A Revista

524 visualizações

Publicada em

Primeira experiência com o Software Livre SCRIBID.

Publicada em: Educação
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • “ESTES SÁO DOIS OS MAIORES LIVROS DO MUNDO ACERCA DA DETERMINAÇÃO E DO AMOR”
    É você que decide o tempo, a hora e o dia.
    QUANDO VOCE APRENDER A DETERMINAR A SUA VIDA NUNCA MAIS SERÁ A MESMA!
    A DETERMINAÇÃO FUNCIONA EM TODAS AS AREAS DE SUA VIDA.
    A Determinação não conhece barreira, tempo ou hora para agir, é você quem decide.
    BAIXE ESTE LIVRO AQUI E AGORA JÁ.
    Preço Simbólico R$ 2.99 cada Exemplar e-book.
    http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/6985578/determinacao-o-pensamento-positivo/
    SEM AMOR NINGUÉM VIVE!
    ESTÁ COM QUEM VOCÊ AMA TRAZ A PAZ PARA A SUA VIDA O DINHEIRO PASSA A CIRCULAR LIVREMENTE EM SUA VIDA PORQUE VOCÊ ESTÁ EM PAZ.
    ESTES LIVROS ESTÃO NOS MAIORES SITES CULTURAL DE 245 NAÇÕES DO MUNDO!
    ESTES LIVROS SÃO REFERENCIA MUNDIAL EM TODOS OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO DO PLANETA!
    ESTÁ DISPONIVEL PARA VOCE ! R$ 2.99 (preço simbólico)
    Baixe este livro agora mesmo e tome posse de uma vida sentimental feliz! Este livro é um testemunho real e o que está escrito nele é verdadeiro. Disponível em vários idiomas.
    http://www.saraiva.com.br/chamam-me-lene-estou-vivendo-um-grande-7003798.html?PAC_ID=123827,
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
524
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Revista

  1. 1. A Revista ensinotecnologia escola didáticapoéticadigitalcontemporânea
  2. 2. ÍndiceA TECNOLOGIA EM SALA DE AULA 2 Texto colaborativo. Por Renata Elisa de Sousa Pereira, Brunno Campos, Ana Raquel da Conceição, Cleonice Araújo, Maria Sinelândia da Conceição, Vanuza Santos, Marisa Aparecida Prudêncio, Thaise Nardim e Maristher de Souza ReisTECNOLOGIAS CONTEMPORÂNEAS NA ESCOLA: 5FORMA E CONTEÚDO Por Thaise NardimNAVEGANDO PARA CONHECER: 7FÁBIO FON, ARTISTA DIGITAL Por Thaise NardimMURAL DA REVISTA: 10aaron, POR HAROLD COHEN
  3. 3. O uso da tecnologia em sala de aula é mais uma importante ferramenta para a inclusão digital. Professores devem se preparar para o uso desta tecnologia que está voltada à criação e ao incentivo à pesquisa. É um verdadeiro estimulador da curiosidade em que o aluno adquire autoconfiança e interage com os objetos, participando da construção de seus próprios conhecimentos. A tecnologia é uma ferramenta e tanto quando aplicada ao ensino, é fato que pontencializa o aprendizado, pois permite a interação, o que desperta interesse e consequentemente proporciona mais absorção de um conteúdo. Professores devem sempre estar acompanhado e se atualizando nessa esfera, com o intuito de repassar isso aos seus alunos. Toda dinâmica que se desvia do que é comum na sala de aula em prol de uma melhor educação é válida, e a tecnologia é uma ótima estratégia para esse fim. Outro ponto importante para que haja, efetivamente, a inclusão digital na educação é desenvolvimento de softwares capazes de realmente motivar tanto alunos como professor. Koefender et. al (2006), esclarece que os poucos educadores que utilizam o computador como instrumento educacional, estão limitados na utilização das ferramentas básicas da informática, como editores de textos, planilhas eletrônicas e projetores eletrônicos de slides. Isso ocorre por vários fatores, à falta de capacitação específica ao educador e falta de aplicativos direcionados ao material didático adotado. Pietro et. al. (2005), coloca que os softwares educacionais devem se adequar as necessidades pedagógicas, baseados na metodologia educacional, A tecnologia em sala de aula Texto colaborativo. Por Renata Elisa de Sousa Pereira, Brunno Campos, Ana Raquel