História Geral - Primeira Opção

632 visualizações

Publicada em

Slides contentos as primeiras aulas de história geral do cursinho popular primeira opção.

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
632
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

História Geral - Primeira Opção

  1. 1. HG.01 Paleolítico Neolítico Idade dos Metais Civilizações do Oriente
  2. 2. Paleolítico • 2,5 milhões de anos a.C. – 10 mil anos a.C • Idade da Pedra lascada – Instrumentos com base nas pedras lascadas e também ossos • Sobreviviam de coleta, pesca e caça. • Povos nômades • Descobrimento do fogo e domínio do fogo foi o elemento mais importante desse período
  3. 3. A arte • A arte do paleolítico surge com mais força na porção final entre 30 mil a 10mil anos a.C. • A arte expressa um pouco da alma com representações do cotidiano e inicio de culto a deuses menores (principalmente figuras femininas) • Lascaux na França é um dos maiores sitios arqueológicos com esculturas e pinturas, vocês podem viajar pela gruta através do site francês – http://www.lascaux.culture.fr/#/fr/00.xml • Aqui é um documentário pra quem se interessar mais pelas questões da arte na pré história – http://www.youtube.com/watch?v=WNbWHLU-U4o
  4. 4. Neolítico • Grande Revolução (G.R.) – Revolução Verde, Revolução da Agricultura, Revolução Neolítica • Domesticação de animais • Cultivo de plantas G.R. • O pastoreio e a agricultura • Idade da Pedra Polida • Sedentarização do Homem
  5. 5. Sedentarização • Não definitiva • Mas já havia um grande domínio do homem em relação à natureza – Sabiam plantar – Aprimorar os instrumentos de trabalho – Técnicas de produção e construção
  6. 6. Idade dos Metais • As primeiras cidades e os aglomerados de população • Uma fase de transição • A noção de instituição foi surgindo – O Estado – Instituição militar – A religião • Com isso a noção de espaço e propriedade privada e vida coletiva
  7. 7. O Oriente Estados fundados às margens de rios Base na agricultura Serviços compulsórios Escravidão Estado teocrático Politeísta Modo de Produção Asiático
  8. 8. Civilizações Do Oriente • Civilizações Hidráulicas – Por estarem às margens dos rios • Sociedade estratificadas • O camponês (dito homem livre) tinha a posse útil da terra (por isso os serviços compulsórios para o Estado)
  9. 9. Crescente Fértil
  10. 10. Egito • O rio Nilo • Formam-se os nomos • Menés (um nomarca) unifica todo o Egito ao longo do Nilo – O primeiro Faraó – Criou um Estado despótico e teocrático – Deu poderes aos sacerdotes, criando assim um classe de poder
  11. 11. Crescimento dos Nomarcas • Enfraquecimento do poder faraônico • Conflito entre faraó e nomarcas – O poder faraônico foi restabelicido • Porém o Egito é invadido pelos Hicsos – Dominando a região por 200 anos • Amósis I retoma o poder para os faraós • 1580 a.C – Apogeu Egipcio – Tutmés III – aumento do território – Amenófis IV – reforma política e religiosa (um só deus), mas após sua morte Tutancâmon retoma o politeismo
  12. 12. sociedade Faraó Sacerdotes e Escribas Felás (camponeses) escravos
  13. 13. O Legado • Hieróglifos • Medicina – Mumificação, remédios, procedimentos médicos • Matemática • astronomia
  14. 14. Mesopotamia
  15. 15. Mesopotamia • Área de transição – Instabilidade política – Diversidade de povos • Sumérios deram uma organização a região – Cidade-Estado – Agricultura pela irrigação (desvio dos rios) – Escrita cuneiforme • Acádios – criaram a monarquia despótica • Amoritas assumiram o comendo da região – Código de Hamurabi
  16. 16. Gabarito HG.01 • 1. B, 2.B, 3.D, 4.B, 5.D, 7.C • 6 – Hamurabi fora um rei babilônico que baseou suas leis com base na suposição do culpado, que por sua vez deveria comprovar sua inocência. Toda a estrutura das leis tomava a premissa da lei de Talião. (olho por olho dente por dente) • 8.a) Metalurgia, atividades artísticas, agricultura e pesa • 8.b) Ainda usamos algumas técnicas primitivas de produção, tanto na agricultura quanto na metalurgia. Porém há também a adoção de tecnologias mais sofisticadas que permitem a maior produção e rendimento das areas.
