TLPS N° 1 Sobre Equipamento Data 11 03 10

2.173 visualizações

Publicada em

trabalho sobre equipamentos

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.173
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
17
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
40
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

TLPS N° 1 Sobre Equipamento Data 11 03 10

  1. 1. TECNOLOGIA E PROCESSOS INDUSTRIAIS<br />EQUIPAMENTOS INDISPENSÁVEIS NA INDÚSTRIA, COMÉRCIO E LAZER.<br />TEMA:<br />Apresentação<br /><ul><li> Tiago Luiz
  2. 2. Douglas Padilha
  3. 3. Isaias Batista</li></ul>SEGURANÇA DO TRABALHO<br />
  4. 4. TECNOLOGIA E PROCESSOS INDUSTRIAIS<br />OBJETIVO:<br /><ul><li> Fazer com que todos os participantes</li></ul>fiquem em condições de conhecer a <br />utilização e a finalidade de cada<br />equipamento apresentado.<br />SEGURANÇA DO TRABALHO<br />
  5. 5. TECNOLOGIA E PROCESSOS INDUSTRIAIS<br /><ul><li>EQUIPAMENTOS PARA ABORDAGEM</li></ul> Carro Hidráulico<br /> Garras a Vácuo<br /> Mosquetão <br /> Correias Transportadoras<br />SEGURANÇA DO TRABALHO<br />
  6. 6. TECNOLOGIA E PROCESSOS INDUSTRIAIS<br />CARROHIDRAULICO<br />Carro hidráulico também conhecido como Paleteira,Transpaleteira, Transpalete ou Jacaré Hidráulico, é um equipamento indispensável a qualquer empresa que efetue movimentação de cargas. A partir deste equipamento tudo ficou mais fácil e pratico pois o esforço físico se tornou mínimo e com isso, a saúde dos trabalhadores foram os que mais se beneficiaram com isso.<br />SEGURANÇA DO TRABALHO<br />
  7. 7. TECNOLOGIA E PROCESSOS INDUSTRIAIS<br />SEGURANÇA DO TRABALHO<br />
  8. 8. TECNOLOGIA E PROCESSOS INDUSTRIAIS<br /><ul><li> DICAS DE SEGURANÇA E MANUTENÇÃO DOS CARROS HIDRÁULICOS</li></ul>DICAS DE SEGURANÇA<br /><ul><li>Nunca utilizar a carga somente sobre um dos garfos;
  9. 9. Para subir ou descer uma rampa manualmente, o operador deverá sempre estar segurando pela alavanca e puxando sempre pela parte alta da rampa;
  10. 10. Introduza totalmente os garfos no palete, centralize a carga, deixando assim o carro hidráulico com o peso balanceado;
  11. 11. Nunca utilizar o carro hidráulico com cargas aclives ou declives, pois esse sistema de engates somente é seguro em pisos planos. </li></ul>SEGURANÇA DO TRABALHO<br />
  12. 12. TECNOLOGIA E PROCESSOS INDUSTRIAIS<br />DICAS DE MANUTENÇÃO<br /><ul><li>Não se deve usar de maneira nenhuma materiais e produtos abrasivos ou nocivos a pintura do equipamento;
  13. 13. Verifique as rodas e rodízios quanto ao desgaste excessivos;
  14. 14. Verifique e substitua, caso constate qualquer irregularidade;
  15. 15. Engraxar as articulações com graxa multiuso de boa marca;
  16. 16. Verifique se há vazamento de óleo. </li></ul>SEGURANÇA DO TRABALHO<br />
  17. 17. TECNOLOGIA E PROCESSOS INDUSTRIAIS<br />GARRAA VÁCUO<br />Garras a Vácuo são projetadas para prender uma superfície lisa pela ação do vácuo. Possuem ventosas de sucção conectadas a uma bomba de ar comprimido, servem para superfícies tipo chapas metálicas,caixas de papelão entre outros. Para reduzir o risco de mal funcionamento devido a perda do vácuo é comum usar mais de uma ventosa de sucção.<br />SEGURANÇA DO TRABALHO<br />
  18. 18. TECNOLOGIA E PROCESSOS INDUSTRIAIS<br /><ul><li>Ventosade Sucção</li></ul>As ventosas a vácuo se distinguem pelas suas formas construtivas, e pelo seus tamanhos e materiais variados. Elas formam a interface decisiva com o objeto e são utilizadas para levantar e transportar objetos de todo tipo. As mais comuns envolvem o levantamento e deslocamento de peças e materiais como: <br /><ul><li>Movimentação de cargas;
  19. 19. Manipulações de peças com temperatura elevada;
  20. 20. Operações que requerem condições de higiene;
  21. 21. Movimentação de peça muito pequena. Ex: componentes eletrônicos;
  22. 22. Movimentação com materiais de superfícies lisas .(chapa de vidro);
  23. 23. Manipulações de peças frágeis. Evita danos.</li></ul>SEGURANÇA DO TRABALHO<br />