da Conceição, Cleonice Araújo, Maria Sinelândia da Conceição, Vanuza Santos, Marisa Aparecida Prudêncio, Thaise Nardim e Maristher de Souza Reis A evolução das tecnologias influencia os meios que utilizamos para nos comunicar com a realidade educacional, sabemos que a educação no sentido literal, é o ato de educar, de aperfeiçoar as faculdades humanas, já a tecnologia podemos defini-la como uma linguagem específica de uma arte ou ciência e tem contribuído muito nos tempos atuais, tanto cientificamente como na área da educação. Será uma educação no lar, na comunidade (virtual), no trabalho usando os meios de comunicação e o computador. A informática educativa é um reflexo desta nova educação e sua importância está no fato de que todos os meios de comunicação, com recursos que, até pouco tempo atrás, não figuravam nem nos livros de ficção científica.Nas escolas, a educação terá que renovar a cada dia se adequando ao processo ensino- aprendizagem, propiciando o desenvolvimento integral do aluno. O uso do computador como máquina de ensinar muda as formas de assimilação da informação, não só do aluno, como também do professor, é muito importante a participação da escola nesse processo de informatização do conhecimento.2
  4. 4. O computador, como ferramenta de aprendizagem, desenvolve habilidadesintelectuais e cognitivas, levando o aluno a explorar suas potencialidades, criandoautonomia e uma aprendizagem significativa. Podemos dizer que o computadorpassa a ser um aliado do professor, podendo possibilitar transformações noambiente de aprender e questionamentos sobre as formas de ensinar.A tecnologia traz para a escola inovação a prática de ensino e cria a possibilidade dereflexão sobre as formas adequadas para a interação nesses ambientes, faz comque as atividades não sejam repetitivas, além de facilitar os trabalhos tornando-omais eficiente, mais produtivo. Os educadores e educandos utilizam muito a internet,pois é um ambiente virtual mediador entre as necessidades de aprendizagem,funcionando como apoio instrumental e facilitador da interação social, para que oseducandos possam contruir pontes de análise tomada de consciência, compreençãoe aumento de sua competência, lembrando também que na internet encontramosvários tipos de aplicações educacionais: de divulgação, de pesquisa, de apoio aoensino e de comunicação, considerando que a informática, a internet, ganharan asfronteiras do mundo, e hoje articulamos a sabedoria em qualquer disciplinaultilizando recursos tecnológicos,(internet, etc), em todo instrumentos de ensino e decaráter administrativo, em todas as áreas seja da mais simples a mais intelectual. ATecnologia é, portanto, ferrameta de inovação da aprendizagem.Vivemos em um período de inovações e novas descobertas tecnológicas, ainfluência digital está em todos os ambientes, seja familiar, escolar ou profissional. Acibercultura é uma nova cultura, sendo um meio mais ágil e eficaz para circulação deinformação, comunicação e conhecimento. Estamos na era digital, somosinterligados culturalmente, aprendemos a cada dia as mais diversas formas deaplicar as ferramentas disponíveis na internet. A utilização da tecnologia deve estarassociada ao planejamento de aula, aos objetivos a serem atingidos. É possívelutilizar a tecnologia através de pesquisas, criação de blogs e redes sociais diversas.A ferramenta “internet” é um pouco de expressão e um pouco de prótese, se todosestão conectados, produzem e aplicam em ações boas o que ensinam e aprendem,estão se expressando. Agora, se tudo o que podem fazer é ser copista, deixando suacriatividade de lado, tornam-se prótese. Cabe a cada professor o dever de corrigir,analisar e avaliar as produções de cada aluno. A inclusão digital é um suporte valiosopara