Olhos compostos em
artrópodes
Thiago Alan Ramos
Thomas Abbud
Oque é?
 Os olhos compostos são órgãos sensoriais importantes para a vida dos
artrópodes
Quem tem?
 Quem possui olhos compostos são os inseto e muitos crustáceos assim
como os caranguejos, camarões, lagostas e ...
O que tem?
 Omatídios: funcionam como cristalino
 Faceta: camada externa da córnea geralmente hexagonal ou quadrada
 Co...
Como funciona?
 Cada omatidio funciona como uma
unidade fotorreceptora única que
transmite um único ponto luminoso.
 É c...
Como usa?
 A imagem produzida pelos olhos
compostos não são muito eficientes
para visão a distancia mas oque importa para...
Como usa?
 Outra vantagem é que a superfície corneana total é grandemente
convexa, resultando em um campo visual amplo is...
Omatidios de insetos, mostrando
um tipo diurno (aposição
esquerda) e um tipo noturno
(superposição direita)
Refrencias
 RUPPERT, E. E.; BARNES, R.D. Zoologia dos Invertebrados. 6 ed. São Paulo:
Ed. Roca. 1996. 1028p.
Olhos compostos-em-artrópodes
Olhos compostos-em-artrópodes
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Olhos compostos-em-artrópodes

717 visualizações

Publicada em

Trabalho sobre olhos compostos de artropodes

Publicada em: Ciências
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
717
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Olhos compostos-em-artrópodes

  1. 1. Olhos compostos em artrópodes Thiago Alan Ramos Thomas Abbud
  2. 2. Oque é?  Os olhos compostos são órgãos sensoriais importantes para a vida dos artrópodes
  3. 3. Quem tem?  Quem possui olhos compostos são os inseto e muitos crustáceos assim como os caranguejos, camarões, lagostas e lagostins
  4. 4. O que tem?  Omatídios: funcionam como cristalino  Faceta: camada externa da córnea geralmente hexagonal ou quadrada  Cone cristalino: cristalino secundário  Retínula: extremidade basal  Rabdômeros: superfícies fotossensitivas internas  Rabdoma: cilindro translucido com células fotorreceptoras alongadas e retilíneas formado por todos rabdômeros e pelo espaço central fechado.  Microvilos: se orientam em ângulos retos em relação a eixo do omatídio
  5. 5. Como funciona?  Cada omatidio funciona como uma unidade fotorreceptora única que transmite um único ponto luminoso.  É constituído de pigmento retilíneo proximal e distal eles migram dependendo da intensidade de luz.  Na luz intensa, a maioria dos olhos compostos produz imagem de oposição e na luz fraca imagem de superposição.  Os pigmentos estendem-se e agem como uma tela para evitar que a luz passe de um omatido para outro, a luz se restringe ao cone cristalino e ao rabdoma.  Na superposição o pigmento retrai-se, de forma que não se encontra nenhum efeito de projeção assim a luz pode passar de um omatido para o outro e um rabdoma responde aos raios luminos que entram em varias facetas adjacentes.
  6. 6. Como usa?  A imagem produzida pelos olhos compostos não são muito eficientes para visão a distancia mas oque importa para os artrópodes é a visão em uma extensão mais próxima cerca de 20 cm ao redor.  Os artrópodes diurnos como abelhas e vespas possuem altas taxas de fusão de oscilação  Fusão de oscilação é uma fusão de sequencia de imagens separadas de 16 quadros por segundo, consequentemente o que nós vemos como imagens continuas as abelhas veem como uma sucessão de imagens separadas, ela pode detectar pequenos aumentos de movimento mais facilmente
  7. 7. Como usa?  Outra vantagem é que a superfície corneana total é grandemente convexa, resultando em um campo visual amplo isso vale particularmente para olhos com haste dos crustáceos nos quais a córnea pode recobrir um arco de 180º  Os olhos compostos da maioria dos artrópodes conseguem se adaptar em uma certa extensão, tanto de luz ofuscante como uma de luz fraca, em geral tendem a modificar-se para funcionar sob uma dessas
  8. 8. Omatidios de insetos, mostrando um tipo diurno (aposição esquerda) e um tipo noturno (superposição direita)
  9. 9. Refrencias  RUPPERT, E. E.; BARNES, R.D. Zoologia dos Invertebrados. 6 ed. São Paulo: Ed. Roca. 1996. 1028p.

×