ANÁLISE COMPARATIVA DE PROGÊNIES DE Theobroma grandiflorum
(CUPUAÇUZEIRO), TOLERANTES À VASSOURA-DE-BRUXA.
Vinicius Silva ...
MATERIAIS E MÉTODOS
O material experimental foi constituído de 8 progênies de irmãos germanos, 6 de
meios irmãos e 1 teste...
Tabela 1 - Médias e Coeficientes de Variação das Progênies quanto ao Número de
Frutos, Peso e Produção Relacionadas à Porc...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
[ ]1
ALVES, R.M.; CORRÊA, J.R.V.; RODRIGO, M. Melhoramento genético do cupuaçuzeiro
(Theobroma ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

ANÁLISE COMPARATIVA DE PROGÊNIES DE Theobroma grandiflorum tolerantes a vassoura de bruxa

96 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
96
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ANÁLISE COMPARATIVA DE PROGÊNIES DE Theobroma grandiflorum tolerantes a vassoura de bruxa

  1. 1. ANÁLISE COMPARATIVA DE PROGÊNIES DE Theobroma grandiflorum (CUPUAÇUZEIRO), TOLERANTES À VASSOURA-DE-BRUXA. Vinicius Silva dos Santos1 ; Thiago Martins Pinheiro 2 ; Rafael Moysés Alves 3 . 1 Graduando, 6º semestre de Estatística – Universidade Federal do Pará, Bolsista CNPq; viny_2santos@hotmail.com 2 Graduando, 9º semestre de Engenharia Agronômica – Universidade Federal Rural da Amazônia, Bolsista CNPq; thiago_mpinheiro@yahoo.com.br 3 Doutor, Embrapa Amazônia Oriental; rafael@cpatu.embrapa.br; RESUMO: O objetivo deste trabalho foi avaliar e selecionar progênies de cupuaçuzeiro que, além da boa produção de frutos, sejam geneticamente resistentes ao fungo Crinipellis (Moniliophthora) perniciosa (Stahel) Singer, causador da doença vassoura-de-bruxa. O experimento constou de 15 progênies de cupuaçuzeiro, instalado numa propriedade particular no município de Tomé-Açu, Estado do Pará. Foi utilizado o delineamento de blocos casualizados, com três repetições e dez plantas por parcela. Para as variáveis avaliadas foi procedida a análise da variância com o teste F e a aplicação do teste de Tukey para as comparações entre as médias estimadas. Concluiu-se que existe diferença de produção de frutos e resistência a vassoura entre as progênies, com destaque para as progênies 29, 17 e 174. Palavras chave: fruteira, análise de variância, vassoura de bruxa. ABSTRACT: The objective of this work was to evaluate and select progenies of cupuaçuzeiro that, in addition to the good fruit production, are genetically resistant to the fungus Crinipellis perniciosa (Moniliophthora) (Stahel) Singer, inducer of the disease-broom- Gorgon. The experiment consisted of 15 progenies of cupuaçuzeiro, installed in a private property in the municipality of Thomas-Açu, State of Pará. It was used the randomized blocks, with three replicates and ten plants per plot. For the variables evaluated was preceded the variance analysis with the F test and the application of Tukey test for the comparisons between the estimated averages. Concluded that there is a difference of production of fruit and resistance to broom between progenies, with highlight to the progenies 29, 17 and 174. Key words: Fruit, analysis of variance, disease-broom-Gorgon. INTRODUÇÃO O cupuaçuzeiro (Theobroma grandiflorum (Willdenow ex. Sprengel) Schumann) é uma fruteira nativa da região amazônica, cujo potencial econômico, vem conquistando mercado em outras regiões do país e no exterior, devido ao exótico sabor da polpa de seus frutos, largamente utilizada na fabricação de sorvetes, sucos, compotas, geléias, licor, iogurte e doces (Calzavara et al. 1984). Em relação aos problemas fitossanitários, tem sido observado que a doença conhecida como vassoura-de-bruxa, causada pelo fungo Crinipellis (Moniliophthora) perniciosa (Stahel) Singer, acarreta os principais danos econômicos aos plantios da região (Alves et al., 1998). A utilização de clones resistentes é a alternativa mais viável a ser considerada no controle da vassoura-de-bruxa (Alves et al., 1997). Com a hipótese de que, a avaliação de progênies de meios irmãos e irmãos germanos de cupuaçuzeiro é uma estratégia eficiente para detectar variabilidade genética, foi montado o presente ensaio, que visa avaliar e selecionar entre e dentro das 15 progênies testadas, matrizes que ofereçam alta produção de frutos e resistência a C. perniciosa.
