo
usando um valor de hash que é criado, tomando um numero que é
aleatoriamente gerado seguido por um valor de identificação único.
O servidor responde com uma chave pública única e fornece notas de resgate.
Depois disso, a historia se repete ...
As notas são colocadas em todos os diretórios onde os arquivos vítima são
criptografadas e, em seguida, o Internet Explorer é iniciado com uma página do
visor bilhete de resgate.
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Tela de bloqueio - CryptoWall
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Vetores de infecção
• Sistema de Distribuição de Trafego (TDS): redirecionam o tráfego da web
para um site de hospedagem infectado. Normalmente sites de conteúdo adulto,
serviços de streaming de vídeo ou sites de pirataria de mídia. Infecta a máquina
através do download do malware.
• Malverstiment: anúncio malicioso que pode redirecionar os usuários de um site
infectado. Pode parecer legítimo e até mesmo confiável.
• E-mails de Phishing: usam da ingenuidade de usuários, que são culturalmente
treinados para abrir e-mails e clicar em anexos e links.
• Downloaders: Malwares são entregues em sistemas através de estágios de
downloaders, para minimizar a probabilidade de detecção baseada em
assinaturas. Nesse contexto, criminosos pagam outros criminoso que já tem uma
máquina infectada com seus dados extraviados, ou com infecção previamente
acidental. Ele utiliza um malware na rede infectada e repassa o controle deste
ao downloader.
• Sistema de Distribuição de Trafego (TDS): redirecionam o tráfego da web
para um site de hospedagem infectado. Normalmente sites de conteúdo adulto,
serviços de streaming de vídeo ou sites de pirataria de mídia. Infecta a máquina
através do download do malware.
• Malverstiment: anúncio malicioso que pode redirecionar os usuários de um site
infectado. Pode parecer legítimo e até mesmo confiável.
• E-mails de Phishing: usam da ingenuidade de usuários, que são culturalmente
treinados para abrir e-mails e clicar em anexos e links.
• Downloaders: Malwares são entregues em sistemas através de estágios de
downloaders, para minimizar a probabilidade de detecção baseada em
assinaturas. Nesse contexto, criminosos pagam outros criminoso que já tem uma
máquina infectada com seus dados extraviados, ou com infecção previamente
acidental. Ele utiliza um malware na rede infectada e repassa o controle deste
ao downloader.
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Vetores de infecção (cont.)
• AutoPropagação: Ocorre quando aplicações são baixadas a partir de uma loja
de aplicativos ou se espalham através de disparos de SMS em uma lista de
contatos a partir de uma vitima inicial.
• Ransomware as a Service (RaaS): esta é a forma de ransomware como um
serviço, por meio do qual script kiddies (criminosos amadores) podem usar o
ransomware desenvolvido por criminosos experientes para explorar as vítimas em
troca do pagamento de uma comissão (5-20% do valor do resgate).
• Engenharia Social e Sabotagem: malware é disseminado de forma intencional
por funcionários e colaboradores da empresa que tenham sido préviamente
subornados.
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Vítimas do Ransomware
• Usuários comuns: usuários que são facilmente pressionados ou que não são
fluentes em soluções técnicas para Ransomware são os alvos mais viáveis​​.A
maioria dos usuários não faz consistentemente o backup de seus dados e nem
seguem procedimentos básicos de segurança cibernética para mitigar o impacto de
um ataque por Ransomware.
• Empresas: empresas são os principais alvos de Ransomware , porque os seus
sistemas são os mais propensos a abrigar bases de dados confidenciais valiosos,
documentos importantes e outras informações. Além disso, elas são as mais
prováveis para pagar o resgate, a fim de retomar rapidamente as operações .
• Polícia: Serviços de polícia e federais são muitas vezes alvo de ataques de
malware em resposta a seus esforços para investigar e prender criminosos
cibernéticos.
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Vítimas do Ransomware (cont.)
• Hospitais e Serviços de emergência: nestes alvos a perda do sistema pode
custar vidas, e são um dos preferidos para atacantes via ransomware.
• Instituições de Ensino: faculdades e universidades são alvos interessantes pois
possuem fundos suficientes para pagar um resgate considerável.
• Instituições Financeiras: as instituições financeiras são o grande setor alvo de
ransomware, e já existem inúmeros casos de ataques documentados no mundo.
Infraestruturas críticas: a indisponibilidade de sistemas SCADA em
infraestruturas críticas pode levar a perdas inestimáveis, financeiras, humanas
e ambientais. Desta forma resgates na ordem de milhões de dólares são
cobrados de empresas que tem sua produção ou abastecimento paralisados.
Além disso as redes de automação não possuem a segurança mínima
necessária para se contrapor a este tipo de ataque, além de não ter equipes
adequadamente treinadas.
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Sistemas Alvo
• Dispositivos Móveis: hoje quase toda a população mundial tem ao menos um tipo
de dispositivo móvel, vulneravel à ataques ransomware.
• Servidores: nele estão armazenados documentos de uma organização, bases de
dados, propriedade intelectual, arquivos pessoais, listas de clientes, planejamentos
de produção, dados de billing e outros recursos intangíveis. Apesar do valor destes
dados, as organizações falham regularmente para assegurar, atualizar e corrigir os
sistemas. Mesmo que a organização tenha um plano de recuperação de desastres,
a quantidade de tempo necessária para reverter para um sistema crítico pode ser
inaceitável.
• Dispositivos IoT: na internet das coisas, o cibercriminoso ransomware tem maior
poder sobre vítimas. Imagine um ransomware infectando um sistema de temperatura
digital de uma casa. Ou algo ainda mais impactante; um sistema de controle central
de um avião?
Sistema SCADA: sistemas de controle de infraestruturas críticas podem ser
facilmente paralisados no caso de um ataque por Ransomware em um vetor de
infecção de Worm com espalhamento automático.
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
A Economia do Ransomware
• Para que criminosos ransomware lucrem, eles devem confiar em explorar a
