Exame mod 2 correção

1.346 visualizações

Publicada em

Proposta de correção

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.346
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
69
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Exame mod 2 correção

  1. 1. Cotação da Cotação da questão questão 5 9 ANO LETIVO 2.2 Enuncia os regimes políticos que Roma conheceu, situando-os no tempo. DEPARTAMENTO CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS Roma conheceu três regimes políticos: 2012 /2013  a Monarquia – desde 753 a. C.  a República, - a partir de 509 a.C. TESTE DE HISTÓRIA DA CULTURA E DAS ARTES 11.º  o Império - a partir de 27 a. C. MÓDULO II – A CULTURA DO SENADO – CORREÇÃO 5 2.3 Identifica a obra literária latina a que alude o texto e refere o seu autor. ALUNO ____________________________________ N.º _____ O texto alude à “Eneida”, de Virgílio. DEZEMBRO DE 2011 PROFESSORA: TERESA GONÇALVES 3. Lê o texto B. Texto B 1. Lê o Texto A. “A tranquilidade que pairou em todo o império durante o reinado de Octávio é Texto A conhecida na história pelo nome de «Paz Octaviana». «O reinado deste Imperador é tragicamente famoso pelo terrível incêndio que Político arguto e prudente, recusa aparentemente o título de rei e ditador. Confia o devastou Roma durante nove dias […]. Muitas relíquias preciosas da antiga Roma ficaram exército a Agripa e Tibério, cerca-se de hábeis conselheiros como Mecenas e, dando ao perdidas para sempre e milhares de habitantes sem casa.» povo a doce ilusão do triunfo democrático, vai silenciosamente acumulando todos os Anna Liberati e Fábio Bourbon, Antiga Roma, Lisboa, Editorial Verbo, 2004 poderes – desde o de Sumo Pontífice, até ao de tribuno da plebe (para se tornar impune e ter direito de veto sobre o Senado), tornando-se imperador, com poder absoluto e 5 1.1 Seleccione a única opção que refere as condições urbanas que favoreceram a recebendo do Senado o título de Augusto, próprio dos deuses. Fundou uma guarda propagação do incêndio de Roma, no ano de 64 d. C. própria chamada a «Guarda Pretoriana», reprimiu a imoralidade, desenvolveu o comércio abrindo novas vias de comunicação, ampliou as fronteiras do Império do Danúbio e Elba.” A. Ruas estreitas e desalinhadas, casas de madeira e insulae de altura elevada. B. Villae de altura elevada, ruas largas e ortogonais e casas de madeira. 8 3.1 Refere os poderes que Octávio César Augusto acumulou. C. Ruas estreitas e desalinhadas, casas de pedra e domus com jardins. Octávio acumulou todos os poderes: D. Domus de altura elevada, ruas largas e ortogonais e casas de pedra.  Como Sumo Pontífice, quer dizer, sacerdote supremo, era chefe da religião romana; 5 1.2 Indique o nome do Imperador que governava Roma, no ano de 64 d. C. Quem governava Roma nesta altura era Nero.  como Tribuno da Plebe, tinha o direito de veto sobre as decisões do Senado;  como imperador, assumia poder absoluto, tornando-se comandante supremo do 2. exército; Sobre a origem e a fundação de Roma, os escritores  Com o título de Augusto –- título divino até aí reservado a certos deuses – nascia o latinos da Antiguidade recorrem à «tradição romana» como culto do imperador, a quem se levantara templos e altares. fonte de inspiração. A lenda de conta-nos a chegada de Este adotou, então, o nome de Octávio César Augusto. colonos troianos sob o comando de Eneias, o herói que desposara Lavínia, filha do rei Latino, lançando mais tarde 10 3.2 Explica a expressão sublinhada no texto. os fundamentos da cidade de Lavinium. A expressão sublinhada significa que Augusto, apesar de passar a ideia de que o povo é que decidia e mandava, foi acumulando, lentamente e de forma astuta, todos os poderes, tornando-se senhor absoluto de Roma. 10 Fig. 1 - Loba capitolina 2.1 Explica a lenda da fundação de Roma. 10 3.3 Diz quem foi Caio Mecenas. Segundo a lenda, dois recém-nascidos terão sido encontrados a boiar nas águas do Tibre, tendo sido recolhidos e amamentados por uma loba. Mais tarde adotados por um Caio Mecenas, grande amigo e colaborador de Augusto, mereceu o cognome de pastor, que os criou, Rómulo e Remo fundaram Roma sobre o monte Palatino. Já adultos, «Pai dos artistas» pelo carinho incansável com que patrocinou, protegeu e apoiou grandes durante uma discussão, Rómulo mata Remo e torna-se o primeiro rei de Roma, em 753 a. C.. artistas e escritores, como os poetas líricos Horácio, Ovídio e Virgílio - este último autor da poesia épica Eneida. Didáxis – Cooperativa de Ensino, RA Teste de HCA – Módulo II
