PROJETO FINAL SENAC

6.495 visualizações

Publicada em

ESTE TRABALHO É UMA MESCLA DE TODOS OS TRABALHOS E APRESENTAÇÕES DO CURSO TÉCNICO EM CONTABILIDADE, SEM ESQUECER DA GRANDE PARCERIA COM A KELLY GASPAR, SEM ELA E SEM A AJUDA DOS DOCENTES NÃO TERIA FEITO METADE.

ESPERO QUE AOS ESTUDANTES QUE PESQUISAM TRABALHOS SIMILARES SEJA PROVEITOSO ESSES TRABALHOS POSTADOS !!!!

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.495
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
56
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

PROJETO FINAL SENAC

  1. 1. SENAC – Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Curso Técnico em Contabilidade MISS CACAU INDÚSTRIA ALIMENTÍCIA LTDA. Kelly de Sousa Gaspar Thiago de Oliveira Marques São Paulo Junho/2014
  2. 2. Kelly de Sousa Gaspar Thiago de Oliveira Marques MISS CACAU INDÚSTRIA ALIMENTÍCIA LTDA. Projeto desenvolvido no Curso Técnico em Contabilidade e apresentado ao SENAC – Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial como exigência parcial para avaliação Docente Coordenador: Ademir Macedo São Paulo Junho/2014
  3. 3. AGRADECIMENTOS Os trabalhos de produção intelectual sejam acadêmicos, romances ou outros são apresentados em seu formato padrão. O que esconde à falta de inspiração, preguiça, a loucura de uma frase bem colocada ou o desespero de não saber o que fazer pra onde ir e nem como vai terminar. Chegamos até aqui com o sentimento de dever cumprido, porem não satisfeitos e com o desejo ardente por conhecimento cada vez mais crescente em nossa mente. O que nos reserva o direito de alçar voos maiores e mais ousados. Agradecemos primeiramente a “Deus” que gentilmente nos concebeu o dom da vida e tem nos guiado até aqui nos proporcionando saúde, força e principalmente capacidade para superar as dificuldades. Ao SENAC e seu corpo docente que nos apoiou, orientou e contribuiu para o aumento na construção do saber não apenas aquele racional, mas, também no processo de nossa formação enquanto profissional. A palavra “mestre” nunca fará justiça aos professores dedicados aos quais terão o nosso eterno agradecimento. A todos que de forma direta ou indiretamente contribuíram para que chegássemos até aqui e sabemos que o futuro esta em nossas mãos e depende unicamente do nosso empenho e dedicação.
  4. 4. DEDICATORIA Dedicamos este trabalho: A todos que diretamente ou indiretamente contribuíram com o nosso crescimento.
  5. 5. EPÍGRAFE “Ninguém se engane a si mesmo: se alguém dentre vos se tem por sábio neste mundo, faça se louco para ser sábio. Porque a sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus; pois está escrito: Ele apanha os sábios na sua própria astúcia Coríntios 3: 18-19.
  6. 6. RESUMO Atualmente, em virtude da grande competitividade entre as empresas e na enorme concorrência traçada por elas, o mundo corporativo vem exigindo da administração das empresas uma excelente desempenho. As empresas que não forem capazes de extrair os dados necessários de seus departamentos, dificilmente conseguirão resultados satisfatórios e consequentemente estão fadados ao fracasso. Nas ultimas décadas o cenário econômico passou por grandes e a contabilidade, para se adequar a necessidade exigida vem sofrendo significativas mudanças, para poder auxiliar os gestores na tomada de decisão. Seja através de melhorias na parte operacional e também através de planejamento tributário o que pretende melhorar o desempenho dos resultados da empresa o que depende diretamente da colaboração e participação de todos dentro do mesmo propósito.
  7. 7. SUMÁRIO INTRODUÇÃO................................................................................................. 11 Capitulo I......................................................................................................... 13 1. ARQUITETURA ORGANIZACIONAL ............................................. 13 1.1 Identificar diferentes arquiteturas organizacionais ....................... 13 1.2 Elaborar organograma funcional da organização.......................... 15 1.3 Descrever as funções necessárias á operacionalização da empresa ................................................................................................... 16 Capitulo II........................................................................................................ 18 2. MODELOS DE GESTÃO.......................................................................... 18 2.1 Apresentar as ideias de modelos empresariais ............................. 18 2.2 Importância dos processos para as organizações ........................ 22 Capitulo III....................................................................................................... 26 3. DESENVOLVIMENTO DO NEGÓCIO.................................................... 26 3.1 Definir o seu negócio........................................................................ 26 3.2 Definir estratégias de negocio; Missão, Visão e Valores. ............. 29 3.3 Descrever com clareza a aplicação dos princípios de sustentabilidade na elaboração de um Plano de Negócio .................. 32 3.4 Importância de ética na empresa..................................................... 34 3.5 Responsabilidades Sociais.............................................................. 36 3.6 Comprometimentos como meio ambiente...................................... 38 Capitulo IV....................................................................................................... 40 4. EMPREENDEDORISMO........................................................................ 40 4.1 Conceitos de Empreendedorismo ................................................... 40 4.2 Características e perfil empreendedor............................................ 41 4.3 Perspectivas de Sucesso do Negócio............................................. 43 Capitulo V........................................................................................................ 45 5. OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO ........................................................ 45 5.1 Descrições dos serviços a serem executados pela empresa ....... 46 5.2 Principais concorrentes com indicações de analise SWOT.......... 49 5.3 Valores praticados pelos concorrentes, pelos serviços prestados identificados no item 5.2. ....................................................................... 51 5.4 Tabelas de preços dos serviços a serem executados pela empresa prestadora de serviços contábeis levando em consideração a pesquisa realizada nos concorrentes ................................................... 53 5.5 Formas de atingir os mercados identificados com publicidade e propaganda.............................................................................................. 54
  8. 8. 5.6 Diferenciais e vantagens competitivas da empresa frente aos concorrentes ........................................................................................... 56 5.7 Descrições dos potenciais clientes (Justificativa)......................... 58 5.8 Previsão e evolução de faturamento (Valores e Tempo)............... 59 5.9 Identificação da marca ou logomarca ............................................. 64 5.10 Relacionamento com o cliente....................................................... 65 5.11 Capacidade operacional para atuação no mercado..................... 66 Capitulo VI....................................................................................................... 67 6. LEGALIZAÇÃO DO NEGÓCIO.............................................................. 67 6.1 Regimes Tributários vigentes no país............................................. 67 6.2 Contrato Social. ............................................................................. 70 Capitulo VII...................................................................................................... 87 7. PROCEDIMENTOS DE ABERTURA ..................................................... 87 7.1 Efetuar a abertura da empresa em todos os órgãos pertinentes.. 87 7.2 Elaborar um Check List para os procedimentos de abertura da empresa. .................................................................................................. 87 7.3 Atividade empresarial do cliente (Industria)................................... 90 7.4 Organograma dos principais departamentos................................. 95 7.5 Necessidades departamentais referentes: pessoal, máquinas, móveis, equipamentos e etc. ................................................................. 97 7.6 Fluxogramas.................................................................................... 100 Capitulo VIII................................................................................................... 108 8. CONTABILIDADE DE CUSTOS .......................................................... 108 8.1 Terminologias utilizadas para confecção do projeto................... 108 8.2 Principio contábil utilizado, aplicado á Contabilidade de Custos. ................................................................................................................ 110 8.3 Bases de rateio utilizadas e cálculos efetuados. ......................... 110 8.4 Enumerar as matérias-primas utilizadas, diferenciando dos gastos gerais de fabricação.............................................................................. 113 8.5 Demonstrar método de controle de estoques utilizado na saída e entrada de matérias-primas. ................................................................ 115 Capitulo IX..................................................................................................... 126 9. ASPECTOS TRABALHISTAS/PREVIDENCIÁRIO E CÁLCULOS ..... 126 9.1 Conceitos e a importância do departamento de pessoal. ........... 126 9.2 Convenção Coletiva de Trabalho................................................... 127 9.3 Processos de Admissões............................................................... 130 9.4 Folhas de pagamento departamentalizada. .................................. 152 9.5 Obrigações acessórias do departamento de pessoal.................. 175 9.6 Resumos das folhas de pagamento por departamento............... 180
  9. 9. 9.7 Contribuições Previdenciárias com base na Lei: 12.546/201...... 195 Capitulo X...................................................................................................... 197 10. TRATAMENTO FISCAL E TRIBUTÁRIO DAS OPERAÇÕES .......... 197 10.1 Conceitos de SPED FISCAL e EFD - Contribuições................... 197 10.2 A Importância do Departamento Fiscal na Empresa.................. 200 10.3 Notas Fiscais (entradas e saídas)................................................ 201 10.4 Livros fiscais. ................................................................................ 263 10.5 Cálculos dos tributos diretos....................................................... 301 10.6 Fluxograma do Departamento Fiscal. ......................................... 302 Capitulo XI..................................................................................................... 303 11. VALIDAÇÃO DAS OPERAÇÕES FISCAIS ....................................... 303 11.1 Obrigações Tributarias................................................................. 303 11.2 Conceito e obrigações elaboradas.............................................. 303 11.3 Obrigações e termos..................................................................... 394 11.4 Relatório da finalidade, obrigatoriedade e prazos de apresentação das obrigações.............................................................. 399 Capitulo XII.................................................................................................... 402 12. TEORIA GERAL E PRÁTICA CONTÁBIL ......................................... 402 12.1 Teoria da Contábil e importância do departamento................... 402 12.2 Conceito de SPED CONTÀBIL e sua função no cenário atual .. 403 12.3 Plano de Contas da empresa. ...................................................... 404 12.4 Livro Diário. ................................................................................... 410 12.5 Livro Razão.................................................................................... 419 12.6 Balancetes mensais...................................................................... 459 12.7 Conceito e simulação dos ajustes, através do LALUR, nas partes A e B....................................................................................................... 464 12.8 Apuração do resultado do trimestre e calculo do IRPJ, AIR e CSLL....................................................................................................... 466 12.9 Principais alterações introduzidas pela Lei 11.638 de 28.12.2007. ................................................................................................................ 468 12.10 Princípios de Contabilidade, com base nas Resoluções CFC (750/1993 e 1282/2010).......................................................................... 470 Capitulo XIII................................................................................................... 472 13. PROCEDIMENTOS DE CONCILIAÇÃO............................................ 472 13.1 Importância da conciliação contábil como ferramenta de apoio. ................................................................................................................ 472 13.2 Conciliações pertinentes sugeridas............................................ 473 Capitulo XIV .................................................................................................. 474 14. ELABORAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES ....................................... 474
