4

Íireharãtófio para o Desafio” Uilicani a

Design m:  Soma"

naun-uruguaio
f,  L
_Soul Social

'deiaseruetus

 
   

TREINAMENTO ABERTO

  . 
E Q VvÊ/ À/ÍLQÍÊÀÍ/  I
jk / uO «JLZÕÃ/ 

O 7

1 f'  f *...
Treinamento preparatório para o Desaño Unicamp 2015
Contexto

â
pm   gy Soul Social
4">       '1 Í' ideias e projetos

3133,',  DESAFIO
UNICAMP 2015

O
'oo'
. ..Ó einovação t...
Metodologia

 
   
   
     

ORGANIZAÇÃO

DAS 19H00 às 20H15
Exposição Teórica

DAS 20H30 às 22H00
Atividade Prática
em G...
ORGANIZAÇÃO

DAS 19H00 às 20H15
Exposição Teórica

DAS 20H30 às 22H00

Atividade Prática
em Grupo
FWÍEHÚHWEHÍD do
Arlçwewta

- rum¡ n: 
.ma.  mw»

s:  urmmmznsv
. r. 4hllwwr<laiuwvtuu

H tm dum" IH ¡Iu
Pmtdrvni! 

. Pnru...
Entendimento do
Ambiente

     
     

- Internet 2.0
- Cauda Longa

- Economia da Atenção

- Lei da Difusão da Inovação
Entendimento do
Problema

  

- Principios do Design Thinking
- Análise de Cenário
- Segmentação de Clientes
- Personas
- ...
Design da Solução

  
   

- Value Proposition Design
- Business Model Generation Canvas
Validação das
Hipóteses

  

- Desenvolvimento de Clientes
- Lean Startup
i ATTENTION _
l VW~A ECONOMY l

'Tú-l
. _ l

      
     
 
 

"~ If ,  _no.4_ ». . . .m-u u. ..

   
    
    

   
 

  ...
' -
IIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIUIIIIIIIIIIIIIIII
Chris Anderson - Diretor Executivo da Revista Wired -
outubro de 2004 - Livro em 2006

  

Numler ol:  results

emore gene...
Curva de Adoção de Tecnología

Innovators

Pioneiros
2,5%

Early Adopters

Visionários
13.5%

 

"O abismo'

 

Early Maio...
THOMAS H.  DAVENPORT

JOHN C.  BECK
A Éscalabilitlatle

Receitas
Entendimento do Problema

Principios do Design Thinking Anáhse do Camino personas

 
     
     

  

Fortune? 

ulumluí'
...
Pessoas
: inatividade

Principios do Design Thinking

Enigma: :

viabilidade
s¡ Inovaçõode CrcIodoDesrgnThrnkrng

Experiên...
liirzfÍi fr . -2

viabilidade
Inovação de
Experiência
Inovação
Emocional WOVGQÕO de
Processos
PESSOCIS Inovação TÊCHOIOglC...
Ciclo do Design Thinking

' 7

xi 60/;  a C 0
- 95% *e .  Gb '70
Ô @r QNQ' @(7357). 
Entender Observar Definir idem Protot...
Analise do Cenãrio

      
       
 

   

  
 

 
  
  

Onde? 

Desecrever o
local onde o
problema
ocorre. 

     
     ...
Personas

Personas são personagens fictícios que
representam seus clientes ideias.  São
desenhados com base em dados
demog...
Personas

Personas são personagens fictícios que
representam seus clientes ideias.  Sõo
desenhados com base em dados
demog...
Como são criadas? 

A ideia é agrupar informações
qualitativas e quantitativas para
desenhar seu cliente ideiaI,  seus

va...
Informações básicas para definir uma Persona

Background

- Detalhes básicos sobre as responsabilidades desta persona
- In...
Quais seus objetivos? 
i Objetivo principal
- Objetivos secundários

Quais seus desafios? 

~ Principal desafio para essa ...
Citações

Incluir citações,  frases ditas durante entrevistas,  que
representem bem sua persona.  Isto vai facilitar que o...
Mensagem de Marketing
Como você descreveria sua soluçõo para essa persona? 

Elevator Pitch

Faça uma descriçõo simples e ...
Projetado para: 

Modelo de Negócios - Mapa de Empatia

Perectiva do Cliente: 

SOFRIMENTO
na.  m. ..” mu. ..

wwvi/ .XPLA...
:. . E:  ta. ; __ _ A_ e. ,
'LEÊrTi (fgérã:  " ; Tlçlrllõl Í .  , . -.I.  ;içgx-(cm.  VAN/ ar a:  “di-*alílilllrram
lJÇl-í...
IDDQQU~'

IEIEIEIÚEIÊ 

    
  
  
 
 
 

l p'Í; DF_FAFJAWI/ Y_F'ELÊ_ÍÃ.  

