Eco111 - Aula 01

332 visualizações

Publicada em

Apresentação da Aula 01 do curso de Plano de Negócios da Escola de Extensão do Instituto de Economia da UNICAMP, para os cursos de Estratégia Empresarial e Economia Financeira.
Apresentação preparada pelo Professor Giancarlo Ciola.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
332
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • ECO 111 - Plano de Negócios Prof. Giancarlo Ciola Instituto de Economia da Unicamp
  • ECO 111 - Plano de Negócios Prof. Giancarlo Ciola Instituto de Economia da Unicamp
  • Eco111 - Aula 01

    1. 1. Primeira aula1) Apresentação da turma (alunos e professores)2) Pacto de Convivência Pacífica • Horário • Celular • Presença2) Definir a Avaliação3) Introdução à disciplina4) Atividade Individual
    2. 2. plano denegócios
    3. 3. PLANO DE NEGÓCIOS• O que é? – Documento que descreve os objetivos de um negócio e quais passos devem ser dados para que esses objetivos sejam alcançados da melhor forma, diminuindo os riscos e as incertezas.• Para que? – Constituição de uma empresa até aos seus movimentos de expansão ou incorporação de novos processos ou produtos.
    4. 4. • A elaboração de PNs deve constituir-se em suporte conceitual para: – Levantar dinheiro; – Planejar o futuro; e – Controlar os progressos de qualquer empreendimento.• PN serve como instrumento de melhoria das possibilidades de sucesso do negócio.
    5. 5. empresa ? ? ? ? ? ? ?? mercado
    6. 6. CONCEITOS IMPORTANTES (1/2)• EMPRESA – Unidade de acumulação de capital cujo objetivo é ocupar e sustentar dinamicamente uma posição no mercado; – Faz isso, através da geração continuada de excedentes (lucro), obtidos por meio da produção e venda de bens ou serviços de qualquer natureza destinados a satisfazer necessidades ou desejos.
    7. 7. CONCEITOS IMPORTANTES (2/2)• MERCADO – Clientes: conjuntos de indivíduos que necessitam e podem adquirir bens ou serviços para determinadas finalidades – Indústria / Concorrência: conjuntos de empresas produtoras de bens (ou serviços) com destinação semelhante e resultados de processos de produção relativamente homogêneos, passíveis de diferenciação em modelos, faixa de renda, faixa etária, etc.
    8. 8. EMPREENDIMENTO CAPITALISTA
    9. 9. COMO CONSTRUIR O PNIdentificação da Elaboração, Redação Oportunidade Análise de do de Mercado Viabilidade Plano de (anteprojeto) e Avaliação do Negócios Projeto
    10. 10. ROTEIRO PARA COMPOSIÇÃO1. Descrição do Negócio: resumo dos conceitos e definições da oportunidade; identificação dos riscos e definição de estratégias para minimizá-los.2. Estudo do Mercado e Posicionamento Estratégico: descrição dos mercados consumidor e fornecedor; caracterização da concorrência; identificação da capacidade competitiva do novo empreendimento.3. Engenharia do Projeto: descrição do processo de produção, fluxogramas, lay-out, etc.; justificativas da localização.4. Projeção das grandezas econômicas e financeiras: plano anual de produção e vendas; descrição das máquinas e equipamentos utilizados e respectivos valores de investimentos e custos; descrição do tipo de trabalho humano utilizado; identificação dos materiais utilizados e respectivos custos; abordagem completa da composição dos investimentos (fixos e de giro), da estrutura dos custos e receitas e do resultado econômico, dos custos unitários, dos preços unitários de venda dos produtos ou serviços, etc.5. Análise do Projeto: estudo da viabilidade econômico-financeira: determinação do ponto de nivelamento, da margem de segurança; da margem de lucro, rotação do capital e taxa e período de retorno do capital.
    11. 11. EMPREENDEDORES,EMPREENDIMENTOS E SISTEMAS ECONÔMICOS LOCAIS
    12. 12. • O pleno desenvolvimento de um projeto depende não apenas dos fatores relacionados aos indivíduos ou grupos diretamente envolvidos, mas, também de fatores de ordem mais geral que compõem o conjunto, comumente denominado de “Sistema Econômico Local”• Sistema Local de Inovação: componentes mantém intensas relações econômicas de caráter técnico- especializado e, via de regra, de natureza inovadora
    13. 13. SISTEMA LOCAL DE INOVAÇÃO• Empresas de qualquer tipo e tamanho, que praticam a inovação – Empresas de Base Tecnológica (EBTs): aquela que incorporando grau elevado de conhecimento científico em seus produtos / processos e mantêm atividades estruturadas de P&D.• Instituições de Ensino e Pesquisa Científica;• Instituições de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico
    14. 14. Ciclo empreendedor e o contexto do Sistema Local de Inovação
    15. 15. Empreendimentos na Região Metropolitana de Campinas (RMC)• RMC = bom exemplo de Sistema Local de Inovação• ICTs, empresas e incubadoras (Ciatec, Softex, InovaSoft, Incamp) +150 empresas, +4500 pessoas (2008)
    16. 16. O PROCESSO EMPREENDEDOR• Principais características relacionadas às trajetórias individuais, às redes de relações profissionais e ao contexto sócio econômico• Fontes principais: pesquisa do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e pesquisas Instituto de Economia (UNICAMP)
