SlideShare uma empresa Scribd logo
Centro Tecnológico, Engenharia Elétrica - UFESCentro Tecnológico, Engenharia Elétrica - UFES
SISTEMA SMART GRID DE TELEMETRIA NÃO INVASIVA PARA MONITORAMENTO DESISTEMA SMART GRID DE TELEMETRIA NÃO INVASIVA PARA MONITORAMENTO DE
CONSUMO, DETECÇÃO E COMUNICAÇÃO DE ANOMALIAS E FRAUDES DECONSUMO, DETECÇÃO E COMUNICAÇÃO DE ANOMALIAS E FRAUDES DE
ENERGIA UTILIZANDO TECNOLOGIA ARDUINOENERGIA UTILIZANDO TECNOLOGIA ARDUINO
Thiago Valfré Lecchi
Estagiário de Engenharia Elétrica – EDP Escelsa
Universidade Federal do Espírito Santo - UFES
2
Índice ufesufes
 1. Introdução
- Objetivos;
 2. Análise de Cenário
- O Setor Elétrico Brasileiro;
- Smart Grid: a rede de distribuição inteligente do futuro;
- Perdas não Técnicas Sobre o Sistema de Distribuição de Energia;
- O método de Combate às Perdas por Pré-Inspeção.
 3. Embasamento Teórico
- Teorema de Blondel: medição de potência em sistemas polifásicos;
- Transformadores de Corrente.
 4. Tecnologias Utilizadas
- Plataforma de Prototipagem Arduino;
- Tecnologia de Comunicação ZigBee.
 5. Proposta de Novo Método e Ferramenta de Inspeção de Fraude – Sistema Smart Grid de Telemetria Não Invasiva
-Versão #1: Dispositivo Medidor com Comunicação Bluetooth;
-Versao #2: Dispositivo Medidor com Comunicação ZigBee.
 6. Resultados
- Análise de Precisão;
- Análise de Viabilidade Econômica.
1. Introdução1. Introdução
4
ufesufesObjetivos
 Novo Método de Combate Às Perdas Não Técnicas de Energia Elétrica
- Implantação da Logística de Pré-Inspeção;
- Construção de Medidores Inteligentes para Pré-Inspeção.
 Protótipo de Medidor Inteligente
- Funcionalidade: precisão, flexibilidade; abrangência;
- Acessibilidade de Dados: centralização de rede de medição;
- Composição Estrutural Inteligente: tamanho, peso, tecnologia, autonomia;
- Viabilidade Econômica.
2. Análise de Cenário2. Análise de Cenário
6
ufesufesO Setor Elétrico Brasileiro
 Geração
- 70% do montante energético proveniente de UHE’s;
- Dependência de fatores climáticos (↓ autonomia);
- Fontes alternativas caras e poluentes:
. Termelétricas: carvão, diesel e gás.
- Necessidade de redução de demanda:
. Estímulo ao consumo consciente e
combate ao uso indiscriminado de
energia.
 Sistemas de Medição
- 92% eletromecânicos: precisão de ±2%;
- Leitura manual: sujeito a impedimentos;
- Controle de consumo sem registro de demanda;
- Alta susceptibilidade à fraudes (baixa segurança);
. Fraudes na rede e unidades de leitura;
. Demora na indicação de fraudes;
. Demora no combate à fraudes.
- Agente gerador (pela facilidade) de perdas
não técnicas.
UHE Itaipu Binacional, RS - Brasil
Medidor Eletromecânico
ufesufes
7
Smart Grid: a rede elétrica inteligente
Rede Atual
Sistema de distribuição de energia elétrica atual
ufesufes
8
Smart Grid: a rede elétrica inteligente
 Nova rede de distribuição inteligente, com total autonomia, controle, segurança e qualidade de
fornecimento de energia elétrica.
 Nova rede de distribuição inteligente, com total autonomia, controle, segurança e qualidade de
fornecimento de energia elétrica.
Rede Smart Grid
 Estímulo à práticas sustentáveis
- Ganho em autonomia: cogeração / micro geração e
comercialização de energia:
. Energia Solar, eólica, gás-natural
 Medição e gerenciamento total da rede
- Controle rígido da qualidade;
- Sistemática diferenciada de cobrança;
- Sistema de leitura e comunicação remoto preciso,
inviolável, em tempo real;
- Fraudes identificadas instantaneamente;
- Economia e assertividade em métodos de inspeção
de irregularidade / falha;
- Corte e ligação remota em tempo real;
- Redução de perdas não técnicas.
Sistema de distribuição de energia elétrica Smart Grid
ufesufes
9
Smart Grid: uma nova realidade
AES Eletropaulo - SP Celpe - PE
EDP Bandeirante - SPCocern - RN
10
O que são perdas não técnicas?
Transmissão
Distribuição
Geração
Perdas Técnicas:Perdas Técnicas:
-Efeito JouleEfeito Joule
-Perdas no Núcleo dePerdas no Núcleo de
TransformadoresTransformadores
-Perdas DielétricasPerdas Dielétricas
 “A perda não técnica é o montante de energia que é distribuída e consumida sem ser faturada” “A perda não técnica é o montante de energia que é distribuída e consumida sem ser faturada”
ufesufes
11
O que causa uma perda não técnica?
- Bypass (Gato)Bypass (Gato)
- Fraudes em MedidoresFraudes em Medidores
- Inversão de fasesInversão de fases
- Bypass (ligação direta)Bypass (ligação direta)
- Disco de leitura presoDisco de leitura preso
- Bobina do medidorBobina do medidor
desativadadesativada
- Condutor (medição)Condutor (medição)
desconectadodesconectado
- Manuseio do consumo:Manuseio do consumo:
retorno de ponteiros,retorno de ponteiros,
desconecção dedesconecção de
condutores (violação)condutores (violação)
- Manuseio do calibradorManuseio do calibrador
(medição intermitente)(medição intermitente)
IMPUNIDADEFACILIDADE
PERDAS
NECESSIDADE
 Triangulo de Perdas: Motivos que levam o cliente ao furto energético Triangulo de Perdas: Motivos que levam o cliente ao furto energético
ufesufes
12
Quais os impactos para a EDP?
 Consumidor Irregular
- Consumo 2,5 vezes maior que o regular.
 Bairros com complexidade social
- 30% das unidades com ligação clandestina;
- Perdas de 50% a 70% do montante fornecido.
 Montante de Energia Furtada no Espírito Santo
- Suficiente para alimentar a cidade de Vila Velha (183
mil unidades consumidoras).
 Repasse de perdas
- 9,27% máximo (ANEEL);
- Cenário atual: 17,26% (EDP).
Ligação Clandestina (Bypass ou “gato”)
Medidor adulterado
ufesufes
13
Como combater?
Dificuldade logística:
- Demora na execução do total de inspeções;
. Lentidez no combate → Aumento nas perdas;
- Alto gasto em mão de obra e tecnologia;
. Alocação de no mínimo 2 eletricistas (NR 10) +
veículo e equipamentos especializados.
Alto Índice de improdutividade em inspeções: 88%.
MÉTODO ATUAL: Inspeções Convencionais
Eletricistas em procedimento de inspeção convencional
ufesufes
Como Melhorar?!
14
Como combater?
 Economia:
- Elevada eficiência nas inspeções: 90%;
- Redução de custos (Pré inspeção = 1 eletricista isolado);
- Redução de perdas não técnicas;
- Equipamento de pequeno peso e dimensão, de fácil transporte e
instalação, baixo investimento e elevado Benefício/Custo.
 Precisão:
- Grande eficácia na identificação das irregularidades mais
incidentes (lig. clandestina, manipulação de medidor e derivações
na mureta).
 Continuidade:
- Não é necessário desligar a UC para realizar a pré-inspeção.
 Logística:
- Direcionamento preciso de equipes de inspeção
(maior produtividade).
MÉTODO PROPOSTO: Sistema não Invasivo para Leitura de Consumo e Detecção de
Furtos Energéticos em Pré Inspeções via Tecnologia Arduino
Propostas de Sistemas para Detecção de Fraude
ufesufes
ufesufes
2. Instalação de Dispositivo Leitor de
Pré-Inspeção
2. Instalação de Dispositivo Leitor de
Pré-Inspeção 3. Tratamento de Dados3. Tratamento de Dados3. Tratamento de Dados3. Tratamento de Dados2. Instalação de Dispositivo Leitor de
Pré-Inspeção
2. Instalação de Dispositivo Leitor de
Pré-Inspeção
2. Instalação de Dispositivo Leitor de
Pré-Inspeção
2. Instalação de Dispositivo Leitor de
Pré-Inspeção1. Triagem Computacional1. Triagem Computacional1. Triagem Computacional1. Triagem Computacional1. Triagem Computacional1. Triagem Computacional
15
Como funciona o projeto?
1) Seleção de clientes (banco de dados – SAP) por variação
decrescente de consumo (conceito 2σ (sigma))
2) De maneira rápida e fácil, tem-se o início da leitura, registro e
envio de consumo real.
3) Estudo de Resultados
-Registro (via cartão SD) e recepção sem fio de log de
dados (via bluetooth) e de curva de demanda on-line
(memória de massa via GPRS*)
-Comparação entre leitura de medidor e do sensor
-Avaliação de clientes em possível situação de fraude
energética
-Designação final de clientes selecionados para processo
de inspeção
Banco de Dados – EDP Escelsa (Sap – BW)
Instalação do Sistema de Medição – Funcionário utilizando
garra/bastão de manobra
Memória de Massa Padrão
EtapasEtapas
* Sistema ainda em adaptação
Garra de Leitura e Fixação do Sensor
Análise estatística de variação de consumo por desvio
padrão 2σ
3. Embasamento Teórico3. Embasamento Teórico
17
ufesufesTeorema de Blondel: Medição de Potência
 “A potência total entregue a um sistema de cargas por n condutores é dada pela soma algébrica indicada
por n wattímetros inseridos em cada um dos n fios, sendo a potência de referência de todos os n
wattímetros conectados a um ponto comum; este ponto comum pode ser conectado a um dos n
condutores, assim a potência total é dada por n-1 medidores de potência.”
 “A potência total entregue a um sistema de cargas por n condutores é dada pela soma algébrica indicada
por n wattímetros inseridos em cada um dos n fios, sendo a potência de referência de todos os n
wattímetros conectados a um ponto comum; este ponto comum pode ser conectado a um dos n