“HHHHHHH

bbf/ Fiblãyfllíkkl _à l_ __ _W g x [...
lallãi 

.  l
 Í : l N fa* *z +5 - L_ “JA .  í›4l': líí; l ~
 j ç *gi/ L _; ;C" _Vírgula ij : É 

;  :: atiram n:  v I

f?...
f?  :É . l ÍÍ›:1n'L§| !l§ÍP-; I§tk= _5g§;  _ía
ÉLÇalu-arn : Eixo -fíallkl : mil
JLÇJHÉ' 319v» -ãtsr iniciaram

*r 1 vcilfí...
JÚÚEIÚÚD El
ÃQQQQQQ: : E¡
, ÍV I ? Elf

 V I P F I lvl F1 

crirxacíln:  kra,  Ífl'LEÊÍÍÃVEIQCÀ¡6131,.  I: nt»: :;exi: :t_...
JDUU
; QQÉÉÉÉ

w  i~l rl l e l  ›

wsz"" / ÍrlrT-¡IÍ1$k3§Íl= ÍÍfã1CÍ_l? -Êa.  .TÍIÍIÉ-IIÍÃÍICÍIÉI? ? C.  à ~_? ¡I_. _IIÍií...
Sua solução contribui para a
maximização dos ganhos e/ ou
minimização
dos sofrimentos do usuário? 

Job-to-be-done
Job-to-be-done

"Pessoas "contratam" produtos ou serviços [como
empresas contratam funcionários] unicamente em
função de t...
Íglíjjfqgíígqjffgm Éllüífmííilliifl

    

! u:tgrsssingrltaníiataqalnuu-Inraautm
, tn-In u-unavRy-: I- o IIKIJIII
: spiri...
Concorrentes

Empresas que oferecem o mesmo
produto ou serviço e operam com
modelos de negócio semelhantes.
u. 

-~ E. f“ií| ;í1í'e: §íã  -fjiuef *Í¡_(V“â3_i"ú'fÍ'â! i”i"I ¡TÍ! JET¡*ÍÍÍ'. TÊ*ÍIÉA~ e: 
1;.   _: ¡=: i*“~, ~'iin__; :...
Substitutos

Quais as soluções utilizadas pelo cliente
para resolver o mesmo ¡oroblema que
você identificou.
Quais são as alternativas
que o cliente encontra
para resolver os
problemas?
Colocando-se no lugar do
cliente» o que seria valor e
como ele avalia a melhor
opção?  (quais os critérios
utilizados na t...
l : e l l f ll _Ig Hi5::   el:  H”&: ÉÉL: ÊÉL:  E3?- (7 fill @É lfl Circula» Í, l.Ã_lÍ_l? .,l,  list** E7

 

ELI (Í) l' ....
Novo Modelo de Negócios da Apple

1998 Mp3 Player - Coréia
_ Janeiro 2001
.  4V M _
r' OLP
iTunes' 

/ 

/
1979 Sony Walkman
1998 Mp3 Player- Coréia
1999 Napster
as

w¡

peer-to-peer music
Janeiro 2001
Outubro 2001
' : '!'S. 'r, ._ '21  n  :  - 't , ._ :  P5. : :_': ':"3.'r: :_':  2'11", 

#uu- ¡à-n--ul- ¡mr-un- ¡tí--I- ¡Ibn---I- ¡át-I...
Design da Solução

Tha Valua Proposition canvas

  Business Model Canvas
The Value Proposition canvas

l: 

Value Proposition Customer Segment

Gain Creators

Products
B.  Services

lllllllâ

Pai...
Business Model Canvas

O seu Modelo de Negócios eo seu Produto! 

Hclaziona
memo
/ Kx
4 O
a
n

    

() que é um modelo dc...
,registar "    e n

 ~ «a    *r  , a 
,  .  ararassrepasírsl:   v:  
~ ~' .   “weaw

5,; 
Bl”
Nl H, H 

1
0 seu Modelo de Negócios é o seu Produto! 