  10. 10. 14.1 Balanço Patrimonial trimestral. ................................................... 474 14.2 Demonstrações do Resultado do Exercício. .............................. 476 14.3 Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido (DMPL) trimestral................................................................................................ 478 14.4 Demonstração do Fluxo de Caixa (DFC) trimestral, com base na Resolução CFC (1296/2010). ................................................................ 479 14.5 Demonstração do Valor Adicionado (DVA) trimestral, com base na Resolução CFC (1296/2010) e modelo FIPECAFI. ......................... 482 ANEXOS ........................................................................................................ 484 Capitulo XV................................................................................................ 498 15 ESTRUTURAS DE CUSTOS E FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA ............................................................................................................498 15.1 Conceito de Markup Divisor, Multiplicador e Valor Presente.....498 Demonstração do Mark Up................................................................... 502 15.3 Utilizar a Demonstração do Resultado do período para comprovação da eficiência dos cálculos adotados........................... 502 15.4 Demonstração dos preços de venda obtidos e simulação de rentabilidade.......................................................................................... 504 Capitulo XVI..................................................................................................506 16 CUSTOS PARA A TOMADA DE DECISÃO..................................... 506 16.1 Apresentação dos produtos fabricados e margem unitária de contribuição........................................................................................... 506 16.2 Ponto de Equilíbrio “MIX” da empresa e distribuição por produto................................................................................................... 507 16.3 Apresentação dos gastos fixos: custos e despesas em relatório gerencial. ................................................................................ 509 16.4 Demonstração do grau de alavancagem operacional da empresa. ................................................................................................ 511 16.5 Interligação entre margem de contribuição, ponto de equilíbrio, gastos fixos e grau de alavancagem operacional............ 512 Capitulo XVII ................................................................................................. 515 17 MATEMATICA FINANCEIRA ........................................................... 515 17.1 Conceitos e definições de juros (simples e compostos). ........ 515 17.2 Cálculo do Valor Presente Líquido e sua finalidade.............. 517 17.3 Calculo do PAY BACK e sua finalidade.................................. 518 17.4 Fluxo de Caixa Financeiro. ...................................................... 519 Capitulo XVIII ................................................................................................ 522 18 ADMINISTRAÇÃO DE CAPITAL DE GIRO ..................................... 522 18.1 Conceito e importância da Administração do Capital de giro da organização. .......................................................................................... 522
  11. 11. 18.2 Capital de Giro necessário para a empresa apresentando os cálculos utilizados. ............................................................................... 522 18.3 Revisão de Fluxo de Caixa e apresentar alterações se necessário. ............................................................................................ 524 18.4 Conceito e importância da Taxa interna de retorno. ............. 525 Capitulo XIX .................................................................................................. 526 19 CONTABILIDADE GERENCIAL....................................................... 526 19.1 Conceito e importância da Contabilidade Gerencial para a empresa. ................................................................................................ 526 19.2 Prazos médios de recebimento, pagamento e rotatividade dos estoques. ............................................................................................... 527 19.3 Ciclo operacional e financeiro da organização...................... 528 19.4 Analise do retorno dos investimentos.................................... 529 19.5 Plano estratégico e orçamentário para a organização.......... 530 Capitulo XX ................................................................................................... 533 20 PLANEJAMENTO DE CONTROLE DE GASTOS............................ 533 20.1 Conceituar departamento produtivo, administrativo e financeiro............................................................................................... 533 20.2 Demonstrar o planejamento de curto prazo adotado para controle dos gastos gerais................................................................... 534 20.3 Apresentar a perspectiva de vendas em quantidades, preços e demonstração do resultado previsto. ................................................. 538 Capitulo XXI .................................................................................................. 541 21 ANALISE DE CUSTOS..................................................................... 541 21.1 Elaborar quadro-resumo das variações obtidas no cotejo realizado x orçamento. ......................................................................... 541 Quadro resumo das variações (realizado x orçado). ......................... 541 21.2 Desmembrar a análise dos gastos gerais de fabricação e da mão de obra variações de quantidade, preço e eficiência. ............... 541 21.3 Apresentar planejamento de vendas, custos e despesas para um período de 6 meses. ....................................................................... 547 Capitulo XXII ................................................................................................. 548 22 ANALISE DAS DEMONSTRAÇOES FINANCEIRAS ...................... 548 22.1 Relacionar as demonstrações contábeis-financeiras obrigatórias. .......................................................................................... 548 22.2 Finalidade da elaboração das demonstrações ...................... 549 22.3 Percepção de rentabilidade através da análise dos balanços. .....................................................................................................549 22.4 Analise vertical e Horizontal com conclusão..........................550 22.5 Índices econômicos e financeiros .......................................... 558
  12. 12. Capitulo XXIII ................................................................................................ 567 23 ANALISE DE INVESTIMENTOS ...................................................... 567 23.1 Analise de oportunidade de investimentos da Empresa que agreguem valor ao negócio.................................................................. 567 23.2 Simulação e analise de investimento em outra companhia . 568 23.3 Simulação e analise de operação de Leasing........................ 569 Capitulo XXIV................................................................................................ 572 24 CONSOLIDAÇÃO DE BALANÇOS.................................................. 572 24.1 Analise da possibilidade de participação em outras companhias. .......................................................................................... 572 24.2 Simulação de operação de consolidação de balanços e entre empresas. .............................................................................................. 572 24.3 Conceito de Controlada e Coligada. ....................................... 576 Capitulo XXV................................................................................................. 577 25 CONTABILIDADE SOCIAL E AMBIENTAL........................................ 577 25.1 Projetos que reduzam impactos ambientais. ............................ 577 25.2 Impactos produzidos e as medidas tomadas no decorrer das operações. ............................................................................................. 578 25.3 Importância do Balanço Social................................................ 579 25.4 Sustentabilidade com base nos pilares comumente aceitos. .....................................................................................................580 25.5 Governança corporativa, com foco no negócio praticado. .. 582 25.6 Balanço Social utilizando o modelo IBASE............................ 584 Capitulo XXVI................................................................................................ 585 26 CONTABILIDADE DE ATIVIDADES ESPECIFICA.......................... 585 26.1 Aplicação contábil em negócios específicos......................... 585 26.2 Pratica contábil em atividade especificas. ............................. 586 Capitulo XXVII............................................................................................... 591 27 RELATORIOS E PARECERES ........................................................ 591 27.1 Notas explicativas das demonstrações contábeis de acordo com as normas internacionais (IFRS), CFC e legislação societária. 591 27.2 Importância dos relatórios de auditoria para as organizações. .....................................................................................................593 CONCLUSÃO ................................................................................................ 594 BIBLIOGRAFIA ............................................................................................. 595
  13. 13. 11 INTRODUÇÃO Com a acirrada competitividade entre as empresas, os gestores precisam estar cada vez mais atentos às informações que os departamentos forem capazes de gerar. Este projeto tem por objetivo a busca e exposição de um conjunto de informações capazes de transpor as dificuldades encontradas no aprendizado da contabilidade. Neste sentido serão abordados temas pertinentes ao cotidiano das entidades e que um profissional contábil indispensavelmente deve saber. A organização por nós analisada tem como atividade principal a industrialização de chocolates, atualmente o Brasil é o terceiro maior polo produtor desta iguaria fina e delicada com sabores inexplicáveis. As mulheres consomem mais chocolate que os homens representando 56% do mercado consumidor. De acordo com estudos encomendados pela Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados (ABICAB), diz que 75% dos brasileiros consomem chocolate e 35% destes não trocam esta delicia por nada. Apesar da sazonalidade deste produto que acontece na Páscoa, nota-se um crescimento em épocas como Inverno, Natal e Dia dos Namorados onde o consumo aumenta respectivamente em 23%, 16% e 11%. Estima-se que até o ano de 2016 o Brasil alcance a colocação de segundo maior polo produtor de chocolate e derivados, este mercado cresce em torno de 20% ao ano. Levando em conta o desenvolvimento econômico deste mercado decidimos aplicar os conhecimentos adquiridos e analisar este universo que de longe é apaixonante e delicioso. Serão analisadas todas as etapas para a formação e concepção de uma empresa passando pela abertura, escrituração fiscal, escrituração contábil, contratação de mão de obra e seus aspectos trabalhistas, aquisição de ativos, demonstrações contábeis passando pelos seus índices e analise, correção
  14. 14. 12 inflacionaria para os custos de produção, reajustes contratuais e possíveis investimentos. Sempre com base na legislação brasileira vigente, pretende-se assim então dar inicio ao desenvolvimento do projeto ora proposto.
  15. 15. 13 Capitulo I 1. ARQUITETURA ORGANIZACIONAL 1.1 Identificar diferentes arquiteturas organizacionais Segundo o dicionário Michaelis (2009), organizacional; refere-se à organização disposição de alguma coisa para poder funcionar e arquitetura; refere-se à arte de projetar e construir prédios, edifícios ou outras estruturas arquitetônicas. Podemos então concluir que arquitetura organizacional é a organização ou disposição das estruturas para que funcionem na contextura de um todo. Segundo Chiavenato (2003), são três os tipos tradicionais de organização: linear, funcional e linha-staff. Veremos abaixo a definição dessa arquitetura:  Organização linear A organização linear é o tipo mais simples de estrutura organizacional. Este tipo de organização é fundado na ideia de autoridade hierárquica linear. É a famosa estrutura piramidal.  Características: autoridade linear ou única; linhas formais de comunicação; centralização das decisões; formato piramidal.  Vantagens: estrutura simples e de fácil e clara compreensão; ideal para pequenas empresas; ideal para situações de permanência e estabilidade.  Desvantagens: Autoridade linear baseado no comando único e direto; exagera a função de chefia e de comando; a unidade de comando torna o chefe um generalista; à medida que a empresa cresce, a estrutura linear conduz inexoravelmente ao congestionamento das linhas formais de comunicação; comunicações indiretas.
  16. 16. 14  Organização funcional Este tipo de organização é fundado na ideia de especialização ou princípio funcional.  Característica: autoridade funcional: linhas diretas de comunicação, descentralização das decisões; ênfases na especialização.  Vantagens: fornece o máximo de especialização nos diversos órgãos ou cargo da organização; permite a melhor supervisão técnica possível; desenvolve comunicações diretas e sem intermediações.  Desvantagens: Substituição da autoridade linear pela autoridade funcional pode diluir autoridade; tendência à concorrência entre especialistas; tendência à tensão e conflitos dentro da organização; confusão quanto aos objetivos.  Organização linha-staff Também chamada de organização linha-assessoria, é uma evolução da organização linear. Além dos órgãos de linha, executores diretos das tarefas importantes, surgiram órgãos de staff, compostos de especialistas, assessores e consultores, responsáveis por consultoria, monitoração, planejamento e controle.  Característica: fusão da estrutura linear com a estrutura funcional; coexistência entre linhas formais de comunicação com as linhas diretas de comunicação; separação entre órgãos operacionais (de linha ou executivos) e órgãos de apoio (staff).  Vantagens: Assessoria especializada e inovadora; mantém atividade conjunta e coordenada de órgãos de linha e de staff.  Desvantagens: Possibilidade de conflitos entre órgãos de linha e de staff; dificuldade de manutenção de equilíbrio entre linha e staff.