condutores, assim a potência total é dada por n-1 medidores de potência.”
Esquema de ligação Delta (triângulo)Esquema de ligação Y (Estrela)
�1 + �2 =
1
�
න (�𝐴�.�𝐴 + �𝐵�. � 𝐵 + �𝐶�.� 𝐶). 𝑑� = �
�
0
�1 = 𝑅�න�𝐴𝐶. �𝐴 ∗න
�2 = 𝑅�[�𝐵𝐶. � 𝐵 ∗]
Potência total entregue ao Sistema – Teorema de Blondel
18
ufesufesTransformadores de Corrente
Sistemas de Instrumentação e Medição
- Limitação física de níveis de
corrente e tensão de circuitos de
semicondutores;
Aplicação
- Reprodução no terminal secundário de forma
de onda de corrente similar à que circula no
primário, com amplitude reduzida linearmente
dezenas de vezes, possibilitando a leitura e
análise de sinal por parte dos circuitos de
processamento de dados
�1
�2
=
�2
�1
= 200
Relação de Transformação de Corrente Utilizada
Configuração TC + Burden Resistor - Entrada analógica de um Arduíno
(5V) - Sinal de entrada
4. Tecnologias Utilizadas4. Tecnologias Utilizadas
20
ufesufesArduino: Plataforma de Processamento
 Características de Destaque
- Baixo custo;
- Fácil programação e operação;
- Baixo peso e pequenas dimensões;
- Grande adaptabilidade ao uso de diversos tipos de
sensores / ferramentas / protocolos de comunicação;
- Interface Amigável: IDE Arduino;
 Características Técnicas
Micro controlador ATmega328
Tensão de operação 5 V
Tensão de entrada (recomendada) 7-12 V
Tensão de entrada (limites) 6-20 V
Pinos de entrada e saída (I/O) digitais 14 (6 -saídas PWM)
Pinos de entradas analógicas 16
Corrente DC por pino I/O 40 mA
Memória Flash 256 KB (dos quais 8KB são usados
para o bootloader)
SRAM/EEMPROM 8 KB / 4 KB
Velocidade de Clock 16 MHz
Características Técnicas da Placa Arduino UNO Diagrama de Pinagem
Plataforma de Prototipagem Eletrônica – Arduino Uno
ufesufes
21
ZigBee: Comunicação simples e eficaz
 IEEE 802.15.4: Novo padrão de comunicações sem fio (wireless) de baixo consumo, fácil configuração,
topologia variada e ampla empregabilidade em sensoriamento industrial e automação residencial.
 IEEE 802.15.4: Novo padrão de comunicações sem fio (wireless) de baixo consumo, fácil configuração,
topologia variada e ampla empregabilidade em sensoriamento industrial e automação residencial.
 Simples Multitopologia de Rede
- Star, Tree e Mesh;
- Distâncias de até 1 [Km] (série Pro);
- Coordenador, Roteador, End Service.
 Alta eficiência e Baixo Consumo
- 50 [mA] – Transmissão / Recepção;
- 0,3 [mA] – Stand By.
- 0,5 [μA] – Modo Sleep
 Multi-adaptabilidade do transmissor
- Conexão Serial: flexibilidade de integração
com sensores e periféricos;
 Baixo Custo
Multitopologia de rede
Módulo Transmissor Xbee Pró Séries S2 - ZigBee
5. Proposta de Novo Método e Ferramenta de5. Proposta de Novo Método e Ferramenta de
Inspeção de Fraude – Sistema Smart Grid deInspeção de Fraude – Sistema Smart Grid de
Telemetria Não InvasivaTelemetria Não Invasiva
 Plataforma de Processamento Arduíno
(microcontrolador Atmel AVR)
- Arduino Duemilanove
 Módulo Leitor/Gravador SD
- SD Card Module LC Studio
 Módulo de Temporização
- Clock Module RTC 12C
 Módulo Bluetooth
- JY MCU Bluetooth Module
 Garra – TC Sensor de Corrente
- Yhdc SCT-013-000 Current Transformer
ufesufes
23
Detalhamento Técnico – Proposta #1
Dispositivo Sensor e Transmissor Bluetooth
Medidor não Invasivo para Leitura de Consumo e Detecção de Furtos Energéticos
via Tecnologia Arduino com Comunicação Bluetooth
ufesufes
24
Detalhamento Técnico – Proposta #2
Sistema não Invasivo para Leitura de Consumo e Detecção de Furtos Energéticos via
Tecnologia Arduino com Comunicação ZigBee / PHP
 Plataforma de Processamento Arduíno
(microcontrolador Atmel AVR)
- Arduino Duemilanove
 Módulo Leitor/Gravador SD (Back-Up)
- SD Card Module LC Studio
 Módulo de Temporização
- Clock Module RTC 12C
 Garra – TC Sensor de Corrente
- Yhdc SCT-013-000 Current Transformer
 Módulo de Comunicação ZigBee
- Xbee XB24-Z7WIT-004 Digi (Séries S1)
Dispositivo Sensor e Transmissor ZigBee (End-Device)
ufesufes
25
Detalhamento Técnico – Proposta #2
Sistema não Invasivo para Leitura de Consumo e Detecção de Furtos Energéticos via
Tecnologia Arduino com Comunicação ZigBee / PHP
 Plataforma de Processamento Arduíno
(microcontrolador Atmel AVR)
- Arduino Duemilanove
 Módulo de Comunicação ZigBee
- Xbee XB24-Z7WIT-004 Digi (Séries S1)
 Módulo de Comunicação Ethernet
- ENC28J60
Dispositivo Receptor (Coordenador / Servidor)
6. Resultados6. Resultados
ufesufes
27
Análise de Precisão
Resultados
Carga
Tensão real
[V]
Tensão
estipulada
[V]
Corrente
real
[A]
Corrente
medidor [A]
Potência
estimada
[W]
Potência
real
[W]
Potência
medida
[W]
# 1
127,4 127
- 43,68 5500 - 5547,36
# 2 7.89 7,95 1000
1005,186 1009,65
# 3 6.80 6,89 900
866,32 875,03
# 4 3,18 3,29 400
405,132 417,83
# 5 2,38 2,46 300
303,212 312,42
#6 1,58 1,69 200
201,292 214,63
#7 0 0,08 0
0 10,16
Leitura Real x Leitura dos Sensores Desenvolvidos
Sistema não Invasivo para Leitura de Consumo e Detecção de Furtos Energéticos via
Tecnologia Arduino com Comunicação ZigBee / PHP
ufesufes
28
Análise de Precisão
Resultados
Carga
Divergência de Corrente
(medida – real)/real
Divergência de Potência
(medida – real)/real
# 1 0,87% 0,87%
# 2 0,76% 0,44%
# 3 1,32% 1,01%
# 4 3,46% 3,13%
# 5 3,36% 3,04%
# 6 6,96% 6,63%
Discrepância percentual - Leitura Real x Leitura dos Sensores Desenvolvidos
Sistema não Invasivo para Leitura de Consumo e Detecção de Furtos Energéticos via
Tecnologia Arduino com Comunicação ZigBee / PHP
ufesufes
29
Análise de Viabilidade Econômica
Detalhes do Projeto
Serviço / Produto / Investimento Valor
Custo médio da inspeção convencional de fraude (BT) R$ 45,45
Quantidade atual mensal de inspeções convencionais (2014) 11.368
Índice de sucesso com processo de inspeção atual (BT) 12%
Custo médio da pré-inspeção de fraude (BT) utilizando o sistema de medição
não invasivo (Arduíno)
R$ 9,09
Quantidade de inspeções convencionais por mês (2014) utilizando o sistema de
medição não invasivo (Arduíno)
1516
Percentual de Acerto do Procedimento de Pré-Inspeção 90%
Custo Estimado – Unidade End Device R$ 112,26
Unidades End Device necessárias 15.000
Custo Estimado – Unidade Coordinator R$ 111,93
Unidades Coordinator necessárias 1000
Sistema não Invasivo para Leitura de Consumo e Detecção de Furtos Energéticos via
Tecnologia Arduino com Comunicação ZigBee / PHP
12 meses
11.368 inspeções
45,45 reais
X __________________
R$ 6.200.107,20
1516 inspeções
45,45 reais
12 meses
X __________________
R$ 826.826,40
15.000*(112,26)
1000*(111,93)
+ __________________
R$ 1.795.830,00
6.200.107,20
- 1.240.021,44
- 826.826,40
- 1.795.830,00
__________________
R$ 2.337.429,36
Sistema não Invasivo para Leitura de Consumo e Detecção de Furtos Energéticos via
Tecnologia Arduino com Comunicação ZigBee / PHP
ufesufes
30
Análise de Viabilidade Econômica
Resultados
Cenário Atual Valor
Quantidade de Inspeções convencionais 11368
Custo anual das inspeções convencionais R$ 6.200.107,20
Cenário com Pré-Inspeção (utilização do sensor não
invasivo Arduíno)
Valor
Quantidade mensal de pré-inspeções 11368
Custo anual das pré-inspeções R$ 1.240.021,44
Quantidade necessária de inspeções convencionais 1516
Custo anual das inspeções convencionais R$ 826.826,40
Investimento – Construção dos protótipos para realizar as pré-
inspeções com sistema de medição não invasivo (Arduíno)
R$ 1.795.830,00
Economia total ao fim do 1º Ano de atuação R$ 2.337.429,36
Resultados
Cenário Atual Valor
Quantidade de Inspeções convencionais 11368
Custo anual das inspeções convencionais R$ 6.200.107,20
Cenário com Pré-Inspeção (utilização do sensor não
invasivo Arduíno)
Valor
Quantidade mensal de pré-inspeções 11368
Custo anual das pré-inspeções R$ 1.240.021,44
Quantidade necessária de inspeções convencionais 1516
Custo anual das inspeções convencionais R$ 826.826,40
Investimento – Construção dos protótipos para realizar as pré-
inspeções com sistema de medição não invasivo (Arduíno)
R$ 1.795.830,00
Economia total ao fim do 1º Ano de atuação R$ 2.261.455,30
Resultados
Cenário Atual Valor
Quantidade de Inspeções convencionais 11368
Custo anual das inspeções convencionais R$ 6.200.107,20
Cenário com Pré-Inspeção (utilização do sensor não
invasivo Arduíno)
Valor
Quantidade mensal de pré-inspeções 11368
Custo anual das pré-inspeções R$ 1.240.021,44
Quantidade necessária de inspeções convencionais 1516
Custo anual das inspeções convencionais R$ 826.826,40
Investimento – Construção dos protótipos para realizar as pré-
inspeções com sistema de medição não invasivo (Arduíno)
R$ 1.795.830,00
Economia total ao fim do 1º Ano de atuação R$ 4.133.259,36
ufesufes
6.200.107,20
- 1.240.021,44
- 826.826,40
__________________
R$ 4.133.259,36
31
Análise de Viabilidade Econômica
Sistema não Invasivo para Leitura de Consumo e Detecção de Furtos Energéticos via
Tecnologia Arduino com Comunicação ZigBee / PHP
.
OBRIGADO!
thiago.lecchi@edpbr.com.br
Universidade Federal do Espírito Santo - UFES
Centro Tecnológico
Departamento de Engenharia Elétrica - DEL
32
ufesufes