natureza humana, e não a sofisticação técnica. Os seres humanos tendem a pagar
pelo resgate para que seus sistemas voltem a operar o mais breve possível.
• O custo para os usuários depende diretamente do prejuízo que as empresas tem
com a indisponibilidade de seus sistemas. Quanto mais caro o prejuízo, mais alto o
valor do resgate.
• Os usuários individuais têm uma baixa capacidade de pagar, enquanto empresas
e infraestruturas críticas, por serem de maior porte, podem pagar resgates de
maior valor.
• Os atacantes são pagos geralmente em moedas da Deep Web, como o Bitcoin
ou o Darkcoin, que são moedas moedas criptografadas (Cryptocurrencies) e com
difícil rastreamento, mantendo o anonimato do atacante.
• Cryptocurrencies são tipicamente adquiridas através da Dark Web acessada
através do browser Tor.
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Entendendo a Dark Web e o Bitcoin
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
O que fazer para evitar o Ransomware
• Ter um time de Segurança da Informação preparado: é responsabilidade da
equipe de segurança da informação garantir que todos os sistemas foram
atualizados e possuem soluções anti-malware instaladas.
• Treinamento e sensibilização: o pessoal da empresa precisa ser treinado para
reconhecer e evitar os vetores de ataque por Ransomware. Os seres humanos
são o elo mais fraco. Os funcionários devem ser treinados para reconhecer um
link ou anexo maliciosos.
• Políticas e Procedimentos: os usuários devem saber quais atividades são
permitidas na rede. Eles devem saber como reconhecer atividades suspeitas e
para quem elas devem ser relatadas.
Ter implementada uma estratégia de defesa em camadas: o modelo de
defesa de rede em camadas tem o objetivo de retardar o adversário e detectar
a sua presença em tempo para reagir à intrusão.
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Implementar Defesa em Camadas
• Para a implementação do modelo de defesa em camadas são necessários
mecanismos de proteção e sistemas de detecção próprios para redes
industriais, além de um sistema de inteligência de segurança que seja capaz
de alertar e bloquear as ameaças em tempo real.
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Metodologia ICS.SecurityFramework
DETECÇÃO, DEFESA E CONTROLE INTEGRADO DE AMEAÇASDETECÇÃO, DEFESA E CONTROLE INTEGRADO DE AMEAÇAS
PARA SISTEMAS DE INFRAESTRUTURAS CRÍTICASPARA SISTEMAS DE INFRAESTRUTURAS CRÍTICAS
ANSI/ISA.99
• Metodologia desenvolvida pela TI Safe para
organizar, executar e operar a segurança da
informação em sistemas industriais e
infraestruturas críticas:
• Implementa as boas práticas descritas no
CSMS (Cyber Security Management System) da
norma ANSI/ISA-99
• Acelera o processo de conformidade da
segurança cibernética e atende às
necessidades de T.I. e T.A. em um framework
único.
• Gerenciamento centralizado do
monitoramento, defesa e controle de ameaças.
•Garante a atualização das bases de
dados de assinaturas e vulnerabilidades
para todos os componentes de
segurança.
•Facilita a identificação de ameaças e
isolamento de incidentes.
•Produz trilha confiável para
rastreabilidade dos eventos.
•Fornece detalhados relatórios de
auditoria.
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Módulos do ICS.SecurityFramework
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
E se o pior acontecer?
Quando a mitigação falhar, é importante para organizações e indivíduos
considerarem todas as possíveis respostas a um ataque Ransomware. São elas:
• Acionar o Time de Resposta a Incidentes: A equipe de segurança da informação
deve ter previamente planejado um procedimento a seguir em caso de um ataque
ransomware, durante sua avaliação de riscos. A equipe de resposta a incidentes deve
começar por notificar as autoridades e órgãos reguladores pois ataques Ransomware
são crimes prescritos em lei.
• Tentar recuperar os dados perdidos: Backup e recuperação do sistema são a
única solução para reverter ataques por ransomware. Ter backups atualizados é vital
em casos de perdas de dados críticos. Neste caso, bastará realizar um recover dos
sistemas e dados para voltar à atividade normal da empresa.
• Fazer nada: em casos onde o resgate supera o custo do sistema, a vítima pode
comprar um novo dispositivo e dispor do sistema infectado.
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
E se o pior acontecer? (cont.)
• Pagar o Resgate: alguns atacantes podem liberar o sistema após receber o
pagamento, porque fazer o contrário iria reduzir a probabilidade de que novas vítimas
venham a cair no golpe. Porém, infelizmente, não existe nenhuma garantia que os
atacantes ficariam com os dados após o resgate pago.
• Uma Solução Hibrida: inclui esforços simultâneos para pagar o resgate e tentar
restaurar os sistemas a partir de um backups confiáveis. Organizações optam por
esta estratégia quando o tempo de inatividade do sistema é ainda mais crítico que as
consequências do pagamento do resgate.
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Video – Ataque por Ransomware no Brasil
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Um detalhe importante....
• Ransomwares modernos são capazes de procurar servidores e
aplicações de backup em execução na rede e criptografá-los
também...
• Nestes casos, a única solução possível será pagar o resgate.
• Pagar resgates pode ser fácil para instituições privadas, mas
empresas públicas não tem verba alocada para isto... Teriam que
licitar..
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
ConclusãoConclusão
• O aumento da atividade hacker no Brasil e a evolução dos ataques
direcionados a redes de automação aumentou vertiginosamente no
ano de 2015.
• Somente durante este ano foi notada uma quantidade de incidentes
de segurança maior que a dos anos de 2008 a 2014 somados, o que
representa um crescimento alarmante.
• As infraestruturas críticas brasileiras devem despertar urgentemente
para este cenário e implementar controles de segurança que vão de
encontro ao cenário de ameaças que acabo de apresentar.
• Não há mais tempo a perder...é preciso implementar políticas e
soluções tecnológicas para defesa em camadas já!
www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
Aproveitem o CLASS 2016Aproveitem o CLASS 2016
Marcelo Branquinho
Marcelo.branquinho@tisafe.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