  2. 2. MATERIAIS E MÉTODOS O material experimental foi constituído de 8 progênies de irmãos germanos, 6 de meios irmãos e 1 testemunha constituída por mudas não selecionadas, que é o padrão da maioria dos cultivos comerciais. O experimento obedeceu ao delineamento experimental de blocos casualizados com 15 tratamentos e três repetições, com dez plantas por parcela. Foi implantado em uma propriedade rural, na localidade denominada Águas Lindas, em Tomé-Açu, PA. O plantio aconteceu em março de 1999. Os dados experimentais foram analisados com o auxílio do software SAS e coletados ao nível de planta, em cinco safras que aconteceram no período de 2003 a 2008, quando foram anotados: o número de frutos maduros; peso médio de frutos e número de vassouras emitidas, por planta e por safra. Pelo produto do número médio de frutos produzidos nas seis safras pelo peso médio dos frutos foi obtida a variável produção média de frutos (kg de frutos/planta/safra). Essa variável juntamente com o índice fitossanitário foi determinante na seleção dos melhores genótipos. Esta seleção aconteceu entre e dentro das progênies de irmãos completos e meios irmãos. RESULTADOS E DISCUSSÃO Os resultados das análises de variância, mostrados na Tabela 1 e organizados pela variável produção de frutos, permitem identificar diferenças significativas para as variáveis estudadas: peso de frutos, produção e porcentagem de resistência à vassoura-de-bruxa, ao nível de significância de 5%. Nela podemos observar que, em relação ao número de frutos, não houve diferença estatística entre as progênies, apesar de haverem médias bastante discrepantes, como dos tratamentos T, 9 e 5 que apresentaram as maiores médias (15,80; 14,22 e 13,60 frutos) respectivamente, e as demais, especialmente a progênie 7 que apresentou a menor média, com 8,15 frutos. O coeficiente de variação da média do número de frutos (23%) foi considerado médio para esse tipo de variável, normalmente, muito afetado pelo ambiente. Em relação à característica Peso Médio de Fruto, observou-se que a progênie 1074 apresentou a maior média (1.87 kg), diferenciando-se das progênies 3, T, 184, 7 e 2, sendo estatisticamente semelhante as demais. Observou-se que o coeficiente de variação foi de 6%, muito inferior ao do número de frutos, indicando que essa característica é, relativamente, menos influenciável pelos fatores ambientais. A avaliação da Produção de Frutos revelou que a progênie 5 obteve a maior média de produção (23,61 kg/planta/safra), apresentando diferença estatística significante em relação as progênies 7 e 2 (10,78 e 10,22 kg/planta/safra), respectivamente. Observou-se que o coeficiente de variação da média de produção foi praticamente o mesmo da variável número de frutos, 24%. Em relação à resistência a vassoura-de-bruxa, pode-se observar (Tabela 1) que as progênies 1(186 x 248) e 186 foram as que mais se destacaram com 100% de plantas sem sintomas da doença. Também foram destaques para essa variável as progênies 7 e 3, com 83% e 80%, respectivamente, de plantas livres de vassoura.