  17. 17. HG.02 Hebreus, Fenícios e persas Hebreus e o monoteísmo Fenícia Pérsia
  18. 18. Palestina
  19. 19. Hebreus • Origem semita (antepassados dos judeus) • Judaísmo (primeira grande religião monoteísta) • Viviam sobre a liderança de um patriarca (Abraão, Isaac e Jacó) • Abraão teria recebido a missão de Deus para levar seu povo até Canaã (Palestina) ás margens do rio Jordão • Palestina por ser uma área também de transição fez com que a vida dos hebreus fossem de conflitos e fugas entre cananeus e filisteus • Fugiram para o Egito onde foram escravos por mais de 3 séculos
  20. 20. Moisés • Liderou os hebreus de volta à Palestina – Conhecido como êxodo hebraico • Também teria recebido de Deus os 10 mandamentos – No qual unia o povo eleito para conquistar a terra santa (Palestina) • Após retomada da Terra Prometida foi adotada a monarquia – Rei Saul, Davi e Salomão • Após morte de Salomão o reino hebreu é dividido em Reino de Israel e Reino de Judá • Os reinos posteriormente seriam destruídos por neobabilônicos, assírios, persas para no fim serem dominados pelos romanos
  21. 21. Fenícia
  22. 22. A Fenícia • Agricultura – Frutas, oliveiras, cereais e linho – Escassez, pouca variedade e dificuldade de plantio • Desenvolveram a navegação e o comércio – Artesanato, metalurgia e vidraçaria • Se organizavam em cidades-Estado • Criaram colônias ao longo do Mediterrâneo • Contribuíram por criar um alfabeto fonético
  23. 23. Pérsia
  24. 24. Império Persa • Ciro – unificação do império persa – Expansão territorial – Continuou com Cambises – Mas estagnou com Dário I • Dário I – Dividiu em satrapias (unidade administrativas) o império – Criou a moeda Dárico • Os persas acreditavam no Zoroatrismo – Divisão do mundo entre o deus bom e o deus maligno
  25. 25. Gabarito HG.02 • 2.A, 3.E, 4.C, 6.C, 7.B, 8.E • 1.a) Monoteísmo • 1.b) O quadro geral da antiguidade em relação a religião seria o politeísmo, ou seja, entra em contraste com a crena religiosa hebraica que via no divino um só deus (monoteísmo). • 5.a) A religião persa acredita em duas divindade. Um deus bom, o qual representava a luz, e um deus mal, que representaria as trevas. As duas divindades estariam em eterno confronto colocando o homem com a missão de adotar o deus da luz como criador paras as trevas não triunfarem. A religião persa cria a primeira visão de mundo dualista. • 5.b) Ambas religiões admitem a vida após a morte e o cristianismo também adotaram a crença no paraíso para os justos e o a punição (inferno e purgatório) para os pecadores.
  26. 26. HG. 03 Grécia Surgimento das polis Esparta e Atenas As Guerras Os macedônicos Da Grécia ao Mundo
  27. 27. Sociedade Espartana • Espartanos - políticos, militares, cargos religiosos; os verdadeiros cidadãos • Periecos – Comerciantes e artesãos; sem direito político ou participação na sociedade; participavam do exercito nos escalões mais baixos (“bucha de canhão”) • Hilotas – Trabalho compulsório (ou escravo);
  28. 28. Política Espartana (Licurgo) • Diarquia – Dois reis (função militar e religiosas) • Gerúsia – espartanos com idade maiores que 60 anos (administrativo, legislativo e judiciário) • Eforato – Cinco espartanos que fiscalizavam o rei e aplicavam a justiça(Legislativo, executivo e judiciário) • Apela – cidadãos espartanos superiores a 30 anos (elegiam a gerúsia e o eforato)
  29. 29. Atenas • Monarquia Oligarquia Democracia • Sociedade Ateniense – Eupátridas (cidadãos) – homens filhos de atenienses e grandes proprietários de terras e escravos – Demiurgos – Atenienses ligados ao comércio e artesanato (importância econômica) – Georgóis ou Geomores – pequenos proprietários de terra – Thetas – Marginalizados e desempregados – Metecos – estrangeiros (pagavam para morar) – Escravos – de guerra, dividas, filhos de escravos (realizavam todo tipo de trabalho)
  30. 30. Monarquia Oligarquia • Basileu – Juiz, militar e sacerdote • Eupátridas • O sucesso do comércio – Ascensão ao poder • Instalação de uma Oligarquia – Apoio aristocrático • Conflitos de classes – Greves e reivindicações • reformas atenienses
  31. 31. Drácon e Sólon • Drácon – As leis escritas – Leis draconianas – Poder nas mãos dos eupátridas • Sólon – Acabar com os problemas sociais de atenas – Fim da escravidão por dívidas – Devolução de terras confiscadas por dividas – Sistema de pesos e medidas – Critérios censitários (visava a participação política)
  32. 32. Democracia • Insatisfação das classes • Surge a democracia – Democracia ateniense (Clístenes 510 a.C ~ 507 a.C) – Atenas dividida em demos – Conselho de 500 pessoas (propor leis) – Assembleia com todos os cidadãos • Atenienses de nascimento, homens e de certa idade • (apenas 10% da população)
  33. 33. Período Clássico (VI a.C ~ IV a.C) • Péricles – Auge da cultura – Arte – Democracia – Estabilidade • Mas também guerras vieram....