CLASS 2018 - Palestra de Marcelo Branquinho (CEO – TI Safe) e Leonardo Cardos...
CLASS 2018 - Palestra de Marcelo Branquinho (CEO – TI Safe) e Leonardo Cardos...CLASS 2018 - Palestra de Marcelo Branquinho (CEO – TI Safe) e Leonardo Cardos...
CLASS 2018 - Palestra de Marcelo Branquinho (CEO – TI Safe) e Leonardo Cardos...
 
CLASS 2018 - Palestra de Thiago Mourao (Security Engineer - Checkpoint)
CLASS 2018 - Palestra de Thiago Mourao (Security Engineer - Checkpoint)CLASS 2018 - Palestra de Thiago Mourao (Security Engineer - Checkpoint)
CLASS 2018 - Palestra de Thiago Mourao (Security Engineer - Checkpoint)
 
CLASS 2016 - Palestra Paulo Antunes de Souza Jr.
CLASS 2016 - Palestra Paulo Antunes de Souza Jr.CLASS 2016 - Palestra Paulo Antunes de Souza Jr.
CLASS 2016 - Palestra Paulo Antunes de Souza Jr.
 
CLASS 2018 - Palestra de Marcelo Branquinho (CEO - TI Safe)
CLASS 2018 - Palestra de Marcelo Branquinho (CEO - TI Safe)CLASS 2018 - Palestra de Marcelo Branquinho (CEO - TI Safe)
CLASS 2018 - Palestra de Marcelo Branquinho (CEO - TI Safe)
 
CLASS 2018 - Palestra de Herman Augusto Lepikson (Pesquisador Líder em Automa...
CLASS 2018 - Palestra de Herman Augusto Lepikson (Pesquisador Líder em Automa...CLASS 2018 - Palestra de Herman Augusto Lepikson (Pesquisador Líder em Automa...
CLASS 2018 - Palestra de Herman Augusto Lepikson (Pesquisador Líder em Automa...
 
CLASS 2018 - Palestra de Jéssica Barbosa Heluany (Engenharia de Aplicação / E...
CLASS 2018 - Palestra de Jéssica Barbosa Heluany (Engenharia de Aplicação / E...CLASS 2018 - Palestra de Jéssica Barbosa Heluany (Engenharia de Aplicação / E...
CLASS 2018 - Palestra de Jéssica Barbosa Heluany (Engenharia de Aplicação / E...
 
CLASS 2018 - Palestra de Paulo Roberto Antunes de Souza Jr. (Gerente de Engen...
CLASS 2018 - Palestra de Paulo Roberto Antunes de Souza Jr. (Gerente de Engen...CLASS 2018 - Palestra de Paulo Roberto Antunes de Souza Jr. (Gerente de Engen...
CLASS 2018 - Palestra de Paulo Roberto Antunes de Souza Jr. (Gerente de Engen...
 
Pacote TI Safe ONS Ready v1
Pacote TI Safe ONS Ready v1Pacote TI Safe ONS Ready v1
Pacote TI Safe ONS Ready v1
 
CLASS 2018 - Palestra de Marcus Vinícius Gomes Abreu (Analista de Sistemas e ...
CLASS 2018 - Palestra de Marcus Vinícius Gomes Abreu (Analista de Sistemas e ...CLASS 2018 - Palestra de Marcus Vinícius Gomes Abreu (Analista de Sistemas e ...
CLASS 2018 - Palestra de Marcus Vinícius Gomes Abreu (Analista de Sistemas e ...
 
Apresentação Técnica - Evento ISA Campinas
Apresentação Técnica - Evento ISA CampinasApresentação Técnica - Evento ISA Campinas
Apresentação Técnica - Evento ISA Campinas
 
Apresentação Técnica - Estratégias de Segurança para Redes Industriais e SCADA
Apresentação Técnica - Estratégias de Segurança para Redes Industriais e SCADAApresentação Técnica - Estratégias de Segurança para Redes Industriais e SCADA
Apresentação Técnica - Estratégias de Segurança para Redes Industriais e SCADA
 
Webinar cci por que nao se deve contratar so cs de ti hibridos para proteg...
Webinar cci    por que nao se deve contratar so cs de ti hibridos para proteg...Webinar cci    por que nao se deve contratar so cs de ti hibridos para proteg...
Webinar cci por que nao se deve contratar so cs de ti hibridos para proteg...
 
Palestra técnica - Aprendendo segurança em redes industriais e SCADA
Palestra técnica - Aprendendo segurança em redes industriais e SCADAPalestra técnica - Aprendendo segurança em redes industriais e SCADA
Palestra técnica - Aprendendo segurança em redes industriais e SCADA
 
CLASS 2016 - Palestra Roberto Engler
CLASS 2016 - Palestra Roberto EnglerCLASS 2016 - Palestra Roberto Engler
CLASS 2016 - Palestra Roberto Engler
 
TI Safe - Formação em Segurança de Automação Industrial
TI Safe - Formação em Segurança de Automação IndustrialTI Safe - Formação em Segurança de Automação Industrial
TI Safe - Formação em Segurança de Automação Industrial
 
Palestra - Visão geral da norma ANSI/ISA 99, Status da Norma e Tendências.
Palestra - Visão geral da norma ANSI/ISA 99, Status da Norma e Tendências.Palestra - Visão geral da norma ANSI/ISA 99, Status da Norma e Tendências.
Palestra - Visão geral da norma ANSI/ISA 99, Status da Norma e Tendências.
 
[CLASS 2014] Palestra Técnica - Felipe Penaranda
[CLASS 2014] Palestra Técnica - Felipe Penaranda[CLASS 2014] Palestra Técnica - Felipe Penaranda
[CLASS 2014] Palestra Técnica - Felipe Penaranda
 
Palestra "SCADA Ransomware"
Palestra "SCADA Ransomware"Palestra "SCADA Ransomware"
Palestra "SCADA Ransomware"
 
Evento IEEE 2012 - Palestra sobre segurança de automação industrial
Evento IEEE 2012 - Palestra sobre segurança de automação industrialEvento IEEE 2012 - Palestra sobre segurança de automação industrial
Evento IEEE 2012 - Palestra sobre segurança de automação industrial
 
CLASS 2018 - Palestra de Alexandre Freire (Industrial Cybersecurity Sales Eng...
CLASS 2018 - Palestra de Alexandre Freire (Industrial Cybersecurity Sales Eng...CLASS 2018 - Palestra de Alexandre Freire (Industrial Cybersecurity Sales Eng...
CLASS 2018 - Palestra de Alexandre Freire (Industrial Cybersecurity Sales Eng...
 

