Apresentação 7 avaliação funcional

1.501 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Apresentação 7 avaliação funcional

  1. 1. Avaliação Funcional eProcesso IncapacitanteCurso “Doenças Crônicas nasRedes de Atenção à Saúde”Ministério da Saúde
  2. 2. A capacidade de tomar decisões e a deautogoverno podem ser comprometidaspor doenças físicas e mentais ou porrestrições econômicas e educacionais.A avaliação funcional, é uma etapaimportante no processo de cuidado daspessoas idosas e com comprometimentofísico e / ou neurológico.
  3. 3. Trata-se de um processosistematizado de avaliarobjetivamente os níveis no qualuma pessoa está funcionandonuma variedade de áreasutilizando diferentes habilidades.
  4. 4. Representa uma maneira demedir se uma pessoa é ou nãocapaz de desempenhar asatividades necessárias para cuidarde si mesma.Caso não seja capaz, verificarse essa necessidade de ajuda éparcial, em maior ou menor grau, outotal.
  5. 5. A Capacidade Funcional é avaliadano desempenho das atividadescotidianas ou atividades de vidadiária.
  6. 6. Essas atividades sãosubdivididas em:a) Atividades de Vida Diária (AVD)São as relacionadas aoautocuidado e que, no caso delimitação de desempenho,necessitam a presença de umcuidador para auxiliar.Fonte:BRASIL, 2007
  7. 7. São elas:Alimentar-seBanhar-seVestir-seMobilizar-seDeambularIr ao banheiroManter controle sobre suasnecessidades fisiológicas.Fonte:BRASIL, 2007
  8. 8. b) Atividades Instrumentais da VidaDiária (AIVD)São aquelas relacionadas àparticipação do individuo em seuentorno social e indicam acapacidade do mesmo em levaruma vida independente dentro dacomunidade.Fonte:BRASIL, 2007
  9. 9. São elas:Utilizar meios de transporteManipular medicamentosRealizar comprasRealizar tarefas domésticas leves epesadasUtilizar o telefonePreparar refeiçõesCuidar das próprias finançasFonte:BRASIL, 2007
  10. 10. As avaliações funcionais dão ênfase àsAtividades de Vida Diárias (AVD).A primeira escala desenvolvida, e maisutilizada, é a Escala de Katz, que mede ahabilidade da pessoa em desempenharsuas atividades cotidianas de formaindependente, determinando asnecessidades de intervenções dereabilitação.
  11. 11. Posteriormente, foi proposto por Lawtonum outro instrumento para avaliar asAtividades Instrumentais de Vida Diária(AIVD) (consideradas mais complexas ecuja independência para desempenho estádiretamente relacionada com a capacidadede vida comunitária independente).A capacidade em realizá-las torna aspessoas mais autoconfiantes para avida em comunidade.Fonte:BRASIL, 2007
  12. 12. Outro instrumento de avaliaçãofuncional que tem sido utilizado, édenominado Medida deIndependência Funcional (MIF) queprocura quantificar a ajudanecessária ao individuo, por isso,tem se mostrado muito útil noplanejamento assistencial.Fonte:BRASIL, 2007
  13. 13. Diferença entre desempenho e capacidadefuncional.Desempenho avalia o que o idoso, ouindividuo com comprometimento físico ouneurológico realmente faz no seu dia-a-dia.A capacidade funcional avalia o potencial quea pessoa tem para realizar a atividade, ou seja,sua capacidade remanescente, que pode ounão ser utilizada.Fonte:BRASIL, 2007
  14. 14. Por exemplo: quando o indivíduo mora emuma casa que possui escada e não a utilizaporque a família teme que ele caia. Logo,não desempenha a função de descer e subirescada por limitação da família, mas, possuicapacidade funcional para executá-la.Fonte:BRASIL, 2007
  15. 15. O processo incapacitante corresponde àevolução de uma condição crônica queenvolve fatores de risco – demográficos,sociais, psicológicos, ambientais, estilode vida, comportamentos e característicasbiológicas dos indivíduos.Fonte:BRASIL, 2007
  16. 16. Estruturação do processo incapacitante:Fatores derisco Processo IncapacitanteDoençaDéficitLimitação FuncionalIncapacidadeAmbientePessoaFatores intra eextra individuoFonte:BRASIL, 2007
  17. 17. Dentre as consequências do processoincapacitante destacam-se ahospitalização e a institucionalização,que influenciam a qualidade de vida daspessoas idosas e/ou com dependênciafuncional.Três conceitos apresentam-seinterligados e interdependentesquando se discute o processoincapacitante. São eles: autonomia,independência e dependência.Fonte:BRASIL, 2007
  18. 18. AutonomiaPode ser definida como auto-governo e seexpressa na liberdade para agir e paratomar decisões.IndependênciaSignifica ser capaz de realizar asatividades sem ajuda de outra pessoa.DependênciaSignifica não ser capaz de realizar asatividades cotidianas sem a ajuda de outrapessoa.Fonte:BRASIL, 2007
  19. 19. Muitas pessoas mantêm sua autonomia(capacidade de decisão) embora sejamdependentes (incapacidade física paraexecutar uma determinada ação).Por exemplo: um idoso que após um AVEapresenta limitação em sua mobilidade erequer auxílio para tomar banho(dependência), mas pode ser perfeitamentecapaz de decidir o horário do banho, a roupaque prefere vestir (autonomia), etc.Fonte:BRASIL, 2007
  20. 20. A avaliação funcional determinará,necessariamente, o grau de dependência e ostipos de cuidados que serão necessários, além decomo e por quem os mesmos poderão ser maisapropriadamente realizados.Nos próximos slides, apresentamos algunsinstrumentos que possibilitam a avaliação do graude independência:Fonte:BRASIL, 2007
  21. 21. Continuação...
  22. 22. Para ter acesso à versãocompleta desses e de outrosinstrumentos, acesse o materialno acervo do curso do caso JoséClemente!
  23. 23. Referências BibliográficasBrasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde.Departamento de Atenção Básica. Envelhecimento e saúde da pessoaidosa / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde,Departamento de Atenção Básica. – Brasília : Ministério da Saúde,2007. Disponível em:http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/abcad19.pdf

×