  3. 3. Tabela 1 - Médias e Coeficientes de Variação das Progênies quanto ao Número de Frutos, Peso e Produção Relacionadas à Porcentagem de Tolerância à Vassoura- de-Bruxa, no município de Tomé-Açu-PA, 2008. Progênie Parental N.Fruto Peso Produção % Sem Vassoura 5 185 x 220 13,60 a 1,74 abc 23,61 a 26,67 bc 9 174 x 248 14,22 a 1,56 abcd 21,75 ab 33,33 bc 1 186 x 248 10,97 a 1,81 ab 19,63 ab 100,00 a 4 228 x 220 11,17 a 1,76 abc 19,62 ab 63,33 abc 8 215 x 622 11,72 a 1,67 abc 18,94 ab 46,67 abc 3 186 x 228 12,23 a 1,54 bcd 18,92 ab 80,00 abc T ** 15,80 a 1,19 ef 18,76 ab 20,00 c 184 * 12,47 a 1,49 cde 18,31 ab 26,67 bc 1074 * 9,37 a 1,87 a 17,51 ab 23,33 bc 186 * 9,91 a 1,70 abc 17,03 ab 100,00 a 174 * 10,27 a 1,61 abc 16,58 ab 60,00 abc 220 * 9,45 a 1,66 abc 16,28 ab 46,67 abc 215 * 8,77 a 1,57 abcd 13,86 ab 56,67 abc 7 286 x 219 8,15 a 1,29 def 10,78 b 83,33 ab 2 286 x 618 9,44 a 1,08 f 10,22 b 56,67 abc CV = 23,42 CV = 6,36 CV = 23,94 CV = 38,02 Nota: Médias seguidas da mesma letra não diferem estatisticamente entre si, pelo teste de Tukey, a 5%. ( * ) Progênies de meios-irmãos ( ** ) Material não selecionado A análise das plantas dentro das progênies revelou sete matrizes que poderiam ser interessantes para o programa de melhoramento genético. A maioria dessas plantas apresentou produção de frutos com médias entre 38 e 46 kg frutos/safra/planta e com alta resistência à vassoura de bruxa. Tal resistência foi herdada dos clones 215, 174 e 186 que são as cultivares Manacapuru, Coari e Codajás, respectivamente, lançadas pela Embrapa Amazônia Oriental em 2002 (Alves & Cruz, 2002). CONCLUSÃO A análise de variância foi fundamental para detectar diferenças entre as progênies. As variáveis: produção de frutos e resistência à vassoura de bruxa foram eficientes em promover a seleção de genótipos superiores de cupuaçuzeiro. Entre as progênies avaliadas, destacaram-se as progênies 1 e 186 pela alta resistência a vassoura, visto que, pela média de produção, as mesmas se apresentaram iguais em relação à progênie 5, que foi a que apresentou maior produção. AGRADECIMENTOS Ao apoio, na coleta de dados de campo, dos empregados da Embrapa Amazônia Oriental: José R. Q. Fernandes, Antonio F. M. Pinheiro, José do S. O. de Aviz, Marcos V. F. da Silva e Pedro B. de Oliveira; Ao apoio financeiro do CNPq e Embrapa.
  4. 4. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS [ ]1 ALVES, R.M.; CORRÊA, J.R.V.; RODRIGO, M. Melhoramento genético do cupuaçuzeiro (Theobroma grandiflorum) no Estado do Pará. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE PIMENTA-DO-REINO E CUPUAÇU, 1., Belém, 1996. Anais. Belém: EMBRAPA, CPATU/JICA, 1997c. p.127-146. (Documentos, 88) [ ]2 ALVES, R.M; STEIN, R.L.B.; ARAÚJO, D.G. de; PIMENTEL, L. Avaliação de clones de cupuaçuzeiro quanto à resistência a vassoura-de-bruxa. Revista Brasileira de Fruticultura, v.20, n.3, p.297-306, 1998. [ ]3 ALVES, R.M; CRUZ, E.D. Cultivares de cupuaçuzeiro tolerantes à vassoura-de-bruxa. Belém: Embrapa Amazônia Oriental, 2003. 4p (Recomendações Técnicas). [ ]4 CALZAVARA, B.B.G.; MULLER, C.H.; KAHWAGE, O.N.C. Fruticultura tropical: o cupuaçuzeiro - cultivo, beneficiamento e utilização do fruto. Belém: EMBRAPA, CPATU, 1984. 101p. (Documentos, 32); [ ]5 HOMMA, A.K.O. Cupuaçu: potencialidades e mercado, algumas especulações. In: Workshop Sobre as Culturas de Cupuaçu e Pupunha. 1., 1996. Manaus. Anais. Manaus: Embrapa – CPAA, 1996. p. 85-95. (Embrapa – CPAA. Documento, 6). [ ]6 PIMENTEL-GOMES, Curso de Estatística Experimental, 1985. Piracicaba-SP. ESALQ/USP. [ ]7 SAS Institute. SAS/STAT User’s Guide 8.0. Cary, N. C.: SAS Institute Inc., 1999. [ ]8 VIEIRA, S. e HOFFMANN, R. Estatística Experimental, São Paulo: Atlas, 1989.

×