Filosofia (eixos temáticos da uel)

5.000 visualizações

Publicada em

Primeiro eixo temático do vestibular da UEL 2014.
Resumo básico dos filósofos e suas ideias referentes ao primeiro eixo temático.
Platão, Aristóteles, Maquiavel, Hobbes

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.000
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
116
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Filosofia (eixos temáticos da uel)

  1. 1. Filosofia (UEL) Eixos Temáticos Aristóteles, Platão, Maquiavel, Hobbes
  2. 2. 1° Eixo Temático: Problemas Políticos e Éticos na Filosofia • Problema político: Estado, sociedade e poder – Questões de referência: a questão da democracia; a questão da constituição da cidadania; a questão do jusnaturalismo e contratualismo; a questão do poder • Problema ético: Liberdade, emancipação e dever – Questões de referência: a questão da justiça; a questão da liberdade e autonomia.
  3. 3. Platão Justiça • A justiça é a virtude que atribui a cada um a sua parte, mas esse senso de justiça seria exercido tanto no interior do homem como no seio da cidade-estado, onde os homens se relacionam • O justo dentro do individuo e dentro da sociedade – O Individuo: a razão acima dos instintos – A ordenação de cada um a uma função • Platão não visava a igualdade e sim a divisão das funções conforme a qualidade de cada homem. A partir disso buscar um bem comum, um meio justo.
  4. 4. Liberdade • A liberdade é o resultado da libertação daquilo que é falso e ilusório. A liberdade vem do contato com o verdadeiro, o real. Assim a liberdade também é o fazer aquilo que é bom e não o que ser quer.
  5. 5. Aristóteles: Da Democracia • As formas de Governo para Aristóteles se resumem em qual o propósito delas. Sendo assim os governos deveriam governar para o que seria justo, o bem comum. • O filósofo divide as formas de governo em 6 partes: – – – – O governo de um só (realeza) O governo de poucos para todos (Aristocracia) De todos para todos (regime constitucional) Os demais seriam deturpações que não teriam em vista o bem comum (Respectivamente tirania, oligarquia e democracia)
  6. 6. A democracia • Em Aristóteles ela é compreendida como democracia popular, na qual a população livre não teria "a mais perfeita igualdade política", portanto não seria possível existir liberdade e igualdade entre a população, essenciais a um satisfatório governo de todos. • Ou seja, o bem comum não seria atingido, nesse caso a DEMOCRACIA seria na verdade DEMAGOGIA.
  7. 7. Das piores a melhores • Na democracia o povo é soberano. – Governo do povo livre • Mas o que é liberdade para Aristóteles? – É viver de acordo com as leis, pois seriam elas as responsáveis pela salvação. Já que viver como bem entender se tornaria uma espécie de individualismo, contrário ao bem comum. Ou seja “um tirano de mil olhos”
  8. 8. Constituição da Cidadania • O homem é por natureza um ser político, “animal político”. Segundo o filósofo Aristóteles, o homem só alcança a felicidade convivendo em grupo, comunidade, cidade. • Cidadania aristotélica – sistematizar a mesma. Se opondo a Platão ele foca no empirismo das relações humanas. • Eudaimonia, a busca pela felicidade, é um dos conceitos que o Estagirita usa para pensar a cidadania. Uma comunidade provida através de uma constituição prática. • A cidadania aristotélica seria mais uma condição para a participação política na gestão da pólis.
  9. 9. Jusnaturalismo • Jusnaturalismo – O direito natural • Aristóteles é considerado o pai do direito natural • Para ele apesar de povos se mostrarem diferente haveria uma lei comum a todos, uma lei natural, uma lei da physis
  10. 10. Justiça e liberdade. • Justiça era uma força baseada na igualdade – tratamento de igual para igual e desigual para desigual. Para Aristóteles a Justiça era um conceito impreciso e que nos é mais fácil reconhecer a injustiça do que a justiça • A liberdade é a causa de si mesmo. O homem livre é o agente daquilo que faz, atua de forma consciente. O indivíduo pensante tem a capacidade de escolher no que diz sim e também pode dizer não. A ação voluntária é a verdadeira liberdade.
  11. 11. Maquiavel • VIRTÙ – A capacidade de adaptação aos acontecimento políticos – Faz a manutenção da permanência no poder • FORTUNA – O inevitável ao homem. Pode ser bom ou mal, pode levar como também tirar alguém do poder.
  12. 12. Thomas Hobbes “O homem lobo do homem” • Democracia: – Para Hobbes a democracia era ruim. Ele acreditava em um Estado que desconsiderava as liberdades individuais. O espaço para democracia não existia.
  13. 13. Contratualismo • Oposição ao jusnaturalismo • Cria um contrato o qual traz implícito que as pessoas abrem mão de certos direitos para um governo ou outra autoridade a fim de obter as vantagens da ordem social. • Para Hobbes: – O homem tem um desejo, ou uma natureza, que levaria a guerra, aos conflitos. “O homem lobo do homem” – Por isso a necessidade da criação de um Estado para viver em comunidade. – O soberano é o arbitro das decisões dentro da sociedade. Bom e mal, justo e injusto, certo e errado – Esse soberano deveria ser o Estado, representado pela figura do Leviatã

×