  34. 34. Guerras Médicas • Pérsicas; Greco Pérsicas • Expansão Imperial – Dário I • O medo pérsico – Unificação das Polis
  35. 35. 499 a.C. ~ 490 a.C. • Bálcãs pela Macedônia • A Batalha de Maratona
  36. 36. 486 a.C. ~ 479 a.C. • Xerxes – Termópilas • Atenas devastada • Batalha de Salaminas
  37. 37. Última Etapa • Ásia Menor • Liga de Delos • Tratado de Susa – Reconhecimento do predomínio Grego
  38. 38. Hegemonia Ateniense • Desenvolvimento do Império Ateniense • Usando recurso da Liga de Delos • Revoltas e conflitos • Século de ouro de Atenas ou século de Péricles • Mistoforia – remuneração dada aos cidadãos mais pobres para se dedicarem à política
  39. 39. Guerra do Peloponeso • Esparta – Uma nova liga – Liga ou Confederação do Peloponeso – Delos x Peloponeso – Espartanos vencem – Paz de Nícias – Atenas não aceita • Mais uma vez derrotada • Tebas surge – Pelópidas e Epaminondas • Suicídio das Polis
  40. 40. Domínio Macedônico
  41. 41. Reino da Macedônia • Agricultura rudimentar e pastoreio • Nobreza agrária detinha o poder • Área de transição – conflitos – Origens de bons guerreiros • Felipe II – Admirador da cultura grega – Derrubou a aristocracia macedônica – Poder do exercito – Avançou sobre os gregos
  42. 42. Salvador ou destruidor • Preservou-lhes a autonomia • Respeitou as instituições • Visava a Pérsia • Morreu e deixou seu império para seu filho – Alexandre, o Grande
  43. 43. Inicio do período helenístico • Conquistou Egito e a Pérsia • Fundou mais de 30 cidades no Oriente (cidade- Estado) • Fundir a cultura oriental e a cultura grega – Helenismo • Alexandre Magno – morre em 323 a.C. – Sem herdeiros – Divisão do império macedonico • Antígono – Macedônia • Seleuco – Ásia • Ptolomeu – Egito • Caíram no domínio romano
  44. 44. Legado Grego • Antropocentrismo • Religiosidade • Heróis • Filósofos • Relações do homem com a natureza e o universo • Retórica • Sócrates – Maiêutica • Platão – A República • Aristóteles – Valorização dos sentidos
  45. 45. Legado Grego • Teatro – Somente homens – Tragédia e a comédia • Arquitetura • Esculturas • Ilíada e Odisséia
  46. 46. Gabarito HG.03 • 1. 22 (02+04+16) • 2.A, 3.E, 5.A, 8.A • 4.a) Liga de Delos foi uma confederação militar liderada por Atenas. Inicialmente tinham o objetivo de combater o império Persa nas guerras Médicas • 4.b) Supremacia naval, liderança política e comando militar • 4.c) A Acrópole simboliza o apogeu do desenvolvimento cultural. Além de ser um espaço de unificação política e religiosa.
  47. 47. Gabarito HG.03 • 6.a) O texto destaca as atividades agropastoris. Destacando a natureza como principal provedora da sobrevivência do homem e como ele se relaciona com a mesma. • 6.b) O capitalismo preza a produção em virtude do lucro, ou seja, o bem privado do indivíduo. Aristóteles por sua vez condena exatamente esse comportamento dizendo que o acumulo de dinheiro (o bem individual) não poderia jamais ultrapassar o interesse coletivo.