Relaciona-
mento

 
     

 
     
 

   
   
 

Atividades

Chave Segmento de...
Validação das
Hipóteses

 
    

(Zoslulncr Dcvclopnlcnl
Modelo desenvolvido por Steve Blank

Lean Startup

Modelo para ge...
:É:  :l ; to at: : @la . V75Hettlfl! lllliljjl_tElJQÍKÍI-ril;  *íÍlit-girtiÍi-jfá

«í . ~  Ji¡ llslclf-. Tswúsllaol-LÍKQEL...
1?. : 1J". ';_r: í:: -* ! lr llll~'lll_l_illll_llr'fljl_l_líl_lJJÍ'“ ! IJ '-1' 'i'Ísl_l'-tr_llI'-: :=

lizlclfíigH: lgtíat...
Lean Startup

Modelo para gestão de startups
desenvolvido por Eric Ries  

"Uma startup é uma instituição humana
tentando ...
. .  .   *b 

n .  V'

A 'ttgllsüljsistag s, 
 tanta: : _ ; ij

riiáiiiàii 4:9í-1i! ¡s. 'iii'u“ i “ * °” "

  
 

, ___, -...
MVP

Minimum Viable Product Produto Minimo Viável

O MVP tem como definição "o mínimo conjunto de
funcionalidades que perm...
Velocidade

Otimização
Prematura

  

Ciclo de
Aprendizado
Otimo

      

 Aprendizado

Ficar sem
recursos

UJHÊTIÍH
is 4 fases do Desenvolvimento de Clientes

rula:  Apcendlugem e Damian¡ Íllnlçlot Crescimento e [sala

Vdidasá" niniiiiisi...
Atividades Práticas

Em grupos de 4 a 5 pessoas

     
     

- Definir o Problema
- Definir os Segmentos de Clientes
- El...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Treinamento Aberto - BMG Canvas - Desafio Unicamp 2015

451 visualizações

Publicada em

Apresentação utilizada no Treinamento Aberto oferecido pela Soul Social | ideias e projetos em parceria com a Liga Empreendedora da Unicamp para os monitores do Desafio Unicamp 2015 e aberta aos alunos da universidade.
O treinamento passa por uma análise das mudanças estruturais ocorridas no Século XXI, caminha por conceitos da Cauda Longa, Economia da Abundância, Economia da Atenção e segue no entendimento dos processos de difusão da inovação para depois entrar nas ideias do Design Thinking e percorrer os passos parra Segmentação de Clientes e definição da Proposição de Valor.
Em seguida trata do Canvas de Modelo de Negócios e das metodologias de Desenvolvimento de Clientes e Lean Startup.

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
451
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Treinamento Aberto - BMG Canvas - Desafio Unicamp 2015