    17. 17. Processo empreendedor: motivações para empreenderBID: pesquisa realizada com amostra de 169 empresas no Brasil
    18. 18. Processo empreendedor: aquisição das competênciasBID: pesquisa realizada com amostra de 169 empresas no Brasil
    19. 19. Processo empreendedor: identificação de oportunidades %Fonte T otalExperiências em trabalhos/atividades anteriores 78,1Interação/discussão com outras pessoas 71,0Participação em feiras comerciais 37,3Revistas 29,0Leitura de jornais 26,0Leitura de artigos acadêm icos 13,0Ou tros 8,9Internet 8,3T elevisão, radio 4,1M édia de mençoes 2,8BID: pesquisa realizada com amostra de 169 empresas no Brasil
    20. 20. Processo empreendedor: perfil dos empreendedores quanto ao grau de escolaridade BID: pesquisa realizada com amostra de 169 empresas no Brasil
    21. 21. Principais problemas nos 3 primeiros anosBID: pesquisa realizada com amostra de 169 empresas no Brasil
    22. 22. Características comuns• América Latina e Leste Asiático: – Os novos empresários são predominantemente homens, com formação superior (graduação / pós-graduação) e criaram sua empresa entre os 30 e 35 anos de idade, – Formaram equipes de sócios com especializações e habilidades complementares e usaram, principalmente, economias pessoais para montar o negócio, – Iniciaram seus negócios atendendo às demandas de outras empresas, seja de outras PMEs ou de grandes firmas. – Experiência anterior de trabalho e redes de contatos tem papel fundamental.
    23. 23. onde estãoasoportunidades
    24. 24. RECONHECENDO OPORTUNIDADES DE MERCADO (1/8)• Identificação de Necessidades • Premissa: “todo negócio deve atender às necessidades dos consumidores”; • Um exemplo muito simples de aplicação dessa fórmula seria prestar atenção nas queixas das pessoas e tentar solucioná-las; • Forma mais geral de reconhecimento de oportunidades de negócios.
    25. 25. RECONHECENDO OPORTUNIDADES DE MERCADO (2/8)• Observação de deficiências – Premissa: “Todo negócio pode ser aperfeiçoado” (produtos, nos processos produtivos, administrativos, comerciais, financeiros, etc.) – O que é um negócio “melhor”? Aquele que oferece o mesmo valor por preço menor ou mais valor por preço igual ou menos do que proporcionalmente maior.
    26. 26. RECONHECENDO OPORTUNIDADES DE MERCADO (3/8)• Observação de tendências – Premissa: “Assim como economia apresenta ciclos de funcionamento dinâmico, os negócios e os produtos têm ciclos de vida ou prazos de validade econômica” - Há um contínuo impulso para a mudança no interior do sistema produtivo – Processo é fortemente influenciado pela capacidade de observação das tendências econômicas, sejam as globais - que se referem aos grandes movimentos econômicos mundiais - ou específicas - que abrangem as relações mais diretas / imediatas do negócio; sejam as estruturais, sejam as conjunturais.
    27. 27. RECONHECENDO OPORTUNIDADES DE MERCADO (4/8)• Derivação da ocupação atual – Baseada na idéia de que o empreendedor conhece profundamente o tipo de empreendimento e acredita que “se o negócio fosse dele, faria melhor do que o que está sendo feito” – Talvez seja a forma mais simples e comum de abrir-se um novo negócio. – ”Learning by doing”: empregar-se no tipo de empresa que pretende montar, aprender o seu funcionamento, as razões de sucesso ou fracasso, e, em seguida, após ter absorvido todo o conhecimento necessário, montar seu próprio negócio.
    28. 28. RECONHECENDO OPORTUNIDADES DE MERCADO (5/8)• Procura de outras aplicações – Novas ou melhores aplicações para soluções (produtivas / administrativas / comerciais) já disponíveis
    29. 29. RECONHECENDO OPORTUNIDADES DE MERCADO (6/8)• Exploração de hobbies – Premissa: ”se eu gosto de fazer algo é possível e provável que outros também gostem” – Parte do aproveitamento ou da exploração dos conhecimentos adquiridos em função de um gosto ou de habilidade individual, muito desenvolvidos. – A oportunidade se concretiza com o desenvolvimento de um produto (bem ou serviço) que satisfaça tal gosto.
    30. 30. RECONHECENDO OPORTUNIDADES DE MERCADO (7/8)• Lançamento de moda – Premissa: “explorar o encanto, passageiro ou recorrente, de uma idéia original” – É possível criar empreendimentos para suprir “surtos” de demanda por determinados bens ou serviços que podem ser atendidos por empreendimentos criados apenas para isso. – É muito comum observar-se negócios que se transformam em “modismos”, com ciclo de vida muito curto e poucos deles duram mais tempo, ou derivam para outros mercados correlatos.
    31. 31. RECONHECENDO OPORTUNIDADES DE MERCADO (8/8)• Imitação do sucesso alheio – Premissa: “se algum empreendimento de pequeno porte está dando certo, pode caber mais um” – Parte do procedimento de observar os fundamentos dos concorrentes melhor sucedidos, que ocupam as posições mais destacadas no segmento, e imitá-los (benchmark), – A forma menos arriscada de iniciar um investimento próprio e mais adotada pelos novos empreendedores: bons e competentes “seguidores” podem tornar-se “inovadores”.
    32. 32. Atividade 1• Atividade 1 – Individual: Auto-avaliação do Perfil Empreendedor (apostila, pag. 35)

    ×