  24. 24. TECNOLOGIA E PROCESSOS INDUSTRIAIS<br />SEGURANÇA DO TRABALHO<br />
  25. 25. TECNOLOGIA E PROCESSOS INDUSTRIAIS<br /><ul><li>PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA PARA O USO DE GARRAS A VÁCUO E VENTOSAS DE SUCÇÃO</li></ul>GARRAS A VÁCUO<br />A Norma Regulamentadora- N°11 item 7.1 e 7.2.1 diz:<br />7.1-A movimentação de chapas com uso de garras só pode ser realizada pegando-se uma chapa por vez e por no mínimo três trabalhadores e observando-se os seguintes requisitos mínimos:<br />Não ultrapassar a capacidade de carga dos elementos de sustentação e a capacidade de carga da ponte rolante ou de outro tipo de equipamento de içar, atendendo às especificações técnicas e recomendações do fabricante;<br />Todo equipamento de içar deve ter indicado, em lugar visível, o nome do fabricante,o responsável técnico e a carga máxima de trabalho permitida;<br />As áreas de movimentação devem propiciar condições de forma que o trabalho seja realizado com total segurança e serem sinalizados de forma adequada, na vertical e no piso.<br />7.2- As empresas devem ter livro próprio para registro de inspeção e manutenção dos elementos de sustentação usados na movimentação de chapas com uso de garras.<br />7.2.1- As inspeções e manutenções devem ser realizadas por profissional legalmente habilitado e dado conhecimento ao empregador.<br />SEGURANÇA DO TRABALHO<br />
  26. 26. TECNOLOGIA E PROCESSOS INDUSTRIAIS<br />VENTOSAS DE SUCÇÃO<br />A Norma Regulamentadora- N° 11 item 5.1 e 5.2 diz:<br />5.1- Na movimentação de chapas com o uso de ventosas devem ser observados os seguintes requisitos mínimos: <br />A potência do compressor deve atender ás necessidades de pressão das ventosas para sustentar as chapas quando de sua movimentação;<br />As ventosas devem ser dotadas de válvulas de segurança, com acesso facilitado ao operador, respeitando os aspectos ergonômicos;<br />As mangueiras e conexões devem possuir resistência compatível com a demanda de trabalho;<br />As ventosas devem ser dotadas de dispositivo auxiliar que garanta a contenção da mangueira, evitando seu ricocheteamento em caso de desprendimento acidental;<br />As mangueiras devem estar protegidas, firmemente presas aos tubos de saída e de entrada e, preferencialmente, afastadas das vias de circulação;<br />As borrachas das ventosas devem ter manutenção periódicas e imediata substituição em caso de desgaste ou defeitos que as tornem impróprias para uso.<br />5.2- Recomenda-se que os equipamentos de movimentação de chapas, a vácuo, possuam alarme sonoro e visual que indiquem pressão fora dos limites de segurança estabelecidos.<br />SEGURANÇA DO TRABALHO<br />
  27. 27. TECNOLOGIA E PROCESSOS INDUSTRIAIS<br /> MOSQUETÃO<br />O mosquetão é um equipamento básico em todas as atividades em técnicas verticais. É enquadrado como equipamento de proteção, por se ele o link entre todos os demais equipamentos. O mosquetão é configurado por meio de; corpo em forma de gancho, parte móvel "gatilho" que se abre para permitir a passagem da corda.<br />Termologia básica de um mosquetão com trava:<br />Gatilho<br />Corpo<br />Trava<br />Eixo longitudinal<br />Eixo transversal<br />Especificações gravadas de resistência a ruptura.<br />SEGURANÇA DO TRABALHO<br />
  28. 28. TECNOLOGIA E PROCESSOS INDUSTRIAIS<br />Oval c/rosca<br /><ul><li> Modelos de mosquetões</li></ul>Mosquetão- D simétrico e assimétrico<br />São mosquetões basicamente utilizados para costuras de proteção. Possui grande resistência quando submetido à carga longitudinal, o que os torna ideais para esse uso. <br />Mosquetão- Gatilho curvo<br />São basicamente os corpos dos mosquetões em D assimétricos equipados com gatilhos curvos para maior abertura e facilidade de uso. <br />Mosquetão- Oval<br />Funcional, o mosquetão Oval é o mais versátil de todos os modelos deste equipamento, com uma variedade de usos quase que total em todos os sistemas de técnicas verticais. <br />SEGURANÇA DO TRABALHO<br />