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Weg guia-de-especificacao-de-motores-eletricos-50032749-manual-portugues-br
Weg guia-de-especificacao-de-motores-eletricos-50032749-manual-portugues-brWeg guia-de-especificacao-de-motores-eletricos-50032749-manual-portugues-br
Weg guia-de-especificacao-de-motores-eletricos-50032749-manual-portugues-br
zetec10
 
Capteurs
CapteursCapteurs
8 transformadores de corrente
8   transformadores de corrente8   transformadores de corrente
8 transformadores de corrente
Cléber Lemos de Lima
 
Matlab simulink partie 2
Matlab simulink partie 2Matlab simulink partie 2
Matlab simulink partie 2
babaoui mohamed
 
Asp i -_aula_7
Asp i -_aula_7Asp i -_aula_7
Teste transformador
Teste transformadorTeste transformador
Teste transformador
Mikoian Rios Rios
 
Aula 2 eletroeletrônica
Aula 2   eletroeletrônicaAula 2   eletroeletrônica
Aula 2 eletroeletrônica
GIGLLIARA SEGANTINI DE MENEZES
 
Amplificador classe AB
Amplificador classe ABAmplificador classe AB
Amplificador classe AB
André Paiva
 
Contatores e relés
Contatores e relésContatores e relés
Contatores e relés
Antonio Carlos Pedrassi
 
Automação de Energia
Automação de EnergiaAutomação de Energia
Automação de Energia
Vitor Donaduzzi
 
01 amplificadores elementares transistorizados
01 amplificadores elementares transistorizados01 amplificadores elementares transistorizados
01 amplificadores elementares transistorizados
Universidade Federal de Santa Catarina
 
Lecture fet
Lecture fetLecture fet
Lecture fet
Syed HassanYousaf
 
Unit5 , LC Networks and Filters
Unit5 , LC Networks and FiltersUnit5 , LC Networks and Filters
Unit5 , LC Networks and Filters
ACE ENGINEERING COLLEGE
 
transformadores - ligações
transformadores - ligaçõestransformadores - ligações
transformadores - ligações
Almir Luis
 
03 Diagnóstico de Motores Eléctricos - Modos de Falha
03 Diagnóstico de Motores Eléctricos - Modos de Falha03 Diagnóstico de Motores Eléctricos - Modos de Falha
03 Diagnóstico de Motores Eléctricos - Modos de Falha
DMC Engenharia e Sistemas Ibéricos Lda
 
Laser semicondutor (bruno)
Laser semicondutor (bruno)Laser semicondutor (bruno)
Laser semicondutor (bruno)
Bruno Henrique Nunes
 
1 relatorio fonte de tensao tais
1 relatorio fonte de tensao tais1 relatorio fonte de tensao tais
1 relatorio fonte de tensao tais
Taís Cananéa
 
Diodos especiais
Diodos especiaisDiodos especiais
Diodos especiais
Alan de Souza
 
Componentes electrónicos
Componentes electrónicosComponentes electrónicos
Componentes electrónicos
Patricia Valente
 

Mais procurados (20)

Weg guia-de-especificacao-de-motores-eletricos-50032749-manual-portugues-br
Weg guia-de-especificacao-de-motores-eletricos-50032749-manual-portugues-brWeg guia-de-especificacao-de-motores-eletricos-50032749-manual-portugues-br
Weg guia-de-especificacao-de-motores-eletricos-50032749-manual-portugues-br
 
Capteurs
CapteursCapteurs
Capteurs
 
8 transformadores de corrente
8   transformadores de corrente8   transformadores de corrente
8 transformadores de corrente
 
Matlab simulink partie 2
Matlab simulink partie 2Matlab simulink partie 2
Matlab simulink partie 2
 
Cours machine asynchrone
Cours machine asynchroneCours machine asynchrone
Cours machine asynchrone
 
Asp i -_aula_7
Asp i -_aula_7Asp i -_aula_7
Asp i -_aula_7
 
Teste transformador
Teste transformadorTeste transformador
Teste transformador
 
Aula 2 eletroeletrônica
Aula 2   eletroeletrônicaAula 2   eletroeletrônica
Aula 2 eletroeletrônica
 
Amplificador classe AB
Amplificador classe ABAmplificador classe AB
Amplificador classe AB
 
Contatores e relés
Contatores e relésContatores e relés
Contatores e relés
 
Automação de Energia
Automação de EnergiaAutomação de Energia
Automação de Energia
 