  48. 48. Gabarito HG.03 • 7.a) Tanto a democracia quanto a dramaturgia grega necessitam de uma plateia, valoriza-se também o uso da oratória e também uma reflexão sobre os valores morais, éticos e políticos. • 7.b) Atenas clássica expressa as características culturais regionais. Tendo a pólis como centro político e cutural Já no período helenístico existe a fusão entre a cultura grega e cultura oriental decorrente das conquistas de Alexendre Magno.
  49. 49. Roma Origens Monarquia República Império Cultura Romana
  50. 50. As origens • O Lendário começo • Península itálica era habitada por: – Gauleses – Etruscos – Italiotas – Gregos – Latinos (fundadores de roma)
  51. 51. Monarquia • 753 a.C. ~ 509 a.C. – O rei tinha funções militares, administrativas, jurídicas e religiosas – Conselho de anciões (senado) • Funções legislativas • Poder de veto – Assembleia • Participação dos proprietários de terra
  52. 52. Monarquia • Economia baseada no pastoril • Domínio etrusco e técnicas de agricultura e drenagem • Estratificação romana da sociedade 1. Patrícios – camada social dominante – grandes proprietários de terra 2. Clientes – classe intermediária – indivíduos dependentes ou sob proteção das famílias patrícias 3. Plebeus – homens livres sem direito políticos, artesãos, camponeses ou comerciantes
  53. 53. República • Tarquínio, o soberbo – Deposto pela aristocracia senatorial • A república • Consolidação do modo de produção escravista • Início do império
  54. 54. República • Senado (elite patrícia) – Maior poder político – Controlavam as questões administrativas, financeiras e militares • Magistrados – Poder executivo • Assembleias populares (curiata e centuriata) – Votavam as leis propostas pelo Senado
  55. 55. Conquistas Plebeias • Os plebeus • Insurreições plebeias – Lutas de classes • Plebeus abandonam Roma – Deixaram a cidade em caos • Senado cria o TRIBUNATO DA PLEBE – Magistrado plebeu destinado a defender os interesses da plebe • Novas revoltas e criação da Assembleia da Plebe • Lei das doze tábuas – Leis escritas e não mais orais • Fim da escravidão por dívidas
  56. 56. As expansões • Atender interesses patrícios e plebeus – Alimentar o sistema escravista • Guerra contra Cartago – Domínio do mediterrâneo – As guerras púnicas
  57. 57. Guerra Púnica • Primeira (264-241 a.C.) – Roma e Cartago tentavam dominar a Sicília – Romanos vencem • Segunda (218-202 a.C.) – Cartago investe contra Roma, mas é derrotada e acaba desestabilizadas • Terceira (150-146 a.C.) – Roma destrói Cartago que se torna província romana. • Resultado: Roma agora domina a orla ocidental do Mediterrâneo
  58. 58. Consequências • Crise na república • Aumento no número de escravos • Desemprego no campo • Êxodo rural • Novas classes sociais (homens novos ou cavaleiros) • Corrupção • Declínio moral • Conflitos sociais
  59. 59. Crise republicana • A tensão social • Irmãos Graco – Tibério Graco (tribuno da plebe) • Regulamentar a posse das terras públicas • Reforma agrária • Foi assassinado pela aristocracia patrícia – Caio Graco • Lei Frumentária (fornecimento de trigo e pão para população de Roma a preço reduzido) • Perseguido pela elite romana
  60. 60. O primeiro triunvirato (60 a.C.) • Crasso (cavaleiro que havia abafado a revolta de Spártacus) • Pompeu (representante dos patrícios) • Júlio César (aristocrático, mas com grande popularidade • A saída para salvar a república
  61. 61. ... • Crasso morre em combate • Pompeu toma o poder temendo Júlio Cesar • Júlio Cesar volta a Roma enfrentando o Senado e Pompeu onde toma o poder • “Fim da república” e o começo do regime autoritário • Júlio Cesar, ditador
  62. 62. Júlio Cesar • Acumulação de cargos • Poderes absolutos • Restabeleceu paz a Roma • Dividiu as terras para os soldados • Reformou o calendário • Senado conspirava contra Júlio Cesar – Assassinando-o
  63. 63. Marco Antônio • Articulou a morte soube aproveitar o momento • Lépido (banqueiro que financiava as guerras) • Otávio (sobrinho do ditador) • Estava formado o segundo triunvirato (43 a.C.)