  29. 29. TECNOLOGIA E PROCESSOS INDUSTRIAIS<br />Mosquetão- Rosca<br />Qualquer escalador que esteja nesse meio por mais de dez anos já deparou com situações em que a rosca travava e o trabalho de desemperrar era bem complicado. <br />Mosquetão- Convencional<br />São mosquetões em D (simétrico ou não) com trava de segurança. Largamente utilizado como mosquetão do auto-seguro. Podem ser utilizados também nos pontos de costuras vitais em escaladas de grande complexidade. <br />Mosquetão- HMS<br />No Brasil é também conhecido como Mosquetão Pêra, devido ao seu formato. <br />SEGURANÇA DO TRABALHO<br />
  30. 30. TECNOLOGIA E PROCESSOS INDUSTRIAIS<br /><ul><li>DICAS DE SEGURANÇA E MANUTENÇÃO DOS MOSQUETÕES</li></ul>DICAS DE SEGURANÇA<br /><ul><li>Nunca deixe um mosquetão na areia, pois ele pode ficar difícil de abrir;
  31. 31. Se o seu mosquetão cair de uma altura de mais de 2 metros no chão, é aconselhável que você descarte-os;
  32. 32. Tenha certeza de que o gatilho abre e fecha sem roços e até seu curso total sem enganchar;
  33. 33. Não guarde mosquetões danificados, porque você poderá usa-los até por engano.</li></ul>SEGURANÇA DO TRABALHO<br />
  34. 34. TECNOLOGIA E PROCESSOS INDUSTRIAIS<br />DICAS DE MANUTENÇÃO <br /><ul><li>Mantenha os mosquetões sempre bem manutenidos tenha livro de anotações de registro de ocorrências atualizado;
  35. 35. Limpe e lubrifique os mosquetões após o contato com água e principalmente água salgada ou tenha tido contato com maresia;
  36. 36. Retire qualquer sujeira do gatilho e rosca na região articulada;
  37. 37. Lubrifique a articulação e a rosca com grafite em pó, retire o excesso e registre os fatos no seu livro e só então guarde para ser usado novamente;
  38. 38. Mantenha os mosquetões em local seco e preso para evitar quedas acidentais, longe de umidade, outros equipamentos ou roupas úmidas e agentes químicos.</li></ul>SEGURANÇA DO TRABALHO<br />
  39. 39. TECNOLOGIA E PROCESSOS INDUSTRIAIS<br /> CORREIAS TRANSPORTADORAS<br />A primeira correia reforçada com cabos de aço fabricado no mundo, foi feita pela empresa Goodyear em 1942, nos Estados Unidos. Hoje em dia existem milhares de empresas que atua no ramo de correias transportadoras. Esses equipamentos se tornaram indiscutivelmente importantíssimo no ramo da industria e comercio, devido a sua praticidade em conduzir e facilitar todo um de processo e produção etc. <br />SEGURANÇA DO TRABALHO<br />
  40. 40. TECNOLOGIA E PROCESSOS INDUSTRIAIS<br /><ul><li>CURIOSIDADES SOBRE AS CORREIAS TRANSPORTADORAS</li></ul>A fotografia mostra um trabalhador junto a uma correia transportadora no inicio do século 20. Naquele tempo a carcaça era feita de um grande numero de camadas de algodão.<br />Hoje em dia as correias transportadoras são feitas através de recobrimento de tecidos , de não- tecidos ou de telas metálicas com camadas de PVC plastificado.<br /><ul><li> A Primeira correia transportadora</li></ul>SEGURANÇA DO TRABALHO<br />
  41. 41. TECNOLOGIA E PROCESSOS INDUSTRIAIS<br /><ul><li> A correia transportadora mais comprida</li></ul>Para transportar calcário de uma mina na Índia para uma fábrica de cimento em Bangladesh, um transportador com a correia mais longa do mundo foi colocado em operação em 2005. Esta correia transportadora têm 35km de comprimento.Não há nenhum sistema de tração intermediário entre as duas polias das extremidades. Sua largura é de 800 mm e ela é do tipo St 2500. <br />A esteira transportadora inteira foi montada em cavaletes de apoio de 18m de altura.<br />SEGURANÇA DO TRABALHO<br />
  42. 42. TECNOLOGIA E PROCESSOS INDUSTRIAIS<br /><ul><li> As bobinas de correias transportadoras mais pesadas</li></ul>Para a mina mais alta em todo o mundo, Collahuasi, no Norte do Chile, foram fornecidos as maiores bobinas de correia transportadora.Cada bobina tem um peso de 58 toneladas, um comprimento de 5,20 metros e uma altura de 4,30 metros. <br />SEGURANÇA DO TRABALHO<br />