  17. 17. 15 1.2 Elaborar organograma funcional da organização SCHERMERHORN; HUNT; OSBON (1999), a estrutura organizacional é determinada pelo organograma, que define os níveis hierárquicos, cujas linhas de autoridade são relacionadas aos vários cargos, no qual são atribuídas às pessoas, de acordo com a sua função, as atividades e de que forma estas serão executadas. Organograma nada mais é do que a representação gráfica que expressa à condição de cada individuo dentro de uma determinada organização, determina hierarquia, ou seja, a quem cada membro deve responder e requer planejamento estratégico. A organização 2KTOM’S Assessoria Contábil escolheu o modelo linear. Forma estrutural a mais simples e antiga; com origem na organização dos antigos exércitos; linhas diretas e únicas de autoridade responsabilidade entre superior e subordinado. Estrutura piramidal: nível mais alto predomina a generalização e a centralização e nos níveis hierárquicos mais baixos predomina a especialização e delimitação das responsabilidades.  Organograma da organização 2KTOM’S Assessoria Contábil Ltda. Diretoria Pessoal Assistente Auxiliar Fiscal Assistente Auxiliar Contábil Assistente Auxiliar Legal Auxiliar Administrativo Auxiliar
  18. 18. 16 1.3 Descrever as funções necessárias á operacionalização da empresa A departamentalização é a base fundamental para uma organização, ou seja, a divisão de trabalho fazendo com que as atividades sejam desenvolvidas com excelência, assim o responsável por cada departamento especializa e aprimora cada vez mais os conhecimentos, e se torna apto a buscar oportunidades, prever e detectar ameaças tornando os conhecimentos adquiridos em diferenciais. O departamento designa uma divisão onde o responsável tem autoridade para desempenhar atividades especificas. A organização 2KTOM´S Assessoria Contábil, optou pela departamentalização por funções, observe a descrição das funções necessárias para a operacionalização.  Diretoria  A missão do departamento é planejar, organizar e supervisionar as atividades da organização, visando assegurar que todas as atividades sejam feitas de acordo com os princípios da organização, as normas contábeis e legislações pertinentes, é responsável também pela captação de clientes, controle das receitas e etc.  Departamento Legal  A missão do departamento é a responsabilidade de todo procedimento que envolva repartições públicas, certidões negativas, e todo o procedimento de documentação para o funcionamento dentro das entidades clientes dentro da lei.  Departamento De Pessoal  A missão do departamento é orientar os clientes, em relação a alterações na Legislação Trabalhista, acompanhar fiscalização junto ao Ministério do Trabalho, elaborar e transmitir relatórios mensais e anuais para a Previdência Social, Caixa Econômica
  19. 19. 17 Federal e toda a manutenção dos registros dos empregados da organização e das entidades dos clientes.  Departamento Contábil  A missão do departamento é elaborar relatórios financeiros mensais, orientar os clientes em relação às atualizações na Legislação Contábil, Tributária e de Imposto de Renda, elaborar Balancetes e Balanços Patrimonial Trimestral e Anual, para auxiliar e facilitar as entidades na tomada de decisão sendo este Departamento uma peça chave para toda e qualquer organização.  Departamento Fiscal  A missão do departamento é apurar impostos tais como (ICMS, IPI, ISS Mensal e Estimativo, PIS, COFINS, IRPJ, CSLL e etc.), tem como responsabilidade manter os clientes atualizados junto a Legislação Tributária, auxiliar na Emissão de Notas Fiscais, doutrinar os clientes a não sonegar impostos, controle e impressão de Livros Fiscais, acompanhar as mudanças do Projeto SPED, esclarecer duvida pertinente a tributação, elaborar e transmitir declarações a Receita Federal, a Secretaria da Fazenda e as Prefeituras, sendo também peça chave em toda e qualquer organização.  Departamento Administrativo  A missão do departamento é fazer a triagem e a distribuição dos documentos dentro da organização, fazer pesquisas de mercado, fazer cotações de suprimentos para a organização, recepção de correspondência, controle de cadastros de fornecedores, parceiro e clientes, controle de agenda de compromissos.
  20. 20. 18 Capitulo II 2. MODELOS DE GESTÃO 2.1 Apresentar as ideias de modelos empresariais O mundo está estruturado em torno de organizações. Sejam instituições públicas ou privadas, políticas ou religiosas, educacionais ou científicas, é o seu desempenho que pode nos proporcionar maior qualidade de vida e a oportunidade de alcançar níveis mais elevados de desenvolvimento humano, econômico e cultural. Por isso, muitos esforços foram concentrados na busca de modelos de gestão que assegurassem o cumprimento dos objetivos organizacionais. Como os conceitos em administração nascem exatamente da observação de fenômenos e eventos organizacionais, sua aplicação na gestão de empresas torna-se extremamente útil para ampliar a visão e as possibilidades de êxito empresarial, é a constatação de que uma empresa pode ser mais bem compreendida se analisada em diferentes dimensões. Desse modo pode-se estabelecer um referencial metodológico para a caracterização e o delineamento estratégico de uma empresa. Mas, o que é um Modelo de Gestão? A palavra modelo tem suas origens no latim módulo e embora conduza a diferentes significados dependendo do contexto, podemos dizer que é algo que serve de referência ou norma em determinada situação. Segundo Gary Hamel (2007, p.10), a prática de gestão envolve:  Fixar e planejar objetivos;  Motivar e alinhar esforços;  Coordenar e controlar atividades;  Desenvolver e nomear profissionais;  Acumular e aplicar conhecimentos;  Reunir e distribuir recursos;  Construir e cultivar relacionamentos;
  21. 21. 19  Equilibrar e satisfazer exigências de stakeholders. Portanto, em linguagem simples e sem sofisticação científica, podemos definir “modelo de gestão” como um conjunto de princípios, práticas e processos que determinam como o trabalho gerencial é exercido em uma organização. Modelo de Gestão é o gerir através de um exemplo já existente, realizando apenas as modificações necessárias para a necessidade de cada organização. (FERREIRA, 2005) É o modelo de gestão que define:  Como a organização se portará no mercado;  Como ela conduzirá seu trabalho;  Como alcançará seus objetivos;  Como produzirá seus produtos;  Como manter integrado todos os processos;  Como agir em situações adversas;  Como ela se ORGANIZA!! Um breve exemplo dos modelos de gestão e suas transformações no tempo.  Modelo Tradicional  Modelos Novos  Modelos Emergentes
  22. 22. 20 Fonte: www1.serpo.gov.br/publicações/gco_site/m_capitulo1.htm Dizer que estamos na era da informação significa dizer que informação é o principal diferencial competitivo das empresas no mercado globalizado. Significa constatar que é pela qualidade, oportunidade, confiabilidade e agilidade nas informações que os fornecedores de produtos e serviços competem. Significa dizer que é a Tecnologia da Informação (TI) a principal peça que alavanca o ciclo de vida de produtos, de serviços e, até mesmo, de empresas. A coerência, a perspicácia e a qualidade da aplicação da tecnologia da Informação ao negócio da empresa é, hoje, uma medida fundamental da competitividade empresarial. E, olhando para o futuro logo à frente, está se tornando junto com a qualidade dos recursos humanos uma medida
  23. 23. 21 fundamental da capacidade de sobrevivência organizacional, da capacidade da empresa de empreender e inovar rumo ao futuro e a sustentabilidade. Assim, mais do que planejar o uso da informação como um recurso tático, os empresários devem encarar a tecnologia da informação em termos estratégicos, por ser um recurso que afeta diretamente a sobrevivência das organizações. O ambiente empresarial atual é agressivo, competitivo, instável e repleto de riscos. A arma principal da empresa, nesses tempos de mudança acelerada, é o pensamento estratégico. O esforço de percepção do meio ambiente, de análise interna, de formulação de uma visão de futuro e de planejamento, é recompensado pelo aumento da vantagem competitiva e da sustentabilidade. O risco é muito maior se a empresa se lança em um voo às cegas, rumo ao futuro incerto. Planejar, no sentido amplo e estratégico do processo decisório, é reduzir riscos, é otimizar esforços e tirar o melhor proveito possível dos recursos disponíveis. Tecnologia da Informação é um recurso cada vez mais estratégico, cada vez mais crucial para a vantagem competitiva e, portanto, para a sobrevivência da empresa. A tecnologia precisa estar inserida no pensamento estratégico, como forma de alavancar um futuro melhor, que é onde as recompensas já estão sendo disputadas. Modelo de Gestão do Negócio A organização voltada para a qualidade permeia sua estrutura organizacional em todos os seus níveis hierárquicos. Existe uma comissão de gestão da qualidade, sob a coordenação do diretor, composta por todos os gerentes da empresa, com capacidade técnica e administrativa para superar obstáculos, definir e fazer cumprir metas de acordo com o planejamento estratégico e ambiental. Seu objetivo corporativo está consubstanciado na seguinte expressão: “prestar serviços com qualidade autêntica, voltada para a satisfação das necessidades de nossos clientes”.
  24. 24. 22 O modelo de gestão do negócio está calcado nas premissas de crescimento corporativo contínuo, capacitação para atuação no mercado nacional. O processo de planejamento corporativo é liderado pelo principal executivo da 2KTOM´S Assessoria Contábil com o suporte de um comitê composto pela alta administração da empresa. O resultado do planejamento corporativo é o plano estratégico com definição de planos operacionais e respectivos orçamentos econômicos e financeiros. Ao longo do desenvolvimento do planejamento corporativo dos negócios da 2KTOM´S Assessoria Contábil são considerados  A projeção de cenários alternativos (otimista realista e pessimista);  A identificação de forças e fraquezas, oportunidades e ameaças;  A definição/redefinição do negócio;  O estabelecimento das diretrizes empresariais;  A aprovação pela alta administração da empresa;  A reunião e o engajamento da alta administração;  A divulgação e a implementação junto a todos os colaboradores;  A avaliação e o monitoramento das decisões estratégicas e operacionais implementadas. 2.2 Importância dos processos para as organizações A prática de gestão – a capacidade de mobilizar recursos, traçar planos, programar o trabalho e estimular esforços são fundamentais para a realização dos propósitos do homem, seja a missão de acabar com a fome e a miséria, comandar uma indústria, produzir um musical ou organizar uma ação social na comunidade local. Em todos os níveis sejam estratégico, tático ou operacional, as práticas de gestão são executadas através de processos de gestão, entre os quais, destacam-se: planejamento estratégico, orçamento de capital, gerenciamento
  25. 25. 23 de projetos, contratação e promoção, treinamento, desenvolvimento e avaliação de pessoal, comunicação, análise dos resultados dos negócios, entre outros. Esses processos estabelecem protocolos-padrão e prescrições para as atividades de gestão e propagam ao longo de décadas, as melhores práticas ao transformar experiências bem sucedidas em técnicas e métodos que podem ser aplicados num contexto mais amplo. Mas falando francamente, as melhores práticas de gestão não são boas o suficiente. A gestão ainda é uma ciência pouco inovadora. A maioria das descobertas fundamentais de “gestão moderna” ocorreu no início do século XX por estudiosos que se preocuparam basicamente, em resolver problemas de eficiência, hierarquia e controle, porém com uma visão limitada do ser humano e dos aspectos sociais, políticos e ambientais envolvidos na gestão organizacional. Embora seja incontestável a importância da contribuição destes teóricos para o desenvolvimento da sociedade atual, seus modelos de gestão, largamente utilizado pela maioria das organizações, estão inadequados à realidade atual dos negócios. Essas novas realidades exigem novos recursos gerenciais e empresariais. Para prosperar em um mundo progressivamente inovador, as empresas terão de ser tão estrategicamente adaptáveis como são operacionalmente eficientes (HAMEL, 2007, p.10). Pense no avanço revolucionário do conhecimento, das tecnologias e produtos. Cerca de 31 bilhões de pesquisas são feitas no Google; o idioma inglês tem hoje cinco vezes mais palavras que nos tempos de Shakespeare; apenas uma semana de conteúdo jornalístico do New York Times, supera o conhecimento que um cidadão normal do século 18 poderia aprender em toda a sua vida; o rádio levou 38 anos para alcançar 50 milhões de usuários, a TV 13 anos, a Internet 4 anos, o IPod 3 e o Facebook apenas 2 anos. (MARLIER, 2010, p.93).