Semelhante a CLASS 2016 - Palestra Marcelo Branquinho

Nota de aula seguranca da informacao - redes de computadores
Nota de aula   seguranca da informacao - redes de computadoresNota de aula   seguranca da informacao - redes de computadores
Nota de aula seguranca da informacao - redes de computadores
felipetsi
 
Seguranca web Testday2012
Seguranca web Testday2012Seguranca web Testday2012
Seguranca web Testday2012
Marcio Cunha
 

Semelhante a CLASS 2016 - Palestra Marcelo Branquinho (20)

Clean dns ptbr
Clean dns ptbrClean dns ptbr
Clean dns ptbr
 
Clean dns ptbr
Clean dns ptbrClean dns ptbr
Clean dns ptbr
 
Panda Adaptive defense 360 - Guia para prevenir a Extorsão Cibernética
Panda Adaptive defense 360 - Guia para prevenir a Extorsão CibernéticaPanda Adaptive defense 360 - Guia para prevenir a Extorsão Cibernética
Panda Adaptive defense 360 - Guia para prevenir a Extorsão Cibernética
 
Clean dns ptbr
Clean dns ptbrClean dns ptbr
Clean dns ptbr
 
Clean dns ptbr
Clean dns ptbrClean dns ptbr
Clean dns ptbr
 
FirePOWER contra Ransomware - Comunidade Cisco
FirePOWER contra Ransomware - Comunidade CiscoFirePOWER contra Ransomware - Comunidade Cisco
FirePOWER contra Ransomware - Comunidade Cisco
 
Ransomware como proteger sua empresa
Ransomware como proteger sua empresa Ransomware como proteger sua empresa
Ransomware como proteger sua empresa
 
Palestra - Evento Petrobras RPBC Day
Palestra - Evento Petrobras RPBC DayPalestra - Evento Petrobras RPBC Day
Palestra - Evento Petrobras RPBC Day
 
Segurança dos Sistemas Operativos
Segurança dos Sistemas OperativosSegurança dos Sistemas Operativos
Segurança dos Sistemas Operativos
 
A seguranca dos sistemas operativos
A seguranca dos sistemas operativosA seguranca dos sistemas operativos
A seguranca dos sistemas operativos
 
Palestra realizada no 2º Congreso Iberoamericano de Ciberseguridad Industrial
Palestra realizada no 2º Congreso Iberoamericano de Ciberseguridad IndustrialPalestra realizada no 2º Congreso Iberoamericano de Ciberseguridad Industrial
Palestra realizada no 2º Congreso Iberoamericano de Ciberseguridad Industrial
 
Nota de aula seguranca da informacao - redes de computadores
Nota de aula   seguranca da informacao - redes de computadoresNota de aula   seguranca da informacao - redes de computadores
Nota de aula seguranca da informacao - redes de computadores
 
AWS Summit 2017 - Como proteger contra Ransomware minhas instâncias AWS
AWS Summit 2017 - Como proteger contra Ransomware minhas instâncias AWSAWS Summit 2017 - Como proteger contra Ransomware minhas instâncias AWS
AWS Summit 2017 - Como proteger contra Ransomware minhas instâncias AWS
 
Sistemas de seguranca
Sistemas de segurancaSistemas de seguranca
Sistemas de seguranca
 
CLASS 2022 - Marcelo Branquinho (TI Safe) - Ameaças Modernas e Ataques às red...
CLASS 2022 - Marcelo Branquinho (TI Safe) - Ameaças Modernas e Ataques às red...CLASS 2022 - Marcelo Branquinho (TI Safe) - Ameaças Modernas e Ataques às red...
CLASS 2022 - Marcelo Branquinho (TI Safe) - Ameaças Modernas e Ataques às red...
 
Inf seg redinf_semana5
Inf seg redinf_semana5Inf seg redinf_semana5
Inf seg redinf_semana5
 
Como funcionam as ameaças da internet e o cybercrime
Como funcionam as ameaças da internet e o cybercrimeComo funcionam as ameaças da internet e o cybercrime
Como funcionam as ameaças da internet e o cybercrime
 
Como invadir uma exchange - Um relatório geral de segurança de corretoras de ...
Como invadir uma exchange - Um relatório geral de segurança de corretoras de ...Como invadir uma exchange - Um relatório geral de segurança de corretoras de ...
Como invadir uma exchange - Um relatório geral de segurança de corretoras de ...
 
Seguranca web Testday2012
Seguranca web Testday2012Seguranca web Testday2012
Seguranca web Testday2012
 
Fundamentos de Segurança da Informação
Fundamentos de Segurança da InformaçãoFundamentos de Segurança da Informação
Fundamentos de Segurança da Informação
 

Mais de TI Safe

Mais de TI Safe (20)

CLASS 2022 - Luiz Fernando Roth e Matheus Tourinho - Ataques Cibernéticos a A...
CLASS 2022 - Luiz Fernando Roth e Matheus Tourinho - Ataques Cibernéticos a A...CLASS 2022 - Luiz Fernando Roth e Matheus Tourinho - Ataques Cibernéticos a A...
CLASS 2022 - Luiz Fernando Roth e Matheus Tourinho - Ataques Cibernéticos a A...
 
CLASS 2022 - Júlio Omori (COPEL) e Tânia Marques (consultora independente) - ...
CLASS 2022 - Júlio Omori (COPEL) e Tânia Marques (consultora independente) - ...CLASS 2022 - Júlio Omori (COPEL) e Tânia Marques (consultora independente) - ...
CLASS 2022 - Júlio Omori (COPEL) e Tânia Marques (consultora independente) - ...
 
CLASS 2022 - Rodrigo Riella (Lactec) e Claudio Hermeling (TI Safe) - A impor...
 CLASS 2022 - Rodrigo Riella (Lactec) e Claudio Hermeling (TI Safe) - A impor... CLASS 2022 - Rodrigo Riella (Lactec) e Claudio Hermeling (TI Safe) - A impor...
CLASS 2022 - Rodrigo Riella (Lactec) e Claudio Hermeling (TI Safe) - A impor...
 
CLASS 2022 - Thiago Branquinho (TI Safe) - Como implementar e certificar um S...
CLASS 2022 - Thiago Branquinho (TI Safe) - Como implementar e certificar um S...CLASS 2022 - Thiago Branquinho (TI Safe) - Como implementar e certificar um S...
CLASS 2022 - Thiago Branquinho (TI Safe) - Como implementar e certificar um S...
 