  1. 1. 4 Íireharãtófio para o Desafio” Uilicani a Design m: Soma" naun-uruguaio
  2. 2. f, L _Soul Social 'deiaseruetus TREINAMENTO ABERTO . E Q VvÊ/ À/ÍLQÍÊÀÍ/ I jk / uO «JLZÕÃ/ O 7 1 f' f *A . Â/L/ Út/ Óí/ É/ A 4/03 A terça-feira 19:00 local: CB-01 J TEE: : . EM PREENDEDDRA'
  3. 3. Treinamento preparatório para o Desaño Unicamp 2015
  4. 4. Contexto â pm gy Soul Social 4"> '1 Í' ideias e projetos 3133,', DESAFIO UNICAMP 2015 O 'oo' . ..Ó einovação tecnológica
  5. 5. Metodologia ORGANIZAÇÃO DAS 19H00 às 20H15 Exposição Teórica DAS 20H30 às 22H00 Atividade Prática em Grupo C Can1inho a ser percorrido
  6. 6. ORGANIZAÇÃO DAS 19H00 às 20H15 Exposição Teórica DAS 20H30 às 22H00 Atividade Prática em Grupo
  7. 7. FWÍEHÚHWEHÍD do Arlçwewta - rum¡ n: .ma. mw» s: urmmmznsv . r. 4hllwwr<laiuwvtuu H tm dum" IH ¡Iu Pmtdrvni! . Pnrupm m mu. mw¡ . lr-nunk mm. .ygmavlxrluík : wo . Pnu M . Lmrruxra A uam. . n.4,. mt» . ..m . Muizd¡ : mam u. . auwu . rm -oporms ommaww-icç( (hmm . u. .. suma wqgn : r r : :now › v r r "mwvlnon ¡Jsyw Caminho a ser percorrido
  8. 8. Entendimento do Ambiente - Internet 2.0 - Cauda Longa - Economia da Atenção - Lei da Difusão da Inovação
  9. 9. Entendimento do Problema - Principios do Design Thinking - Análise de Cenário - Segmentação de Clientes - Personas - Entrevista de Design - Mapa da Empatia - Análise da Competição
  10. 10. Design da Solução - Value Proposition Design - Business Model Generation Canvas
  11. 11. Validação das Hipóteses - Desenvolvimento de Clientes - Lean Startup
  12. 12. i ATTENTION _ l VW~A ECONOMY l 'Tú-l . _ l "~ If , _no.4_ ». . . .m-u u. .. vnoms n. mvzumn l' r v M JOHN C. IEC¡ l » A . , 4 : :nun-nun-
  13. 13. ' - IIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIUIIIIIIIIIIIIIIII
  14. 14. Chris Anderson - Diretor Executivo da Revista Wired - outubro de 2004 - Livro em 2006 Numler ol: results emore generic more Spccíçít '>
  15. 15. Curva de Adoção de Tecnología Innovators Pioneiros 2,5% Early Adopters Visionários 13.5% "O abismo' Early Maiority Late Maiority Laggards Pragmáticos conservadores Tradiocionalistas 34% 34% 16% Adaptado de Geoffrey Moore ("Crossing the Chasm' e 'Inside lhe Tornado?
  16. 16. THOMAS H. DAVENPORT JOHN C. BECK
  17. 17. A Éscalabilitlatle Receitas
  18. 18. Entendimento do Problema Principios do Design Thinking Anáhse do Camino personas Fortune? ulumluí' _ Desümrã Idcnrmcar as ix_ x SIIIIBCRD Em QUE possiveis molrvos Tí; - _ . _ n r-mblm! para o problema ç _ , . «me w---v / z Qual é u problema? Sua solução cnnlrihil¡ para a ¡nwndcmjn 0 “Cmadn »uma &yócvun . uma : ng-n f_ ' maximização dos ; unhas c un r. í m r in. - r rue : x; .; ›' [MPU '“¡“¡'“¡7^“ã° . . _. .. . dus wfrimcnlm du usuário? K: :I | : : l l: _luh-lo-hc-dnnc
  19. 19. Pessoas : inatividade Principios do Design Thinking Enigma: : viabilidade s¡ Inovaçõode CrcIodoDesrgnThrnkrng Experiência l ~ r Entender Observar Definir . deh, .Know, 195.3, »aan Tetnalogia *mn - Iurliliiliiluilr
  20. 20. liirzfÍi fr . -2 viabilidade Inovação de Experiência Inovação Emocional WOVGQÕO de Processos PESSOCIS Inovação TÊCHOIOglCI atrativídade Fundorm' Illclíhilirlatlc