01 amplificadores elementares transistorizados
01 amplificadores elementares transistorizados01 amplificadores elementares transistorizados
01 amplificadores elementares transistorizados
 
Lecture fet
Lecture fetLecture fet
Lecture fet
 
Unit5 , LC Networks and Filters
Unit5 , LC Networks and FiltersUnit5 , LC Networks and Filters
Unit5 , LC Networks and Filters
 
transformadores - ligações
transformadores - ligaçõestransformadores - ligações
transformadores - ligações
 
03 Diagnóstico de Motores Eléctricos - Modos de Falha
03 Diagnóstico de Motores Eléctricos - Modos de Falha03 Diagnóstico de Motores Eléctricos - Modos de Falha
03 Diagnóstico de Motores Eléctricos - Modos de Falha
 
Laser semicondutor (bruno)
Laser semicondutor (bruno)Laser semicondutor (bruno)
Laser semicondutor (bruno)
 
1 relatorio fonte de tensao tais
1 relatorio fonte de tensao tais1 relatorio fonte de tensao tais
1 relatorio fonte de tensao tais
 
Diodos especiais
Diodos especiaisDiodos especiais
Diodos especiais
 
Componentes electrónicos
Componentes electrónicosComponentes electrónicos
Componentes electrónicos
 

Destaque

Fabio cavaliere -_tecnologias_para_redução_de_perdas_não-técnicas
Fabio cavaliere -_tecnologias_para_redução_de_perdas_não-técnicasFabio cavaliere -_tecnologias_para_redução_de_perdas_não-técnicas
Fabio cavaliere -_tecnologias_para_redução_de_perdas_não-técnicas
Guilherme Soares
 
Centros de monitoramento 2013
Centros de monitoramento   2013Centros de monitoramento   2013
Centros de monitoramento 2013
João Rufino de Sales
 
SWBR2014 - Solução Inovadora de Smart Energy com 6LowPan e ZigBee - Artur Pol...
SWBR2014 - Solução Inovadora de Smart Energy com 6LowPan e ZigBee - Artur Pol...SWBR2014 - Solução Inovadora de Smart Energy com 6LowPan e ZigBee - Artur Pol...
SWBR2014 - Solução Inovadora de Smart Energy com 6LowPan e ZigBee - Artur Pol...
Marcia C. Santos
 
Fraudes nas relações de trabalho
Fraudes nas relações de trabalhoFraudes nas relações de trabalho
Fraudes nas relações de trabalho
roka2001
 
Energía eléctrica 123
Energía eléctrica 123Energía eléctrica 123
Energía eléctrica 123
alejayjoseph123
 
Panorama da comercialização de energia elétrica
Panorama da comercialização de energia elétricaPanorama da comercialização de energia elétrica
Panorama da comercialização de energia elétrica
Câmara de Comercialização de Energia Elétrica
 
Inadimplência e Corte de Energia Elétrica: a nova Res.414 da ANEEL
Inadimplência e Corte de Energia Elétrica: a nova Res.414 da ANEELInadimplência e Corte de Energia Elétrica: a nova Res.414 da ANEEL
Inadimplência e Corte de Energia Elétrica: a nova Res.414 da ANEEL
Ampla Energia S.A.
 
1. introdução à segurança com eletricidade.eps
1. introdução à segurança com eletricidade.eps1. introdução à segurança com eletricidade.eps
1. introdução à segurança com eletricidade.eps
MA Consultoria e Treinamentos LTDA
 
REDES INTELIGENTES E A SUA IMPLANTAÇÃO NO BRASIL
REDES INTELIGENTES E A SUA IMPLANTAÇÃO NO BRASILREDES INTELIGENTES E A SUA IMPLANTAÇÃO NO BRASIL
REDES INTELIGENTES E A SUA IMPLANTAÇÃO NO BRASIL
Marcos
 
Internet das Coisas com Coisas Reais: Java , Things API, Raspberry PI e Toys!
Internet das Coisas com Coisas Reais:  Java , Things API, Raspberry PI e Toys!Internet das Coisas com Coisas Reais:  Java , Things API, Raspberry PI e Toys!
Internet das Coisas com Coisas Reais: Java , Things API, Raspberry PI e Toys!
Globalcode
 
Energias renovaveis
Energias renovaveisEnergias renovaveis
Energias renovaveis
chiclete23
 
Arduino Day 2014 - Construindo um Medidor de Consumo de Energia Conectado à N...
Arduino Day 2014 - Construindo um Medidor de Consumo de Energia Conectado à N...Arduino Day 2014 - Construindo um Medidor de Consumo de Energia Conectado à N...
Arduino Day 2014 - Construindo um Medidor de Consumo de Energia Conectado à N...
Manoel Lemos
 
Energias Renovaveis
Energias RenovaveisEnergias Renovaveis
Energias Renovaveis
João Duarte
 
Disciplina de Gerenciamento de Riscos
Disciplina de Gerenciamento de RiscosDisciplina de Gerenciamento de Riscos
Disciplina de Gerenciamento de Riscos
Luthiano Vasconcelos
 
Trabalho de segurança em eletricidade nr 10
Trabalho de segurança em eletricidade nr 10Trabalho de segurança em eletricidade nr 10
Trabalho de segurança em eletricidade nr 10
Markkinhos
 
Energía azul
Energía azulEnergía azul
Energía azul
Carlos Alberto Rincon
 
TEDx Manchester: AI & The Future of Work
TEDx Manchester: AI & The Future of WorkTEDx Manchester: AI & The Future of Work
TEDx Manchester: AI & The Future of Work
Volker Hirsch
 

Destaque (17)

Fabio cavaliere -_tecnologias_para_redução_de_perdas_não-técnicas
Fabio cavaliere -_tecnologias_para_redução_de_perdas_não-técnicasFabio cavaliere -_tecnologias_para_redução_de_perdas_não-técnicas
Fabio cavaliere -_tecnologias_para_redução_de_perdas_não-técnicas
 
Centros de monitoramento 2013
Centros de monitoramento   2013Centros de monitoramento   2013
Centros de monitoramento 2013
 
SWBR2014 - Solução Inovadora de Smart Energy com 6LowPan e ZigBee - Artur Pol...
SWBR2014 - Solução Inovadora de Smart Energy com 6LowPan e ZigBee - Artur Pol...SWBR2014 - Solução Inovadora de Smart Energy com 6LowPan e ZigBee - Artur Pol...
SWBR2014 - Solução Inovadora de Smart Energy com 6LowPan e ZigBee - Artur Pol...
 
Fraudes nas relações de trabalho
Fraudes nas relações de trabalhoFraudes nas relações de trabalho
Fraudes nas relações de trabalho
 
Energía eléctrica 123
Energía eléctrica 123Energía eléctrica 123
Energía eléctrica 123
 
Panorama da comercialização de energia elétrica
Panorama da comercialização de energia elétricaPanorama da comercialização de energia elétrica
Panorama da comercialização de energia elétrica
 
Inadimplência e Corte de Energia Elétrica: a nova Res.414 da ANEEL
Inadimplência e Corte de Energia Elétrica: a nova Res.414 da ANEELInadimplência e Corte de Energia Elétrica: a nova Res.414 da ANEEL
Inadimplência e Corte de Energia Elétrica: a nova Res.414 da ANEEL
 
1. introdução à segurança com eletricidade.eps
1. introdução à segurança com eletricidade.eps1. introdução à segurança com eletricidade.eps
1. introdução à segurança com eletricidade.eps
 
REDES INTELIGENTES E A SUA IMPLANTAÇÃO NO BRASIL
REDES INTELIGENTES E A SUA IMPLANTAÇÃO NO BRASILREDES INTELIGENTES E A SUA IMPLANTAÇÃO NO BRASIL
REDES INTELIGENTES E A SUA IMPLANTAÇÃO NO BRASIL
 
Internet das Coisas com Coisas Reais: Java , Things API, Raspberry PI e Toys!
Internet das Coisas com Coisas Reais:  Java , Things API, Raspberry PI e Toys!Internet das Coisas com Coisas Reais:  Java , Things API, Raspberry PI e Toys!
Internet das Coisas com Coisas Reais: Java , Things API, Raspberry PI e Toys!
 
Energias renovaveis
Energias renovaveisEnergias renovaveis
Energias renovaveis
 
Arduino Day 2014 - Construindo um Medidor de Consumo de Energia Conectado à N...
Arduino Day 2014 - Construindo um Medidor de Consumo de Energia Conectado à N...Arduino Day 2014 - Construindo um Medidor de Consumo de Energia Conectado à N...
Arduino Day 2014 - Construindo um Medidor de Consumo de Energia Conectado à N...
 