  26. 26. 24 Agora, pense em alguma mudança notável que obteve um impacto semelhante no mundo dos negócios, na forma como as grandes organizações são administradas. Difícil, não? A gestão está ultrapassada e os desafios estabelecidos pelo século XXI estão expondo as limitações de um modelo que não conseguiu acompanhar os tempos. Num mundo que muda de forma cada vez mais acelerada, a inovação é a única segurança contra a irrelevância e dado seu importante papel na criação do futuro, não pode mais ser vista como um trabalho de especialistas. Acredita-se que a inovação é uma maneira de obter resultados superiores aos da concorrência no longo prazo, é impossível dar-se por satisfeito com um modelo de gestão no qual a mentalidade criativa fica cerceada em guetos de inovação ou se resume a ocasionais atos heroicos. A inovação é importante demais para ser uma função, departamento, iniciativa eventual ou ato excepcional (GIBSON e SKARZYNSKI, 2008). Embora a inovação possa ser de vários tipos, são as inovações em gestão que tem maior potencial para agregar valor e produzir vantagens mais duradouras. Avanços fundamentais em gestão normalmente provocam mudanças significativas na posição competitiva das organizações, porque elas desafiam paradigmas, são sistêmicas e abrangem um grande número de práticas e processos. As organizações que mudam para se adaptarem às novas realidades impostas pelo rumo que o planeta vai tomando a cada dia, dando um passo importante para não se estagnarem e falecerem. Acontece que uma adaptação tem uma conotação reativa. Já uma inovação em gestão automaticamente eleva a organização a um patamar exclusivo e pioneiro, passando a liderar uma legião de seguidores em condição de segundos colocados. Quando se trata de inovação em gestão, quanto mais anticonvencional for o princípio básico, mais tempo os concorrentes levarão para reagir [...] a inovação em gestão possui uma capacidade inigualável de criar vantagens difíceis de copiar (HAMEL, 2007, p.26 e 30). Enquanto sonhadores e executores, acreditamos que desenvolver uma capacidade profunda e sistêmica para a inovação e torná-la responsabilidade
  27. 27. 25 de todos, não é apenas um desafio, é um imperativo para o sucesso de qualquer organização, pois quando elas não são tão eficazes quanto poderiam ou deveriam ser todos nós, direta ou indiretamente, sofremos as consequências.
  28. 28. 26 Capitulo III 3. DESENVOLVIMENTO DO NEGÓCIO 3.1 Definir o seu negócio CHIAVENATO (2007), negócio é um esforço organizado para produzir bens e serviços, a fim de vendê-los em um determinado mercado e alcançar recompensas financeiras pelo seu esforço. Gerir um novo negócio vai muito além, de fatores econômicos ou geração de empregos é necessário antes de qualquer coisa analisar o mercado, concorrentes o que já é oferecido no ramo ao qual deseja atuar para então poder inovar e ser competitivo e não apenas mais uma organização. Já se sabe que pequenas e medias empresas são mais eficientes na satisfação e atendimento personalizado aos seus clientes, ou seja, cada vez mais elas ganham espaços entre os gigantes e tendem a entender melhor as necessidades de cada um dos seus parceiros de negócio. O surgimento de uma nova organização nasce a partir de esforços e junção de vários Stakeholders, seriam grupos que influenciam ou partilham interesses comuns como, por exemplo: acionistas, empregados, clientes, fornecedores e por fim a sociedade. Cabe lembrar que o sucesso deve ser a essência do negócio, tão logo, devemos priorizar as necessidades e aspirações do publico alvo. Toda organização tem objetivos diretos e indiretos;  Objetivos diretos: produção ou venda de mercadorias, prestação de serviços, recursos humanos (pessoas), recursos financeiros (capital) e recursos materiais (maquinários, equipamentos eletrônicos, utensílios, moveis, etc.).  Objetivos Indiretos: atender as necessidades do consumidor ou cliente, lucro, ou seja, ganhar mais do que foi gasto com a produção ou prestação de serviços além, finalidades sociais como
  29. 29. 27 geração de emprego e contribuição com a melhoria na qualidade e pagamento de impostos. Existem muitos tipos de empresa e diversos ramos de atuação; Comércio Atacadista, Comércio Varejista, Construção Civil, Finanças, Seguros, Imobiliários, Serviços, Mineração, Transporte, Manufatura que podem ser destinados ao consumo ou a produção de outros bens ou serviços. Veremos a seguir a formação de uma nova organização no ramo de prestação de serviços. A organização 2KTOM’S Assessoria Contábil Ltda, foi pensada com o objetivo de prover soluções e assessorar os clientes em suas obrigações trabalhistas, fiscais, contábil e societária. Tem em sua composição seis sócios que juntos somam um aporte de Capital de R$ 150.000,00 (Cento e Cinquenta Mil), divididos da seguinte forma;  Thiago de Oliveira Marques aporte de R$ 50.000,00 (Cinquenta Mil).  Osvaldo Juvenal Vasco Filho aporte de R$ 20.000,00 (Vinte Mil)  Marcos Alves Contão aporte de R$ 20.000,00 (Vinte Mil)  Kelly de Sousa Gaspar aporte de R$ 20.000,00 (Vinte Mil)  Kelly Cristina Silva aporte de R$ 20.000,00 (Vinte Mil)  Solange de Fátima Ramos aporte de R$ 20.000,00 (Vinte Mil) Então, vejamos a seguir como fica a divisão acima exposta em gráfico:
  30. 30. 28 Localizada em ponto estratégico para facilitar o acesso de clientes e parceiros.  Avenida Paulista, 1159 – 1° andar conjunto 110 – Bela vista/SP. Figura 1 - Localização - Fonte: maps. google.com.br 35% 13%13% 13% 13% 13% APORTE DE CAPITAL THIAGO OSVALDO MARCOS KELLY GASPAR KELLY CRISTINA SOLANGE
  31. 31. 29 3.2 Definir estratégias de negocio; Missão, Visão e Valores. A missão significa a razão de existência de uma organização e de responder três perguntas básicas: quem somos nós? O que fazemos? E porque fazemos o que fazemos. Enquanto que a visão é o termo utilizado para descrever um claro sentido do futuro e a compreensão das ações para torna-lo rapidamente um sucesso. (CHIAVENATO, 2003, p. 601) Como definição de missão organizacional devemos entender por que existimos e buscar as respostas do lado externo, quais são as necessidades que devemos satisfazer todo negocio vem com uma “missão” a desenvolver. Para elaboração de missão de uma organização alguns aspectos devem ser levados em consideração;  Analise da situação (ambiente externo)  Segmentação de mercado  Identificar os clientes  Identificar as necessidades dos clientes  Definir o propósito organizacional
  32. 32. 30  Definição de valores a serem agregados seja aos clientes ou sociedade  Consolidar a missão COLLINS & PORRAS (1996), o propósito de uma organização deve ser o mesmo durante pelo menos 100 anos. Não deve confundir o propósito inicial com objetivos específicos ou estratégias a serem adotadas que podem mudar constantemente é necessário pensar no que levou o cliente a adquirir seu produto ou serviço. Para consolidar sua missão de modo que todos fiquem familiarizados é necessário concisão nas informações discernimento por toda a equipe e parceiros. Como definição de visão nas organizações devemos pensar onde queremos chegar em curto e ou a longo prazo. A visão deve retratar uma previsão futura. COLLINS & PORRAS (1996), disse que é essencial “pintar-se” um quadro retratando o que deve parecer à situação futura desejada. Criar-se uma imagem que seja compartilhada por todos em uma organização. Para elaboração de visão de uma organização alguns aspectos devem ser levados em consideração;  Visão voltada para o futuro  Visão de longo prazo (10 a 30 anos)  Descrição clara e objetiva  Alinhada com os valores centrais da organização  Visão impulsionadora e inspiradora  Confrontar padrões atuais (inovação) Para se estabelecer uma visão clara é necessário analisar o interior da organização, com criatividade e capacidade de gerar energia positiva que inspirem a equipe e parceiros como um todo a alcançar as metas pré- estabelecidas para a visão de futuro.
  33. 33. 31 Já os valores é algo que orienta o comportamento e atividades dentro das organizações geralmente são as crenças e princípios dos sócios e podem ser determinantes para o alcance dos objetivos da organização. As organizações mesmo que inseridos no mesmo ramo possuem características diferentes, assim como, os indivíduos as organizações tem seus próprios valores únicos e específicos. São esses valores que definem e orientam o comportamento, a atitude e o comprometimento frente a seus parceiros e sociedade. Os valores basicamente são permanentes e essenciais a uma organização e não precisam ser justificado ao meio externo são importantes apenas aos que fazem parte da corporação. É importante que missão, visão e valores sejam bem divulgados aos membros das organizações a fim de atingir um objetivo comum excelência na prestação de serviço. Sendo assim e seguindo algumas diretrizes básicas, fica estabelecida a missão, visão e valores da organização 2KTOM’S Assessoria Contábil Ltda.  Missão Entender o negócio do nosso cliente e assessorá-los na tomada de decisão, agregando-lhes valores com agilidade e comprometimento.  Visão Tornar-se referencia no mercado contábil atendendo com excelência e inovação as necessidades de nossos clientes. Consolidar os serviços prestados e para os próximos cinco anos expandir nosso atendimento a grande São Paulo e Interior, posterior em âmbito nacional.  Valores Qualificação profissional estimulando a criatividade e tornando as relações humanas solidas;
  34. 34. 32 Valorização da adversidade cultural; Prestação de serviço com qualidade e eficácia; Adequação tecnológica na busca por otimização de resultados; 3.3 Descrever com clareza a aplicação dos princípios de sustentabilidade na elaboração de um Plano de Negócio A sustentabilidade tem como principio o uso sustentável dos recursos naturais “deve suprir as necessidades da geração presente sem afetar a possibilidade das gerações futuras de suprir as suas”. Sendo assim todas as ações tem uma reação ao meio ambiente sejam positivas ou negativas e nas organizações não seriam diferente estas também agridem o meio ambiente e é necessária uma conscientização de nossos atos. A cada dia que passa os clientes e parceiros se tornam mais informados e, portanto mais exigentes em suas escolhas e decisões. O jeito que produzimos, consumimos ou oferecemos nossos produtos ou serviços está mudando e devemos ter uma política ambiental bem definida. Política ambiental dentro das organizações nada mais é do uma declaração do compromisso com o meio onde são realizadas suas transações comerciais e descreve as ações que estas tomaram para contribuir com a preservação do meio ambiente e continuidade do seu próprio negócio. Devemos adotar um modelo de gestão “ecoeficiente”, que propõe produzir mais e melhor utilizando menos recursos, ao final teremos a junção do desempenho econômico e ambiental o que possibilitará o desenvolvimento de produtos e ou serviços que ao longo da cadeia produtiva diminuam a geração de resíduos, a poluição determinada pela diminuição na utilização de recursos. Essa gestão é capaz de desvincular o uso de insumos e produtos do desgaste causado à natureza. As políticas ambientais devem ser bem divulgadas internamente para que todos os funcionários tenha o conhecimento adequado das ações adotas pela organização, como regra deve-se ter aliado a essa política a melhoria continua dessas ações.