  21. 21. Ciclo do Design Thinking ' 7 xi 60/; a C 0 - 95% *e . Gb '70 Ô @r QNQ' @(7357). Entender Observar Definir idem Prototipar Testar “ZL w 0 'x5 0 ' a ã; @É eg¡ @Gê
  22. 22. Analise do Cenãrio Onde? Desecrever o local onde o problema ocorre. Quem? Porque? Identificar o perfil de quem sofre o problema. Quando? Descrever a situação em que o problema ocorre. Identificar os possíveis motivos para o problema. Qual é o problema?
  23. 23. Personas Personas são personagens fictícios que representam seus clientes ideias. São desenhados com base em dados demográficos, comportamentos, perfil pessoal, motivações e preocupações Quais seus objetivos? - Objetivo principal - Objetivos serunaarras Quais seus desafios? . vnrrrraai desafio puro essa persona ser bem sucedida - Desafios secundários Como podemos ajudã-la? › rarna aruaar a persona a superar seus uesarros - cama ainda¡ a aersarra a arrrrgrr seus amem-ms EFSOHGS Como são criadas? A ideia é agrupar informações qualitativas e quantitativas para desenhar seu cliente ideial, seus valores, e como suo solução se encaixa nas necessidades deste cliente Citações Incluir citações, frases ditas durante entrevistas. que representem bem sua persona Isto vo¡ facilitar que uurras pessoas compreendam bem sua aersarra Preocupações frequentes Identificar as objeções mais frequentes da persona durante o processa de vendas, Informações básicas para definir uma Persona Background ~ Deraines báuwn whre as iespoowoiiidndes aesrrr puwnn - informações (mw sobre a empresa em que essa persur-a xmaaim r iniomiaçóes remar-res saare rarrrraraa acadêmica e naaares mam Dar-agarrar; - Sem › rana eram , nenaa [umiliar › Lrearie onde rearie Caracteristicas/ observada uuc podem mfmcnunr na seu negócio Mensagem de Marketing (uma você descreveria sua solução paro essa persona? Elen/ ator Pitch Faça uma descrição simples e consistente de sua solução
  24. 24. Personas Personas são personagens fictícios que representam seus clientes ideias. Sõo desenhados com base em dados demográficos, comportamentos, perfil pessoal, motivações e preocupações
  25. 25. Como são criadas? A ideia é agrupar informações qualitativas e quantitativas para desenhar seu cliente ideiaI, seus valores, e como sua solução se encaixa nas necessidades deste chente
  26. 26. Informações básicas para definir uma Persona Background - Detalhes básicos sobre as responsabilidades desta persona - Informações chave sobre a empresa em que essa persona trabalha - Informações relevantes sobre formação acadêmica e hobbies Dados Demográficos - Sexo - Faixa etária - Renda familiar - Cidade onde reside Características/ Observações Que podem influenciar no seu negócio
  27. 27. Quais seus objetivos? i Objetivo principal - Objetivos secundários Quais seus desafios? ~ Principal desafio para essa persona ser bem sucedida ~ Desafios secundários Como podemos ajudá-la? - Como ajudar a persona a superar seus desafios - Como ajudar a persona a atingir seus objetivos
  28. 28. Citações Incluir citações, frases ditas durante entrevistas, que representem bem sua persona. Isto vai facilitar que outras pessoas compreendam bem sua persona. Preocupações frequentes Identificar as objeções mais frequentes da persona durante o processo de vendas.
