Classes abertas de palavras

587 visualizações

Publicada em

Classes abertas de palavras

Publicada em: Negócios
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
587
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
104
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Classes abertas de palavras

  1. 1. Classes abertas de palavras Porto Editora
  2. 2. As classes abertas de palavras são constituídas por um número ilimitado de palavras e recebem, constantemente, novos membros. As classes abertas de palavras são… Porto Editora nnoommeess aaddvvéérrbbiiooss iinntteerrjjeeiiççõõeess vveerrbbooss aaddjjeettiivvooss
  3. 3. contável coletivo – aplica-se a um conjunto de objetos ou entidades do mesmo tipo, admitindo ser contado ou pluralizado. Ex.: pomar, alcateia não contável – indica objetos ou entidades que não se podem decompor em partes individualizadas. Ex.: coragem, farinha Porto Editora SSuubbccllaasssseess ddoo nnoommee Nome próprio – designa seres/referentes individuais. Ex.: Ana, Beja Nome comum – designa seres/entidades não individualizados. Ex.: árvore, coragem, farinha contável – admite ser contado ou pluralizado. Ex.: árvore, lápis não contável coletivo – aplica-se a um conjunto de objetos ou entidades do mesmo tipo, não admitindo ser contado ou pluralizado. Ex.: fauna, flora
  4. 4. intransitivo – exige apenas um sujeito. Ex.: O Francisco dorme. transitivo direto – exige um sujeito e um complemento direto. Porto Editora SSuubbccllaasssseess ddoo vveerrbboo Verbo principal – designa uma ação, um acontecimento ou um estado. Ex.: A Ana come a sopa. transitivo indireto – exige um sujeito e um complemento indireto ou oblíquo. Ex.: A Maria telefonou aos primos. / A Marta voltou de férias. transitivo direto e indireto – exige um sujeito e dois complementos: complemento direto e complemento indireto ou complemento oblíquo. Ex.: O José escreveu uma carta ao diretor. A seguir pô-la no correio.
  5. 5. permanecer parecer continuar Porto Editora SSuubbccllaasssseess ddoo vveerrbboo Verbo copulativo – atribui ao sujeito uma característica (expressa pelo predicativo do sujeito). Ex.: Durante o jantar os convivas estiveram muito animados. Verbos copulativos mais usuais: ser andar estar ficar tornar-se revelar-se
  6. 6. Porto Editora SSuubbccllaasssseess ddoo vveerrbboo Verbo auxiliar – acompanha o verbo principal ou o verbo copulativo e forma com ele um complexo verbal. Ex.: Eu vou pintar a casa. Tu hás de ajudar na pintura. Pode ser que hoje vá a tua casa. A bola foi levada pela onda. Não tenho tido tempo para ir ao cinema.
  7. 7. Porto Editora SSuubbccllaasssseess ddoo aaddjjeettiivvoo Adjetivo qualificativo – atribui uma qualidade/atributo a um nome; ocorre normalmente depois do nome, embora possa antecedê-lo; geralmente, admite variação em grau. Ex.: raposa astuta, astuta raposa, raposa muito astuta, raposa astutíssima Adjetivo relacional – deriva de um nome e coloca-se depois deste; não admite variação em grau. Ex.: ambiente europeu, ocupação romana Adjetivo numeral – indica ordem ou sucessão; geralmente, antecede o nome. Ex.: primeiro aluno, segundo rapaz
  8. 8. Porto Editora AAddvvéérrbbiioo Os advérbios apresentam características heterogéneas e a sua classificação pode ser feita quanto: ao significado que possuem (o seu valor semântico); à função desempenhada na frase que integram.
  9. 9. Porto Editora AA.. VVaalloorreess sseemmâânnttiiccooss Advérbio de afirmação – utiliza-se em respostas a frases interrogativas e para transmitir ou reforçar a afirmação de uma ideia. Ex.: sim Advérbio de negação – atribui valor negativo à frase. Ex.: não Advérbio de quantidade e grau – transmite informação sobre a quantidade e o grau. Ex.: muito, pouco, mais, menos, bastante, demasiado, excessivamente
  10. 10. Advérbio de inclusão – indica se o constituinte que está a modificar participa, está incluído num determinado conjunto. Ex.: também, até, inclusivamente, mesmo Porto Editora AA.. VVaalloorreess sseemmâânnttiiccooss Advérbio de exclusão – indica se o constituinte que está a modificar não participa, está excluído de um determinado conjunto. Ex.: apenas, senão, só, somente, exceto Advérbio de dúvida – atribui um valor de incerteza à frase. Ex.: acaso, talvez, porventura, possivelmente…
  11. 11. AA.. VVaalloorreess sseemmâânnttiiccooss Advérbio de predicado – desempenha a função sintática de complemento oblíquo, de predicativo do sujeito ou de modificador do grupo verbal. Pode ter diferentes valores semânticos: Advérbio de designação – determina algo que é referido numa frase. Ex.: eis Porto Editora - modo (Ex.: mal, bem, depressa, devagar, debalde…) - tempo (Ex.: amanhã, ontem, hoje, depois, antes, agora, nunca, logo, tarde…) - lugar (Ex.: acolá, ali, aqui, junto, longe, perto, abaixo, acima, adiante…)
  12. 12. Porto Editora BB.. FFuunnççõõeess Advérbio interrogativo – identifica aquilo que se interroga numa pergunta, podendo referir-se ao tempo, ao lugar, ao modo ou à causa. Ex.: quando, onde, como, porque, porquê Advérbio conectivo – estabelece uma ligação entre frases ou elementos da frase, que pode ser de consequência, contraste ou de ordenação. Ex.: primeiro, seguidamente, finalmente, assim, depois, porém, todavia, contudo, portanto…
  13. 13. Advérbio relativo – introduz uma oração subordinada relativa e permite identificar a relação entre esta e o nome que a antecede. Ex.: onde, como Porto Editora BB.. FFuunnççõõeess Advérbio de frase – desempenha a função sintática de modificador da frase, podendo transmitir o ponto de vista do falante ou referir-se a uma área do saber. Ex.: felizmente, infelizmente, naturalmente, matematicamente…
  14. 14. Porto Editora Locução adverbial – conjunto de duas ou mais palavras introduzido por uma preposição que funciona como um advérbio. Ex.: de novo, em silêncio, na verdade, com cuidado…
  15. 15.  aalleeggrriiaa E Exx..:: a ahh!!,, o ohh!!...... Porto Editora Tem uma função emotiva, podendo transmitir diferentes informações: IInntteerrjjeeiiççããoo  a appllaauussoo E Exx..:: b brraavvoo!!,, b bisis!!......  ddeesseejjoo E Exx..:: o oxxaalálá!!......  ddoorr E Exx..:: a ai!i!,, u ui!i!......
  16. 16. Porto Editora IInntteerrjjeeiiççããoo  eessppaannttoo//ssuurrpprreessaa E Exx..:: a ahh!!......  iinncceennttiivvoo E Exx..:: e eiaia!!,, v vaammooss!!......  iinnvvooccaaççããoo E Exx..:: ó ó!!,, p psssstt!!......  ssiillêênncciioo E Exx..:: p pssiuiu!!,, s siliêlênnccioio!!......

×