  35. 35. 33 Algumas dicas são importantes para criação de uma política bem definida;  Política adequada ao seu tipo de organização  Incentivar funcionários e clientes a conhecer a política  Divulgação da política através de Palestras e treinamentos  Auditorias para verificar a pratica desta política  Estabelecimento de metas ambientais Existem muitas formas de contribuir com o meio ambiente das mais sofisticadas até as mais simples, sejam nas organizações ou em nossas rotinas diárias o importante é desenvolver uma mentalidade mais sensível e cooperativa de forma que possamos crescer sem prejudicar a natureza. Nos dias atuais a autossustentabilidade está tão na moda que pode e deve ser usado como vantagem competitiva, pois já se sabe que 75% das pessoas preferem consumir produtos ou serviços de organizações com engajamento sustentável. Em longo prazo os investimentos em ações sustentáveis podem significar uma economia considerável, veja a seguir alguns exemplos de como colaborar com o meio ambiente;  Usar torneiras com temporizador, canalizar água da chuva, reuso de água por indústrias e outros.  Diminuir o uso de transporte individual ou de tração motora, usar combustível menos poluente, utilizar veículos elétricos ou híbridos.  Reciclagem de papel, papelão, plásticos, alumínio, vidro, pilhas, baterias, equipamentos eletrônicos e todo material não orgânico.  Utilização de energia eólica e solar, sensores de presença.  Não desmatar, incentivar ao plantio de árvores, preservação de mananciais, rios e outros. Como forma de diminuir os impactos e danos causados ao meio ambiente e a sociedade a qual estamos inseridos a organização 2KTOM’S
  36. 36. 34 Assessoria Contábil, adota as seguintes medidas para perduração dos recursos e do seu negócio.  Utilização de software: minimiza a impressão de papeis.  Sensores de presença: faz com que as luzes se apeguem automaticamente quando não houver a presença de pessoas no ambiente.  Extinção de copos descartáveis: Já na Integração o funcionário recebe seu squeeze personalizado.  Coletores Seletivos: existem coletores individuais a cada tipo de material.  Reutilização de papeis: incentivo ao uso consciente de papel e utilização frente e verso.  Incentivo ao plantio de árvores: Parceria com o Instituto Brasileiro de Florestas (IBF). Se caminharmos na lama deixaremos pegadas que serão facilmente apagadas pela chuva, mas, à medida que caminhamos na vida causaremos danos irreversíveis ao meio ambiente. 3.4 Importância de ética na empresa VÁSQUEZ (1998), a ética é a ciência que estuda o comportamento moral dos homens em sociedade. Vale resaltar que ética e moral não tem os mesmos o significado a ética deriva do grego e tem a ver com conduta enquanto que moral deriva do latim e tem a ver com comportamento, ou seja, ética seria a reflexão sobre os princípios que fundamentam a vida. Nós como seres humanos somos capazes de fazer escolhas e se responsabilizar por elas e isso se da devido à capacidade que temos de pensar e planejar sua vida e seus desejos faz com que de certa forma não hajamos por “instinto ou impulso”.
  37. 37. 35 As praticas éticas promove a criação de ambientes mais saudáveis que possibilitam maior desenvolvimento de habilidades, confiabilidade, credibilidade alem, de diminuir os riscos do negócio. CHIAVENATO (2003), o comportamento ético acontece quando a organização incentiva seus membros a comportarem eticamente de maneira que os membros aceitem e sigam tais valores e princípios. A ética influência diretamente o processo das organizações a tomada de decisão e anda lado a lado com a competitividade são quase que inseparáveis, não é possível alcançar o sucesso enganando. Ser ético nos negócios trazem benefícios para as organizações;  Aumento na produtividade: enfatizar suas ações éticas frente a seus parceiros, se preocupar como bem estar dos funcionários essas atitudes influenciam positivamente a todos envolvidos.  Melhoria no ambiente organizacional: uma imagem publica positiva atrai clientes e pode agregar valor ao negocio do seu cliente. O código de ética ou conduta é uma declaração formal que serve para orientar e guiar o comportamento de seus parceiros e colaboradores. Vejamos o código de conduta da organização 2KTOM’S Assessoria Contábil Ltda.  Responsabilidade com a sociedade, colaboradores e clientes.  Propor soluções inovadoras para diminuição de custos e oferecer serviços a preços razoáveis.  Tratar o cliente e parceiros com dignidade e respeito  Reconhecimento de méritos  Respeito às adversidades pessoal e culturais de cada individuo.  Liberdade para fazer reclamações e sugestões  Evitar erros e elogiar acertos  Liderar com persuasão e motivação
  38. 38. 36 3.5 Responsabilidades Sociais A responsabilidade significa o grau de obrigações que uma organização assume por meio de ações que protejam e melhorem o bem estar da sociedade à medida que procura atingir seus próprios interesses. (CHIAVENATO, 2003, p. 607) A responsabilidade social é uma tendência mundial e consiste em uma mudança de atitude corporativa em relação à sociedade na qual atua. Atualmente é bem definido que as obrigações das organizações não são restritas apenas aos empregados, clientes e acionistas, mas sim com a sociedade. Para uma empresa ser considerada socialmente responsável é necessário contribuir para a transformação do ambiente social e não visar apenas o lucro, contudo, estas ações dão visibilidade, prestigio e credibilidade no fortalecimento da imagem organizacional. Existem algumas abordagens para este mesmo tema e com ponto de vista diferentes, vejamos a seguir: Obrigação social e legal: Onde as obrigações e metas das organizações seriam de natureza econômica com foco no lucro, devendo apenas cumprir com o que for imposto por força de lei sem esforços voluntários.  Responsabilidade Social: Onde a organização não tem apenas metas econômicas, mas sim ser responsável socialmente às decisões são tomadas baseando-se em benefícios social e não somente no lucro. A organização preocupa-se em ter uma imagem “politicamente correta”, procuram solucionar problemas já existentes.  Sensibilidade social: Onde a organização tem preocupações apenas econômicas e sociais, mas se antecipa aos problemas sociais do futuro e age agora em relação em respostas a ele. Trata-se de cidadania corporativa e tem papel proativo na sociedade como exemplo dessas atitudes pode citar os
  39. 39. 37 programas educacionais sobre drogas financiados por organizações privadas e ministrados em escolas publicas. Essas ações ocorrem principalmente pela fragilização “orçamentária” do governo. A responsabilidade social não deve ser modismo é sim moldar o jeito em que vemos, agimos e pensamos socialmente e deverão resistir por tempo indeterminado. Como contribuição para responsabilidade social e sócio ambiental a organização 2KTOM’S Assessoria Contábil, adota as seguintes medidas respectivamente:  Inverno Solidário: durante o primeiro semestre de cada ano são arrecadados agasalhos, cobertores, mantas, edredons que são doados a população carente.  Doação a Associação de Assistência a Criança Deficiente: está entidade auxilia a criança com algum tipo de deficiência. Anualmente são feitos doações a AACD, são doados 5% do faturamento da organização.
  40. 40. 38 3.6 Comprometimentos como meio ambiente O conceito de meio ambiente deve ser globalizante, “abrangente de toda a natureza, o artificial e original, bem como os bens culturais correlatos, compreendendo, portanto, o solo, a água, o ar, a flora, as belezas naturais, o patrimônio histórico, artístico, turístico, paisagístico e arquitetônico”. (SILVA, 2004, p.20) O chamado meio ambiente é tudo que está a nossa volta seja ele físico natural que seria a terra, o clima, a água, as plantas, o céu, os animais e o ambiente humano onde vivemos com dinâmicas sociais, culturais, econômicas e espirituais. Como tudo na vida é findado, não poderia ser diferente com os recursos naturais assim sendo devemos usa-lo com responsabilidade e consciência que sem eles não seriamos capazes de sobreviver ou existir. Em constantes ocasiões nos deparamos com desastres ambientais causados devido à degradação da paisagem que somos nós quem os causamos com; ocupações irregulares, desmatamento, poluição, consumo desenfreado, pesca ou caça predatória e outros tantos. Certamente a paisagem que vemos nos dias atuais refletem os acontecimentos do passado e se não fizermos algo quem nos garante o futuro? Sabemos que somente 10% da água são destinadas ao consumo humano, 20% a indústria e 70% a agricultura, porque não existe então uma gestão ambiental voltada à agricultura? A partir da década de 70 o mundo tomou conhecimento sobre as grandes degradações ambientas com a criação de novas ONGs, que discutiam o tema muitas informações foram lançadas nos meios de comunicação, todo esse cenário fez com que grandes organizações temessem ter a associação de sua marca ou imagem vinculada a algum acidente ou dano ambiental. Deu inicio então uma nova era no marketing o chamado “Marketing Verde”, este conceito não deve ser entendido como uma mascara para lucro e sim se engajar na causa de forma a satisfazer as expectativas dos consumidores por produtos ou serviços que tenham nascido com o intuito de agredirem menos o meio ambiente.
  41. 41. 39 È obrigação de cada individuo ou organização buscar parcerias com quem faz a coisa certa, ou seja, aja segundo os princípios sustentáveis e estas por sua vez devem formar consumidores mais conscientes. O que podemos notar é a grande capacidade do homem em transformar e se apropriar do meio ambiente que conhecemos, mas a consciência e o respeito às limitações do espaço não foram solidificados adequadamente. A educação ambiental nas instituições de ensino é bem recente somente a partir do século XXI foram criados cursos de graduação que tivesse como enfoque o meio ambiente. Os recentes avanços tecnológicos possibilitam uma vida mais cômoda, mas trazem consequências indesejáveis na mesma proporção, será que não seria o caso passarmos a consumir tecnologias com maior durabilidade? Muito se fala e pouco se faz, a questão do meio ambiente vem sendo discutida a anos e quase nada mudou precisamos de medidas mais enérgicas e efetivas no combate ao uso desenfreado dos recursos ambientais. Neste contexto a organização 2KTOM’S Assessoria Contábil, compromete-se a buscar alternativas que de alguma forma agridam menos o meio ambiente e garantir que seus parceiros também tenham a mesma visão. Visto que, o nosso consumo está diretamente ligado à celulose que é extraído da madeira adotou-se a seguinte medida como forma paliativa:  Programa Plante Árvore: parceria do Instituto Brasileiro de Florestas (IBF) com proprietários rurais e empresas privadas, o programa consiste no cadastro de proprietários rurais que tenham em suas propriedades áreas a serem reflorestadas ou destinadas à mata ciliar que devem ser refeitas, o IBF coloca estas áreas a disposição de empresas ou de pessoas físicas que precisam ou queiram neutralizar o CO², através de mudas de árvores nativas. Os interessados escolhem a área a ser plantada e estas mudas serão destinadas ao proprietário e o mesmo fará o plantio.