CLASS 2022 - Sergio Sevileanu (Siemens) e Felipe Coelho (Claroty) - Habilitan...
CLASS 2022 - Sergio Sevileanu (Siemens) e Felipe Coelho (Claroty) - Habilitan...CLASS 2022 - Sergio Sevileanu (Siemens) e Felipe Coelho (Claroty) - Habilitan...
CLASS 2022 - Sergio Sevileanu (Siemens) e Felipe Coelho (Claroty) - Habilitan...
 
CLASS 2022 - Eduardo Valério (Ternium) - Uma década de cibersegurança em OT, ...
CLASS 2022 - Eduardo Valério (Ternium) - Uma década de cibersegurança em OT, ...CLASS 2022 - Eduardo Valério (Ternium) - Uma década de cibersegurança em OT, ...
CLASS 2022 - Eduardo Valério (Ternium) - Uma década de cibersegurança em OT, ...
 
CLASS 2022 - Felipe Jordão (Palo Alto Networks) - Boas práticas de operações ...
CLASS 2022 - Felipe Jordão (Palo Alto Networks) - Boas práticas de operações ...CLASS 2022 - Felipe Jordão (Palo Alto Networks) - Boas práticas de operações ...
CLASS 2022 - Felipe Jordão (Palo Alto Networks) - Boas práticas de operações ...
 
CLASS 2022 - Abilio Franco e Bryan Rivera (Thales) - Privacidade de dados e c...
CLASS 2022 - Abilio Franco e Bryan Rivera (Thales) - Privacidade de dados e c...CLASS 2022 - Abilio Franco e Bryan Rivera (Thales) - Privacidade de dados e c...
CLASS 2022 - Abilio Franco e Bryan Rivera (Thales) - Privacidade de dados e c...
 
CLASS 2022 - Roberto Engler Jr. (IBM) - Gestão e monitoramento de alto nível ...
CLASS 2022 - Roberto Engler Jr. (IBM) - Gestão e monitoramento de alto nível ...CLASS 2022 - Roberto Engler Jr. (IBM) - Gestão e monitoramento de alto nível ...
CLASS 2022 - Roberto Engler Jr. (IBM) - Gestão e monitoramento de alto nível ...
 
CLASS 2022 - Maiko Oliveira (Microsoft) - Convergência TO E TI, proteção tota...
CLASS 2022 - Maiko Oliveira (Microsoft) - Convergência TO E TI, proteção tota...CLASS 2022 - Maiko Oliveira (Microsoft) - Convergência TO E TI, proteção tota...
CLASS 2022 - Maiko Oliveira (Microsoft) - Convergência TO E TI, proteção tota...
 
Vitor Sena e Daniel Quintão (Gerdau) - Projeto, implantação, gestão e monitor...
Vitor Sena e Daniel Quintão (Gerdau) - Projeto, implantação, gestão e monitor...Vitor Sena e Daniel Quintão (Gerdau) - Projeto, implantação, gestão e monitor...
Vitor Sena e Daniel Quintão (Gerdau) - Projeto, implantação, gestão e monitor...
 
CLASS 2022 - Marty Edwards (Tenable) - O perigo crescente de ransomware crimi...
CLASS 2022 - Marty Edwards (Tenable) - O perigo crescente de ransomware crimi...CLASS 2022 - Marty Edwards (Tenable) - O perigo crescente de ransomware crimi...
CLASS 2022 - Marty Edwards (Tenable) - O perigo crescente de ransomware crimi...
 
CLASS 2022 - Júlio Cezar de Oliveira (Hitachi Energy) - Cibersegurança na era...
CLASS 2022 - Júlio Cezar de Oliveira (Hitachi Energy) - Cibersegurança na era...CLASS 2022 - Júlio Cezar de Oliveira (Hitachi Energy) - Cibersegurança na era...
CLASS 2022 - Júlio Cezar de Oliveira (Hitachi Energy) - Cibersegurança na era...
 
CLASS 2022 - Denis Sousa, Abner Bueno e Eduardo Pontes (Norte Energia) - Anál...
CLASS 2022 - Denis Sousa, Abner Bueno e Eduardo Pontes (Norte Energia) - Anál...CLASS 2022 - Denis Sousa, Abner Bueno e Eduardo Pontes (Norte Energia) - Anál...
CLASS 2022 - Denis Sousa, Abner Bueno e Eduardo Pontes (Norte Energia) - Anál...
 
CLASS 2022 - Nycholas Szucko (Nozomi Networks) - Antifragilidade Cibernética ...
CLASS 2022 - Nycholas Szucko (Nozomi Networks) - Antifragilidade Cibernética ...CLASS 2022 - Nycholas Szucko (Nozomi Networks) - Antifragilidade Cibernética ...
CLASS 2022 - Nycholas Szucko (Nozomi Networks) - Antifragilidade Cibernética ...
 
CLASS 2022 - Gustavo Merighi (Energisa) e Alessandro Moretti (Thales) - O Des...
CLASS 2022 - Gustavo Merighi (Energisa) e Alessandro Moretti (Thales) - O Des...CLASS 2022 - Gustavo Merighi (Energisa) e Alessandro Moretti (Thales) - O Des...
CLASS 2022 - Gustavo Merighi (Energisa) e Alessandro Moretti (Thales) - O Des...
 
Retrospectiva
RetrospectivaRetrospectiva
Retrospectiva
 
Palestra eb 02 07-19
Palestra eb 02 07-19Palestra eb 02 07-19
Palestra eb 02 07-19
 
Ignite 2019
Ignite 2019Ignite 2019
Ignite 2019
 
How to protect energy distribution for millions of people against cyber attac...
How to protect energy distribution for millions of people against cyber attac...How to protect energy distribution for millions of people against cyber attac...
How to protect energy distribution for millions of people against cyber attac...
 