  64. 64. ... • Lépido – África • Marco Antônio – Oriente • Otávio – Ocidente • Otávio apoiado pelo Senado ataca Marco Antônio – Otávio sai vitorioso do conflito e se declara consul único de Roma – Roma entrava em uma nova ERA
  65. 65. O surgimento do Império • Otávio lentamente acumulou poderes • Apoiado pelo Senado que cada vez mais cedia à sua figura • Recebe o título de augustus • Centraliza o poder em suas mãos e se torna o Imperador Otávio Augusto
  66. 66. Alto Império • Apogeu romano • Grandes riquezas romanas e sistema escravista totalmente cheio • Principado (27 a.C. – 14 d.C.) – Conselho do Imperador (cobrança de impostos) – Guarda pretoriana (segurança do imperador e de Roma) – Pax Romana – Estendeu a cidadania romana
  67. 67. Principado • Política do pão e circo – Controle social e ampliação da influência política • Mecenas – Promoção de artistas e escritores
  68. 68. Tibério e as subsequentes dinastias • Tibério – continuidade ao governo de Otaviano • Dinastia Julio-Claudiana – Calígula – Cláudio – Nero • Dinastia dos Flávio – Vespasiano – Tito Flávio – Dominiciano
  69. 69. ... • Dinastia dos Antoninos – Nerva – Trajano – Adriano – Antonino Pio – Marco Aurélio – Lúcio Vero – Cómodo • Dinastia Severa – Severo – Caracala – Geta – Alexandre Severo
  70. 70. Baixo Império • Decadência • Crise no sistema escravista • Todas as bases eram fundamentadas no modo de produção • Aumento dos impostos – Revoltas e mais gastos • O Cristianismo – Expansão – Ia de encontro com as bases de roma • Escravismo • Militarismo • E remoção do caráter divino do imperador
  71. 71. Constantino • Convertido ao cristianismo (?) – Reforma religiosa – Edito de milção • Constantinopla (antiga colônia de Bizâncio • Teodósio – Cristianismo – religião oficial de Roma – Divisão do império
  72. 72. Dois impérios • Império Romano do Ocidente – Capital em Roma • Império Romano do Oriente – Constantinopla • Migrações barbaras – Vândalos – Suevos – Alanos – Visigodos (invadiram Roma em 410 d.C.) • Fim do império romano ocidental
  73. 73. Legado Romano • Arquitetura • Direito • Latim • Religião
  74. 74. Gabarito • 1.B, 2.C, 3.C, 4.C, 5.B, 7.E • 6.a) A sociedade dividia-se em senatorial (aristocracia), classe equestre (mercadores, banqueiros e comerciantes), clientes (agregados dos patrícios), proletários (plebeus) e escravos • 6.b) Foram importantes tribunos pois tentaram reformular as leis romanas em favor da plebe. Procuravam um igualdade jurídica e sendo criticados pela aristocracia, principalmente por suas ideias de reforma agrária.
  75. 75. Gabarito • 8.a) Entre 753 a.C. a 450 a.C. as leis eram orais e passavam pelo julgamento dos juízes patrícios, o que por sua vez causavam distorções favorecendo muitas vezes os patrícios e prejudicando os plebeus. As revoltas plebeias, dentre muitas coisas, conseguiram estabelecer as leis escritas (leis das doze tabuas). Mudando assim as relações entre as leis e a vida pública, essas que se assentavam- se no costume (leis consuetudinárias) e no principio da lei popular. • 8.b) A leitura do fragmento indica que a testemunha tem papel central no procedimento jurídico romano, ela deve ser invocada por aquele que acusa, que tem o dever de comprovar a sua acusação. Além da testemunha, a prova fundamenta a punição, como demonstram os artigos sobre o flagrante e sobre o encontro do objeto furtado na casa de alguém. Posteriormente, essa concepção jurídica romana influenciaria a produção de códigos legais nos mais variados contextos históricos.