  42. 42. 40 Capitulo IV 4. EMPREENDEDORISMO 4.1 Conceitos de Empreendedorismo Dornelas (2008), o empreendedorismo significa fazer algo novo, diferente, mudar a situação atual e buscar, de forma incessante, novas oportunidades de negocio, tendo como foco a inovação e a criação de valor. O empreendedorismo incentiva o crescimento econômico e introduz ideias inovadoras ao mercado é claro que no Brasil esse espírito vem sendo mais bem difundido desde 1990, portanto algo muito novo. O mundo como conhecemos vem sofrendo muitas transformações desde o século XX, quando houve uma grande mudança no estilo de vida das pessoas. Essas inovações são desenvolvidas em geral por pessoas visionarias que tendem a questionar, arriscar e se lançar a algo novo diferenciado e ousado a esses indivíduos denominamos empreendedores. A ênfase ao empreendedorismo tem como principal consequência às mudanças tecnológicas e o mercado competitivo que obrigam os empresários a adotarem medidas novas. Para empreender não basta ter ideias revolucionárias é preciso também identificar as necessidades de mercado tornando a viável para implementação, isso é detectar uma nova oportunidade. O empreendedorismo envolve todas as fusões e ações ligadas à oportunidade de criação, cinco elementos são fundamentais ao sucesso; criatividade, força de vontade, foco na geração de valor e disposição para correr riscos. As habilidades e capacidades empreendedoras são bem diversificadas, afinal os indivíduos diferem entre si por possuírem habilidades, oportunidades, motivações, engajamento social e educação em nível próprio e especifico. Dornelas (2008), conclui que podemos definir empreendedorismo de várias maneiras, porém, a essência se resume em fazer diferente, empregar recursos disponíveis de forma criativa, assumir riscos, buscar oportunidades e inovar.
  43. 43. 41 A organização 2KTOM’S Assessoria Contábil, pensando no aspecto empreendedor analisou muito bem o mercado onde irá atuar para poder inovar e se tornar competitivo. 4.2 Características e perfil empreendedor Dornelas (2008), o empreendedor é aquele que faz as coisas acontecerem se antecipa aos fatos e tem uma visão futura da organização. O empreendedor é um exímio identificador de oportunidades, sendo esse individuo curioso e atento às informações, pois entendem que suas chances são melhores à medida que aumenta seu conhecimento. Para que um empreendedor obtenha sucesso no mercado onde atua algumas características são importantes:  Ser visionários  Ser rápidos na tomada de decisões  Ser dinâmico e determinado  Ser dedicado e comprometido  Ser otimista e apaixonado pelo que fazem  Ser independente e inovador  Ser organizado e otimista  Formadores de opinião e lideres  Exploram ao máximo as oportunidades  Ser bem relacionados e possuir amplo conhecimento  Assumir riscos calculados Entre as varias características que o bom empreendedor possui, destaca-se aquela capaz de agregar valor econômico, podemos destacar três principais tipos de empreendedores;  Empreendedor Corporativo: são indivíduos que investem no seu desenvolvimento dentro organização, tem iniciativa, visão de futuro o que o destaca no mercado de trabalho.
  44. 44. 42  Empreendedor Interno: são indivíduos que tem características típicas de um empreendedor, mas ou em vez de iniciar um novo projeto por conta própria, usam essa capacidade a serviço das organizações já existentes sem vínculos específicos “consultores”.  Empreendedor Social: são indivíduos que tem proatividade no desenvolvimento da comunidade, das suas cidades ou país é aquele que propõe soluções aos problemas sociais (pobreza, drogas, integração de pessoas deficientes, etc.), buscam inclusão social dos menos favorecidos e colaboram em geral com ONG’s. O grande diferencial de um empreendedor das pessoas comuns é que ao invés de esta sempre se queixando pela falta de reconhecimento ou de criatividade, buscam novas ideias todos os dias e estão sempre atentos a tudo em sua volta. Seja um empreendedor revolucionário crie novos mercados a partir das necessidades existentes, são os chamados nichos de mercado. Para ter boas ideias é preciso treinar a nossa mente a novas experiências, não ter medo de arriscar e manter se informado o que está facilmente ao alcance de todos. Lembre-se que por trás de um empreendimento de sucesso já houve ao menos uma tentativa frustrada. A organização 2KTOM’S Assessoria Contábil, optou por um modelo de empreendedorismo conservador, pois não lançou uma nova atividade no mercado. Contudo a organização irá motivar seus parceiros a ter ideias criativas e inovadoras com reuniões mensais para que todos possam sugerir mudanças ou melhorias, promovendo também uma maior integralização entre seus membros.
  45. 45. 43 4.3 Perspectivas de Sucesso do Negócio Segundo o Dicionário Michaelis (2009), perspectiva, refere-se à projeção tridimensional dos objetivos, sensação esperançosa, expectativa. A perspectiva de sucesso do negócio trata do gerenciamento de continuidade dos negócios, futuras parcerias, sobrevivência do negócio quando houver ameaças e crises e rápida adaptação às mudanças radicais. Para obter uma perspectiva de sucesso, devem-se neutralizar as ameaças e aproveitar as oportunidades no ambiente em que atua, ou seja, tomar decisões oportunas. Para isso tem que se ter uma visão ampla e muito conhecimento nos negócios. Tais características devem ser equilibradas e aplicadas com bom senso e também distribuídas aos parceiros e empregados. O segredo está em desenvolver essas características em conjunto, assim constituindo a essência do espírito empreendedor. O que torna um negócio em sucesso é a junção de duas coisas:  O espírito empreendedor e,  O negocio oportuno Trata-se de um casamento entre a oportunidade e o oportunismo que pretende aproveitá-la. Existe também outro aspecto para tornar o negócio um sucesso, que se trata do planejamento sólido e detalhado daquilo que se propõem a fazer, sendo o planejamento do negocio a peça fundamental para obtenção sucesso. Todas as atividades levam tempo e não obedecem a regras definidas, fazendo com que o empreendedor volte atrás dos processos ou mude os caminhos para ajustar o plano de negócios, para aperfeiçoar e alcançar as metas traçadas. Havendo percepção e a dedicação tem-se oportunidade de diversificar e crescer com o negocio. Vivemos em um mundo em constante transformação e com uma enorme velocidade e desta forma empresas e pessoas são impulsionadas a acompanhar essas transformações, ou seja, as empresas passaram a desempenhar um papel importantíssimo no âmbito social e ambiental, fazendo
  46. 46. 44 assim cresceram diversas profissões como, por exemplo, os profissionais de contabilidade, que hoje estão entre as “dez” profissões mais requisitadas e bem remuneradas. Para podermos enxergar como estaremos no futuro é preciso analisar o passado, ponderar o presente e planejar o futuro. Com essa visão, a organização 2KTOM´S Assessoria Contábil, tem plena consciência de que trabalhando com responsabilidade, respeito, comprometimento e acima de tudo ética com seus parceiros terá vida longa nos negócios. Portanto para tal pretendemos consolidar os serviços prestados no presente e para o futuro ambicionamos que em meados do ano 2017 a organização já terá expandido os negócios a grande São Paulo e interior.