Energias Renovaveis
Energias RenovaveisEnergias Renovaveis
Energias Renovaveis
 
Disciplina de Gerenciamento de Riscos
Disciplina de Gerenciamento de RiscosDisciplina de Gerenciamento de Riscos
Disciplina de Gerenciamento de Riscos
 
Trabalho de segurança em eletricidade nr 10
Trabalho de segurança em eletricidade nr 10Trabalho de segurança em eletricidade nr 10
Trabalho de segurança em eletricidade nr 10
 
Energía azul
Energía azulEnergía azul
Energía azul
 
TEDx Manchester: AI & The Future of Work
TEDx Manchester: AI & The Future of WorkTEDx Manchester: AI & The Future of Work
TEDx Manchester: AI & The Future of Work
 

Semelhante a Sistema Smart Grid de Telemetria Não Invasiva Para Monitoramento de Consumo, Detecção e Comunicação de Anomalias e Fraudes de Energia Utilizando Tecnologia Arduino

Leitor não Invasivo de Baixo Custo Para Leitura e Detecção de Furtos Energéti...
Leitor não Invasivo de Baixo Custo Para Leitura e Detecção de Furtos Energéti...Leitor não Invasivo de Baixo Custo Para Leitura e Detecção de Furtos Energéti...
Leitor não Invasivo de Baixo Custo Para Leitura e Detecção de Furtos Energéti...
Thiago Valfré Lecchi
 
E-poti: Palestra do Prof. Dr. Andre Aquino no E-poti
E-poti: Palestra do Prof. Dr. Andre Aquino no E-potiE-poti: Palestra do Prof. Dr. Andre Aquino no E-poti
E-poti: Palestra do Prof. Dr. Andre Aquino no E-poti
Carlos Carvalho
 
Monografia sobre Sistemas de Medição e Smart Grid
Monografia sobre Sistemas de Medição e Smart GridMonografia sobre Sistemas de Medição e Smart Grid
Monografia sobre Sistemas de Medição e Smart Grid
Rafael Carvalho da Silva
 
Ri a9
Ri a9Ri a9
Telenergia
TelenergiaTelenergia
Telenergia
TST Sistemas
 
MEMORIAL DESCRITIVO_VENINA.pdf
MEMORIAL DESCRITIVO_VENINA.pdfMEMORIAL DESCRITIVO_VENINA.pdf
MEMORIAL DESCRITIVO_VENINA.pdf
Faculdades Santo Agostinho
 
130936645 apostila-nr10-sep
130936645 apostila-nr10-sep130936645 apostila-nr10-sep
130936645 apostila-nr10-sep
Diego Sampaio
 
AULA 01-instrumentaçao elétrica
AULA 01-instrumentaçao elétricaAULA 01-instrumentaçao elétrica
AULA 01-instrumentaçao elétrica
IGORREHEM1
 
Aula 02 ene005
Aula 02 ene005Aula 02 ene005
Aula 02 ene005
Dorival Brito
 
Norma regulamentadora Nº 10 - Segurança em instalações e serviços em eletrici...
Norma regulamentadora Nº 10 - Segurança em instalações e serviços em eletrici...Norma regulamentadora Nº 10 - Segurança em instalações e serviços em eletrici...
Norma regulamentadora Nº 10 - Segurança em instalações e serviços em eletrici...
Lara Pantaleão
 
Introdução a transmissão SEP SISTEMA ELÉTRICO DE POTÊNCIA
Introdução a transmissão SEP SISTEMA ELÉTRICO DE POTÊNCIAIntrodução a transmissão SEP SISTEMA ELÉTRICO DE POTÊNCIA
Introdução a transmissão SEP SISTEMA ELÉTRICO DE POTÊNCIA
SilsoPaulodaSilva1
 
controle de consumo de energia eletrica - CONIC SEMESP
controle de consumo de energia eletrica - CONIC SEMESPcontrole de consumo de energia eletrica - CONIC SEMESP
controle de consumo de energia eletrica - CONIC SEMESP
Elaine Cecília Gatto
 
10.O Snt Aptel2009 Márcio Aneel - Pesquisa e Desenvolvimento para Rede Inteli...
10.O Snt Aptel2009 Márcio Aneel - Pesquisa e Desenvolvimento para Rede Inteli...10.O Snt Aptel2009 Márcio Aneel - Pesquisa e Desenvolvimento para Rede Inteli...
10.O Snt Aptel2009 Márcio Aneel - Pesquisa e Desenvolvimento para Rede Inteli...
Márcio Alcântara
 
18.ago esmeralda 11.00_187_celpe
18.ago esmeralda 11.00_187_celpe18.ago esmeralda 11.00_187_celpe
18.ago esmeralda 11.00_187_celpe
itgfiles
 
DA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdf
DA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdfDA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdf
DA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdf
Universidade Federal do Rio Grande - FURG
 
XIV CBE - MESA 5 - Mauricio arouca - 25 outubro 2012
XIV CBE - MESA 5 - Mauricio arouca - 25 outubro 2012XIV CBE - MESA 5 - Mauricio arouca - 25 outubro 2012
XIV CBE - MESA 5 - Mauricio arouca - 25 outubro 2012
CBE2012
 
ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DO NÚMERO DE MEDIDORES NA ESTIMAÇÃO DE ESTADOS EM SIST...
ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DO NÚMERO DE MEDIDORES NA ESTIMAÇÃO DE  ESTADOS EM SIST...ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DO NÚMERO DE MEDIDORES NA ESTIMAÇÃO DE  ESTADOS EM SIST...
ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DO NÚMERO DE MEDIDORES NA ESTIMAÇÃO DE ESTADOS EM SIST...
RodrigoRosa123504
 
Mce2a
Mce2aMce2a
Tecnologia para Licenciamento
Tecnologia para LicenciamentoTecnologia para Licenciamento
Tecnologia para Licenciamento
Portfolio de Patentes Inova Unicamp
 
18.ago topázio 14.45_392_aeselpa
18.ago topázio 14.45_392_aeselpa18.ago topázio 14.45_392_aeselpa
18.ago topázio 14.45_392_aeselpa
itgfiles
 

Semelhante a Sistema Smart Grid de Telemetria Não Invasiva Para Monitoramento de Consumo, Detecção e Comunicação de Anomalias e Fraudes de Energia Utilizando Tecnologia Arduino (20)

Leitor não Invasivo de Baixo Custo Para Leitura e Detecção de Furtos Energéti...
Leitor não Invasivo de Baixo Custo Para Leitura e Detecção de Furtos Energéti...Leitor não Invasivo de Baixo Custo Para Leitura e Detecção de Furtos Energéti...
Leitor não Invasivo de Baixo Custo Para Leitura e Detecção de Furtos Energéti...
 
E-poti: Palestra do Prof. Dr. Andre Aquino no E-poti
E-poti: Palestra do Prof. Dr. Andre Aquino no E-potiE-poti: Palestra do Prof. Dr. Andre Aquino no E-poti
E-poti: Palestra do Prof. Dr. Andre Aquino no E-poti
 
Monografia sobre Sistemas de Medição e Smart Grid
Monografia sobre Sistemas de Medição e Smart GridMonografia sobre Sistemas de Medição e Smart Grid
Monografia sobre Sistemas de Medição e Smart Grid
 
Ri a9
Ri a9Ri a9
Ri a9
 
Telenergia
TelenergiaTelenergia
Telenergia
 
MEMORIAL DESCRITIVO_VENINA.pdf
MEMORIAL DESCRITIVO_VENINA.pdfMEMORIAL DESCRITIVO_VENINA.pdf
MEMORIAL DESCRITIVO_VENINA.pdf
 
130936645 apostila-nr10-sep
130936645 apostila-nr10-sep130936645 apostila-nr10-sep
130936645 apostila-nr10-sep
 
AULA 01-instrumentaçao elétrica
AULA 01-instrumentaçao elétricaAULA 01-instrumentaçao elétrica
AULA 01-instrumentaçao elétrica
 
Aula 02 ene005
Aula 02 ene005Aula 02 ene005
Aula 02 ene005
 
Norma regulamentadora Nº 10 - Segurança em instalações e serviços em eletrici...
Norma regulamentadora Nº 10 - Segurança em instalações e serviços em eletrici...Norma regulamentadora Nº 10 - Segurança em instalações e serviços em eletrici...
Norma regulamentadora Nº 10 - Segurança em instalações e serviços em eletrici...
 