  29. 29. Mensagem de Marketing Como você descreveria sua soluçõo para essa persona? Elevator Pitch Faça uma descriçõo simples e consistente de sua soluçõo
  30. 30. Projetado para: Modelo de Negócios - Mapa de Empatia Perectiva do Cliente: SOFRIMENTO na. m. ..” mu. .. wwvi/ .XPLANE. com ou. .. sua. futura uma. . ¡oum-u-vm-tumwccm ¡aqmnumpmw : ouahnvsaw uugnpaenuuamimmv temia NSA e FAZ? _q_ ueuúmnmwum_p_u. nmn . .n-humana mgmmunumgapmmnu› o ane eae/ eia u rên . ..um . mo-uam. - ! Canaa . ..n-v : cancao-una: :amu-nun: nm_n. n.». .-_. ... › me slow. : [70 F17 7 cru-un. | dn-nnúuwlnilm z . .n. _-. .u›. ›.. .amu› lbltnnnlluumuvvlnlannuúrmi Projetado por: GANHOS a. ..- _mm_ wanna. ..” . ..um Data: Interação: www. : mu( ñnuvm
  31. 31. :. . E: ta. ; __ _ A_ e. , 'LEÊrTi (fgérã: " ; Tlçlrllõl Í . , . -.I. ;içgx-(cm. VAN/ ar a: “di-*alílilllrram lJÇl-ílrl": :cjugfrzltr abaixar etgvsfiaxrxauí* ? =L, l;: lela¡'r'rl ; Sto ; iam-z f-. Icrlígcs-'QK' ALJÇAcI-ç? íilçxo »flar lriírcirr'rralçjíic› altar. líâlflpfítílifrlâãíi" ” " "a Ínããlãããã , e , uumuunmu: 4gJD= =': _aant ? h
  32. 32. IDDQQU~' IEIEIEIÚEIÊ l p'Í; DF_FAFJAWI/ Y_F'ELÊ_ÍÃ. “HHHHHHH bbf/ Fiblãyfllíkkl _à l_ __ _W g x [puma u 'LJ; -.1L. i;i'ri~i rarailrr~narikeslmíftlaxâiexsfiat? íÍ'. «tnr*rx~t JU 2.4: I . Ju-pr ; um gIFI*ÍÍíÍTÍ: Í°'-TI; ÍIÍ'§5I'F'FÂÉ"° 5°” F11: l Cfua ai. :Eâ'rÍA“tr! -L cíflzja' JEÊLJQILI? :ÊÍÇHU «il-gl rrficillal. o lrifltxairlrífralj' Í í-_Tl ' = =mnml» *-mlil n Paàl
  33. 33. lallãi . l Í : l N fa* *z +5 - L_ “JA . í›4l': líí; l ~ j ç *gi/ L _; ;C" _Vírgula ij : É ; :: atiram n: v I f? - - 'V -1 ” "Tl-? hnny 1, qu: : l I rali¡ 1 s: l f 'LU apura ? italianavjggllfçjgiçyx? iai. ;um a-srm ; xaLx-«cr-. n. tcp-ra ala. ;Irlríl-ç* ”IT*Z -l 'rãfur- ÇIIJSVÊÍÍ' cillgaar em: '; :1!lÍc:1li-: :r: )l›7' z* : sãeluailç: ;Em CBL VFIEÚCIÍQQ : cunho: .a1 . =_5;11r. .n; fira›: : : :la-lim ; lêl-Ífãlíhlb-r" fl Alirrltlñairiia f : c . j. l ' #rm dirá» :
  34. 34. f? :É . l ÍÍ›:1n'L§| !l§ÍP-; I§tk= _5g§; _ía ÉLÇalu-arn : Eixo -fíallkl : mil JLÇJHÉ' 319v» -ãtsr iniciaram *r 1 vcilfíeücgl : cí: l1i“: “Ii a *Ílrílnjgxclfialínjgefgqr m m, ' lLal: tÉ'lÍllCl“'-dhl ; t-, uerçnrnngiciíitgi ; um ginkilkvzcji' ' ~ i quina: :: lei czaríiiylsíiríllãlattlsgíiiactsiwaarmtgs* I a h iiíxú-ikanvu¡ acirilliíxo; guiar-qr c» : ma: -_ . -1 iv; a: Cl @me alla. :gx-çiaúmhí' E IIIEIEI: _; _;__I_. ..L. ¡aüEII: IEI EIEIEID. IDEIEIEIDEIEIUEID 'i0
  35. 35. JÚÚEIÚÚD El ÃQQQQQQ: : E¡ , ÍV I ? Elf V I P F I lvl F1 crirxacíln: kra, Ífl'LEÊÍÍÃVEIQCÀ¡6131,. I: nt»: :;exi: :t_. IcI«: »za *Lxãltrail : Liar rrraúrtn' : rrr_. rrii"r= .nr; ,ãjt«: t~-i: ' ; *., li; «.lt, iar «àilâsitíuâztlici: : «iju-_r »rasteira : irma: alan. a* ; xau «-: l;i~r«qtc› cru ãkjigflíilfñlci) JB güllgilLAlãk ¡t-«czcsz ant-l. 19ml. r'r¡aa<: :lr: › «fikar aeütrrriiiã'
  36. 36. JDUU ; QQÉÉÉÉ w i~l rl l e l › wsz"" / ÍrlrT-¡IÍ1$k3§Íl= ÍÍfã1CÍ_l? -Êa. .TÍIÍIÉ-IIÍÃÍICÍIÉI? ? C. à ~_? ¡I_. _IIÍiírT4-Í? §1FÍTI, . DÊ UD DE DD DD DD DÊ MDE FEIl-ll-l - k «Fi f» e. . (VRML-n ql¡ l KI a : à: 1 x¡ +2 1 'LD curar allan. raiailrnçirika Çj! l§li'Cc1rmg3!ÚE. cm aiílnglrí' l lJíuílrrlí' allan, 'caracter <: ›;1!lcI= _L$1cJi; ” ÊÍ-Í-: HEÍÊL c: : ; ncxsnuakL -ülnúrlinclãk site: :lucia: !mr ; mv-gl _= .iíl'rx;41i' : anus: «zilzir-giitvz-: L-'ãl Jbmmmmmmüümmt