a aquisição do conhecimento, amplia horizontes e facilita a integração dosindivíduos, além de gerar a aprendizagem.Conforme diz a Doutora em Educação Maria Elizabeth Bianconcini, "que as escolasnão exploram todo o potencial que a tecnologia oferece". Podemos atribuir estadeficiência tecnologica a falta de capacitação não somente dos professores, mais atodo o corpo escolar.Dispostos em corrigir esta deficiência o MEC ofereceu curso de formação chamadoMidia na Educação. Sabemos que tais cursos ainda não alcançarão a todos, mas elouvável atitude, porem outro obstáculo a ser superado e a falta de matéria prima datecnologia, ou seja, o computador e a internet que muitas escolas ainda não têmacesso a estas maravilhosas ferramentas. 3
  5. 5. É preciso, entretanto, não deixar que a grande atração que a tecnologia promove atue como uma "maquiagem" sobre os problemas da educação. É imperativo que continuemos trabalhando sobre as questões conceituais da atuação do profissional da educação juntamente às questões técnicas. Pois a tecnologia vem à sala de aula não somente para tapar buracos ou fazer da antiga aula expositiva algo mais atraente, isto é, para tentar manter o aluno desmotivado dentro da sala de aula. A tecnologia entra na escola porque entrou de maneira definitiva na vida do homem que habita esta sala de aula, modificando sua forma de viver, de aprender, e mesmo de operar neurologicamente. As novas tecnologias inseridas na sociedade contemporânea são grandes desafios para o professor, pois aproximar arte e tecnologia. Ensinar através do computador, lidar com as diferenças, mudar os paradigmas da educação, bem como construir uma nova visão de mundo, são os novos desafios nas Escolas. Com o fenômeno da cultura digital, há mudanças nos paradigmas da educação e conseguintemente mudanças no comportamento e perfil dos professores. Não se podem ignorar as novas tecnologias na escola, ou nos adaptamos ou ficamos defasados. Temos que assumir uma visão inovadora, dando assim, abertura aos alunos na utilização em sala de aula das novas tecnologias interagindo num aprendizado significativo no qual o professor é o mediador desse novo caminho. Mas tem também as preocupações, até que ponto esse mundo virtual não interfere na vida do ser humano, principalmente aos nossos alunos que hoje passam uma boa parte de seu dia a frente da internet. Como fica o seu lado real? e as companhias? E o convívio social? Como futuros educadores, temos que ficar atentos e posicionar-nos criticamente e aberto ao novo com cautela. O uso das tecnologias na sala de aula deverá ser acompanhado e também estimulado pelo professor, pois as tecnologias computacionais disponibilizam ferramentas interessantes que permitem a interação e socialização em rede entre aluno/professor/mundo virtuais, desenvolvendo habilidades e competências necessárias para não fazer a inclusão digital. A cibercultura é uma nova maneira de vivenciar novas descobertas. E no campo das Artes Visuais houve grandes avanços, no qual, com os recursos disponíveis podemos ministrar aulas riquíssimas; como visitas aos museus, a pesquisa na internet sobre obras e artistas, entre outras. As tecnologias não são soluções para o ensino e aprendizagem, mas sim uma ponte, um meio de transmissão e reconstrução dos métodos educacionais. Portanto o grande desafio para os educadores é ajudar a tornar as informações adquiridas através das novas tecnologias sejam significativas e verdadeiras. Hoje graça a tecnologia e ao ciberespaço estamos cursando uma graduação a distância. As transformações do mundo atual estão acontecendo muito rápido e temos que acompanhar essa evolução ou perderemos oportunidade de atuar em diversas áreas4 por falta de conhecimento nas novas tecnologias.