Último

Último (8)

Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdfAula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
 
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
 
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
 
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor SucroenergéticoConvergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
 
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
 
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
 
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
 
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
 

CLASS 2016 - Palestra Marcelo Branquinho

  • 1. TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Panorama atual de segurança das redes de automação brasileiras Marcelo Branquinho Maio de 2016
  • 2. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Sejam bem vindos ao CLASS 2016
  • 3. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Vejam o relatório na sacola do evento.
  • 4. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Nova metodologia do RelatórioNova metodologia do Relatório • Nesta nova versão do relatório o método de coleta de dados de incidentes em nossos clientes foi aprimorado. • Passamos a utilizar um NGFW (Next Generation Firewall ou Firewall de Próxima Geração) operando em camada 7 (camada de aplicação) para a coleta não somente dos dados dos incidentes de segurança como também detalhes técnicos sobre Malware, aplicativos de alto risco sendo executados nas redes de automação e as principais vulnerabilidades exploradas. • Com isto houve um aumento relevante no número de incidentes de segurança detectados e foi gerado um relatório com uma maior visibilidade das ameaças às redes de automação críticas das infraestruturas de nossos clientes.
  • 5. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Vamos aosVamos aos resultados...resultados...
  • 6. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. 2015 – Explosão de incidentes SCADA no Brasil2015 – Explosão de incidentes SCADA no Brasil
  • 7. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Infecções por Malware em IC Brasileiras • Fonte: 2o Relatório Anual TI Safe sobre incidentes de segurança em redes de automação brasileiras (2016) • Incidentes computados de Setembro de 2008 a Dezembro de 2015 • Dados obtidos somente de clientes da TI Safe no Brasil
  • 8. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Tipos de Malware descobertosTipos de Malware descobertos
  • 9. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Aplicativos de alto risco em execuçãoAplicativos de alto risco em execução
  • 10. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Vulnerabilidades em protocolos SCADAVulnerabilidades em protocolos SCADA As vulnerabilidades dos aplicativos SCADA encontradas nas redes de nossos clientes foram classificadas por protocolo e quantidade e apresentadas na tabela abaixo:
  • 11. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. • Nenhuma das organizações pesquisadas afirmou ter um processo de gestão de incidentes de segurança cibernética industrial desenvolvido e em produção. • Em 24% das empresas este processo não existe, e 27% atuam de forma reativa quando ocorrem incidentes de segurança. • No entanto, 45% das empresas pesquisadas afirmaram estar definindo este processo. Gestão de incidentes de segurança cibernética no Brasil Fonte: Pesquisa realizada pela TI Safe no ano de 2014
  • 12. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. O cenário é ruim, mas dá pra piorar??O cenário é ruim, mas dá pra piorar??
  • 13. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Infelizmente SIM.....Infelizmente SIM..... Referência: Symantec
  • 14. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Os atacantes descobriramOs atacantes descobriram como ganhar MUITOcomo ganhar MUITO dinheiro com ataques adinheiro com ataques a infraestruturas críticas!infraestruturas críticas! 2016 – O Ano do Ransomware SCADA
  • 15. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Ransomware – A próxima ameaça às ICs
  • 16. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados.
  • 17. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Hospital infectado por Ransomware • Nesse caso, o departamento tinha backups de seus sistemas e se recusaram a pagar o resgate aos criminosos. • Por volta de 05 de fevereiro de 2016 , os sistemas pertencente ao Hospital Central Presbiteriano de Hollywood foram infectados com o Locky ransomware. • Depois de dez dias, o governo pagou aos atacantes 40 Bitcoins ($ 17.000) para libertar os sistemas. • Naquela mesma semana, cinco computadores pertencentes ao Departamento Regional de saúde de Los Angeles foram infectados com uma variante ransomware.
  • 18. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. O que é Ransomware? • Ransom = Resgate • Ransomware é um tipo de Malware que impede o acesso do usuário aos seus dados. • O usuário só recuperará o acesso aos dados mediante o pagamento de um resgate (Ransom) • Afetam diretamente a disponibilidade de sistemas ao bloquear o acesso a informações vitais para seu funcionamento.
  • 19. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. A Evolução do Ransomware
  • 20. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Tipos de Ransomware • Ransomware de Bloqueio Transmitido através de Engenharia Social e campanhas de phising, principalmente.  Restringe o acesso do usuário aos sistemas infectados.  Certas vezes, o Ransomware de bloqueio pode ser removido facilmente, restaurando o sistema para um ponto de restauração pré-definido ou implementando uma ferramenta de remoção comercial.  2016 promete ser o ano em que o Ransomware de bloqueio ressurgirá, porque ele pode infectar tecnologias emergentes, como telefones celulares, sistemas de controle (SCADA) e sistemas conectados à "internet das coisas“.
  • 21. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Smartphone com Ransomware de bloqueio
  • 22. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Tipos de Ransomware • Ransomware de Criptografia  Mais robusto, o Ransomware de Criptografia restringe a ação do usuário, negando o acesso à interface do usuário Segmenta os dados e sistemas de arquivos do dispositivo. Permite que os usuários acessem a internet para comprar moedas criptografadas no mercado virtual (algumas variantes de Ransomware de Criptografia fornecem aos usuários um site para comprar Bitcoins e artigos explicando a moeda). Determinam uma chave assimétrica única para cada sistema infectado e limpam a chave de sessão da memória quando tiverem terminado a infecção.
  • 23. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Exemplos de Ransomware de Criptografia • Locky:  Em 5 de Fevereiro, 2016, sistemas médicos pertencentes a Hollywood Presbyterian Medical Center foram infectados com o ransomware Locky. Dados de saúde permaneceram inalterados, mas,computadores essenciais para o trabalho de laboratório, tomografia computadorizada, sistemas de sala de emergência, e farmácia foram infectados. Os cibercriminosos exigiram um resgate de 9000 Bitcoins ($ 3,6 milhões).  Porém, depois de quase duas semanas negociando, o presidente do Centro Médico pagou um resgate de 40 Bitcoins ($ 17.000) para desbloquear suas máquinas. • A Forbes afirma que o Locky ransomware infecta aproximadamente 90.000 sistemas por dia e que normalmente pede aos usuários de 0,5-1 Bitcoin (~ $ 420) para desbloquear seus sistemas. • O Locky criptografa arquivos com chaves RSA-2048 e AES 128 cifras.