  37. 37. Sua solução contribui para a maximização dos ganhos e/ ou minimização dos sofrimentos do usuário? Job-to-be-done
  38. 38. Job-to-be-done "Pessoas "contratam" produtos ou serviços [como empresas contratam funcionários] unicamente em função de tarefas que têm a realizar para resolver um problema. Um job-to-be-done é uma motivação íntima/ básica/ fundamental, muitas vezes inconsciente, que a pessoa tem" Clemente Nobrega
  39. 39. Íglíjjfqgíígqjffgm Éllüífmííilliifl ! u:tgrsssingrltaníiataqalnuu-Inraautm , tn-In u-unavRy-: I- o IIKIJIII : spirit-sll-»Iélantgmil-nsa¡¡te! ¡EIIÍGH ! ongunmslgãj-ia-tlat-&qu¡nlpmrillltnna N t . _m_¡fi_n_j_ _J b ! i-mtttmnlltútavrílltztilzn-: tt-niltaiuita , mIñIIHñ-llüai-Inlç-Hl -Im-l- (mantem: 'ujít-Itílau¡ Ilê-m . ?flêñ ¡ Í . v A . ÍÀLHIÉMÉÍIÃJLHÍIÉHIJ_HIÍÍVQKI çhltum'j"íh“çm^ll"mg“r"ít" ctucuulnrsug_ussxnr~r 0.11 Éñthixtllhlllííü h tLIluo-rlllsultr- Quintino gn”"°'”"'~'“°'“”*m"“lk°'*"” iva-institui»-ctruxumkrztsn-u! sairam-m Àl-Hmlliuçjlqgrvuàx ¡outlo-sltmnntltinn_u, ttnl_l, triu' , tn/ ri tem 65110.1: mu¡ tormjfutuoia. uiuñtuiftgçuutbrneuanimam Illlltmritçxfvuuituunríkuíkv f (Matuto) _guriiiltnrurusi” ' YBJÍJÍÍQIHHEI , tsatrsrmiríh espirituais ; ruraltucssxrsvulurmsieusrmipxujrílil j H! ).I_l_¡! )~. *¡ , ttujiranmrsrustcsx 'i
  40. 40. Concorrentes Empresas que oferecem o mesmo produto ou serviço e operam com modelos de negócio semelhantes.
  41. 41. u. -~ E. f“ií| ;í1í'e: §íã -fjiuef *Í¡_(V“â3_i"ú'fÍ'â! i”i"I ¡TÍ! JET¡*ÍÍÍ'. TÊ*ÍIÉA~ e: 1;. _: ¡=: i*“~, ~'iin__; :r: rc: : : nfáiâiftrí ! Q1391 e: ETÃÍÍLFEIÍFVI no i“iâret: :r'iín«: › 'I“I'_I°TE. Í'*ÍÍT. K'ÍÍi(Í3' vinte “iv/ c nte;
  42. 42. Substitutos Quais as soluções utilizadas pelo cliente para resolver o mesmo ¡oroblema que você identificou.
  43. 43. Quais são as alternativas que o cliente encontra para resolver os problemas?
  44. 44. Colocando-se no lugar do cliente» o que seria valor e como ele avalia a melhor opção? (quais os critérios utilizados na tomada de decisão) Mnun R/ lnrdoln rlo Monr/ rlnc rlrl Annlo
  45. 45. l : e l l f ll _Ig Hi5:: el: H”&: ÉÉL: ÊÉL: E3?- (7 fill @É lfl Circula» Í, l.Ã_lÍ_l? .,l, list** E7 ELI (Í) l' . rÊÍlg l fiffçõisfí l IE"? f* 7lf f'i. !.l'*: %,l, sÍiís'Êí l" ? Fi f* ÉJ.
  46. 46. Novo Modelo de Negócios da Apple 1998 Mp3 Player - Coréia _ Janeiro 2001 . 4V M _ r' OLP iTunes' / /
  47. 47. 1979 Sony Walkman
  48. 48. 1998 Mp3 Player- Coréia
  49. 49. 1999 Napster as w¡ peer-to-peer music
  50. 50. Janeiro 2001
  51. 51. Outubro 2001
  52. 52. ' : '!'S. 'r, ._ '21 n : - 't , ._ : P5. : :_': ':"3.'r: :_': 2'11", #uu- ¡à-n--ul- ¡mr-un- ¡tí--I- ¡Ibn---I- ¡át-II-u-r- ¡à-n--r--I ¡àí---U- l i l i l i l i l à l 1 l É l
  53. 53. Design da Solução Tha Valua Proposition canvas Business Model Canvas
  54. 54. The Value Proposition canvas l: Value Proposition Customer Segment Gain Creators Products B. Services lllllllâ Pain Relievers o m Strategyzer m¡ u. .." cfmyrvís um. curvatura": ;mam strategyzenoom cemgn Bauman uma! ¡uunnry . o
  55. 55. Business Model Canvas O seu Modelo de Negócios eo seu Produto! Hclaziona memo / Kx 4 O a n () que é um modelo dc negócios? Criado por Alexander Osterwalder e Yves Pigneur '. l. ()| ( / N LJ