  6. 6. "Os suportes da comunicação e as tecnologias são determinantes na mensagem: os conteúdos modificam­se em função dos meios que os veiculam" (Marshall McLuhan) O conteúdo carrega consigo, ao ser transmitido, a ideologia que está precipitada na forma que é o meio que o transmite. Uma mensagem, se falada ou escrita, faz despertar no ouvinte ou leitor diferentes estruturas de percepção. Processos cognitivos diferentes são acessados para compreender-se o conteúdo de um texto lendo-o e para compreender o mesmo texto ouvindo-o numa leitura gravada, ou ainda, numa leitura ao vivo. "O buraco é muito mais embaixo" do que costumamos pensar ao iniciarmos nossas pesquisas sobra a inserção das tecnologias contemporâneas na escola. Quando os processos de ensino/aprendizagem migram da sala de aula para o espaço virtual, ou da boca do professor para os autofalantes, as configurações cognitivas de toda a sociedade estão implicadas. Não são apenas os modos de aprender e ensinar que mudam mas, de alguma forma, em algum nível, também o que se aprende e ensina, quem aprende e quem ensina. Assim, consolida-se um velho processo de dupla determinação - em que o indivíduo altera o meio enquanto é alterado por ele.Tecnologias contemporâneasna escola: forma e conteúdoPor Thaise Nardim O professor que trabalha em sala de aula presencial, ao lançar mão da utilização de recursos tecnológicos eletrônicos e digitais, deve saber reconhecer quais conteúdos cada tecnologia favorece. Isso acontece de uma forma mais intuitiva que formal - e pela prática, mais que pela teoria. O que alcançamos quando exibimos um vídeo? Que habilidades são despertas nos alunos nessa situação? Por que abordarmos o assunto X pela exibição de um filme e não por uma aula expositiva? É preciso ser íntimo da linguagem videográfica assim como da linguagem da exposição oral para "intuir" a resposta a essas perguntas e optar. Tendo isso em vista, viremos agora o foco para a outra face da questão: se o conteúdo (mensagem) e a forma (meio) se interdeterminam, também a “forma- metodologia de ensino” vai determinar a “mensagem-habilidade”. Ou seja: ao optar por esse ou aquele exercício, desenvolve-se uma ou outra habilidade no educando. Supondo que a “forma-metodologia” seja “transmitir um conteúdo” (atentem: poderia não ser!), o conteúdo em sala de aula teria então uma função para além do simples “tomar conhecimento” dele, mas também a de “trabalhar” para desenvolver 5 determinadas competências e habilidades em nossos alunos.
  7. 7. Mais que equipamentos em sala de aula, nós, professores, precisamos ter intimidade com a utilização dos recursos. No caso da alfabetização digital, por exemplo, não basta apenas ensinar o aluno a apertar o botão, conectar, jogar uma palavra-chave no Google – o que pode ser que seja necessário, dependendo do alunado, mas não é tudo. Existem formas e formas de habitar o mundo virtual. É preciso, especialmente, ensinar a pensar pelo pensamento da internet, conhecer as dinâmicas de um hiperlink, saber pesquisar. Nós, professores, precisamos habitar o mundo em que ensinamos – e habitá-lo com atenção, com dedicação. Com isso, estou certa de que podemos alfabetizar tecnologicamente os alunos mesmo tendo apenas lápis e papel. Assim como educa- los para a vida.6
  8. 8. FÁBIO OLIVEIRA NUNES, também conhecido como Fábio Fon, é um artista multimídia brasileiro, que atua também como designer digital e professor universitário na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Suas áreas de atuação são, principalmente, estudos de hipermídia, web arte, artemídia e poéticas da visualidade. É Doutor em Artes na Escola de Comunicações e Artes da USP e Mestre em Multimeios (Multimídia) pela UNICAMP. Suas pesquisas sobre a utilização de novos meios iniciam-se em 1 997, quando Fábio ingressa no Bacharelado em Artes Plásticas da UNESP já interessado por esse tema. Sua produção articula teoria e prática, permeando o ambiente acadêmico assim como o ambiente artístico. Seu