  • 24. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Tela de bloqueio - Locky
  • 25. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Exemplos de Ransomware de Criptografia • CryptoLocker: Cryptolocker é um trojan que começou infectando sistemas Windows através da botnet Gameover Zeus, criptografando os dados do host com chave publica de criptografia RSA . Cryptolocker instala no perfil do usuário uma pasta e adiciona uma chave no registro do sistema para que seja executada na inicialização. Em seguida, ele se conecta a um dos seus servidores C2 e gera um par de chaves RSA de 2048 bits , armazenando a chave privada nesse servidor. Daí, ele envia a chave pública de volta para a máquina da vítima . O trojan criptografa documentos, imagens e arquivos nos discos rígidos locais e unidades de rede mapeadas com a chave pública.
  • 26. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Tela de bloqueio - CryptoLocker
  • 27. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Exemplos de Ransomware de Criptografia • CryptoWall / CryptoDefense/ CryptoBit: Esse Ransomware é responsavel por excluir cópias de sombra de arquivos para, em seguida ganhar privilégios de usuário para tentar se conectar aos proxies I2P a fim de encontrar um servidor de comando e controle ao vivo usando um valor de hash que é criado, tomando um numero que é aleatoriamente gerado seguido por um valor de identificação único. O servidor responde com uma chave pública única e fornece notas de resgate. Depois disso, a historia se repete ... As notas são colocadas em todos os diretórios onde os arquivos vítima são criptografadas e, em seguida, o Internet Explorer é iniciado com uma página do visor bilhete de resgate.
  • 28. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Tela de bloqueio - CryptoWall
  • 29. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Vetores de infecção • Sistema de Distribuição de Trafego (TDS): redirecionam o tráfego da web para um site de hospedagem infectado. Normalmente sites de conteúdo adulto, serviços de streaming de vídeo ou sites de pirataria de mídia. Infecta a máquina através do download do malware. • Malverstiment: anúncio malicioso que pode redirecionar os usuários de um site infectado. Pode parecer legítimo e até mesmo confiável. • E-mails de Phishing: usam da ingenuidade de usuários, que são culturalmente treinados para abrir e-mails e clicar em anexos e links. • Downloaders: Malwares são entregues em sistemas através de estágios de downloaders, para minimizar a probabilidade de detecção baseada em assinaturas. Nesse contexto, criminosos pagam outros criminoso que já tem uma máquina infectada com seus dados extraviados, ou com infecção previamente acidental. Ele utiliza um malware na rede infectada e repassa o controle deste ao downloader. • Sistema de Distribuição de Trafego (TDS): redirecionam o tráfego da web para um site de hospedagem infectado. Normalmente sites de conteúdo adulto, serviços de streaming de vídeo ou sites de pirataria de mídia. Infecta a máquina através do download do malware. • Malverstiment: anúncio malicioso que pode redirecionar os usuários de um site infectado. Pode parecer legítimo e até mesmo confiável. • E-mails de Phishing: usam da ingenuidade de usuários, que são culturalmente treinados para abrir e-mails e clicar em anexos e links. • Downloaders: Malwares são entregues em sistemas através de estágios de downloaders, para minimizar a probabilidade de detecção baseada em assinaturas. Nesse contexto, criminosos pagam outros criminoso que já tem uma máquina infectada com seus dados extraviados, ou com infecção previamente acidental. Ele utiliza um malware na rede infectada e repassa o controle deste ao downloader.
  • 30. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Vetores de infecção (cont.) • AutoPropagação: Ocorre quando aplicações são baixadas a partir de uma loja de aplicativos ou se espalham através de disparos de SMS em uma lista de contatos a partir de uma vitima inicial. • Ransomware as a Service (RaaS): esta é a forma de ransomware como um serviço, por meio do qual script kiddies (criminosos amadores) podem usar o ransomware desenvolvido por criminosos experientes para explorar as vítimas em troca do pagamento de uma comissão (5-20% do valor do resgate). • Engenharia Social e Sabotagem: malware é disseminado de forma intencional por funcionários e colaboradores da empresa que tenham sido préviamente subornados.
  • 31. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Vítimas do Ransomware • Usuários comuns: usuários que são facilmente pressionados ou que não são fluentes em soluções técnicas para Ransomware são os alvos mais viáveis​​.A maioria dos usuários não faz consistentemente o backup de seus dados e nem seguem procedimentos básicos de segurança cibernética para mitigar o impacto de um ataque por Ransomware. • Empresas: empresas são os principais alvos de Ransomware , porque os seus sistemas são os mais propensos a abrigar bases de dados confidenciais valiosos, documentos importantes e outras informações. Além disso, elas são as mais prováveis para pagar o resgate, a fim de retomar rapidamente as operações . • Polícia: Serviços de polícia e federais são muitas vezes alvo de ataques de malware em resposta a seus esforços para investigar e prender criminosos cibernéticos.
  • 32. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Vítimas do Ransomware (cont.) • Hospitais e Serviços de emergência: nestes alvos a perda do sistema pode custar vidas, e são um dos preferidos para atacantes via ransomware. • Instituições de Ensino: faculdades e universidades são alvos interessantes pois possuem fundos suficientes para pagar um resgate considerável. • Instituições Financeiras: as instituições financeiras são o grande setor alvo de ransomware, e já existem inúmeros casos de ataques documentados no mundo. Infraestruturas críticas: a indisponibilidade de sistemas SCADA em infraestruturas críticas pode levar a perdas inestimáveis, financeiras, humanas e ambientais. Desta forma resgates na ordem de milhões de dólares são cobrados de empresas que tem sua produção ou abastecimento paralisados. Além disso as redes de automação não possuem a segurança mínima necessária para se contrapor a este tipo de ataque, além de não ter equipes adequadamente treinadas.