  43. 43. TECNOLOGIA E PROCESSOS INDUSTRIAIS<br /><ul><li>A mais forte correia transportadora subterrânea em operação</li></ul>A correia transportadora subterrânea mais forte está operando numa instalação muito interessante. Não é somente o carvão bruto (ROM) que é transportado de 800 m abaixo do solo para a superfície, mas também, simultaneamente, os resíduos da planta de lavagem de volta para o subsolo. A correia tem 1400 mm de largura e é tipo St 7500, com revestimento de 10 mm e 12 mm, incluindo reforços de proteção em ambos os lados. Entrou em operação em 1986 na mina de antracitoProsperHaniel na Alemanha.Sua capacidade é de 200 t/h na operação ascendente e 1000 t/h na operação descendente.A distancia entre os centros é de 3475m e o grau de inclinação é de 12,3°. A correia opera a uma velocidade de 5,5m/s. <br />SEGURANÇA DO TRABALHO<br />
  44. 44. TECNOLOGIA E PROCESSOS INDUSTRIAIS<br /><ul><li>DICAS DE SEGURANÇA E MANUTENÇÃO DAS CORREIAS TRANSPORTADORAS</li></ul>DICAS DE SEGURANÇA<br /><ul><li>O trabalho deve ser feito de pé;
  45. 45. Em linhas de montagem, os trabalhadores devem ter algum controle sobre o ritmo de suas tarefas;
  46. 46. A altura da correias transportadoras deve ser determinada pelo grau de esforço físico;
  47. 47. No caso em que as pessoas tem que se mover sobre as correias transportadoras deve-se instalar uma passarela para pedestres, com proteções apropriadas;
  48. 48. Os corredores devem ser suficientemente largo, para que os trabalhadores possam desempenhar suas tarefas sem obstrução.</li></ul>SEGURANÇA DO TRABALHO<br />
  49. 49. TECNOLOGIA E PROCESSOS INDUSTRIAIS<br />A NORMA REGULAMENTADORA- N° 12 ITEM 2.1 DIZ <br />Asmaquinas e equipamentos devem ter dispositivos de acionamento e parada localizados de modo que:<br />Seja acionado ou desligado pelo operador na sua posição de trabalho ;<br />Não se localize na zona perigosa da máquina ou do equipamento ;<br />Possa ser acionado ou desligado em caso de emergência, por outra pessoa que não seja o operador;<br />Não possa ser acionado ou desligado, involuntariamente, pelo operado, ou de qualquer outra forma acidental;<br />Não acarrete riscos adicionais.<br />SEGURANÇA DO TRABALHO<br />
  50. 50. TECNOLOGIA E PROCESSOS INDUSTRIAIS<br />DICAS DE MANUTENÇÃO<br /><ul><li>Sempre realizar inspeções periódicas e detalhadas nas esteiras transportadoras;
  51. 51. Sempre substitua, o mais rápido possível, as roldanas desgastadas ou danificadas das esteiras;
  52. 52. Sempre investigue o odor de borracha queimada proveniente da esteira;
  53. 53. Sempre remova pós e outros elementos acumulados nos componentes das esteiras;
  54. 54. Sempre sinalize claramente os locais da rede de hidrantes ao longo das esteiras;
  55. 55. Sempre esteja certo que os hidrantes ao longo das esteiras estejam abrigados limpos e que as mangueiras de incêndio estejam adequadamente enroladas.</li></ul>SEGURANÇA DO TRABALHO<br />
  56. 56. TECNOLOGIA E PROCESSOS INDUSTRIAIS<br />“O que mais surpreende é o homem, pois perde a saúde para juntar dinheiro, depois perde o dinheiro para recuperar a saúde. Vive pensando ansiosamente no futuro, de tal forma que acaba por não viver nem o presente, nem o futuro. Vive como se nunca fosse morrer e morre como se nunca tivesse vivido.”<br />Dalai-Lama<br />SEGURANÇA DO TRABALHO<br />
  57. 57. TECNOLOGIA E PROCESSOS INDUSTRIAIS<br />BIBLIOGRAFIA<br />Carro Hidráulico- SITE- www.equipacenter.com.br/paleteiras/paleteiras.php<br />www.youtube.com/watch?v=0FMLe6D7l6Q<br />Garras a Vácuo- SITE- www.piab.com/Templates/Page.aspx?id=5087<br />www.youtube.com/watch?v=20Fm6AaHL0g<br />Portaria do MTb n°3214, NR-11 item 7.1 <br />Portaria do MTb n° 3214, NR-11 item 7.2<br />Mosquetão- SITE-<br />http://pt.wikipedia.org/wiki/P%C3%A1gina_principal<br />www.gp.pro.br/trabalho/mosquetoes.htm<br />www.fernandozara.com.br<br />Correia Transportadora- SITE- www.krk.com.br/conveyor/firstbelt.html<br />www.goodyearep.com.br/default.aspx<br />Portaria do MTb n° 3214, NR-12 item 2.1<br />SEGURANÇA DO TRABLHO<br />

×