Introdução a transmissão SEP SISTEMA ELÉTRICO DE POTÊNCIA
Introdução a transmissão SEP SISTEMA ELÉTRICO DE POTÊNCIAIntrodução a transmissão SEP SISTEMA ELÉTRICO DE POTÊNCIA
Introdução a transmissão SEP SISTEMA ELÉTRICO DE POTÊNCIA
 
controle de consumo de energia eletrica - CONIC SEMESP
controle de consumo de energia eletrica - CONIC SEMESPcontrole de consumo de energia eletrica - CONIC SEMESP
controle de consumo de energia eletrica - CONIC SEMESP
 
10.O Snt Aptel2009 Márcio Aneel - Pesquisa e Desenvolvimento para Rede Inteli...
10.O Snt Aptel2009 Márcio Aneel - Pesquisa e Desenvolvimento para Rede Inteli...10.O Snt Aptel2009 Márcio Aneel - Pesquisa e Desenvolvimento para Rede Inteli...
10.O Snt Aptel2009 Márcio Aneel - Pesquisa e Desenvolvimento para Rede Inteli...
 
18.ago esmeralda 11.00_187_celpe
18.ago esmeralda 11.00_187_celpe18.ago esmeralda 11.00_187_celpe
18.ago esmeralda 11.00_187_celpe
 
DA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdf
DA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdfDA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdf
DA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdf
 
XIV CBE - MESA 5 - Mauricio arouca - 25 outubro 2012
XIV CBE - MESA 5 - Mauricio arouca - 25 outubro 2012XIV CBE - MESA 5 - Mauricio arouca - 25 outubro 2012
XIV CBE - MESA 5 - Mauricio arouca - 25 outubro 2012
 
ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DO NÚMERO DE MEDIDORES NA ESTIMAÇÃO DE ESTADOS EM SIST...
ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DO NÚMERO DE MEDIDORES NA ESTIMAÇÃO DE  ESTADOS EM SIST...ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DO NÚMERO DE MEDIDORES NA ESTIMAÇÃO DE  ESTADOS EM SIST...
ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DO NÚMERO DE MEDIDORES NA ESTIMAÇÃO DE ESTADOS EM SIST...
 
Mce2a
Mce2aMce2a
Mce2a
 
Tecnologia para Licenciamento
Tecnologia para LicenciamentoTecnologia para Licenciamento
Tecnologia para Licenciamento
 
18.ago topázio 14.45_392_aeselpa
18.ago topázio 14.45_392_aeselpa18.ago topázio 14.45_392_aeselpa
18.ago topázio 14.45_392_aeselpa
 

Último

AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024
AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024
AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024
Consultoria Acadêmica
 
AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024
AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024
AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024
Consultoria Acadêmica
 
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptxWorkshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
marcosmpereira
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
Consultoria Acadêmica
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
Consultoria Acadêmica
 
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
carlos silva Rotersan
 
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptxMAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
Vilson Stollmeier
 

Último (7)

AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024
AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024
AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024
 
AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024
AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024
AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024
 
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptxWorkshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
 
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
 
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptxMAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
 

Sistema Smart Grid de Telemetria Não Invasiva Para Monitoramento de Consumo, Detecção e Comunicação de Anomalias e Fraudes de Energia Utilizando Tecnologia Arduino