  47. 47. 45 Capitulo V 5. OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO Uma oportunidade de negócio só existe quando há relação entre viabilidade, necessidade e pré-disposição de consumidores dispostos a pagar pelos produtos ou serviços prestados. Em uma breve analise mercadológica é possível constatar que há uma grande necessidade de uma gestão financeira bem estruturada, visando melhorar o desempenho e o patrimônio das organizações. As frequentes mudanças no cenário econômico que vem ocorrendo desde 2008 quando o Brasil adotou as normas internacionais de contabilidade, alterou a visão financeira como um todo. Essa padronização abriu o mercado brasileiro a investimentos internacionais e tornou mais transparente o nosso sistema financeiro reduzindo o Risco Pais e tornando a economia de fato globalizada. As constantes inovações tecnológicas na área financeira tornaram as relação com investidores, consumidores e governo muito mais transparentes e obrigam cada vez mais as organizações a se adequarem rapidamente às mudanças. Assim sendo é mais viável as organizações contratarem especialistas na área, o que requer cada vez mais a necessidade de profissionais qualificados e atentos aos novos desafios de mercado, o contador tornou-se peça chave no planejamento estratégico e gerencial. As organizações nos dias atuais vivem em constantes transformações, e obrigatoriamente os profissionais de contabilidade devem acompanhar tais mudanças a exemplo do projeto SPED (Sistema Publico de Escrituração Digital) instituído pelo Decreto 6.022 de 22 de Janeiro de 2007, que até hoje muitos profissionais não dominam o necessário para atender as exigências deste projeto, ou seja, a classe contábil esta crescendo com a ajuda destas mudanças e os profissionais qualificados estão ganhando espaço enquanto que os desavisados ao mercado perdem espaço. Pensando neste cenário e atento às mudanças a organização 2KTOM’S Assessoria Contábil, enxergou neste uma grande oportunidade de inserção no
  48. 48. 46 mercado contábil, almejamos ser especialistas no segmento e temos consciência de que desafios existirão, no entanto mantermos em constante atualização para crescer junto com o sistema financeiro e sermos capazes de gerir o negócio do nosso cliente como se fosse o nosso. Em cada ramo de atuação existe uma serie de fatores que influenciam e determinam o desempenho das atividades empresariais, e são estes atributos os mais valorizados pelos tomadores de serviços. As empresas devem dedicar grande parte de seus esforços no sentido de garantir desempenho superior ao que faz de melhor. Nunca será possível que uma organização sobreviva sem que haja uma boa gestão das informações financeira de seu negócio e esse é o nosso foco, “dar vida ao seu negócio”! 5.1 Descrições dos serviços a serem executados pela empresa A organização irá assessorar os clientes em todas as suas obrigações sejam trabalhistas, tributárias, societária e contábil, com intuito de agregar valores e agilizar os processos. Vejamos como se dividem os departamentos na organização 2KTOM’S Assessoria Contábil:  Diretoria  Elaboração de Contrato de Prestação de Serviços  Contas a Pagar e a Receber  Captação de Clientes  Imposto de Renda  Organização de Palestras e Treinamentos  Planejar, Supervisionar, Coordenar e Assessorar a todos os departamentos.  Contato direto e frequente aos Clientes  Departamento Contábil  Escrituração dos documentos contábeis
  49. 49. 47  Organização, classificação e processamento dos documentos contábeis em atendimento as normas da legislação vigente;  Demonstrações financeiras;  Elaboração de balancetes, balanços mensais, trimestrais e anuais com observância aos processos contábeis e normas estabelecidas;  Conciliações e composições das contas contábeis;  Resumo com as informações contábeis da empresa  Elaboração da DACON (Demonstrativo de Apurações e Contribuições Sociais)  Elaboração da DCTF (Declaração de Débitos e Creditos de Tributos Federais)  Elaboração da DIMOB (Declaração de Informações sobre Atividades Imobiliárias)  Elaboração da DIRF (Declaração do Imposto de Renda na Fonte)  Elaboração do IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica)  Atendimento ao Cliente.  Departamento Fiscal  Escrituração de Livros Fiscais (ICMS/IPI/ENTRADA/SAIDA/MOD 57/ MOD51)  Apuração e controle dos Impostos Federais (PIS/ COFINS/IRPJ/CSSL/IPI)  Apuração e controle dos Impostos Estaduais (ICMS/Simples Nacional)  Apuração e controle dos Impostos Municipais (ISS)  Apuração e controle dos Impostos de empresas enquadradas no Simples Nacional  Apuração e controle do Credito Acumulado do ICMS e IPI  Orientação para emissão de notas fiscais  Orientação quanto à recuperação dos impostos  Parcelamento de Débitos Fiscais  Atendimento ao Cliente
  50. 50. 48  Departamento de Pessoal  Cadastro e manutenção do Registro de Empregados  Elaboração de Contrato de Experiência  Procedimentos para formalização de Admissão e Demissão de funcionários  Cadastro de funcionários (PIS)  Registro em CTPS  Elaboração da Folha de Pagamento e Pró-labore com emissão dos holerites  Elaboração das Guias de Recolhimento dos encargos sociais e tributos (FGTS/INSS/IRRFS/ SAL e obrigações Sindicais)  Atendimento às obrigações acessórias (CAGED/RAIS/DIRF)  Manutenção e controle sobre a concessão de férias normais ou coletivas de funcionários  Elaboração das Rescisões e GRFC  Acompanhamento à Homologação junto ao ministério do trabalho e sindicato da categoria;  Obtenção de Certidões da Justiça Federal (FGTS/INSS)  Departamento Legal  Abertura de empresas  Alterações Contratuais  Elaboração de Contratos Sociais  Encerramento de empresas, cancelamento e baixa de inscrições junto aos órgãos governamentais (Federal, Estadual, Municipal) e regulamentadores e reguladoras (JUCESP/Secretaria da Fazenda e outros)  Obtenção de Certidões de Órgãos Governamentais  Obtenção de Certidões de Divida Ativa da União  Obtenção de Certidões de Tributos Federais, Estaduais e Municipais.  Obtenção de Certidões junto aos Cartórios.  Departamento Administrativo
  51. 51. 49  Recebimento e distribuição de documentos.  Serviços externos tais como: acompanhamento de processos junto às repartições publica, entrega de documentos nos clientes, pagamento de contas em banco e etc.  Cotações de materiais, equipamentos e utensílios.  Atendimento e visitas ao Cliente. 5.2 Principais concorrentes com indicações de analise SWOT A análise SWOT (Strengths, Weaknesses, Opportunities and Threats), foi desenvolvida na década de 60 por professores da Universidade de Stanford a partir de pesquisas desenvolvidas com as 500 maiores empresas. Com esta ferramenta relativamente fácil de entender e de tamanha importância estratégica para as organizações é possível realizar uma analise detalhada de pontos fortes e fracos (interno) e ameaças e oportunidades (externo). E com base nessa análise buscar um melhor direcionamento ou posicionamento para decidir. Os pontos fortes e fracos são relativos ao ambiente interno das organizações, podem ser melhorados, modificados, adaptados de acordo com a realidade e necessidade de cada organização. As ameaças e oportunidades são relativas ao ambiente interno das organizações, não podem ser modificados podem apenas prepará-las para aproveitar ou não as oportunidades e se precaver das ameaças que podem prejudicar as organizações. Se você não conhecer seu inimigo nem a si mesmo, como poderá ganhar a batalha pela sobrevivência no mercado cada vez mais competitivo. Para o empreendimento da organização 2KTOM’S Assessoria Contábil e com base nas informações adquiridas através de pesquisas de mercado, chegamos aos seguintes concorrentes:
  52. 52. 50  Contabilidade Racional Ltda. Forças Fraquezas  Apenas trabalha com um segmento (varejo de roupas)  Boa localização  Preços acessíveis  Escrituração manual  Poucos funcionários  Baixa qualificação profissional  Não acompanha as novidades de mercado.  Exata Assessoria Contábil Ltda. Forças Fraquezas  Equipe qualificada  Ambiente de trabalho agradável  Atualização constante  Localização em região perigosa  Falta de comprometimento com os clientes  Baixa capacidade de negociação  AWP Assessoria Contábil Ltda. Forças Fraquezas  Sólida experiência no mercado (24 anos).  Profissionais Qualificados  Comprometimento com os clientes  Moderna infraestrutura  Boa Localização  Decisões centralizadas  Baixo investimento em propaganda  Custos fixos elevados  Pouco incentivo aos funcionários  Planeta Contábil Ltda. Forças Fraquezas  Localização estratégica (Centro)  Constante aperfeiçoamento  Foco no cliente  Certificações ISO, OHSAS e outras.  Informatização dos Processos  Alto índice de inadimplência  Pouco tempo de atuação no mercado  Alto nível de endividamento
  53. 53. 51 5.3 Valores praticados pelos concorrentes, pelos serviços prestados identificados no item 5.2. A concorrência é uma dinâmica de mercado que estimula as empresas inovar e investir para aumentar os ganhos, ou seja, consiste em monitorar as atividades, analisar como esta caminhando o mercado aonde o negócio será inserido, para sempre se destacar frente aos concorrentes. É preciso também detectar ameaças, tais como (novas tecnologias, novos segmentos, novos entrantes, etc.), as empresas precisam ficar atentas aos concorrentes, porque a competitividade em qualquer área de atuação é muito grande e exige essa analise de mercado. È importante que se saiba exatamente quem são seus concorrentes de que forma e onde atuam? O fato de estarmos confinados em escritórios não nos permite sermos negligentes quanto à atuação dos concorrentes e possíveis atualizações que devem ser constantes. A concorrência nos dias atuais é muito benéfica seja para as organizações que tentem a se desenvolver cada vez melhor e de forma diferenciada suas atividades para obter vantagens competitivas, seja para os consumidores que se beneficiam dessa disputa para obter mais qualidade nos produtos e ou serviços ofertados com melhor precificação. Com base nesses conceitos a organização 2KTOM´S Assessoria Contábil realizou uma pesquisa de mercado, a fim de precificar adequadamente seus serviços analisando os preços cobrados pelos concorrentes que ficaram entre R$ 500,00 e R$ 60.000,00. Abaixo tabela básica dos principais concorrentes. Contabilidade Racional Ltda. Av. Lins de Vasconcelos 2924, Vila Mariana. Serviços Preço (R$) Abertura, Encerramento e Alteração de Empresas. 1.300,00 Folha de Pagamento e Escrituração Fiscal 600,00 Declaração de IRPF e IRPJ 100,00
  54. 54. 52 AWP Assessoria Contábil LTDA Rua Apeninos 429 CJ 304, Paraíso. Serviços Preço (R$) Abertura, Encerramento e Alteração de Empresas. 1.200,00 Rotinas de Departamento De Pessoal 875,00 Rotinas de Departamento Fiscal 1.050,00 Rotinas de Departamento Contábil 1.150,00 Alvarás e Licenças 400,00 Demais Serviços A COMBINAR Planeta Contábil LTDA Rua Cel. Xavier de Toledo 70 CJ 409, Centro. Serviços Preço (R$) Abertura, Encerramento e Alteração de Empresas. 1.300,00 Rotinas de Departamento De Pessoal 655,00 Rotinas de Departamento Fiscal 799,00 Rotinas de Departamento Contábil 984,00 Alvarás e Licenças 350,00 Demais Serviços A COMBINAR Exata Assessoria Contábil LTDA Rua Coimbra 444, Brás. Serviços Preço (R$) Abertura, Encerramento e Alteração de Empresas. 900,00 Rotinas de Departamento De Pessoal 700,00 Rotinas de Departamento Fiscal 900,00 Rotinas de Departamento Contábil 950,00 Alvarás e Licenças 230,00 Demais Serviços A COMBINAR
  55. 55. 53 5.4 Tabelas de preços dos serviços a serem executados pela empresa prestadora de serviços contábeis levando em consideração a pesquisa realizada nos concorrentes A tabela de preços da organização 2KTOM’S Assessoria Contábil, foi elabora em conformidade com a resolução do C.F. C 803/96 Art. 6°, ou seja, o Profissional de Contabilidade tem liberdade para fixar os respectivos honorários. A tabela de organização 2KTOM´S Assessoria Contábil, está detalhada para ficar mais transparente aos seus clientes, lembrando que os valores estão sujeitos a alterações. Segue abaixo tabela: 2KTOM´S Assessoria Contábil LTDA Av. Paulista 1159 1° andar CJ 110- CEP: 01311-200 - Cerqueira Cesar - São Paulo/SP SERVIÇOS A SEREM OFERECIDOS PREÇO (R$) * Honorários Fixos (A partir de) 267,00 Lançamentos Fiscais 1,50 Lançamentos Contábeis 0,90 Folha de Pagamento (por empregado) 40,00 Admissões (por empregado) 25,00 Rescisão Trabalhista (por empregado) 35,00 Homologação (por empregado) 40,00 Abertura de Empresas 1.175,00 Encerramento de empresas 1.180,00 Destrato Social (Mudança ou rompimento de sociedade) 977,50 Licenças (Alvarás, CETESB, ANVISA etc..). 800,00 SPED (ICMS e IPI, PIS/COFINS e CONTTRIBUIÇÃO PREVIDENCIARIA e CONTÁBIL). 334,00 DACON 250,00 DCTF 350,00 DIPJ 268,00 DEFIS (Declaração Anual entregue pelas entidades optantes pelo Simples Nacional) 300,00 DIRF 210,00 RAIS 130,00 RAIS NEGATIVA 45,00 Certidões Negativas (Por Órgão) 70,00 Calculo de Tributos em Atraso (Por Tributo) 15,00 *Declaração de Imposto de Renda (Pessoa Física e Pessoa Jurídica) (A partir de). 100,00 (*) Os Honorários fixos estão sujeitos à alteração conforme Faturamento, Tipo de Tributação e Quantidade de empregados, podendo ser inferiores ou superiores. A Declaração de imposto de Renda ficara também sujeita a alteração conforme os Bens que serão declarados, as deduções que houver e etc.. Lembrando que todos os valores são flexíveis para negociação.