trabalho mais recentemente dado à público é “Via Invisível”, criado em parceria com Soraya Braz. O trabalho participou do festival FILE PAI 2011 - projeto de arte pública digital e eletrônica, lançado pelo FILE Festival Internacional de Linguagem Eletrônica, realizado pelo SESI/SP. Neste trabalho, painéis repletos de pequenos sensores de radiação eletromagnética foram afixados em acessos de algumas estações de metrô da Avenida Paulista (SP). Quando celulares eram utilizados nas proximidades desses painéis, os sensores captavam sua radiação e a acusavam, emitindo luzes, o que fazia com que o painel piscasse ritmicamente. Com isso, a obra torna visível a presença de radiação que atravessa frequentemente o espaço em que vivemos, conduzindo nossas palavras por distâncias as mais variadas no mais completo silêncio. Invisíveis.Navegando para conhecer:Fábio Fon, artista digitalPor Thaise Nardim Utilizando a mesma tecnologia e buscando investigar um princípio semelhante, Fábio e Soraya também criaram os trabalhos CAPTAS (2009 – Intervenção urbana móvel), Roaming (2007 – painel eletrônico) e Grampo (2007 – Objeto), todos criados e levados à audiência através do incentivo de editais públicos ou festivais de arte eletrônica, como o Mobilefest - Festival de arte e criatividade móvel da Campus Party Brasil e o próprio FILE, edição 2007. Através desses trabalhos, podemos observar a veia crítica da produção de Fábio Fon. No vídeo abaixo – que reproduz o trecho de uma fala no 5º Simpósio de Arte Contemporânea - Poéticas Digitais da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) - o artista explora a questão que subjaz essa série de trabalhos, em resumo, os modos de apropriação dos novos meios de informação e comunicação pela 7 sociedade.
  9. 9. Imagem de Via Invisível, Fábio Fon e Soraya Nunes (2011 ).8
  10. 10. Para concluir, gostaria de apresentar a Freakpedia, um experimento em web arteconcebido por Fabio Fon em parceria com Edgar Franco.Após terem diversas publicações na enciclopédia eletrônica Wikipedia eliminadascom a justificativa dos editores de que as informações seriam irrelevantes, osartistas desenvolveram a Freakpedia com o objetivo de construir uma enciclopédiavirtual verdadeiramente livre, onde nenhum tipo de restrição editorial incidiria sobreas colaborações dos usuários. Utilizaram para isso a tecnologia colaborativa wiki – amesma utilizada pela Wikipedia, (que foi, inclusive, a responsável por divulgarinternacionalmente tal tecnologia).O trabalho assume um agradável tom irônico quequestiona a ideia de liberdade propagada poralguns sistemas computacionais e termina pordemonstrar o caráter político que fundamenta odiscurso apologético das mídias e das grandescorporações sobre as práticas colaborativasbaseadas em web. Logomarca da Freakpedia" Na Freakpedia abre-se espaço para falar das pequenas coisas, daquilo que possuiimportância muito pessoal e que não possui qualquer pretensão grandiosa. Tudoque estiver ali presente, é obrigatoriamente insignificante. Assim como na Wikipédia,qualquer internauta está livre para publicar verbetes e editar verbetes já existentes,basta que inscreva-se no site", dizem os artistas. Em 2008, o site fez parte da seleção Media Art do FILE - Festival Internacional de Linguagem Eletrônica, realizado no Centro Cultural FIESP, em São Paulo, entre os dias 05 e 31 de agosto. O endereço da Freakpedia é: http://www.freakpedia.orgPrint da página introdutória da Freakpedia 9
  11. 11. Impressão 0305-03, de Maio de 2003. Propriedade do Victoria and Albert Museum, Inglaterra. Impressão 0305-08 , de Maio de 2002. Propriedade do Victoria and Albert Museum, Inglaterra. Mural dA Revista AARON, por Harold Cohen. AARON é um software desenvolvido pelo artista inglês Harold Cohen, que cria pinturas enviando comandos para um robô munido de tintas e disposto sobre folhas de papel. O software vem sendo desenvolvido continuamente desde 1 973.10
  12. 12. 7, de Agosto de 2003.Impressão 0307-0 11

×