  • 1. Centro Tecnológico, Engenharia Elétrica - UFESCentro Tecnológico, Engenharia Elétrica - UFES SISTEMA SMART GRID DE TELEMETRIA NÃO INVASIVA PARA MONITORAMENTO DESISTEMA SMART GRID DE TELEMETRIA NÃO INVASIVA PARA MONITORAMENTO DE CONSUMO, DETECÇÃO E COMUNICAÇÃO DE ANOMALIAS E FRAUDES DECONSUMO, DETECÇÃO E COMUNICAÇÃO DE ANOMALIAS E FRAUDES DE ENERGIA UTILIZANDO TECNOLOGIA ARDUINOENERGIA UTILIZANDO TECNOLOGIA ARDUINO Thiago Valfré Lecchi Estagiário de Engenharia Elétrica – EDP Escelsa Universidade Federal do Espírito Santo - UFES
  • 2. 2 Índice ufesufes  1. Introdução - Objetivos;  2. Análise de Cenário - O Setor Elétrico Brasileiro; - Smart Grid: a rede de distribuição inteligente do futuro; - Perdas não Técnicas Sobre o Sistema de Distribuição de Energia; - O método de Combate às Perdas por Pré-Inspeção.  3. Embasamento Teórico - Teorema de Blondel: medição de potência em sistemas polifásicos; - Transformadores de Corrente.  4. Tecnologias Utilizadas - Plataforma de Prototipagem Arduino; - Tecnologia de Comunicação ZigBee.  5. Proposta de Novo Método e Ferramenta de Inspeção de Fraude – Sistema Smart Grid de Telemetria Não Invasiva -Versão #1: Dispositivo Medidor com Comunicação Bluetooth; -Versao #2: Dispositivo Medidor com Comunicação ZigBee.  6. Resultados - Análise de Precisão; - Análise de Viabilidade Econômica.
  • 4. 4 ufesufesObjetivos  Novo Método de Combate Às Perdas Não Técnicas de Energia Elétrica - Implantação da Logística de Pré-Inspeção; - Construção de Medidores Inteligentes para Pré-Inspeção.  Protótipo de Medidor Inteligente - Funcionalidade: precisão, flexibilidade; abrangência; - Acessibilidade de Dados: centralização de rede de medição; - Composição Estrutural Inteligente: tamanho, peso, tecnologia, autonomia; - Viabilidade Econômica.
  • 5. 2. Análise de Cenário2. Análise de Cenário
  • 6. 6 ufesufesO Setor Elétrico Brasileiro  Geração - 70% do montante energético proveniente de UHE’s; - Dependência de fatores climáticos (↓ autonomia); - Fontes alternativas caras e poluentes: . Termelétricas: carvão, diesel e gás. - Necessidade de redução de demanda: . Estímulo ao consumo consciente e combate ao uso indiscriminado de energia.  Sistemas de Medição - 92% eletromecânicos: precisão de ±2%; - Leitura manual: sujeito a impedimentos; - Controle de consumo sem registro de demanda; - Alta susceptibilidade à fraudes (baixa segurança); . Fraudes na rede e unidades de leitura; . Demora na indicação de fraudes; . Demora no combate à fraudes. - Agente gerador (pela facilidade) de perdas não técnicas. UHE Itaipu Binacional, RS - Brasil Medidor Eletromecânico
  • 7. ufesufes 7 Smart Grid: a rede elétrica inteligente Rede Atual Sistema de distribuição de energia elétrica atual
  • 8. ufesufes 8 Smart Grid: a rede elétrica inteligente  Nova rede de distribuição inteligente, com total autonomia, controle, segurança e qualidade de fornecimento de energia elétrica.  Nova rede de distribuição inteligente, com total autonomia, controle, segurança e qualidade de fornecimento de energia elétrica. Rede Smart Grid  Estímulo à práticas sustentáveis - Ganho em autonomia: cogeração / micro geração e comercialização de energia: . Energia Solar, eólica, gás-natural  Medição e gerenciamento total da rede - Controle rígido da qualidade; - Sistemática diferenciada de cobrança; - Sistema de leitura e comunicação remoto preciso, inviolável, em tempo real; - Fraudes identificadas instantaneamente; - Economia e assertividade em métodos de inspeção de irregularidade / falha; - Corte e ligação remota em tempo real; - Redução de perdas não técnicas. Sistema de distribuição de energia elétrica Smart Grid
  • 9. ufesufes 9 Smart Grid: uma nova realidade AES Eletropaulo - SP Celpe - PE EDP Bandeirante - SPCocern - RN
  • 10. 10 O que são perdas não técnicas? Transmissão Distribuição Geração Perdas Técnicas:Perdas Técnicas: -Efeito JouleEfeito Joule -Perdas no Núcleo dePerdas no Núcleo de TransformadoresTransformadores -Perdas DielétricasPerdas Dielétricas  “A perda não técnica é o montante de energia que é distribuída e consumida sem ser faturada” “A perda não técnica é o montante de energia que é distribuída e consumida sem ser faturada” ufesufes
  • 11. 11 O que causa uma perda não técnica? - Bypass (Gato)Bypass (Gato) - Fraudes em MedidoresFraudes em Medidores - Inversão de fasesInversão de fases - Bypass (ligação direta)Bypass (ligação direta) - Disco de leitura presoDisco de leitura preso - Bobina do medidorBobina do medidor desativadadesativada - Condutor (medição)Condutor (medição) desconectadodesconectado - Manuseio do consumo:Manuseio do consumo: retorno de ponteiros,retorno de ponteiros, desconecção dedesconecção de condutores (violação)condutores (violação) - Manuseio do calibradorManuseio do calibrador (medição intermitente)(medição intermitente) IMPUNIDADEFACILIDADE PERDAS NECESSIDADE  Triangulo de Perdas: Motivos que levam o cliente ao furto energético Triangulo de Perdas: Motivos que levam o cliente ao furto energético ufesufes
  • 12. 12 Quais os impactos para a EDP?  Consumidor Irregular - Consumo 2,5 vezes maior que o regular.  Bairros com complexidade social - 30% das unidades com ligação clandestina; - Perdas de 50% a 70% do montante fornecido.  Montante de Energia Furtada no Espírito Santo - Suficiente para alimentar a cidade de Vila Velha (183 mil unidades consumidoras).  Repasse de perdas - 9,27% máximo (ANEEL); - Cenário atual: 17,26% (EDP). Ligação Clandestina (Bypass ou “gato”) Medidor adulterado ufesufes
  • 13. 13 Como combater? Dificuldade logística: - Demora na execução do total de inspeções; . Lentidez no combate → Aumento nas perdas; - Alto gasto em mão de obra e tecnologia; . Alocação de no mínimo 2 eletricistas (NR 10) + veículo e equipamentos especializados. Alto Índice de improdutividade em inspeções: 88%. MÉTODO ATUAL: Inspeções Convencionais Eletricistas em procedimento de inspeção convencional ufesufes Como Melhorar?!
  • 14. 14 Como combater?  Economia: - Elevada eficiência nas inspeções: 90%; - Redução de custos (Pré inspeção = 1 eletricista isolado); - Redução de perdas não técnicas; - Equipamento de pequeno peso e dimensão, de fácil transporte e instalação, baixo investimento e elevado Benefício/Custo.  Precisão: - Grande eficácia na identificação das irregularidades mais incidentes (lig. clandestina, manipulação de medidor e derivações na mureta).  Continuidade: - Não é necessário desligar a UC para realizar a pré-inspeção.  Logística: - Direcionamento preciso de equipes de inspeção (maior produtividade). MÉTODO PROPOSTO: Sistema não Invasivo para Leitura de Consumo e Detecção de Furtos Energéticos em Pré Inspeções via Tecnologia Arduino Propostas de Sistemas para Detecção de Fraude ufesufes
  • 15. ufesufes 2. Instalação de Dispositivo Leitor de Pré-Inspeção 2. Instalação de Dispositivo Leitor de Pré-Inspeção 3. Tratamento de Dados3. Tratamento de Dados3. Tratamento de Dados3. Tratamento de Dados2. Instalação de Dispositivo Leitor de Pré-Inspeção 2. Instalação de Dispositivo Leitor de Pré-Inspeção 2. Instalação de Dispositivo Leitor de Pré-Inspeção 2. Instalação de Dispositivo Leitor de Pré-Inspeção1. Triagem Computacional1. Triagem Computacional1. Triagem Computacional1. Triagem Computacional1. Triagem Computacional1. Triagem Computacional 15 Como funciona o projeto? 1) Seleção de clientes (banco de dados – SAP) por variação decrescente de consumo (conceito 2σ (sigma)) 2) De maneira rápida e fácil, tem-se o início da leitura, registro e envio de consumo real. 3) Estudo de Resultados -Registro (via cartão SD) e recepção sem fio de log de dados (via bluetooth) e de curva de demanda on-line (memória de massa via GPRS*) -Comparação entre leitura de medidor e do sensor -Avaliação de clientes em possível situação de fraude energética -Designação final de clientes selecionados para processo de inspeção Banco de Dados – EDP Escelsa (Sap – BW) Instalação do Sistema de Medição – Funcionário utilizando garra/bastão de manobra Memória de Massa Padrão EtapasEtapas * Sistema ainda em adaptação Garra de Leitura e Fixação do Sensor Análise estatística de variação de consumo por desvio padrão 2σ
  • 16. 3. Embasamento Teórico3. Embasamento Teórico
  • 17. 17 ufesufesTeorema de Blondel: Medição de Potência  “A potência total entregue a um sistema de cargas por n condutores é dada pela soma algébrica indicada por n wattímetros inseridos em cada um dos n fios, sendo a potência de referência de todos os n wattímetros conectados a um ponto comum; este ponto comum pode ser conectado a um dos n condutores, assim a potência total é dada por n-1 medidores de potência.”  “A potência total entregue a um sistema de cargas por n condutores é dada pela soma algébrica indicada por n wattímetros inseridos em cada um dos n fios, sendo a potência de referência de todos os n wattímetros conectados a um ponto comum; este ponto comum pode ser conectado a um dos n condutores, assim a potência total é dada por n-1 medidores de potência.” Esquema de ligação Delta (triângulo)Esquema de ligação Y (Estrela) �1 + �2 = 1 � න (�𝐴�.�𝐴 + �𝐵�. � 𝐵 + �𝐶�.� 𝐶). 𝑑� = � � 0 �1 = 𝑅�න�𝐴𝐶. �𝐴 ∗න �2 = 𝑅�[�𝐵𝐶. � 𝐵 ∗] Potência total entregue ao Sistema – Teorema de Blondel
  • 18. 18 ufesufesTransformadores de Corrente Sistemas de Instrumentação e Medição - Limitação física de níveis de corrente e tensão de circuitos de semicondutores; Aplicação - Reprodução no terminal secundário de forma de onda de corrente similar à que circula no primário, com amplitude reduzida linearmente dezenas de vezes, possibilitando a leitura e análise de sinal por parte dos circuitos de processamento de dados �1 �2 = �2 �1 = 200 Relação de Transformação de Corrente Utilizada Configuração TC + Burden Resistor - Entrada analógica de um Arduíno (5V) - Sinal de entrada
  • 19. 4. Tecnologias Utilizadas4. Tecnologias Utilizadas
  • 20. 20 ufesufesArduino: Plataforma de Processamento  Características de Destaque - Baixo custo; - Fácil programação e operação; - Baixo peso e pequenas dimensões; - Grande adaptabilidade ao uso de diversos tipos de sensores / ferramentas / protocolos de comunicação; - Interface Amigável: IDE Arduino;  Características Técnicas Micro controlador ATmega328 Tensão de operação 5 V Tensão de entrada (recomendada) 7-12 V Tensão de entrada (limites) 6-20 V Pinos de entrada e saída (I/O) digitais 14 (6 -saídas PWM) Pinos de entradas analógicas 16 Corrente DC por pino I/O 40 mA Memória Flash 256 KB (dos quais 8KB são usados para o bootloader) SRAM/EEMPROM 8 KB / 4 KB Velocidade de Clock 16 MHz Características Técnicas da Placa Arduino UNO Diagrama de Pinagem Plataforma de Prototipagem Eletrônica – Arduino Uno
  • 21. ufesufes 21 ZigBee: Comunicação simples e eficaz  IEEE 802.15.4: Novo padrão de comunicações sem fio (wireless) de baixo consumo, fácil configuração, topologia variada e ampla empregabilidade em sensoriamento industrial e automação residencial.  IEEE 802.15.4: Novo padrão de comunicações sem fio (wireless) de baixo consumo, fácil configuração, topologia variada e ampla empregabilidade em sensoriamento industrial e automação residencial.  Simples Multitopologia de Rede - Star, Tree e Mesh; - Distâncias de até 1 [Km] (série Pro); - Coordenador, Roteador, End Service.  Alta eficiência e Baixo Consumo - 50 [mA] – Transmissão / Recepção; - 0,3 [mA] – Stand By. - 0,5 [μA] – Modo Sleep  Multi-adaptabilidade do transmissor - Conexão Serial: flexibilidade de integração com sensores e periféricos;  Baixo Custo Multitopologia de rede Módulo Transmissor Xbee Pró Séries S2 - ZigBee
  • 22. 5. Proposta de Novo Método e Ferramenta de5. Proposta de Novo Método e Ferramenta de Inspeção de Fraude – Sistema Smart Grid deInspeção de Fraude – Sistema Smart Grid de Telemetria Não InvasivaTelemetria Não Invasiva
  • 23.  Plataforma de Processamento Arduíno (microcontrolador Atmel AVR) - Arduino Duemilanove  Módulo Leitor/Gravador SD - SD Card Module LC Studio  Módulo de Temporização - Clock Module RTC 12C  Módulo Bluetooth - JY MCU Bluetooth Module  Garra – TC Sensor de Corrente - Yhdc SCT-013-000 Current Transformer ufesufes 23 Detalhamento Técnico – Proposta #1 Dispositivo Sensor e Transmissor Bluetooth Medidor não Invasivo para Leitura de Consumo e Detecção de Furtos Energéticos via Tecnologia Arduino com Comunicação Bluetooth
  • 24. ufesufes 24 Detalhamento Técnico – Proposta #2 Sistema não Invasivo para Leitura de Consumo e Detecção de Furtos Energéticos via Tecnologia Arduino com Comunicação ZigBee / PHP  Plataforma de Processamento Arduíno (microcontrolador Atmel AVR) - Arduino Duemilanove  Módulo Leitor/Gravador SD (Back-Up) - SD Card Module LC Studio  Módulo de Temporização - Clock Module RTC 12C  Garra – TC Sensor de Corrente - Yhdc SCT-013-000 Current Transformer  Módulo de Comunicação ZigBee - Xbee XB24-Z7WIT-004 Digi (Séries S1) Dispositivo Sensor e Transmissor ZigBee (End-Device)
  • 25. ufesufes 25 Detalhamento Técnico – Proposta #2 Sistema não Invasivo para Leitura de Consumo e Detecção de Furtos Energéticos via Tecnologia Arduino com Comunicação ZigBee / PHP  Plataforma de Processamento Arduíno (microcontrolador Atmel AVR) - Arduino Duemilanove  Módulo de Comunicação ZigBee - Xbee XB24-Z7WIT-004 Digi (Séries S1)  Módulo de Comunicação Ethernet - ENC28J60 Dispositivo Receptor (Coordenador / Servidor)
  • 27. ufesufes 27 Análise de Precisão Resultados Carga Tensão real [V] Tensão estipulada [V] Corrente real [A] Corrente medidor [A] Potência estimada [W] Potência real [W] Potência medida [W] # 1 127,4 127 - 43,68 5500 - 5547,36 # 2 7.89 7,95 1000 1005,186 1009,65 # 3 6.80 6,89 900 866,32 875,03 # 4 3,18 3,29 400 405,132 417,83 # 5 2,38 2,46 300 303,212 312,42 #6 1,58 1,69 200 201,292 214,63 #7 0 0,08 0 0 10,16 Leitura Real x Leitura dos Sensores Desenvolvidos Sistema não Invasivo para Leitura de Consumo e Detecção de Furtos Energéticos via Tecnologia Arduino com Comunicação ZigBee / PHP
  • 28. ufesufes 28 Análise de Precisão Resultados Carga Divergência de Corrente (medida – real)/real Divergência de Potência (medida – real)/real # 1 0,87% 0,87% # 2 0,76% 0,44% # 3 1,32% 1,01% # 4 3,46% 3,13% # 5 3,36% 3,04% # 6 6,96% 6,63% Discrepância percentual - Leitura Real x Leitura dos Sensores Desenvolvidos Sistema não Invasivo para Leitura de Consumo e Detecção de Furtos Energéticos via Tecnologia Arduino com Comunicação ZigBee / PHP
  • 29. ufesufes 29 Análise de Viabilidade Econômica Detalhes do Projeto Serviço / Produto / Investimento Valor Custo médio da inspeção convencional de fraude (BT) R$ 45,45 Quantidade atual mensal de inspeções convencionais (2014) 11.368 Índice de sucesso com processo de inspeção atual (BT) 12% Custo médio da pré-inspeção de fraude (BT) utilizando o sistema de medição não invasivo (Arduíno) R$ 9,09 Quantidade de inspeções convencionais por mês (2014) utilizando o sistema de medição não invasivo (Arduíno) 1516 Percentual de Acerto do Procedimento de Pré-Inspeção 90% Custo Estimado – Unidade End Device R$ 112,26 Unidades End Device necessárias 15.000 Custo Estimado – Unidade Coordinator R$ 111,93 Unidades Coordinator necessárias 1000 Sistema não Invasivo para Leitura de Consumo e Detecção de Furtos Energéticos via Tecnologia Arduino com Comunicação ZigBee / PHP
  • 30. 12 meses 11.368 inspeções 45,45 reais X __________________ R$ 6.200.107,20 1516 inspeções 45,45 reais 12 meses X __________________ R$ 826.826,40 15.000*(112,26) 1000*(111,93) + __________________ R$ 1.795.830,00 6.200.107,20 - 1.240.021,44 - 826.826,40 - 1.795.830,00 __________________ R$ 2.337.429,36 Sistema não Invasivo para Leitura de Consumo e Detecção de Furtos Energéticos via Tecnologia Arduino com Comunicação ZigBee / PHP ufesufes 30 Análise de Viabilidade Econômica Resultados Cenário Atual Valor Quantidade de Inspeções convencionais 11368 Custo anual das inspeções convencionais R$ 6.200.107,20 Cenário com Pré-Inspeção (utilização do sensor não invasivo Arduíno) Valor Quantidade mensal de pré-inspeções 11368 Custo anual das pré-inspeções R$ 1.240.021,44 Quantidade necessária de inspeções convencionais 1516 Custo anual das inspeções convencionais R$ 826.826,40 Investimento – Construção dos protótipos para realizar as pré- inspeções com sistema de medição não invasivo (Arduíno) R$ 1.795.830,00 Economia total ao fim do 1º Ano de atuação R$ 2.337.429,36
  • 31. Resultados Cenário Atual Valor Quantidade de Inspeções convencionais 11368 Custo anual das inspeções convencionais R$ 6.200.107,20 Cenário com Pré-Inspeção (utilização do sensor não invasivo Arduíno) Valor Quantidade mensal de pré-inspeções 11368 Custo anual das pré-inspeções R$ 1.240.021,44 Quantidade necessária de inspeções convencionais 1516 Custo anual das inspeções convencionais R$ 826.826,40 Investimento – Construção dos protótipos para realizar as pré- inspeções com sistema de medição não invasivo (Arduíno) R$ 1.795.830,00 Economia total ao fim do 1º Ano de atuação R$ 2.261.455,30 Resultados Cenário Atual Valor Quantidade de Inspeções convencionais 11368 Custo anual das inspeções convencionais R$ 6.200.107,20 Cenário com Pré-Inspeção (utilização do sensor não invasivo Arduíno) Valor Quantidade mensal de pré-inspeções 11368 Custo anual das pré-inspeções R$ 1.240.021,44 Quantidade necessária de inspeções convencionais 1516 Custo anual das inspeções convencionais R$ 826.826,40 Investimento – Construção dos protótipos para realizar as pré- inspeções com sistema de medição não invasivo (Arduíno) R$ 1.795.830,00 Economia total ao fim do 1º Ano de atuação R$ 4.133.259,36 ufesufes 6.200.107,20 - 1.240.021,44 - 826.826,40 __________________ R$ 4.133.259,36 31 Análise de Viabilidade Econômica Sistema não Invasivo para Leitura de Consumo e Detecção de Furtos Energéticos via Tecnologia Arduino com Comunicação ZigBee / PHP
  • 32. . OBRIGADO! thiago.lecchi@edpbr.com.br Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Elétrica - DEL 32 ufesufes