  • 33. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Sistemas Alvo • Dispositivos Móveis: hoje quase toda a população mundial tem ao menos um tipo de dispositivo móvel, vulneravel à ataques ransomware. • Servidores: nele estão armazenados documentos de uma organização, bases de dados, propriedade intelectual, arquivos pessoais, listas de clientes, planejamentos de produção, dados de billing e outros recursos intangíveis. Apesar do valor destes dados, as organizações falham regularmente para assegurar, atualizar e corrigir os sistemas. Mesmo que a organização tenha um plano de recuperação de desastres, a quantidade de tempo necessária para reverter para um sistema crítico pode ser inaceitável. • Dispositivos IoT: na internet das coisas, o cibercriminoso ransomware tem maior poder sobre vítimas. Imagine um ransomware infectando um sistema de temperatura digital de uma casa. Ou algo ainda mais impactante; um sistema de controle central de um avião? Sistema SCADA: sistemas de controle de infraestruturas críticas podem ser facilmente paralisados no caso de um ataque por Ransomware em um vetor de infecção de Worm com espalhamento automático.
  • 34. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. A Economia do Ransomware • Para que criminosos ransomware lucrem, eles devem confiar em explorar a natureza humana, e não a sofisticação técnica. Os seres humanos tendem a pagar pelo resgate para que seus sistemas voltem a operar o mais breve possível. • O custo para os usuários depende diretamente do prejuízo que as empresas tem com a indisponibilidade de seus sistemas. Quanto mais caro o prejuízo, mais alto o valor do resgate. • Os usuários individuais têm uma baixa capacidade de pagar, enquanto empresas e infraestruturas críticas, por serem de maior porte, podem pagar resgates de maior valor. • Os atacantes são pagos geralmente em moedas da Deep Web, como o Bitcoin ou o Darkcoin, que são moedas moedas criptografadas (Cryptocurrencies) e com difícil rastreamento, mantendo o anonimato do atacante. • Cryptocurrencies são tipicamente adquiridas através da Dark Web acessada através do browser Tor.
  • 35. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Entendendo a Dark Web e o Bitcoin
  • 36. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. O que fazer para evitar o Ransomware • Ter um time de Segurança da Informação preparado: é responsabilidade da equipe de segurança da informação garantir que todos os sistemas foram atualizados e possuem soluções anti-malware instaladas. • Treinamento e sensibilização: o pessoal da empresa precisa ser treinado para reconhecer e evitar os vetores de ataque por Ransomware. Os seres humanos são o elo mais fraco. Os funcionários devem ser treinados para reconhecer um link ou anexo maliciosos. • Políticas e Procedimentos: os usuários devem saber quais atividades são permitidas na rede. Eles devem saber como reconhecer atividades suspeitas e para quem elas devem ser relatadas. Ter implementada uma estratégia de defesa em camadas: o modelo de defesa de rede em camadas tem o objetivo de retardar o adversário e detectar a sua presença em tempo para reagir à intrusão.
  • 37. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Implementar Defesa em Camadas • Para a implementação do modelo de defesa em camadas são necessários mecanismos de proteção e sistemas de detecção próprios para redes industriais, além de um sistema de inteligência de segurança que seja capaz de alertar e bloquear as ameaças em tempo real.
  • 38. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Metodologia ICS.SecurityFramework DETECÇÃO, DEFESA E CONTROLE INTEGRADO DE AMEAÇASDETECÇÃO, DEFESA E CONTROLE INTEGRADO DE AMEAÇAS PARA SISTEMAS DE INFRAESTRUTURAS CRÍTICASPARA SISTEMAS DE INFRAESTRUTURAS CRÍTICAS ANSI/ISA.99 • Metodologia desenvolvida pela TI Safe para organizar, executar e operar a segurança da informação em sistemas industriais e infraestruturas críticas: • Implementa as boas práticas descritas no CSMS (Cyber Security Management System) da norma ANSI/ISA-99 • Acelera o processo de conformidade da segurança cibernética e atende às necessidades de T.I. e T.A. em um framework único. • Gerenciamento centralizado do monitoramento, defesa e controle de ameaças. •Garante a atualização das bases de dados de assinaturas e vulnerabilidades para todos os componentes de segurança. •Facilita a identificação de ameaças e isolamento de incidentes. •Produz trilha confiável para rastreabilidade dos eventos. •Fornece detalhados relatórios de auditoria.
  • 39. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Módulos do ICS.SecurityFramework
  • 40. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. E se o pior acontecer? Quando a mitigação falhar, é importante para organizações e indivíduos considerarem todas as possíveis respostas a um ataque Ransomware. São elas: • Acionar o Time de Resposta a Incidentes: A equipe de segurança da informação deve ter previamente planejado um procedimento a seguir em caso de um ataque ransomware, durante sua avaliação de riscos. A equipe de resposta a incidentes deve começar por notificar as autoridades e órgãos reguladores pois ataques Ransomware são crimes prescritos em lei. • Tentar recuperar os dados perdidos: Backup e recuperação do sistema são a única solução para reverter ataques por ransomware. Ter backups atualizados é vital em casos de perdas de dados críticos. Neste caso, bastará realizar um recover dos sistemas e dados para voltar à atividade normal da empresa. • Fazer nada: em casos onde o resgate supera o custo do sistema, a vítima pode comprar um novo dispositivo e dispor do sistema infectado.
  • 41. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. E se o pior acontecer? (cont.) • Pagar o Resgate: alguns atacantes podem liberar o sistema após receber o pagamento, porque fazer o contrário iria reduzir a probabilidade de que novas vítimas venham a cair no golpe. Porém, infelizmente, não existe nenhuma garantia que os atacantes ficariam com os dados após o resgate pago. • Uma Solução Hibrida: inclui esforços simultâneos para pagar o resgate e tentar restaurar os sistemas a partir de um backups confiáveis. Organizações optam por esta estratégia quando o tempo de inatividade do sistema é ainda mais crítico que as consequências do pagamento do resgate.
  • 42. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Video – Ataque por Ransomware no Brasil
  • 43. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Um detalhe importante.... • Ransomwares modernos são capazes de procurar servidores e aplicações de backup em execução na rede e criptografá-los também... • Nestes casos, a única solução possível será pagar o resgate. • Pagar resgates pode ser fácil para instituições privadas, mas empresas públicas não tem verba alocada para isto... Teriam que licitar..
  • 44. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. ConclusãoConclusão • O aumento da atividade hacker no Brasil e a evolução dos ataques direcionados a redes de automação aumentou vertiginosamente no ano de 2015. • Somente durante este ano foi notada uma quantidade de incidentes de segurança maior que a dos anos de 2008 a 2014 somados, o que representa um crescimento alarmante. • As infraestruturas críticas brasileiras devem despertar urgentemente para este cenário e implementar controles de segurança que vão de encontro ao cenário de ameaças que acabo de apresentar. • Não há mais tempo a perder...é preciso implementar políticas e soluções tecnológicas para defesa em camadas já!
  • 45. www.tisafe.com TI Safe Segurança da Informação LTDA, 2007-2010.Todos os direitos reservados. Aproveitem o CLASS 2016Aproveitem o CLASS 2016 Marcelo Branquinho Marcelo.branquinho@tisafe.com