Ciborgues e a_historia

514 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Ciborgues e a_historia

  1. 1. Ciborgues e a História
  2. 2. O que é o Ciborgue?
  3. 3. Em 1960, Manfred Clynes e Nathan Kline designam ciborgue como “Homem Ampliado“. CRIAÇÃO DO CONCEITO Nathan Kline Manfred Clynes
  4. 4. <ul><li>Aquele que incorpora componentes </li></ul><ul><li>externos ao seu corpo para melhorar sua </li></ul><ul><li>condição de vida. </li></ul>
  5. 5. Algumas características: <ul><ul><li>Hibridização entre homem e máquina, de tal modo que não se sabe quando um começa e outro termina </li></ul></ul>
  6. 6. Algumas características: <ul><ul><li>Auto-regulação, por meio do feedback </li></ul></ul>
  7. 7. Em 1985, Donna Haraway escreve um ensaio intitulado &quot;A Cyborg Manifesto: Science, Technology, and Socialist-Feminism in the Late Twentieth Century” que trata sobre ciborgues como imagem do feminismo Donna Haraway
  8. 8. Isso porque ela acredita que os ciborgues acabam com as dualidades, como, “homem” e “máquina”, “macho” e “fêmea” e etc.
  9. 9. Também diz que o mundo é composto por redes hibridas que nos cercam e nos incorporam, assim, todos já seriam ciborgues.
  10. 10. Em 1995, Gray, Mentor e Figueroa-Sarriera lançaram um artigo intitulado &quot;Cyborgology. Constructing the knowledge of Cybernetic Organisms“ Gray Steven Mentor Figueroa-Sarriera
  11. 11. No qual consideraram ciborgues todo aquele com órgão, membro ou suplemento artificial.
  12. 12. Incluíram também todos os imunizados e todos os que faziam psicofarmacologia para pensar ou comportarem-se ou sentirem-se melhor
  13. 13. E apresentaram uma taxonomia das tecnologias-ciborgues, separando-as em: <ul><li>Restauradoras: Responsáveis pela restauração de algumas funções, com a substituição de membros e órgãos perdidos. </li></ul><ul><li>Normalizadoras: Dão novamente ao organismo uma indiferente normalidade. </li></ul><ul><li>Reconfiguradoras: Criação de pós-humanos. </li></ul><ul><li>Melhoradoras: Criação de organismos relativamente melhores do que o ser humano padrão. </li></ul>
  14. 14. Em 1997, Hari Kunzru escreveu o artigo &quot;You are a Cyborg” Hari Kunzru
  15. 15. Em que ele diz que a diferença entre os ciborgues e seus “ancestrais mecânicos” é a informação, que é a base do feedback.
  16. 16. O que o ciborgue tem haver com a história?
  17. 17. “ A História é uma ciência que busca conhecer os diversos aspectos do passado da humanidade, examinando a ação humana ao longo do tempo, para aumentar – através da reflexão – nossa capacidade humana de entender o presente e criar bases para ampliarmos nossa visão sobre o futuro, evitando os mesmos erros.”
  18. 18. JAPÃO Na maioria dos países desenvolvidos, a população é composta por uma grande percentagem de idosos. Isso se deve à baixa natalidade e à alta expectativa de vida. No Japão, especificamente, uma a cada cinco pessoas tem 65 anos ou mais e o governo estima que isso mude para uma a cada quatro em 2015.
  19. 19. Por isso empresas estão trabalhando e investindo em projetos que facilitem a vida do idoso e de pessoas que realizam trabalho pesado ou que ficam muito tempo agachadas ou em pé. Uma das soluções foi a criação de exoesqueletos.
  20. 20. HAL (2008) – Empresa: Cyberdyne – Aumenta a força do usuário de 2 a 10 vezes, é indicado para idosos e pessoas com limitações físicas.
  21. 21. Assistente de Suporte de Peso Corporal (2009) – Empresa: Honda – ele reduz a carga sobre as pernas do usuário, tornando tarefas diárias mais “simples”.
  22. 22. Enquanto isso, nos EUA, seus investimentos iniciais foram para demonstrar soberania em relação aos outros durante a Guerra Fria. É um país com uma história de guerras e armas, logo, não surpreende ao investir seu dinheiro em exoesqueletos para fins militares . ESTADOS UNIDOS