  76. 76. Alta Idade Média Ocidental Europa Medieval O Medievo Reino Franco Feudalismo Igreja Medieval
  77. 77. A Europa • Idade Média (séc. V ~ XV) – Alta Idade Média (V~XI) – Baixa Idade Média (XI~XV) • O mundo romano e germânico • As ondas migratórias • Fragmentação do Império Romano
  78. 78. Os vários reinos • Reino Visigodo – Espanha, Portugal, parte da França • Reino Ostrogodo – Península Itálica e Balcãs • Reino Vândalo – Norte da África • Reino Suevo – Norte da península Ibérica • Reinos Anglo-saxões – Grã Bretanha • Reino Franco – maior duração, retomando a ideia de império
  79. 79. Reino Franco • Gália (atual França) • Dinastia Merovíngia – Clóvis (580 – 511) – Se aliou a Igreja Católica • Clóvis e a Igreja – Organização político administrativa do reino – Centralização política (unificação tribal) – Doação das terras e cargos aos guerreiros – Permissão para Igreja cobrar tributos
  80. 80. Sucessão, reis indolentes e majordomus • Reis indolentes – Ou “preguiçosos” • Major Domus – Prefeitos do palácio – A verdadeira autoridade – Controle administrativo – Aos poucos diminuíram a autoridade real • Carlos Martel
  81. 81. ... • Pepino, o Breve – Golpe contra Childerico III, último rei merovíngio – O papa legitima o golpe em troca de apoio – Cedeu ao papa terras conquistadas (Estados Pontifícios) – Consagrado Rei dos Francos • Império Carolíngio • Carlos Magno
  82. 82. Carlos Magno • Coroado imperador pelo Papa Leão III – Estreitando os laços entre Estado e Igreja • Um novo Império • Nascem as bases do feudalismo – Beneficium – Comitatus – Marcas, condados e ducados – Leis capitulares
  83. 83. Crise de sucessão • Tratado de Verdun (843) – Divisão das posses carolíngias – Luís, O Germânico – Porção oriental da França (Sacro Império Romano-Germânico) – Carlos, o Calvo – França Ocidental (a França em si) – Lotário – centro da Itália ao norte (Lotaríngia)
  84. 84. Resultados • Enfraquecimento da Realeza • Fortalecimento da nobreza – Marcas, condados, ducados – Autonomia econômica e política • Momento de invasões – Vikings (normandos) – Árabes – Instabilidade e insegurança
  85. 85. Feudalismo • Séculos X~XI • Diferentes lugares em diferentes tempos • Formação clássica feudal – França • Síntese entre romanos e germânicos
  86. 86. A síntese • Romanos – Vilas – Colonato – Cristianismo – Localismo • Germânicos – Comitatus – Beneficium – Economia agropastoril – Direito consuetudinário
  87. 87. Modo de produção Feudal • Trabalho servil – Autossuficiência • Trocas amonetárias – Sem moedas • Base material – Feudo • Latifúndio senhorial pertencente a membros de um segmento privilegiado da sociedade – Nobreza – Senhores Feudais
  88. 88. O Feudo • Manso senhorial – Terras para uso exclusivo do senhor feudal – Igreja, castelo, moinho • Manso servil – Área de trabalho dos camponeses – Glebas (tenências) • Manso de reserva (comunal) – Região dos bosques, pastagens, etc. – Servos e senhores para caça
  89. 89. As obrigações “feudais” • Ajudadeira • Anúnduva • Banalidade • Corveia • Formariage • Mão Morta • Miunças • Talha • Taxa de Justiça
  90. 90. Suserania e vassalagem • Fragmentação das terras • Coroa era incapaz de proteger os súditos • Condados, marcas, ducados, senhorios – Poder político, jurídico, fiscais, militares • A hierarquia social – Falta de mobilidade – Direito de nascimento
  91. 91. A sociedade • Estamentos (sociedade estamental) – Clero • A Igreja católica – Nobreza • Senhores de terra e armas – Trabalhadores • Camponeses, servos da gleva
  92. 92. Relações: Verticais e Horizontais • Suserano • Vassalo • Relações Verticais – Talha – Corveia – Capitação – Banalidade – Albergagem – Tostão de Pedro – Mão Morta – Dízimo
  93. 93. Igreja Medieval • Monopólio da cultura • Grande proprietária de terra • Jesus Cristo – O novo testamento – Pedro o fundador da Igreja romana • Concílio de Niceia – O papa • Clero – Secular – regular
  94. 94. HG.06 Alta Idade Média Oriental Oriente Medieval Civilização bizantina Civilização Árabe Muçulmana
  95. 95. Oriente Medieval • Bizantino • Árabe muçulmano • Império persa sassânida • China • Japão
  96. 96. Civilização Bizantina • Heranças de Grécia e Roma • Constantinopla (Istambul) – E suas províncias – Península arábica – Basileu (herdeiro dos Césares) • Justiniano e o cesaropapismo – Heresias • Monofisismo • Iconoclastia • Cisma do Oriente – Igreja ortodoxa grega – Igreja apostólica romana
  97. 97. Economia e Sociedade

×