  2. 2. Cotação da Cotação da questão questão 4. 4. Identifica as ordens arquitetónicas criadas pelos Romanos. 6 O Panteão de Roma é o único edifício construído na época Os Romanos criaram a ordem compósita e a ordem Toscana. greco-romana que, atualmente, se encontra em perfeito estado de conservação. 4.1 Refere outros elementos originais da arquitetura romana. 9 Desde que foi construído que se manteve em uso: primeiro Outros elementos originais da arquitetura romana foram a cúpula, a abóbada de berço como templo dedicado a todos os deuses do panteão romano (daí e o arco de volta perfeita. o seu nome) e, desde o século VII, como templo cristão. É famoso pela sua cúpula. Figura 2 – Panteão de Roma 5. O Arco de Triunfo é um presente que a 15 4.1 Diz o que sabes sobre este monumento. romanidade ofereceu à arquitetura. O Panteão de Roma é o único edifício construído na época greco-romana que atualmente se encontra em perfeito estado de conservação. 10 5.1 Justifica esta afirmação. Desde que foi construído que se manteve em uso: primeiro como templo dedicado a Esta afirmação significa que esta tipologia foi todos os deuses do panteão romano (daí o seu nome) e, desde o século VII, como templo criada pelos Romanos para celebrar grandes cristão. É famoso pela sua cúpula. vitórias militares e influenciaram fortemente a O Panteão (em grego Todos os Deuses) foi mandado restaurar pelo imperador arquitetura europeia que, entre o Renascimento Adriano em 121 d.C.. O imperador conservou a fachada exterior do tempo de Augusto, e o século XIX, delas fez numerosas cópias e mas o interior foi completamente renovado. recriações. Em vez de uma cella retangular, para as estátuas divinas, construiu-se uma vasta Figura 3 área de planta circular, coberta por uma cúpula de betão de dimensões impressionantes - 43,3 m de diâmetro. A cúpula simboliza, segundo o próprio imperador Adriano, a abóbada celeste, com os seus astros divinizados, sendo o Sol representado pela claraboia central. O edifício, circular, tem um pórtico (também denominado pelo termo grego "pronaos") com 5.2 Diz o que sabes sobre estas monumentais construções. 10 três filas de colunas (8 colunas na fila frontal, 16 ao todo), sob um frontão triangular. O Os Arcos do Triunfo foram uma espécie de monumento introduzida pelos romanos. interior é abobadado, com cella única, circular, toda revestida a mármores policromos e Cada arco simboliza a vitória numa batalha durante o reinado de um imperador, estuques cromados (o que comprova a grande preocupação dos romanos com a constituindo-se assim como memória dessa batalha e desse imperador. decoração de interiores), sob a gigantesca cúpula, que apresenta alvéolos (em forma de Painéis de figuras, esculpidas representando feitos militares, decoravam os arcos de caixotões) no interior, em direcção a um óculo, de nove metros de diâmetro, que se abre triunfo, sob os quais desfilavam os exércitos vitoriosos conduzindo longas filas de para o zénite. Estes alvéolos, além de serem utilizados esteticamente, também foram prisioneiros acorrentados. pensados para diminuir a quantidade de concreto a ser utilizado na estrutura, tornando-a Em Roma, há três Arcos principais: o Arco de Constantino, o Arco de Tito e o Arco de mais leve. Septímio Severo. A grande cella tem uma geometria irrepreensível, nela se podendo inscrever uma esfera perfeita, considerada a “forma fundamental” que pode conter todas as outras, A 4 5.3 Identifica o da figura 3. altura da cúpula é igual ao seu diâmetro e o raio igual ao raio do cilindro sobre que A figura 3 mostra o Arco de Constantino. assenta e também igual à sua altura, simbolizando a imagem do Globo Celeste assentando sobre a Terra. Da base da rotunda até ao óculo vão 43 metros - a mesma medida do raio do círculo da base - o que significa que o espaço da cúpula se inscreve no interior de um cubo imaginário. 6. Tal como hoje, em Roma, Talvez por isso, Miguel Ângelo, sempre tão crítico face a tudo o que via, tenha ficado as diferenças sociais fascinado a ponto de considerar que o desenho do monumento fora feito por anjos e não refletiam-se na qualidade por humanos. do alojamento. Graças a um subterfúgio da engenharia, a cúpula mal se nota do exterior, uma vez que se encontra parcialmente embebida nas maciças paredes laterais. Figura 4 Ainda que se ignore quem foi o arquiteto, existe consenso entre os especialistas em atribuí-lo a Apolodoro de Damasco, que, na época, além de viver em Roma, era o único capaz de projetar uma obra de tal envergadura, pois o Panteão está coberto pela maior cúpula construída na Antiguidade. Didáxis – Cooperativa de Ensino, RA Teste de HCA – Módulo II