  23. 23. Exoskeleton (desenvolvido desde 2000) – Aumenta a força do usuário em até 20 vezes; para fins militares.
  24. 24. CHINA Foi na China Antiga que descobriram que o corpo humano se “move a eletricidade”. Durante séculos cientistas especularam se poderiam mexer dentro desse sistema elétrico para restaurar funções perdidas e reparar o corpo humano, como se o homem fosse mesmo uma máquina.
  25. 25. Em 2006, a ex-fuzileira norte americana Claudia Mitchell foi a primeira a receber um braço biônico: ao pensar no movimento desejado, impulsos elétricos vão até as células residuais do braço e são interpretados pelos eletrodos, então a prótese o realiza.
  26. 26. Por que aprender sobre ciborgues?
  27. 27. Ora objeto de fascínio, ora temido, ciborgues devem ser estudados porquê:
  28. 28. A) Há ciborgues entre nós.
  29. 29. “ Um terço da população mundial tem algum tipo de deficiência. Centenas de milhões usam próteses. Lentes de contato são próteses oculares, e ninguém estranha”. Hugh Herr Oscar Pistorius Hugh Herr
  30. 30. B) pelo sonho médico de melhorar as capacidades humanas
  31. 31. O 1º ciborgue (final dos anos 50) – foi um rato de laboratório: colocaram uma bomba osmótica que injetava substâncias químicas capazes de mudar seus padrões fisiológicos.
  32. 32. No dia 8 de outubro de 1958, o cirurgião cardíaco sueco Ake Senning, realizado o primeiro implante de marcapasso.
  33. 33. <ul><li>Tanya Vlach quer se tornar uma ciborgue ao colocar uma câmera com diversos aplicativos no lugar do olho que ela perdeu em 2005, tais como: Bluetooth wireless, USB drive e zoom. </li></ul>
  34. 34. C) Pelo que se espera
  35. 35. Idéias de Andy Clark Teoria da Mente Estendida. Ela defende que nós, seres humanos, somos naturalmente ciborgues ...
  36. 36. ... uma vez que sempre dependemos de novas tecnologias e que as incorporamos de modo que ela ampliam nossas mentes.
  37. 37. Idéias de Kevin Warwick Ele faz experimentos em sim mesmo, como o implante de chips, pois acredita que conseguiria tirar o ser humano de suas limitações ...
  38. 38. ... afinal, quem não gostaria de dar um upgrade no corpo? Acredita, então, que os ciborgues serão o próximo passo da evolução humana.
  39. 39. Idéias do Prof.º Dr. Antônio Augusto Quevedo Os ciborgues não seriam o próximo passo evolutivo enquanto a tecnologia “acoplada” ao nosso corpo tiver tempo limitado.
  40. 40. Para que nosso corpo não rejeite a máquina, ela precisaria ser de um material mais compatível com o nosso corpo, o que vem sendo estudado pela nanotecnologia, mas com um custo muito alto o que torna inacessível para a maior parte da população.
  41. 41. Conclusão
  42. 42. Com base no passado, vemos que o termo ciborgue é associado a duas características principais: a hibridização entre homem e máquina de modo que não sabemos mais ver a fronteira que separa os dois; e a auto-regulação do sistema homem-máquina.
  43. 43. No começo, o “tornar-se ciborgue” era com uma vestimenta, mais tarde, com implantes de chips e próteses mecânicas. No começo, para ajudar aqueles que não tinham corpos capazes para realizar algumas funções, mais tarde, também para ajudar os que tem mais dificuldade na realização de tarefas diárias.
  44. 44. Também foi possível perceber que o ciborgue não é usado apenas para estudos científicos, militares e medicinais, mas também como um recurso heurístico e como uma ferramenta de estudo ontológico.
  45. 45. Ciborgues e a História TECNOLOGIA E MÍDIAS DIGITAIS MÍDIAS DIGITAIS APLICADAS À EDUCAÇÃO Profª Ana Hessel PUC-SP / 1º Semestre de 2010 Gabriela Freitas Gerson Victor Leonardo Lauricella Thiago Mittermayer

×