  56. 56. 54 5.5 Formas de atingir os mercados identificados com publicidade e propaganda Propaganda, segundo Zenone e Buairide (2003, p.38), ”é qualquer anuncio ou comunicação persuasivos veiculados nos meios de comunicação de massa em tempo ou espaço pago ou doado por um indivíduo, empresa ou organização”. A propaganda é o meio de comunicação mais conhecido popularmente, é a técnica de comunicação de massa, tem a finalidade de fornecer informações a um determinado público, provocando atitudes e ações positivas em relação aos produtos, serviços e marcas. O objetivo da propaganda não é vender, e sim preparar o consumidor para a venda. Tem o propósito de informar, persuadir, lembrar e reforçar.  Informar: criar conscientização e conhecimento, informar sobre lançamentos, alterações de preço, promoções e explicar como funciona.  Persuadir: Criar simpatia, preferência e convicção.  Lembrar: estimular a repetição de compra e buscar fidelização  Reforçar: convencer o consumidor de que fizeram a escolha certa Publicidade, segundo Philip Kotler (1998, p.587) “é qualquer forma, não pessoal, de apresentação ou promoção de ideias, bens ou serviços, paga por um patrocinador identificado”. A publicidade é uma ferramenta de promoção poderosa, pode ser usadas por empresas, organizações sem fins lucrativos, instituições do estado e por pessoas individuais. Tem como intuito passar uma determinada mensagem “frase de impacto” que faz relação aos produtos ou serviços para atingir um determinado público. Por isso a publicidade é vital para as organizações. “As companhias prestam muita atenção ao custo de fazer alguma coisa, deviam preocupar-se mais com o custo de não fazer nada.” Philip Kotler. Com o passar dos anos, o marketing de relacionamento tem sido uma ferramenta de suma importância junto das empresas, com os cortes de custos verificados, as empresas conseguem através desta área do marketing, medir resultados e perceberem o seu impacto direto nas vendas.
  57. 57. 55 O marketing é a concepção da política onde o desenvolvimento das vendas tem um papel predominante, pode ser considerado um calculo de mercado, ele estuda o mecanismo que rege a relação de troca (bem, serviço e ideias), a pretensão e que o resultado das vendas seja satisfatório para as vendas. O marketing é mais do que vender, é um processo com dois sentidos o de ação de curto prazo e a ação de médio prazo, ou seja, o objetivo é assegurar a obtenção do maior beneficio. De maneira geral, consiste em uma estratégia de negócios que visa a construir pró-ativamente relacionamentos duradouros entre a organização e seus clientes, contribuindo para o aumento do desempenho desta e para resultados sustentáveis. O processo de marketing de relacionamento deve se iniciar com a escolha certa do cliente, a identificação de suas necessidades, a definição dos serviços prestados e agregados, a busca da melhor relação custo/benefício e ter funcionários motivados e capacitados a atender estes clientes adequadamente. O contexto de administrar o relacionamento com o cliente serve para que a empresa adquira vantagem competitiva e se destaque perante a concorrência. O objetivo maior torna-se manter o cliente através da confiança, credibilidade e a sensação de segurança transmitida pela organização. A organização 2KTOM’s Assessoria Contábil utiliza como meios de Publicidade e Propaganda, respeitando a Resolução C.F. C N°803/96, as seguintes ferramentas.  Anuncio da marca no Boletim Informativo do SESCON  Anuncio em Jornais de grande circulação, somente com a Marca da organização, localização e contatos, serviços prestados descritos de forma resumida e numero de Registro no CRC.  O site da Organização (www.2ktoms.com.br)  Fan Page no Facebook (facebook.com/2ktomsassessoria)  Conta no Twiter (twiter.com/2ktomsassessoria)  Participação em eventos de Empreendedorismo
  58. 58. 56  Cartão de Visitas  Criação de Boletim Informativo para os nossos clientes, contendo temas atuais sobre negócios, legislações e etc.  Organização de palestras com distribuição de brindes personalizados.  Brindes personalizados para os clientes. 5.6 Diferenciais e vantagens competitivas da empresa frente aos concorrentes Diferencial é tudo aquilo que faz algo ou alguém ser diferente, já a vantagem competitiva é o que faz com que sua oferta seja escolhida, dentre as inúmeras ofertas disponíveis pelos seus concorrentes. É o conjunto de características que permite a uma organização ser diferente por transmitir ou agregar mais valores aos olhos dos clientes de forma distinta da concorrência e obtendo vantagens no mercado. A situação do mercado nos dias de hoje devido a alta carga tributaria, as frequentes fiscalizações e autuações por apropriação indébita, crédito indevido, ou até mesmo uma operação ou classificação que tenha benefício, exige dos Profissionais de Contabilidade, praticas eficazes para preservar a empresa dos clientes. Frente a esta realidade os empresários procuram estes profissionais para reduzir a carga tributária, que por sua vez o Profissional de Contabilidade tem a obrigação de estudar a situação da empresa do cliente, estudar o produto que o cliente comercializa, para aplicar a Elisão Fiscal, ou seja, encontrar brechas na legislação pertinente para assim orientar o cliente e desonerar os impostos que seriam pagos. Partindo destes princípios a organização 2KTOM´S Assessoria Contábil, tem em mente que para obter sucesso no negocio, é preciso fazer com que os clientes tenham sucesso também, ou seja, buscar satisfazer a todas as necessidades do negocio dos respectivos clientes, incentivar não só os colaboradores da organização mais sim os colaboradores das empresas assessoradas por ela.
  59. 59. 57 Observe abaixo exemplos de Diferencial e Vantagem Competitiva:  Vantagens Competitivas.  Estudo minucioso da atividade e produto do cliente  Disponibilidade total para atendimento. (Dia e hora qualquer)  Participações frequentes em palestras e cursos nas áreas pertinentes a contabilidade, mercado financeiro e curso especificam nos mercados de atuação dos clientes.  Preocupação com os negócios do cliente.  Atendimento especifico a cada ramo de atuação dos clientes  Diferenciais  Atendimento personalizado para cada cliente  Incentivo a Educação Continuada para colaboradores da organização 2KTOM´S e para os clientes.  Datas comemorativas (Aniversario de clientes, Dia do Contador e Aniversario de prestação de serviços) serão enviados brindes personalizados com a marca 2KTOM´S Assessoria Contábil ou a gosto do cliente.  Palestras organizadas para os colaboradores e empresários assessorados pela organização.  E total disponibilidade para atender os clientes Todas as organizações têm limitações que devem ser sobrepostas e qualidades que sempre podem ser melhoradas e assim cada vez mais tornar- se especialista no seu negócio, sendo assim foi analisado quais seriam os pontos fortes e fracos da organização 2KTOM’S Assessoria Contábil.
  60. 60. 58 Forças Fraquezas  Sólida experiência por parte dos sócios.  Profissionais Qualificados  Comprometimento com os clientes  Moderna infraestrutura  Localização em ponto estratégico, com pontos de referencia como: FIESP, CENOFISCO, Gazeta e a 50 metros da Estação de Metro Trianon MASP.  Alto investimento em propaganda  Alto incentivo e investimento nos funcionários  Inicio recente de atividades  Marca pouco conhecida  Poucos funcionários  Altos níveis de endividamento Tabela 1 - Analise SWOT - desenvolvido por Thiago Oliveira - 19/06/2013 5.7 Descrições dos potenciais clientes (Justificativa) Foi realizada pela nossa equipe uma pesquisa de mercado a fim de descobrir quais seriam nossos potenciais parceiros de negocio, ou seja, que ramo de atividade a organização atenderá. Então ficou definido que a organização 2KTOM’S Assessoria Contábil, atenderá os seguintes ramos:  Prestadores de Serviços  Indústria  Micro e Pequenas empresas  Comercio Varejista e Atacadista Os Prestadores de Serviço são potenciais clientes, porque aumenta cada vez mais a procura de terceirização de mão de obra por parte das empresas do comercio e indústria, que optam por terceirizar serviços como; limpeza, segurança patrimonial, pequenas reformas (manutenção), entre outros serviços. O Comercio e a Indústria é importante para o desenvolvido econômico, e com as constantes mudanças na Legislação Tributaria, esses comerciantes e industriais precisam de Profissionais de Contabilidade altamente qualificados,
  61. 61. 59 ou seja, eles precisam de uma boa assessoria e consultoria contábil, tornando assim esses ramos os potenciais clientes para a organização 2KTOM´S Assessoria Contábil. Promoções e incentivos especiais (Palestras para mostrar a importância desses micro e pequenos empresários, sugestões e estudos junto ao cliente do melhor ramo para inserir a empresa) para Micro Empresas e Empresas de Pequeno Porte, que são essas empresas que representam ¼ do PIB Nacional e geram a maioria dos empregos formais no Brasil. Para o ano de 2013 a boas perspectivas de crescimento para os setores em que atenderemos em especial a indústria que prevê crescimento acentuado, caracterizando ao nosso negocio uma ótima oportunidade de galgar novas e potenciais parcerias. Cada sócio será responsável por acompanhar as tendências atuais do mercado, a pesquisar os setores que mais crescem no mercado e estudar a história e o funcionamento das entidades dos nossos clientes para melhor assessorar a tomada de decisões e o crescimento do negócio. 5.8 Previsão e evolução de faturamento (Valores e Tempo) O Planejamento Financeiro é um aspecto importante para o funcionamento e sustentação da empresa, pois fornece roteiros para dirigir, coordenar e controlar suas ações na consecução de seus objetivos. (GITMAN, 1997, p.589) O planejamento financeiro é a ferramenta mais importante para as operações da nossa assessoria contábil, e não só em nossa empresa mais em todas as organizações, com o auxilio dessa ferramenta podemos alcançar as nossas metas de curto e longo prazo, além de indicar o momento certo para investimentos na estrutura da empresa, como:  Troca e manutenção dos equipamentos do escritório  Aumento no quadro de empregados  Compra do nosso prédio
  62. 62. 60  Expansão dos negócios entre outros O planejamento financeiro bem elaborado também nos auxilia a manter as obrigações Fiscais e Trabalhistas em dia, e também a não recorrer sempre ao mercado financeiro (empréstimos e financiamentos). Com as grandes mudanças na Legislação, principalmente na Legislação Tributaria que muda há todos os dias, e também surgindo novas obrigações assessorias a exemplo da FCI (Ficha de Conteúdo de Importação) instituído pela Resolução N° 13 de 26/04/2012, o EFD IRPJ e CSLL que entrara em vigor a partir de 1° de Janeiro de 2014, o SPED Social pertinente ao Departamento De Pessoal que também entra em vigor a partir de 2014 se não houver mudanças na Legislação. Contudo, existem ainda pequenos escritórios de contabilidade que não acompanham a essas mudanças e tendem a perder espaço no mercado, por conta dos prazos que são curtos as multas e penalidades que são pesadas, então esses pequenos escritórios irão acabar fechando suas portas à atividade contábil deixando assim mais espaço no mercado e com menos concorrência. Embora a 2KTOM´S Assessoria Contábil, esteja no inicio de suas atividades, os sócios já vem com uma boa bagagem e com a consciência que devem acompanhar a essa demanda, prevemos um crescimento pequeno neste inicio de atividades, e contamos no primeiro mês com um (1) cliente.

×