Notas do Editor

  1. -> Pontos escuros da nova saída lateral dispõe de lâmpadas provisórias.
  2. -> Pontos escuros da nova saída lateral dispõe de lâmpadas provisórias.
  3. -> Pontos escuros da nova saída lateral dispõe de lâmpadas provisórias.
  4. -> Pontos escuros da nova saída lateral dispõe de lâmpadas provisórias.
  5. -> Pontos escuros da nova saída lateral dispõe de lâmpadas provisórias.
  6. -> Pontos escuros da nova saída lateral dispõe de lâmpadas provisórias.
  7. -> Pontos escuros da nova saída lateral dispõe de lâmpadas provisórias.
  8. -> Pontos escuros da nova saída lateral dispõe de lâmpadas provisórias.
  9. -> Pontos escuros da nova saída lateral dispõe de lâmpadas provisórias.
  10. -> Pontos escuros da nova saída lateral dispõe de lâmpadas provisórias.
  11. -> Pontos escuros da nova saída lateral dispõe de lâmpadas provisórias.
  12. -> Pontos escuros da nova saída lateral dispõe de lâmpadas provisórias.
  13. -> Pontos escuros da nova saída lateral dispõe de lâmpadas provisórias.
  14. -> Pontos escuros da nova saída lateral dispõe de lâmpadas provisórias.
  15. -> Pontos escuros da nova saída lateral dispõe de lâmpadas provisórias.
  16. -> Pontos escuros da nova saída lateral dispõe de lâmpadas provisórias.
  17. -> Pontos escuros da nova saída lateral dispõe de lâmpadas provisórias.
  18. -> Pontos escuros da nova saída lateral dispõe de lâmpadas provisórias.
  19. -> Pontos escuros da nova saída lateral dispõe de lâmpadas provisórias.
  20. -> Pontos escuros da nova saída lateral dispõe de lâmpadas provisórias.
  21. -> Pontos escuros da nova saída lateral dispõe de lâmpadas provisórias.
  22. -> Pontos escuros da nova saída lateral dispõe de lâmpadas provisórias.
  23. -> Pontos escuros da nova saída lateral dispõe de lâmpadas provisórias.
  24. -> Pontos escuros da nova saída lateral dispõe de lâmpadas provisórias.