  56. 56. ,registar " e n ~ «a *r , a , . ararassrepasírsl: v: ~ ~' . “weaw 5,; Bl” Nl H, H 1
  57. 57. 0 seu Modelo de Negócios é o seu Produto! Relaciona- mento Atividades Chave Segmento de Clientes Parcerias Estratégicas Custos Principais Fluxos de Receita
  58. 58. Validação das Hipóteses (Zoslulncr Dcvclopnlcnl Modelo desenvolvido por Steve Blank Lean Startup Modelo para gestao de startups desenvolvido por Eric Ries y ls l lhe¡ do Desenvolvimento de (Ilenm Lean Startup . na (É) N' SAIA DO PRÉDIO!
  59. 59. :É: :l ; to at: : @la . V75Hettlfl! lllliljjl_tElJQÍKÍI-ril; *íÍlit-girtiÍi-jfá «í . ~ Ji¡ llslclf-. Tswúsllaol-LÍKQEL-tm; Qleugslêtalihl asssuéztensmnnaanteo; limitar -. - . -: e-m e--v _ _, - If ! Hivmitàlt-. L "'""*t**'* . oasrçx. -a_r~, fj'_, 5u. -ri-. rr. rg. .r-. - t_ êit-Idlfletcttw. .já 'l| v9lámr'dn5“n*-__r': l 't ilaichtitêkn : r 1', éluolàsbidb' g u' n* t , _Í, Hr, __, __. lml t'| §l! L1g= ,Igl9)l! loIlt'i§g totais» ! I Cíatuílutslliie -gtçnttgg Lowe: ! r-Jusimilar: lrexàlittenienhtamtéh* 7: 1 -uu-Ai _ r. .r, .§V-: :r s_ sçses , arv-
  60. 60. 1?. : 1J". ';_r: í:: -* ! lr llll~'lll_l_illll_llr'fljl_l_líl_lJJÍ'“ ! IJ '-1' 'i'Ísl_l'-tr_llI'-: := lizlclfíigH: lgtíatolsittustatiro-; Illakíselíletihr a . '- 'lalll-lt-tài-ir ¡' _EíM-(niirdit-, n A¡ ç ' 53114051 ãiiáutiaâ j, ›, r-' : teen-grata: -e , r t' Vl 'M r ! u 5111-3239 glstitlloilêlatgtíããlhi 3131511512?! LTíL-Htlioutatitísislíttfzllan _ã_ q_ _e_ a u-. s amamentar» I¡ «sem -al-. r ll_ : lgvotggtítdier _l ilaumitélã¡ -. ~ u' 5.' I : :rear/ insistente - Ju: Natglítsll! ? C “Junta§le~9renlute~are› Fllêitfilil!
  61. 61. Lean Startup Modelo para gestão de startups desenvolvido por Eric Ries "Uma startup é uma instituição humana tentando se desevolver num ambiente de . ,, w extrema Incerteza. ' Lean Startup Acelere esse cliclo! i3; A. K ~'? /?”§ 3~ a” #fi Matter* Aprenda
  62. 62. . . . *b n . V' A 'ttgllsüljsistag s, tanta: : _ ; ij riiáiiiàii 4:9í-1i! ¡s. 'iii'u“ i “ * °” " , ___, -_. ^;= ~4%~_ ' - 'áíívík- _- _ l “ '. , ; i w , t, *r ”_ e " s' v . “i . ' V ~ -'r › . . . 3511!) y V . _ _ M
  63. 63. MVP Minimum Viable Product Produto Minimo Viável O MVP tem como definição "o mínimo conjunto de funcionalidades que permite uma ação e aprendizado sobre os clientes ou usuários". Sua origem remete ao mantra release early, release often das metodologias ágeis de desenvolvimento, prática que coloca o feedback real dos usuários como norte da evolução do software.
  64. 64. Velocidade Otimização Prematura Ciclo de Aprendizado Otimo Aprendizado Ficar sem recursos UJHÊTIÍH
  65. 65. is 4 fases do Desenvolvimento de Clientes rula: Apcendlugem e Damian¡ Íllnlçlot Crescimento e [sala Vdidasá" niniiiiisisn polos aii-moi do nvuñçio A Busca porum Neqrxlo OCYeSClmeMO do Negocio o àiuíll' do Produto . io Mercado UCDCI IVUlVIUU 'JUI LI IL. “ICD L "Uma Startup é uma instituição humana tentando se desevolver num ambiente de extrema incerteza. " Lea n Sta rt u p Acelere esse didol íaiiãmi: 'N' 1 ' V É” A tirei: l
  66. 66. Atividades Práticas Em grupos de 4 a 5 pessoas - Definir o Problema - Definir os Segmentos de Clientes - Elaborar a Proposição de Valor - Esboçar o Modelo de Negócios

×