  3. 3. Cotação da Cotação da questão questão 20 6.1 Distingue as habitações dos ricos das dos pobres nos centros urbanos. 8 A Ara Pacis, uma obra-prima da arquitetura romana, representa um dos mais significativos Tal como hoje, as diferenças sociais refletiam-se na qualidade do alojamento. Os mais testemunhos da arte da época. ricos habitavam uma casa própria, unifamiliar, de modelo tradicional: a domus. Normalmente de um só piso, a domus isola os seus habitantes do movimento da rua, já que praticamente não tem janelas para o exterior. Os aposentos organizam-se em redor de um átrio central ao qual, nas moradias mais ricas, se acrescenta um outro espaço aberto - o peristilo - dotado de belas colunas, estátuas e recantos ajardinados. Figura 6 A maioria da população não tinha, porém, possibilidade de usufruir de uma domus. Como em todas as grandes urbes, em Roma, o espaço faltava e a cidade cresceu em altura, enchendo-se de extensos e atamancados bairros de insulae. Com janelas para a rua 10 8.1 Diz o que sabes sobre este monumento. estreita, suja e barulhenta, a insulae subdividia-se em pequenos apartamentos de aluguer Este monumento, uma obra-prima da arquitetura romana, representa um dos mais onde se amontoava, geralmente numa só dependência, toda a família. significativos testemunhos da arte da época de Augusto e pretende simbolizar o período de paz e prosperidade vivido durante a Pax Romana. 7. A recuperação de duas cidades que tinham A Ara Pacis propriamente dita estava dentro de um recinto de mármore, finamente sido soterradas pela lava e cinzas do vulcão Vesúvio decorado com cenas de devoção, nas quais o imperador e sua família foram retratados a permitiram-nos recuperar não só os murais das luxuosas oferecer sacrifícios aos deuses. Várias figuras trazem gado para ser sacrificado. Alguns casas, mas também todo o tipo de objetos pertencentes à trazem as togas a cobrir-lhes as cabeças, como um capuz, o que significa que são vida quotidiana dos seus habitantes há cerca de dois mil sacerdotes. Outros usam coroas de louro, símbolo tradicional da vitória. As figuras em anos. tamanho natural da procissão não são tipos idealizados, mas retratos, e alguns deles A pintura e os mosaicos serviam de elementos podem ser reconhecidos. O altar, ao longo dos séculos acabou enterrado sob sedimentos, decorativos de paredes e de pavimentos dos edifícios. e por mil anos perdeu-se-lhe o rasto, tendo sido encontrado no século XVI Figura 5 – fresco da casa dos Vetti 9 Os Romanos desenvolveram a escultura, nomeadamente a 6 7.1 Identifica as cidades de que fala o texto. estatuária e os relevos. O texto refere-se às cidades de Pompeia e de Herculano. 10 7.2 Caracteriza a pintura romana. A pintura e os mosaicos serviam de elementos decorativos de paredes e de Figura 7 pavimentos dos edifícios. Os principais temas representados na pintura eram paisagens, construções, episódios históricos e mitológicos. 10 9.1 A partir da figura 7, refere as principais caraterísticas da escultura romana. As cidades de Pompeia e Herculano, soterradas pela lava do vulcão Vesúvio, permitiram-nos recuperar não só os murais das luxuosas casas, mas também todo o tipo Os Romanos desenvolveram a escultura, nomeadamente a estatuária e os relevos. objetos pertencentes à vida quotidiana dos habitantes destas cidades há cerca de dois mil O alto e o baixo-relevo serviram de elemento decorativo à arquitetura. A escultura romana anos atrás caracterizava-se pelo idealismo, realismo e idealização, visível, sobretudo, no retrato, ao Nos mosaicos, as construções geométricas e figurativas foram muito utilizadas. nível da ondulação dos cabelos, da expressão dos olhos e das feições do rosto que, por vezes, A pintura era feita a fresco (os frescos são normalmente pinturas feitas nas paredes, chegavam a transparecer traços da personalidade – como acontece com a escultura da também chamadas pinturas murais, enquanto o gesso ou a argamassa ainda está por figura 7, dita de Bruto Capitolino, Os temas da escultura variavam entre os episódios da secar), recorrendo-se a cores vivas e às leis da perspetiva, que criavam a ilusão de política, da guerra, do quotidiano e da mitologia. profundidade. 3 7.3 Indica o estilo a que pertence a pintura a fresco apresentada na figura 5. A figura cinco ilustra um fresco do chamado 4.º estilo. Didáxis – Cooperativa de Ensino, RA Teste de HCA – Módulo II
  4. 4. Cotação da Cotação da questão questão 10 Observa o seguinte conjunto documental. 25 10.1 Identifica cada uma das figuras. Figura 10 Figura 8 Figura 9 Figura 11 Figura 12 Fig. 8 - L’arringatore – O Orador - é uma estátua-retrato que representa o cidadão de plenos direitos, o patrício em pleno ato de discursar, no exercício dos seus direitos e deveres cívicos; Fig. 9 – Parte do friso escultórico da Coluna de Trajano; Fig 10 – Augusto de Prima Porta; Fig. 11 – Anfiteatro Flávio ou Coliseu de Roma; Fig. 12 – Ponte de Gard, França. Didáxis – Cooperativa de Ensino, RA Teste de HCA – Módulo II

×